30 de agosto de 2019

Noor Saidah - A Mulher Arame

.
Noor Saidah ou Noorsyaidah é o nome de uma mulher indonésia que desde 1991 supostamente sofre de uma estranha condição. De seu ventre e peito brotam arames...

Em 2008 seu caso se tornou muito popular, aparecendo nos meios indonésios e internacionais constando que ela padeceria dessa "doença" por 18 anos. Após o estouro midiático e de ter supostamente visitado 4 médicos especialistas na Indonésia, não se soube mais nada dela.
No ocidente, com extrema frequência seu caso reaparece, tanto na internet como em meios oficiais e, para alegria dos fãs de mistério, o caso continua sendo um... Mistério?

Sangue pus e inchaço nos pontos de penetração dos fios de arame.



Noorsyaidah contou na imprensa asiática que no começo, os arames apareciam e se desprendiam de sua pele. Depois, para que os arames não a incomodassem tanto, sua irmã cortava as pontas fazendo com que a parte que ficava na pele retrocedesse para dentro da barriga e peito de Noor, e que mais tarde, voltariam a aparecer em outro lugar. Se pode ver nas imagens, que os locais onde os arames "brotam" parecem infectados, saindo sangue e pus ocasionalmente.

.
.
Por volta do ano de 2008, Noor finalmente foi ao hospital Abdul Wahab Sjahranie para fazer exames. Nesse hospital, foram realizadas uma radiografia, comprovando que tinha em seu abdômen e peito cerca de 40 arames de aproximadamente 10 a 20 cm.

Cerca de pedaços de arame foram removidos de sua barriga.

A coisa começa a ficar suspeita quando os médicos se aprofundam mais no tema. Houve um momento do caso, em que o doutor que a atendeu disse que o hospital sugeriu uma cirurgia para extrair os arames, mas Noor declinou, apesar de ter se submetido a uma série de tratamentos alternativos em vão.

"Provavelmente Deus quer mostrar sua onipotência através dessa doença rara", afirmava Noor Saidah.

"Provavelmente Deus quer mostrar sua onipotência através dessa doença rara", afirmava ela. Noor, que é graduada pela faculdade de ciências sociais e políticas da Universidade de Mulawarman, disse também que decidiu não se casar porque não queria decepcionar um homem por causa de sua doença. "Os arames não me impedem realizar as atividades diárias. Como muçulmana, nunca me esqueço de realizar as orações cinco vezes ao dia. Vou seguir lutando por minha recuperação. Quero o melhor para mim". Também afirmou que tinha "esperança de ir ao estrangeiro para receber tratamento com a ajuda de algum benfeitor".

Como um alarme que dispara ante uma conduta suspeita, essa última parte soa a golpe, com o objetivo de obter dinheiro de algum desavisado por exemplo. Ainda que ao mesmo tempo, poderia nada mais ser que Noor Saidah tenha algum trastorno psiquiátrico.

Após seu caso viralizar em 2008, não se sabe mais nada de Noor Saidah.


O organismo humano não consegue produzir arame. É fisicamente impossível. A prova mais evidente disso, são as infecções que aparecem nos pontos em que os arames aparecem inseridos nas fotografias e vídeos do caso na época. Basicamente, o organismo não reage com infecções a algo que tenha sido gerado por ele mesmo. Imagine ter unhas, pelos ou cabelo com infecções parecidas?

O organismo humano não consegue produzir arame.

Ainda que visualmente pareça impressionante e misterioso, o fato é que esses arames foram parar no corpo de Noor, muito provavelmente cravados por ela mesma; de forma consciente ou inconscientemente. Sabe-se que há casos em que uma pessoa pode "esquecer" que cravou objetos em si mesma durante um estado alterado da mente; em um transe espiritual ou turbinado com drogas por exemplo.

.
.
Todos os arames estão em uma área de fácil acesso por ela mesma. Por que razão não saem nas suas costas? Todos estão onde há muito tecido adiposo, onde os pedaços de arame podem ser inseridos sem danificar a camada muscular, ficando cravados de forma superficial.
Ao mesmo tempo, os pedaços arame não perfuram o seu estômago ou intestino  (vide radiografias) o que isso sim, causariam consequências bem graves.

Radiografias.

Sendo assim, poderíamos estar diante de uma falsa condição, uma "doença inventada" no qual, uma pessoa finge padecer de uma enfermidade estranha e rara para obter atenção e cuidados. Em casos assim, a pessoa nega que os sintomas que apresenta, tenham sido exagerados, ou completamente simulados, chegando inclusive a conscientemente acreditar na "doença", o que nos leva a suspeitar de um transtorno mental.

Tradução/Adaptação: Rusmea & Mateus Fornazari

Fontes:
https://believe-or-not.blogspot.com/2010/12/noorsyaidah-claims-metal-wire-has-grown.html
https://gigazine.net/gsc_news/en/20080905_steel_bristle
https://truestrange.wordpress.com/2008/08/30/an-indonesian-woman-with-metal-wires-growing-out-of-her/
https://www.cmarshallfab.com/and-you-thought-you-had-problems/
Comentários