28 de abril de 2019

Síndrome de Morgellons: Canal Assombrado


Estranha doença de pele, incurável e por enquanto inexplicável. É uma das doenças mais misteriosas e complexas da última década: A Síndrome de Morgellons.

Milhares de pessoas alegam sofrer de uma doença misteriosa, que as fazem sentir como se insetos andassem sob sua pele. Para piorar, filamentos saem de seu corpo. Só que para a ciência, tudo não passa de um doença da cabeça deles, venha conhecer Morgellons, a doença da internet!

Sintomas:

Os sintomas de Morgellons variam em sua gravidade e distribuição, mas são caracterizados por uma sensação de infestação por algum tipo de inseto mordedor, bem como pela presença de fibras. Essas fibras são um aspecto muito importante da doença, embora atualmente não sejam bem estudadas, portanto, pouco se sabe sobre sua composição ou origem. Além disso, há um componente marcante do sistema nervoso central na doença de muitos pacientes, descrito por Leitão como “sintomas neurológicos que não envolvem apenas o cérebro. Estas não são apenas pessoas loucas que gostam que estão infectadas com insetos; essas pessoas estão muito doentes ”. Alguns dos sintomas são:

- Sensação de formigamento, mordeduras, ferroadas ou seres rastejando sob a pele.

- Coceiras

- Feridas na pele que não saram, acompanhadas de dores e prurido intenso

- Sintomas do Sistema Nervoso Central, incluindo disfunção cognitiva e alterações emocionais.

- Limitação aeróbica, fadiga intensa.

- Dor nas juntas e nos músculos

- O mais incrível, filamentos coloridos que saem da ferida. Estes filamentos são tão poderosos que podem perfurar o cabelo!




.
Fotos das coceiras publicadas no site da Morgellons Research Foundation


- Histórico

Mary Leitão (centro) e seus filhos.
Muitas pessoas ao redor do mundo estão relatando sintomas que vão de feridas na pele até a sensação terrível de coceira, como se um inseto estivesse andando sob a pele. Mas o mais chocante, é que estes pacientes tiram uma espécia de filamento desconhecido das feridas.

O incrível é que para a medicina esta doença simplesmente não existe, apesar dos milhares de casos ao redor do mundo. Tanto que até o momento nenhuma pesquisa científica foi feita sobre a doença ou sobre os filamentos.

Quando os pacientes procuravam os médicos relatando os sintomas, não havia um nome definido. Ela só começou a ser chamada Morgellons por causa de Mary Leitão, mãe de um paciente cujo filho começou a exibir os sintomas. No ano de 2002 funda a Morgellons Research Foundation; da qual foi diretora executiva.  Mas porque esse nome?

Vamos voltar no tempo, séculos atrás, no ano de 1674. Em uma monografia intitulada “Carta a um amigo”, Sir Thomas Browne usa o termo Morgellons quando escreve sobre um distúrbio que aflige crianças como “aquela enfermidade endêmica de crianças em Languedoc , chamadas morgellons, em que elas surgem criticamente com pelos duros. em suas costas ".

Desenho de Ettmuller
Anos depois, em 1682, O Dr. Michel Ettmuller documenta objetos microscópicos associados ao que foi então descrito como uma infestação de vermes em crianças. Ele produz um desenho que a Morgellons Research Foundation acredita que pareça similar às visões microscópicas dos atuais Morgellons.

Morgellons Research Foundation detectou A síndrome parece estar mais concentrada no ocidente, com predominância nos EUA e Europa. Estima-se que a Síndrome de Morgellons já tenha atingido mais de 60 mil pessoas nos EUA, e 40 mil na Europa.

Fotos das fibras publicadas no site da Morgellons Research Foundation


- O Estudo da Universidade de Oklahoma

Randy S. Wymore, Ph.D. é professor assistente
 de farmacologia e fisiologia e assumiu o desafio de pesquisar
Morgellons na Universidade de Oklahoma
Após a criação da Morgellons Research Foundation, várias pessoas se associaram e começaram a pesquisar o assunto. Om deles foi o diretor do centro de Saúde e ciência da Universidade do Oklahoma, Dr. Randy Wymone, que permanece até hoje a frente de uma pesquisa feita sobre o assunto na Universidade.

Ele foi entrevistado no programa Histórias Inexplicáveis, exibido no Discovery Channel muitos anos atrás, e que está disponibilizado no canal oficial do Discovery Brasil. No programa eles falam da síndrome e dos estudos feitos pelo Dr. Randy Wymone, que após analisar filamentos retiradas das pessoas descobriu as seguintes caracterísiticas:

- Tamanho e formato: geralmente são filamentos que variam muito de tamanho, podendo ser milimétricos, e outras chegar 15 cm de comprimento. O formato na maioria das vezes se parece com fibras, mas em outras é como uma pulga, um casulo.

- Não são fibras de roupa. Muitos dizem que são as fibras de roupas usadas pelo paciente que ficariam presas na feridas da pele. Muito bem. É plausível, mas infelizmente não é isto. Exames realizados mostraram que a composição dos filamentos não bate com nenhuma fibra existente no mundo! Ainda não se sabe do que as fibras são feitas.

- Alta resistência ao calor. Os filamentos só queimam com temperaturas maiores que 1400º C! Ou seja, somente chamas industriais podem eliminá-los! Os doentes simplesmente não conseguem destruir as fibras, então eles guardam.

- Produzidas pelo próprio corpo. Alguns pesquisadores defendem que dá para ver os filamentos crescendo do tecido humano, como a microbiologista Marianne Middelven. Isto revela que eles devem ser feitos de compostos orgânicos. O teste para descobrir qual quais são estes compostos consiste em aquecer um composto, no caso o filamento, de 650 a 760 ºC, fazendo ele virar gás, e a máquina detecta o gás e compara em um banco de dados internos com mais de 100.000 compostos orgânicos. Bem, não foi possível queimar o filamento, portante chegou-se a conclusão que ele o filamento não é compatível com nenhum composto orgânico.

- Estrutura viva? Verificou-se através de estudos que estes filamentos contêm DNA e tem a capacidade de auto-replicação. Em muitos vídeos, pode-se ver as fibras mexendo na ferida! Especula-se que seja o movimento destes filamentos que causam a coceira terrível nos pacientes.


.
- O que Poderia estar Provocando a Doença?

As pessoas alegam as mais diversas coisas como causadores de Morgellons, eis algumas abaixo:

Alimentos transgênicos: Alguns supõem que os fios se devem a mutações causadas por alimentos que contêm organismos modificados geneticamente.

Bactéria vindo do espaço. Seria uma bactéria ainda não identificada, nunca observada, algo totalmente nova para ciência, e sua origem pode ser o espaço. Milhares de meteoritos caem do espaço em nosso planeta todo ano. Só que este não deve ser o caso, pois os doentes são aleatórios, de vários locais do mundo. Se fosse uma infecção bacteriana seguiria um padrão logo após surgir.

- Nanotecnologia + Chemtrails. Poderia ser uma estrutura criada pela nanotecnologia que deu errado, muito errado e que está sendo pulverizada pelos chemtrials. Chemtrails são rastros químicos deixados nos céus pelas pulverizações realizadas por aviões, que voam a altas atitudes. Muitos acreditam que tem o consentimento dos governos e são usadas para deter o aquecimento global. É uma teoria interessante, pois quando ocorreram os ataques de 11/09/2001 nos EUA, o governo ordenou que por 3 dias nenhum avião decola-se. O que ocorreu foi algo inusitado: diminui significativamente nos céus dos EUA as nuvens e acabaram os contrails (rastros deixados por jatos) e o resultado foi um aumento na temperatura!

Provocadas pelos pacientes. Muitos médicos acreditam que nisto. Veja a opinião do russo Alexander Tsvetkevich para o Voz da Rússia. Isto chega a ofender vários pacientes.

Em minha prática houve apenas dois pacientes com semelhantes “doença”. Ambos tinham a pele inchada nos locais das feridas. Entretanto eu relaciono isto em primeiro lugar com intensos arranhões da pele, pois sentiam uma coceira incessante. Com o exame visual não foi encontrado nenhum fio, de que os pacientes se queixavam. Nós realizamos análises clínicas mas também não encontramos parasitas. Eu acho que é um problema inventado. A coceira pode surgir em virtude de estresse nervoso, problemas no trabalho. E o que as pessoas aqui fazem quando adoecem? Elas, infelizmente, não vão ao médico, mas pedem ajuda na Internet, em virtude da falta de tempo. Caem em algum fórum onde especialistas duvidosos ou pessoas comuns lhes dão conselhos, como melhor se curar, sem ter nenhuma ideia do caráter da doença, não tendo a possibilidade de realizar um exame visual. Forma-se um círculo vicioso. As pessoas, tendo lido nos fóruns e histórias terríveis na Rede, fazem elas próprias os diagnósticos e depois acreditam neles tanto, que nenhum médico já pode convencê-las de que são saudáveis. Eu considero que a doença de Morgellons é uma doença psíquica, em primeiro

Parasitose Delirante. É uma desordem delirante em que os indivíduos acreditam erroneamente que estão infestados de parasitas, insetos ou demais bichos, enquanto que na realidade, tal infestação não existe. Os pacientes desta condição geralmente relatam alucinações táteis conhecidas como formigamentos, uma sensação semelhante a insetos que se movimentam sobre ou sob a pele.

Após anos de investigação e resultados surpreendentes, a Morgellons Research Foundation queria reconhecimento sério do Governo americano para provar que a doença existe, e solicitaram ao Centro de Controle de Doenças (Centers for Disease Control - CDC) que fizesse um estudo para que ações sejam tomadas.

- O Estudo do Centro de Controle de Doenças do governo dos EUA

Em junho de 2005 os senadores Dianne Feinstein e Dick Durbin contatam o CDC, solicitando que a organização investigue formalmente Morgellons e um ano depois, em junho de 2006: A Força-Tarefa CDC Morgellons, presidida por Dan Rutz, se reúne pela primeira vez.

10 de maio de 2007: Em entrevista à KGW News, Dan Rutz diz que a pesquisa de Morgellons do CDC está começando, mas que ele “tem uma boa idéia de que não há um processo infeccioso aqui. Não há nada que implique que existe uma, mas nossa mente está aberta a tudo, incluindo essa remota possibilidade.

Em 2012, eles publicam o estudo "Clinical, Epidemiologic, Histopathologic and Molecular Features of an Unexplained Dermopathy". Um total de 115 pessoas com Morgellons foram estudadas e concluíram que trata-se de uma doença psicossomática. O estudo mostrou que a maioria das fibras nas feridas da pele era algodão. O relatório do CDC observou que a condição é mais frequentemente vista em mulheres brancas de meia idade, e seus sintomas são muito semelhantes aos de uma doença mental envolvendo falsas crenças sobre a infestação por parasitas (parasitose delirante). O CDC não coleta mais relatórios sobre a síndrome desde que o estudo foi publicado.

Muitos médicos acreditam que as pessoas que se auto-diagnosticam com Morgellons têm ilusões de parasitose e infestação, e infligem as escoriações em si mesmas. Em outras palavras: é tudo coisa da cabeça delas.

Essa conclusão bate com as publicações feitas em novembro de 2006 no American Journal of Dermatology, que publicou uma carta e duas peças de opinião sobre Morgellons. A posição da revista é que os dermatologistas devem tratar os pacientes de Morgellons, não para uma infecção parasitária, mas com a Pimadozina, um antipsicótico usado para tratar a Parasitose Delirante.

Também está de acordo com um estudo de 2011 da Mayo Clinic, nos EUA, que revisou amostras coletadas por pacientes e concluiu que a percepção da infestação existe apenas na mente deles. As fibras, apontadas como evidência física, foram classificadas como restos de células da pele, cabelos, fibras sintéticas de carpete ou roupas.

Mas nem todos concordam, principalmente o Dr. Randy Wymore, que até palestra sobre esse tema e continua sua pesquisa no Center for Health Sciense da Universidade de Oklahoma. O The Charles E. Holman Morgellons Disease Foundation também pesquisa Morgellons.

Randy S. Wymore, PhD: The CDC, Unexplained Dermopathy and the Future of Morgellons Diagnosis, Research and Treatment from Charles E. Holman Foundation on Vimeo.

Onde Procurar Ajuda?

O Morgellons Research Foundation acabou. Em agosto de 2006, três membros do conselho executivo da MRF renunciam devido a uma disputa financeira após um desentendimento com Leitão sobre o uso de algumas doações de caridade. Atualmente Seu site ainda está no ar, mas não é atualizado desde 2014. Mas acessando podemos coletar algumas informações como mapas e depoimentos de pessoas com Mogellons.

Hoje, a maioria dos profissionais da saúde não levam a sério a doença, o que acaba irritando a pessoa que sofre de Morgellons. Mas você se acredita estar com Morgellons deve procurar um médico em quem você possa confiar e se prepare para ter paciência. Vários exames serão feitos, pois a doença de Morgellons não é um problema comum e muitos médicos nem sabem que ela existe.

Após os exames serem realizados, esteja aberto ao que o seu médico lhe tem a dizer. O tratamento para a dita doença pode durar por muito tempo, e não somente inclui tratar sintomas físicos, mas também pode envolver um tratamento psiquiátrico. Não feche as portas para o tratamento de outras doenças. É muito comum que pacientes com Morgellons estejam sofrendo com depressão, ansiedade e outros problemas psicológicos. Entenda que tratar esses problemas também significa tratar os sintomas físicos primários, o que levará ao desaparecimento desse mal.

Mas a realidade é que os pacientes geralmente fazem o auto-diagnostico com base em relatos da mídia e informação a partir da Internet.

O Caso Joni Mitchell

Se você for mais velho, talvez já ouviu falar de Joni Mitchell, mas para quem nunca ouviu falar, é uma cantora, vocalista solo, artista plástica e poetisa canadense. Foi considerada a 75º melhor guitarrista de todos os tempos pela revista norte-americana Rolling Stone,] que também a citou como "uma das melhores compositoras da história". De acordo com uma declaração da AllMusic, "Quando a poeira baixar, Joni Mitchell pode vir a ser a artista musical feminina mais importante e influente do século XX".

Alcançou o sucesso na década de 1970 e recebeu muitos prêmios, incluindo nove Grammys. Gravou dois discos que entraram para a história: Clouds, de 1969, e Blue, de 1971, que ocupa a 30ª posição na lista dos 500 melhores álbuns de todos os tempos da revista Rolling Stone.

Pois no dia 31 de maio de 2015 ela foi internada. Joni Mitchell diz sofrer há anos de síndrome de Morgellons.  A página oficial da cantora e os perfis de Mitchell nas redes sociais confirmam que ela foi hospitalizada na UTI.

Joni Mitchell parou de gravar e fazer shows por causa dos sintomas de Morgellons. Em 2013, ela disse à revista "The star": "Não tenho feito muita coisa ultimamente porque passei por sete anos por uma doença grave. Não estou curada, mas consegui achar um médico que não tem preconceito. A medicina ocidental diz que essa doença nem existe, que é psicótico. Não é".

Na biografia de 2014 "Joni Mitchell: In Her Own Words" ela descreveu sua luta: "Não podia usar roupas. Não podia deixar minha casa por muitos anos. Às vezes tinha que rastejar no chão. Tinha cãibras na perna como se fossem crises de pólio". Em 2010 ela disse ao "LA Times: "Fibras de várias cores nascem da minha pele como cogumelos depois da chuva".

Atualmente ela está viva e não sei como está sua relação com Morgellons. Segue seu site oficial https://www.jonimitchell.com/



Fontes (Acessadas em 26/04/2019):
https://www.mayoclinic.org/morgellons-disease/art-20044996
https://health.okstate.edu/research/morgellons.html
https://www.thecehf.org/
http://g1.globo.com/musica/noticia/2015/04/na-uti-joni-mitchell-luta-para-provar-que-nao-tem-doenca-imaginaria.html
http://g1.globo.com/platb/espiral/2011/05/31/inmanifestacao-da-mente
http://www.morgellons-disease.org/
https://pt.wikipedia.org/wiki/Parasitose_delirante
https://www.morgellons.org/
https://web.stanford.edu/class/humbio153/Morgellons/Background.html
https://vimeo.com/135044299
http://www.thecehf.org/randy-wymore.html
http://www.carnicominstitute.org/html/webdesigner/researchprojects/researchprojects.htm
https://pt.wikihow.com/Tratar-a-Doen%C3%A7a-de-Morgellons
Comentários