27 de julho de 2018

10 Mistérios do Antigo Egito


.
O antigo Egito fascinou a imaginação das pessoas desde que limparam as areias da Grande Esfinge. Nos últimos dois séculos, tem sido uma verdadeira obsessão para arqueólogos e historiadores. É uma terra cujos mistérios tem sido desvendados lentamente através dos anos.


Porém, mesmo depois de séculos de investigação, ainda há muita coisa que não sabemos. Algumas das maiores descobertas do mundo antigo seguem cobertas pelas areias do Egito, esperando para serem reveladas. Eventualmente, algumas revelações só produzem mais mistérios e perguntas não respondidas.

10 - O Labirinto Perdido do Egito

Há 2.500 anos, havia um labirinto enorme no Egito que, nas palavras de quem o viu, "superou até mesmo as pirâmides".

Era um prédio enorme, com dois andares. Dentro, havia inacreditáveis ​​3.000 quartos diferentes, todos conectados através de um labirinto sinuoso de passagens tão complexas que ninguém conseguia sair sem um guia.

No fundo, havia um nível subterrâneo que servia como um túmulo para os reis e no topo havia um telhado maciço feito de uma única pedra gigantesca.

Numerosos ​​escritores antigos descreveram ter visto a imensa obra em primeira mão, mas 2.500 anos depois, ainda não sabemos ao certo onde está.

O mais próxima já encontrado, é um gigantesco planalto de pedra de 300 metros de largura que alguns acreditam ter sido a fundação do labirinto. Se assim for, as principais histórias foram completamente perdidas no tempo.

Em 2008, uma equipe de especialistas em radar de penetração no solo escaneou o platô e descobriu que por baixo, parece haver um labirinto subterrâneo exatamente como o descrito por antigos escritores.

No entanto, até agora ninguém jamais escavou o local. Até que alguém entre no labirinto, não teremos certeza se realmente encontramos a maior maravilha arqueológica do Egito.

09 - A Rainha Desconhecida do Egito

Em 2015, arqueólogos tropeçaram no túmulo de uma mulher que foi enterrada entre as grandes pirâmides do Antigo Reino do Egito.

Em sua tumba havia inscrições a chamando de "a esposa do rei" e "a mãe do rei". Há 4.500 anos, quando essa mulher estava viva, ela teria sido uma das pessoas mais importantes do planeta e teria mais poder que qualquer outra mulher do país. E ninguém tem ideia de quem ela foi.

Os historiadores a apelidaram de "Khentakawess III", sob a suposição de que ela teria sido a filha da rainha Khentakawess II (ou Khentkaus II). Eles acreditam que ela pode ter sido a esposa do faraó Neferefre e a mãe do faraó Menkauhor - mas o fato é que eles não sabem e estão apenas adivinhando.

Se o nome dela era "Khentakawess III", então não há referências a ela em tudo que já foi encontrado. Quem quer que ela tenha sido, foi uma mulher incrivelmente poderosa, mas hoje, ela é pouco mais que um enigma.

08 - A Esfinge de Israel

Em 2013, em Tel Hazor, Israel, arqueólogos encontraram algo que nunca esperariam encontrar tão longe do Egito: uma esfinge egípcia de 4.000 anos de idade.

Especificamente, eles encontraram as patas da estátua, descansando em uma base. O resto, acredita-se, foi deliberadamente destruído há milhares de anos.

Antes que alguém a destruísse, a peça teria sido de 1 metro de altura e pesava meia tonelada. Ninguém sabe o que uma estátua egípcia estava fazendo em Israel. A única pista deixada para trás é uma inscrição na base que leva o nome de "Rei Miquerinos" (Mykerinos), o nome de um faraó que governou o Egito por volta de 2500 aC.

É altamente improvável que Tel Hazor tenha sido conquistada pelos egípcios. Durante o reinado de Miquerinos, Tel Hazor era um centro comercial em Canaã, diretamente entre o Egito e a Babilônia. Era vital para o bem-estar econômico de duas das maiores potências da região.

O melhor palpite é que teria sido um presente. Se foi um presente, no entanto, não está claro por que o rei Miquerinos o enviou, ou por que razão alguém teria ficado com raiva o suficiente para destruir a obra.

Tudo o que realmente sabemos com certeza é que, por algum motivo, alguém construiu uma esfinge a 1.000 km de distância da Grande Esfinge de Gizé.

07 - A Morte Misteriosa do Rei Tut

O rei Tutancâmon tinha apenas 19 anos quando morreu e ninguém sabe ao certo o que aconteceu. Sua morte é um completo mistério - mas não porque ele estava no auge de sua vida.

A razão pela qual a morte de Tut é considerada tão misteriosa, se deve a que haviam tantas coisas erradas com ele que é difícil dizer qual delas acabou com sua vida.

O rei Tut estava com uma saúde terrível. Ele tinha malária e nasceu com tantas deficiências genéticas que os historiadores estão convencidos de que seus pais devem ter sido irmão e irmã.

Ele tinha pé torto (Talípe) e defeitos genéticos que, alguns acreditam, podem ter feito da sua morte nada mais do que uma questão de tempo.

Ele também tinha um crânio fraturado que, por um longo tempo, foi considerado pelos arqueólogos como um sinal de que ele havia sido esfaqueado na cabeça. Hoje, acredita-se que sua cabeça acabou de ser danificada enquanto seu corpo estava sendo embalsamado, mas a possibilidade de que ele tenha sido assassinado não foi descartada.

Ele quebrou o joelho pouco antes de morrer, o que levou a uma teoria de que ele foi morto em um acidente de biga. Se ele já estava com a perna fraturada, no entanto, entrar naquela carruagem foi uma decisão estranha.

Tut estava tão deformado que não conseguia nem ficar em pé sem alguém o apoiando.
Poderia ter sido qualquer coisa, ou poderia ter sido uma série de coisas diferentes que o afetaram de uma só vez.

06 - A Câmara Oculta da Grande Pirâmide

A maior pirâmide de todas foi construída há 4.500 anos para o faraó Queóps (Khufu).

É uma estrutura maciça de quase 150 metros de altura, construída com mais de 2,3 milhões de blocos de pedra. No entanto, até recentemente, parecia que haviam apenas três câmaras internas - o que seria um imenso desperdício de espaço.

É por isso que uma equipe escaneou a pirâmide em novembro de 2017 para ver se havia mais alguma coisa e de fato, acima da Grande Galeria da pirâmide, encontraram sinais de que poderia haver uma grande câmara oculta do tamanho da maior sala da pirâmide.

O estranho é que os egípcios construíram deliberadamente a sala secreta para ficar completamente inacessível.

Não há corredores ou caminhos conectados ao local. A única maneira deles terem colocado qualquer coisa dentro, é se tivessem enchido a câmara enquanto estavam construindo a pirâmide selando assim a sala secreta.

Ainda não vimos o interior dessa câmara oculta. Mas o que quer que esteja lá, o faraó Queóps aparentemente não queria que visse a luz do dia.

05 - A Múmia Envolvida em um Livro Estrangeiro

Em 1848, um homem comprou uma antiga múmia de mulher de um lojista em Alexandria.

Durante anos, ele a colocou em exibição como uma decoração, não percebendo a estranheza de um artefato ele encontrou. Depois de desenrolar suas ataduras algumas décadas depois, os cientistas descobriram algo muito incomum. A múmia havia sido embrulhada nas páginas de um livro de linho - e não estava escrita em egípcio.

Demorou anos de investigação para descobrir qual era a linguagem, mas hoje sabemos que está escrito em etrusco, a linguagem de uma antiga civilização que viveu na Itália moderna. É uma língua que sabemos pouco. As palavras envolvidas em torno desta múmia compõem o mais longo texto etrusco já encontrado.

Ainda há muitas questões não respondidas. Por um lado, não se sabe o que o texto diz. Apenas algumas palavras foram decifradas, que parecem ser datas e os nomes dos deuses, e além disso, só se pode especular sobre o que isso significa ou por que alguém o iria envolver em torno de um corpo morto.

Acima de tudo, ninguém sabe por que um livro etrusco estava enrolado em volta de uma múmia no Egito. Seria ela uma pessoa etrusca? Se sim, o que estaria fazendo no Egito? E o que ela colocou em sua mensagem final para o mundo?

04 - A Lâmpada de Dendera

Na parede de um templo em Dendera, no Egito, há um enorme relevo mostrando uma imagem muito estranha.

De acordo com a interpretação usual, a imagem mostra uma cobra em uma grande bola de fogo voando de uma flor de lótus enquanto está sendo segurada por um pilar com braços humanos. É uma imagem estranha - mas não porque o pilar tem braços.

Apenas parece exatamente como um modelo de um tubo de Crookes, um tipo de lâmpada elétrica inventada no século XIX. Na verdade, parece tanto com uma lâmpada que algumas pessoas pensam que poderia ser um diagrama mostrando como fazer uma.

A sala que mostra a Lâmpada de Dendera é a única sala em todo o templo que não tinha luminárias a óleo acesas. Arqueólogos encontraram resíduos que mostram que os egípcios queimavam óleo em lâmpadas em todas as outras partes do prédio, exceto nessa sala.

Assim que, supostamente, se eles não tivessem ao menos um protótipo de uma lâmpada elétrica, como eles enxergariam alguma coisa? E se o quarto estava escuro como breu, por que eles se incomodaram em colocar uma imagem tão intrincada na parede?

03 - A Pirâmide Destruída
.
A Pirâmide de Djedefré (um faraó egípcio, filho e sucessor imediato de Quéops.) deveria ser o ponto mais alto do que qualquer pirâmide no Egito. Djedefré se certificou disso.

Ele não tinha recursos para construir a maior pirâmide, mas usou uma pequena solução para garantir que a ponta de sua tumba fosse um pouco mais alta que a de qualquer outra pessoa. Ele mandou construir em uma colina.

Por alguma razão, no entanto, enquanto todas as outras pirâmides do Egito ainda estão de pé depois de milhares de anos, somente a pirâmide de Djedefré foi totalmente destruída. Tudo o que resta é a base.

Ninguém tem totalmente certeza sobre o que aconteceu, mas existem teorias.

Alguns acham que Djedefré simplesmente morreu antes que pudessem fazer grande parte do trabalho, e sua pirâmide ficou em ruínas.

Outros acham que os romanos extraíram as pedras há 2.000 anos, derrubando um enorme monumento histórico.

E ainda outros pensam que o povo do Egito realmente odiava Djedefré - tanto que estavam dispostos a desmontar uma pirâmide inteira apenas por despeito.

02 - O Desaparecimento da Rainha Nefertiti

A rainha Nefertiti é lendária por ser uma das poucas mulheres a governar o Egito. 

Ela era a esposa do faraó Aquenáton, provavelmente a mãe do faraó Tutancâmon, e acredita-se que ele tenha dominado o Egito e governado por conta própria. 

Só que no entanto, enquanto as tumbas de outros faraós ainda se erguem sobre o Egito hoje, ninguém jamais encontrou o lugar de descanso final de Nefertiti. A busca por seu túmulo já dura anos. 

Até 2018, os arqueólogos estavam quase convencidos de que haviam encontrado seu local de sepultamento em uma câmara secreta escondida no túmulo do rei Tut. Em maio de 2018, porém, eles examinaram meticulosamente a parede e descobriram que não havia nada ali.

Curiosamente, também não há menção de sua morte na história egípcia. Depois do 12º ano do reinado de seu marido Aquenáton, todas menções a ela param completamente. 

Alguns acreditam que isso teria acontecido porque ela se tornou faraó e assumiu um nome diferente - mas nem todos concordam.

Alguns pensam que a resposta a esse mistério é um pouco mais simples do que poderíamos esperar. 

Segundo a Dra. Joyce Tydseley, a explicação mais elementar é que Nefertiti nunca foi uma faraó. A Dr. Tydseley acredita que as pessoas fizeram um grande estardalhaço sobre Nefertiti na década de 1920 porque uma escultura de seu rosto se tornou popular, e eles só queriam que ela fosse popular o bastante para crer nisso.

Em outras palavras da Dr. Tydseley, nós não sabemos o que aconteceu com Nefertiti porque ela simplesmente não era tão importante com se pensava.

01 - O Reino Perdido de Punt

Os escritos egípcios antigos estão cheios de referências a um lugar chamado Punt.

Era um antigo reino africano cheio de ouro, marfim e animais exóticos que animavam a imaginação dos egípcios. E deveria ter sido um reino extremamente poderoso. Era um lugar que demandava o respeito dos egípcios, uma terra que eles apelidaram de "Terra de Deus".

Não há dúvida de que Punt existiu. Existem incontáveis ​​menções em escritos antigos. Existe até uma imagem da rainha de Punt em um antigo templo egípcio.

Mas, apesar do quão poderoso e importante esse lugar deva ter sido, nunca foi encontrado. As únicas pistas que de Punt são os artefatos que os egípcios guardavam.

Os cientistas, desesperados para descobrir onde esse reino estava, estudaram os restos mumificados de dois babuínos que os egípcios receberam de Punt e determinaram que os babuínos, pelo menos, tinham vindo da área da Eritréia moderna ou da Etiópia Oriental.

Isso, pelo menos, nos dá um ponto de partida na busca por Punt - mas é uma área enorme para uma busca arqueológica. E se alguma vez as ruínas do Reino de Punt forem encontrada, será aberta toda uma nova série de mistérios para desvendar o nosso passado.

Tradução/Adaptação: Rusmea & Mateus Fornazari

Fonte: http://listverse.com/2018/05/16/10-unsolved-mysteries-of-ancient-egypt/
Comentários