5 de julho de 2018

10 Horripilantes Casos de Pessoas Presas em Cavernas

Inscreva-se no canal!
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes

A exploração de cavernas é uma das atividades mais perigosas do mundo. Homens e mulheres enfrentam desafios sobre-humanos ao explorarem as profundezas da terra. Em ambientes inóspitos, tais exploradores se espremem por passagens estreitas, sobem e descem por paredões íngremes e mergulham em águas congelantes de grutas submersas.

Nos dias bons, os exploradores são recompensados com paisagens maravilhosas que a maioria de nós só poderá ver através de imagens. No entanto, nos dias ruins, as dificuldades representam um verdadeiro calvário. Nas sombrias entranhas da terra, alguns se perderam em claustrofóbicos espaços escuros e lutaram desesperadamente para sobreviver a uma história de terror da vida real.

Atualmente o mundo está acompanhando o drama dos meninas presos na caverna na Tailândia, que mesmo após serem encontrados, podem ficar meses no loca. Agora, vamos conhecer 10 casos de pessoas que ficaram presas em cavernas...

10 - O Desastre da Caverna Mossdale

John Ogden e cinco de seus amigos estavam a 3,2 quilômetros de profundidade em uma parte não mapeada das Cavernas Mossdale da Inglaterra em 1967, quando começou a chover. Durante horas, eles haviam se arrastado pelos túneis escuros e sinuosos da caverna, explorando uma parte do mundo que ninguém jamais havia visto antes.

Mas nas profundezas daquele  labirinto de pedra, eles não tinham como saber o que viria. Durante o aguaceiro, o nível do rio próximo da montanha subiu vertiginosamente e em seguida, houve uma inundação completa.

A entrada da caverna ficou submersa em um lago em ascensão e a água entrava precipitadamente na caverna através de cada caminho. Ogden e seu grupo se arrastaram por um estreito túnel quando ouviram o retumbar da água correndo atrás deles. 

A correnteza que se formava, primeiro cobriu os seus pés e rapidamente a água alcançou os seus pescoços. A única esperança do grupo era uma pequena fenda que eles acharam nas rochas logo adiante. Ogden tratou de subir pela fissura, elevando a cabeça até um pequeno bolsão de ar na parte superior. Não havia espaço para ninguém mais. Embaixo dele a água inundou o túnel e cada um dos seus amigos morreu. Só Ogden tinha a cabeça acima da água, presa em uma estreita rachadura. 

Demorou cerca de dois dias até que alguém o encontrasse. Mas Ogden já estava morto, preso naquele espaço estreito, lutando por um último suspiro de ar.


09 - A Caverna Abaixo da Baía de Poganica

Em 2002, mergulhadores encontraram o corpo de M.K. no fundo de uma caverna submarina na Croácia, 54 metros abaixo da superfície.
M.K. estava sozinho, mas sua máscara de mergulho havia sido retirada e ele estava com uma faca de 30 centímetros cravada em seu peito. 

No começo, a polícia investigou o caso como assassinato. A vítima havia ido mergulhar nas cavernas com seus amigos e a polícia começou a suspeitar que um deles havia apunhalado e escondido o corpo de M.K.. 

A polícia forense, no entanto, revelou uma verdade que era mais aterrorizante que qualquer assassinato... M.K. se perdeu no labirinto da caverna e seu oxigênio se esgotou.
Sem ar, ele começou a se afogar.

Ele nadou até um bolsão de ar entre duas rochas e tentou respirar, mas não era suficiente para mantê-lo com vida. Ele morreria ali e percebendo que seria uma morte horrível e dolorosa, ante a iminência da dor de se afogar, ele viu que era demais para suportar.

Assim que M.K. se apunhalou no próprio peito com a sua faca para escapar da agonia.


08 - Perdido nas Cavernas Sterkfontein

Peter Verhulsel era um aficionado em correr riscos. Quando ele e seus amigos foram mergulhar pelas cavernas de Sterkfontein na África do Sul em 1984, ele ignorou cada pauta da segurança. 
Havia uma linha através da água que ele deveria seguir, mas a curiosidade de Peter impulsionava ele a procurar passagens ainda não exploradas. 

Na terceira vez que ele mergulhou, seus amigos não puderam encontrá-lo. Peter nadou através de um labirinto de túneis e logo percebeu que estava perdido. Estava preso e só em uma caverna submersa, sem ideia de como sair e o seu oxigênio estava se esgotando. 

Em um golpe de sorte, ele encontrou uma pequena ilha no final de um túnel. Saiu da água e se dirigiu ao local. Naquele momento, pelo menos, ele não se afogaria, mas não tinha suficiente oxigênio para encontrar a saída. Sua única esperança era esperar pelo resgate. Peter esperou durante horas antes de que cedesse ao cansaço e adormecesse. 

Quando acordou, não havia recebido ajuda. Peter estava sentado sobre um montículo dentro de uma caverna escura sem nada para comer e nada mais para fazer além de esperar. 

O resgate demorou seis semanas para encontrá-lo. Quando finalmente o acharam, seu corpo faminto havia murchado até os ossos. Deixou uma última mensagem para sua esposa e sua mãe. Em seus últimos dias, sabendo que ia morrer, ele escreveu na areia: "Te amo, Shirl e Ma".


07 - O Tesgate de Deon Dreyer

Em janeiro de 2005, Dave Shaw estava decidido a recuperar o corpo de Deon Dreyer. Deon havia morrido há dez anos, quando se perdeu a 270 metros em Boesmansgat, também conhecido como o Buraco de Bushman na África do Sul. Dave iria trazer os seus ossos de volta à família.

Ele encontrou o corpo de Deon sem problemas e enganchou a uma corda para que não se perdesse. Mas quando tratou de cobrir o corpo com um saco para transportar o cadáver, a cabeça se separou e o corpo começou se deslocar. A tentativa de capturar a cabeça se converteu em uma verdadeira luta para Dave Shaw.

A respiração de Dave acelerou, logo, ele estava respirando mais rápido do que deveria. O dióxido de carbono que deveria ser eliminado, voltava aos seus pulmões, o que deixava ele confuso. Seus esforços para conseguir que os restos de Deon entrassem no saco começaram a ficar frenéticos e descuidados. Ele havia ficado naquela situação, tempo demais.

Depois de cinco minutos, Dave se deu por vencido e começou a nadar, mas sua lanterna se enganchou na corda da caverna a qual havia amarrado o corpo. Dave tentou se libertar, mas o corpo de Deon o arrastava para abaixo.

Ele entrou em pânico, seu fôlego começou a se esvair mais rápido do que nunca. Dave se afogava com suas próprias exalações. Finalmente desmaiou e morreu debaixo d'água, junto do corpo que havia tentado resgatar.


.
06 - O Colapso da Caverna Nutty Putty

O socorrista de cavernas, Ryan Shurtz, havia estado tentando salvar John Jones durante 19 horas naquele fatídico dia de 2010.

John Jones de 26 anos de idade, havia ficado preso de cabeça para baixo em uma estreita passagem da caverna Nutty Putty de Utah, EUA, onde Ryan e sua equipe estavam fazendo todo o possível para conseguir libertá-lo.

Enquanto seus homens construíam um sistema de roldanas destinada a tirar John, Ryan ficou com ele, falando para que mantivesse a calma: "Sinto muito, estou tão gordo" disse John. "Seria bem mais fácil para vocês me tirarem daqui se eu não estivesse tão gordo." Ryan prometeu que seria seu colega de treinamento quando saíssem.

Quando a roldana foi instalada e todos estavam prontos para começar a puxar, John precisou se preparar. Quando puxaram, John gritou de dor e deram a ele um descanso.

Ryan falou que iriam puxar de novo. Só que desta vez, no entanto, as coisas foram de mal a pior. Um arco natural através do qual a corda passava, se despedaçou e a corda se rompeu.
Um pesado mosquetão* de metal caiu e atingiu o rosto de Ryan, o que fez com que ele mordesse a sua língua, quase a partindo em duas.

John caiu de novo pelo buraco. Enquanto o sangue gotejava de sua boca. Ryan precisou sair, mas prometeu que voltaria por ele.

A equipe de Ryan ajudou ele a escapar da caverna que se desmoronava e o pai de Ryan assumiu o comando. "Vamos tirar você daqui", disse ele ao homem preso no interior. Mas John já estava inconsciente e nunca mais acordou.

*Mosquetão é um anel metálico que possui um segmento móvel, chamado gatilho, que se abre para permitir a passagem da corda.



05 - Floyd Collins e a Caverna de Cristal

Floyd Collins encontrou a Cristal Cave (Caverna de Cristal) em 1917 e estava decidido a explorar cada centímetro dela. Durante oito anos, atravessou as passagens até o dia em que ficou preso.

Em uma de suas incursões, sua lanterna começou a falhar e Collins tratou de sair antes de ficar sem luz. Ele estava subindo por um estreito corredor quando seu pé soltou uma rocha de 12 quilos que se desmoronou sobre o seu tornozelo, prendendo ele no local.

Durante os seguintes 17 dias, as equipes de resgate tentaram salvá-lo, mas nada do que tentaram funcionou. Com o tempo, mineiros foram chamados para cavar um poço ao lado para tentar alcançá-lo, achando que a única esperança era fazer uma nova saída.

Enquanto esperava, Collins estava se convertendo em uma celebridade. Turistas de todas as partes vinham ver o seu resgate, com vendedores ambulantes instalando barraquinhas para vender comida, bebidas e lembrancinhas.

Mas o poço dos mineiros demorou tempo demais e no décimo oitavo dia, Collins sucumbiu à hipotermia, a sede e a fome.



04 - O Desastre da Caverna Creek

Um grupo de 17 estudantes que visitavam a caverna Creek, localizada no parque Nacional Paparoa, na Nova Zelândia em 1995, não pensaram que estavam fazendo nada perigoso. Não estavam explorando caminhos estreitos; estavam em uma visita guiada, permanecendo em uma trajetória programada para os turistas.

Quando eles chegaram a uma plataforma panorâmica construída sobre um precipício, alguns dos rapazes não puderam deixar de notar o tão frágil que parecia. De brincadeira, eles pularam e sacudiram , se maravilhando da precariedade da construção.

Pensaram que tudo era diversão; em uma era em que normas de segurança eram levadas a sério, eles presumiram que apenas parecia mais fraca do que realmente era, mas estavam errados, a plataforma havia sido construída por homens sem experiência em engenharia.

Estava destinada a ser aparafusada no local, mas haviam utilizado pregos em vez de parafusos, simplesmente porque não tinham uma furadeira manual no momento da instalação.

Sob o peso dos estudantes, a plataforma cedeu e se desmoronou caindo no abismo. Um estudante sobreviveu se mantendo na plataforma enquanto agarrava os corrimãos, mas seus colegas de aula foram lançados pela borda e morreram.

Das 17 pessoas, apenas quatro sobreviveram e foram transportados de helicópteros ao hospital onde constataram que uma sobrevivente teve a coluna fraturada, mas segundo ela, levando em conta que 13 de seus amigos haviam morrido, ela teve sorte.



03 - A Caverna das Planícies Pannikin

Em 1988, Andrew Wight estava com uma equipe de 15 pessoas, explorando uma das cavernas mais profundas do mundo. Só que eles nunca chegaram a ver o fundo.

Uma tempestade repentinas os atingiu. Uma inundação entrou pela entrada da caverna e a seção intermediária de toda a caverna desmoronou. Todas as 15 pessoas ficaram presas no subsolo, com Andrew Wight e alguns outros presos em uma pequena saliência. Era difícil saber o que fazer.

O teto acima deles estava começando a entrar em colapso, mas a água correndo abaixo deles era muito selvagem para nadar. Pedras caía das paredes da caverna, ameaçando esmagar qualquer um que ousasse entrar na água.

Wight decidiu tentar. Ele nadou e conseguiu achar outra saída. Nas próximas 27 horas, ele e outros trabalharam para fazer uma fila de pessoas e liderar a sua equipe à salvação.


02 - A Inundação da Caverna de Nam Talu

Helena Carroll foi avisada para não entrar na Caverna Nam Talu em outubro de 2007. Era a estação das monções da Tailândia, época de chuvas fortes. Se ela entrasse, os moradores a avisaram, ela não voltaria. Helena, no entanto, ignorou seus avisos.

Ela não estava sozinha. Seu namorado, John Cullen, se juntou a ela, junto com outros sete turistas que não acreditaram não haver risco. Eles logo perceberam a magnitude do seu erro. Primeiro, eles ouviram um rugido repentino atrás deles - e então eles viram a água entrando.

"John e eu começamos a escalar", lembrou Helena. "A primeira coisa que vimos foi o guia de turismo e o menino alemão sendo arrastado, então o casal suíço e suas duas adoráveis ​​meninas."

Helena quase escorregou, mas John a pegou e a ajudou a subir até uma saliência. Estava escuro como breu lá, mas eles podiam ouvir a incrível velocidade da água correndo abaixo deles.

"Se ficarmos aqui, vamos morrer", disse John. Ele pensou que poderia nadar em busca de ajuda e trazer de volta uma equipe de resgate. Helena ficou para trás enquanto ele escalava através da água. Ela viu como o amor de sua vida foi puxado pela correnteza.

Helena ficou sozinha naquela saliência por oito horas antes do resgate. Quando eles a levaram para fora, os cadáveres dos outros, já recuperados, estavam dentro de caixas sobre a grama. Ela viu o corpo de John ao lado das suíças. Foi só então que ela percebeu que ela era havia sido a única sobrevivente.


01 - O Desastre das Cavernas de Plura

Kai Kankanen foi um dos últimos mergulhadores a entrar na caverna de Plura da Noruega. Era um dia frio de inverno em fevereiro de 2014, e a lagoa que levava à caverna havia congelado. Os mergulhadores tiveram que cortar um buraco no gelo antes de mergulhar. Patrik Gonqvist e Jari Huotarinen entraram primeiro, e o grupo de Kai seguiu atrás.

O plano era nadar pelos caminhos de Plura e sair do outro lado, onde havia uma saída na encosta da montanha. Kai já havia feito a maior parte do caminho quando encontrou o corpo de Huotarinen. Seu amigo ficou preso em uma passagem estreita. Em pânico, ele havia engolido água e se afogado. Agora, o corpo sem vida de Jari estava bloqueando o caminho a seguir.

Jari Uusimaki, um dos homens com Kai, entrou em pânico. Ele começou a respirar muito rapidamente e se envenenou com dióxido de carbono. Kai tentou salvá-lo, mas não conseguiu acalmá-lo. Jari foi o próximo a morrer e Kai ficou sozinho.

Kai tratou de voltar o caminho. Ele nadou através da água gelada e voltou até a lagoa, mas não conseguiu encontrar o buraco que haviam feito. Ele não teve escolha a não ser abrir caminho pelo gelo que bloqueava o caminho até a superfície.

No momento em que ele saiu, Kai percebeu que esteve debaixo d'água por 11 horas. Os outros homens de seu grupo chegaram à outra saída e sobreviveram. Levaria quase dois meses, no entanto, para que os corpos de seus amigos fossem recuperados.



Bônus: A caverna de Luang Nang Non

Doze adolescentes jogadores de futebol, juntos de seu treinador, ficaram presos em uma caverna inundada em Chiang Rai no norte da Tailândia, desde a noite de sábado (23 de junho de 2018).

A equipe que está presa em uma caverna inundada no distrito de Mae Sai. A caverna está localizada no Parque Nacional Tham Luang-Khunnam Nang.

Os jogadores de futebol são todos de Tambon Pong Pha e têm entre 13 e 15 anos. Eles foram para a caverna de Luang Nang Non, na província de Chiang Rai, com seu treinador depois de terminar o treino semanal na tarde de sábado.

Os meios informaram que 11 bicicletas e uma motocicleta foram encontradas na entrada da caverna por funcionários do parque por volta das 19h de sábado. Algumas mochilas e chuteiras estavam colocadas em cestos e presas às bicicletas quando as equipes de resgate chegaram.

Os oficiais do parque entraram em contato com o presidente do time de futebol e pediram que ele fosse à caverna para identificar os pertences e confirmar se eles pertenciam à sua equipe. Ele disse aos funcionários do parque que seus garotos e o técnico entraram na caverna, mas que não conseguiram sair depois que a água das fortes chuvas inundou a entrada da caverna. Ele disse que buscou ajuda de socorristas do distrito de Mae Sai.

Equipes de resgate chegaram até os meninos dez dias depois e o resgate pode demorar meses!

A caverna de Luang Nang Non

Mergulhadores na caverna de Luang Nang Non.



Tradução/Adaptação: Rusmea do Curionautas & Mateus Fornazari

Comentários