26 de março de 2018

Mistério Animal! A Estranha e Misteriosa Morte de Cães na Austrália e a Invasão Inesperada de Cobras na Cidade de Marília/SP!


Por Marco Faustino

Dificilmente trago ao conhecimento de vocês casos envolvendo animais. Acredito que o último caso tenha sido sobre uma história de um animal de estimação, uma cadela da raça Boxer, chamada "Belinha", de apenas 4 anos de idade, que estava comovendo muitas pessoas pelo Brasil. O motivo? A cadela havia comparecido ao velório de sua antiga dona, chegando a apoiar as patas dianteiras sobre o caixão e, posteriormente visitou o túmulo da mesma, juntamente com a família, na cidade de Nazária, no Estado do Piauí. Aliás, o filho dessa senhora alegou, que a cadela aparentava saber, onde sua antiga dona estava enterrada, mesmo sem nunca ter ido ao cemitério, e que ela havia se dirigido até o túmulo sem que ninguém indicasse o local para ela. Ao final da matéria comentei rapidamente se os cães realmente tinham a consciência da morte de seus donos, se os mesmos ficavam de luto e tinham tanta sensibilidade assim para saber onde os mesmos estavam enterrados. Evidentemente, esse é um assunto muito extenso, mas tentei resumir um pouco do que se sabe atualmente em relação as emoções caninas. Vale a pena conferir (leia mais: Amor Além da Vida? Cadela Emociona Familiares ao Acompanhar o Velório e Visitar o Túmulo de sua Antiga Dona em Nazária/PI!).

Agora, eis que trago dois casos para vocês envolvendo cães e cobras, um na Austrália e outro aqui, no Brasil. O primeiro está relacionado a morte misteriosa de um cão policial e o adoecimento de dezenas de outros na Austrália após contraírem uma enfermidade, cuja origem vem intrigando veterinários e especialistas por todo o país. Especula-se atualmente, que a causa possa ser uma ração muito consumida no país e de um conglomerado, que é proprietária de marcas renomadas no mundo e, inclusive, no Brasil! Será que o nosso país corre o risco de acontecer algo semelhante? Nossos animais de estimação estariam correndo algum perigo? Já o segundo caso envolve o aumento súbito no número de cobras, que estão se espalhando pela cidade de Marília, no interior do Estado de São Paulo. O número de cobras capturadas somente nos três primeiros meses do ano é superior ao total de cobras apreendidas no ano passado inteiro! O que será que anda acontecendo em Marília? Vamos saber mais sobre esses assuntos?

Problema na Ração? A Estranha Morte de Cachorros Devido a uma Súbita e Rara Condição, na Austrália!


Uma misteriosa doença, que havia começado entre cães policiais no estado australiano de Victoria, se espalhou pela Austrália, e começou a afetar animais de estimação. No último sábado (24), o site do jornal "The Herald Sun" informou que pelo menos 3 cães de estimação tinham contraído a doença, além de dezenas de cães policiais, sendo que muitos deles teriam vindo a óbito.

Os cães vêm sendo diagnosticados com uma rara condição chamada de "megaesôfago", que fecha a garganta do animal, tornando cada vez mais difícil comer, beber, e até mesmo respirar. Os sintomas da doença podem incluir mau hálito, tosse, perda de peso extrema, e ruídos respiratórios.

Uma misteriosa doença, que havia começado entre cães policiais no estado australiano de Victoria, se espalhou pela Austrália, e começou a afetar animais de estimação. No último sábado (24), o site do jornal "The Herald Sun" informou que pelo menos 3 cães de estimação tinham contraído a doença, além de dezenas de cães policiais, sendo que muitos deles teriam vindo a óbito.
Um cão da raça "Labradoodle" (uma raça canina bem recente, originária da Austrália, resultante do cruzamento entre o Labrador Retriever e o Poodle Standard) chamado Stan, de nove anos de idade, perdeu quase cinco quilos, desde que foi diagnosticado com megaesôfago, e atualmente depende de uma alimentação intravenosa para sobreviver. Testes estão sendo feitos para ver se essa doença está relacionada a uma famosa marca de ração para cachorros.

Jamie Faulkner, responsável por cuidar temporariamente de Stan, está angustiado com o que vem acontecendo com o cachorro. Ele até mesmo construiu uma cadeira especial para segurar o Stan, de modo que ele consiga digerir sua comida de alguma forma. Confira uma curta reportagem realizada pela emissora 7News sobre essa situação, e que foi publicada em um canal de terceiros, no YouTube (em inglês):



"Tento mantê-lo lá por cerca de meia hora, até que faça a digestão e, então, ele cai e começa a adoecer novamente. É bem chocante", disse Jamie Faulkner, em entrevista a emissora 7News.

Em entrevista ao jornal "The Herald Sun", os proprietários de Stan, Laura e Aaron O’Toole, contaram que o veterinário havia dito que o prognóstico não era bom, e o animal corre grande risco de morrer.

Um cão da raça "Labradoodle" (uma raça canina bem recente, originária da Austrália, resultante do cruzamento entre o Labrador Retriever e o Poodle Standard) chamado Stan, de nove anos de idade, perdeu quase cinco quilos, desde que foi diagnosticado com megaesôfago, e atualmente depende de uma alimentação intravenosa para sobreviver.
"Tento mantê-lo lá por cerca de meia hora, até que faça a digestão e, então, ele cai e começa a adoecer novamente. É bem chocante", disse Jamie Faulkner, em entrevista a emissora 7News.
Anthony Brown, morador da cidade de Melbourne, capital do estado de Victoria, também disse ao jornal "Herald Sun", que foi forçado a matar seu animal de estimação, o Rooney, há duas semanas, e alegou que o dálmata de sete anos de idade perdeu metade do peso em apenas algumas semanas, ou seja, Rooney seria a segunda vítima fatal conhecida dessa história.

"Ele ficou pele e osso, não conseguimos descobrir o que aconteceu. Isso aconteceu de forma inesperada", disse Anthony Brown. A família gastou cerca de AU$ 9.000 (aproximadamente R$ 23.000 pela cotação atual e oficial) em raios-X, biópsias, cirurgias e medicamentos. Ao final, os veterinários diagnosticaram Rooney com megaesôfago.

"Foi perturbador ver o nosso cão saudável se desvanecendo. Compramos a ração a partir da clínica veterinária pensando que fosse de boa qualidade. Precisamos saber o que está causando isso para que não aconteça novamente", completou.

Testes estão sendo feitos para ver se essa doença está relacionada a uma famosa marca de ração para cachorros.
Paul O'Shannassy, proprietário de uma cadela chamada Paddy, da raça Setter irlandês (uma raça canina europeia proveniente da Irlanda), morreu cerca de três dias após ficar doente. Segundo Paul, tudo teria sido muito rápido e inesperado. Paddy seria, portanto, a terceira vítima conhecida e registrada em decorrência da condição denominada de "megaesôfago".

Entretanto, o próprio "The Herald Sun" chegou a mencionar posteriormente, que quase uma dúzia de cães policiais, em diversos estados australianos, também teriam morrido devido ao "megaesôfago", ou seja, muitos cães podem estar morrendo nesse momento, e os proprietários podem não estar relacionando os casos a uma situação muito maior, mais grave e alarmante. De qualquer forma, os proprietários de animais de estimação foram recomendados a não fornecer uma linha de ração seca chamada "Advanced Dermocare". Além disso, o produto foi retirado das prateleiras, de mais de 500 estabelecimentos por todo o país, em uma espécie de "recall".

De qualquer forma, os proprietários de animais de estimação foram recomendados a não fornecer uma linha de ração seca chamada "Advanced Dermocare". Além disso, o produto foi retirado das prateleiras, de mais de 500 estabelecimentos por todo o país, em uma espécie de "recall".
Atualmente, as marcas australianas de ração para cães, usadas pelos policiais, estão sob forte escrutínio, sendo que veterinários e especialistas estão analisando se a linha "Advanced Dermocare" pode ser a causa de tantos animais adoecendo ou morrendo pelo país. A fabricante, a Mars Petcare Austrália, está cooperando com a investigação e voluntariamente recolheu os produtos da linha "Advanced Dermocare", que era vendida em sacos de 3kg, 8kg e 15kg.

A Nota Oficial da "Mars Petcare Austrália" e as Declarações das Autoridades Australianas


No site da marca, a fabricante vem aconselhando aos donos de cães, que compraram o produto, a devolvê-los no estabelecimento onde compraram para que o reembolso integral seja feito. Em nota, a Mars Petcare Austrália disse que a saúde e o bem-estar dos animais de estimação australianos é a prioridade número um da empresa, e por isso eles ficaram profundamente preocupados ao saber que vários cães foram afetados pelo megaesôfago - uma condição que geralmente não está associada à comida.

A empresa também disse que já realizou centenas de testes em sua linha de ração para cães e não encontrou nenhuma ligação entre a condição e o produto. Porém, como precaução, eles retiraram os produtos de circulação do mercado, enquanto estavam trabalhando para descobrir o que realmente estava acontecendo.

Em nota, a Mars Petcare Austrália disse que a saúde e o bem-estar dos animais de estimação australianos é a prioridade número um da empresa, e por isso eles ficaram profundamente preocupados ao saber que vários cães foram afetados pelo megaesôfago - uma condição que geralmente não está associada à comida.
A "Animal Welfare Victoria", uma agência governamental responsável pelo bem-estar dos animais, pediu que os donos de animais conversassem com seus veterinários. Isso porque, ao contrário do que foi mencionado pela empresa, veterinários apontaram que a ração era um fator em comum entre cães policiais, pastores alemães e labradores, da Polícia de Victoria. Os cães da polícia de Victoria contraíram a condição debilitante em dezembro, e ainda estão lutando para sobreviver.

O Departamento de Serviços Correcionais (DCS) na Austrália do Sul também sacrificou um cão após um surto de pneumonia, e outro está doente com megaesôfago. A DCS orientou os policiais a evitarem alimentar os animais com determinadas rações, enquanto aguarda o resultado da autópsia. O inspetor Jon Woodyatt, do Esquadrão de Cães, disse à rádio 3AW que, embora cada cão tenha suas próprias necessidades específicas de dieta, a comida não está sendo descartada como um fator que tenha contribuído para essa condição.

"Neste estágio, nos disseram que havia vários fatores comuns que estamos analisando. Um deles inclui a comida que estamos alimentando os cães. Dizem que ter esse número de cães com essa condição é praticamente inédito na literatura veterinária", disse Jon Woodyatt.

"Neste estágio, nos disseram que havia vários fatores comuns que estamos analisando. Um deles inclui a comida que estamos alimentando os cães. Dizem que ter esse número de cães com essa condição é praticamente inédito na literatura veterinária", disse Jon Woodyatt.
A polícia de Victoria disse a sucursal do Daily Mail, na Austrália que o diagnóstico de nove cães policiais de seu esquadrão era era algo extremamente raro, e eles ainda estão tentando descobrir a causa da doença. A polícia disse que estava triste que um cão policial tivesse sido abatido como resultado da condição, que pode impedir uma nutrição adequada.

Talvez muitos de vocês não saibam, mas a "Mars" está presente em diversos países no mundo. A empresa foi fundada há mais de 100 anos e emprega mais de 80 mil funcionários. No Brasil, ela é responsável pelas marcas Pedigree, Royal Canin, Dreams & Temptations, Whiskas, e Optimum. Isso quer dizer, que algo assim pode acontecer no Brasil? Não necessariamente. A princípio essa situação vem acontecendo somente na Austrália, e existe apenas uma suspeita, que ainda não foi confirmada sobre uma linha de ração seca, que é vendida somente por lá. Oficialmente, até o momento, nenhuma outra marca estaria comprometida. De qualquer forma, sempre tenham muita atenção a alimentação e ao comportamento do seu bichinho de estimação. Caso tenhamos maiores informações, manteremos vocês informados tão logo seja possível, combinado?

O Estranho, Súbito e "Misterioso" Aumento no Número de Cobras Encontradas no Meio Urbano em Marília/SP!


Uma situação muito estranha e inusitada vem acontecendo na cidade de Marília, que possui cerca de 235 mil habitantes e está localizada a 445 km a noroeste da capital paulista: cobras estão literalmente invadindo a cidade!



Uma situação muito estranha e inusitada vem acontecendo na cidade de Marília, que possui cerca de 235 mil habitantes e está  localizada a 445 km a noroeste da capital paulista: cobras estão literalmente invadindo a cidade!
No dia 15 de janeiro deste ano, o Portal G1 noticiou, que uma cobra cascavel foi encontrada na manhã daquele dia, no quintal de uma casa localizada no bairro Jardim Acapulco. Os bombeiros foram acionados e recolheram o animal, que foi entregue à Polícia Ambiental para a devida soltura no habitat natural.

Segundo o Portal G1, as cascavéis são cobras venenosas que se alimentam de pequenos roedores, mas podem usar o veneno para fazerem outras vítimas, como pequenas aves, coelhos, lagartos, e, eventualmente, outras serpentes. Contudo, essa seria apenas uma entre as mais de 150 cobras que já foram capturadas por toda a cidade, desde o início do ano.

No dia 15 de janeiro deste ano, o Portal G1 noticiou, que uma cobra cascavel foi encontrada na manhã daquele dia, no quintal de uma casa localizada no bairro Jardim Acapulco. Os bombeiros foram acionados e recolheram o animal, que foi entregue à Polícia Ambiental para a devida soltura no habitat natural.
Posteriormente, o site "Marília Notícia" divulgou que o Corpo de Bombeiros tinha capturado duas cobras na cidade, entre o final da tarde e a noite do dia 3 de fevereiro, um sábado. Ambos os casos aconteceram na Zona Leste da cidade.

Por volta das 17h uma cascavel foi encontrada no Condomínio Chácaras Santa Gertrudes. Um dos moradores, naturalmente assustado, jogou a cobra com uma vassoura dentro da piscina. Mais tarde, às 22h, os bombeiros foram acionados para capturar uma jiboia de quase dois metros em um condomínio chamado Portal da Serra. Novamente, as duas cobras foram soltas em seus habitats naturais.

Por volta das 17h uma cascavel foi encontrada no condomínio da Chácara Santa Gertrudes. Um dos moradores, naturalmente assustado, jogou a cobra com uma vassoura dentro da piscina.
Mais tarde, às 22h, os bombeiros foram acionados para capturar uma jiboia de quase dois metros em um condomínio chamado Portal da Serra. Novamente, as duas cobras foram soltas em seus habitats naturais.
No dia 19 de fevereiro, o site "Visão Notícias" divulgou que cobras continuavam aparecendo em Marília. Porém, dessa vez, uma jiboia tinha aparecido dentro de um condomínio fechado. Segundo o site de notícias, os moradores de um condomínio no distrito de Padre Nóbrega foram surpreendidos com o aparecimento de uma jiboia. Aquele era mais um caso entre muitos que estavam sendo registrados pelo Corpo de Bombeiros em Marília e região.

O que mais chamava a atenção das equipes era o fato de serem animais de porte grande e a maior preocupação era com as crianças e animais domésticos. Desta vez o animal, com cerca de 1,2 m de comprimento, estava numa das chácaras do Condomínio Green Valley. O morador acionou os bombeiros que fizeram a captura e posteriormente devolveram a jiboia ao habitat natural.

No dia 19 de fevereiro, o site "Visão Notícias" divulgou que cobras continuavam aparecendo em Marília. Porém, dessa vez, uma jiboia tinha aparecido dentro de um condomínio fechado. Segundo o site de notícias, os moradores de um condomínio fechado no distrito de Padre Nóbrega foram surpreendidos com o aparecimento de uma jiboia.
O Portal G1 chegou a repercutir esse último caso acrescentando uma informação muito peculiar. Com aquele caso, já eram 77 cobras que tinham sido resgatadas na zona urbana de Marília somente neste ano. No ano passado inteiro tinha sido 123 ocorrências.

Evidentemente, esse assunto acabou virando motivo de reportagem de TV, no dia 21 de fevereiro, quando a TV Tem exibiu um link ao vivo com uma equipe de reportagem para explicar o "surto" de cobras em Marília. Confira a entrada ao vivo abaixo, do noticiário "Bom Dia Cidade", que foi publicada em um canal de terceiros, no YouTube:



Segundo o repórter Guilherme Lopes, o número de casos estava mesmo acima da média e estava preocupando os moradores locais. Desde o início do ano até aquele momento, já tinham sido capturadas 77 cobras, o que já era mais da metade do número total capturado no ano passado inteiro pelos bombeiros.

Segundo o repórter Guilherme Lopes, o número de casos estava mesmo acima da média e estava preocupando os moradores locais. Desde o início do ano até aquele momento, já tinham sido capturadas 77 cobras, o que já era metade do número total capturado no ano passado inteiro pelos bombeiros.
Ainda de acordo com Guilherme, a situação vinha ocorrendo principalmente em bairros mais distantes do centro de Marília, e que ficavam próximos aos vales, porque as cobras, nessa época do ano, costumavam sair do local onde naturalmente habitavam para se aquecer. Nesse processo, elas acabavam buscando um abrigo.

Assim sendo, terrenos abandonados e com mato alto serviam de esconderijo perfeito, e contavam com mais um atrativo: o lixo jogado por moradores, que atraíam os ratos, que por sua vez serviam de alimento para as cobras.

Assim sendo, terrenos abandonados e com mato alto serviam de esconderijo perfeito, e contavam com mais um atrativo: o lixo jogado por moradores, que atraíam os ratos, que por sua vez servem de alimento para as cobras.
Uma vez que os terrenos abandonados estão muito próximos das residências, as cobras acabavam aparecendo dentro dos quartos, no quintais e até mesmo em cima da mesa de uma sala de estar. Somente na rua onde o repórter estava, no Jardim Figueirinha, na Zona Norte de Marília, em duas semanas tinham aparecido cinco cobras, todas capturadas pelos bombeiros.

Uma vez que os terrenos abandonados estão muito próximos das residências, as cobras acabavam aparecendo dentro dos quartos, no quintais e até mesmo em cima da mesa da sala de estar. Somente na rua onde o repórter estava, no Jardim Figueirinha, na Zona Norte de Marília, em duas semanas tinham aparecido cinco cobras, todas capturadas pelos bombeiros.
No dia 28 de fevereiro, o Corpo de Bombeiros foi acionado duas vezes para fazer a captura de cobras em Marília. O primeiro chamado aconteceu logo pela manhã com o caso de uma sucuri de 1,2 m de comprimento, que apareceu em um casa do Jardim Virgínia. Após o resgate, o animal foi devolvido à natureza em uma zona de mata da região. Logo depois, outra cobra, desta vez uma jiboia, apareceu no quintal de uma casa do Jardim Bandeirantes. Segundo a moradora, aquela era a quinta cobra que tinha aparecido no local. Um dia antes (27), os bombeiros já tinham sido chamados para um caso semelhante, desta vez com uma outra cobra, que apareceu no quintal de uma casa do bairro Cascata.

Ainda no dia 28 de fevereiro, o site "Visão Notícias" informou que o número de cobras capturadas já estava chegando a 90, sendo que que a grande maioria era jiboias. O motivo era o mesmo alegado anteriormente: o lixo que se acumulava em terrenos baldios ou fundo dos quintais, que atraíam ratos e sapos que eram os alimentos dessas cobras. Segundo o levantamento dos Bombeiros, as cobras estão sendo encontradas principalmente na divisa do perímetro urbano com o rural da cidade. O motivo? A cada dia aumenta a expansão imobiliária, com abertura de novos loteamentos. Assim, a população está cada vez mais próxima do habitat natural das cobras.

Segundo o levantamento dos Bombeiros, as cobras estão sendo encontradas principalmente na divisa do perímetro urbano com o rural da cidade. O motivo? A cada dia aumenta a expansão imobiliária, com abertura de novos loteamentos. Assim, a população está cada vez mais próxima do habitat natural das cobras.
Já no dia 2 de março, pela manhã, mais uma jiboia foi resgatada, desta vez pelo Departamento de Estradas e Rodagem (DER). Com 1,5 m, a mesma foi encontrada ferida na rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-294). A cobra, que não é peçonhenta, foi entregue aos cuidados do Corpo de Bombeiros e, depois, encaminhada para tratamento veterinário no Bosque Municipal de Marília.

Já no dia 2 de março, pela manhã, mais uma jiboia foi resgatada, desta vez pelo Departamento de Estradas e Rodagem (DER)
Com 1,5 m, a mesma foi encontrada ferida na rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-294)
A cobra, que não é peçonhenta, foi entregue aos cuidados do Corpo de Bombeiros e, depois, encaminhada para tratamento veterinário no Bosque Municipal de Marília.
No último sábado (24), o site de notícias "Jornal do Povo", de Marília informou que equipes do Corpo de Bombeiros de Marília tinham capturado mais cinco cobras. Duas cascavéis no Jardim Universitário, uma cascavel na Zona Norte, além de uma cascavel e uma jiboia na Avenida Brigadeiro Eduardo Gomes.

No sábado pela manhã tinham sido capturadas mais três cobras, sendo uma cascavel na portaria da Kibon, uma cobra no Jardim Colibri (região do Aeroporto) e uma cobra próximo ao Posto Gigantão, na Zona Norte. Somente este ano, o Corpo de Bombeiros já tinha capturado cerca 151 cobras em Marília, ultrapassando as 123 cobras capturadas no ano passado inteiro. Além disso, as cobras capturadas eram de diversas espécies: cascavel, jararaca, jiboia, coral, entre outras. Confira um vídeo divulgado em relação a uma dessas capturas, no canal do "Jornal do Povo", no YouTube:



Segundo o site, também já tinham sido encontradas cobras sobre a mesa da sala de uma residência no Jardim Acapulco, dentro do vaso sanitário em casa na Zona Sul, e até mesmo no parquinho de crianças em construção em uma escola infantil. Alguns dias antes, em entrevista ao site "Marília Notícia", o comandante da Polícia Ambiental, tenente Cleber Rodrigues Ventrone disse que não podia dar uma resposta definitiva sobre o problema, mas comentou que questões climáticas podem ter relação com o aumento das aparições de cobras. Segundo ele, também pode ter caído o número de predadores, como gaviões, ou aumentado a oferta de alimento para esses répteis, como pequenos roedores. Bombeiros ouvidos pela equipe do "Marília Notícia" também não sabiam explicar o aumento da presença das cobras na zona urbana.

De qualquer forma, é muito importante ressaltar nesse ponto, que as cobras são consideradas animais silvestres e estão protegidos pela legislação brasileira. Inclusive, ao tentar matá-las, o cidadão pode acabar sofrendo uma picada. Conter cobras e não informar as autoridades pode ser considerado manter animal silvestre em cativeiro. Enfim, vamos acompanhar o desenrolar dessa situação das cobras em Marília ao longo do ano. Caso estranho, porém, conforme podemos perceber, existe todo um componente humano que contribuiu e muito para esse incidente. Não é um sinal do fim dos tempos, mas um sinal que as pessoas devem agir de uma forma mais responsável e cuidar do lixo que produz, e do meio ambiente ao seu redor. Um lição que deveria ter sido aprendida na escola.

Até a próxima, AssombradOs!

Criação/Tradução/Adaptação: Marco Faustino

Fontes:
https://au.news.yahoo.com/a/39623997/dog-falls-sicks-following-recall-of-advance-pet-food/
http://www.heraldsun.com.au/news/victoria/police-dog-dead-eight-more-sick-due-to-rare-cluster-illness/news-story/6de1452b70c7adb63b1d276460268c53
http://www.dailymail.co.uk/news/article-5541783/Family-pets-beginning-fall-ill-mystery-disease-killed-police-dog.html
https://periodicos.pucpr.br/index.php/cienciaanimal/article/view/10880
https://g1.globo.com/sp/bauru-marilia/noticia/bombeiros-capturam-cobra-cascavel-em-quintal-de-casa-em-marilia.ghtml
https://marilianoticia.com.br/bombeiros-capturam-duas-cobras-em-marilia/
http://www.giromarilia.com.br/noticia/giro-marilia/criador-leva-multa-de-r-34-mil-por-manter-cobras-em-casa/11558
http://www.visaonoticias.com/noticia/30508/mais-cobras-sao-capturadas-pelos-bombeiros-em-marilia
http://www.visaonoticias.com/noticia/30714/cobras-continuam-aparecendo-em-marilia-agora-em-condominio-fechado
https://g1.globo.com/sp/bauru-marilia/noticia/bombeiros-resgatam-jiboia-em-condominio-residencial-de-marilia.ghtml
http://g1.globo.com/sp/bauru-marilia/bom-dia-cidade/videos/v/surto-de-cobras-em-marilia-deixa-populacao-em-alerta-saiba-como-agir/6519580/
https://g1.globo.com/sp/bauru-marilia/noticia/com-mais-dois-casos-marilia-registra-80-cobras-resgatadas-em-area-urbana-este-ano.ghtml
http://www.visaonoticias.com/noticia/30835/cobras-invadem-marilia-bombeiros-ja-capturaram-quase-90-so-neste-ano
https://www.jcnet.com.br/Regional/2018/03/marilia-ja-soma-mais-de-90-cobras-resgatadas-em-60-dias-de-2018.html
https://www.jornaldopovomarilia.net/single-post/2018/03/24/Segue-a-invas%C3%A3o-de-cobras-em-Mar%C3%ADlia-Agora-s%C3%A3o-143-r%C3%A9pteis-capturadas-pelos-Bombeiros-por-toda-a-cidade
Comentários