8 de março de 2018

Carona Assombrada? Suposto Jovem "Desaparece" Misteriosamente e Deixa Estranhas Marcas de Pegadas em Veículo, na Argentina!


Por Marco Faustino

Ao longo do tempo já abordei diversos casos envolvendo supostos "passageiros fantasmas". Alguns casos não passaram de evidências anedóticas, ou seja, situações em que as pessoas alegaram, que deram carona para uma determinada pessoa que, eventualmente, desapareceu misteriosamente em um ponto de um determinado trajeto. Casos anedóticos, quase sempre envolvem "passageiros fantasmas" desembarcando misteriosamente dos veículos em regiões próximas a cemitérios ou durante a madrugada em estradas desertas e sem nenhum elemento verificável ou comprobatório. Como exemplo, tivemos o relato de um motorista do Uber, que teria ido buscar uma passageira, em um cemitério cantonês localizado no Monte Erskine, que por sua vez é uma espécie de bairro residencial a noroeste da cidade de George Town, em Penang, na Malásia, em maio do ano passado. Ao chegar no local, o motorista teria começado a sentir um aroma adocicado dentro do carro, diferente de tudo que havia sentido antes. Uma vez que ninguém aparecia, e ele também não queria perder a viagem, o motorista deu início a corrida (embora isso fosse uma violação das regras do Uber). Porém, cerca de um minuto depois, o aplicativo apontou que a corrida tinha sido finalizada, como se um passageiro tivesse chegado ao seu destino final e saltado do carro após o mesmo percorrer cerca de 100 metros. Porém, esse caso foi publicado no site da Taiko TV, que por sua vez pertence ao grupo "OMM" ("Oh My Media"), e que está acostumado a divulgar vídeos e histórias, que viralizam nas redes sociais. Ao entrar no site da Taiko TV é possível notar, por exemplo, que eles divulgam conteúdos totalmente distorcidos ou até mesmo inverídicos, colocando em dúvida, portanto, a veracidade dessa história.

De qualquer forma, também há casos onde existe uma fotografia, que tentaria provar a existência de um suposto fantasma, porém quase sempre as fotos são tiradas de forma aleatória. Como exemplo, podemos citar um caso divulgado em 2016, envolvendo uma mulher chamada Melissa Kurtz, 48 anos, que estava dirigindo em uma rodovia na região de Maitland, na Flórida, bem próximo de Orlando, para levar sua filha de 13 anos, a Harper, para um concurso de beleza. Harper não estava usando cinto de segurança, o que era normal para ela, e começou a tirar selfies para passar o tempo. Cerca de um mês depois Melissa Kurtz estava olhando as fotos tiradas pela filha, e viu que, na selfie tirada por Harper, dentro do carro, tinha um "menino" no banco de trás. Detalhe, um menino que, segundo ela, não estava no carro no dia em que a foto foi tirada. Melissa Kurtz decidiu fazer algumas pesquisas sobre a rodovia, que ela estava dirigindo naquele dia, e descobriu que tinha havido um acidente no mesmo local e no mesmo dia que ela e Harper estavam passando, ou seja, no mesmo dia que mortes teriam acontecido devido a esse acidente. Contudo, refiz todos os passos seguidos por Melissa, assim como uma pesquisa aprofundada sobre eventuais acidentes na mesma rodovia que ela estava trafegando, e mostrei que ela não estava realmente falando a verdade sobre o que havia acontecido naquele dia (leia mais: O "Fantasma" de uma Criança Morta em um Trágico Acidente Apareceu no Banco de Trás de um Carro, na Flórida, nos Estados Unidos?).

Entretanto, eis que recentemente surgiu um caso inacreditável na mídia argentina! Um senhor chamado Pedro Peirone, um empresário que trabalha na perfuração de poços na província de Santa Fé, estava dirigindo sua caminhonete, uma Toyota Hilux, em uma rodovia chamada "Rota Provincial 92", quando, em um determinado trecho, teria visto um adolescente usando roupas semelhantes aos jovens que estudam em uma escola industrial local. O jovem teria acenado pedindo carona, e Pedro teria atendido ao seu pedido. Pedro tinha saído de Arteaga, uma pequena localidade com cerca de 3 mil habitantes, e estava indo em direção a cidade de Rosário. Porém, ao passar pela cidade de San José de la Esquina, o tal jovem pediu para descer em um "local incomum": um cruzamento da rodovia, que dá acesso a um cemitério da cidade. Pedro, no entanto, alega que o jovem desapareceu misteriosamente, assim que desceu do carro, e que deixou marcas de pegadas no carpete emborrachado de sua caminhonete. No entanto, a parte assustadora é que a borracha estava ligeiramente queimada, e com marca do calçado usado pelo suposto jovem. Será que Pedro estaria mesmo falando a verdade? Estaríamos diante de um caso autêntico de "passageiro fantasma"? Vamos saber mais sobre esse assunto?

Começando a Entender o Caso: Um Estranho Incidente Ocorrido na Província de Santa Fé, na Argentina, no Dia 26 de Fevereiro Deste Ano


Para começar a entender essa estranha história, vamos apresentar a vocês a entrevista realizada pelo jornalista Omar Llanos, do canal de TV "San José Video Cable", um veículo de comunicação da cidade de San José de la Esquina, na província de Santa Fé, justamente com Pedro Peirone.

O vídeo foi publicado na própria conta da emissora, no YouTube, no dia 26 de fevereiro deste ano, e já alcançou mais de 1,2 milhão de visualizações (em espanhol, mas irei destrinchá-lo para vocês):



Segundo Omar, tudo teria acontecido na manhã de 26 de fevereiro (segunda-feira retrasada), ou seja, no mesmo dia da publicação da entrevista. Inicialmente, Pedro Peirone, também chamado de "Pedrito" (equivalente a "Pedrinho", em português), um conhecido morador e perfurador de poços de San José de la Esquina, disse que havia dado carona a um indivíduo de Arteaga, uma localidade com pouco mais de 3 mil habitantes, no departamento de Caseros, que fica localizada a 113 km da cidade de Rosário, e a 255 km de Santa Fé (capital da província de mesmo nome).



Foto do centro da cidade de Arteaga, em julho do ano passado
Pedro alegou que saiu de Arteaga, e na curva de acesso a cidade de San José de la Esquina, um adolescente de 17 anos com roupas parecidas ou iguais aquelas utilizadas por jovens de uma escola industrial local teria lhe pedido carona. Eis o ponto onde Pedro alegou que o jovem lhe acenou pedindo carona:



Durante o caminho, Pedro perguntou ao jovem se o mesmo iria para San José, e o mesmo disse que não, e que iria lhe dizer onde descer ao longo do trajeto. Posteriormente, o jovem teria pedido para que Pedro parasse em uma espécie de cruzamento da Rota Provincial 92, que por sua vez é uma rodovia de 66 km de extensão, totalmente asfaltada, que liga a capital do departamento de Caseros (a cidade de Casilda) até a fronteira provincial de Córdoba com Santa Fé.

Esse cruzamento em questão seria muito peculiar, porque um lado da rodovia (à esquerda de quem segue em direção a San José de la Esquina) daria acesso a um cemitério da cidade de San José de la Esquina, e o outro lado daria acesso a casa de um sacerdote, um padre chamado Nardi, um trajeto de apenas 5 km desde que jovem teria entrado no veículo de Pedro. Então, Pedro contou que, assim que o indivíduo saiu da caminhonete, ele sentiu um forte cheiro de queimado. Ele resolveu descer do veículo para verificar de onde vinha o cheiro, se era proveniente de algum cabo ou algum outro componente interno por baixo do capô de sua caminhonete. Teria sido nesse momento, que ele percebeu que o jovem não estava mais por perto.



Eis o ponto onde Pedro alegou, que o jovem pediu para descer:



Ponto onde Pedro alegou que o jovem pediu para descer
em relação ao cemitério da cidade de São José de la Esquina.
Então, Pedro resolveu dar uma olhada no interior do veículo, e notou que o carpete do banco do passageiro estava "derretido" em algumas regiões, justamente no formato dos pés do jovem (do calçado que ele estava usando, no caso).

Em seguida, ele teria olhado ao redor do veículo, mais precisamente para o chão, para ver qual direção o rapaz tinha seguido, porém não havia nenhuma marca de pegada, ou seja, era como se ninguém tivesse descido da caminhonete. Pedro também disse que teria dado uma volta com o seu veículo para ver se avistava algo, mas não encontrou absolutamente nada. Pouco tempo depois, ele teria ido até uma delegacia de polícia, para prestar uma espécie de denúncia sobre o que havia acontecido.

Então, Pedro resolveu dar uma olhada no interior do veículo...
...e notou que o carpete do banco do passageiro estava "derretido" em algumas regiões, justamente no formato dos pés do jovem (do calçado que ele estava usando, no caso).
Em seguida, ele teria olhado ao redor do veículo, mais precisamente para o chão, para ver qual direção o rapaz tinha seguido, porém não havia nenhuma marca de pegada, ou seja, era como se ninguém tivesse descido da caminhonete. Pedro também disse que teria dado uma volta com o seu veículo para ver se avistava algo, mas não encontrou absolutamente nada.
O jornalista Omar Llanos chegou a questionar se Pedro não tinha maiores informações pessoais do referido jovem, ou seja, seu nome, descrição física etc. Ele disse que o jovem não estava segurando nenhum livro, e que ao ser questionado se estudava, o jovem disse que não. Pedro chegou a dizer que ambos seguiram conversando, muito embora não tenha entrado no teor dessa conversa. Ele disse também, que não perguntou o nome do rapaz, atribuindo a esse esquecimento ao fato que estava com pressa de chegar na cidade de Rosário.

Ao final da reportagem foi mostrado novamente o carpete no interior da caminhonete de Pedro. Segundo Omar, o indivíduo que sentou no banco do passageiro tinha "muito calor" na sola do calçado, por assim dizer, visto que é possível notar um nítida marca de sapatos no carpete do veículo. Pedro, no entanto, não sabia explicar o que tinha acontecido.

Pedro chegou a dizer que ambos seguiram conversando, muito embora não tenha entrado no teor dessa conversa. Ele disse também, que não perguntou o nome do rapaz, atribuindo a esse esquecimento ao fato que estava com pressa de chegar na cidade de Rosário.
Um fato interessante é que, de acordo com o Google Maps, ir de Arteaga até Rosário pela Rota Provincial 92 acaba sendo um trajeto mais longo, do que se o motorista resolvesse pegar, por exemplo, a autoestrada Rosário-Córdoba. Confira a diferença abaixo:

Trajeto supostamente seguido por Pedro Peirone
Trajeto mais eficiente para ir de Arteaga até Rosário, segundo o Google Maps, é claro.
De qualquer forma, aparentemente, Pedro estava mesmo indo em direção a Rosário, tanto que ele acabou sendo entrevistado pelo site de notícias "Rosario Nuestro", em uma espécie de restaurante da cidade. Vocês podem conferir a entrevista, que foi publicada no dia 26 de fevereiro, no próprio canal do "Rosario Nuestro", no YouTube (em espanhol, mas irei apontar o que foi mencionado a seguir):



Com uma expressão facial bem diferente da entrevista anterior, Pedro disse que, mesmo após passar por toda essa experiência, ele não estava medo, mas ao mesmo tempo não sabia explicar o que havia acontecido. Ele não sabia dizer se era um pessoa de "outra galáxia", um "ser extraterrestre", um "ser divino" ou algo assim, que ele teria dado carona.

Com uma expressão facial bem diferente da entrevista anterior, Pedro disse que, mesmo após passar por toda essa experiência, ele não estava medo, mas ao mesmo tempo não sabia explicar o que havia acontecido.
Ele não sabia dizer se era um pessoa de "outra galáxia", um "ser extraterrestre", um "ser divino" ou algo assim,
que ele teria dado carona.
Pedro disse que era uma pessoa que acreditava muito em Deus e na Virgem Maria, e que, a princípio, não acreditava que pudesse se tratar de algo paranormal. De qualquer forma, "algo" ou "alguém" incomum teria aparecido em sua caminhonete. Ele também disse que gostaria, que alguém analisasse o carpete do seu carro para saber contra o que o mesmo havia entrado em contato.

Segundo ele, provavelmente o carpete teria entrado em contato com algo muito quente, porém Pedro disse que não chegou a ver que tipo de calçado o jovem utilizava. Ele alegou que o jovem era uma pessoa normal, usando roupas normais, e que não teria prestado atenção nesses detalhes. Segundo Pedro, o rapaz era um tanto quanto tímido, e respondia as perguntas dizendo apenas sim ou não, e nada muito além disso. Ele, inclusive, tinha a sensação que o rapaz não confiava muito nele para ter uma conversa um pouco mais franca e aberta, por assim dizer.

Segundo ele, provavelmente o carpete teria entrado em contato com algo muito quente, porém Pedro disse que não chegou a ver que tipo de calçado o jovem utilizava. Ele alegou que o jovem era uma pessoa normal, usando roupas normais, e que não teria prestado atenção nesses detalhes.
Pedro também alegou que, cerca de três horas após o ocorrido, ele começou a sentir um nervosismo percorrendo o seu corpo, e começou a ficar emocionado. Ele também se mostrou disposto a relatar tudo o que havia acontecido para outras pessoas e, inclusive, ceder o carpete de seu carro para uma posterior análise.

Estranho, não é mesmo? Porém, a emissora de TV "San José Video Cable" foi atrás de maiores detalhes dessa história e descobriu algo, no mínimo, muito inusitado. Nada do que Pedro alega foi registrado por câmeras de segurança, na altura de Arteaga, ou seja, as câmeras não registraram a presença de nenhum rapaz.

As Câmeras de Segurança da Comuna de Arteaga não Registraram Absolutamente Nada do que Pedro Peirone Alegou Anteriormente


No dia seguinte (27), a emissora de TV "San José Video Cable" publicou uma espécie de atualização sobre o caso, alegando que câmeras de segurança de Arteaga não tinham registrado ninguém pegando carona ou no banco do passageiro da caminhonete conduzida por Pedro.

Confiram abaixo essa esse novo vídeo publicado no canal da emissora, no YouTube (em espanhol, mas irei destrinchar para vocês):



Inicialmente, Pedro mostrou onde o jovem teria lhe acenado pedindo carona, e indicou o local onde ele parou com sua caminhonete, alguns metros a frente de onde o jovem se encontrava, a cerca de 30 ou 40 metros do rapaz, devido a uma questão de espaço para poder estacionar, e não atrapalhar os veículos que vinham atrás.

O jovem estaria próximo a uma espécie de monumento com o nome da comuna de Arteaga, e Pedro teria parado com o carro alguns metros a frente deste monumento. Em seguida, Pedro alegou que o jovem teria corrido, subiu em seu veículo, e eles seguiram em frente.

Inicialmente, Pedro mostrou onde o jovem teria lhe acenado pedindo carona, e indicou o local onde ele parou com sua caminhonete, alguns metros a frente de onde o jovem se encontrava, a cerca de 30 ou 40 metros do rapaz, devido a uma questão de espaço para poder estacionar, e não atrapalhar os veículos que vinham atrás.
O jovem estaria próximo a uma espécie de monumento com o nome da comuna de Arteaga, e Pedro teria parado com o carro alguns metros a frente deste monumento. Em seguida, Pedro alegou que o jovem teria corrido, subiu em seu veículo, e eles seguiram em frente.
Entretanto, imagens de uma câmera de segurança mostraram que, por volta das 8h30 do dia anterior, a caminhonete de Pedro aparentemente passa direto pelo ponto, onde ele alegou ter parado para dar carona ao jovem. Nas imagens, também não é possível ver nenhuma pessoa andando ou caminhando pela rodovia e indo em direção ao veículo, caso o mesmo tivesse parado alguns metros após o ponto indicado por Pedro. De qualquer forma, ele alegou que vinha a 50 ou 60 km/h, e que o próprio jovem havia feito um sinal pedindo carona para ele. Por outro lado, não há ninguém no local.

Entretanto, imagens de uma câmera de segurança mostraram que, por volta das 8h30 do dia anterior, a caminhonete de Pedro aparentemente passa direto pelo ponto, onde ele alegou ter parado para dar carona ao jovem. Nas imagens, também não é possível ver nenhuma pessoa andando ou caminhando pela rodovia e indo em direção ao veículo, caso o mesmo tivesse parado alguns metros após o ponto indicado por Pedro.
Ao ser novamente questionado sobre o que ele pensava sobre o ocorrido, Pedro disse acreditar que não podia ser algo humano, visto que uma pessoa normal não teria "poder", uma "força" ou algo assim para derreter o carpete emborrachado do seu veículo. De acordo com Pedro, em nenhum momento ele viu sinal de fumaça ou sentiu o cheiro de algo queimado. Isso teria acontecido somente, quando o indivíduo teria saído e fechado a porta da sua caminhonete.

De acordo com Pedro, em nenhum momento ele viu sinal de fumaça ou sentiu o cheiro de algo queimado. Isso teria acontecido somente, quando o indivíduo teria saído e fechado a porta da sua caminhonete.
Também foi perguntado ao Pedro, o que ele tinha para dizer para as pessoas, que estavam dizendo que ele sofreu alguma espécie de surto ou alucinação, e que o rapaz em questão nunca existiu. Pedro disse que não teve nenhuma alucinação, e que ele tinha certeza que havia dado carona para uma pessoa, que por sua vez deixou uma marca em seu carpete, um sinal de sua presença, por assim dizer.

Pedro chegou a ser questionado mais uma vez sobre que tipo de pessoa ele acreditava, que tivesse dado carona. Porém, ele voltou a dizer não sabia, e que talvez ninguém soubesse dizer. Ele apenas não acreditava que fosse humano. Ao ser questionado se ele já havia visto algo semelhante em sua vida, ou seja, se já teria tido alguma visão ou experiência além do normal, Pedro disse que não, que isso nunca havia ocorrido anteriormente.

Também foi perguntado ao Pedro, o que ele tinha para dizer para as pessoas, que estavam dizendo que ele sofreu alguma espécie de surto ou alucinação, e que o rapaz em questão nunca existiu. Pedro disse que não teve nenhuma alucinação, e que ele tinha certeza que havia dado carona para uma pessoa, que por sua vez deixou uma marca em seu carpete, um sinal de sua presença, por assim dizer.
Pedro chegou a ser questionado mais uma vez sobre que tipo de pessoa ele acreditava, que tivesse dado carona. Porém, ele voltou a dizer não sabia, e que talvez ninguém soubesse dizer. Ele apenas não acreditava que fosse humano. Ao ser questionado se ele já havia visto algo semelhante em sua vida, ou seja, se já teria tido alguma visão ou experiência além do normal, Pedro disse que não, que isso nunca havia ocorrido anteriormente.
Na segunda parte do vídeo, os jornalistas do canal "San José Video Cable" foram ouvir a opinião de Julian Vignati, presidente (uma espécie de responsável administrativo) da Comuna de Arteaga, para saber se o mesmo estava por dentro do assunto, e se, de maneira oficial, havia quaisquer outras informações pertinentes ao caso.

Julian disse que estava a par dos acontecimentos, assim como todos os demais moradores de Arteaga, visto que era uma comunidade muito pequena, e que a polícia de San José de la Esquina já havia solicitado por maiores informações sobre a ocorrência. Oficialmente, no entanto, não havia nada. Até aquele presente momento, não havia nenhum indicativo ou investigação em aberta sobre um eventual desaparecimento de um menor de idade, e uma câmera de segurança da comuna não mostrava ninguém caminhando até a caminhonete de Pedro, caso ele tivesse realmente parado além do ângulo de visão da câmera de segurança.

Na segunda parte do vídeo, os jornalistas do canal "San José Video Cable" foram ouvir a opinião de Julian Vignati, presidente (uma espécie de responsável administrativo) da Comuna de Arteaga, para saber se o mesmo estava por dentro do assunto, e se, de maneira oficial, havia quaisquer outras informações pertinentes ao caso.
Julian disse que estava a par dos acontecimentos, assim como todos os demais moradores de Arteaga, visto que era uma comunidade muito pequena, e que a polícia de San José de la Esquina já havia solicitado por maiores informações sobre a ocorrência. Oficialmente, no entanto, não havia nada.
Em seguida, foram mostradas as imagens da câmera de segurança, na presença de Pedro, onde ele chegou a alegar que o jovem teria saído correndo em direção a sua caminhonete. Porém, ninguém é avistado nas imagens da câmera de segurança.

Ele também disse que, pouco tempo depois, um conhecido dele chamado Fernando José, teria passado em uma caminhonete cabine dupla, de cor branca, e visto Pedro com a porta de sua caminhonete aberta, mas que o mesmo estava sozinho, ou seja, não havia a presença de mais ninguém junto dele.

Em seguida, foram mostradas as imagens da câmera de segurança, na presença de Pedro, onde ele chegou a alegar que o jovem teria saído correndo em direção a sua caminhonete
Porém, ninguém é avistado nas imagens da câmera de segurança, mesmo após 15 segundos entre o suposto avistamento do jovem
e a suposta parada do veículo de Pedro.
Ele também disse que, pouco tempo depois, um conhecido dele chamado Fernando José, teria passado em uma caminhonete cabine dupla, de cor branca, e visto Pedro com a porta de sua caminhonete aberta, mas que o mesmo estava sozinho, ou seja, não havia a presença de mais ninguém junto dele. É possível notar a passagem do veículo, supostamente do Fernando, cerca de 26 segundos após a passagem de Pedro.
Ao final, os repórteres perguntaram se Pedro estava decepcionado diante do fato da câmera de segurança não ter registrado absolutamente nada. Ele disse que não, e estranhamente mencionou que gostaria de ter visto alguma imagem mostrando se a porta de sua caminhonete teria aberto e fechado sozinha, e se alguém tinha realmente entrado ou não no seu veículo. Ele confirmou que a porta da caminhonete tinha sido aberta e posteriormente fechada, mas não acrescentou nada além disso.

Ao final, os repórteres perguntaram se Pedro estava decepcionado diante do fato da câmera de segurança não ter registrado absolutamente nada. Ele disse que não, e estranhamente mencionou que gostaria de ter visto alguma imagem mostrando se a porta de sua caminhonete teria aberto e fechado sozinha, e se alguém tinha realmente entrado ou não no seu veículo.
Evidentemente, esse caso despertou inúmeras teorias, tanto paranormais quanto conspiratórias, a respeito do suposto menino. Houve quem alegasse que apenas Pedro via o fantasma, já outras pessoas alegaram que se tratava de um ser extraterrestre ou até mesmo um viajante do tempo. Isso sem contar, que teve um canal argentino, que alegou que a imagem da câmera de segurança havia sido editada para fazer as pessoas pensarem que Pedro era "louco" ou algo assim, e que ainda por cima seria possível ver uma espécie de "anjo" parado próximo a uma estátua da Virgem Maria.

Sinceramente, a alegação de edição é totalmente infundada, porque podemos notar que existe uma gravação contínua desde a aproximação da caminhonete de Pedro até a passagem de uma outra caminhonete, supostamente de um conhecido dele.

Uma Sombra Negra Teria Sido Vista Acima do Veículo de Pedro? Comissário de Polícia Comenta Sobre o Estranho Episódio


Entretanto, em busca de tentar chegar o mais próximo possível da verdade, encontrei uma outra interessante reportagem realizada pelo site de notícias "Rosario Plus". Confira a reportagem abaixo, que foi publicada no próprio canal do "Rosario Plus", no YouTube, no dia 27 de fevereiro (em espanhol, mas irei apontar os principais pontos a seguir):



Inicialmente, a equipe do "Rosario Plus" conversou com um frentista de um posto de gasolina local chamado Lisandro. O frentista disse que "passando a curva" (provavelmente a curva de acesso a cidade de San José de la Esquina, na Rota 92) havia morrido muita gente no passado. Porém, o comentário de Lisandro foi um tanto quanto aleatório, não aparentando ter muita relevância no contexto atual do caso, uma vez que o mesmo teria sido algo bem singular na região.

Posteriormente, o frentista também indicou o cruzamento, que todos estavam falando, na Rota Provincial 92. De um lado havia uma estrada de terra, de quase 1 km, que dava acesso ao cemitério de San José de la Esquina. A reportagem informou, que o cruzamento ficava em uma área rural muito pouco habitada.

Inicialmente, a equipe do "Rosario Plus" conversou com um frentista de um posto de gasolina local chamado Lisandro. O frentista disse que "passando a curva" (provavelmente a curva de acesso a cidade de San José de la Esquina, na Rota 92) havia morrido muita gente no passado. Porém, o comentário de Lisandro foi um tanto quanto aleatório, não aparentando ter muita relevância no contexto atual do caso, uma vez que o mesmo teria sido algo bem singular na região.
Posteriormente, o frentista também indicou o cruzamento, que todos estavam falando, na Rota Provincial 92. De um lado havia uma estrada de terra, de quase 1 km, que dava acesso ao cemitério de San José de la Esquina. A reportagem informou, que o cruzamento ficava em uma área rural muito pouco habitada.
No entanto, a poucos metros havia uma casa pertencente a um homem chamado José Ignacio, que quase foi testemunha do que aconteceu. Quase, porque no momento que Pedro teria parado no cruzamento, ele estava olhando para o outro lado. Curiosamente, um vizinho chamado Darío, cunhado de Ignacio, alegou ter visto uma espécie "sombra negra" acima do veículo de Pedro.

No entanto, a poucos metros havia uma casa pertencente a um homem chamado José Ignacio, que quase foi testemunha do que aconteceu. Quase, porque no momento que Pedro teria parado no cruzamento, ele estava olhando para o outro lado.
Curiosamente, um vizinho chamado Darío, cunhado de Ignacio, alegou ter visto uma espécie "sombra negra" acima do veículo de Pedro.
A equipe de reportagem também conversou com Julian Vignati, presidente da Comuna de Arteaga, que voltou a repetir que oficialmente não havia nada, ou seja, as câmeras de segurança mais próximas do trajeto percorrido por Pedro, em Arteaga, não registraram a presença de nenhuma pessoa ou adolescente, e que não havia nenhuma ocorrência de um eventual menor de idade desaparecido na região.

A equipe também tentou contato com Pedro, que morava em local bem afastado em San José de la Esquina. Eles não conseguiram contato por telefone e nem encontraram Pedro em casa, visto que ele estava trabalhando. A equipe conseguiu conversar com María Inés, esposa de Pedro há 30 anos, porém ela não tinha muita coisa a acrescentar sobre o incidente.

A equipe de reportagem também conversou com Julian Vignati, presidente da Comuna de Arteaga, que voltou a repetir que oficialmente não havia nada, ou seja, as câmeras de segurança mais próximas do trajeto percorrido por Pedro, em Arteaga, não registraram a presença de nenhuma pessoa ou adolescente, e que não havia nenhuma ocorrência de um eventual menor de idade desaparecido na região.
A equipe também tentou contato com Pedro, que morava em local bem afastado em San José de la Esquina. Eles não conseguiram contato por telefone e nem encontraram Pedro em casa, visto que ele estava trabalhando.
A equipe conseguiu conversar com María Inés, esposa de Pedro há 30 anos,
porém ela não tinha muita coisa a acrescentar sobre o incidente.
A reportagem também apresentou o depoimento de alguns moradores de San José de la Esquina. A maioria não sabia o que pensar sobre o estranho episódio. Já outros interpretavam o ocorrido com bom humor ou sequer davam importância para o que tinha acontecido. Algumas pessoas, no entanto, acreditavam em havia algo paranormal ou sobrenatural por trás do incidente.

A reportagem também apresentou o depoimento de alguns moradores de San José de la Esquina. A maioria não sabia o que pensar sobre o estranho episódio. Já outros interpretavam o ocorrido com bom humor ou sequer davam importância para o que tinha acontecido. Algumas pessoas, no entanto, acreditavam em havia algo paranormal ou sobrenatural por trás do incidente.
A equipe chegou a conversar com o comissário de polícia Guillermo Fleitas, sendo que o mesmo afirmou que o caso se tratava de um episódio raro, e que nunca havia visto algo semelhante acontecer ao longo de sua experiência como policial. Porém, apesar das crenças populares e superstições, o caso foi levado a sério e uma investigação foi aberta.

O carpete, por exemplo, foi apreendido e encaminhado para o Corpo de Bombeiros de Rosário, para tentar estabelecer o "elemento usado para fazer as tais marcas". O caso também foi levado ao conhecimento do Juizado de Menores, e comunicados foram enviados para outras delegacias de polícia na tentativa de saber se algum menor de idade se encontrava desaparecido ou tinha fugido de casa.

A equipe chegou a conversar com o comissário de polícia Guillermo Fleitas, sendo que o mesmo afirmou que o caso se tratava de um episódio raro, e que nunca havia visto algo semelhante acontecer ao longo de sua experiência como policial. Porém, apesar das crenças populares e superstições, o caso foi levado a sério e uma investigação foi aberta.
O carpete, por exemplo, foi apreendido e encaminhado para o Corpo de Bombeiros de Rosário, para tentar estabelecer o "elemento usado para fazer as tais marcas". O caso também foi levado ao conhecimento do Juizado de Menores, e comunicados foram enviados para outras delegacias de polícia na tentativa de saber se algum menor de idade se encontrava desaparecido ou tinha fugido de casa.
Ao final, muitos moradores de San José de la Esquina disseram que Pedro Peirone era muito conhecido e querido na cidade (algo que é possível notar, diante do número de vezes que ele acena para pessoas passando na estrada, em reportagens anteriores). Muitas pessoas estavam acreditando no relato de Pedro, e diziam que ele não era uma pessoa que tivesse maldade no coração. Contudo, Guillermo Fleitas disse que só trabalhava com dados e informações concretas e que, diante de tudo o que ele já tinha ouvido falar sobre o caso, parecia que algumas pessoas estavam inventando certas coisas sobre a mesma. Guillermo, no entanto, não entrou em maiores detalhes sobre isso, uma vez que o caso estava sendo investigado.

Algumas Entrevistas Concedidas por Pedro Peirone para Rádios Locais


Para completar essa pequena saga em busca de respostas, ouvi diversas entrevistas concedidas por Pedro Peirone para algumas rádios locais, entre elas a entrevista para um programa chamado "Hoja de Ruta" da rádio Sí 98.9 FM, da cidade de Rosário, algo que vocês podem conferir abaixo:



Durante a entrevista, Pedro disse que o jovem havia respondido que era de comuna de Arteaga e que, quando o jovem desceu do veículo, assim que fechou a porta, ele sentiu um intenso cheiro de queimado. Uma vez que ele já havia perdido outros veículos, que teriam pegado fogo (ele não especificou os problemas que os veículos tiveram), e considerando que seu veículo era novo, ele resolveu mover o carro cerca de uns dois metros para frente, para colocá-lo em uma posição que não oferecesse risco tanto para ele quanto para os demais motoristas. Assim sendo, ele saiu do carro para verificar se havia algum problema no motor ou algum componente debaixo do capô. Tudo estaria funcionando normalmente. Teria nesse momento, no entanto, que ele percebeu que não havia nenhum sinal do jovem por perto, mas ele não se importou muito com isso.

O restante é basicamente o que já sabemos, ou seja, posteriormente ele se deparou com o carpete com marcas do calçado utilizado pelo jovem, porém não havia nenhuma marca de pegada nos arredores do veículo, como se ninguém tivesse descido. É importante destacar, que Pedro disse que não sentiu nenhuma energia estranha vinda do rapaz, que era uma pessoa normal, e conversava normalmente.

Em uma outra entrevista publicada no site Radiocut, Pedro acrescentou que o jovem, quando questionado, teria lhe dito a idade dele, ou seja, 17 anos, e que o tempo entre ele sair do carro, abrir o capô e notar que o jovem não estava por perto teria sido entre 30 a 40 segundos. O radialista questionou diversos pontos da narrativa de Pedro, porém ele alegou que teria parado na terra, ou seja, que o jovem deveria ter deixado marcas ao descer do veículo, e que o local era aberto, algo que permitiria ver uma pessoa a uma longa distância.

Em uma outra entrevista publicada no site Radiocut, Pedro acrescentou que o jovem teria lhe dito a idade dele, ou seja, 17 anos, e que o tempo entre ele sair do carro, abrir o capô e notar que o jovem não estava por perto teria sido entre 30 a 40 segundos.
O radialista também questionou se Pedro não teria entrado em pânico, quando sentiu o forte cheiro de queimado no carro, e totalmente apreensivo e com medo do veículo pegar fogo, não teria mais visto ou reparado em mais nada ao seu redor. Por sua vez, Pedro disse que não acreditava muito nessa possibilidade. No mais, Pedro falou basicamente o que já sabemos sobre o caso.

Já em entrevista a rádio "Filtro Cero", Pedro acrescentou apenas que o jovem, a cerca de 500 metros de distância da encruzilhada, lhe avisou apontando com a mão o local onde queria descer. Fora isso, Pedro disse as mesmas coisas que mencionou em entrevistas anteriores.

Pedro Peirone Teria Mentido ou Alucinado? Ele Teria Dado Carona para um Suposto Fantasma? Um Demônio? Alguma Entidade Espiritual?


Sem dúvida alguma, essas são ótimas perguntas. Porém, até o momento, não há muitas respostas concretas. A única coisa que temos certeza é que não havia nenhuma pessoa ou adolescente no ponto, onde Pedro alega ter dado uma carona. Simplesmente, não aparece ninguém na imagem da câmera de segurança de Arteaga. Todo o restante do caso, no entanto, baseia-se tão somente no relato (uma evidência anedótica), que Pedro vem contando desde o dia 26 de fevereiro. Infelizmente, nenhum veículo de imprensa foi atrás do amigo, que Pedro alega ter passado pelo mesmo ponto que ele, segundos depois de ele ter supostamente parado para o tal jovem entrar no carro. Lembrando que Pedro alegou, que seu amigo teria passado buzinando para ele, e percebido que Pedro estava com a porta aberta do veículo, porém não teria avistado nenhuma outra pessoa ao seu lado. Infelizmente, também não há nenhuma câmera de segurança mostrando o carro de Pedro parado à beira da estrada.

É possível notar também, que a Rota Provincial 92 é uma estrada bem movimentada, e infelizmente não temos nenhuma entrevista ou qualquer tentativa de identificar os veículos que passavam no local naquele momento ou minutos antes. Seria importante saber o que os demais motoristas teriam ou não avistado na estrada naquela manhã. Igualmente importante seria entrevistar comerciantes de Arteaga, próximos a curva de acesso a cidade de San José, para saber se tinham visto algum jovem rapaz naquela manhã com vestimentas semelhantes aquelas usadas em uma escola industrial local. Curiosamente, Pedro, até onde vi e ouvi, não deu nenhuma descrição física do rapaz. Ele não disse se era magro, um pouco mais acima do peso, a cor dos olhos, dos cabelos ou sequer sua altura. Apenas disse que era um rapaz normal. Aliás, geralmente a primeira coisa que alguém pergunta diante dessa situação seria o nome, porém Pedro ignorou completamente isso, alegando que estava com pressa de chegar a Rosário, embora tenha lembrado de perguntar a idade, e seguindo, com base na estimativa do Google Maps, pelo caminho mais longo para chegar ao seu destino final. Outro detalhe, é que a carona teria sido bem curta, cerca de apenas 5 km.

Em relação as marcas de pegadas, no carpete emborrachado, é possível notar que as mesmas são bem superficiais. Essas marcas já poderiam estar no carpete do veículo, e serem provenientes de alguém cujas solas dos sapatos estivessem muito quentes. Aliás, por falar em veículo, aparentemente a polícia esqueceu de fazer uma perícia no mesmo. Afinal de contas, se uma pessoa de carne e osso realmente entrou no carro (embora a câmera de segurança não tenha apontado isso), teria deixado digitais na porta do veículo (nos puxadores internos e externos, por exemplo). Porém, nada disso foi sequer cogitado, visto que o foco se voltou tão somente ao carpete. Enfim, seria muito importante termos um conjunto bem maior de informações para podermos cruzá-las, e ter uma noção mais próxima da realidade sobre o que aconteceu. Espero, é claro, que as investigações sejam realmente conduzidas de forma séria e profissional, e que o mistério possa ser resolvido. Por enquanto, é difícil saber o que verdadeiramente aconteceu naquela manhã de 26 de fevereiro na Rota Provincial 92. Assim que maiores informações forem divulgadas, manteremos vocês informados tão logo seja possível.

Até a próxima, AssombradOs!

Criação/Tradução/Adaptação: Marco Faustino

Fontes:
http://blogs.tn.com.ar/creeroreventar/tag/ruta_92/
http://cinequo.com/2018/03/02/un-automovilista-dice-haber-llevado-un-fantasma-hasta-un/
http://montemaizmira.com.ar/nota/1268/caso-peironelas-camaras-de-arteaga-no-captaron-nada
http://www.corrienteshoy.com/noticias/view/191747
http://www.diario26.com/248711--fantasma-en-santa-fe-no-se-que-lleve-en-la-camioneta
http://www.eldiaonline.com/paranormal-investigan-al-pasajero-fantasma-quemo-alfombra-auto/
http://www.lanueva.com/nota/2018-2-27-20-0-0-denuncio-haber-llevado-a-un-fantasma-que-hacia-dedo
http://www.perfil.com/sociedad/video-extrano-relato-hizo-dedo-desaprecio-y-derritio-la-alfombra-del-auto.phtml
http://www.primeraedicion.com.ar/nota/267266/automovilista-dice-haber-llevado-a-un-fantasma-que-hacia-dedo.html
https://radiocut.fm/audiocut/pedro-peirone-habla-sobre-su-extrano-caso-en-san-jose-de-la-esquina/
https://rosarionuestro.com/es-claramente-un-fenomeno-parapsicologico/
https://soundcloud.com/si989rosario/hojaderuta-que-o-quien-subio-en-la-camioneta-de-pedro
https://www.casildaplus.com/ennoticias/Era-un-fantasma-Se-subio-al-auto-de-un-vecino-bajo-en-el-cementerio-y-desaparecio-20180226-0006.html
https://www.clarin.com/sociedad/asegura-llevo-fantasma-dedo-ruta-quemo-alfombra-camioneta_0_H1DM-qV_M.html
https://www.cronica.com.ar/cosa-de-locos/Llevo-en-su-camioneta-a-un-fantasma-hasta-el-cementerio-20180227-0051.html
https://www.elonce.com/secciones/sociedad/538365-investigan-el-caso-del-quotpasajero-fantasmaquot-que-quemn-alfombra-de-camioneta.htm
https://www.rosarioplus.com/enlareposera/Extrano-fenomeno-un-joven-desaparecio-en-una-ruta-cerca-de-Rosario-20180226-0028.html
https://www.youtube.com/watch?v=CnFD0J9du68
https://www.youtube.com/watch?v=EKehyteCwok
Comentários