13 de fevereiro de 2018

Fenômeno Poltergeist? Objetos Pegam Fogo Misteriosamente em Residência e Deixam Moradores e Vizinhos Assustados em Nazário/GO!


Por Marco Faustino

Existe algo que vem se tornando praticamente uma "tendência" no início dos últimos anos: objetos que pegam fogo, de forma misteriosa, no interior de residências em nosso país. Em março do ano passado, por exemplo, abordei um caso envolvendo uma família de Ronda Alta, uma cidade localizada no interior do Rio Grande do Sul. Segundo informações da Rádio Comunitária Navegantes, aparentemente, de maneira "inexplicável", os objetos mudariam de lugar, e pegariam fogo sozinhos. A pedido de uma vizinha, uma equipe de reportagem da Rádio Navegantes foi até o local com o intuito de registrar esses fenômenos. A equipe foi recebida por quatro pessoas dessa mesma família, que estariam vivendo uma verdadeira história de terror há algum tempo, quando ainda moravam na zona rural da cidade. A família teria começado a ter problemas com barulhos inexplicáveis, pedras caindo em cima da casa, e fortes estalos no imóvel, que os perturbavam. Então, os incidentes teriam começado a se intensificar, até o dia em que a mãe, que é uma senhora viúva, foi com seu filho até a cidade para receber a aposentadoria. Ao chegar em casa ela colocou o dinheiro em cima de um móvel, e foi realizar suas tarefas diárias. Em um determinado momento, foi sentido um forte cheiro de queimado, e ao procurarem de onde o cheiro vinha, perceberam que o dinheiro havia pegado fogo. A pior parte é que a família tentou se mudar para o meio urbano, mas os supostos fenômenos teriam continuado.

Naquela época, entrei em contato com o radialista Jaciano Eccher, que acompanhou o caso de perto, e posteriormente registrou o trabalho de um senhor chamado Valmor Romano, um suposto "especialista em regressão" da cidade de Bento Gonçalves. Segundo Valmor, essas manifestações seriam provenientes de "experiências negativas" acumuladas ao longo das gerações por parte de um adolescente, que morava na casa. Por outro lado, ao entrar em contato com Jaciano sobre as investigações por parte da polícia, fui informado que, um inspetor da Polícia Civil havia dito, que o laudo pré-oficial apontava que o fogo havia se originado por fósforo ou isqueiro, porém o laudo final seria emitido pelo IGP (Instituto Geral de Perícias) de Porto Alegre, sendo que não havia nenhuma data para a conclusão do mesmo. Recentemente, entrei novamente em contato com Jaciano, que atualmente mora no Paraná, e ele gentilmente disse que entrará em contato a polícia de Ronda Alta para saber o resultado oficial da perícia realizada na casa. Assim que eu tiver uma resposta, manterei vocês informados. De qualquer forma, vale a pena conferir o caso (leia mais: Fenômeno Poltergeist? Coincidência? Família Alega que Objetos se Movem e Pegam Fogo Sozinhos em uma Casa de Ronda Alta/RS!).

Agora, eis que surge um caso semelhante e igualmente estranho. Objetos tais como colchões, sofás, máquina de lavar, fogão, e roupas guardadas dentro do armário começaram a pegar fogo misteriosamente no interior de uma humilde residência na pequenina cidade de Nazário, no interior do Estado de Goiás. Moradores e vizinhos passaram a ficar bem assustados com os estranhos fenômenos e até mesmo religiosos da cidade já teriam comparecido ao local, aparentemente em vão, para tentar ajudar a família. Uma equipe de reportagem foi até a residência para coletar os depoimentos dos moradores, que não sabem mais o que fazer diante dessa situação. Será que dessa vez teremos algo realmente inexplicável? Vamos saber mais sobre esse assunto?

Um Pouco Sobre a Cidade de Nazário, no Estado de Goiás


Nazário é um município brasileiro do Estado de Goiás, que fica localizado a cerca de 70 km a leste de Goiânia, a capital do referido estado. De acordo com o site do IBGE, a população estimada de Nazário, no ano passado, era de 8.850 habitantes, predominantemente católica, sendo que, em 2015, o salário médio mensal entre os trabalhadores formais era de apenas 2,1 salários mínimos.

Além disso, ainda referente ao ano de 2015, apenas 16,8% da população possuía algum tipo de ocupação, embora a taxa de escolarização entre 6 a 14 anos chegasse a 98,8% da população, um índice considerado alto, o 46º lugar entre os 246 municípios do estado. Infelizmente, no entanto, somente 5,5% das casas tinha esgotamento sanitário adequado, o que a colocava entre os piores municípios do estado e do país.



Nazário é um município brasileiro do Estado de Goiás, que fica localizado a cerca de 70 km a leste de Goiânia, a capital do referido estado. De acordo com o site do IBGE, a população estimada de Nazário, no ano passado, era de 8.850 habitantes.
Não há muito o que falar sobre a pequena cidade. Por volta de 1880, Nazário Pereira de Oliveira, de descendência espanhola, radicou-se com sua família em lugar bem próximo à Serra da Jiboia, no então município de Palmeiras de Goiás, onde tentou, sem êxito, a fortuna, procurando ouro ou pedras preciosas. Pouco tempo depois, transferiu-se para o local onde mais tarde nasceria o povoado, nas proximidades da confluência do córrego Buriti com o rio dos Bois. Fez erigir aí uma capela, à qual chamou "Nossa Senhora da Conceição" em homenagem à santa de que era fervoroso devoto.

Foto da Igreja Matriz "Nossa Senhora da Conceição", da cidade de Nazário, no interior do Estado de Goiás
Foto da Praça da Matriz, na região central da cidade de Nazário/GO
A singela casa de oração foi demolida pouco tempo depois, dando lugar a novo templo que continuou com a mesma denominação anterior. A capela, as rezas e a devoção atraíram pouco a pouco, alguns habitantes. O crescimento da população foi, no entanto moroso, e só por volta de 1930, quando chegou à localidade o cidadão Manoel Fernandes Teixeira, iniciou-se o aceleramento da povoação.

Entenda o Caso: A Reportagem Veiculada Pela TV Serra Dourada


Até onde tenho conhecimento, a TV Serra Dourada, afiliada do SBT com sede em Goiânia, foi a única emissora de televisão a fazer uma reportagem sobre o caso envolvendo uma casa, onde alguns objetos estariam pegando fogo de forma misteriosa. A reportagem foi veiculada na edição do dia 19 de janeiro, no "Jornal do Meio Dia", sendo que o mesmo é descrito por ser um noticiário comunitário e interativo que, desde 1991, estaria sempre presente nos grandes acontecimentos do Estado de Goiás. Vocês podem conferir a reportagem completa no canal do próprio "Jornal do Meio Dia", no YouTube:



Entretanto, para evitar que vocês tenham que gastar a franquia de internet de vocês, irei destrinchar o vídeo, que possui quase sete minutos e meio, combinado? Bem, inicialmente o apresentador do "Jornal do Meio Dia", Jordevá Rosa, mencionou o endereço da casa, onde os supostos fenômenos estariam acontecendo: Avenida José Gonçalves Pinheiro, nº 6. Aliás, segundo Jordevá, os tais fenômenos seriam considerados de cunho sobrenatural, não somente pelos moradores da casa, mas por toda a cidade de Nazário.

No começo da reportagem, a repórter Vívian Maia, que estava acompanhada do cinegrafista Wellington Francisco, mencionou que a rua era bem tranquila, mas que a casa em questão havia se tornado a mais famosa de Nazário, porque coisas estranhas estavam acontecendo no interior da mesma. Era possível notar também a presença de diversos populares, que supostamente seriam moradores vizinhos ao imóvel.

Inicialmente o apresentador do "Jornal do Meio Dia", Jordevá Rosa, mencionou o endereço da casa, onde os supostos fenômenos estariam acontecendo: Avenida José Gonçalves Pinheiro, nº 6. Aliás, segundo Jordevá, os tais fenômenos seriam considerados de cunho sobrenatural, não somente pelos moradores da casa, mas por toda a cidade de Nazário.
No começo da reportagem, a repórter Vívian Maia, que estava acompanhada do cinegrafista Wellington Francisco, mencionou que a rua era bem tranquila, mas que a casa em questão havia se tornado a mais famosa de Nazário, porque coisas estranhas estavam acontecendo no interior da mesma. Era possível notar também a presença de diversos populares, que supostamente seriam moradores vizinhos ao imóvel.
Ao entrevistar uma moradora local, cujo nome não foi divulgado, ela disse que, enquanto as pessoas estavam dentro da residência, nada de anormal acontecia, porém, quando todos saíam, alguém alertava sobre a presença do fogo. Ela também disse, que era um fogo vermelho, algo esquisito, que ninguém entendia. Já uma outra moradora, que alegou morar em Nazário há 60 anos, disse que conhecia a família (que mora no imóvel em questão) há muito tempo, desde quando a proprietária da casa, a Sra. Maria da Conceição, 62 anos, tinha se casado. Uma terceira moradora disse que a situação era impressionante, mas não acrescentou maiores detalhes.

Ao entrevistar uma moradora local, cujo nome não foi divulgado, ela disse que, enquanto as pessoas estavam dentro da residência, nada de anormal acontecia, porém, quando todos saíam, alguém alertava sobre a presença do fogo. Ela também disse, que era um fogo vermelho, algo esquisito, que ninguém entendia.
Já uma outra moradora, que alegou morar em Nazário há 60 anos, disse que conhecia a família (que mora no imóvel em questão) há muito tempo, desde quando a proprietária da casa, a Sra. Maria da Conceição, 62 anos, tinha se casado.
Uma terceira moradora disse que a situação era impressionante, mas não acrescentou maiores detalhes.
A repórter chegou a mencionar que, olhando por fora, era difícil imaginar alguma coisa de errado. Então, em seguida, ela entrou no imóvel e foi conversar diretamente com a Sra. Maria da Conceição. É possível perceber que se trata de uma senhora de idade, bem humilde, e com uma expressão bem sincera no olhar. A moradora não sabia de onde o fogo vinha, mas ela disse que o mesmo havia começado em um local chamado de "casinha", nos fundos do imóvel. Ainda segundo a Sra. Maria da Conceição, ninguém via o fogo sendo iniciado. Ela mesma ressaltou, que não podia deixar a casa sozinha, corroborando o que uma vizinha já havia mencionado.

A repórter chegou a mencionar que, olhando por fora, era difícil imaginar alguma coisa de errado. Então, em seguida, ela entrou no imóvel e foi conversar diretamente com a Sra. Maria da Conceição.
A moradora não sabia de onde o fogo vinha, mas ela disse que o mesmo havia começado em um local chamado de "casinha", nos fundos do imóvel. Ainda segundo a Sra. Maria da Conceição, ninguém via o fogo sendo iniciado. Ela mesma ressaltou, que não podia deixar a casa sozinha, corroborando o que uma vizinha já havia mencionado.
Em seguida, segundo a repórter, a primeira impressão que se tinha era de uma casa simples, de alvenaria, um pouco antiga, mas que estaria "tudo em ordem". Ainda de acordo com ela, não havia problema algum na estrutura e, ao olhar a fiação elétrica, aparentemente, também estaria "tudo em ordem". Logo depois, foram mostradas as imagens de um quarto com as camas destruídas. Aliás, segundo a Sra. Maria da Conceição, que vivia no local com seu filho e uma neta, as camas já teriam pegado fogo, sozinhas, por cerca de três vezes.

Em seguida, segundo a repórter, a primeira impressão que se tinha era de uma casa simples,
de alvenaria, um pouco antiga, mas que estaria "tudo em ordem".
Ainda de acordo com ela, não havia problema algum na estrutura...
...e ao olhar a fiação elétrica, aparentemente, também estaria "tudo em ordem".
Logo depois, foram mostradas as imagens de um quarto com as camas destruídas. Aliás, segundo a Sra. Maria da Conceição, que vivia no local com seu filho e uma neta, as camas já teriam pegado fogo, sozinhas, por cerca de três vezes.
Além disso, o fogo já teria ido parar no sofá, e faíscas teriam surgido dentro de um guarda-roupa, que estava fechado. Para completar, um tanquinho de lavar roupas, as bonecas, e as próprias roupas, lençóis, cobertas e tapetes, também teriam queimado. Contudo, é interessante notar, que a repórter menciona, que todos os tecidos estavam repletos de buracos, ou seja, não queimaram completamente. Algo que também é possível notar no sofá.

Além disso, o fogo já teria ido parar no sofá...
...e faíscas teriam surgido dentro de um guarda-roupa, que estava fechado.
Para completar, um tanquinho de lavar roupas...
...as bonecas...
...e as próprias roupas, lençóis, cobertas e tapetes, também teriam queimado. Contudo, é interessante notar, que a repórter menciona, que todos os tecidos estavam repletos de buracos, ou seja, não queimaram completamente. Algo que também é possível notar no sofá.
Posteriormente, foi mostrado um cômodo, a tal da "casinha" (uma espécie de dispensa), aquela mencionada pela Sra. Maria da Conceição, onde os primeiros focos teriam aparecido, e que ficava localizada bem nos fundos do quintal (muito embora não tenha sido mostrada a distância, e nem mesmo o que havia ao redor da tal "casinha"). Ao entrevistar uma mulher chamada Célia Maria, filha da Maria da Conceição, a mesma informou que o primeiro fogo teria surgido na noite do domingo anterior, dia 14 de janeiro.

Posteriormente, foi mostrado um cômodo, a tal da "casinha" (uma espécie de dispensa), aquela mencionada pela Sra. Maria da Conceição, onde os primeiros focos teriam aparecido, e que ficava localizada bem nos fundos do quintal (muito embora não tenha sido mostrada a distância, e nem mesmo o que havia ao redor da tal "casinha")
Ao entrevistar uma mulher chamada Célia Maria, filha da Maria da Conceição, a mesma informou que o primeiro fogo teria surgido na noite do domingo anterior, dia 14 de janeiro.
Curiosamente, o fogo teria começado no fogão e no tanquinho de lavar roupas. Além disso, os colchões que estava no interior da "casinha", que é bem pequena e amontoada, diga-se de passagem, também teriam pegado fogo. Era possível notar, que a fiação havia sido queimada e o teto havia ficado "empretejado".

Curiosamente, o fogo teria começado no fogão e no tanquinho de lavar roupas.
Além disso, os colchões que estava no interior da "casinha",
que é bem pequena e amontoada, diga-se de passagem, também teriam pegado fogo
Era possível notar, que a fiação havia sido queimada e o teto havia ficado "empretejado".
Quem também foi entrevistada foi a nora de Maria da Conceição, uma mulher chamada Elisângela da Silva, ou seja, esposa do filho da proprietária da casa. Segundo Elisângela, seu marido, que seria eletricista, tinha verificado tudo e, inclusive, eles teriam desligado o padrão da casa (o fornecimento de energia elétrica, por assim dizer), e mesmo assim continuava pegando fogo.

A repórter cogitou a possibilidade de ser uma brincadeira de mau gosto, porém Maria da Conceição não sabia responder o que estava acontecendo. A Sra. Maria da Conceição ainda mencionou, que poderia ser uma "alma sofrida", mas havia uma clara expressão de desesperança em seu olhar.

Quem também foi entrevistada foi a nora de Maria da Conceição, uma mulher chamada Elisângela da Silva, ou seja, esposa do filho da proprietária da casa. Segundo Elisângela, seu marido, que seria eletricista, tinha verificado tudo e, inclusive, eles teriam desligado o padrão da casa (o fornecimento de energia elétrica, por assim dizer), e mesmo assim continuava pegando fogo.
A repórter cogitou a possibilidade de ser uma brincadeira de mau gosto,
porém Maria da Conceição não sabia responder o que estava acontecendo.
A Sra. Maria da Conceição ainda mencionou, que poderia ser uma "alma sofrida",
mas havia uma clara expressão de desesperança em seu olhar.
Religiosos também já tinham comparecido ao local, aparentemente em vão, pois já havia cerca de uma semana, que o fogo aparecia de forma esporádica. Aliás, no vídeo de celular mostrado na reportagem, é possível ver uma espécie de "sessão de exorcismo" perante um amontoado de roupas pegando fogo, porém de forma bem localizada. De qualquer forma, o prejuízo, em uma casa tão humilde, era enorme.

Célia Maria ainda disse que gostaria da presença de um especialista, visto que ela não podia deixar sua mãe sozinha. Aliás, ela mencionou que ninguém podia sair da casa, ressaltando mais uma vez que isso só acontecia, quando não havia ninguém no interior do imóvel.

Religiosos também já tinham comparecido ao local, aparentemente em vão, pois já havia cerca de uma semana, que o fogo aparecia de forma esporádica. Aliás, no vídeo de celular mostrado na reportagem, é possível ver uma espécie de "sessão de exorcismo" perante um amontoado de roupas pegando fogo, porém de forma bem localizada.
Célia Maria ainda disse que gostaria da presença de um especialista, visto que ela não podia deixar sua mãe sozinha. Aliás, ela mencionou que ninguém podia sair da casa, ressaltando mais uma vez que isso só acontecia, quando não havia ninguém no interior do imóvel.
A visita da equipe da TV Serra Dourada durou aproximadamente uma hora, e nenhum fenômeno aconteceu no interior da propriedade (com a equipe registrando tudo, é claro). Enfim, a reportagem terminou com algumas imagens exibidas anteriormente, e com o apresentador Jordevá Rosa disponibilizando alguns números de telefone da emissora para aqueles que tivessem alguma explicação a fornecer sobre o estranho fenômeno ou pudesse ajudar a família de alguma forma. Desde então, a emissora não voltou mais a falar sobre o caso.

A Origem da Reportagem Veiculada Pela TV Serra Dourada: A Divulgação Inicial do Caso Através das Redes Sociais e a Participação Ativa de uma Moradora Local


Evidentemente, não deixaria vocês somente com a reportagem da TV Serra Dourada, razão pela qual fui atrás de maiores informações sobre o caso. Foi assim que descobri, que uma moradora local chamada Ana Paula, proprietária de um salão de beleza em Nazário, foi a principal responsável pela divulgação inicial do caso através das redes sociais, mais precisamente através de sua conta no Facebook. É importante ressaltar nesse ponto, que não importa o quão pequena seja uma cidade no Brasil ou no mundo, atualmente basta um celular na mão e uma conta em uma rede social para que um determinado vídeo tenha chance de viralizar, e ser visto por dezenas ou centenas de milhares de pessoas. Nada muito além disso.

No dia 17 de janeiro, cerca de um dia antes da equipe da TV Serra Dourada aparecer no município de Nazário, Ana Paula fez uma transmissão ao vivo em sua conta no Facebook, diretamente da casa da Sra. Maria da Conceição, para falar sobre esse assunto. A moradora costumava fazer tais transmissões ao vivo periodicamente, geralmente de sua própria casa, para mostrar sua indignação com a administração pública e os problemas da cidade. Atualmente, ela vem chamando essas transmissões de "Jornal da Ana". Não irei divulgar quaisquer endereços virtuais (os famosos "links") para manter a privacidade da moradora.

No dia 17 de janeiro, cerca de um dia antes da equipe da TV Serra Dourada aparecer no município de Nazário, Ana Paula fez uma transmissão ao vivo em sua conta no Facebook, diretamente da casa da Sra. Maria da Conceição, para falar sobre esse assunto
No vídeo, Ana Paula mostra o estado do quarto da Sra. Maria da Conceição com as camas totalmente queimadas, e pede basicamente por ajuda, ou seja, se alguém soubesse o que estava acontecendo, que ajudasse a família, uma vez que eles estavam desesperados.

A transmissão travava muito devido a qualidade da internet, mas naquele momento era possível notar que Ana Paula também queria buscar ajuda por parte da imprensa, ou melhor, de uma emissora de TV, visto que ela citou "ligar para a TV" durante a transmissão. Pouco mais de uma hora depois, a moradora publicou cerca de duas fotos e dois vídeos para mostrar a situação da casa.

Pouco mais de uma hora depois, a moradora publicou cerca de duas fotos e dois vídeos para mostrar a situação da casa.
Confira as fotos publicadas pela Ana Paula, logo abaixo:

Foto publicada pela moradora Ana Paula mostrando uma espécie de toalha queimando em cima de uma das camas,
no quarto da Sra. Maria da Conceição
Foto publicada pela moradora Ana Paula mostrando um colchão parcialmente destruído pelas chamas
Assim como os vídeos publicados por ela, em um canal de terceiros, no YouTube:





A publicação das fotos e dos vídeos gerou uma grande discussão sobre o assunto. Um usuário chamado Cristovão alegou que tudo não passava de um caso de combustão espontânea, e que tudo se tratava de pura ciência. Ele disse que ninguém deveria guardar as roupas molhadas juntas, e que a água fazia com que os processos biológicos fossem possíveis, gerando muito calor que ficaria preso entre as vestes, aumentando cada vez mais a temperatura. Ele disse que todo local, que tinha pegado fogo, havia roupas ou toalhas molhadas.

Posteriormente uma usuária chamada Camila, presumivelmente sobrinha da Sra. Maria da Conceição (uma vez que ela se refere a "casa de sua tia") disse que não havia nenhuma roupa ou toalha molhada, mas que tudo estaria seco. Aliás, um dado novo, é que os fenômenos também estariam acontecendo na casa vizinha, que seria do filho da Sra. Maria da Conceição.

Um usuário chamado Cristovão alegou que tudo não passava de um caso de combustão espontânea, e que tudo se tratava de pura ciência. Ele disse que ninguém deveria guardar as roupas molhadas juntas, e que a água fazia com que os processos biológicos fossem possível, gerando muito calor que ficaria preso entre as vestes, aumentando cada vez mais a temperatura.
Posteriormente uma usuária chamada Camila, presumivelmente sobrinha da Sra. Maria da Conceição disse que não havia nenhuma roupa ou toalha molhada, mas que tudo estaria seco. Aliás, um dado novo, é que os fenômenos também estavam acontecendo na casa vizinha, que seria do filho da Maria da Conceição.
Cristovão não se deu por vencido e disse que isso também poderia acontecer com roupas secas, e que uma simples fagulha poderia incendiar tudo. E como ele sabia disso? Cristovão alegou ter sido testemunha de vários experimentos controlados em laboratório em sua antiga escola. Pouco tempo depois, Ana Paula apareceu para dizer que havia um vídeo de 5 minutos mostrando o fogo apagando lentamente, supostamente através de oração, porém, infelizmente, esse vídeo nunca foi publicado em sua conta no Facebook. Sinceramente, Cristovão bateu na trave em relação aos seus argumentos, algo que explicarei como isso funciona daqui a pouco, ou seja, na parte final desta matéria, juntamente com algumas hipóteses.

Pouco tempo depois, Ana Paula apareceu para dizer que havia um vídeo de 5 minutos mostrando o fogo apagando lentamente, supostamente através de oração, porém, infelizmente, esse vídeo nunca foi publicado em sua conta no Facebook
Ainda naquele mesmo dia, Ana Paula voltou a fazer uma transmissão ao vivo. Inicialmente, ela disse que, no dia seguinte (18) uma equipe da TV Serra Dourada iria fazer uma reportagem sobre a casa, que estava pegando fogo, e que a mesma seria exibida no "Jornal do Meio Dia". Ela alegou que esse teria sido o segundo caso registrado em Goiás, e que a TV iria tentar ajudar a família ao falar com um especialista para saber o que estava acontecendo (conforme sabemos, ninguém foi procurado pela equipe da TV Serra Dourada). Ela também pediu que as pessoas, que estavam lhe assistindo, comparecessem até a casa da Sra. Maria da Conceição, porque a "emissora queria saber o que a população de Nazário achava do caso" (ele repetiu isso várias vezes).

A moradora também disse que havia ligado para um "médium", que lhe disse, que uma "força" no interior da casa estaria provocando os tais fenômenos, mas que ele precisava saber o nome de algum morador da casa (muito embora isso não tenha sentido lógico, aparentemente, esse médium também não apareceu). Ana Paula disse que possuía alguns amigos em emissoras de TV e jornais locais que, às vezes, com muito carinho, se dirigiam até Nazário para atender alguma solicitação dela. Aliás, Ana Paula disse ter uma opinião formada sobre o assunto e que, em sua visão, "era alguma coisa que ninguém sabia, um mistério que ninguém entendia".

Cerca de uma hora depois, Ana Paula publicou mais um vídeo, com apenas 40 segundos, mostrando um amontoado de roupas pegando fogo em cima de uma máquina da lavar. Curiosamente, um religioso pede para que Deus apagasse o fogo, porém podemos notar que nada acontece. Confira o vídeo abaixo, que foi publicado em um canal de terceiros, no YouTube:



No dia seguinte (19), Ana Paula publicou um vídeo, que consistia basicamente na gravação da reportagem da TV Serra Dourada em sua televisão, através do seu aparelho celular, para todos aqueles, que não tinham tido oportunidade de assistir ao vivo, pudessem efetivamente acompanhar o que foi divulgado.

No dia seguinte (19), Ana Paula publicou um vídeo, que consistia basicamente na gravação da reportagem da TV Serra Dourada em sua televisão, através do seu aparelho celular, para todos aqueles, que não tinham tido oportunidade de assistir ao vivo
Ainda naquele mesmo dia, Ana Paula atualizou seus seguidores sobre uma Bíblia tinha pegado fogo na residência da Sra. Maria da Conceição, e aproveitou para postar algumas fotos através dos comentários, algo que vocês podem conferir logo abaixo:

Ainda naquele mesmo dia, Ana Paula atualizou seus seguidores de que uma bíblia tinha pegado fogo na residência da Sra. Maria da Conceição, e aproveitou para postar algumas fotos através dos comentários.
Uma das fotos publicadas por Ana Paula em sua conta no Facebook
Mais uma foto publicada por Ana Paula em sua conta no Facebook
Não demorou muito tempo, e cerca de 18 minutos depois ela republicou as mesmas fotos. O motivo? Populares teriam visto alguns "rostos" na parte queimada da Bíblia. De forma bem simples, ela tentou circular as áreas onde esses rostos poderiam ser encontrados.

Não demorou muito tempo, e cerca de 18 minutos depois ela republicou as mesmas fotos. O motivo? Populares teriam visto alguns "rostos" na parte queimada da bíblia
De forma bem simples, ela tentou circular as áreas onde esses rostos poderiam ser encontrados.
Ao ser indagada por um usuário chamado Josué, Ana Paula revelou sobre quais condições essa Bíblia tinha pegado fogo: com a casa fechada, ou seja, presumivelmente sem ninguém em seu interior, uma situação idêntica aos demais incidentes anteriores.

Ao ser indagada por um usuário chamado Josué, Ana Paula revelou sobre quais condições essa Bíblia tinha pegado fogo: com a casa fechada, ou seja, presumivelmente sem ninguém em seu interior, uma situação idêntica aos demais incidentes anteriores.
Porém, ignorando toda essa repetição de circunstâncias, Ana Paula pediu para que um conhecido seu, um pintor local, tentasse retratar os possíveis traços contidos naquela parte queimada da Bíblia. Confira logo abaixo a "interpretação" do tal pintor (irei comentar sobre toda essa parte daqui a pouco):

Porém, ignorando toda essa repetição de circunstâncias, Ana Paula pediu para que um conhecido seu, um pintor local, tentasse retratar os possíveis traços contidos naquela parte queimada da Bíblia.
A interpretação do tal "pintor", publicada por Ana Paula
Posteriormente, Ana Paula voltaria a falar sobre esse assunto somente no dia 22 de janeiro. Primeiramente, ela agradeceu devido a quantidade de pessoas, que tinham assistido seu vídeo, que acabou gerando mais visualizações do que a reportagem publicada no próprio canal do "Jornal do Meio Dia", no YouTube. Nos comentários, no entanto, ela revelou, que "depois de muita oração" há dois dias nada acontecia na casa.

Primeiramente, ela agradeceu devido a quantidade de pessoas, que tinham assistido seu vídeo, que acabou gerando mais visualizações do que a reportagem publicada no próprio canal do "Jornal do Meio Dia", no YouTube. Nos comentários, no entanto, ela revelou, que "depois de muita oração" há dois dias nada acontecia na casa.
Desde então, Ana Paula não voltou a comentar sobre a situação na casa da Sra. Maria da Conceição. Enfim, será que estamos ou estávamos mesmo diante de um caso inexplicável, de cunho sobrenatural ou um mistério de outro mundo? Muito provavelmente não, sendo que é justamente isso que vocês conferem a seguir.

Uma Dose de Realidade Sobre os Incidentes Ocorridos na Residência da Sra. Maria da Conceição em Nazário/GO


Agora que vocês possuem informações fornecidas por uma emissora de TV, e de uma moradora que participou ativamente de todo esse processo de divulgação através do Facebook, vocês têm uma base sólida, que aponta para diversos detalhes muito importantes. São justamente esses detalhes, que nos permitem sugerir algumas hipóteses com certo grau de confiabilidade. Muitas pessoas, nesse ponto, deixariam ao critério de vocês o julgamento sobre em que acreditar, mas considero essa a pior e mais torpe forma de lidar com qualquer tipo de situação, seja supostamente de cunho sobrenatural ou não, ainda mais envolvendo o sofrimento de uma senhora de idade, que perdeu muitos de seus bens que, com certeza, foram conseguidos através de muito trabalho e suor.

Primeiramente, é possível notar de maneira bem clara, através de inúmeras declarações, que os focos surgem apenas quando não há ninguém no interior da casa. Aliás, nenhuma pessoa, em nenhum momento, conseguiu presenciar o momento que o fogo surge. Assim sendo, poderíamos imaginar, que alguém de fora estaria intencionalmente incendiando os objetos. Bastaria um pouco de álcool ou fluído de isqueiro, e um mero palito de fósforo para que o fogo começasse de forma localizada. O caso de Ronda Alta também tinha essa característica, e sabemos que o pré-laudo havia apontado para a utilização de fósforo ou isqueiro, ou seja, uma ação intencional e perfeitamente humana. Bastaria a instalação de câmeras de segurança como forma de tentar solucionar o mistério, mas estamos falando de uma família humilde, que provavelmente não teria acesso a esse tipo de recurso. Por outro lado, ninguém acionou a Polícia Civil, que, talvez, remotamente dizendo, mas ainda de forma esperançosa, pudesse realizar uma investigação, e verificar se havia algum agente humano e externo provocando os tais incêndios. Enfim, não há como saber, porque nada foi investigado de forma séria.

Ao olhar a localização da casa da Sra. Maria da Conceição no "Google Maps" / "Google Street View", e considerando as rápidas imagens feitas pela equipe da TV Serra Dourada do local, é possível notar que existe uma espécie de terreno baldio, com mato alto, bem próximo de sua casa, além de locais com mato muito alto nos fundos do imóvel. Locais de acesso relativamente fácil, se alguém planejasse entrar, provocar um incêndio e escapar. Além disso, não sabemos se existe alguma inimizade com alguém da cidade ou na vizinhança, uma vez que as pessoas que apareceram na reportagem da TV Serra Dourada (cerca de uma dúzia de pessoas perante uma população de mais de 8 mil pessoas), sequer eram exatamente vizinhos, mas moradores convocados por Ana Paula. Aliás, a TV Serra Dourada sequer procurou algum especialista, e aparentemente estava mais interessada em evidencias anedóticas, assim como a opinião leiga de senhoras de idade, do que qualquer outra coisa.

Ao olhar a localização da casa da Sra. Maria da Conceição no "Google Maps" / "Google Street View", e considerando as rápidas imagens feitas pela equipe da TV Serra Dourada do local, é possível notar que existe uma espécie de terreno baldio, com mato alto, bem próximo de sua casa...
...além de locais com mato muito alto nos fundos do imóvel. Locais de acesso relativamente fácil, se alguém planejasse entrar, provocar um incêndio e escapar.
Entretanto, vocês repararam, que no caso de Nazário o fogo sempre surgiu em tecidos? Em diversas ocasiões foram mostradas roupas, lençóis, tapetes, entre outros materiais nesse sentido. Nesse ponto, muitos podem citar o caso do colchão, do tanquinho, do fogão, do guarda-roupa, das bonecas e da Bíblia, mas todos são bem fáceis de explicar. Em relação ao colchão é possível notar em uma das fotos, que o fogo começou em uma toalha estendida sobre a cama, consequentemente atingindo o colchão logo abaixo e as camas. No caso do tanquinho, podemos ver que a tampa foi o principal elemento atingido pelo fogo, denotando que algo estava em cima da mesma. No vídeo de um suposto "ritual de exorcismo" realizado por um religioso local, podemos ver um amontoado de roupas em cima da tampa de uma máquina da lavar, ou seja, isso é uma prática comum da família. 

O fogão queimado é ainda mais simples de explicar, porque ele ficava justamente ao lado do tanquinho, naquela "casinha" citada pela Sra. Maria da Conceição, provavelmente com mais roupas em cima do mesmo, visto que o fogão não é utilizado pela família e, para completar, somente a parte superior do mesmo foi queimada. Não há nenhuma relação com eletricidade, conforme anteriormente mencionado. O guarda-roupa nem é preciso dizer muita coisa, visto que, muito provavelmente, começou a partir de alguma roupa guardada em seu interior. As bonecas e a Bíblia são os objetos que destoam dos demais, mas podemos deduzir que, possivelmente, estavam próximos de roupas ou tecidos, assim como os demais casos.

Entretanto, vocês repararam, que no caso de Nazário o fogo sempre surgiu em tecidos? Em diversas ocasiões foram mostradas roupas, lençóis, tapetes, entre outros materiais nesse sentido.
No caso do tanquinho, podemos ver que a tampa foi o principal elemento atingido pelo fogo, denotando que algo estava em cima da mesma. No vídeo de um suposto "ritual de exorcismo" realizado por um religioso local, podemos ver um amontado de roupas em cima da tampa de uma máquina da lavar, ou seja, isso é uma prática comum da família. 
Isso denota que havia alguma coisa de errada com as roupas. Nesse ponto, seria necessária uma análise da água utilizada pela Sra. Maria da Conceição para saber se não havia algum agente contaminante e potencialmente inflamável na água, além de uma perícia nas roupas que pegaram fogo para saber os elementos químicos presentes nas peças. Mais uma vez, nada disso foi feito. Aliás, muitos podem pensar que, se fosse algo na água, mais moradores seriam afetados. Porém, ao verificarmos a história descobrimos que o problema estava também estava acontecendo na casa ao lado, a do filho da Sra. Maria da Conceição. Precisamos lembrar, que Nazário tem apenas 5,5% das casas com esgotamento sanitário adequado, e não sabemos as condições da água utilizada na casa.

Agora, vem a parte mais interessante. Segundo Ana Paula, os incêndios teriam parado de acontecer após muita oração, e não temos mais informações sobre o assunto desde então. Isso quer dizer que as orações realmente tiveram alguma influência? Não necessariamente, porque provavelmente boa parte das roupas da família foi queimada, e não havia mais máquina para poder lavar as roupas. Contudo, podemos imaginar que as roupas seriam lavadas manualmente, e nada teria acontecido desde então.

Isso denota que havia alguma coisa de errada com as roupas. Nesse ponto, seria necessária uma análise da água utilizada pela Sra. Maria da Conceição para saber se não havia algum agente contaminante e potencialmente inflamável na água, além de uma perícia nas roupas que pegaram fogo para saber os elementos químicos presentes nas peças.
Nesse ponto entra uma explicação que poucos conhecem: a combustão espontânea de tecidos. Para vocês entenderem como isso funciona, é necessário contar uma pequena história. Por volta das 3h da manhã, do dia 11 de maio do ano passado, o Corpo de Bombeiros e Serviço de Resgate de Devon & Somerset atendeu a um chamado devido ao disparo de alarmes de incêndio no Estádio Sandy Park, a casa de um time de rugby chamado Exeter Chiefs, na cidade de Exeter, no condado de Devon, na Inglaterra.

Quatro equipes atenderam a esse chamado e rapidamente controlaram o incêndio na cozinha do piso térreo do estádio, que por sua vez danificou uma área de "apenas" 20 x 250m. Apesar dos prejuízos, não houve nenhum ferido e presidente-executivo do Clube de Rugby de Exeter disse que o estádio manteria os eventos previamente agendados.

Por volta das 3h da manhã, do dia 11 de maio do ano passado, o Corpo de Bombeiros e Serviço de Resgate de Devon & Somerset atendeu a um chamado devido ao disparo de alarmes de incêndio no Estádio Sandy Park, a casa de um time de rugby chamado Exeter Chiefs, na cidade de Exeter, no condado de Devon, na Inglaterra.
Quatro equipes atenderam a esse chamado e rapidamente controlaram o incêndio na cozinha do piso térreo do estádio, que por sua vez danificou uma área de "apenas" 20 x 250m. Apesar dos prejuízos, não houve nenhum ferido e presidente-executivo do Clube de Rugby de Exeter disse que o estádio manteria os eventos previamente agendados.
Cerca de oito dias depois, no dia 19 de maio, o site de notícias DevonLive.com - que foi um dos primeiros a divulgar esse incidente - publicou o que poderia ter sido a causa do incêndio: uma mera toalha de chá (uma espécie de pequena tolha central de mesa). Estranho, não é mesmo? Porém, fiquem calmos, porque tem explicação. Segundo os bombeiros, a combustão espontânea poderia ocorrer, quando resíduos de óleo orgânico permanecem no material após a lavagem (por serem mal lavados, por exemplo), principalmente se eles forem dobrados, empilhados e guardados ainda quentes após a secagem.

Segundo Gareth Sydenham, oficial do Corpo de Bombeiros e Serviço de Resgate de Devon & Somerset, isso podia soar como se fosse um estranho fenômeno, mas era mais comum do que as pessoas pensavam. Ele disse que materiais contendo algodão podem ser frequentemente contaminados com óleos de cozinha orgânicos, que podem se autoinflamar ao secarem e serem rapidamente armazenados. Assim sendo, resíduos de gordura ou óleo - particularmente de gorduras vegetais e animais - ainda presentes no tecido podem iniciar um incêndio.

Segundo Gareth Sydenham, oficial do Corpo de Bombeiros e Serviço de Resgate de Devon & Somerset, isso podia soar como se fosse um estranho fenômeno, mas era mais comum do que as pessoas pensavam. Ele disse que materiais contendo algodão podem ser frequentemente contaminados com óleos de cozinha orgânicos, que podem se autoinflamar ao secarem e serem rapidamente armazenados.
Ainda segundo Gareth, o problema surgia quando o ciclo de lavagem não estava suficientemente quente para remover os resíduos. Então, quando a roupa é aquecida em uma secadora (ou debaixo de um sol muito forte), por exemplo, a mesma pode inflamar espontaneamente após um certo tempo após o processo de secagem ter terminado. Ele recomendou que as pessoas lavassem adequadamente as roupas, na temperatura correta, e com o detergente adequado para remover tais resíduos. Ele também recomendou que as pessoas esperassem as roupas esfriarem antes dobrá-las, e que guardassem em um local ventilado. Resumindo? Toalhas, roupas ou lençóis podem se inflamar sozinhas, ainda mais se estiverem amontoadas, ou seja, de forma semelhante ao que foi mostrado na casa da Sra. Maria da Conceição. Evidentemente, não posso afirmar que foi isso o que aconteceu, porque, novamente, seria necessária uma perícia e uma análise técnica da água e das roupas, algo que provavelmente nunca haverá.

Aliás, querem um exemplo prático de como um incêndio pode acontecer de forma bem simples e rápida? Confira o vídeo abaixo, que foi publicado em um canal de terceiros, no YouTube:



Em relação a Bíblia e os supostos rostos contidos na parte queimada da mesma, acredito que vocês já sabem do que muito provavelmente se trata: da velha e famosa pareidolia, um fenômeno psicológico que envolve um estímulo vago e aleatório, geralmente uma imagem ou som, sendo percebido como algo distinto e com significado. A pareidolia, muitas vezes, é algo bem particular. Por exemplo, a moradora Ana Paula identificou, com a ajuda de outras pessoas, cerca de dois rostos, mas ela não conseguiu ver, por exemplo, o que "parece ser uma espécie de olho da parte superior esquerda da foto", que tirou com seu celular (continua sendo pareidolia).

A pareidolia, muitas vezes, é algo bem particular. Por exemplo, a moradora Ana Paula identificou com a ajuda de outras pessoas, cerca de dois rostos, mas ela não conseguiu ver, por exemplo, o que parece ser uma espécie de olho da parte superior esquerda da foto que tirou com seu celular.
O caso do pintor é ainda mais sensacional, porque considerando seus possíveis dons artísticos, ele interpretou livremente o que considerou ser formas de animais ou monstros, assim como uma criança de 10 anos ou um senhor de 90 anos faria ao olhar para o céu ao ver nuvens no formato de bichinhos, anjos ou demônios. Resumindo? Muito provavelmente tão somente pareidolia, nada de sobrenatural.

No entanto, caso alguém prefira ignorar todos esses elementos e detalhes, e ainda assim acreditar que aconteceu algo de verdadeiramente sobrenatural ou paranormal na casa da Sra. Maria da Conceição seria necessário considerar alguns pequenos detalhes: O Diabo ou uma poderosa entidade demoníaca tinha um verdadeiro fetiche por roupas, e não se importava com televisores, geladeiras ou estantes; a entidade demoníaca era tímida, e só colocava fogo nas roupas quando ninguém estava vendo e, para completar, a entidade demoníaca pouco se importava com exorcismos, visto que o fogo continuou mesmo quando foi solicitado a Deus que fosse embora. Complicado, não é mesmo?

Algumas pessoas também podem associar o caso ao fenômeno conhecido por "Poltergeist". Para quem não conhece, saiba que os eventos "poltergeist" (do alemão "poltern", que significa fazer barulho, e "geist", que significa espírito) começaram a ser assim chamados sistematicamente por Martinho Lutero (1483-1546) durante a Reforma Protestante para designar determinados eventos que, segundo se acreditava religiosa e popularmente, seriam provocados por espíritos desencarnados ou até mesmo por demônios. Esses eventos consistiriam em ocorrências físicas extra-motoras, ou seja, sem que à primeira vista fosse identificada alguma causa natural ou conhecida para que esses eventos acontecessem, tais como: a movimentação e/ou ruptura "espontânea" de objetos, chuva de pedras ou tijolos sobre uma casa ou em um determinado ambiente fechado, o aparecimento espontâneo de água ou fogo, o aparecimento de fezes em alimentos, correntes de ar, e o acender e apagar de luzes, tudo isso de forma misteriosa aos olhos das pessoas que observam essas ocorrências. Para vocês terem uma ideia, até o século XVIII, acreditava-se que os chamados eventos "poltergeist" fossem provocados por entes espirituais, fadas, bruxas e até mesmo pelo Diabo. No entanto, devido à forte influência da Igreja Católica, a grande preocupação social no Ocidente quase sempre foi o combate à bruxaria, à possessão diabólica e ao envolvimento com espíritos. Dessa forma, pouca importância se dava às ocorrências físicas propriamente ditas, enfatizando-se primordialmente a discussão de questões religiosas.

Algumas pessoas também podem associar o caso ao fenômeno conhecido por "Poltergeist"
É interessante ressaltar também, que há uma "crença" difundida de que, em geral, os "agentes poltergeist" são do sexo feminino, mas isso não é necessariamente uma verdade absoluta. William G. Roll, um prominente psicólogo e parapsicológo norte-americano responsável por mais de 100 "artigos científicos", e que cunhou o termo "RSPK" (sigla para "Psicocinese Espontânea Recorrente", em português) na década de 1950, verificou através de um levantamento de dados publicado em 1977, que a porcentagem de supostos agentes do sexo masculino e do sexo feminino era equilibrada, apresentando uma leve tendência, sem importância estatística, para a incidência de agentes do sexo feminino (muito embora há quem diga que os casos sempre estão relacionados a adolescentes do sexo feminino). É importante notar que o termo "RSPK" nunca foi aceito pela ciência, embora William Roll fosse respeitado por muitos céticos.

Seria muito prematuro apontar para um fenômeno "poltergeist", porque alega-se que tais fenômenos ocorreriam somente, quando existe a presença de uma menina (ou o menino) entrando na fase da puberdade. Sabemos que no local mora a neta da Sra. Maria da Conceição, porém não sabemos sua idade, e poderíamos apenas especular nesse sentido. Enfim, de qualquer forma as hipóteses paranormais ou sobrenaturais, ao menos nesse caso, são visivelmente menos plausíveis do que as inúmeras hipóteses citadas anteriormente. Seria necessário descartar todas as possibilidades mencionadas para começar uma investigação de cunho paranormal, por assim dizer. Evidentemente, qualquer pessoa está livre para acreditar que há ou havia algo maligno no interior da casa da Sra. Maria da Conceição, mas ignorar todos os outros detalhes, em nome tão somente de uma crença, não resolve absolutamente nada.

Além disso, em nenhum momento foi sugerida uma campanha de arredação de roupas, eletrodomésticos e até mesmo brinquedos para a neta daquela senhora. Isso que nem vou citar a reportagem da TV Serra Dourada, que não se preocupou em efetivamente buscar respostas para o caso, delegando a boa vontade de pessoas para ligarem ou mandarem mensagem por aplicativo. Apesar da possibilidade das roupas queimarem novamente (caso o problema estivesse na água ou na combustão espontânea, devido a lavagem inadequada e o subsequente armazenamento ainda quente das peças), essa, sem dúvida alguma, seria a melhor forma de ajudar alguém. Muito melhor do que procurar por desenhos demoníacos em uma Bíblia chamuscada.

Até a próxima, AssombradOs.

Criação/Adaptação: Marco Faustino

Fontes:
http://www.cidadesdoentorno.com/jmd-190118-misterio-de-uma-casa-que-pega-fogo-em-nazario/
http://www.devonlive.com/four-crews-sent-to-fire-at-exeter-chief-s-stadium-sandy-park/story-30326127-detail/story.html
http://www.devonlive.com/spontaneously-combusting-tea-towel-caused-fire-at-exeter-chiefs-stadium/story-30342124-detail/story.html
https://cidades.ibge.gov.br/painel/historico.php?codmun=521440
https://www.youtube.com/watch?v=Mus_Xyg40k4
Comentários