26 de janeiro de 2018

Um "Fantasma" ou "Estranha Criatura" Teria Sido Filmada em um Cemitério da Cidade de Santo Antônio de Pádua/RJ?

Inscreva-se no canal clicando no botão abaixo:
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes

Por Marco Faustino

Anteontem (24), publiquei uma matéria sobre a lenda dos túmulos que teriam se unido misteriosamente, em uma espécie de manifestação sobrenatural de amor, na cidade de São João do Triunfo, no Paraná. A matéria foi uma sugestão de uma inscrita chamada Julia Hortência, que posteriormente me agradeceu devido as pesquisas bem aprofundadas, que sempre tento fazer, e que se tornou uma marca registrada ao longo do tempo. Ela também agradeceu pelos créditos, que demos a ela devido a sua sugestão, no início da matéria, e acrescentou que não era fácil ver algo relacionado ao chamado "outro mundo" de uma forma mais séria atualmente, principalmente na TV. São esses pequenos gestos de carinho e reconhecimento, que sempre me motivaram ao longo do tempo. Meu principal objetivo não é necessariamente desmentir um caso, mas mostrar as possibilidades que o mesmo oferece e, havendo uma explicação perfeitamente plausível e racional, apontá-la e oferecê-la como a principal razão para a ocorrência de um determinado fenômeno. Quando isso não acontece, acabo fornecendo todo um conjunto probatório de evidências e situações, que podem indicar que um determinado caso não é bem aquilo, que é publicado pela mídia, principalmente em tabloides britânicos. O caso da lenda dos túmulos de São João do Triunfo não foi diferente, sendo que vale muito a pena vocês conferirem a matéria, visto que a mesma é uma espécie de convite a reflexão sobre a forma pela qual determinados assuntos acabam sendo transmitidos, principalmente de forma oral, ao longo do tempo (leia mais: Amor Além da Vida? O Mistério dos Túmulos que "Teriam se Unido" em um Cemitério da Cidade de São João do Triunfo/PR!).

Curiosamente, enquanto procurava informações adicionais sobre a lenda dos túmulos, acabei me deparando com um outro caso ocorrido recentemente, porém na cidade de Santo Antônio de Pádua, no Estado do Rio de Janeiro. Achei tão interessante, que resolvi pesquisar mais a fundo sobre o mesmo e, consequentemente, trazê-lo ao conhecimento de vocês. O caso é relativamente simples. Um morador teria ido até um cemitério de um distrito da cidade para gravar a situação caótica e o estado de abandono, em que o mesmo se encontrava. Porém, no fim do vídeo, surge uma suposta "criatura" de trás de um dos túmulos. O morador alegou, que não tinha visto a suposta e estranha "criatura" que, para alguns outros moradores, seria uma entidade fantasmagórica, no momento da realização da filmagem. Será mesmo? Vamos saber mais sobre esse assunto?

Um Pouco Sobre a Cidade de Santo Antônio de Pádua, no Estado do Rio de Janeiro


Ao contrário da matéria anterior, não irei me alongar muito para falar sobre a cidade de Santo Antônio de Pádua, porém sinto que é necessário repassar algumas informações para vocês. A cidade fluminense de Santo Antônio de Pádua está localizada a 260 km a nordeste da cidade do Rio de Janeiro, capital do estado. Segundo uma estimativa populacional realizada em 2013, o município teria pouco mais de 41 mil habitantes, e estaria subdividido nos distritos de Santo Antônio de Pádua (sede), Baltazar, Santa Cruz, Campelo, Marangatu, Monte Alegre, Paraoquena, São Pedro de Alcântara e Ibitiguaçu.



A cidade fluminense de Santo Antônio de Pádua está localizada a 260 km a nordeste da cidade do Rio de Janeiro, capital do estado. Segundo uma estimativa populacional realiza em 2013, o município teria pouco mais de 41 mil habitantes, e estaria subdividido nos distritos de Santo Antônio de Pádua (sede), Baltazar, Santa Cruz, Campelo, Marangatu, Monte Alegre, Paraoquena, São Pedro de Alcântara e Ibitiguaçu.
A cidade, predominantemente católica, é abastecida pelo Rio Pomba, que corta o município ao meio. É interessante ressaltar, que o Rio Pomba é um dos principais afluentes da margem esquerda do Rio Paraíba do Sul. Como era de se esperar, ainda mais considerando que estamos no Brasil, a cidade já sofreu muito com as enchentes, que costumavam alagar a maior parte dos bairros, invadindo casas, fábricas, escolas, hospitais, e deixando milhares de pessoas ilhadas.

A maior e mais catastrófica enchente teria acontecido em 2008, quando o Rio pomba subiu mais de 4,5 metros acima do leito normal, derrubando uma pequena ponte do bairro Cidade Nova, sendo que a força das águas também derrubou uma parte da chamada "Ponte de Ferro" (ou "passarela"), gerando um prejuízo de milhões de reais. A maioria dos bairros e o centro da cidade ficaram submersos.

A maior e mais catastrófica enchente teria acontecido em 2008, quando o Rio pomba subiu mais de 4,5 metros acima do leito normal, derrubando uma pequena ponte do bairro Cidade Nova, sendo que a força das águas também derrubou uma parte da chamada "Ponte de Ferro" (ou "passarela"), gerando um prejuízo de milhões de reais. A foto acima mostra a Igreja Matriz tomada pelas águas.
A Ponte Raul Veiga durante a enchente do rio Pomba, em 2008, sendo que o rio transbordou
e impediu a circulação de pessoas e veículos. A ponte é considerada um cartão postal da cidade.
Uma visão parcial de Santo Antônio de Pádua tomada pelas águas em dezembro de 2008
Após sucessivos transtornos, em junho de 2014, foram anunciadas obras de prevenção de enchentes, com derrocamento (retirada de pedras) e desassoreamento (basicamente a retirada de areia e lama), drenagem, e urbanização em um longo trecho do rio Pomba. De qualquer forma, é possível notar que, ano após ano, os moradores ainda vivem sob a constante ameaça de transbordamento do rio Pomba, principalmente durante o verão (a famigerada "época das chuvas" na maior parte do nosso Brasil), a exemplo de notícias publicadas em meados de dezembro de 2015, e no final do mês de janeiro de 2016.

Entretanto, curiosamente, a cidade de Santo Antônio de Pádua já figurou como sendo uma das 50 melhores cidades do Brasil, em um estudo chamado "As Melhores Cidades do Brasil", publicado em 2015. O estudo, que foi elaborado pela Revista "Isto É" e pela "Austin Rating", a principal agência de classificação de risco do Brasil, destacou Santo Antônio de Pádua como um dos municípios brasileiros onde se encontravam as melhores práticas de gestão.

Entretanto, curiosamente, a cidade de Santo Antônio de Pádua já figurou como sendo uma das 50 melhores cidades do Brasil, em um estudo chamado "As Melhores Cidades do Brasil", publicado em 2015
De acordo com os realizadores do estudo, a premiação era uma chancela e um selo de qualidade das boas administrações do país, porque teria sido concebido a partir de dados oficiais. De forma até então inédita, o levantamento utilizou mais de 500 indicadores, de diferentes fontes, para mapear onde estavam as melhores práticas de gestão no Brasil.

As cidades foram divididas em pequeno, médio e grande porte e uma série de indicativos agrupados em quatro pilares fundamentais: indicadores sociais, econômicos, fiscais e digitais. Ao todo, 5.565 municípios brasileiros foram avaliados e divididos em três categorias: pequeno porte, que são as cidades de até 50 mil habitantes (4.957 cidades ou 89,07% do total); médio porte, de 50.001 a 200 mil habitantes (8,54% do total) e, de grande porte, acima de 200.001 habitantes, que totalizaram 133 cidades (ou 2,39% do total). Desde então, aparentemente, a situação teria piorado.

A Notícia Sobre a Suposta e Estranha "Criatura" ou "Fantasma", que Foi Publicada Pelo Site "SF Notícias"


De acordo com o site "SF Notícias", o vídeo deveria ter servido apenas para mostrar a indignação de moradores em relação ao péssimo estado de conservação de um cemitério em Ibitiguaçu, o oitavo distrito de Santo Antônio de Pádua, mas o vídeo viralizou nas redes sociais por outro motivo: uma aparição de uma "figura misteriosa", um suposto "fantasma". O vídeo teria sido gravado por um homem chamado Eliseu Lugão, irmão de uma moradora do distrito, e enviado por ela a um jornalista chamado Carlos Cunha. No mesmo era possível ver o péssimo estado de conservação, em que o cemitério se encontrava: mato alto, sepulturas quebradas, ossadas expostas e um suposto "fantasma".

Ao SF Notícias, a moradora contou que a filmagem foi realizada por volta das 13h, do dia 16 de janeiro deste ano, data em que teria ocorrido o sepultamento de sua prima. A moradora disse através de mensagem, que nem ela, e nem mesmo o seu irmão, teriam percebido a "estranha criatura", ao menos foi essa a definição dada por ela em relação "aquilo", que aparece no vídeo. Confira o mesmo, que foi publicado no canal do SF Notícias, no YouTube:



A "aparição" ocorre aos 2m46s de vídeo, na parte em que Eliseu mostra uma região em que o mato foi cortado no dia do sepultamento, justamente para passagem do cortejo. Eliseu afirmou que em nenhum momento pausou ou cortou o vídeo.

A "aparição" ocorre aos 2m46s de vídeo, na parte em que Eliseu mostra uma região em que o mato foi cortado no dia do sepultamento, justamente para passagem do cortejo.


"Olha, eu passei o vídeo conforme foi gravado. Eu não tinha visto essa cena no final do vídeo. Eu fiquei tão indignada com a situação do matagal no cemitério. Não teria motivos para inventar algo de tão sério naquele vídeo. Até então, pra mim, era um vídeo comum. Confesso que estou assustada", afirmou a moradora, que preferiu não ser identificada.

Moradores locais estavam indignados com o péssimo estado de conservação de um cemitério em Ibitiguaçu

O péssimo estado de conservação em que o cemitério se encontrava:
mato alto, sepulturas quebradas, e ossadas expostas


"Em todos esses anos de luta social, já vi todos os tipos de situações, mas nunca imaginei que veria algo assim. Eu vi o vídeo várias vezes e de várias formas, e não encontro nenhuma explicação plausível. Uma coisa é clara, até os mortos estão protestando", disse Carlos Cunha.

É possível ver que o mato cresceu livremente no cemitério de Ibitiguaçu...

...e tomou conta de praticamente todo o cemitério.


Para muitos moradores de Pádua, que mandaram o vídeo para a redação do "SF Notícias", a "estranha criatura" não passava de uma "montagem", alguém coberto por um pano preto. Agora, será que estamos realmente diante de um suposto "fantasma" ou uma "estranha criatura"?

Um Olhar Mais Aprofundado do Vídeo que Foi Divulgado pelo Site "SF Notícias"! Teria Sido Apenas um Vídeo Viral com Propósito Social?


Geralmente, casos envolvendo fotos ou vídeos de supostos fantasmas possuem os mesmos discursos: ninguém viu absolutamente nada durante a filmagem ou passeio; o "fantasma" quase sempre é visto horas depois ao rever as fotos tiradas ou o vídeo gravado; ninguém sabe utilizar ferramentas de edição de imagens ou vídeo e, todos, absolutamente todos, sempre falam a verdade sobre o que aconteceu. Evidentemente, não podemos generalizar, porém muitas pessoas simplesmente mentem ou omitem informações cruciais sobre os casos que apresentam. Para tentar entender esse caso é necessário voltar no tempo e acessar o perfil de Carlos Cunha, no Facebook. Por questões de privacidade, não irei divulgar quaisquer endereços nesse sentido.

Carlos Cunha é um jornalista-cidadão e um crítico social de Santo Antônio de Pádua. Em seu perfil é possível ver uma série de postagens fazendo duras críticas a administração municipal, além de inúmeras fotos e vídeos mostrando o estado de ruas, a falta de coleta de lixo, de iluminação pública etc. Em uma determinada publicação, datada de 20 de janeiro deste ano, é possível ler, por exemplo, que a cidade estava enfrentando, ao menos segundo ele, a pior fase de sua história.

Em uma determinada publicação, datada de 20 de janeiro deste ano, é possível ler, por exemplo, que a cidade estava enfrentando, ao menos segundo ele, a pior fase de sua história.
Voltando um pouco no tempo, podemos ver que no dia 17 de janeiro, Carlos realizou uma postagem mostrando algo revoltante: ossos, matagal e completo estado de abandono do cemitério de Ibitiguaçu. Para ilustrar a situação, foram publicadas diversas imagens e um vídeo, justamente o vídeo gravado por Eliseu Lugão, e enviado pela moradora que, na verdade, seria irmã de Eliseu.

Posteriormente, Carlos fez questão de apontar, que aquele seria o vídeo original, ou seja, na íntegra.

Voltando um pouco no tempo, podemos ver que no dia 17 de janeiro, Carlos realizou uma postagem mostrando algo revoltante: ossos, matagal e completo estado de abandono do cemitério de Ibitiguaçu. Para ilustrar a situação, foram publicadas diversas imagens e um vídeo, justamente o vídeo gravado por Eliseu Lugão, e enviado pela moradora que, na verdade, seria irmã de Eliseu.
Posteriormente, Carlos fez questão de apontar, que aquele seria o vídeo original, ou seja, na íntegra.



Confira também o vídeo que foi publicado em um canal de terceiros, no YouTube:



No dia seguinte (18), Carlos publicou tão somente um pequeno trecho do vídeo, de apenas alguns segundos que, na verdade, era a parte final do vídeo. Carlos alegou que tinha visto o suposto "fantasma" tão somente no dia seguinte, e quem tinha gravado sequer tinha percebido.

Em uma longa discussão, uma moradora chamada Aline desconfiou do vídeo alegando que poderia ser montagem, sendo que o próprio Carlos não acreditava que fosse fantasma, mas tão somente uma pessoa de carne e osso. E, mesmo assim, ele chamou a "aparição" de inexplicável.

Em uma longa discussão, uma moradora chamada Aline desconfiou do vídeo alegando que poderia ser montagem, sendo que o próprio Carlos não acreditava que fosse fantasma, mas tão somente uma pessoa de carne e osso.
E, mesmo assim, ele chamou a "aparição" de inexplicável.
Quem também apareceu para comentar o assunto foi o Eliseu Lugão, alegando não sabia do que se tratava, que ele não tinha visto ninguém ou nada fora da normalidade durante a filmagem, e que jamais faria tal coisa para assustar a população, uma vez que faltaria com respeito com seus entes queridos, amigos, e alguns conhecidos que ali estavam sepultados.

Quem também apareceu para comentar o assunto foi o Eliseu Lugão, alegando não sabia do que se tratava, que ele não tinha visto ninguém ou nada fora da normalidade durante a filmagem, e que jamais faria tal coisa para assustar a população, uma vez que faltaria com respeito com seus entes queridos, amigos, e alguns conhecidos que ali estavam sepultados

No dia seguinte (19), Carlos comentou sobre um certo programa de rádio da cidade, que teria abordado a questão do cemitério de Ibitiguaçu, muito provavelmente porque a filmagem e as fotos tiveram uma grande repercussão na cidade. Ele ainda acrescentou, que o problema seria ainda maior: o total descaso em relação ao bairro Ibitiguaçu como um todo, porém principalmente do cemitério. Túmulos destruídos pela ação do tempo e matagal.

Segundo Carlos, essa situação abria margem para coisas que não eram comuns, como por exemplo ter um trabalhador braçal, que só servia pra abrir a capela mortuária, e não haver nenhuma capina ou roçagem, ou seja, literalmente não havia nenhuma manutenção. Porém, uma moradora chamada Daniela, prima de Eliseu, alegou através de comentário, que o cemitério já estava abandonado há anos, ou seja, a responsabilidade também se aplicava a administrações municipais anteriores.

No dia seguinte (19), Carlos comentou sobre um certo programa de rádio da cidade, que teria abordado a questão do cemitério de Ibitiguaçu, muito provavelmente porque a filmagem e as fotos tiveram uma grande repercussão na cidade.


No dia 22 de janeiro, Carlos publicou que eles tinham finalmente conseguido fazer a prefeitura começar a limpar o cemitério de Ibitiguaçu. Ele publicou uma foto, e posteriormente um vídeo mostrando que a limpeza estava sendo feita. Desde então, o assunto sobre o suposto "fantasma" ou "estranha criatura" aparentemente foi deixado de lado.

No dia 22 de janeiro, Carlos publicou que eles tinham finalmente conseguido fazer a prefeitura começar a limpar o cemitério de Ibitiguaçu. Ele publicou uma foto...

...e posteriormente um vídeo mostrando que a limpeza estava sendo feita. Desde então, o assunto sobre o suposto fantasma ou "estranha criatura" aparentemente foi deixado de lado.


Confira também o vídeo que foi publicado em um canal de terceiros, no YouTube:



Esse é um ponto interessante, porque a moradora chamada Aline, a que se mostrou mais ativa sobre a possibilidade da "aparição" ser ou não um "fantasma" ou uma "estranha criatura", questionou que, durante a nova filmagem, nada de estranho teria aparecido.

Em resposta, Eliseu disse que estava feliz em saber que o cemitério estava sendo cuidado, e que todos ali mereciam ao menos esse respeito, ou seja, que tivessem em um lugar digno de se passar a eternidade. Ele também disse que todos tinham que lutar por eles, e em tom de brincadeira, disse que, talvez, a limpeza tivesse varrido a "aparição" para longe.

Eliseu disse que estava feliz em saber que o cemitério estava sendo cuidado, e que todos ali mereciam ao menos esse respeito, ou seja, que estivessem em um lugar digno de se passar a eternidade. Ele também disse que todos tinham que lutar por eles, e em tom de brincadeira, disse que, talvez, a limpeza tivesse varrido a "aparição" para longe.

Aliás, Daniela, prima de Eliseu, também ficou feliz. Ela disse que "com fantasma ou sem fantasma o vídeo serviu para ver como o cemitério estava e foi limpo". Em resposta, Eliseu disse que "o vídeo tinha sido muito bom, uma resposta rápida do prefeito junto a prefeitura". Resumindo, o vídeo tinha servido a esse propósito, ou seja, chamar a atenção para o problema no cemitério de Ibitiguaçu.

Aliás, Daniela, prima de Eliseu, também ficou feliz. Ela disse que "com fantasma ou sem fantasma o vídeo serviu para ver como o cemitério estava e foi limpo". Em resposta, Eliseu disse que "o vídeo tinha sido muito bom, uma resposta rápida do prefeito junto a prefeitura"

Resumindo, o vídeo tinha servido a esse propósito, ou seja, chamar a atenção para o problema no cemitério de Ibitiguaçu.
Esses dois comentários foi publicados na única vez que Eliseu comentou sobre o vídeo, em seu perfil no Facebook, no dia 22 de janeiro, justamente quando foi realizada a limpeza do cemitério. Ele voltou a dizer que não sabia daquela "aparição estranha" mostrada no vídeo, e que só foi saber após três dias, quando o Carlos Cunha postou o vídeo em seu perfil no Facebook. Teria sido nesse momento, que Eliseu foi conferir o vídeo em seu celular, e que ainda o tinha em seu aparelho, exatamente como foi gravado.

Esses dois comentários foi publicados na única vez que Eliseu comentou sobre o vídeo, em seu perfil no Facebook, no dia 22 de janeiro, justamente quando foi realizada a limpeza do cemitério. Ele voltou a dizer que não sabia daquela "aparição estranha" mostrada no vídeo, e que só foi saber após três dias, quando o Carlos Cunha postou o vídeo em seu perfil no Facebook

Alguns detalhes, no entanto, apontam que o suposto "fantasma" ou a "estranha criatura" seja apenas uma pessoa utilizando uma máscara e vestida de preto, porém não seria uma pessoa tão aleatória assim. É bem possível, até mesmo, que seja alguém que estava na companhia de Eliseu (podendo ser o próprio Eliseu, sua irmã, algum amigo ou conhecido da família) no momento em que o vídeo foi gravado. Obviamente, não há como afirmar isso, mas existem certas considerações a serem feitas.

1. O Corte Grosseiro Feito no Vídeo em 2:34


Em entrevista ao "SF Notícias", Eliseu afirmou que em nenhum momento pausou ou cortou o vídeo, porém não é isso que vemos em 2 minutos e 34 segundos de vídeo. A filmagem é quase inteiramente um "plano sequência", ou seja, uma sequência inteira, sem cortes. Porém, quando o vídeo está prestes a terminar, existe um corte grotesco e, logo em seguida, vemos um cenário completamente diferente, porém dentro do cemitério. Qualquer pessoa, mesmo sem qualquer conhecimento de edição de vídeo nota isso claramente. Resumindo, o vídeo foi editado.

A filmagem é quase inteiramente um "plano sequência", ou seja, uma sequência inteira, sem cortes. Porém, quando o vídeo está prestes a terminar, existe um corte grotesco...

...e logo em seguida, vemos um cenário completamente diferente, porém dentro do cemitério. Qualquer pessoa, mesmo sem qualquer conhecimento de edição de vídeo nota isso claramente. Resumindo, o vídeo foi editado.


Além disso, ao contrário do restante do vídeo, a parte final é quase estática. O vídeo mostra um ponto muito específico do cemitério, praticamente esperando que algo acontecesse. Infelizmente, esse tipo de atitude é muito comum e bem característica em casos de vídeos falsos de supostos fantasmas ou criaturas estranhas.

2. O Som das Passadas em Meio ao Mato Alto: O "Fantasma" ou "Estranha Criatura" Anda Exatamente como uma Pessoa de Carne e Osso


Durante boa parte do vídeo podemos notar que o responsável pela filmagem anda em meio ao mato alto. Ao fazer isso, o celular capta perfeitamente, em alto e bom som, as passadas em meio ao mato. O mesmo acontece com o barulho do vento. O som das passadas no mato é bem específico, sendo que podemos ouvi-lo novamente nos últimos segundos do vídeo.

Durante boa parte do vídeo podemos notar que o responsável pela filmagem anda em meio ao mato alto. Ao fazer isso, o celular capta perfeitamente, em alto e bom som, as passadas em meio ao mato. O mesmo acontece com o barulho do vento

Quando o responsável pela filmagem se desloca na parte final, o som não é proveniente dos seus pés, visto que a grama logo abaixo está bem aparada. Se vocês repararem bem, o som vem justamente das passadas, um ritmo e caminhar perfeitamente bípede, da tal "criatura" ao fundo, ou seja, temos 99,99% (acrescidos de cem mil vezes o número 9 após a vírgula) da mesma ser uma pessoa de carne e osso.
Quando o responsável pela filmagem se desloca na parte final, o som que ouvimos não é proveniente dos seus pés, visto que a grama logo abaixo está bem aparada. Se vocês repararem bem, o som vem justamente das passadas, em um ritmo e um caminhar perfeitamente bípede, justamente da tal "criatura" ao fundo, ou seja, temos 99,99% (acrescidos de cem mil vezes o número 9 após a vírgula) da "criatura" ser uma pessoa de carne e osso. Considerando o som do mato e fato de estarmos em plena luz do dia, seria praticamente impossível que o responsável pela filmagem não tivesse notado isso. Assim sendo, muito provavelmente a ação foi premeditada.

Agora, por qual motivo alguém criaria todo esse mistério sobre um suposto "fantasma" ou "estranha criatura"? Bem, essa não é uma pergunta fácil de responder. Geralmente vídeos virais de supostos fantasmas tem objetivos financeiros, mas não acredito que seja esse o caso. Uma forte possibilidade é que o vídeo teria sido criado justamente para ser viralizado, compartilhado inúmeras vezes entre os moradores da cidade, de modo que chamasse atenção da população para a situação do cemitério de Ibitiguaçu. Se essa linha de pensamento estiver mesmo correta, o vídeo cumpriu perfeitamente seu propósito social, ou seja, estamos diante de uma espécie de "viral social do bem". Admitir isso, ao menos enquanto o cemitério estava em estado de abandono, poderia soar como um "tiro no próprio pé", visto que muitas pessoas poderiam interpretar isso como uma "brincadeira de mau gosto" e não atender o apelo para que administração social tivesse mais zelo pelo cemitério de Ibitiguaçu.

Enfim, sinceramente, não vejo nenhuma espécie de dolo em toda essa história, visto que o vídeo aparentemente cumpriu o seu papel, ou seja, resolveu um problema do distrito de Ibitiguaçu. Apesar de ser particularmente contra todo e qualquer tipo de mentira, se "fantasmas" ou "estranhas criaturas" realmente ajudarem a propagar o descaso de administrações municipais pelo Brasil, e efetivamente acordarem as autoridades públicas para que resolvam os problemas da população, então, que assim seja.

Até a próxima, AssombradOs!

Criação/Adaptação: Marco Faustino

Fontes:
http://www.sfnoticias.com.br/figura-misteriosa-em-video-de-cemiterio-intriga-moradores-de-padua
https://pt.wikipedia.org/wiki/Santo_Ant%C3%B4nio_de_P%C3%A1dua_(Rio_de_Janeiro)
Comentários