22 de dezembro de 2017

O Museu Assombrado de Zak Bagans! Um Local Sombrio com Mais de 100 Objetos Amaldiçoados em Las Vegas, nos Estados Unidos!


Por Marco Faustino
Email para contato: marcofaustino@gmx.de

Sem dúvida alguma, o museu mais interessante e emblemático, no qual já realizei uma matéria até hoje foi o Museu Islandês da Feitiçaria e Bruxaria que, na verdade, é uma pequena e modesta casa na cidade de Hólmavík, em Westfjords (Fiordes Ocidentais), na Islândia, que possui exposições completamente macabras da feitiçaria do século XVII na região. Existe uma calça que muitos acreditam até hoje, que seja feita de pele humana, e que dizem dar riqueza ilimitada para quem a veste; inscrições simbólicas e mágicas chamadas de "staves", que muitos acreditam que ofereçam poderes que vão desde a capacidade de ver fantasmas ou fazer alguém se apaixonar por você; e estranhas criaturas de duas cabeças, que nascem para roubar o leite de vacas ou cabras. Embora toda essa estranheza arcana pudesse ser vista como sendo tão somente uma coleção extravagante de esquisitices, tanto para o curador do Museu Islandês de Feitiçaria e Bruxaria, como para a cidade de Hólmavík, as exposições atuam como importantes recordações de época sombria na história local. Sinceramente, aquela foi uma matéria completamente fascinante, que adorei fazer para vocês, e que com certeza vale muito a pena que vocês acompanhem do começo ao fim. É impossível não ficar com vontade de conhecer o museu e seu curador, um simpático senhor chamado Sigurður "Siggi" Atlason, além de provar alguns quitutes feitos em um restaurante bem próximo ao museu (leia mais: Conheça o Museu Islandês da Feitiçaria e Bruxaria! Desde Fórmulas para Criar Zumbis e Ver Fantasmas até a Chamada "Calça do Morto"!).

Agora, resolvi comentar sobre um museu inaugurado no último trimestre deste ano, e que quase passou desapercebido por mim: O "Zak Bagans' Haunted Museum" ("Museu Assombrado de Zak Bagans", em português), que começou suas atividades no dia 3 de outubro, e que promete aos seus visitantes uma experiência única em meio a mais de 100 objetos supostamente amaldiçoados ou possuídos em seu acervo. Zak Bagans, o proprietário do museu, é um investigador paranormal bem conhecido nos Estados Unidos, principalmente por ser o principal apresentador de uma série chamada "Ghost Adventures", no canal de TV por assinatura "Travel Channel". Zak costuma alegar que sua paixão em investigar o paranormal resultou daquilo que ele descreve como "um encontro cara a cara com um espírito de uma mulher que tirou a própria vida", em seu antigo apartamento na cidade de Trenton, no estado norte-americano do Michigan. Aliás, seus métodos de investigação sempre causaram muita polêmica. De qualquer forma, Zak abriu seu museu e, apesar ser proibido realizar filmagens ou tirar fotos no interior do mesmo, alguns veículos de imprensa norte-americanos foram conferir de perto o que o museu tem para oferecer, antes de sua inauguração, e a convite do seu próprio fundador. Entre os objetos supostamente amaldiçoados está a famosa "Caixa Dibbuk", uma boneca chamada "Peggy" e até mesmo a escadaria da "Casa do Demônio" do estado norte-americano de Indiana, onde acreditava-se, que debaixo da mesma havia uma espécie de portal para o Inferno! Vamos saber mais sobre esse assunto?

Conheça o "Museu AssombradO de Zak Bagans": O Lar da "Caixa Dibbuk" e de Dezenas de Outros Objetos Supostamente Amaldiçoados!


De acordo com o site oficial do "Zak Bagans' Haunted Museum", Zak Bagans desenvolveu um profundo interesse no chamado mundo paranormal, quando ele tinha apenas 10 anos, enquanto percorria vendas de garagem na vizinhança, juntamente com sua mãe, em busca de coleções estranhas e assustadoras. Seu fascínio pelo incomum teria evoluído para uma busca ao longo de sua vida por respostas para a vida após a morte, e não meramente o estudo da energia ligada à terra, mas anos de "pesquisa baseada em ciência" usando inúmeros equipamentos especialmente projetados para medir flutuações no ambiente, mais especificamente, para se comunicar com os mortos.

Atualmente, Zak Bagans, que foi citado como um "pioneiro" do mundo paranormal, estaria dando a todos uma chance única de experimentar toda uma "sensação de gelar a espinha" em relação ao mundo espiritual ao abrir seu próprio museu no centro da cidade norte-americana de Las Vegas. A propriedade com aproximadamente 1.000 m² teria sido construída em 1938, e originalmente pertenceu a um homem chamado Cyril S. Wengert, um proeminente empresário da cidade. Ao longo dos anos, houve rumores que espíritos hostis percorriam os corredores aterrorizando os ocupantes anteriores, membros da família que moravam na casa, cuja energia permaneceria até hoje. Alguns moradores de Las Vegas até mesmo alegam que rituais obscuros teriam sido realizados no porão da casa, durante a década de 1970.



Atualmente, Zak Bagans, que foi citado como um "pioneiro" do mundo paranormal, estaria dando a todos uma chance única de experimentar toda uma "sensação de gelar a espinha" em relação ao mundo espiritual ao abrir seu próprio museu no centro da cidade norte-americana de Las Vegas
A propriedade com aproximadamente 1.000 m² teria sido construída em 1938, e originalmente pertenceu a um homem chamado Cyril S. Wengert, um proeminente empresário da cidade.
Os entusiastas do mundo paranormal, que visitarem o "Zak Bagans' Haunted Museum" irão se aventurar por corredores assustadores e passagens secretas em mais de 30 cômodos, que rivalizam com cenas de filmes de terror de Hollywood, preparando o cenário para situações assustadoras sobre cada item considerado amaldiçoado, assim como a "Caixa Dibbuk", conhecido como o objeto mais assombrado do mundo.

O antigo e pequeno gabinete para guardar vinho inspirou o filme "The Possession" ("Possessão", título no Brasil), lançado em 2012, e conta-se que o mesmo abriga um espírito malicioso. Pouco tempo após a chegada do item ao museu, misteriosos buracos começaram a aparecer nas paredes ao redor do artefato, como se algo estivesse tentando sair da exposição. Um executivo de marketing de Las Vegas e Zak Bagans teriam testemunhado uma figura coberta de preto passando pela porta fechada da exposição durante um passeio particular. Isso também teria sido visto por diversos convidados e funcionários do museu.

Foto mostrando a entrada do Museu AssombradO de Zak Bagans devidamente decorada com motivos natalinos
Foto mostrando uma espécie de gárgula bem próxima da entrada do museu
Entre as centenas de objetos considerados sombrios ou amaldiçoados, os visitantes do museu podem dar uma olhada no interior da kombi 1968 da VW, em que o Dr. Jack Kevorkian acabou com o sofrimento de pacientes em estado terminal, além de olhar de perto a chamada "cadeira Propofol" retirada do leito de morte de Michael Jackson, onde o Dr. Conrad Murray se sentava para monitorar as doses de Propofol, que eram aplicadas no maior ídolo pop de todos os tempos.

Confiram também um pequeno passeio que o jornalista Jeff Maher da emissora norte-americana CW fez juntamente com Jeff Bagans no interior do museu, no fim do mês de setembro, e que foi publicado em seu próprio canal no YouTube (em inglês):



Além disso, confiram também esse outro vídeo, mas dessa vez com pouco menos de um minuto, onde mostra rapidamente um pouco do interior do museu, que foi publicado pelo canal Vegas Seven, no YouTube (em inglês):



É interessante destacar nesse ponto, que a kombi do Dr. Jack Kevorkian foi adquirida por Zak Bagans por cerca de US$ 32.500 (aproximadamente R$ 107 mil), em 2015, de uma loja de penhores chamada "American Jewelry and Loan", na cidade de Detroit. Acredita-se que cerca de 130 pessoas tenham sido eutanasiadas pelo médico no interior dessa kombi.

Aviso mencionando que o museu é conhecido por conter fantasmas/espíritos e objetos amaldiçoados, ou seja, ao entrar no mesmo a pessoa está ciente que a administração do mesmo não será responsabilizada por quais ações dessas forças invisíveis.
A kombi do Dr. Jack Kevorkian foi adquirida por Zak Bagans por cerca de US$ 32.500 (aproximadamente R$ 107 mil), em 2015, de uma loja de penhores chamada "American Jewelry and Loan", na cidade de Detroit. Acredita-se que cerca de 130 pessoas tenham sido eutanasiadas pelo médico no interior dessa kombi.
Também é possível olhar de perto a chamada "cadeira Propofol" retirada do leito de morte de Michael Jackson (na foto), onde o Dr. Conrad Murray se sentava para monitorar as doses de Propofol, que eram aplicadas no maior ídolo pop de todos os tempos.
Talvez o item mais perturbador seja a escada original da "Demon House" ("A Casa do Demônio", em português) do estado norte-americano de Indiana, notória por uma suposta e poderosa atividade paranormal antes de ser demolida em 2014. Os corrimãos de madeira e os degraus que rangiam, atualmente ficam em um canto mal iluminado. Após a sua instalação, um grupo de operários teria abandonado o restante do serviço e recusou-se a voltar novamente ao museu. Aliás, seria embaixo dessa escada, localizada no porão da antiga casa em Indiana, que se acreditava haver uma espécie de "portal para o Inferno".

Seria exatamente por coisas assim, que os visitantes precisam assinar um papel dizendo que eles entendem os riscos antes de entrarem no museu. Crianças menores de 16 anos não são permitidas, sendo que adolescentes de 16 ou 17 anos precisam estar acompanhados de um adulto.

Talvez o item mais perturbador seja a escada original da "Demon House" ("A Casa do Demônio", em português) do estado norte-americano de Indiana, notória por uma suposta e poderosa atividade paranormal antes de ser demolida em 2014.
Aliás, seria embaixo dessa escada, localizada no porão da antiga casa em Indiana (na foto),
que se acreditava haver uma espécie de "portal para o Inferno".
Na seção de perguntas frequentes, é possível encontrar informações interessantes sobre o museu. É mencionado, por exemplo, que Zak Bagans adora surpreender seus fãs ao visitar sua própria coleção de objetos assombrados, e que, apesar de ele passar muito tempo no local, não é possível dizer o dia e nem o horário que ele comparece ao museu. Os passeios duram cerca de 1h30 (geralmente esse é o padrão para esse tipo de passeio), sendo que guias especialmente treinados acompanham os visitantes através de mais de 30 quartos detalhando a história de cada exibição. Infelizmente, a administração do museu não permite que as pessoas tirem fotos ou gravem áudio durante os passeios, sob a alegação de que eles querem que todos tenham a melhor experiência possível.

O museu abre todos os dias, exceto aos domingos, e nos dias 24, 25 e 31 de dezembro, das 13h até às 21h, sendo que os ingressos, no valor de US$ 34 (aproximadamente R$ 110 pela cotação atual) podem ser adquiridos tanto na portaria, quanto pela internet. O site do museu também conta com uma loja virtual, que vende diversos itens, porém nada assombrados, tais como: fotos autografadas, livros autografados, camisetas, moletons, bonés, mochilas, entre outros souvenirs.

O museu abre todos os dias, exceto aos domingos, e nos dias 24, 25 e 31 de dezembro, das 13h até às 21h, sendo que os ingressos, no valor de US$ 34 (aproximadamente R$ 110 pela cotação atual) podem ser adquiridos tanto na portaria, quanto pela internet
Foto de uma parte da iluminação da parte externa do museu durante a noite
Algumas partes do museu foram decoradas com as cores referentes ao Natal neste fim de ano.
Na foto é possível ver dezenas de itens devidamente guardados em suas prateleiras.
Entretanto, vale a pena visitar esse museu? Para tentar responder a essa pergunta, fui atrás de jornalistas e equipes de reportagem, que visitaram o museu com o objetivo de contar aos seus leitores a experiência que tiveram no local. É justamente isso, que vocês conferem a partir de agora.

Vale a pena Visitar o "Museu Assombrado de Zak Bagans" em Las Vegas, nos Estados Unidos?


Responder a essa pergunta pode ser um tanto quanto pessoal, mas acho importante mostrar a vocês a opinião da mídia e de pessoas comuns sobre o museu. Isso é importante para mostrar uma visão mais ampla do que você teria ao ser movido apenas pela curiosidade ou por gostar do tema sobrenatural.

Bem, no dia 11 de setembro, algumas semanas antes da inauguração do museu, o jornalista John Przybys, do jornal "Las Vegas Review-Journal", que por sua vez é um dos maiores veículos de comunicação de Las Vegas, visitou o local e entrevistou Zak Bagans. Inicialmente, seu artigo dizia que havia três dicas muito simples ao visitar o museu: respeite os artefatos, respeite os espíritos, e se Zak Bagans lhe pedisse para abrir uma porta, você deveria pensar duas vezes.

No dia 13 de setembro, algumas semanas antes da inauguração do museu, o jornalista John Przybys, do jornal "Las Vegas Review-Journal", que por sua vez é um dos maiores veículos de comunicação de Las Vegas, visitou o local e entrevistou Zak Bagans (na foto).
Inicialmente, seu artigo dizia que havia três dicas muito simples ao visitar o museu: respeite os artefatos, respeite os espíritos, e se Zak Bagans lhe pedisse para abrir uma porta, você deveria pensar duas vezes.
As duas primeiras dicas eram referentes aos artefatos, raridades e curiosidades da extensa coleção de Zak Bagans, que estão alojados no museu. Muitos deles, segundo Bagans, carregam energia mística - eles são, por falta de uma palavra melhor, assombrados - e as entidades espirituais com as quais estão associadas podem reagir quando as pessoas as veem.

E a última dica? Isso seria mais sobre o prazer de Zak Bagans em compartilhar sua coleção com os convidados, e ver o que os mais medrosos farão quando confrontados com, digamos, um manequim de palhaço retro, que de repente aparece do nada. Conforme dissemos anteriormente, Zak Bagans é conhecido por apresentar a série "Ghost Adventures" do Travel Channel, na qual ele e sua equipe investigam o mundo paranormal.

As duas primeiras dicas eram referentes aos artefatos, raridades e curiosidades da extensa coleção de Zak Bagans, que estão alojados no museu. Muitos deles, segundo Bagans, carregam energia mística - eles são, por falta de uma palavra melhor, assombrados - e as entidades espirituais com as quais estão associadas podem reagir quando as pessoas as veem.
E a última dica? Isso seria mais sobre o prazer de Zak Bagans em compartilhar sua coleção com os convidados, e ver o que os mais medrosos farão quando confrontados com, digamos, um manequim de palhaço retro, que de repente aparece do nada
Conforme dissemos anteriormente, Zak Bagans é conhecido por apresentar a série "Ghost Adventures" do Travel Channel, na qual ele e sua equipe investigam o mundo paranormal.
Nos últimos anos, ele trabalhou em seu mais recente projeto: "O Museu Assombrado", que tinha a previsão de ser inaugurado no dia 2 de outubro, sendo que a essa data acabou sendo adiada em apenas um dia (daqui a pouco iremos explicar sobre isso), onde os aficionados pelo mundo paranormal poderiam ver sua extensa coleção de objetos bizarros, macabros e assombrados.

Zak Bagans, 40 anos, mudou-se para Las Vegas em 1995, vindo de Detroit, onde frequentou a escola de cinema. Porém, desde que ele era criança, ele vinha colecionando objetos e antiguidades com "procedências assombradas", imaginando que, embora não pudesse viajar no tempo para conhecer as histórias dos mesmos, ele poderia ao menos "se comunicar com espíritos ... e possuir seus bens".

Nos últimos anos, ele trabalhou em seu mais recente projeto: "O Museu AssombradO", que tinha a previsão de ser inaugurado no dia 2 de outubro, sendo que a essa data acabou sendo adiada em apenas um dia (daqui a pouco iremos explicar sobre isso, onde os aficcionados pelo mundo paranormal poderiam ver sua extensa coleção de objetos bizarros, macabros e assombrados
Zak Bagans, 40 anos, mudou-se para Las Vegas em 1995, vindo de Detroit, onde frequentou a escola de cinema. Porém, desde que ele era criança, ele vinha colecionando objetos e antiguidades com "procedências assombradas"...
...imaginando que, embora não pudesse viajar no tempo para conhecer as histórias dos mesmos, ele poderia pelo menos "se comunicar com espíritos ... e possuir seus bens".
"Os objetos - bonecos, livros, utensílios, ou seja, praticamente qualquer coisa - atuam como esponjas que podem absorver a energia e as emoções das pessoas ao seu redor. Essas emoções são absorvidas por esses objetos, e às vezes um espírito se anexa a esses objetos", disse Zak.

Zak Bagans não garantia, que as pessoas teriam encontros espirituais ao visitar o museu, mas disse que as pessoas que estiveram dentro do mesmo relataram ouvir vozes estranhas, disseram ter visto aparições e, além disso, teriam tido reações físicas, incluindo paralisia temporária de um braço e marcas de arranhões na pele.

"Toda a experiência para as pessoas, que entram aqui, trata-se de mistério, é sobre a emoção de saber se você terá ou não uma experiência com algo sobrenatural", continuou.

Zak Bagans não garantia, que as pessoas teriam encontros espirituais ao visitar o museu, mas disse que as pessoas que estiveram dentro do mesmo relataram ouvir vozes estranhas, disseram ter visto aparições e, além disso, teriam tido reações físicas, incluindo paralisia temporária de um braço e marcas de arranhões na pele.
"Toda a experiência para as pessoas, que entram aqui, trata-se de mistério, é sobre a emoção de saber se você terá ou não uma experiência com algo sobrenatural", disse Zak Bagans
Ele acumulou sua coleção de objetos ao longo de décadas através de leilões, dicas de fãs do programa, e potenciais vendedores que sabem do que ele gosta. A casa onde está localizado o museu tinha sua própria história sobrenatural. A mansão de 30 quartos teria sido construída em 1938, pelo banqueiro e empresário Cyril Wengert. Experiências sobrenaturais foram associadas à propriedade, e Zak Bagans teria entrevistado uma moradora local, que se lembra de entrar na casa vazia, quando era adolescente, e encontrar provas de rituais obscuros no porão.

"A coisa realmente estranha é que eu estive procurando por um lugar histórico e assombrado em Las Vegas por oito anos, e nunca tive sorte em encontrar algo", disse Zak Bagans. Ele comprou a mansão em 2015, e converteu seus quartos em espaços de exibição - ou, como ele próprio gosta de chamar, "habitats" - para seus tesouros. Por exemplo, um quarto em clima de "saloon" está a Bíblia de Wyatt Earp e uma cadeira de balanço reservada para o ícone do Velho Oeste, caso o mesmo queira descansar.

"A coisa realmente estranha é que eu estive procurando um lugar histórico e assombrado em Las Vegas por oito anos, e nunca tive sorte em encontrar algo", disse Zak Bagans. Ele comprou a mansão em 2015, e converteu seus quartos em espaços de exibição - ou, como ele próprio gostava de chamar, "habitats" - para seus tesouros.
"Você deve fazer com que ele saiba, que ele pode vir e sentar-se em sua cadeira de balanço. Você tem que deixá-lo saber. Isto aqui é um lar, ele pode vir até aqui. Então, se você acredita ou não, o espírito espírito está aqui, não me importo, simplesmente sei", continuou.

Segundo John Przybys, no museu havia um quarto semelhante a uma sala de velório com janelas de vitrais pintadas à mão do século XIX, e um quarto que possuía um teatro de fantoches povoado de bonecas assustadoras, que certamente pareciam assombradas, mesmo que não fossem.

Segundo John Przybys, no museu havia um quarto semelhante
a uma sala de velório com janelas de vitrais pintadas à mão do século XIX...
...e um quarto que possuía um teatro de fantoches povoado de bonecas assustadoras,
que certamente pareciam assombradas, mesmo que não fossem
Zak Bagans gosta particularmente de bonecas macabras, e em um outro quarto existe um exemplo extremo do gênero: "Peggy", que, segundo ele, causou ataques cardíacos em algumas pessoas que a examinaram.

"Alguns desses objetos são amaldiçoados. Houve pessoas que tiveram interações físicas graves com os espíritos", disse Zak Bagans.

Zak Bagans gosta particularmente de bonecas macabras, e em um outro quarto existe um exemplo extremo do gênero: "Peggy", que, segundo ele, causou ataques cardíacos em algumas pessoas que a examinaram.
Mais algumas bonecas que pertencem ao acervo de Zak Bagans em seu mais recente museu
Durante a construção do Museu Assombrado, dois trabalhadores, que estavam pintando um quarto simplesmente teriam "corrido pelos corredores, ido em direção ao estacionamento e foram embora", enquanto outros trabalhadores relataram, que sentiam como se a "vida deles estivesse sendo sugada, além de suas atitudes e personalidades terem começado a mudar".

"Esta experiência não é sobre forçar você a ver um fantasma ou fingir qualquer coisa. A questão é se os espíritos e as energias que estão aqui, querem entrar em contato ou não com você", continuou.

Entre os itens exibidos estão as pinturas feitas pelo assassino em série John Wayne Gacy, artefatos que já foram propriedade de Charles Manson e Richard Ramirez, além de um caldeirão e itens pertencentes ao notório assassino Ed Gein, a inspiração para obras de ficção como "O Massacre da Serra Elétrica" e "O Silêncio dos Inocentes". Até mesmo os mais céticos ficarão fascinados com as coleções menos ameaçadoras, porém igualmente interessantes, de Zak Bagans. Por exemplo, existe uma miniatura detalhada de um circo de 1945 com figuras que se movem, giram e são iluminadas. O próprio Zak Bagans saúda os visitantes na forma de uma máquina de adivinhação, descrevendo o museu como "um albergue para a vida após a morte".

Entre os itens exibidos estão as pinturas feitas pelo assassino em série John Wayne Gacy, artefatos que já foram propriedade de Charles Manson e Richard Ramirez, além de um caldeirão e itens pertencentes ao notório assassino Ed Gein, a inspiração para obras de ficção como "O Massacre da Serra Elétrica" e "O Silêncio dos Inocentes"
Frascos de comprimidos encontrados na cena da morte de Truman Capote,
em exibição no Museu Assombrado de Zak Bagans
Os visitantes devem assinar alguns papéis antes de entrar no museu e antes de entrarem em um quarto contendo a "Caixa Dibbuk". Zak Bagans também pede um consentimento verbal adicional dos visitantes, de que eles entendem os riscos imprevisíveis.

"Cada quarto tem sua própria vibração, sua própria atmosfera. Alguns quartos você se sentirá confortável, já em outros você ficará aterrorizado", completou.

Os visitantes devem assinar alguns papéis antes de entrar no museu e antes de entrarem em um quarto contendo a "Caixa Dibbuk". Zak Bagans também pede um consentimento verbal adicional dos visitantes, de que eles entendem os riscos imprevisíveis.
Zak Bagans mostrando alguns objetos adquiridos do espólio do ator Patrick Swayze
Zak Bagans esperava que a experiência do museu induzisse os visitantes a fazer perguntas sobre o que eles acreditam, e disse que a própria história da coleção indicava, que pelo menos alguns dos visitantes descobrirão um sexto sentido dentro de si mesmos. E, é claro, Zak Bagans esperava que os mesmos simplesmente gostassem da experiência de outro mundo.

A inauguração do museu, no entanto, teve um contratempo bem complicado para se lidar. Isso porque na noite anterior a inauguração do mesmo, ou seja, na noite do dia 1º de outubro, um atirador abriu fogo contra uma multidão que havia comparecido a um festival de música na Las Vegas Strip, que é um trecho de South Las Vegas Boulevard, mais conhecido por sua concentração de hotéis e cassinos. Cerca de 58 pessoas morreram e mais de 540 pessoas ficaram feridas. Devido a esse incidente, o museu abriu somente no dia 3 outubro, um dia após o que estava programado, sendo que Zak Bagans conduziu uma vigília em homenagem a vítimas do atentado na noite daquele mesmo dia.

A inauguração do museu, no entanto, teve um contratempo bem complicado para se lidar. Isso porque na noite anterior a inauguração do mesmo, ou seja, na noite do dia 1º de outubro, um atirador abriu fogo contra uma multidão que havia comparecido a um festival de música na Las Vegas Strip, que é um trecho de South Las Vegas Boulevard, mais conhecido por sua concentração de hotéis e cassinos.
Devido a esse incidente, o museu abriu somente no dia 3 outubro, um dia após o que estava programado.
Cerca de 250 velas foram doadas por uma loja local para que Zak Bagans pudesse realizar uma vigília
na mesma noite em que seu museu foi inaugurado
Zak Bagans conduziu uma vigília em homenagem a vítimas do atentado na noite daquele mesmo dia
em frente ao seu museu
Quem também resolveu visitar o museu e escrever um artigo sobre o mesmo foi a jornalista C. Moon Reed, do jornal "Las Vegas Weekly". Em seu artigo publicado no dia 26 de outubro, ou seja, algumas semanas após a inauguração do museu, ela disse que, por ser uma jornalista, ela era uma profissional cética. Ela não acreditava em fantasmas, espíritos, vibrações, energias oriundas de cristais, objetos amaldiçoados, entre outras coisas relacionadas ao mundo paranormal. Reed disse que havia se encontrado com Zak Bagans em tarde ensolarada de setembro, quando o mesmo a proporcionou um passeio exclusivo pelo museu.

Segundo Reed, o Museu Assombrado não é uma casa assombrada. Nenhum ator mascarado fica escondido com o objetivo de assustar alguém. É algo muito mais assustador do que isso, porque é real. Nem mesmo é um compêndio de monstros fantasiosos, mas uma coleção de artefatos que revelam as profundezas da depravação da humanidade. A questão se as pessoas sentem algo estranho ou não, quando visitam o museu seria algo irrelevante, visto que se fixar nessa questão prejudicaria os objetos surpreendentes que estão diante dos olhos dos visitantes. Reed disse que ficou completamente assustada ao final do passeio. Em sua visão, o museu era uma peça de arte sombria, cuidadosamente construída, e sem nenhum centavo desperdiçado.

Segundo Reed, o Museu Assombrado não é uma casa assombrada. Nenhum ator mascarado fica escondido com o objetivo de assustar alguém. É algo muito mais assustador do que isso, porque é real. Nem mesmo é um compêndio de monstros fantasiosos, mas uma coleção de artefatos que revelam as profundezas da depravação da humanidade.
No final do seu artigo, é possível ter uma noção de como vale a pena visitar o museu. Eis, o que ela escreveu:
"O Museu Assombrado de Zak Bagans é uma atração verdadeiramente surpreendente, real e autêntica, peculiar e única para Las Vegas. Enquanto outras atrações atendem aos desejos humanos de prazer, sabor ou possuem um apelo sexual, este museu apela a uma necessidade humana mais profunda - a necessidade de se aventurar no escuro, olhar a morte nos olhos e sair do outro lado, para encontrar um dia ensolarado e apreciar novamente a vida"
Em uma crônica publicada por Anna Hider, no site "Road Trippers", no mês de outubro, também é possível ver como todos acabam se rendendo a coleção de objetos de Zak Bagans. Em seu texto Anna disse, que seja qual for o seu sentimento sobre Zak Bagans (ou sobre "fantasmas" em geral), não havia como negar que sua coleção de objetos era impressionante. Muitas coisas presentes no museu não eram necessariamente assombradas ou consideradas "murderbilia", um termo em inglês para identificar coleções relacionadas a assassinos e seus respectivos crimes, visto que a maioria era simplesmente estranho e assustador.

Reed disse que ficou completamente assustada ao final do passeio. Em sua visão, o museu era uma peça de arte sombria, cuidadosamente construída, e sem nenhum centavo desperdiçado.
No site "Yelp", uma rede social baseada em avaliações de negócios locais (os participantes do serviço compartilham informações sobre lugares por onde passaram, escrevendo breves críticas positivas ou negativas, e relatam suas respectivas experiências com restaurantes, hotéis, bares, praças, eventos e tudo o que envolva viagens e entretenimento), também é possível notar claramente que as mais de 140 resenhas publicadas sobre o museu são muito positivas (130 resenhas possuem três ou mais estrelas, sendo que 95 possuem cinco estrelas). Portanto, considero que será muito difícil alguém ficar decepcionado ao visitar o museu, e com certeza esse seria um lugar que eu visitaria caso fosse viajar para Las Vegas.

Entretanto, é importante destacar que temos elementos muito vagos em relação a história relacionada a esse museu e sua construção. Temos elementos bem típicos de histórias fantasiosas sobre locais supostamente assombrados. Um desses elementos é a história que operários saíram correndo durante as obras do museu. Quem eram os tais operários? Qual o nome da empresa que foi contratada? Por que não temos entrevistas com essas pessoas? Aliás, quem é a tal moradora local, que teria invadido uma propriedade particular, quando era adolescente e encontrado resquícios de rituais obscuros? Existe alguma prova fotográfica? Quais eram esses rituais? Para qual finalidade os mesmos eram destinados? Quem eram os antigos moradores? Qual o verdadeiro histórico da mansão? Entendem onde quero chegar? Não estou dizendo, que a história seja uma farsa, mas infelizmente existe uma forte possibilidade, que tudo tenha sido inventado para atrair a atenção do público. Informações que não são passíveis de serem verificadas de forma independente e isenta não devem ser consideradas como fatos ou verdades sobre quaisquer temas.

Tudo isso igualmente se aplica aos objetos supostamente amaldiçoados no interior do museu, visto que, se realmente for feita uma pesquisa séria e comprometida com a verdade sobre cada um dos objetos, com certeza serão descobertas informações cruciais, que denotem que os mesmos possam não ser tão "amaldiçoados" assim. Por outro lado, conforme disse anteriormente, vale muito a pena visitar esse museu e pagar os US$ 34 por um passeio de uma hora e meia. Com certeza deve ser uma experiência única, uma vez que o museu, sabiamente, agrega objetos em um contexto paranormal e centenas de outros, que estão tão somente em um contexto de terror ou então que fizeram parte do histórico sombrio de pessoas, que ficaram marcadas devido as suas mortes, ações ou crimes que cometeram. É um museu para os mais diversos gostos, e que tem a capacidade de agradar praticamente a todos, independentemente de acreditarem ou não no mundo paranormal.

Até a próxima, AssombradOs!

Pesquisa/Criação/Tradução/Adaptação: Marco Faustino

Fontes:
http://ihorror.com/zak-bagans-touches-real-annabelle-doll-people-freak-out/
http://paranormalinvestigating.com/zak-bagans-responds-annabelle-criticism/
https://lasvegasweekly.com/news/2017/oct/26/exploring-las-vegas-scariest-new-attraction/
https://roadtrippers.com/chronicles/zak-bagans-haunted-museum/
https://twitter.com/hauntedmuseum?lang=en
https://www.ktnv.com/positivelylv/zak-bagans-says-his-haunted-museum-will-help-preserve-the-history-of-las-vegas
https://www.paranormalpapers.com/paranormal-news/zak-bagans-haunted-museum-opens-door-to-journalists-and-to-the-dark-side-of-human-nature/
https://www.reviewjournal.com/entertainment/zak-bagans-haunted-museum-presents-creepy-collection-in-october/
https://www.vegas.com/attractions/off-the-strip/zak-bagans-haunted-museum/
https://www.yelp.com/biz/zak-bagans-the-haunted-museum-las-vegas
Comentários