10 de dezembro de 2017

O Caso Amicizia (Amizade)

Inscreva-se no canal clicando no botão abaixo:
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes

Um dos casos de contato e interação entre humanos e extraterrestres mais importantes e documentados, o Caso Amicizia (Amizade) foi vivenciado por dezenas de pessoas na Itália que fizeram registros em vídeos e foto dos OVNIs e até dos extraterrestres, chamados por eles de W56!

Fala Assombrados! A alguns anos atrás eu e Ana assistimos um DVD que tenho da revista UFO chamado "Estabelecendo Contato", que conta uma extraordinária experiência acontecida na Itália nos anos 50 e 60. No DVD são mostradas fotos e vídeos de OVNIs e até a gravação com a voz de um ET. Achamos fantástica essa história que nunca tínhamos ouvido falar. Eis que eu essa semana perguntei para a Ana um tema para eu fazer especial, que teria de ser de ufologia, pois quero mostrar a camiseta "Alien Vitruviano" e ela lembrou do caso. Eu já estava querendo falar dele faz um tempo, então cá está, um especial sobre esse controverso caso, o caso Amizade.

Antes de começar conheça a nova camiseta e caneca disponíveis na Loja Assombrada: Alien Vitruviano! Clique para comprar a camiseta ou a caneca.




O Homem que Trouxe o Caso ao Mundo

Até 2007 não se tinha ouvido falar desse caso, hoje conhecido como Caso Amicizia ou W56 (W na Itália é como um duplo V de vitória e 56 do ano do início do contato, 1956). Foi o ufólogo e escritor italiano Stefano Breccia que revelou o caso ao mundo com a publicação do livro Contattismi di Massa naquele ano.

A história foi contato por Bruno Sammaciccia, que foi uma espécia de líder de um grupo de aproximadamente 200 humanos que tiveram contato com extraterrestres que viviam no subsolo da Itália. É importante reconhecer que os contatados não eram pessoas nem um pouco mentalmente desequilibradas.  Eles eram membros proeminentes da sociedade italiana: escritores, políticos, empresários, artistas, professores, etc. Entre eles se destaca o cônsul Alberto Perego que, entre os anos 60 e 70, escreveu quatro livros onde analisava se decisões dos governos tiveram influência dos extraterrestres.

Bruno queria com o livro divulgar a história e fazer com que as outras pessoas que viveram a experiência viessem a tona para confirmar. Deu certo e Gaspare de Lama e sua esposa resolveram contar suas experiências e revelar seus arquivos multimídias. Quase todo material sobre o caso vem de Bruno Sammaciccia e Gaspare de Lama. São fotos e vídeos das naves, gravações da voz dos extraterrestres e até mesmo uma nítida foto de um deles!

Os contatados Bruno Sammaciccia e Gaspare de Lama. Foi Bruno Sammaciccia que entrou em contato com o escritor Stefano Breccia e revelou o caso Amicizia, que foi publicado no livro "Contattismi di Massa" de 2007.


Como Tudo Começou?

Segundo Bruno, o contato ocorre na primavera de 1956, durante uma caçada ao tesouro que Bruno Sammaciccia fazia com seus amigos Giulio e Giancarlo, na Fortaleza da Pia, uma fortaleza que domina Ascoli Piceno. Eles tinham em mãos um mapa que acreditavam que revelava onde estava um tesouro e decidiram procurar.

Enquanto estavam na fortaleza, os três são abordados por dois seres que pareciam seres humano, com exceção de suas dimensões: um é um pouco mais de um metro de altura, o outro cerca de três. Eles revelaram ser extraterrestres da Confederação Akrij (os humanos os apelidaram de W56) e vieram trazer mensagens para nós.

Os Extraterrestres tinham tamanhos variados de 1 a 3 metros.


De onde Vieram e Onde Vivem na Terra?

Os extraterrestres falavam italiano perfeitamente e durante as caminhadas na praia de Pescara, os W56 revelaram de que planetas eram originais, diversos deles, e chegaram a descrever as distâncias que separam seus mundos da Terra. Afirmaram que sua espécie vive em vários Orbes, todos interligados, que formavam a Confederação Akrij, e portante eram chamados de Akrij.

A Terra é um planeta que eles chamam de mãe-planeta, porque é um dos 50-60 planetas da nossa galáxia que tem vida. Os W56 disseram que na Terra viveram seis civilizações diferentes que se autodestruíram por causa de guerras ou desastres ecológicos. A última dessas civilizações já conhecia o voo espacial melhor do que nós, e uma pequena parte conseguiu salvar-se viajando para outro planeta.

Os W56 disseram que eles têm estado na Terra por milhares de anos e que possuíam um número de bases na Terra, e que estas eram, pela maior parte, subterrâneas. Algumas dessas bases seriam tão grande que teriam uma atmosfera suficiente dentro delas para gerar chuva!  Este é o caso com uma de suas bases, que existia abaixo do Mar Adriático. Eles explicaram como criaram tais bases, e como poderiam simplesmente fechá-las.

Nas bases italianas havia cerca de 200 alienígenas e eles tinham bases também na Áustria, Argentina, Suíça, França, talvez até na Inglaterra e na Rússia, em todos os lugares.

Também disseram que não são os únicos extraterrestres vivendo no planeta. Eles teriam dito que possuem inimigos, chamados de CTRs pelos contatados, os quais representam praticamente o oposto daquilo que os Akrij acreditam.  É quase como se os CTRs agissem como um grupo de exterminadores.

Os W56 informaram que sua espécie vive em vários Orbes, todos interligados, que formavam a Confederação Akrij, e portante eram chamados de Akrij.


Outras Coisas Ditas pelos Extraterrestres 

- A Terra foi criada para um fim positivo, ,mas o homem estava transformando tudo em mal
- Que o nível moral dos humanos era muito inferior ao deles
- Explicaram que era um momento muito crítico na história humana. As armas atômicas são capazes de destruir o planeta em poucos instantes, um grande risco que poderia acontecer devido a nossa baixa moral.
- Que a tarefa deles era vigiar para que nada saísse do controle.
- Afirmaram que não estavam aqui para conquistar, que não havia nada para ganhar
- Que as coisas nasciam da necessidade e do respeito e tudo deve ser feito em função disso.
- Conheciam perfeitamente a história, as filosofias e as religiões terrestres.
- Não se mostravam publicamente porque as pessoas não estavam prontas para o contato
- Esperava-se retorno positivo dessa sua atividade.
- Ajudar nosso processo evolutivo.

E assim foi, durante meses, os W56 foram revelando informações durante caminhadas na praia de Pescara.



Fornecendo Suprimentos para os W56

Uma das coisas mais paradoxais dessa história é que apesar de ter tecnologia ultra-avançada, os W56 pediam caminhões com toneladas de frutas, alimentos e outros materiais que eram transportados até a base extraterrestre, como estrôncio e nitrato de bário.

Era Bruno Sammaciccia que se encarregava de arrumar esses caminhões, que eram esvaziados em segundos através do teletransporte. Ele fazia assim, ia sempre com um amigo e quando chegavam ao local, esse amigo levava o motorista para tomar um café, assim, nesse período, os ETs apareciam e teletransportavam tudo em um segundo!

Na hora de efetuar o pagamento, algumas vezes os W56 materializavam dinheiro, mas em outras não, o que fazia com que Bruno arcasse com os pagamentos!

Os W56 pediam quantidades industriais de frutas e metais.


Fotos, Vídeos e a Voz Gravada de um ET

Muitas pessoas viram os W56. Eles faziam questão de deixar fotografar e filmar suas naves. Inclusive chegaram a ser publicadas no jornal Domenica del Corriere em agosto de 1962. No caso destas fotos, foram tiradas em Milão por Gaspare de Lama. É claro que só os contatados sabiam que era dos extraterrestres que eles vinham contatando no caso Amicizia.

Foto publicada no jornal Domenica del Corriere em agosto de 1962 tiradas por Gaspare de Lama

Fotos publicadas no jornal Domenica del Corriere em agosto de 1962 tiradas por Gaspare de Lama.


Gaspare de Lama tem vários registros das naves. Certz vez, elee estava começando a ficar cético sobre tudo o que estava acontecendo, então os W56 pediram para ele indicam um local, dia e hora que eles apareceriam para seres filmados e fotografados. As imagens abaixo foram feitas por ele. No topo se vê uma parte escura. Os W56 explicaram que era como um efeito especial de condensação causado pela energia do disco voador. Na última foto não aparece esse efeito.





Última foto tirada naquele dia. O OVNI seguiu o carro e Bruno Sammaciccia tirou a foto. Veja que não tem o efeito da condensação.


.
A foto abaixo seria de um dos W56, o qual teria mais de 2,40 metros de altura. Podemos ver claramente que são muito parecidos com os seres humanos. A foto está na internet a anos e até agora ninguém apareceu dizendo ser a pessoa ou contestá-la.

Sim, esta foto mostra o que seria um extraterrestre, um Akrij!


A comunicação também passou a ser feita pelo rádio e TV. Muitas vezes o grupo estava assistindo televisão quando do nada na tela aparecia a nave dos extraterrestres ou foto dos OVNIs. O rádio, não importava em que estação estivesse, transmitia mensagens dos W96. Abaixo temos a gravação da voz do extraterrestre chamado Sigir.

.
O Fim da "Amizade"

Foram dois os motivos que levaram ao fim da "Amizade" entre o extraterrestres W-56 e os humanos.

Primeiro, o fim da Uredda. Uredda? Isso é um conceito dos W-56 que foi interpretado pelos humanos como sendo "energia do amor". A Uredda é a energia que flui do amor e que eles usovam para alimentar seus instrumentos , para recriar o ar nas bases, para pilotar suas aeronaves. Nós produzimos essa energia amando a nós mesmos, sendo amigos, respeitando-nos e unindo- nos. Mas ao longo dos anos, o ego dos contatados voltou à aflorar, começamos a sofrer de ciúmes mútuos, inveja, que então se transformaram em ódio, então algo quebrou. O Uredda começou a diminuir e os W56 tiveram que sair porque os instrumentos e o próprio ar nas bases já não eram alimentados.

Outra coisa foi a derrota dos W56 para os extraterrestres que eles chamavam de WEIROS, mas que os humanos apelidaram de "Contrários" ou CTR. Os W56 perderam a guerra e tiveram de deixar suas bases italianas. Isso ocorreu em 1978. Curiosamente, é o ano em que há um pico de avistamentos de OVNI em toda a Itália central, e também o ano dos misteriosos globos luminosos que emergem do Mar Adriático aterrorizando os pescadores e alarmando a Guarda Costeira.

Para Bruno, apesar dos W56 terem ido embora da Itália, eles ainda estão em outros locais, atuando com os seres humanos.

Nos anos de 1978 as pessoas que estavam ao redor de Bruno Sammaciccia de desentenderam e não conseguiram realizar a expectativa dos W56 de união e amor.


Conclusão

O caso começou em 1956 e foi testemunhado por quase 200 pessoas de todas as classes sociais. Somente em 2007 o "chefe" da equipe humana, Bruno Sammaciccia, pouco antes de sua morte, pediu a seu amigo Stefano Breccia que anote os eventos extraordinários que ele testemunhou para manter a memória para sempre. Muitos anos se passaram desde então, mais de 50 desde o primeiro encontro. Existem outras testemunhas? Sim. Existem fotos e vídeos? Sim. Mas isso é capaz de validar o caso? Não. Este caso ainda está em aberto...

Fontes (Acessadas em 09/12/2017):
- Documentário Estabelecendo Contato
- UFO: Contato Direto
- OVNIHoje! O Caso Amicizia (Amizade)
- Panorama.it: Il 'caso Amicizia': quegli alieni che vivevano in Italia
- Addio a Breccia, l’ingegnere del caso “Amicizia”
- Ivan Ceci: Amici, vi voglio bene. Ma io mi fermo qui”. La commovente lettera di addio di un testimone ai CTR del caso Amicizia.
Comentários