24 de dezembro de 2017

Feliz Natal! Uma Mensagem de Natal Para Todos os AssombradOs!

Por Marco Faustino 🎄
Email para contato: marcofaustino@gmx.de

Afinal de contas, o que é o Natal? Se formos procurar no dicionário encontraremos, que essa data é referente principalmente ao nascimento de Jesus Cristo, uma figura icônica do Cristianismo, sendo que nem todos são adeptos da religião e suas vertentes. Aliás, algumas pessoas irão discordar veementemente dessa alegação e com razão, visto que sempre houve uma grande imprecisão quanto a verdadeira data de nascimento de Jesus Cristo. Há quem diga que ele tenha nascido em março, outros dizem que ele teria nascido em abril, sendo que existem até mesmo aqueles, que dizem que ele teria nascido em setembro. A comemoração no dia 25 de dezembro é igualmente complexa, visto que há quem diga que essa data remete a uma festividade pagã e romana chamada de "Natalis Solis Invicti" ("Nascimento do Sol Invicto", em português). As comemorações aconteciam durante o solstício de Inverno, o dia mais curto do ano (no Hemisfério Norte, é claro). Alguns estudiosos do tema sugerem que, em algum momento do século IV, a Igreja fixou a comemoração no dia 25 de dezembro com a intenção de suplantar esse antigo e muito popular festival. Outra explicação diz, que a data do nascimento de Jesus dependeria da data de sua encarnação, que, por sua vez, também estaria relacionada com a data de sua morte. A relação entre a paixão e encarnação estaria em consonância com a mentalidade medieval, que admirava a perfeição do Universo como um todo, em que as grandes intervenções de Deus estariam vinculadas entre si. Aliás, acreditava-se, que o mundo teria sido criado no dia 25 de março, e que Jesus também tivesse sido concebido nessa data, já que sua encarnação representava o recomeço de tudo. Somando mais 9 meses (o tempo de gestação de Maria), teríamos a provável data do nascimento: 25 de dezembro. Enfim, o Natal é uma data tecnicamente complexa. Entre os estudiosos do Novo Testamento e das origens do Cristianismo, no entanto, é quase um consenso que Jesus Cristo não tenha nascido exatamente em 25 de dezembro.

Entretanto, não estou aqui hoje para escrever uma matéria polêmica, complexa, que envolva cálculos estranhos ou que deixe suas cabeças efervescendo. Estou aqui para escrever uma mensagem de Natal, que talvez possa fazer vocês refletirem um pouco mais sobre a forma como vêm conduzindo suas vidas, a forma como vêm se portando diante de amigos(as) ou familiares, e até mesmo para todos aqueles que não comemoram ou não gostam do Natal, mas que resolveram dedicar alguns minutos para ler o que tenho para dizer. A missão de escrever é um pouco mais fácil do que a de ler, visto que daqui a alguns segundos, tudo dependerá apenas de você, ou seja, tomar uma decisão sobre o que irá fazer diante das minhas palavras. Vamos ler essa pequena e singela mensagem de Natal?

Seja qual for o significado e a importância desta data para você, é importante que você saiba, que a palavra "Natal" também significa a "data de aniversário de um nascimento", e uma vez que essa data quase sempre esteve de alguma forma relacionada ao Sol, entramos em um interessante campo de coincidências bem-vindas para essa época do ano. A vida, tal como conhecemos, depende essencialmente do Sol. As florestas, as árvores, as plantas, e até mesmo a grama não cresceria naturalmente sem sua energia. Assim sendo, não teríamos rebanhos das mais variadas espécies de animais e, caso não morrêssemos de fome, congelaríamos até a morte, se o mesmo simplesmente deixasse de existir de uma hora para outra.

Entretanto, o Sol sempre surge no horizonte. Todas as manhãs, não importa onde você more, existe um alvorecer espetacular esperando para ser assistido. Em todas as manhãs alguém nasce, alguém morre, alguém sorri, alguém chora, alguém acorda entusiasmado, e alguém acorda preocupado. Nesse exato momento, alguém sequer conseguiu dormir, e virou a noite pensando em como será o ano que vem. Se conseguirá ou manterá um emprego, se vai conseguir mudar de vida ou se vai conseguir ser tão somente feliz. Existem infinitas possibilidades de como será a sua manhã de Natal, visto que não depende apenas de você, mas de infinitos conjuntos de ações tomadas por entre centenas ou milhares de pessoas ao seu redor, assim como de pessoas que você sequer conhece ou conhecerá a milhares de quilômetros de distância, que podem e efetivamente irão influenciar na sua manhã. Não controlamos praticamente nada, e estamos a mercê de tantas pessoas, que sequer conseguimos processar isso de forma satisfatória. Muitos preferem pensar, que tudo acontece simplesmente porque Deus quer ou porque são tão independentes, que acreditam ter as rédeas do destino. Contudo, não é bem assim que funciona, uma vez que todos nós, de alguma forma, precisamos de outras pessoas. Todos nós estamos conectados em maior ou menor nível, de uma forma invisível, quase mágica, um fio tão resistente, que o entrelaçamento resultante reluz diante de uma pequena, porém poderosa, palavra: gratidão.

Em todas as manhãs, deveríamos ser gratos simplesmente, porque o Sol nasce e nos dá a chance de recomeçarmos, mas quem faz isso? Considerando que o Sol é um elemento tão importante e vital em nossas vidas, o que mais estamos deixando passar em nosso dia a dia? Ontem, por exemplo, enquanto estava em um supermercado fazendo compras para a ceia de Natal, vi uma menininha entrando com sua avó e sua mãe. O céu estava complemente cinzento, escuro, ventava forte, trovejava e parecia que ia desabar um temporal. Em paralelo, ouvia pessoas preocupadas com o tempo, que teriam que fazer as compras correndo por medo da chuva. Já outras corriam com suas sacolas com medo que o mundo fosse cair sobre suas cabeças. Dentro do supermercado, no entanto, bem próximo da entrada havia um Papai Noel, o clássico dos clássicos: barba branca, visivelmente natural, roupa vermelha, uma barriga que parecia haver algum enchimento, e estava sentado em um trenó sem renas. E, no meio daquele caos, escutei: "Papai Noel, Papai Noel, já escrevi minha cartinha para o senhor". A menininha repetiu isso por duas vezes, com alguns segundos de diferença. Na primeira vez, o Papai Noel estava conversando com uma empacotadora próxima ao seu trenó sobre o preço dos panetones. Por outro lado, quando se deu conta, o Papai Noel foi gentil, a recebeu de braços abertos, a pegou a no colo, e conversou um pouco com a mesma, enquanto a mãe, munida de seu celular, tirava algumas fotos. Poucos minutos depois, os ventos acalmaram, as nuvens foram clareando, os trovões foram cessando, e até mesmo era possível ver um pequeno feixe de luz entre as nuvens.

Acreditem, sou grato a aquela menininha, que nem sei e talvez nunca saiba o seu nome, porque ela me lembrou que o Natal, em sua verdadeira essência, ainda existe. Trabalhei tanto esse ano, e o mesmo foi tão cansativo mentalmente, por assim dizer, que simplesmente havia me esquecido sobre o que essa data realmente representava. O Natal estava personificado naquela menininha. A crença e a inocência dela em acreditar em algo mágico, e principalmente o respeito, que ela demonstrava ao dizer "senhor" ao final de sua frase, me fez voltar no tempo, e olhar para ela como se fosse um espelho de quando era pequeno. Aquela menininha era grata, simplesmente porque Papai Noel existia de verdade. Daqui alguns anos ela vai saber que, quem coloca seu presente debaixo da árvore, é sua mãe, pai ou avó, mas ela estava apenas vivendo o momento. Queria estar apenas perto do Papai Noel, mesmo que o mundo fosse desabar do lado de fora. Aliás, em algum momento, aquele simpático Papai Noel também será grato por desempenhar essa figura tão importante do Natal ao ouvir as palavras de alguma criança, que transformarão o seu dia. Esse é o ciclo humano da gratidão.

Se eu pudesse desejar algo neste Natal, e tivesse a certeza que meu pedido seria atendido, pediria que uma menininha com o mesmo espírito dela cruzasse o seu caminho, para que você pudesse ouvir a mesma voz que ouvi, o mesmo tom, e a mesma alegria que ela tinha nos olhos. Talvez aquela menininha seja o primeiro passo para que todos nós possamos realmente acreditar, que ainda existe esperança e bondade neste mundo. A geração dela ainda não está comprometida, e talvez seja o último bastião daquilo que conhecemos como humanidade. Contudo, caso uma menininha semelhante não cruze seu caminho neste Natal, existe algo que você pode fazer para tentar sentir, ainda que levemente, o espírito natalino: seja grato(a) aos seus pais, aqueles que lhe criaram ou as pessoas que nunca o(a) abandonaram. Seja grato(a) por um prato de comida; seja grato(a) pelo presente que ganhou, mesmo que não tenha gostado; e seja grato(a) por ter um teto e uma cama, mesmo que ela não seja tão confortável assim para dormir. Além disso, quando terminar de ler esse texto, corra e abrace quem você ama, diga que a ama olhando em seus olhos, e jamais tenha medo de dizer isso. Diga para essa pessoa o quanto você é grato(a) por tê-la em sua vida.

Na mensagem de Natal do ano passado, disse a vocês que, muitas vezes, pensamos que o Natal é apenas um mero brinquedo de plástico, que apesar de muitas crianças sequer terão algo que possam adjetivar de "mero", o maior presente que podemos dar nessa data é a promessa de muito carinho, respeito e a certeza que faremos de tudo para que não tenham que sofrer, pelo menos não de forma tão precoce, com a realidade que muitas vezes as aguardam do outro lado da porta da frente. Outras vezes, o Natal é um prato de comida para quem sente fome, um cobertor para quem sente frio, um sorriso para quem se sente triste, um olhar sincero para quem sente que foi esquecido por todos aqueles que passam o ano inteiro sem reparar, que debaixo do cobertor, próximo ao prato de comida e sorrindo ainda que sozinho, só queria ser lembrado por alguém. Resumindo? Basta algumas frases de alento, de carinho ou de atenção, nem que sejam escritos apenas em um pequeno pedaço de papel de pão. A partir do momento que você expressa seu pensamento e sua lembrança por alguém que ame, aquele pequeno pedaço de papel perde completamente seu valor original, e passa a ser o papel mais valioso do mundo.

Sei que muitas pessoas moram sozinhas, que não possuem mais seus pais ou aqueles que um dia verdadeiramente lhe amaram. Outras pessoas, inclusive, acreditam que não têm motivos para comemorar o Natal, porém sempre existe um motivo, sendo que geralmente esse tal motivo é alguém. Pare, reflita, pense com muito carinho e você encontrará alguém a quem ser grato(a) neste ano, nem que para isso você precise apenas ligar para desejar um "Feliz Natal" e dizer a essa pessoa o quão importante é tê-la em sua vida. Mesmo que essa pessoa esteja em uma cama ou em um leito de um hospital, e não possa lhe ouvir, ainda assim segure em sua mão e diga isso para ela. E, quando o dia nascer novamente amanhã, quando o Sol despontar no horizonte, faça isso novamente antes de abrir o seu presente. Tenho certeza que, ao se olhar no espelho, verá a si mesmo, com cerca de um metro de altura e uma cartinha na mão. Somente você sabe o que está escrito dentro dela. Peço que escolha sabiamente o que pedir neste ano, mas independentemente do que seja, tenha em mente uma única coisa: os presentes mais valiosos que você pode ter na vida, nunca estarão debaixo de uma árvore de Natal.

Feliz Natal, AssombradOs!

Marco Faustino 🎅
Comentários