1 de dezembro de 2017

Adam Ellis diz Ter Encontrado Alçapão Misterioso e Supostos Pertences do Espírito do Menino que Deseja Matá-lo em Seu Apartamento!

Inscreva-se no canal clicando no botão abaixo:
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes

Por Marco Faustino

Se não me falha a memória, essa é a quarta vez que vou comentar sobre o ilustrador e cartunista norte-americano Adam Ellis. Muito provavelmente, vocês já conhecem toda essa saga, que vem sendo criada por ele desde o dia 7 de agosto deste ano, sobre um suposto "espírito de um menino" chamado David (ou pela expressão que ele costuma usar: "Dear David"), que estaria tentando matá-lo em seu próprio apartamento na cidade de Nova York, nos Estados Unidos. Tudo teria acontecido após alguns episódios da famosa "paralisia do sono", e desde então estranhos acontecimentos estariam ocorrendo em sua vida. Seus gatos estariam sempre nervosos e rotineiramente olhariam em direção a porta da frente do apartamento, como se pudessem ver ou sentir algo de outro mundo. O detalhe? Isso sempre aconteceria por volta da meia-noite. Adam também tentou fazer uma proteção com sal marinho próximo a porta, e até mesmo comprou uma tábua Ouija, caso fosse necessário.

Ao invés de mostrar tweet por tweet (ou tuíte, caso sejam amantes incondicionais do nosso idioma) , assim como boa parte da imprensa internacional vinha fazendo, resolvi contar toda essa história para vocês de uma forma mais dinâmica e envolvente, algo que acredito ter conseguido executar de maneira razoável. Assim sendo, acompanhei todos os tweets de Adam até o dia 7 de novembro deste ano (cerca de três semanas atrás, e exatamente quatro meses após seu primeiro tweet sobre o caso), ocasião na qual Adam alegou ter conseguido tirar algumas fotos de David durante um episódio de paralisia do sono. Esse último episódio da saga, por assim dizer, causou um grande frenesi e muita polêmica, porém mostrei a vocês a mais provável realidade por trás desse caso: tudo isso seria tão somente uma mera história de terror (ficcional, é claro) contada através do Twitter. Simples assim.

Entretanto, apesar de inúmeros indícios e questionamentos apontados ao longo do caminho, muitos de vocês ainda acreditam que a história seja verdadeira, ou seja, que Adam realmente esteja sendo atormentado até mesmo por um espírito maligno ou um demônio "disfarçado" de criança. Outros, no entanto, acreditam que seja mentira, mas querem ver até onde essa história irá chegar. Portanto, resolvi fazer uma atualização sobre tudo o que aconteceu desde que ele publicou as fotos do suposto espírito. É importante ter em mente, que Adam já havia alegado anteriormente, que acreditava ter visto o David em cima do terraço de um estabelecimento comercial vizinho ao prédio onde mora (a janela da cozinha do seu apartamento estaria apontada nessa mesma direção). Assim sendo, ele acabou descobrindo um misterioso alçapão acima das escadas, que dão acesso ao seu apartamento, e que por sua vez daria acesso ao terraço do prédio onde mora (irei explicar isso direitinho, fiquem tranquilos). Ao tentar abri-lo com um bastão, no entanto, ele teria ficado surpreso com a queda de alguns estranhos objetos muito antigos, que poderiam, supostamente, um dia ter pertencido ao David. Vamos saber mais sobre esse assunto?

A Saga de "Dear David" Vem Sendo Narrada por Adam Ellis Através do Twitter há Quase Cinco Meses!


Conforme havia mencionado na introdução, essa é quarta vez que comento sobre o Adam Ellis em quase cinco meses (que serão completados no próximo dia 7 de dezembro). Para evitar que essa postagem ficasse muito extensa, assim como as anteriores, vou tentar indicar o que vocês irão encontrar em cada uma das matérias já realizadas sobre o assunto, combinado? Isso irá servir como uma espécie de guia para que vocês fiquem por dentro de cada detalhe já mencionado pelo Adam, e a respectiva análise do que ele escreveu, algo que nem todos tem coragem de dizer a vocês.

Muito provavelmente, vocês já conhecem toda essa saga, que vem sendo criada por Adam desde o dia 7 de agosto deste ano, sobre um suposto "espírito de um menino" chamado David (ou pela expressão que ele costuma usar: "Dear David"), que estaria tentando matá-lo em seu próprio apartamento na cidade de Nova York, nos Estados Unidos.
Na primeira matéria, intitulada "Apartamento AssombradO? Homem Alega que o Espírito de um Menino Quer Matá-lo em seu Apartamento em Nova York, nos Estados Unidos!" (clique no nome da matéria para acessá-la), mostrei a vocês tudo o que havia acontecido entre os dias 7 e 21 de agosto deste ano; quem era o Adam Ellis; uma interessante entrevista, que ele havia dado para o site da revista eletrônica "Bustle"; e mostrei a realidade por trás das estranhas fotos, que ele havia tirado com uma câmera instantânea do seu apartamento e do corredor do prédio onde mora.
Segundo Adam, a primeira vez que ele viu esse "fantasma" foi quando ele passou por algo conhecido como "paralisia do sono", e viu uma criança sentada em uma cadeira de balanço de cor verde, localizada nos pés da sua cama. O mesmo tinha uma cabeça enorme e um lado aparentava estar "mordido."
Em agosto deste ano, ele chegou a mencionar que estava em contato com paranormais profissionais, e até mesmo tinha comprado uma tábua Ouija, muito embora não estivesse em seus planos utilizá-la.
Adam chegou a publicar uma foto de uma faixa de sal, que ele fez no chão e diante da porta da frente do apartamento, no melhor estilo dos irmãos Winchester, da série de TV norte-americana "Supernatural", durante uma determinada madrugada.
Adam encomendou através da loja virtual "Amazon" um incenso de sálvia branca (conta-se que os índios norte-americanos dizem que a fumaça da sálvia branca serve não apenas para purificar o corpo, mas lugares e objetos pessoais) para purificar os ambientes.
Já na segunda matéria, intitulada "A Saga Continua! Adam Ellis Insiste em Dizer que seu Apartamento é AssombradO pelo Espírito de um Menino que Deseja Matá-lo!", mostrei a vocês tudo o que havia acontecido entre os dias 21 de agosto e 5 de setembro deste ano; acrescentei mais alguns questionamentos a história que ele vinha contando; e ainda abordei de forma imparcial e baseado em uma pesquisa séria sobre o tema, algo que nem sempre é feito por aí, se os gatos ou animais domésticos podiam realmente ver espíritos ou entidades sobrenaturais.

Na segunda matéria mostrei a vocês tudo o que havia acontecido entre os dias 21 de agosto e 5 de setembro deste ano, acrescentei mais alguns questionamentos a história que ele vinha contando, e ainda abordei de forma imparcial e baseado em uma pesquisa séria sobre o tema, se os gatos ou animais domésticos podiam realmente ver espíritos ou entidades sobrenaturais.
No entanto, a terceira matéria, intitulada "Adam Ellis diz que Fotografou o Espírito do Menino que Deseja Matá-lo em Seu Próprio Apartamento Durante Paralisia do Sono!", talvez tenha sido a maior de todas, porque acrescentei grande parte do material das duas anteriores, uma vez que tinha certeza que muitos estariam tendo contato com essa história pela primeira vez, e não teria paciência de ler as demais matérias. Na mesma, abordei tudo o que havia acontecido entre os dias 7 de agosto e 7 de novembro deste ano, e acrescentei uma matéria sensacional escrita pela Amelia Tait, redatora de tecnologia e cultura digital da revista "New Statesman", que vale muito a pena ser lida.

Amelia Tait havia publicado um artigo muito interessante sobre o fascínio e a ética em se contar histórias sobre fantasmas no Twitter, no fim do mês de outubro, sendo que o seu texto é fundamental para que possamos compreender exatamente o que Adam Ellis vem fazendo. Portanto, recomendo fortemente que leiam o subtópico "Adam Ellis Realmente Fotografou o Espírito de David? Toda Essa História é Mesmo Verdadeira?" da terceira matéria, visto que não é apenas o Adam que vem fazendo ou já fez algo semelhante através do Twitter.

Certa vez Adam disse entrou na cozinha ele ouviu o barulho de algo se quebrando. Inicialmente, acreditou ser um dos gatos, mas ambos estavam no quarto. O que havia caído, no entanto, era um vasinho contendo um cacto, que ficou destruído.
Depois de tudo isso, acredito sinceramente e sem falsa modéstia, que todas as três matérias anteriores são as matérias mais completas, ao menos em português, sobre a história que Adam Ellis vem contando sobre o suposto espírito, que estaria tentando matá-lo em seu próprio apartamento. Uma vez que não vejo a necessidade de repetir tudo o que foi falado anteriormente, visto que vocês podem consultar nas matérias anteriores, vou começar apenas com o material necessário para que você possa compreender as recentes atualizações.

Portanto, é necessário lembrar a vocês, que no dia 27 de outubro, Adam Ellis apareceu no Twitter para dizer que algo havia acontecido na noite anterior (26), por volta das 23h, enquanto estava assistindo TV no sofá. Adam disse que foi até a sala de jantar para pegar uma bebida na geladeira, e notou que ambos os gatos estavam sentados e olhando por uma das janelas, que fica de frente para o terraço de um estabelecimento comercial vizinho. Ele deu uma olhada, mas não conseguiu ver absolutamente nada. Adam pensou que tivesse passado algum rato ou algo assim. Ele deixou isso de lado, e foi pegar uma cerveja na geladeira.

Quando ele entrou na cozinha para pegar o abridor de garrafas, ele disse que notou algo estranho. Adam disse que havia uma janela na cozinha que também dava para o mesmo terraço, sendo que ele alegou ter visto alguém parado nesse terraço olhando diretamente para ele. Adam disse ter se agachado, estendido a mão até o interruptor de luz e conseguido desligá-lo. Ele espreitou pela janela, mas não conseguia ver muita coisa. Ele disse que seu celular estava em seu bolso, o pegou e tirou uma foto. Estava embaçada e escura, mas ele disse que podia jurar que havia alguém. Ele também disse que tentou tirar uma foto melhor, mas que a estranha figura havia desaparecido.

Adam disse ter se agachado, estendido a mão até o interruptor de luz e conseguido desligá-lo. Ele espreitou pela janela, mas não conseguia ver muita coisa. Ele disse que seu celular estava em seu bolso, o pegou e tirou uma foto. Estava embaçada e escura, mas ele disse que podia jurar que havia alguém.
Assim sendo, ele teria fechado todas as cortinas, e se certificado que a porta estava trancada. Adam disse que acabou bebendo mais algumas cervejas ao ponto de ficar bêbado para não sentir medo. De qualquer forma, ele alegou ter certeza que era o David, e que o mesmo não ia embora de jeito nenhum. Adam não sabia mais o que fazer.

Ele também disse que tentou tirar uma foto melhor, mas a estranha figura havia desaparecido.
Adam reapareceu no Twitter somente no dia 7 de novembro (uma terça-feira). Inicialmente, ele disse que já fazia cerca de 4 meses desde a primeira vez que ele sonhou com o David. Porém, na noite anterior (6), Adam teria sonhado novamente com ele, e o mesmo parecia ter a mesma aparência. Em seu sonho, ele o viu em uma "cadeira" novamente. Adam alegou não tinha mais a cadeira verde de balanço em seu quarto, dessa vez era uma poltrona reclinável, que ele possuía há anos. David teria ficado olhando diretamente para ele, assim como na primeira vez. Novamente, ele teria se sentido paralisado e mal conseguia se mover. No entanto, daquela vez, havia algo diferente.

Adam reapareceu no Twitter somente no dia 7 de novembro. Inicialmente, ele disse que já fazia cerca de 4 meses desde a primeira vez que ele sonhou com o David, sendo que na noite anterior Adam teria sonhado novamente com ele, e o mesmo parecia ter a mesma aparência. David teria ficado olhando diretamente para ele, assim como na primeira vez, mas, daquela vez, havia algo diferente
Adam disse que, apesar de imobilizado, conseguia se mover um pouco mais, inclusive suas mãos. David o observava e ele temia o que iria acontecer: ele iria levantar da poltrona e ir em sua direção, assim como antes. Adam disse que tinha que fazer alguma coisa e se lembrou, não sabia como, que mantinha o celular na mesa de cabeceira. Então, ele pensou que, se fosse morrer, que pelo menos ele pudesse obter provas com o seu celular. Logo, ele começou a tirar fotos no escuro. Pouco tempo depois, David saiu da poltrona, e começou a se arrastar na direção de Adam. David se movia devagar, como se estivesse fazendo um grande esforço. Adam se sentiu aterrorizado, mas continuou tirando fotos. David se aproximava cada vez mais de Adam, sem tirar os olhos dele e, em pouco tempo, ambos ficaram cara a cara. David teria começado a murmurar algo, porém era muito baixo para que pudesse ser compreendido. Adam teria assistido os olhos de David revirarem até eles ficarem completamente brancos. Adam ainda tentou se afastar, porém mal conseguia se mexer. David ainda se movia em sua direção, murmurando algo, mas, de repente, Adam acordou. O dia já havia amanhecido, e não havia sinal do David em nenhum lugar.

Adam Ellis disse que se levantou e foi trabalhar e que, após um certo tempo, o estresse devido ao sonho havia desaparecido. Curiosamente, ele disse que nem estava pensando em escrever isso, porque isso nem mesmo era uma "informação nova", mas que naquela noite (posterior ao incidente, ou seja, na noite de 7 de novembro) ele notou algo que o deixou muito assustado. Ele foi acessar seu celular para procurar por uma foto tirada há alguns dias, quando encontrou "dezenas" de fotos. Todas as fotos teriam sido tiradas na noite anterior.

Curiosamente, ele disse que nem estava pensando em escrever isso, porque nem mesmo era uma "informação nova", mas que naquela noite ele notou algo que o deixou muito assustado. Ele foi acessar seu celular para procurar por uma foto tirada há alguns dias, quando encontrou "dezenas" de fotos. Todas tiradas na noite anterior.
David publicou cerca de 3 fotos e recomendou,
que as pessoas aumentassem o brilho para poderem enxergar melhor
Nas 3 fotos publicadas, no entanto,
Adam Ellis alegou ter fotografado o David, ou melhor, o espírito do menino que deseja matá-lo.
David publicou apenas três fotos e recomendou que as pessoas aumentassem o brilho para poderem enxergar melhor. Por fim, ele disse que geralmente conseguia inventar uma desculpa para o que estava acontecendo, mas que não tinha nenhuma explicação lógica para isso. Em seu último tweet, no dia 7 de novembro, Adam disse que estava surtando em seu sofá, e que certamente não iria conseguir dormir, mas que precisava desabafar sobre o assunto.

As mesmas fotos publicadas com David,
porém com o brilho aumentado em um programa de edição de imagens
Particularmente, na posição de quem está escrevendo a quarta matéria sobre Adam Ellis, considero improvável que estejamos diante do "espírito de David", visto que as imagens parece retratar tão somente um boneco de plástico usando roupas de um ser humano normal, e com a cabeça amassada. Isso também foi mencionado por inúmeros usuários na internet, conforme retratado pela Charlotte Dobre em um vídeo do canal "InformOverload", no YouTube, sobre esse assunto. Confira o vídeo abaixo (em inglês, com legendas em inglês):



Ao final do vídeo, a apresentadora do canal cita, que a internet estava dividida entre as mais diversas opiniões sobre o assunto, ou seja, muitos teriam ficado aterrorizados, enquanto outros disseram que era muito fácil para Adam comprar um boneco, amassar sua cabeça e tirar fotos de baixa qualidade alegando que estava "paralisado". Ao responder aos comentários daqueles que acompanham o canal, uma das pessoas questionou a razão pela qual Adam simplesmente não mudava de casa. A resposta de Charlotte foi, no mínimo, bem sugestiva: "Por que você se mudaria quando seu fantasma vem fazendo você viralizar?" Enfim, acho que vocês entenderam o recado, não é mesmo?

Adam Ellis Alega Ter Encontrado Alçapão Contendo os Pertences do Espírito do Menino que Deseja Matá-lo em Seu Apartamento!


Após o dia 7 de novembro, Adam Ellis só voltaria a publicar algo em sua conta no Twitter no dia 18 do mesmo mês. Nesse dia, inicialmente ele fez questão de dizer para todos aqueles que estavam se perguntando, que sim, ele estava vivo. Adam disse que se manteve em silêncio por cerca de 11 dias, porque estava tentando investigar o que estava acontecendo, e ele ainda não tinha certeza de como faria isso. Aliás, ele chegou a mencionar que preferia escrever apenas, quando tivesse algo substancial para compartilhar com seus seguidores. Adam disse que também era difícil explicar a logística do que ele estava tentando descobrir, mas que faria o seu melhor. Ele disse que estava explorando uma parte do seu apartamento ou ao menos era isso que ele acreditava estar fazendo.

Adam fez questão de publicar um desenho e dizer que morava em um duplex. Ele disse que morava no primeiro andar, mas que agora estaria morando no segundo andar do mesmo. Seu prédio era comprido e retangular, como se fosse uma caixa. Confira o desenho abaixo:

Adam fez questão de publicar um desenho e dizer que morava em um duplex. Ele disse que morava no primeiro andar, mas que agora morava no segundo andar do mesmo. Seu prédio era comprido e retangular, como se fosse uma caixa. Ele também indicou o terraço onde ele acreditava ter visto o David (acima de um estabelecimento comercial vizinho, e o terraço no qual ele não tinha acesso.
No dia que ele havia tuitado pela última vez (07/11), Adam alegou que estava sentado no sofá da sua sala. Cerca de 30 segundos após enviar o seu último tweet, ele disse que ouviu uma batida diretamente acima da sua cabeça, como se alguém tivesse deixado cair algo no chão, o que seria impossível, uma vez que ele já estava em um apartamento localizado no último andar do prédio. Ele também disse que não havia como acessar o terraço do seu próprio prédio, uma vez que não havia escadas na parte externa do mesmo. A única maneira de entrar no terraço, ao menos segundo Adam, era através de uma claraboia no corredor. Ele também alegou que não havia árvores nas imediações do prédio.

Adam descartou a possibilidade de ser a tubulação, visto que seria o som de algo caindo no chão. Apesar de seu prédio ser antigo e fazer muitos ruídos, o barulho em questão era uma novidade para ele. Então, ele pensou na possibilidade de existir um espaço secreto no interior do seu apartamento. Foi assim que ele teria olhado cada canto do mesmo, mas infelizmente não teria descoberto nada. Ele não se deu por vencido. Adam foi até o corredor do prédio, quando algo chamou a sua atenção: um misterioso alçapão no teto do corredor. Aliás, ele disse que sempre soube da existência desse alçapão, mas sempre presumiu, que o mesmo levaria diretamente ao terraço do prédio.

Adam foi até o corredor do prédio, quando algo chamou a sua atenção: um misterioso alçapão no teto do corredor. Aliás, ele disse que sempre soube da existência desse alçapão, mas sempre presumiu, que o mesmo levava diretamente ao terraço do prédio
Adam disse que o mesmo era bem alto, e ficava logo acima das escadas. Ele também disse, que sempre pensou que era possível acessá-la somente com alguma escada profissional. Assim sendo, ele gravou um vídeo de apenas nove segundos para que seus seguidores pudessem ter uma noção da altura, em que o mesmo se encontrava. Confiram o vídeo, que foi publicado em um canal de terceiros, no YouTube:



Adam alegou que via esse alçapão todas as manhãs, quando saía para trabalhar e nem se importava com isso, mas dessa vez aquilo lhe havia chamado a atenção. Ele não acreditava que o mesmo pudesse dar acesso ao terraço, uma vez que estava localizado abaixo do mesmo. Primeiramente, a abertura superior da claraboia estaria no mesmo nível do terraço (ele teria verificado isso no Google Earth para ter certeza), algo que, na visão de Adam, significava que havia um espaço vazio, com cerca de um metro, entre as duas aberturas.

Adam questionou se o alçapão poderia levar a alguma escada bem curta, que por sua vez daria acesso ao terraço do prédio. Porém, mesmo que isso fosse possível, o alçapão estava no mesmo nível em relação ao teto do seu apartamento, o que novamente, ao menos para ele, significava que havia cerca de um metro de espaço vazio acima do seu apartamento
Adam alegou que via esse alçapão todas as manhãs, quando saía para trabalhar e nem se importava com isso, mas dessa vez aquilo lhe havia chamado a atenção. Ele não acreditava que o mesmo pudesse dar acesso ao terraço, uma vez que estava abaixo do mesmo
Adam questionou se o alçapão poderia levar a alguma escada bem curta, que por sua vez daria acesso ao terraço do prédio. Porém, mesmo que isso fosse possível, o alçapão estava no mesmo nível em relação ao teto do seu apartamento, o que novamente, ao menos para ele, significava que havia cerca de um metro de espaço vazio acima do seu apartamento. Aliás, ele disse que seria capaz de explicar o motivo dessa diferença, em termos de espaço, por diversos razões. Uma delas é que o mesmo poderia ser uma espécie de "espaço de isolamento", que fosse comum em todos os prédios residenciais. Por outro lado, Adam alegou não era arquiteto, então não podia afirmar nada sobre isso.

Entretanto, ele disse que, durante a semana anterior e pouco um antes, ele teria passado a ouvir mais sons acima de sua cabeça, por assim dizer. Poucos dias após o primeiro som, ele disse que ouviu uma batida semelhante, enquanto estava na cozinha. Então, na noite anterior (17/11), ele ouviu uma espécie de som agudo, como se algo de vidro ou metal tivesse caído no chão, e tivesse rolado por cerca de dois metros sobre o seu teto antes de parar. De acordo com Adam, algo estava acontecendo na parte superior do seu apartamento, sendo que ele chegou a supor que poderia ser um guaxinim. Ele também não conseguia tirar da cabeça o fato de que o alçapão estava em um lugar tão estranho e inacessível nas escadas.

Foi dessa forma, que Adam teve a ideia de comprar um bastão telescópico (ou haste telescópica) na Amazon, para conferir se era possível abrir o alçapão. Assim sendo, se fosse realmente possível abri-lo, ele iria comprar uma escada ou então entraria em contato com o locador (o proprietário do imóvel) para que o mesmo pudesse investigar o que estava acontecendo.

Foi dessa forma, que Adam teve a ideia de comprar um bastão telescópico (ou haste telescópica) na Amazon, para conferir se era possível abrir o alçapão. Assim sendo, se fosse realmente possível abri-lo, ele iria comprar uma escada ou então entraria em contato com o locador (o proprietário do imóvel) para que o mesmo pudesse investigar o que estava acontecendo.
Adam reapareceu no Twitter apenas no dia 29 de novembro, ou seja, na última quarta-feira. Inicialmente, ele disse que havia acontecido muita coisa na semana passada, mas que ele teve que se ausentar devido ao "Dia de Ação de Graças" (nesse ano foi comemorado no dia 23 de novembro), uma data comemorativa celebrada principalmente nos Estados Unidos e no Canadá. Ele contou que os ruídos provenientes do teto não cessaram, mas que o bastão telescópico que ele havia comprado não tinha chegado antes do feriado conforme ele imaginava. Ele só conseguiu recebê-lo na sexta-feira passada (24), no período da noite. Então, ele planejou investigar o alçapão na manhã do dia seguinte.

Entretanto, mal tinha deitado e pegado no sono, Adam acabou acordando com um barulho incrivelmente alto acima dele. Parecia que alguém tinha jogado uma bola de boliche no teto. Assim que ele se levantou, ele teria se sentido muito estranho. Ele disse que havia uma estranha energia ao seu redor, algo que não conseguia explicar. Após cerca de um minuto, ele ouviu outra batida. Por um momento, Adam pensou em pegar seus sapatos e sair correndo do apartamento, mas isso significaria ter que passar por baixo do alçapão, e isso parecia ser uma má ideia. Então, em vez disso, Adam apenas ficou escutando e aguardando, apesar de não ter muita certeza sobre o que esperar diante daquela situação. Houve uma nova batida, e assim continuou por umas 15 vezes consecutivas e, em seguida, houve um longo período de silêncio. Posteriormente, ele ouviu um som um pouco mais baixo, semelhante a um rangido vindo do corredor. Em sua mente, Adam pensou ser o som de um passo, mas na verdade poderia ser qualquer coisa. Ele disse que permaneceu quieto, mas não houve mais nenhum som depois disso. Adam disse que se deitou novamente, ainda tenso e nervoso, mas acreditava que tivesse adormecido em algum momento, uma vez que acordou na manhã seguinte e tudo parece estar normal novamente. Ele teria se vestido e saído para comprar pão, assim como faria todos os sábados.

Em certo momento, enquanto Adam ia descendo as escadas, ele sentiu que havia algo entre a sola do seu sapato e os degraus. Ele teria olhado para baixo e notado um amontoado de detritos na escada, na direção do alçapão.

Em certo momento, enquanto Adam ia descendo as escadas, ele sentiu que havia algo entre a sola do seu sapato e os degraus. Ele teria olhado para baixo e notado um amontoado de detritos na escada, na direção do alçapão.
Segundo Adam, parecia ser tão somente sujeira, mas ele não sabia dizer exatamente o que era. Aliás, ele também supôs que poderia ser resquícios de gesso ou algo assim. Ele teria resolvido olhar para cima, em direção ao alçapão, e notado algo bem mais peculiar no mesmo. Era como se houve algo preso na beirada do alçapão, porém era igualmente difícil identificar a distância.

Adam teria resolvido olhar para cima, em direção ao alçapão, e notado algo bem mais peculiar no mesmo. Era como se houve algo preso na beirada do alçapão, porém era igualmente difícil identificar a distância
De acordo com Adam, naquele momento, pãezinhos eram as últimas coisas que passavam pela sua cabeça. Ele disse que voltou ao seu apartamento e pegou o bastão telescópico. Adam também teria colocado sua câmera em seu guarda-roupas, no alto da escada, e colocado-a para gravar. Ele chegou a mencionar que queria ter certeza que tudo estivesse sendo filmado caso um demônio resolvesse sair pelo alçapão. Confira o vídeo abaixo, que foi publicado em um canal de terceiros, no YouTube:



Adam disse que deu um pulo, e quase caiu da escada na tentativa de se desviar daquilo que caiu do alçapão (muito embora o bastão não se mova como o esperado para alguém que desse um pulo segurando o mesmo). No começo, ele pensou que fosse um esquilo morto, o que honestamente explicaria muita coisa. Contudo, aquilo quicou nos degraus e foi parar no primeiro andar. Adam disse que subiu novamente as escadas para pegar seu celular e retrair o bastão telescópico, uma vez que o mesmo era longo e pesado. Uma vez feito isso, ele voltou para investigar o que havia caído. Ao vê-lo, Adam ficou meio confuso, visto que era um objeto meio sombrio, negro e meio desbotado, porém ele resolveu apanhá-lo e logo percebeu o que era: um pequeno sapato de couro.

Adam disse que subiu novamente as escadas para pegar seu celular e retrair o bastão telescópico, uma vez que o mesmo era longo e pesado. Uma vez feito isso, ele voltou para investigar o que havia caído. Ao vê-lo, Adam ficou meio confuso, visto que era um objeto meio sombrio, negro e meio desbotado, porém ele resolveu apanhá-lo e logo percebeu o que era: um pequeno sapato de couro.
Adam disse que voltou ao seu apartamento e enviou uma mensagem de texto ao seu locador, dizendo que havia alguma coisa no espaço entre seu apartamento e o terraço do prédio, e se o mesmo não poderia verificar o que era. Assim sendo, o locador teria respondido que passaria no local um pouco mais tarde e levaria uma escada. Algumas horas depois, o proprietário do imóvel estava em uma escada, usando uma lanterna para iluminar o interior do alçapão. Adam disse que olhou para ele, meio que esperando que algo o agarrasse e o puxasse para dentro da escuridão. No entanto, o proprietário iluminou todos os cantos do local com sua lanterna, e finalmente disse: "Não há nada aqui em cima".

Entretanto, logo em seguida, ele percebeu algo. Então, o proprietário esticou o braço no interior do alçapão e tirou de lá algo pequeno e redondo. Mais uma vez, Adam disse que não sabia com o que estava se deparando, sendo que inicialmente pensou que pudesse ser alguma bala. Contudo, Adam disse que era frio e pesado demais para ser tão somente um doce. Após alguns segundos, ele notou que era tão somente uma bolinha de gude. Ele alegou que não percebeu que era uma bolinha de gude, devido ao cansaço que estava sentindo. Aliás, a bolinha de gude tinha uma pequena protuberância na parte externa da mesma (comentarei sobre isso daqui a pouco).

Mais uma vez, Adam disse que não sabia com o que estava se deparando, sendo que inicialmente pensou que pudesse ser alguma bala. Contudo, Adam disse que era frio e pesado demais para ser tão somente um doce. Após alguns segundos, ele notou que era tão somente uma bolinha de gude.
Ele alegou que não percebeu que era uma bolinha de gude, devido ao cansaço que estava sentindo. Aliás, a bolinha de gude tinha uma pequena protuberância na parte externa da mesma.
Adam disse que o proprietário do imóvel teria permanecido indiferente e alheio a situação a maior parte do tempo, mas disse para chamá-lo caso ele voltasse a ouvir mais alguma coisa. Adam disse que voltou para casa para tentar descobrir alguma coisa sobre a tal bolinha de gude que, de alguma forma, tinha ido parar sobre o seu teto. No entanto, ele acabou não descobrindo muita coisa, mas que aparentemente, no início do século XX, as pessoas faziam bolinhas de gude artesanalmente e as cortavam com grandes tesouras de metal, ou seja, que a bolinha de gude em questão provavelmente seria um tanto quanto antiga. Em seu último tweet, ele disse que tinha um antigo e decrépito sapato, além de uma bolinha de gude em sua cômoda e que, talvez, esse fosse a nova definição de normal.

Os Objetos Teriam Sido Realmente "Descobertos" por Adam Ellis? Esse Alçapão Poderia Revelar Segredos Sombrios Sobre o Passado de David?


Particularmente, as novas atualizações realizadas por Adam Ellis não mudaram muito o cenário anterior. Tudo indica que seja apenas uma mera história de terror, ou seja, que ele inventou toda essa história de fantasma com um objetivo maior, provavelmente um livro que será lançado no ano que vem (daqui a pouco também comentarei sobre isso). De qualquer forma, o número de seguidores de Adam Ellis não parou de crescer desde o dia 7 de novembro, ocasião na qual, para muitos, ficou mais do que evidente de que toda essa história fosse realmente inventada. Para vocês terem uma ideia, desde então Adam ganhou 133 mil novos seguidores no Twitter e 40 mil novos seguidores no Instagram (sendo que esses números aumentam diariamente).

Se fôssemos considerar, por um único momento, que toda essa história fosse verdade, e que você realmente se deparasse com uma figura como aquela no meio da noite e, posteriormente, o teto acima de sua cabeça fosse intensamente golpeado com fortes batidas misteriosas, você ficaria realmente no interior daquele apartamento? Provavelmente, não. Exceto, é claro, se você ganhasse algo com isso. Aliás, por qual razão alguém manteria aqueles dois objetos que, apesar de Adam não ter dito explicitamente que pertenciam ao David, tudo indica que é exatamente isso que ele quer que as pessoas pensem? Se os dois objetos estivessem mesmo atrelados a um espírito que deseja matá-lo, que foi exatamente isso que ele alegou em agosto, não faria sentido mantê-los em casa, visto que essa seria uma forma de atrair ou até mesmo provocar o espírito. Evidentemente, isso não quer dizer que você deveria dar os objetos para um amigo(a), mas seria possível mantê-los seguros e se manter seguro ao mesmo tempo, não concordam? Pelo menos essa é a lição que toda história sobre fantasmas ensina aos seus espectadores. Aliás, Annabelle seria um bom exemplo disso para muitos.

Se fôssemos considerar, por um único momento, que toda essa história fosse verdade, e que você realmente se deparasse com uma figura como aquela no meio da noite e, posteriormente, o teto acima de sua cabeça fosse intensamente golpeado com fortes batidas misteriosas, você ficaria realmente no interior daquele apartamento? Provavelmente, não. Exceto, é claro, se você ganhasse algo com isso.
Provavelmente, a resposta para essas perguntas, é relativamente simples: o enredo exige que Adam faça isso. Uma vez que tudo indica que isso seja uma obra de ficção muito bem executada, o que precisa acontecer nesse momento é que os eventos se intensifiquem de magnitude. Não há melhor forma de fazer isso do que trazer os pertences do fantasma que deseja matá-lo para dentro do seu apartamento. Então, é possível imaginar que a situação ficará mais emocionante, quiçá mais assustadora para muitos leitores, que estão acompanhando de perto essa história.

Aliás, Adam parou de fazer atualizações com tanta frequência quanto antes. Atualmente, ele vem atualizando sua história entre 10 a 11 dias. Isso não parece ser uma coincidência (muito embora tenha havido um feriado no meio do caminho), então a expectativa é que haja uma atualização bem emblemática por volta do dia 9 ou 10 de dezembro. Porém, esse é apenas um palpite diante do que vem acontecendo, uma vez que Adam é livre para atualizar sua história quando e como quiser, afinal de contas ele é o autor.

Aliás, Adam parou de fazer atualizações com tanta frequência quanto antes. Atualmente, ele vem atualizando sua história entre 10 a 11 dias. Isso não parece ser uma coincidência (muito embora tenha havido um feriado no meio do caminho), então a expectativa é que haja uma atualização bem emblemática por volta do dia 9 ou 10 de dezembro. Porém, esse é apenas um palpite diante do que vem acontecendo, uma vez que Adam é livre para atualizar sua história quando e como quiser, afinal de contas ele é o autor.
Em relação a "descoberta" dos dois objetos, provavelmente é tão somente uma parte necessária da história. Adam provavelmente os comprou em um antiquário ou até mesmo através da internet em sites como o eBay, onde se encontra praticamente de tudo, imaginável ou não. Posteriormente, bastaria armar todo um cenário em que ele se mostrasse surpreso com a descoberta. Aliás, ele sequer possui cúmplices até o presente momento, o que facilita para evitar o vazamento de suas intenções por trás da história. Nesse ponto, muitos podem alegar que ele chamou o proprietário do imóvel. Será mesmo? Alguém se perguntou por qual o motivo o Adam não tirou uma foto, ainda que de costas do proprietário em cima de uma escada investigando o local com uma lanterna? Por qual razão ele não acoplou uma câmera em seu bastão telescópico e filmou o interior do que ele chamou de alçapão? Adam apenas conta e diz aquilo que lhe interessa para manter as pessoas focadas na sua história. Aliás, esse é o comportamento típico de quem não quer que você saiba a realidade sobre algo, ou seja, simplesmente evita de comentar sobre pontos mais delicados, e que apontam para uma farsa, e preferem manter as pessoas completamente cegas sobre um determinado assunto.

De qualquer forma, Adam tentou passar realismo ao trazer mostrar aquela bolinha de gude de vidro, visto que aquela protuberância citada por ele é chamada de pontil, algo que poderia denotar que fosse realmente antiga. As bolinhas de gude de vidro fabricadas à mão possuem essa característica, ao contrário daquelas que são fabricadas industrialmente (muito embora ainda sejam cortadas por um dispositivo, mas a superfície é suavizada ao longo do processo). Confira abaixo como as bolinhas de gude são fabricadas atualmente através de um episódio do Discovery Science, que foi publicado em um canal de terceiros, no YouTube:



Embora as bolinhas de gude existam desde a antiguidade, elas eram de cerâmica ou argila. As bolinhas de gude de vidro são bem mais recentes. De acordo com o site "How Products Are Made", a chamada "marbelschere", mais conhecida como "tesoura de bolinha de gude" foi inventada por um empregado de uma fábrica de vidro na Alemanha, em 1846, permitindo assim uma maior facilidade na fabricação das bolinhas de gude. Portanto, é possível que a bolinha de gude de Adam seja mesmo antiga, porém possivelmente comprada em um antiquário ou internet. Assim sendo, é possível deduzir que em algum momento Adam irá dizer que o incidente que levou a morte de David ocorreu há muito tempo atrás, e essa seria a razão pela qual ele não teria conseguido descobrir nada sobre isso no passado. Aliás, quase ia me esquecendo de dizer. Muitos seguidores de Adam notaram a cor verde da bolinha de gude e correlacionaram a suposta cor preferida de David devido aos objetos que já teriam sido tocados por ele: a cadeira de balanço verde, o casco da tartaruga, o vasinho do cacto etc.

Em uma tentativa de entrar na cabeça de Adam, podemos perceber que ele criou a possibilidade de David ter sido uma criança que morava em Nova York, na virada do século XIX para o XX e que, talvez, continue assombrando o local desde então. Se David morreu devido a prateleira de um estabelecimento comercial, que desabou sobre sua cabeça, isso quer dizer que seu apartamento ocupa o local onde ficava essa loja? Será que David morava em uma antiga propriedade que ficava ao lado dessa loja, sendo que ambos os locais foram demolidos e foi construído um prédio residencial no local? Será que a loja onde David teria morrido ficava ao lado de onde Adam mora atualmente? Essas são diversas hipóteses para uma boa história de terror, porém isso não quer dizer que seja realidade. Conseguem entender bem essa diferença? É importante que saibam a diferença para não sentirem enganados ao final desse processo, porque em algum momento Adam terá que revelar a verdade para seu público. Isso é quase um consenso para muitos que acompanham esse caso, inclusive eu.

A História de Adam Ellis Sobre o "Dear David" Seria Baseada ou Inspirada em um Caso Real e que Nunca Foi Solucionado?


Ao longo do caminho, alguns usuários na internet começaram a formular algumas teorias sobre a história que ficou conhecida como "Dear David". Assim sendo, algumas pessoas vem apontando que a mesma seria baseada em um caso real. Qual? Bem, vou tentar resumi-lo para vocês.

Em fevereiro de 1957, o corpo nu de menino entre 3 e 5 anos, envolto em uma manta xadrez, foi encontrado em uma área florestal próxima a Estrada Susquehanna, em Fox Chase, na Filadélfia, nos Estados Unidos. O corpo estava dentro de uma caixa de papelão de um berço vendido pela loja de departamentos "J. C. Penney". O cabelo do menino apresentava sinais, que tinha sido cortado recentemente, possivelmente após a sua morte, uma vez que muitos fios de cabelo ainda estavam agarrados ao seu corpo. Havia sinais de desnutrição severa, assim como cicatrizes cirúrgicas no tornozelo e na virilha, além de uma cicatriz em forma de "L" sob o queixo.

Em fevereiro de 1957, o corpo nu de menino entre 3 e 5 anos, envolto em uma manta xadrez, foi encontrado em uma área florestal próxima a Estrada Susquehanna, em Fox Chase, na Filadélfia, nos Estados Unidos. O corpo estava dentro de uma caixa de papelão de um berço vendido pela loja de departamentos "J. C. Penney".


O corpo teria sido inicialmente descoberto por um jovem, que estava verificando suas armadilhas para ratos-almiscarados (um animal semelhante a um castor). Temendo que a polícia confiscasse suas armadilhas, ele não informou o que havia encontrado. Poucos dias depois, um estudante de faculdade viu um coelho correndo para o mato. Sabendo que havia armadilhas para animais na região, ele parou seu carro para ir atrás do coelho, e acabou descobrindo o corpo do menino. O estudante também ficou bem relutante em contar o que viu para a polícia, mas acabou relatando sua descoberta no dia seguinte.

A polícia, por sua vez, abriu uma investigação no dia 26 de fevereiro de 1957, e imediatamente coletou as digitais do menino, esperando que o caso fosse rapidamente resolvido e o mesmo fosse prontamente identificado. No entanto, não surgiu nenhuma informação útil que levasse a sua identificação.

Panfleto original ao caso distribuído pelo jornal "The Philadelphia Inquirer",
com o qual a polícia tentou identificar o corpo da vítima desconhecida.
O caso atraiu uma grande atenção por parte da mídia local. O jornal "The Philadelphia Inquirer" chegou a imprimir 400.000 panfletos mostrando a aparência do menino, que se espalharam por cada canto da região e, como se não bastasse, sua aparência também foi impressa em cada conta de gás por toda a Filadélfia. A cena do crime foi verificada por cerca de 270 recrutas da Academia de Polícia, que encontraram um lenço de bolso, um scarf (uma espécie de cachecol fino) infantil, um gato morto envolto em um suéter masculino e um boné de veludo azul de tamanho infantil, mas que não levaram a lugar algum.

A polícia chegou até mesmo a distribuir uma fotografia pós-morte do menino totalmente vestido e sentado para que alguém o reconhecesse como ele deveria ser em vida. Apesar da publicidade e do interesse esporádico ao longo dos anos, a identidade do menino ainda é desconhecida. O caso ainda não foi resolvido até hoje, mesmo após 60 anos de sua morte. Em 21 de março do ano passado, o Centro Nacional de Crianças Desaparecidas e Exploradas dos Estados Unidos divulgou uma reconstituição facial do menino e a adicionou em sua base de dados.

Em 21 de março do ano passado, o Centro Nacional de Crianças Desaparecidas e Exploradas dos Estados Unidos divulgou uma reconstrução facial do menino e a adicionou em sua base de dados
Reconstituição facial realizada por um usuário da Wikipedia, em 2015,
do menino que foi encontrado morto dentro de uma caixa em fevereiro de 1957
Evidentemente, muitas teorias e investigações foram conduzidas, sendo que as mais populares apontavam para o envolvimento de um lar adotivo e até mesmo de uma mulher que ficou conhecida apenas por "M", mas ambas foram descartadas pela polícia da Filadélfia. Recentemente, a polícia também descartou uma outra hipótese fornecida no ano passado por dois jornalistas investigativos norte-americanos. Uma análise comparativa de DNA mostrou que o suspeito não tinha nenhuma relação com o menino encontrado na caixa. Aliás, o corpo do menino foi exumado em 1998 justamente para extrair uma amostra de DNA, a partir do esmalte dentário, para futuras investigações.

Atualmente, os restos mortais do menino estão enterrados no Cemitério Ivy Hill, em Cedarbook, na Filadélfia. O túmulo possui uma grande lápide com as palavras "America's Unknown Child" ("A Criança Desconhecida dos Estados Unidos", em português). Os moradores da cidade mantêm o túmulo decorado com flores e animais de pelúcia.

Atualmente, o menino está enterrado no Cemitério Ivy Hill, em Cedarbook, na Filadélfia. O túmulo possui uma grande lápide com as palavras "America's Unknown Child" ("Criança Desconhecida dos Estados Unidos", em português). Os moradores da cidade mantêm o túmulo decorado com flores e animais de pelúcia.
Entretanto, será que Adam Ellis seria tão mórbido ao ponto de utilizar um caso que sensibiliza tantas pessoas na Filadélfia, mas que aconteceu a apenas 2h de distância de Nova York? Alguns detalhes sobre o menino encontrado na caixa chamam a atenção. No panfleto distribuído na época, foi informado que a causa da morte do menino era devido a lesões na cabeça, como se a mesma tivesse sido golpeada, sendo que havia múltiplos hematomas pelo corpo. Além disso, a manta que o envolvia era de um tecido de algodão bem simples, sendo que os desenhos tinham estampa de diamantes e quadrados de cor verde e branca, além de aparentar estar bem desgastada.

Agora, existe um detalhe muito mais interessante. Vocês lembram que o Adam Ellis (também conhecido por "adamtots") é um cartunista e redator do site de notícias "Buzzfeed", que desenha quadrinhos ou tirinhas destinadas ao público da internet? Vale ressaltar nesse ponto, que o "Buzzfeed" é um site que nasceu com a premissa de divulgar primordialmente conteúdos virais ou polêmicos, sem nenhuma preocupação com a credibilidade. Portanto, é muito complicado quando você trabalha para um site, cujo objetivo é apenas que uma história seja compartilhada a todo custo pelas redes sociais. Você pode não ganhar nada ao compartilhar um conteúdo, mas seu produtor ganha, principalmente em virtude do dinheiro arrecadado com anunciantes.

Adam Ellis (também conhecido por "adamtots") é um cartunista e redator do site de notícias "Buzzfeed",
que desenha quadrinhos ou tirinhas destinadas ao público da internet
Muitos alegam que não podemos julgar o Adam Ellis simplesmente por trabalhar no "Buzzfeed", visto que suas postagens são basicamente humorísticas. Será mesmo? No mesmo dia que Adam começou a divulgar sua história no Twitter, ele também publicou no Buzzfeed. Contudo, isso ainda não soa ser suficiente para acusá-lo de algo.

Por outro lado, e se eu falasse para vocês, que cerca de 3 dias antes de tudo isso começar, no dia 4 de agosto deste ano, o "Buzzfeed" publicou em um dos seus canais do YouTube, um vídeo justamente falando sobre a misteriosa morte do menino da Filadélfia? Coincidência? Confira o vídeo abaixo (em inglês):



Estranho, não é mesmo? Enfim, muitos usuários acreditam que a história do "Dear David" seja baseada ou inspirada nesse caso que nunca foi solucionado. Aliás, alguns foram muito além ao imaginar que o menino em questão fosse o David, que teria morrido acidentalmente em Nova York, e que alguém teria tentando encobrir sua morte levando seu corpo para a Filadélfia e, finalmente, o colocando dentro de uma caixa.

De qualquer forma, Adam Ellis vem trabalhando em um novo livro que será lançado no ano que vem. Ele sempre alegou a existência desse novo livro, e sempre disse que o mesmo não teria nenhuma relação com essa história que ele vem narrando, mas é difícil acreditar totalmente nisso. Através de sua conta no Instagram, no dia 20 de novembro, Adam disse que um novo livro seria lançado no ano que vem, e que ele e sua editora tinha estabelecido uma meta de 100 páginas, algo que ele vinha marcando em sua parede. Contudo, ele esperava ter bem mais páginas do que isso até o mês de maio. Ele disse que vinha sendo uma longa jornada, e que estava apenas no meio do caminho. Para completar, ele alegou ter muitos projetos secretos que serão realizados no ano que vem, e que ele não podia comentar, ou seja, 2018 seria um ano realmente muito empolgante para Adam.

Através de sua conta no Instagram, no dia 20 de novembro, Adam disse que um novo livro seria lançado no ano que vem, e que ele e sua editora tinha estabelecido uma meta de 100 páginas, algo que ele vinha marcando em sua parede. Contudo, ele esperava ter bem mais páginas do que isso até o mês de maio.
Existem até mesmo aqueles que acreditam que Adam seja um lunático ou que esteja realmente acreditando em uma eventual fantasia que sua mente criou, mas sinceramente não acredito que ele tenha qualquer distúrbio psicológico, muito pelo contrário. Independentemente da inspiração de "Dear David", seja devido a um caso real ou não, fato é que tudo isso vem caminhando cada vez mais para uma grande jogada de marketing envolvendo uma mera história de terror contada através do Twitter que, talvez, evolua para um livro, um curta-metragem, um filme, não sabemos ainda.

Conforme disse anteriormente, não tenho nada contra histórias de terror, porém é preciso separar fatos da ficção, sendo sempre muito controverso vender algo "baseado em fatos reais" como o gênero de terror habitualmente costuma fazer (e quase sempre de forma questionável). Histórias contadas por pessoas não podem ser imediatamente taxadas como verdadeiras, visto que para isso seria necessário uma longa investigação, que poderia muitas vezes ser inconclusiva. Aliás, o fator humano é o mais complexo para apontar a veracidade de cada uma delas. A história de Adam Ellis sem dúvida alguma é muito interessante e criativa, mas acreditar que ele está correndo um real risco de vida ou sendo atormentado por um demônio, é uma outra história completamente diferente. Analisando friamente, percebe-se claramente o quanto as pessoas são enganadas diariamente das mais variadas formas. A diferença é que, ao contrário do caso do Adam Ellis, muitas serão enganadas pela eternidade.

Enfim, caso haja alguma atualização relevante sobre esse caso manterei vocês informados tão logo seja possível, combinado?

Até a próxima, AssombradOs!

Criação/Tradução/Adaptação: Marco Faustino

Fontes:
http://www.assombrado.com.br/2017/08/apartamento-assombrado-homem-alega-que.html
http://www.assombrado.com.br/2017/09/a-saga-continua-adam-ellis-insiste-em.html
http://www.assombrado.com.br/2017/11/adam-ellis-diz-que-fotografou-o.html
https://en.wikipedia.org/wiki/Boy_in_the_Box_(Philadelphia)
https://hellogiggles.com/lifestyle/dear-david-hoax-adam-ellis/

https://twitter.com/moby_dickhead
https://www.bustle.com/p/this-dear-david-update-about-the-hatch-in-adam-elliss-apartment-will-probably-wreck-your-day-6636944
Comentários