19 de novembro de 2017

Hell Fire Club da Irlanda: Um dos Locais mais Assombrados do Mundo e Nós Visitamos!

Inscreva-se no canal clicando no botão abaixo:
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes

E vamos falar mais uma vez do Clube Hell Fire, desta vez das duas filiais existentes na Irlanda. Os princípios são os mesmos: tudo é permitido. Sexo, Bebedeira, Jogatina e talvez até Adoração do Diabo! E desta vez o diferencial é que visitamos os dois Clubes da Irlanda, localizados em Dublin e Askeaton! 

Fala Assombrados! É com muita alegria que escrevo que uma empresa acreditou no nosso potencial e nos levou para ver locais assombrados de perto. A NED Training Centre, uma empresa de intercâmbio, nos levou para a Irlanda! Ficamos 20 dias e visitarmos diversos locais assombrados, além de aprender inglês. Vou trazer uma série de reportagens especiais, e para começar escolhi falar do Clube Hell Fire, o local onde a nobreza se reunia para fazerem orgias, beberem e diz a lenda, adorar o diabo. Eu já falei do Clube Hell Fire da Inglaterra em um especial. Só que eu não sabia que existiam duas filiais na Irlanda! Um fica em Dublin e o outro em Askeaton. Visitamos os dois locais e vamos contar tudo para vocês :)

Antes, se tem interesse em fazer intercâmbio, fala com o pessoal da NED. Eles acreditaram em nós, portanto vamos dar um força para eles. Consegui até um desconto para vocês. É só falar que ficou sabendo do curso pelo canal assombrado que vai ganhar 10% de desconto para os pacotes de curso de inglês em Dublin. Você pode entrar em contato com eles pelo Instagram, YouTube, Facebook, site oficial ou e-mail.

Gostaria de agradecer os leitores Nati Piovan Cuestas, Vinicius Croft, Letícia Soares Calvi, Jiovane da Joice e Marco Faustino, pela ajuda na tradução do material do inglês para o português :)


Ana e eu no Hell Fire Club de Dublin


A Casa de Caça de William Conolly

A construção atualmente conhecida como Clube Hell Fire foi construída por volta de 1725 como sendo uma alojamento de caça de William Conolly, o presidente da Câmara dos Comuns da Irlanda. Foi chamado de Monte Pelier por Conolly, mas ao longo dos anos também ficou conhecido como "The Haunted House", "The Shooting Lodge", "The Kennel", e "Conolly's Folly". Foi um dos diversos estabelecimentos exclusivos que usavam o nome Clube HellFire, que existia no Reino Unido e na Irlanda no século XVIII.

Embora a construção tenha uma aparência bem precária atualmente, a arquitetura é paladiana. O andar superior é composto por um salão e duas salas de recepção. No lado leste, havia um terceiro andar de madeira, onde os quartos ficavam localizados. No térreo se encontra uma cozinha, quartos destinados a funcionários e escadas para os andares superiores. A entrada, que está no andar superior, era alcançada através de um longo lance de escadas, que atualmente não existe mais. Em cada lado da construção existe uma espécie de sala com um telhado inclinado, que pode ter sido usado para abrigar cavalos. É possível ver um bloco de pedram que teria servido para ajudar as pessoas a amarrar seus cavalos no lado leste. Na parte frontal havia um pátio semicircular, cercado por um baixo muro de pedra e também havia um portão. A casa está voltada para o norte, em direção a Dublin e as planícies de Meath e Kildare, incluindo a residência principal de Conolly em Castletown House, na cidade de Celbridge. O terreno ao redor da construção era um parque que abrigava cervos e contava com uma área de 4 km². A identidade do arquiteto, no entanto, é desconhecida. O autor Michael Fewer sugeriu que poderia ter sido Edward Lovett Pearce (1699-1733), contratado por Conolly para realizar obras em Castletown, em 1724.

Havia um local pré-histórico destinado a funerais e um antigo cemitério no cume do Monte Pelier Hill e, muitas pedras de lá foram usadas na construção do alojamento. Seria algo semelhante a NewGrange (também visitamos o local e em breve sai especial sobre esse incrível local, mais antigos que as Pirâmides do Egito!).

O lado sobrenatural do local teria começado aqui. Diz uma lenda local que o diabo ficou tão enfurecido pela profanação do local que derrubou o telhado de madeira do alojamento durante uma tempestade. Isso aconteceu pouco tempo após a construção do lugar, uma grande tempestade destruiu o telhado original de ardósia. Conolly acabou substituindo o mesmo por um telhado de pedra arqueada construído de forma semelhante à de uma ponte. Este telhado manteve-se intacto até hoje, embora a construção esteja abandonada por mais de dois séculos. Há pouquíssima evidência de que o alojamento tenha sido usado. por muito tempo. O próprio Conolly morreu em 1729.

Recentemente, alguns anos atrás, um grupo de arqueólogos escavou o local para descobrir mais
sobre duas tumbas ou passagens na colina - semelhante com Newgrange no vale Noyne na Irlanda.

A Casa de Caça de William Conolly, construída em 1725


O Hell Fire Club

Foi na Inglaterra que foi fundado o primeiro Hell Fire Club (Clube do Fogo do Inferno) no ano de 1719 pelo controverso Philip, Duque de Wharton (1698-1731), um aristocrata, um proeminente político Whig e maçom emérito, sexto Grão-Mestre da Grande Loja de Londres com apenas 22 anos. Em 1722 o clube foi fechado.

Mas o espírito do clube perdurou e o clube foi instalado em todo o Reino Unido e na Irlanda. Nós já falamos aqui do mais famoso Hell Fire Club, localizado na Inglaterra e fundado por Sir Francis Dashwood. Nesta postagem vamos falar das filiais Irlandesas: nas cidades de Dublin e Askeaton.

O Clube HellFire irlandês foi fundado em 1737 por Richard Parsons, 1º Conde de Rosse e James Worsdale. Lord Rosse provavelmente foi o presidente do clube. Entre os gostos peculiares de Rosse, dizem que ele gostava de receber visitas nú - Ele era o que ficava nu, não os convidados.

"Em uma certa ocasião ele tirou suas roupas e ficou totalmente nu para receber uma visita de um célebre clérigo Samuel Madden, co fundador da sociedade de Dublin (agora chamada de A sociedade Real de Dublin)". diz David Ryan, autor do livro, "Blasphemers Blackguards: The Irish Hellfire Clubs". Ele continua "Outro membro do clube, James Worsdale, era um artista, dramaturgo e bem mulherengo. Uma vês durante uma visita em Mallow, ele ficou um pouco mais a vontade do que devia com a filha de sua proprietária de terra/senhoria, o que a fez se enfurecer e a persegui-lo pela cidade batendo nele com um pedaço de osso de carneiro."

A evidência das identidades dos outros membros vem de uma pintura de Worsdale intitulada "The Hell Fire Club, Dublin", que se encontra atualmente na Galeria Nacional da Irlanda, onde mostra cinco membros do clube sentados em torno de uma mesa. Os cinco homens são: Henry, 4º Barão Barry de Santry (que foi julgado e condenado por assassinato em 1739); Simon Luttrell, Lord Irnham; Coronel Henry Ponsonby; Coronel Richard St. George e Coronel Clements.

A maioria das reuniões ocorria no centro da cidade de Dublin, na Taverna Eagle, no Monte Cork, perto do Castelo de Dublin. Os relatos contados sobre as reuniões do clube apontavam, que os membros bebiam algo chamado de "scaltheen", uma mistura de uísque e manteiga quente, e que deixavam uma cadeira vazia em cada reunião para o Diabo. O mascote do clube era um gato preto.

Eu dentro do Hell Fire Club de Dublin


O que Faziam no Hell Fire Club?

Eles eram um grupo de aristocratas, descritos na época pelo escritor de "Gulliver's travels" Jonathan Swift como "um bando de monstros, blasfêmicos e amantes de festas sexuais/orgias.

O clube foi um dos muitos tanto na Inglaterra quanto na Irlanda onde jovens ricos se esbaldavam em festas regadas a bebida, comida, jogos de azar e apostas e muito álcool.

Mas alguns clubes exageravam no quesito sexo, blasfêmia e atos de crueldades sanguinolentas/macabras - ou assim dizem os rumores.

Outras histórias falam de muitas sessões de bebedeira, missas negras, nas quais animais eram sacrificados e, até mesmo um anão teria sido sacrificado em uma determinada ocasião.

"Os jornais daquela época contavam relatos do diabo, satanás andando entre eles e essas histórias se espalharam e ganharam conhecimento florestal por volta de 1720 e até alcançaram jornais de outros países" afirma Aisling Tierney de Limerick, que acaba de concluir um PhD em Bristol sobre os Clubes Hellfire. "Sim, havia fofoca e rumores, mas não havia evidências, provas físicas e concretas de que eles se viam como ou se eram adoradores do diabo/satanás." 

David Ryan declara que apesar de que ainda exista rumores sobre os membros serem ou não adoradores do diabo/satanás, "na verdade, eles eram pensadores livres, de mente aberta, que não acreditavam nem em céu e nem em inferno."

Além disso eles se protegiam. "As coisas começam a ficar mais sinistras quando nos encontramos com um dos membros mais jovens do clube, Henry, quarto barão Barry of Santry. Senhor Santry era civilizado o bastante - quando sóbrio. Quando sob efeitos de bebida como sempre estava, um lado muito mais sombrio se revelada. Um de seus crimes mais chocantes foi o assassinato de um empregado/servo doente e acamado/de cama. Ao forçar o pobre homem a beber uma garrafa de conhaque, Santry encharcou os lençóis, cobertas e fronhas e ateou fogo, queimando o pobre homem ainda vivo. Ele escapou das punições comprando o silêncio de testemunhas." Enquanto ele se dava bem pagando as pessoas para ficarem quietas depois desse incidente, ele foi finalmente levado para ser julgado e condenado pela morte de outro criado. Embora fosse protegido por amigos muito poderosos – cujo os quais, na verdade, pareciam não querer nada além de se livrar dele – passou o resto de seus dias sozinho no exílio Inglês.

E com façanhas tenebrosas como esta, o Clube Hell Fire ganha sua assustadora reputação e deixa uma sombra negra de mistérios ao longo de anos.

Pintura "The Hell Fire Club, Dublin".

O Clube Hell Fire Aluga a Casa de Caça de Connolly

Em algum momento, o alojamento/casa de caça de Monte Pelier foi alugado ao clube pela família Conolly (coincidentemente, William Conolly comprou  o Monte Pelier Hill de Philip, Duque de Wharton, fundador do primeiro Clube HellFire, em 1719).

Não está claro para qual finalidade, caso tenha havido alguma, o Clube HellFire utilizou o alojamento. O autor Michael Fewer sugeriu que a localização afastada do Monte Pelier seria a principal responsável por não haver relatos verificáveis sobre as atividades que aconteceram no local. No entanto, inúmeras histórias (e muito duvidosas) sobre o lugar tornaram-se parte do folclore local, algumas das quais se espalharam para uma audiência mais ampla através da publicação das mesmas em livros e periódicos, assim como aconteceu em "Robert Chambers' Book of Days" (1864) e na "The Gentleman's Magazine" (1731–1922).

Em algum momento durante este período, o local foi destruído pelo fogo. Existem diversas histórias relacionadas a esse incidente. Uma delas alega que o próprio clube incendiou o local, quando o filho de William Conolly se recusou a renovar o contrato de locação. Uma história alternativa aponta, que os membros do clube fizeram isso para dar ao local uma aparência infernal. Outra história conta que, após uma missa negra, um serviçal teria derrubado bebida no casaco de homem, que foi apelidado de "Burn-Chapel" Whaley. Whaley se vingou jogando conhaque em cima do serviçal e ateou fogo no mesmo. No entanto, o fogo teria se espalhado e matado muitos membros. Após o incêndio, o clube se mudou para a "Hillakee Stewards House". No entanto, as atividades declinaram após esse incidente.

O Clube Hell Fire irlandês foi ressuscitado em 1771, e permaneceu ativo por mais de 30 anos. Seu membro mais notório foi Thomas "Buck" Whaley, filho de Richard Chappell Whaley. Esta nova encarnação, por assim dizer, era conhecida como "Os Santos Padres". As reuniões voltaram a acontecer no alojamento do Monte Pelier e, de acordo com uma história, os membros sequestraram, assassinaram e comeram a filha de um fazendeiro. Whaley finalmente se arrependeu e, quando ele morreu em 1800, o Clube Hell Fire irlandês se dissipou também.

Rafael do canal ÉTriViajar e eu dentro do Hell Fire Club


Histórias Sobrenaturais

- Visita do Diabo? Uma das mais conhecidas conta sobre um estranho que chegou ao clube em uma noite tempestuosa. Convidado para entrar, ele se juntou aos membros em um jogo de cartas. Um jogador deixou cair uma carta no chão e, quando ele se curvou debaixo da mesa para recuperá-la, percebeu que esse homem estranho tinha um cascos nos pés. Neste ponto, o visitante desapareceu em uma bola de fogo. Esta história, que é encontrada em textos, pelo menos desde década de 1930, é muito semelhante a uma outra associada a Loftus Hall, no condado de Wexford. A família Loftus possuía um alojamento de caça, conhecido como Dolly Mount, que também se encontrava em Mount Pelier Hill.

- Enganando o Diabo: Uma história refere-se a um membro do clube, Simon Luttrell, conhecido como Lord Irnham, posteriormente Conde de Carhampton e, certa vez, Xerife de Dublin. Acredita-se que Luttrell tenha sido o tema de "The Diaboliad", um poema de 1777, dedicado ao "pior homem da Inglaterra". De acordo com a história, Luttrell fez um pacto com o Diabo para vender e entregar sua alma em até sete anos em troca do pagamento de suas dívidas, mas, quando o Diabo chegou até o alojamento para reivindicar sua alma, Luttrell distraiu o Diabo e fugiu.

- A História do Fazendeiro: Há um relato de um jovem fazendeiro local que era curioso sobre o que acontecia e foi encontrado por membros do clube vagando ao redor do clube.
Os membros o viram e o deixaram entrar para que matasse sua curiosidade, na manhã seguinte ele foi encontrado nas montanhas, sem poder falar (provavelmente cortaram sua língua) e também ficou surdo e mudo pelo resto da vida.

- Canibalismo: Dizem que membros do grupo uma vez sequestraram a filha de um fazendeiro local, a assassinaram e a comeram dentro do clube!

- O Fantasma do Gato Preto: Diziam que sacríficos de animais eram comuns, e existe uma certa história, que fala sobre um padre que foi até o clube em uma determina noite, e se deparou com membros do clube sacrificando um gato. O padre pegou o corpo do gato e realizou uma espécie de exorcismo. Quando ele fez isso um demônio saiu do corpo do gato e desapareceu.
Existem histórias de um gato preto com orelhas similares a chifres e olhos malignos que possuiu um padre e ainda assombra o local - dizem que este gato é do tamanho de um grande dálmata.

Diz a lenda que um grande gato preto assombra o local...


O Local Atualmente

Os Conollys venderam as terras para Luke White, em 1800, que por sua vez passou por herança para a família Massy de Duntrileage, no condado de Limerick. Quando a família Massy entrou em falência, as terras foram adquiridas pelo Estado. Atualmente, o local é mantido por uma empresa chamada Coillte, que administra espaços florestais nas encostas do Monte Pelier. A Coillte instalou escadas de concreto e barras de ferro nas janelas superiores.

Você pode visitar o local! Na primavera/verão (entre Abril e Setembro) o local fica aberto entre 7:00 da manhã até as 21:00 horas - escurece mais tarde. No outono/inverno (entre outubro a março), entre 8:00 da manhã até 17:00 da tarde. O estacionamento é na entrada da R115 Sul de Rathfarnham, umas meia hora da saída de Dublin. Então, você pode pegar um dos vários caminhos que te levam do estacionamento até o local no alto da colina, onde está o coração de algumas histórias mais sombrias da Irlanda.

E eu e a Ana fomos lá conferir de perto o local. Assista o vídeo no início do texto para ver como foi, ou assista as duas transmissões ao vivo que fizemos de lá.







.
O Hell Fire Club de Askeaton

O Hell Fire Club da pequena cidade de Askeaton, com apenas 1.149, foi fundado em 1740. É o clube mais ocidental da organização e provavelmente permaneceu em existência até o final do século. São poucas informações remanescentes ou evidências existentes das atividades do Askeaton Hellfire. O que se sabe é que era frequentado por pessoas da cidade e de longe e que faziam de tudo para chocar.

Hoje, o prédio do clube é inacessível para o público, já que o Office of Public Works atualmente tenta estabilizar a construção do colapso contínuo desde o seu abandono no século XIX.

Hell Fire Club de Askeaton. É proibido entrar e esta em processo de restauração. Também visitamos o local.


Fontes (Acessadas em 17/11/2017):
- Wikipedia.en: Montpelier Hill
- Irish Central: Ireland’s scariest destination: The Hellfire Club (PHOTOS)
- BBC News: Digging up the truth about the notorious hellfire clubs
- AssombradO.com.br: O Clube Hellfire: A Sociedade Secreta da Elite onde Orgias, Bebedeiras e até Adoração a Satã Ocorriam!
- Wikipedia.en: Askeaton
Comentários