8 de novembro de 2017

Conheça 5 Decorações Macabras que Causaram Muita Polêmica e Geraram Ameaças de Morte Durante o Halloween Deste Ano!


Por Marco Faustino

Na semana passada, mais precisamente no dia 31 de outubro, no Halloween (também conhecido como o "Dia das Bruxas" aqui no Brasil), publicamos um compilado bem rápido e de fácil compreensão sobre cinco locais históricos, que até hoje servem como símbolos que relembram o longo e triste período de caça às bruxas na Europa e nos Estados Unidos (embora essa caça ainda aconteça, de forma velada ou até mesmo explícita, em inúmeros países ao redor do mundo, a exemplo da Índia, Bolívia, Peru, Tanzânia e muitos outros países africanos). Assim sendo, mostramos a vocês monumentos, estátuas e até mesmo uma casa de pesagem, que ainda permanecem como elementos pulsantes de uma época onde milhares de homens e mulheres foram julgados sem o menor critério ou pudor. Foi assim que conhecemos a "Fonte das Bruxas" de Edimburgo, na Escócia; o "Túmulo da Bruxa" do Cemitério de St. Omer, no vilarejo de Ashmore, no estado norte-americano do Illinois; o "Memorial das Bruxas", da cidade de Paisley, na Escócia; Triora, a cidade italiana das Bruxas, que é considerada por muitos como a "Salém Europeia"; e finalmente a "Casa de Pesagem de Bruxas", na cidade de Oudewater, na Holanda. Vale a pena conferir a matéria, uma vez que muitos talvez não conheçam todos esses locais previamente mencionados (leia mais: Conheça 5 Locais Históricos que Relembram os Sombrios Períodos de Caça às Bruxas na Europa e nos Estados Unidos!).

Agora, resolvemos trazer para vocês mais um rápido compilado para mostrar cinco decorações de Halloween, que causaram muita polêmica, confusão e até mesmo geraram ameaças de morte, nos Estados Unidos e na Inglaterra. Geralmente, os moradores de milhões de lares norte-americanos e britânicos enfeitam suas casas de forma modesta, com esqueletos de plástico e abóboras reluzentes. Outros investem pesado na decoração de suas casas com equipamentos modernos, holográficos e capricham tanto, que se tornam verdadeiras obras de arte do terror contemporâneo. Porém, em alguns casos, a decoração se torna um verdadeiro caos na vida de alguns moradores que, intencionalmente ou não, acabaram gerando uma onda de protestos de vizinhos, e até mesmo de outras pessoas ao redor do mundo, devido aos objetos e personagens, por assim dizer, que fazem parte da decoração de suas casas. Assim sendo, vamos mostrar a vocês cerca de cinco casos, onde o "Dia das Bruxas" teve um gosto bem amargo para algumas dessas pessoas. Vamos saber mais sobre esse assunto?

5. A Polêmica Decoração de uma Casa na Cidade de Scottsboro, no Estado Norte-Americano do Alabama


No fim de setembro, cerca de um mês antes do Halloween, um morador da pequena cidade de Scottboro, no condado de Jackson, no estado norte-americano do Alabama, causou muita confusão entre alguns moradores locais devido a uma decoração um tanto quanto macabra, que ele colocou no jardim em frente a sua casa.

Apesar de atualmente contar com apenas 14 mil habitantes, a cidade de Scottsboro já foi palco de um dos casos mais emblemáticos da Justiça dos Estados Unidos, quando nove adolescentes negros foram acusados de violentarem duas mulheres brancas em um trem de carga, em 25 de março de 1931. Esse é um caso muito complexo e foi julgado diversas vezes com vereditos bem diferentes entre si, e que evidentemente não abordaremos nessa postagem. Vale lembrar nesse ponto, no entanto, que o Alabama é um estado que, um dia, pertenceu aos Estados Confederados dos Estados Unidos.



Apesar de atualmente contar com apenas 14 mil habitantes, a cidade de Scottsboro já foi palco de um dos casos mais emblemáticos da Justiça dos Estados Unidos, quando nove adolescentes negros foram acusados de violentarem duas mulheres brancas em um trem de carga, em 25 de março de 1931.
Este ano a cidade apareceu na mídia internacional devido a decoração de Halloween de um morador da cidade, que espalhou inúmeras abóboras de plástico, esqueletos e até mesmo um palhaço macabro em frente a sua casa, em meio a facas e bonecas semelhantes a bebês, tudo de plástico.

O problema, no entanto, é que diversos moradores enviaram mensagens para a WAAY-TV, emissora de TV afiliada da ABC, se dizendo incomodados com a decoração. Assim sendo, uma equipe da emissora foi conferir de perto a situação, sendo que você pode assistir a reportagem através do canal da própria emissora no YouTube (em inglês, mas tudo será explicado a seguir):



Na curta reportagem que fizeram sobre o caso foi mencionado que a família, que morava na casa, já havia recebido inúmeras ameaças sobre a maneira pela qual eles comemoravam o Halloween, uma vez que alguns moradores consideravam a decoração uma verdadeira vergonha.

"Nossos vizinhos não se importam com isso. Já algumas pessoas na comunidade têm um certo problema em relação a decoração. Eles ameaçaram incendiar a casa e recebemos ameaças de morte. Para nós o Halloween é como o nosso Natal", disse Austin Lee, 20 anos, morador do bairro de Tupelo Pike, acrescentando que a data era muito especial para a família.

Na curta reportagem que fizeram sobre o caso foi mencionado que a família, que morava na casa, já havia recebido inúmeras ameaças sobre a maneira pela qual eles comemoravam o Halloween, uma vez que alguns moradores consideravam a decoração uma verdadeira vergonha.
"Nossos vizinhos não se importam com isso. Já algumas pessoas na comunidade têm um certo problema em relação a decoração. Eles ameaçaram incendiar a casa e recebemos ameaças de morte. Para nós o Halloween é como o nosso Natal", disse Austin Lee
O Departamento de Polícia de Scottsboro disse a emissora WAAY-TV, que não havia leis municipais ou estaduais que proibissem a família de decorar a casa como quisessem. Já um morador chamado Eddie Jones se mostrou bem insatisfeito com a decoração, por mais que a mesma refletisse aquilo que estava escrito na Primeira Emenda à Constituição dos Estados Unidos, que garante a liberdade de expressão. Ele disse que respeitava a lei, mas ainda assim não gostava daquilo que via.

O Departamento de Polícia de Scottsboro disse a emissora WAAY-TV, que não havia leis municipais ou estaduais
que proibissem a família de decorar a casa como quisessem
"Não gosto de ver bebês fazendo parte do Halloween, assim como cenas sangrentas e facas, que fique parecendo que eles serão cortados", disse Eddie Jones. Por outro lado, uma moradora chamada Crystal Kilcrease apoiava a família de Austin Lee.

"Acho ótimo. Eles estão aproveitando o momento. Algumas pessoas adoram o Natal. Eles adoram o Dia das Bruxas. É a propriedade deles. É a escolha deles. Não vejo nada de errado nisso", disse Crystal.

"Não gosto de ver bebês fazendo parte do Halloween, assim como cenas sangrentas e facas, que fique parecendo que eles serão cortados", disse Eddie Jones
"Acho ótimo. Eles estão aproveitando o momento. Algumas pessoas adoram o Natal. Eles adoram o Dia das Bruxas. É a propriedade deles. É a escolha deles. Não vejo nada de errado nisso", disse Crystal.
Ao final da reportagem, Austin Lee disse que sabia que alguém poderia tentar fazer alguma coisa com a decoração deles este ano, então eles tinham instalado câmeras de segurança para monitorar a ação de vizinhos no jardim deles.

Ao final da reportagem, Austin Lee disse que sabia que alguém poderia tentar fazer alguma coisa com a decoração deles este ano, então eles tinham instalado câmeras de segurança para monitorar a ação de vizinhos no jardim deles.
Quem também fez uma reportagem sobre essa caso foi a WZDX-TV, uma emissora de TV afiliada da FOX, no fim do mês de outubro. Inicialmente, essa outra reportagem mostrou que Austin Lee tinha em sua decoração um boneco "Chucky", que pertencia ao seu tio, que por sua vez o comprou justamente no lançamento do filme "O Boneco Assassino", ou seja, uma raridade hoje em dia.

Entre as decorações dispostas em seu gramado também podíamos ver fantasmas, crânios e zumbis. Porém, alguns bebês manchados com tinta vermelha, que simulavam sangue, assim como alguns dos seus membros espalhados pela grama, eram os principais motivos de revolta de alguns moradores. Isso sem contar uma espécie de espantalho, que segurava a cabeça de um boneca. Confira a reportagem realizada pela WZDX-TV em um canal de terceiros, no YouTube (em inglês, mas será devidamente explicada a seguir):



Austin disse que recebeu diversas mensagens de pessoas o acusando de ser a favor do aborto, algo que ele não era. Ela também havia recebido uma mensagem recente de uma mulher, onde a mesma pediu para que ele removesse os bebês, visto que isso ofendia as mulheres que tinham sofrido de aborto espontâneo, assim como havia acontecido com ela. Outra mensagem, dessa vez de um homem, ameaçava queimar toda a decoração em seu jardim.

O morador também disse que, ao longo dos anos, ele vem fazendo esse tipo de decoração em frente a sua casa e até mesmo em seu interior, e que tenta ser o mais sensível possível em relação a temas delicados. Ele, por exemplo, não pendurava manequins de cor preta em árvores, porque não queria que as pessoas tivessem "uma ideia errada" sobre isso. No ano passado, Lee incorporou o então candidato a presidência Donald Trump em sua decoração, mas acabou aceitando o conselho da polícia para removê-la e evitar maiores problemas. De qualquer forma, ele disse que a polícia gostava de suas decorações e o encorajava a continuar com as mesmas.

Austin disse que recebeu diversas mensagens de pessoas o acusando de ser a favor do aborto, algo que ele não era. Ela também havia recebido uma mensagem recente de uma mulher, onde a mesma pediu para que ele removesse os bebês, visto que isso ofendia as mulheres que tinham sofrido de aborto espontâneo, assim como havia acontecido com ela
O morador também disse que, ao longo dos anos, ele vem fazendo esse tipo de decoração em frente a sua casa e até mesmo em seu interior, e que tenta ser o mais sensível possível em relação a temas delicados
No ano passado, Lee incorporou o então candidato a presidência Donald Trump em sua decoração, mas acabou aceitando o conselho da polícia para removê-la e evitar maiores problemas. De qualquer forma, ele disse que a polícia gostava de suas decorações e o encorajava a continuar com as mesmas.
Já em relação as ameaças que vinha sofrendo, Lee suspeitava de membros de igrejas locais, visto que algumas pessoas passavam de carro e o ameaçavam verbalmente. Assim sendo, a equipe da WZDX-TV foi até a Igreja Batista Centerpoint de Scottsboro para perguntar aos seus membros o que eles achavam da decoração. Diante das câmeras, eles não expressaram nenhum tipo descontentamento, e compararam as ações de Lee com suas próprias ações.

"Acredito nos direitos dos norte-americanos, a primeira emenda e tudo isso. Se eu tenho o direito de venerar Deus aqui, acredito que eles tenham o direito de fazer isso por lá", disse Billy Mattews.

"Acredito nos direitos dos norte-americanos, a primeira emenda e tudo isso. Se eu tenho o direito de venerar Deus aqui, acredito que eles tenham o direito de fazer isso por lá", disse Billy Mattews.
É importante destacar nesse ponto, que a casa de Austin Lee é um assunto que se tornou recorrente na mídia local nesse período do ano. Em outubro de 2015, por exemplo, o site do jornal "The Daily Sentinel" publicou uma rápida notícia relatando a reclamação de moradores sobre sua decoração do Dia das Bruxas.

Na época, Ralph Dawe, chefe de polícia de Scottsboro, recomendou que Austin Lee movesse sua decoração para os fundos da casa, mas não pediu que ele retirasse qualquer elemento da mesma, visto que não havia nenhuma razão legal para isso. 

É importante destacar nesse ponto, que a casa de Austin Lee é um assunto que se tornou recorrente na mídia local nesse período do ano. Em outubro de 2015, por exemplo, o site do jornal "The Daily Sentinel" publicou uma rápida notícia relatando a reclamação de moradores sobre sua decoração do Dia das Bruxas
Na época, Ralph Dawe, chefe de polícia de Scottsboro, recomendou que Austin Lee movesse sua decoração para os fundos da casa, mas não pediu que ele retirasse qualquer elemento da mesma, visto que não havia nenhuma razão legal para isso
Era possível notar, que Lee havia decorado o ambiente ao seu redor com falsas marcas de mão sangrentas na porta da frente, além de algumas bruxas, monstros e, inclusive, um esqueleto cortando o pescoço de uma boneca em um berço coberto de sangue falso. Enfim, resta apenas saber o que Austin Lee aprontará no próximo Halloween!

4. Morador da Cidade North Las Vegas, no Estado Norte-Americano de Nevada Causa Polêmica ao Criar "Tributo Semelhante a Decoração de Halloween" Para Homenagear as Vítimas do Harvest Country Music Festival


Em meados do mês passado, mais precisamente no dia 14 de outubro, uma faixa preta com letras brancas escrito "#VegasStrong" havia sido colocada em um muro no bairro de Aliante, na cidade de North Las Vegas, no estado norte-americano de Nevada, causando muita confusão nas redes sociais.

Isso porque além da faixa tinham sido colocadas diversas lápides falsas que, aparentemente, simbolizavam cada uma das vítimas do atentado durante o Harvest Country Music Festival, em Las Vegas, no dia 1º de outubro desse ano. Essa poderia ter sido uma bela homenagem, se as pessoas não interpretassem as mesmas como uma decoração de Halloween!



Em meados do mês passado, mais precisamente no dia 14 de outubro, uma faixa preta com letras brancas escrito "#VegasStrong" havia sido colocada em um muro no bairro de Aliante, na cidade de North Las Vegas, no estado norte-americano de Nevada, causando muita confusão nas redes sociais.
De acordo com a KTNV-TV, emissora de TV afiliada da ABC, uma foto mostrando o cenário, que havia sido montado, foi publicada no Facebook, algo que despertou a fúria de diversos moradores locais. Uma mulher chamada Barbara Schmitt chegou a dizer que a intenção do morador, que não foi identificado, tinha sido boa, mas o momento (a época do Halloween, por assim dizer) era muito inadequado para fazer essa tal "homenagem".

Além da faixa foram colocadas diversas lápides falsas que, aparentemente, simbolizavam cada uma das vítimas do atentado durante o Harvest Country Music Festival, em Las Vegas, no dia 1º de outubro desse ano.
Aliás, embora muitos tenham ficado indignados, a absoluta maioria parecia acreditar que tivesse sido tão somente uma "tentativa equivocada "de prestar uma homenagem as vítimas. Os vizinhos desse morador disseram que ele era um "bom homem", que defendia a comunidade, e que eles acreditavam que o mesmo estivesse apenas tentando mostrar o seu apoio. Confira as reportagens realizadas pela KTNV-TV, que foram publicadas por um canal de terceiros, no YouTube (em inglês):





"Ele estava apenas prestando uma homenagem. Conheço esse cara, ele é um cara muito bom, e defende a comunidade", disse Samantha Smith. Um vizinho também contou a KTNV, que o homem recebeu ameaças de morte devido ao cenário, visto que algumas pessoas acreditavam que o morador tivesse feito isso como decoração de Halloween, ou seja, essa forte possibilidade piorou ainda mais a situação do mesmo.

Posteriormente, o morador retirou a faixa e as lápides ao perceber que sua intenção tinha sido mal compreendida. No meio dessa história surgiu até mesmo um advogado chamado Stephen Stubbs, que foi contratado por esse morador em questão após o recebimento de ligações e mensagens de texto ameaçadoras. Em entrevista para o site InsideEdition.com, Stephen disse que seu cliente retirou o material assim que ouviu que alguém ficou ofendido com o mesmo, ressaltando que ele havia apenas tentado fazer o certo.

Uma mulher chamada Barbara Schmitt (na foto) chegou a dizer que a intenção do morador, que não foi identificado, tinha sido boa, mas o momento (a época do Halloween, por assim dizer) era muito inadequado para fazer essa tal "homenagem".
"Ele estava apenas prestando uma homenagem. Conheço esse cara, ele é um cara muito bom,
e defende a comunidade
", disse Samantha Smith
Ainda de acordo com Stephen Stubbs, qualquer alegação de que o cenário montado estaria vinculado ao Halloween era incorreta. O advogado garantiu que não se tratava de uma decoração para o Dia das Bruxas, e que seu cliente nunca teve essa intenção em mente. Segundo Stephen, seu cliente tinha, inclusive, doado alimentos após o atentado. Ele também acrescentou que outras homenagens tinham sido feitas pelo país e foram recebidas positivamente população, sendo que a do seu cliente teria seguido a mesma linha das demais.

"Uma cruz é exatamente a mesma coisa que uma lápide. Ele apenas usou os materiais que ele tinha disponível no momento. Ele pensou que o fato de conter "RIP" ou "Descanse em Paz" nas lápides era algo bonito. As fotos do cenário e as histórias contadas sobre o mesmo saíram do controle. Rumores começaram a circular com ele tinha um manequim com um rifle de brinquedo apontado para as lápides. Sua vida foi ameaçada... ele recebeu ligações o ameaçado de morte em seu trabalho", disse Stephen Stubbs, acrescentando que seu cliente queria apenas ficar sozinho, porque estava mais devastado do que qualquer pessoa que pudesse estar chateada com o que ele havia feito.

Ainda de acordo com Stephen Stubbs, qualquer alegação de que o cenário montado estaria vinculado ao Halloween era incorreta. O advogado garantiu que não se tratava de uma decoração para o Dia das Bruxas, e que seu cliente nunca teve essa intenção em mente
Segundo Stephen, seu cliente tinha, inclusive, doado alimentos após o atentado. Ele também acrescentou que outras homenagens tinham sido feitas pelo país e foram recebidas positivamente população, sendo que a do seu cliente teria seguido a mesma linha das demais.
Enfim, caso estranho não é mesmo? Será que esse morador realmente não percebeu que estávamos próximos do Halloween? Não é difícil imaginar que qualquer pessoa considerasse aquele cenário como se fosse uma decoração, ainda que de mau gosto e doentia, em virtude dessa data. Afinal de contas, todos os cantos dos Estados Unidos se comemora o Halloween. De qualquer forma, nunca iremos realmente saber a verdade por trás dessa estranha história.

3. Decoração Macabra de um "Criança Pendurada pelas Pernas" no Subúrbio de Alvaston, em Derby, na Inglaterra, Desperta a Fúria de Moradores Locais


Alvaston é um subúrbio da cidade de Derby, no condado de Derbyshire, na Inglaterra, que conta com uma poulação de aproximadamente 16 mil habitantes, sendo que o vilarejo em si existe desde o século XI. Portanto, vocês podem imaginar quanta históra essa localidade guarda em suas paredes e em suas ruas.

Talvez, mais um capítulo para o livro da cidade tenha sido escrito no fim de outubro desse ano, mas por um motivo bem macabro: uma casa estava exibindo o que parecia ser o corpo de uma criança morta, embrulhada em sacos pretos de lixo, com o rosto coberto de bandagens encharcadas com um líquido vermelho para aparentar sangue, e pendurado pelos pés com a ajuda de uma corda, no telhado da mesma.

Talvez, mais um capítulo para o livro da cidade tenha sido escrito no fim de outubro desse ano, mas por um motivo bem macabro: uma casa estava exibindo o que parecia ser o corpo de uma criança morta, embrulhada em sacos pretos de lixo, com o rosto coberto de bandagens encharcadas com um líquido vermelho para aparentar sangue, e pendurado pelos pés com a ajuda de uma corda, no telhado da mesma.
Apesar de ser somente um manequim, o mesmo provocou a indignação entre alguns moradores. Uma moradora chamada Yvonne Ireland, por exemplo, que viu a decoração em Alvaston, disse que a mesma estava levando o Halloween "longe demais".

"Existem pessoas na região, que tiveram familiares que se enforcaram. Acho isso repugnante. Fantasmas, teias e aranhas, abóboras, tudo bem, mas pessoas sendo enforcadas não. O melhor amigo do meu irmão se enforcou aos 31 anos. O que o enforcamento tem a ver com o Halloween? É desconcertante", disse Yvonne.



Igreja de São Miguel e Todos os Anjos, no subúrbio de Alvaston, na cidade de Derby, na Inglaterra
Uma outra moradora chamada Sara Hammond, 42 anos, que estava juntamente com sua filha Mary, de apenas 9 anos, também mostrou sua indignação com a decoração.

"Acho que a decoração ficou ótima, mas talvez o corpo pendurado tenha ido um pouco longe demais. Não acho que seja adequado para crianças pequenas assim como a minha. Entendo que seja Halloween, sendo ligeiramente divertido, mas não quero ter que explicar a minha filha, por exemplo, o porquê há um corpo pendurado no telhado", disse Sara.

"Acho que a decoração ficou ótima, mas talvez o corpo pendurado tenha ido um pouco longe demais. Não acho que seja adequado para crianças pequenas assim como a minha. Entendo que seja Halloween, sendo ligeiramente divertido, mas não quero ter que explicar a minha filha, por exemplo, o porquê há um corpo pendurado no telhado", disse Sara.
Entretanto, nem todos os moradores locais ficaram pertubados com a decoração. Esse foi o caso de Pam Stevenson, 77 anos, que mora justamente ao lado da casa em questão.

"Não consigo acreditar que as pessoas estejam reclamando sobre o menino pendurado. É só brincadeira. É Halloween, e isso é inofensivo", disse Pam, sendo que um outro vizinho chamado Krzysztof Burczynski, 37 anos, também havia gostado da decoração.

"Sinceramente, não gosto do Halloween, mas acho as decorações brilhantes. Eles são os melhores vizinhos que eu poderia desejar, então duvido que eles pretendessem ofender alguém", disse Krzysztof, que estava se referindo basicamente a Sharon Gunn, 34 anos, mãe de três filhos, e que foi a responsável pela decoração.

"Sinceramente, não gosto do Halloween, mas acho as decorações brilhantes. Eles são os melhores vizinhos que eu poderia desejar, então duvido que eles pretendessem ofender alguém", disse Krzysztof, que estava se referindo basicamente a Sharon Gunn, 34 anos, mãe de três filhos, e que foi a responsável pela decoração.
"Desculpe se ofendemos alguém. Era apenas para ser divertido nessa época do Halloween, e todo mundo com quem falei até o momento, gostou das decorações. Na verdade, a ideia do corpo pendurado veio de um vizinho, que fez algo semelhante no ano passado. Não acho que seja ofensivo, existe coisa muito pior nesse mundo do que isso. Ninguém veio reclamar diretamente comigo, então acho não que iremos removê-lo", disse Sharon.

Estranho, não é mesmo? Contudo, vale lembrar que, no passado, os enforcamentos públicos na Inglaterra eram quase um passatempo para inúmeras famílias, que levavam seus filhos para assistirem e até mesmo compravam uma espécie de "guia" que era vendido em relação a cada execução, onde mostrava o nome da pessoa e a razão pela qual estava sendo enforcada. Era um comércio bem lucrativo e as ruas de algumas cidades destinadas a essa finalidade ficavam repletas de forcas montadas a cada esquina com verdadeiras multidões que acompanhavam tais atos ao longo do dia.

2. Morador da Cidade de Holladay, no Estado Norte-Americano de Utah, Causa Polêmica ao Exibir um Manequim Semelhante a um Homem Enforcado


Voltamos aos Estados Unidos para falar de um caso parecido com o anterior. Dessa vez um morador da pequena cidade de Holladay, no condado de Salt Lake, que conta com pouco mais de 14 mil habitantes, enfrentou problemas com sua decoração de Halloween: o morador simplesmente pendurou um boneco, semelhante a um homem enforcado, com um capuz preto na cabeça em uma árvore do seu jardim. A polêmica foi tanta que envolveu até mesmo o prefeito da cidade!



Um morador da pequena cidade de Holladay, no condado de Salt Lake, que conta com pouco mais de 14 mil habitantes, enfrentou problemas com sua decoração de Halloween: o morador simplesmente pendurou um boneco, semelhante a um homem enforcado, com um capuz preto na cabeça em uma árvore do seu jardim. A polêmica foi tanta que envolveu até mesmo o prefeito da cidade!
A KSTU-TV, uma emissora de TV afiliada da FOX, foi conferir de perto a situação e realizou uma reportagem sobre o caso, que vocês podem conferir através de um canal de terceiros, no YouTube (em inglês, mas iremos fazer um rápido resumo logo abaixo):



"O Halloween deve ser divertido. Existe um lado assustador, assim como há um lado divertido, e até mesmo um lado ofensivo no Halloween", declarou Chase Deeds, o morador responsável pela controversa decoração na cidade de Halloway.

Chase havia pendurado um manequim de tamanho real com uma corda em volta do pescoço em uma árvore no seu jardim, no início do mês de outubro. Segundo o morador, ele comprou o manequim por cerca de US$ 60 (cerca de R$ 200) no eBay, valor esse que incluía o frete. Originalmente, o mesmo veio com um capuz preto na cabeça, e Chase imediatamente o pendurou na árvore. Foi nesse momento que a polêmica surgiu.

A KSTU-TV, uma emissora de TV afiliada da FOX, foi conferir de perto a situação
e realizou uma reportagem sobre o caso
"O Halloween deve ser divertido. Existe um lado assustador, assim como há um lado divertido, e até mesmo um lado ofensivo no Halloween", declarou Chase Deeds, o morador responsável pela controversa decoração na cidade de Halloway.
"Um dos meus vizinhos veio e disse para mim que parecia que havia um pouco de motivação racial na decoração", disse Chase, que resolveu acrescentar uma máscara de abóbora alaranjada no rosto do manequim. Posteriormente, cerca de três dias depois, Chase acrescentou algumas teias de aranha e até mesmo uma aranha gigante para deixar claro que sua decoração não possuía motivos raciais. Ele garantiu que sua decoração era voltada inteiramente e tão somente para o Halloween.

Foto tirada da decoração de Chase Deeds no dia 1º de outubro desse ano
Posteriormente, o morador acrescentou uma máscara de abóbora no manequim
Ainda assim, nada impediu que as reclamações fossem parar até mesmo no gabinete do prefeito. Rob Dahle, o prefeito da cidade, alegou que somente em uma determinada manhã, havia recebido cerca de 10 ligações reclamando da decoração de Chase.

"Nosso objetivo principal é removê-lo o mais rapidamente possível. Não é algo que vamos deixar passar, vamos conseguir resolver essa questão", disse Rob Dahle. Porém, essa não era uma questão de gostar ou não da decoração. Chase Deeds não estava violando nenhuma lei. O manequim estava pendurado em sua propriedade particular, e não estava obstruindo nenhum direito público de ir e vir. Na verdade, o único crime relacionado à decoração de Chase ocorreu no ano passado, quando a versão que ele colocou na árvore foi rasgada.

Ainda assim, nada impediu que as reclamações fossem parar até mesmo no gabinete do prefeito da cidade. Rob Dahle, o prefeito da cidade, alegou que somente em uma determinada manhã, havia recebido cerca de 10 ligações reclamando da decoração de Chase.
Chase Deeds não estava violando nenhuma lei. O manequim estava pendurado em sua propriedade particular, e não estava obstruindo nenhum direito público de ir e vir.
"Alguém veio e rasgou o manequim, o retirando da árvore e roubou a máscara que ele usava, arruinando assim a decoração", disse Chase, ressaltando que não estava querendo ofender ninguém, mas ele não sentia na obrigação de retirar a decoração dele, sendo que ele não tinha planos de remover o manequim até o Halloween.

Complicado, não é mesmo? Aparentemente, a absoluta maioria pessoas não viram o manequim como uma crítica social ou motivação racial. Havia primordialmente uma preocupação em relação a crianças que passavam diariamente pelo local para irem a escola. Não podemos dizer o mesmo do nosso próximo e último caso.

1. Polêmica Decoração de Halloween Gera Ameaças Contra Proprietário de uma Casa na Cidade de Katy, no Estado Norte-Americano do Texas!


Provavelmente, essa decoração foi a que mais gerou polêmica nos Estados Unidos esse ano. Se vocês acompanham a nossa página no Facebook, provavelmente já estão cientes desse caso. Caso contrário, é necessário que vocês saibam que um morador da pequena cidade de Katy, no estado norte-americano do Texas, e que conta com pouco mais de 14 mil habitantes, quase teve sua casa incendiada após colocar uma controversa decoração de Halloween no jardim de sua casa. Tudo aconteceu no fim do mês passado, a poucos dias do Halloween.



É necessário que vocês saibam que um morador da pequena cidade de Katy, no estado norte-americano do Texas, e que conta com pouco mais de 14 mil habitantes, quase teve sua casa incendiada após colocar uma controversa decoração de Halloween no jardim de sua casa
Quem foi conferir de perto essa situação foi a KPRC-TV, uma emissora de TV afiliada da NBC, cuja reportagem vocês podem assistir através de um canal de terceiros, no YouTube (em inglês, mas irei resumir o conteúdo para vocês):



Para muitas pessoas no Facebook, a imagem era ofensiva, e até mesmo descaradamente racista: um espantalho que parecia ter mãos e pés negros aparentemente enforcado em uma árvore. Muitas pessoas pediram que o proprietário da residência fosse preso ou até mesmo que atirassem contra a casa e a queimassem. Para piorar a situação até mesmo o endereço da casa foi divulgado na publicação original no Facebook.

Uma equipe da KPRC-TV chegou momentos antes do proprietário, o Roderick, retirá-lo da frente da casa e guardá-lo na garagem do imóvel. Ao se aproximar do espantalho era possível notar que o mesmo não estava pendurado pelo pescoço na árvore, mas tão somente fincado no grama. Correntes decorativas de plástico estavam penduradas em uma árvore próxima.

Para muitas pessoas no Facebook, a imagem era ofensiva, e até mesmo descaradamente racista: um espantalho que parecia ter mãos e pés negros aparentemente enforcado em uma árvore
A foto publicada por um usuário no Facebook acabou sendo compartilhada mais de 1.000 vezes
Muitas pessoas pediram que o proprietário da residência fosse preso ou até mesmo que atirassem contra a casa e a queimassem. Para piorar a situação até mesmo o endereço da casa foi divulgado na publicação original no Facebook.
Segundo Roderick, na foto que foi tirada parecia que o mesmo estava enforcado em uma árvore, mas que isso era algo que ele jamais faria. Ele disse que havia criado o espantalho há 10 anos a partir de tapetes de yoga, tubos de PVC, fita adesiva, antigos brinquedos e um assento velho de carro, e que tudo isso encoberto por uma calça velha, uma antiga jaqueta de trabalho, botas marrons e antigas luvas de baseball, do próprio Roderick.

Ainda segundo Roderick, as pessoas costumam aparecer para tirar fotos com o espantalho há anos, e nunca houve um único problema. Aliás, ele nunca pensou e nem passou pela sua cabeça que isso poderia se tornar um problema.

Segundo Roderick, na foto que foi tirada parecia que o mesmo estava enforcado em uma árvore,
mas que isso era algo que ele jamais faria
Ao se aproximar do espantalho era possível notar que o mesmo não estava pendurado pelo pescoço na árvore, mas tão somente fincado no grama. Correntes decorativas de plástico estavam penduradas em uma árvore próxima
Este ano, Roderick também construiu um "Slender Man" com luvas brancas e uma máscara branca, mas ambas as decorações foram retiradas e não havia prazo para retornarem. Ele disse que vem lidando com ameaças de assassinato, de pessoas que disseram que passariam atirando pela sua casa, e até mesmo que queriam incendiá-la. Roderick chegou a dizer que gostava de tentar ser assustador, mas que depois do ocorrido não havia mais clima para celebrar o Halloween.

O homem que postou a foto no Facebook acabou apagando a publicação (ou a tornou restrita para algumas pessoas), depois da mesma ter sido compartilhada quase 1.000 vezes. Algumas pessoas defenderam Roderick, incluindo alguns de seus vizinhos. Uma mulher chegou a postar que Roderick não era nem um pouco racista e que as pessoas estavam tentando fazer uma tempestade em um copo d'água. Curiosamente, segundo Roderick, o homem que publicou a foto já tinha estado em sua casa anteriormente prestando um serviço de detetização, e havia ficado de voltar na semana seguinte. Muitas pessoas ficaram pasmas ao saber desse detalhe.

Roderick disse que havia criado o espantalho há 10 anos a partir de tapetes de yoga, tubos de PVC, fita adesiva, antigos brinquedos e um assento velho de carro, e que tudo isso encoberto por uma calça velha, uma antiga jaqueta de trabalho, botas marrons e antigas luvas de baseball, sendo que todo material era sua propriedade.
Este ano, Roderick também construiu um "Slender Man" com luvas brancas e uma máscara branca, mas ambas as decorações foram retiradas e não havia prazo para retornarem. Ele disse que vem lidando com ameaças de assassinato, de pessoas que disseram que passariam atirando pela sua casa, e até mesmo que queriam incendiá-la.
A emissora KPRC conseguiu entrar em contato com o homem que publicou a foto no Facebook, porém ele disse que não queria comentar sobre o que havia feito. De acordo com Roderick, o homem simplesmente fez o que ele achava certo e finalizou com a seguinte frase: "Quem quer que tenha ódio em seu coração, que Deus o abençoe. Seja o melhor possível e aprenda a confiar no seu vizinho. O mundo nunca será um lugar melhor sem isso."

Enfim, AssombradOs, por hoje é isso! Espero que vocês tenham gostado de conhecer essas cinco decorações macabras que causaram tanta polêmica antes e durante o Halloween. E quanto a vocês, acreditam que alguma dessas decorações realmente passou dos limites?

Até a próxima, AssombradOs!

Criação/Tradução/Adaptação: Marco Faustino

Fontes:
http://fox13now.com/2017/10/03/holladay-man-refuses-to-take-down-controversial-halloween-decoration/
http://kutv.com/news/local/halloween-decoration-sparks-controversy
http://thedailysentinel.com/feature_story/article_7479cb18-78bf-11e5-923e-c398235a62f2.html
http://wkrg.com/2017/09/29/alabama-family-gets-death-threats-over-graphic-halloween-display/
http://www.insideedition.com/man-getting-death-threats-after-some-say-vegas-tribute-looked-halloween-decorations-37347
http://www.ktnv.com/news/-vegasstrong-display-in-neighborhood-sparks-controversy
http://www.waaytv.com/story/36480219/scary-halloween-decorations-cause-controversy-in-scottsboro
https://www.click2houston.com/news/controversial-halloween-decoration-in-katy-leads-to-threats-against-homeowner
https://www.thesun.co.uk/news/4815860/outrage-at-house-in-alvaston-derbyshire-decked-with-macabre-halloween-dummy-of-a-dead-hanging-body/
Comentários