9 de agosto de 2017

Um "Garrauende" Estaria Vivo? A Estranha História de um Duende que Teria se "Movido" e "Respirado" em uma Garrafa, em Pouso Alegre/MG!


Por Marco Faustino

Acredito que a última vez que falei sobre duendes, fadas ou seres elementais da natureza e de forma positiva por assim dizer, ou seja, sem envolver nada de cunho "demoníaco", tenha sido sobre os gnomos e fadas do parque Wollaton, localizado na Inglaterra, onde um pesquisador estava planejando retomar as investigações de um caso ocorrido há quase 40 anos. Em setembro de 1979, ocorreu um estranho incidente nesse parque, onde diversas crianças relataram ter visto mais de 60 gnomos. Sim, isso mesmo que você leu. A princípio isso pode parecer coisa de criança, não é mesmo? Contudo, esse caso repercutiu consideravelmente na mídia britânica naquela época, visto que esse parque em questão tem um certo histórico de avistamentos de "fadas" e outros "seres da natureza." Vale muito a pena conferir a postagem que fiz sobre esse assunto, porque é realmente muito interessante. Fiquei positivamente surpreso, visto que é algo aparentemente "infantil", mas muito enriquecedor (leia mais: Os "Gnomos e Fadas" do Parque Wollaton: Pesquisador Quer Retomar as Investigações de um Caso Ocorrido há Quase 40 Anos na Inglaterra!)

Aliás, se tem algo difícil de encontrar são notícias relacionadas a "gnomos", "fadas", "duendes" entre outros seres elementais, que são praticamente mitológicos. Gnomos, por exemplo, são normalmente representados como pequenos humanoides que vivem sob a terra, em minas ou dentro dos troncos ocos das árvores, onde guardariam os seus tesouros. Provavelmente, no entanto, vocês devem estar mais acostumados a ouvir relatos de pessoas que dizem ter visto gnomos em florestas, e quase sempre associando essas visões ao consumo de chás alucinógenos ou outras substâncias, que prometem uma "maior expansão da mente." Já os duendes seriam criaturas mitológicas, que aparecem em diversas histórias do folclore europeu. Apesar de sua origem não ser completamente conhecida, o mais provável é que os duendes tenham surgido junto com elfos, anões, entre outros seres em lendas da mitologia celta e escandinava, em países assim como a Inglaterra, a Noruega e a Suécia. Não irei me alongar muito sobre essa questão, porque o que será apresentado é relativamente bem simples.

Recentemente, inúmeros seguidores e inscritos nos enviaram o endereço de uma publicação no Facebook (inclusive a Camila M., que pertence a nossa Sociedade Secreta dos AssombradOs), de autoria de uma moradora da cidade de Pouso Alegre/MG, chamada Jéssica, contendo uma série de fotos de um "duende", aparentemente de tecido e biscuit (podendo ser de outro material, é claro), no interior de uma garrafa de vidro. De acordo com Jéssica, ela teria visitado pela primeira vez, no dia 6 de agosto desse ano, a cidade de São Tomé das Letras, uma cidade que algumas pessoas acreditam que seja um dos sete pontos energéticos da Terra, o que atrai, para o lugar, místicos, sociedades espiritualistas, "científicas", alternativas, entre outras. Assim sendo, Jéssica trouxe diversas lembrancinhas da cidade, sendo que entre elas estava um "Garrauende", que nada mais é do que um duende dentro de uma garrafa (a simples e mera junção das palavras "garrafa" e "duende"). A princípio, o objeto é mais um daqueles artesanatos locais, que são comumente vendidos em lojas de lembrancinhas ou esotéricas, mas que sempre nos faz pensar em como conseguiram colocar algo tão grande dentro de uma garrafa (muito embora a resposta para isso possa ser facilmente encontrada na internet). No entanto, o que chamou a atenção foi sua espécie de "relato", em que ela contou que o duende teria se movido dentro da garrafa em duas ocasiões, e ainda teria respirado dentro da garrafa, visto que a mesma teria sido encontrada com o vidro embaçado. Será que o "garrauende" estaria realmente "vivo"? Vamos saber mais sobre esse assunto?

Entenda o Caso: A Suposta e Estranha "Atividade" de um "Duende" em uma Garrafa de Vidro


Bem, toda essa história sobre o "garrauende" começou a circular no Facebook devido a postagem de uma jovem chamada Jéssica S., na noite da última segunda-feira (7), em sua própria conta, e na referida rede social. Aparentemente, Jéssica mora na cidade de Pouso Alegre, que é o segundo município mais populoso do Sul de Minas Gerais, com pouco mais de 143 mil habitantes (segundo a estimativa realizada pelo IBGE, no ano de 2015) e está localizada a cerca de 400 km a sudoeste de Belo Horizonte, a capital do estado.



Aparentemente, Jéssica mora na cidade de Pouso Alegre, que é o segundo município mais populoso do Sul de Minas Gerais, com pouco mais de 143 mil habitantes (segundo a estimativa realizada pelo IBGE, no ano de 2015) e está localizada a cerca de 400 km a sudoeste de Belo Horizonte, a capital do estado
Em sua publicação, que já foi compartilhada mais de 30 mil vezes no Facebook, e já recebeu mais de 70 mil comentários (pelo menos até o fechamento dessa postagem), Jéssica disse que queria compartilhar algo com seus amigos, dizendo que esteve na cidade de São Tomé das Letras pela primeira vez, no dia anterior (6), e que tinha trazido diversas lembrancinhas.

Entre essas recordações havia um "Garrauende", um mero duende de tecido e biscuit (lembrando que talvez seja de outro material) dentro de uma garrafa de vidro. Ela fez questão de ressaltar que o boneco vinha colado no fundo da garrafa, logo seria completamente imóvel.

Em sua postagem, que já foi compartilhada mais de 11 mil vezes no Facebook, e já recebeu mais de 21 mil comentários, até o fechamento dessa postagem, Jéssica disse que queria compartilhar algo com seus amigos, dizendo que esteve na cidade de São Tomé das Letras pela primeira vez, no dia anterior (6), e que tinha trazido diversas lembrancinhas
Jéssica disse que fez exatamente como a instrução que o acompanhava mandava: foi-lhe atribuído um nome (a jovem o denominou de Epaminondas), foi mostrada toda a cada para o duende (imagino que ela tenha passeado pela casa segundo a garrafa de vidro), entre outros detalhes.

Segundo a jovem, no momento da compra o duende estava virado para frente, levando em consideração, como ponto de referência, um pequeno cristal localizado na parte inferior da garrafa, que é colado sobre uma espécie de tecido.

Entre essas recordações havia um "Garrauende", um mero duende de tecido e biscuit (lembrando que talvez seja de outro material) dentro de uma garrafa de vidro. Ela fez questão de ressaltar que o boneco vinha colado no fundo da garrafa, logo seria completamente imóvel.
Segundo a jovem, no momento da compra o duende estava virado para frente, levando em consideração, como ponto de referência, um pequeno cristal localizado na parte inferior da garrafa, que é colado sobre uma espécie de tecido.
Vale ressaltar nesse ponto a instrução que acompanhava o "Garrauende", onde é possível ler o seguinte texto:

"Encantamento de Garrauende

Garrauende (Duendes de Garrafa)

Escolha um nome para o seu Garrauende, apresente-o para o seu novo lar e cuide dele com carinho. Os Garrauendes são companheiros devotos, dedicados e amorosos. Pegue um pedaço de papel, escreva seu pedido e passe no cristal mágico de sua garrafa. Amarre-o com uma linha, retire a rolha da garrafa e coloque seu pedido dentro da garrafa, deixando a linha para fora, e tampe a garrafa. Deixe por 24 horas, retire seu pedido, queime-o e sopre as cinzas ao vendo. Agradeça ao seu Garrauende e seu pedido será realizado. Para prosperidade coloque uma moeda ou uma nota dentro da garrafa.
"

O papel contendo a "instrução", que acompanhava o "Garrauende"
Então, Jéssica disse que o deixou no quarto e foi terminar seus afazeres. Porém, ao retornar ela disse que o mesmo se encontrava de costas, e quando foi olhar a garrafa para examiná-lo, a mesma estava embaçada como se o duende estivesse respirando. Intrigada com a situação, ela resolveu deixá-lo de lado e dormir (como se essa fosse a situação mais normal do mundo).

Quando acordou, para sua surpresa, o mesmo estava virado para frente novamente. Jéssica disse que colocou a garrafa no Sol, para ver se o embaçado saía, porém ele teria aumentado. Ela disse que tudo aquilo parecia loucura, mas que estava intrigada e gostaria de saber mais sobre o mesmo, assim como histórias e coisas relacionadas.

Então, Jéssica disse que o deixou no quarto e foi terminar seus afazeres. Porém, ao retornar ela disse que o mesmo se encontrava de costas, e quando foi olhar a garrafa para examiná-lo, a mesma estava embaçada como se o duende estivesse respirando
Quando acordou, para sua surpresa, o mesmo estava virado para frente novamente. Jéssica disse que colocou a garrafa no Sol, para ver se o embaçado saía, porém ele teria aumentado
Alguns usuários também notaram que o duende teria aparecido "sorrindo" para a câmera
Na parte final da postagem, ela agradeceu a atenção das pessoas, e publicou cerca de seis fotos para "provar o que estava dizendo." Além disso, ela disse que queimar, descartar, doar, "se livrar", estragar, maltratar ou qualquer outro tipo de ato, exceto relacionado ao cuidado do Epaminondas, não era uma opção, ou seja, não seria algo que ela faria, demonstrando seu desejo de permanecer com o objeto. Essa é simplesmente toda a história que se sabe até o momento sobre o tal duende.

A Reação das Pessoas e a Mais Provável Realidade por Trás do "Garrauende"


Certa vez, Carl Sagan, um dos ícones do mundo da Astronomia e da busca por civilizações extraterrestres avançadas, disse que "alegações extraordinárias exigem evidências extraordinárias", ou seja, na ausência de evidências extraordinárias há excelentes razões para ser cético sobre as alegações feitas pelas pessoas. Apesar desse caso não envolver corpos celestes ou seres de outros planetas, essa frase se aplica perfeitamente. Para você acreditar em tudo isso que foi mencionado, você depende exclusivamente de acreditar piamente na palavra da Jéssica, e nada além disso.

Logicamente, você pode e deve perguntar: mas e as fotos tiradas por ela, não provam nada? Bem, nesse ponto é interessante lembrar de um caso recente, que contei para vocês na última segunda-feira (7) sobre uma boneca que foi vendida pelo equivalente a R$ 3.500, na Inglaterra, diante da alegação que ela teria supostamente arranhado a perna do marido da proprietária (e posteriormente o braço do pai do atual proprietário). Naquele caso foi apresentada apenas uma única foto de supostos arranhões (em ambas as ocasiões), mas não havia nenhum vídeo ou foto, por exemplo, mostrando a boneca efetivamente andando ou provocando tais arranhões. Além disso, havia somente relatos de atividades supostamente "paranormais", e uma boa história para se contar. Contudo, quando estamos lidando com a crença de cada pessoa, e pisando no campo da verdade ou da mentira sobre um determinado "fenômeno", é necessário ter muita cautela, ainda mais hoje em dia.

Nesse ponto é interessante lembrar de um caso recente, que contei para vocês na última segunda-feira (7) sobre uma boneca que foi vendida pelo equivalente a R$ 3.500, na Inglaterra, diante da alegação que ela teria supostamente arranhado a perna do marido da proprietária (e posteriormente o braço do pai do atual proprietário)
Para vocês terem uma ideia, as fotos tiradas por Jéssica ajudam mais a mostrar que não existe nada paranormal em sua história do que qualquer outra coisa. Não se preocupem, vou mostrar as razões para isso, visto que essas mesmas razões foram apontadas por algumas pessoas que comentaram em sua publicação. É importante ressaltar que, diante de mais de 70 mil comentários, seria impossível ler todos, contudo é possível perceber que muitos criticaram a jovem por manter algo "assustador" assim em casa, outros relataram suas próprias experiências ou de familiares - que já teriam passado por algo semelhante -, e outros sugeriram hipóteses para explicar efetivamente o caso.

Um usuário chamado Felipe I. chegou a dizer, que uma tia dele sempre amou a mística dos duendes, anjos, bruxinhas e pedrinhas mágicas. Sua tia também teria lhe contado, que os mesmos andavam pela casa durante a noite. Ele mencionou que, certa vez, os objetos da casa da sua tia não teriam amanhecido no mesmo lugar que foram deixados na noite anterior, que ele tinha a sensação de estar sendo vigiado, mas que havia uma grande sensação de companhia e paz. Ele aconselhou Jéssica a cuidar do Epaminondas e tratá-lo como um companheiro, acreditando que sua tia pudesse ajudá-la de alguma forma. Já uma outra usuária chamada Bruna R. disse para as pessoas lerem sobre seres elementais ou então em grupos de estudo no Facebook, onde esse caso, inclusive, já estaria sendo amplamente comentado.

Um usuário chamado Felipe I. chegou a dizer, que uma tia dele sempre amou a mística dos duendes, anjos, bruxinhas e pedrinhas mágicas. Sua tia também teria lhe contado, que os mesmos andavam pela casa durante a noite
Houve, é claro, quem tratasse tudo com muito bom humor e aqueles que ficaram preocupados por Jéssica manter o que chamaram pejorativamente de "macumba" em sua casa. Muitas pessoas também perguntaram para a jovem onde ela teria comprado o "garrauende", visto que queriam ter algo assim para si mesmas ou até mesmo testar para ver se algo semelhante iria acontecer com elas também. Um certo usuário chegou a dizer que o duende poderia ser um gnomo utilizado no século XVIII, porém claramente trata-se de artesanato local e moderno.

Um certo usuário chegou a dizer que o duende poderia ser um gnomo utilizado no século XVIII,
porém claramente trata-se de artesanato local e moderno.

Enfim, as mais diversas e inimagináveis opiniões e hipóteses sobre esse caso foram expressadas através dos comentários. Talvez a mais inusitada tenha sido a de uma usuária, ao citar que o mesmo não seria um duende, mas algo chamado de "diabinho da garrafa", que seria um pequeno demônio que nasceria de um ovo, sendo criado por um ser humano. O processo envolveria até mesmo um pacto com o demônio para a satisfação dos desejos materialistas.

Enfim, as mais diversas e inimagináveis opiniões e hipóteses sobre esse caso foram expressadas através dos comentários. Talvez a mais inusitada tenha sido a de uma usuária, ao citar que o mesmo não seria um duende, mas algo chamado de "diabinho da garrafa", que seria um pequeno demônio que nasce de um ovo, sendo criado por um ser humano
Agora, será que estamos diante de uma caso inexplicável e paranormal? Muito provavelmente (99,999999%) não. Primeiramente, é necessário comentar sobre a suposta movimentação do "duende". Em uma foto, o mesmo aparecia de frente, e na outra aparecia de costas. Para quem não sabe, geralmente a parte inferior da garrafa de vidro é cortada, e posteriormente colam levemente os pés do duende ou qualquer outro personagem no fundo da garrafa (porém, nem sempre isso acontece, visto que algumas vezes a figura fica solta no interior da mesma). Assim sendo, o artesão encaixa as duas partes da garrafa novamente, colando-a, e fazendo parecer que é uma peça única. É assim que "colocam o duende dentro da garrafa."

Para que o corte não fique aparecendo, visto que fica esteticamente feio e acaba com toda a magia, é colocado um adereço, que no caso é aquele espécie de fita de tecido em volta da garrafa. Geralmente, a mesma é fixada na garrafa apenas com um pouquinho de cola, sendo que muitas vezes não utilizam nada, visto que o artesão, a seu critério, pode dar apenas uma volta apertada ao seu redor, mas ainda assim permitindo que ela seja girada livremente.

Primeiramente, é necessário comentar sobre a suposta movimentação do "duende".
Em uma foto, o mesmo aparecia de frente, e na outra aparecia de costas.
Considerando a explicação acima, e que a jovem não tivesse sido completamente verdadeira em sua alegação, a mesma simplesmente teria girado a fita para fazer com que a pedrinha, que todos foram induzidos a acreditar que simbolizava a frente da garrafa, ficasse voltada para a parte de trás. Portanto, muitos vão acreditar que o duende teria realmente se movido. Entenderam, o esquema? 

O duende nem mesmo teria como se mover, porque segundo a jovem, ele seria supostamente colado no fundo da garrafa. Por se tratar apenas de uma foto e acreditarmos que a pedra marca a frente da garrafa, nem todo mundo considera a possibilidade da fita ter simplesmente girada. Nesse ponto, algumas pessoas também disseram que poderia haver duas pedras, mas a hipótese anterior é a mais provável das duas.

Para quem não sabe, geralmente a parte inferior da garrafa de vidro é cortada, e posteriormente colam os pés do duende ou qualquer outro personagem no fundo da garrafa. Assim sendo, o artesão encaixa as duas partes da garrafa novamente, colando-a e fazendo parecer que é uma peça única. É assim que "colocam o duende dentro da garrafa."
Considerando a explicação acima, e que a jovem não tivesse sido completamente verdadeira em sua alegação, a mesma simplesmente teria girado a fita para fazer com que a pedrinha, que todos foram induzidos a acreditar que simbolizava a frente da garrafa, ficasse voltada para a parte de trás. Portanto, muitos vão acreditar que o duende teria realmente se movido. Entenderam, o esquema?
Em relação as gotículas de água no interior da garrafa, muitos apontaram que a mesma foi colocada no que parece ser um banheiro. Outras pessoas indicaram que a jovem teria retirado a rolha da garrafa, e ligado o chuveiro com o ambiente fechado. As gotículas nada mais seriam do que o vapor d'água condensado, ou seja, a água passa do estado gasoso para o líquido, no interior da garrafa, algo muito parecido com o que acontece no espelho de um banheiro. Como o banheiro está fechado, a umidade fica retida e a vemos por todos os lados, assim como nos azulejos e vidros embaçados.

Evidentemente, você pode e deve se perguntar, mas e se a garrafa tivesse permanecido fechada o tempo todo? Será que o duende estaria respirando, jogando ar quente no interior da garrafa em contraste com o ar frio do ambiente e formando as gotículas de água? Não necessariamente. O interior da garrafa possui umidade (ainda mais se o "duende" foi realmente feito de biscuit, visto que a massa vai "perdendo água" no processo de secagem, ou seja quem trabalha com artesanato sabe muito bem dessa situação e das recomendações que são feitas) e, embora seja um ambiente fechado, não é completamente vedado (embora haja uma rolha, a mesma não possui uma vedação igual a de uma garrafa de vinho, por exemplo), ou seja, para piorar continua entrando umidade na garrafa. Se a temperatura interna for maior que a externa, ainda mais no inverno e no Sul de Minas, vai haver condensação no interior da garrafa mesmo ela estando "fechada". Entenderam?

Outras pessoas indicaram que a jovem teria retirado a rolha da garrafa, e ligado o chuveiro com o ambiente fechado. As gotículas nada mais seriam do que o vapor d'água condensado, ou seja, a água passa do estado gasoso para o líquido, no interior da garrafa, algo muito parecido com o que acontece no espelho de um banheiro
Por fim, resta explicar apenas a última foto, que foi publicada pela jovem, em que o duende aparentemente aparece sorrindo diante da câmera. Na verdade, o duende não está sorrindo, o que vemos é meramente uma ilusão de ótica diante de uma série de fatores: ângulo que a foto foi tirada, iluminação, a presença de gotículas de água no interior da garrafa (lembrando que o índice de refração da luz da água é maior do que o ar). Isso sem contar o vidro, uma vez que vidros mais densos têm índices de refração maiores que vidros menos densos. Obviamente, parece um pouco assustador, mas é apenas uma combinação de fatores mundanos, que nos faz enxergar até mesmo o que seriam os "dentes do duende", quando não existe absolutamente nada disso.

Existem inúmeras fotos na internet, em que nosso cérebro prega peças. Confiram alguns exemplos clicando aqui, aqui e aqui. Aliás, um caso envolvendo ilusão de ótica / pareidolia viralizou recentemente, quando um homem gravou o que seria um cachorro perante um túmulo em um cemitério de animais, no estado norte-americano do Maine. O túmulo seria de um cachorro chamado "Kosmo", que morreu aos 18 anos de idade, no dia 17 de janeiro desse ano. Porém, quando ele se aproximou, verificou que se tratava apenas de ramos de flores mortas, que estavam bem próximos um do outro, mas que na distância e no ângulo certo, sem querer (teoricamente, é claro), davam a impressão de ser um cachorro. O vídeo, que foi publicado no YouTube, já obteve mais de 360 mil visualizações (clique aqui para conferir o mesmo).

Por fim, resta explicar apenas a última foto, que foi publicada pela jovem, em que o duende aparentemente aparece sorrindo diante da câmera. Na verdade, o duende não está sorrindo, o que vemos é meramente uma ilusão de ótica...
...diante de uma série de fatores: ângulo que a foto foi tirada, iluminação, a presença de gotículas de água no interior da garrafa (lembrando que o índice de refração da luz da água é maior do que o ar). Isso sem contar o vidro, uma vez que vidros mais densos têm índices de refração maiores que vidros menos densos
Se ainda assim alguém acreditar que isso possa ser algo paranormal, seria necessário, no mínimo, posicionar uma câmera 24h por dia, 7 dias por semana, para filmar o que realmente acontece no interior da garrafa e apresentar a filmagem sem nenhum tipo de edição. Além disso, seria importante indicar a loja onde o objeto foi comprado, verificar as demais unidades, recriar os supostos e alegados "fenômenos" no mesmo ambiente etc. Existe um longo e tortuoso caminho até provar que algo poderia ser realmente "inexplicável." Cada um tem sua crença, é claro, mas isso não significa necessariamente ter que iludir outras pessoas. De qualquer forma, foi criada até mesmo uma conta no Instagram para o "Epaminondas", onde podemos perceber nitidamente que ele foi retirado da garrafa onde ficava (muito provavelmente a garrafa foi quebrada no processo).

Particularmente, considero esse caso bem simples, e até mesmo compraria um deles para colocar na minha casa, visto que é um duende bem simpático, e pouco de energia positiva não faz mal a ninguém, não é mesmo? Contudo, acreditar que ele tenha vida, que teria se movido misteriosamente ou que estivesse respirando dentro da garrafa é um exegero, e não posso vir aqui e agir como um apresentador de programa dominical com vocês, porque tenho uma reputação a zelar. Conforme mencionei anteriormente, alegações extraordinárias exigem provas extraordinárias. Infelizmente, nesse caso temos apenas provas ordinárias (no sentido estrito de ser algo bem simples e comum)! É interessante notar que se a jovem estivesse no Reino Unido, sua história já teria viralizado nos tabloides britânicos, e ela conseguiria um bom dinheiro ao leiloar seu duende supostamente mágico no eBay. Contudo, continuaria praticamente no mesmo nível da recente história envolvendo a boneca de porcelana, que teria arranhado pessoas.

De qualquer forma, foi criada até mesmo uma conta no Instagram para o Epaminondas, onde podemos perceber nitidamente que ele foi retirado da garrafa onde ficava (muito provavelmente a garrafa foi quebrada no processo
Isso também me faz lembrar da fábula "Kejserens nye Klæder" ("A Nova Roupa do Rei", em português), que foi publicada em 1837, pelo dinamarquês Hans Christian Andersen, muito embora tenha sido inspirada em uma outra história de um coleção espanhola de contos medievais de 1355. Provavelmente, você a conhece, visto que a fábula ficou imortalizada em nossas mentes ao ser adaptada e aparecer em um episódio do seriado "Chapolin Colorado." Basicamente, a mesma menciona que, um suposto alfaiate de terras distantes, diz a um determinado rei que poderia fazer uma roupa muito bonita e cara, mas que apenas as pessoas mais inteligentes e astutas poderiam vê-la. O rei, muito vaidoso, gostou da proposta e pediu ao alfaiate que fizesse uma roupa dessas para ele. Assim sendo, o alfaiate passou horas no seu tear, fingindo tecer fios invisíveis, que todas as pessoas alegavam ver, para não parecerem estúpidas. Até que um dia, o rei se cansou de esperar, e ele e seus ministros quiseram ver o progresso do suposto "alfaiate." Quando o falso tecelão mostrou a mesa de trabalho vazia, o rei exclamou: "Que lindas vestes! Fizeste um trabalho magnífico!" Embora não visse nada além de uma simples mesa, o rei não podia dizer ao contrário, uma vez que dizer que não via nada seria admitir na frente de seus súditos que não tinha a capacidade necessária para ser rei. O mesmo aconteceu com os súditos, que elogiaram a roupa, para não transparecerem perante ao rei, que eram incompetentes. O alfaiate garantiu que as roupas logo estariam prontas, e o rei resolveu marcar uma grande parada na cidade para que ele exibisse as vestes especiais. A única pessoa a desmascarar a farsa foi uma criança: "O rei está nu!". O grito acabou sendo absorvido por todos, e por um momento o rei se encolheu, suspeitando que a alegação fosse verdadeira, porém se manteve orgulhosamente em pé, caminhando normalmente, e dando prosseguimento a procissão.

O mais interessante é perceber que não importa o século que estejamos ou a adaptação que for realizada sobre essa fábula, a mesma continua se repetindo diariamente em todos os cantos do mundo, visto que sempre existirá um alfaiate e sempre haverá alguém se achando o rei.

Até a próxima, AssombradOs.

Criação/Adaptação: Marco Faustino

Fontes:
https://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2013/05/28/clique-ciencia-por-que-o-vidro-e-o-espelho-embacam.htm
https://pt.wikipedia.org/wiki/A_Roupa_Nova_do_Rei
https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=1981665731859521&id=100000483397451
http://forum.autohoje.com/boxes/81370-carro-cria-condensacao-no-interior-se-ficar-fechado-ao-sol.html
http://misteriosfantasticos.blogspot.com.br/2012/05/diabinho-da-garrafa-cramulhao.html
Comentários