6 de julho de 2017

O Estranho Caso do Soldado da Marinha Supostamente "Possuído por Demônios" e Ordenado a Matar a Própria Família, em Honduras!

Inscreva-se no canal clicando no botão abaixo:
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes

Por Marco Faustino

Sempre gosto de trazer caso desconhecidos ou que acabam não ganhando tanta repercussão na mídia internacional, mas que ao mesmo tempo tenha um conteúdo humano extremamente generoso, e que podemos explorar positivamente, por assim dizer. Muitas vezes, particularmente, não compensa escrever toda uma longa postagem sobre um assunto "requentado" ou que esteja recebendo uma grande atenção a troco de absolutamente nada, visto que uma determinada notícia considerada "viral" geralmente "morre" em questão de 3 ou 4 dias após ser divulgada (exceto, é claro, que alguém tente revivê-la e sugá-la até onde for possível). Após esse tempo, a maioria das pessoas não toca mais no assunto ou se esquece completamente do que foi mencionado devido a correria do dia a dia (essa é uma das razões pelas quais sempre vemos, por exemplo, o mesmo navio sendo encontrado dezenas de vezes ao longo do tempo, e muitas pessoas acreditam na mesma mentira achando que é um novo caso). Portanto, meu objetivo é sempre trazer algo que possa agregar culturalmente e colaborar na maneira pela qual vocês devem se portar ao ler o título de uma notícia ou seu conteúdo. Minha intenção é que cada texto seja único para que vocês possam se lembrar e fixar em suas mentes cada caso diante do que apresentamos para vocês. Isso é diferente de simplesmente resumir uma história, que você eventualmente esquecerá, e cairá na mesma armadilha que costumam criar por aí.

Aliás, a última vez que falamos sobre algum caso envolvendo uma suposta "possessão demoníaca", que envolvesse algum país da América Latina ou Central, foi em março desse ano. No dia 2 daquele mês, as autoridades de saúde pública da Nicarágua (país vizinho de Honduras) informaram a respeito de um estranho surto de uma "doença", que teria sido detectado em uma comunidade indígena da etnia miskito, na Região Autônoma da Costa Norte do Caribe (RACCN). Aparentemente, 27 indígenas dessa comunidade estavam sendo afetados por delírios, gritos e comportamentos muito estranhos. Diante dessa situação, Rosario Murillo, vice-presidente da Nicarágua, declarou que estava enviando "médicos tradicionais" para essa tal comunidade, justamente para atender as pessoas que tinham sido afetadas. Algumas pessoas diziam que isso era causado por espíritos ou entidades malignas, que "viviam" na região. Já outros dizem que esse "malefício" era provocado pelos próprios feiticeiros e bruxos, que são temidos, principalmente nessas comunidades mais remotas do país, com o objetivo de forçar as pessoas a pagarem grandes quantias em troca da cura para salvar seus entes queridos, ou seja, existia a acusação de que alguém criava o problema para então poder cobrar altos valores para solucioná-lo. De qualquer forma, fiz uma postagem extremamente completa mostrando o local dos acontecimentos, o que realmente era a "grisi siknis", alguns casos ocorridos recentemente e no passado, assim como a mais provável realidade sobre toda aquela história. Vale muito a pena conferir (leia mais: Uma Boneca "Amaldiçoada" Seria Responsável por Estranhos Casos de "Possessões Demoníacas" em uma Comunidade Remota, na Nicarágua?).

Agora, encontrei um caso muito interessante e peculiar sobre a história de um soldado naval hondurenho, identificado como Arnold Javier M. R., que virou notícia após seus parentes alegarem que ele voltou completamente "endemoniado" após cumprir o serviço militar em um batalhões da Força Naval de Honduras. O relato da mãe, Argentina Rosales, era completamente assustador. De acordo com ela, os "maus espíritos" estavam pedindo ao seu filho para que ele matasse, deliberadamente, a sua própria família. A situação teria saído do controle, razão pela qual tiveram que amarrá-lo em uma cadeira para que pudesse ser contido, e não ferisse ninguém e nem a si mesmo. Aliás, esse caso teria sido inicialmente divulgado em fevereiro desse ano, porém a mídia voltou a tocar no assunto, de forma muito contida e modesta, após o rapaz ter sido supostamente curado por uma religiosa. Será mesmo que Arnold estava possuído por um demônio? Será que ele está plenamente curado graças a ajuda de uma religiosa? Vamos saber mais sobre esse assunto?

Como Toda Essa História Envolvendo um Jovem Chamado "Arnold Javier" Começou a Ser Divulgada pela Imprensa de Honduras?


No dia 22 de fevereiro desse ano, o site do jornal "El Tiempo" de Honduras, publicou uma notícia intitulada "Militar 'endemoniado' amenaza con matar a su familia en Copán" ("Militar 'endemoniado' ameaça matar sua família em Copán", em português). No texto era mencionado que um estranho caso estava acontecendo na região Oeste de Honduras, em relação a um jovem que estaria supostamente 'endemoniado'.

A paz e a tranquilidade de uma família do município de San Nicolás, no departamento de Copán, havia terminado depois que o jovem regressou de alguns cursos intensivos na Base Naval de Puerto Cortés, que fica a uma distância de aproximadamente 180 km a nordeste de San Nicolás.



Desde que chegou em casa, o mesmo teria apresentado um comportamento assustador, querendo matar toda a sua família. O jovem militar responderia pelo nome de Arnold Javier M.R., teria 22 anos, e morava no vilarejo de San Calletano. Sua família disse que ele "parecia um cachorro nutrindo um sentimento de ódio contra família, e que pequenos seres teriam lhe ordenado que matasse sua família." Sim, exatamente isso que vocês leram.

A paz e a tranquilidade de uma família do município de San Nicolás, no departamento de Copán, havia terminado depois que o jovem tinha regressado de alguns cursos intensivos na Base Naval de Puerto Cortés, que fica a uma distância de aproximadamente 180 km a nordeste de San Nicolás
Desde que chegou em casa, o mesmo teria apresentado um comportamento horrível, querendo matar toda a sua família. O jovem militar responderia pelo nome de Arnold Javier M.R., 22 anos, e morava no vilarejo de San Calletano
A mãe do menino disse que seu filho estava trabalhando na base naval há cerca de um ano e três meses, e que ele havia saído de casa com um bom estado de saúde. Sua mãe, Argentina Rosales, se lembrava do filho ter dito, que escutava estranhos ruídos no local onde ficava de guarda. Porém, assim que ele acendia a luz e apontava sua arma, não via absolutamente nada. Ele teria contado que ficava assustado e preocupado com a situação, mas que tentava ignorar esses acontecimentos. Além disso, Argentina Rosales responsabilizou o governo de Honduras pela situação. Por fim, ela clamou por ajuda, visto que em certas ocasiões a família teria escapado por pouco.

Felizmente, apesar do texto extremamente curto, foi realizada uma reportagem sobre o assunto, onde Argentina Rosales contou mais detalhes de toda essa história, que vocês podem conferir abaixo, em um canal de terceiros, no YouTube (em espanhol, mas vamos dissecar toda essa reportagem para vocês acompanharem direitinho):



Inicialmente, na reportagem, são exibidas algumas imagens do município de San Nicolás, sendo mencionado que a paz e a tranquilidade da cidade havia isso interrompida devido a um jovem militar, que havia voltado da Base Naval de Puerto Cortés, e passou a apresentar um estranho comportamento. Aliás, não demora muito tempo até nos depararmos com a situação caótica de Arnold, que aparece sendo carregado pelo braço, por alguns familiares ou moradores locais, e se mostrava extremamente agitado diante da câmera.

Em seguida, nos deparamos com o depoimento de Gloria Rosales, tia do jovem, contando sobre a existência de um "ser pequeno", que se movia muito rapidamente, feito um gato, porém o mesmo teria uma "face branca". Além disso, também teria havido um outro ser diminuto, que teria dito ao jovem para matar a todos. Esses seres teriam sido supostamente avistados por "Arnold", durante seu período na Base Naval de Puerto Cortés.

Aliás, não demora muito tempo até nos depararmos com a situação caótica de Arnold, que aparece sendo carregado pelo braço, por alguns familiares ou moradores locais, e se mostrava extremamente agitado diante da câmera
Em seguida, nos deparamos com o depoimento de Gloria Rosales, tia do jovem, contando sobre a existência de um "ser pequeno", que se movia muito rapidamente, feito um gato, porém o mesmo teria uma "face branca". Além disso, também teria havido um outro ser diminuto, que teria dito ao jovem para matar a todos
De acordo com a reportagem, aquela situação já estaria ocorrendo há meses, e o jovem já teria sido levado a diversas "instituições de saúde para pessoas com transtornos mentais", porém ninguém quis tratar ou se responsabilizar pelo mesmo. Segundo a mãe do jovem, seu filho teria sido dispensado de "forma silenciosa" pela Base Naval de Puerto Cortés.

É possível notar claramente o desespero da mãe, a Argentina Rosales, ao contar a história sobre seu filho. Ela confirmou que o jovem entrou completamente saudável na base naval, mas saiu complemente doente do local. Ela disse que não sabia mais o que fazer diante daquela situação, e que precisava de ajuda, visto que era uma situação muito difícil para ela. Nota-se, ao menos nas lágrimas, na expressão facial e até mesmo na respiração da mãe que, para ela, aquela situação realmente era desesperadora e de muito sofrimento. Sinceramente, mesmo a distância, não há como negar isso.

É possível notar claramente o desespero da mãe, a Argentina Rosales, ao contar a história sobre seu filho. Ela confirmou que o jovem entrou completamente saudável na base naval, mas saiu complemente doente do local
Ela disse que não sabia mais o que fazer diante daquela situação, e que precisava de ajuda, visto que era uma situação muito difícil para ela. Nota-se, ao menos nas lágrimas, na expressão facial e até mesmo na respiração da mãe que, para ela, aquela situação realmente era desesperadora e de muito sofrimento. Sinceramente, mesmo a distância, não há como negar isso.
O repórter mencionou, que Argentina Rosales teria assegurado que seu filho havia piorado conforme o tempo passava, e que a guarita de segurança onde o mesmo tinha sido colocado, sozinho, estava "embruxada." Argentina Rosales também disse que conversava com seu filho, durante o período em que ele esteve na Base Naval de Puerto Cortés, e que ele dizia escutar passos que vinham em sua direção, mas não conseguia ver absolutamente nada. O jovem também alegava sentir calafrios por todo o corpo. Porém, Argentina disse para seu filho confiar em Deus, e que nada lhe aconteceria.

O repórter mencionou que Argentina Rosales teria assegurado que seu filho havia piorado conforme o tempo passava, e que a guarita de segurança onde o mesmo tinha sido colocado, sozinho, estava "embruxada."
Ainda segundo a reportagem, em fevereiro desse ano, no entanto, parecia que ele estava com um demônio dentro do seu corpo, querendo, inclusive, matá-la. Sem forças e sem dinheiro, a mãe clamava por ajuda, principalmente do governo hondurenho, visto que "ela havia deixado um filho saudável na base militar e teriam devolvido um demônio para ela."

As Novas Informações Fornecidas Pela Rede de Televisão "Univision" e Pelo Site do Jornal Hondurenho "El Heraldo"


Muito provavelmente, toda essa história teria passado desapercebida se não fosse o pequeno texto publicado pelo site do jornal hondurenho "El Heraldo", que se considera um "jornal independente, com informações precisas, completas, atuais e de alta qualidade, que ajuda o leitor a entender o ambiente ao seu redor e tomar decisões, que defende o direito à liberdade de expressão e informação, e zela pelo seu patrimônio mais precioso: a credibilidade."

Assim sendo, no dia 22 de junho, foi publicada uma notícia intitulada "Soldado hondureño fue poseído por un supuesto demonio que le ordenaba matar a su familia" ("Soldado hondurenho foi possuído por um suposto demônio, que lhe ordenava matar sua família", em português) onde foi novamente contada, resumidamente, a história do soldado Arnold. Além de tudo que você já sabem, o texto mencionava, que a notícia tinha se espalhado pela região, até chegar nos ouvidos de uma senhora chamada Francisca Reyes, uma religiosa que alegava ter o "dom da libertação", e que teria jejuado por cerca de sete dias para conseguir tirar a suposta entidade demoníaca do corpo do jovem.

Muito provavelmente, toda essa história teria passado desapercebida se não fosse o pequeno texto publicado pelo site do jornal hondurenho "El Heraldo", que se considera um "jornal independente, com informações precisas, completas, atuais e de alta qualidade, que ajuda o leitor a entender o ambiente ao seu redor e tomar decisões, que defende o direito à liberdade de expressão e informação."
"A primeira coisa que fiz foi clamar pela misericórdia do Espírito Santo, para que a obra de Deus, por meio do seu espírito santo, não fosse interrompida", disse Francisca Reyes, acrescentando que Arnold possuía dois demônios em seu corpo, chamados "Pollo" e "Mercante."

Depois de ser submetido a uma "intervenção" por parte de Francisca (algo que não é mostrado na reportagem), o jovem teria recuperado sua vida normal. Ele confirmou o que seus parentes anteriormente alegavam, ou seja, que tudo teria começado em seu treinamento na base naval, quando ele começou a sentir a "presença dos espíritos malignos." O texto terminava dizendo que o jovem passou a frequentar a igreja, e contava com o apoio de sua família para evitar que outros supostos demônios o possuíssem novamente.

Entretanto, a curta notícia era baseada em uma reportagem do noticiário "Primer Impacto", da "Univision", que por sua vez é uma emissora de TV a cabo e via satélite, com sede em Nova York, nos Estados Unidos, muito embora possua escritórios em diversos países da América Latina e Central, incluindo Honduras (TVC Canal 5). Curiosamente, a matéria tinha sido originalmente publicada na página da emissora no Facebook, exatamente um mês antes. Confira a reportagem completa logo abaixo, através de um canal de terceiros, no YouTube (em espanhol, mas vamos destrinchar os principais pontos para vocês):



Inicialmente, na reportagem do "Primer Impacto" foram mostradas algumas fotos do jovem Arnold durante o seu serviço militar, na Base Naval de Puerto Cortés. Era possível notar, que o mesmo aparentava ser um jornal normal, e nem de longe tinha aquele olhar e toda aquela expressão de medo e pânico em seu rosto.

Contudo, essa reportagem tem uma falha muito grotesca no começo, visto que são exibidas supostas imagens do que seria a Base Naval de Puerto Cortés, mas, na verdade, as imagens são referentes ao CAME (Centro de Treinamento Militar Especializado) das Forças Armadas de Honduras, que por sua vez é uma espécie de centro de formação para futuros oficiais, e que fica bem distante da referida base naval. Aliás, tinha acontecido um outro caso bem estranho no CAME, poucos dias antes, porém iremos comentar sobre isso daqui a pouco.

Inicialmente, a reportagem do "Primer Impacto" mostrou algumas fotos do jovem Arnold
durante o seu serviço militar, na Base Naval de Puerto Cortés
Era possível notar, que o mesmo aparentava ser um jornal normal,
e nem de longe tinha aquele olhar e toda aquela expressão de medo e pânico
Entretanto, o trecho da reportagem que nos interessa começa em 1:43, quando aparece justamente a religiosa chamada Francisca Reyes, que teria sido levada até o jovem após supostamente ficar sabendo do caso através de emissoras e veículos de comunicação locais (isso é um tanto quanto estranho, porque o caso foi pouquíssimo divulgado e, por pouco, não passou em branco).

Assim sendo, vemos uma repórter da Univision, Claudia Mendoza (de cabelo ruivo) se encontrando com Francisca (a senhora de cabelo loiro e rabo de cavalo). Francisca alegou ter "o poder de expulsar os demônios do corpo de uma pessoa, e que teria jejuado por cerca de sete dias para receber o poder de Deus e livrar o corpo de Arnold da legião de demônios que ele tinha." Aliás, um dos demônios se chamava realmente "Pollo" e o outro "Mercante", conforme o "El Heraldo" havia citado.

Assim sendo, vemos uma repórter da Univision (de cabelo ruivo, à direita)
se encontrando com Francisca (a senhora de cabelo loiro e rabo de cavalo, à esquerda)
Francisca alegou ter "o poder de expulsar os demônios do corpo de uma pessoa, e que jejuou por cerca de sete dias para receber o poder de Deus e livrar o corpo de Arnold da legião de demônios que ele tinha."
Já sem seus supostos demônios, sentado e relaxado, Arnold contou a repórter sobre sua "experiência infernal." Segundo o jovem, usando frases curtas e um pouco desconexas, tudo teria começado durante o serviço militar, visto que ele teria sentido forças malignas querendo usar o seu corpo, porém ele não se sabia exatamente com qual intenção, no local onde ele foi designado.

Estranhamente, a reportagem mudou totalmente o foco, visto que a Claudia Mendoza comentou, que os aspirantes a militares "daquele centro" tinham como hábito utilizar a tábua Ouija e a praticar rituais satânicos. Isso é estranho, porque ela faz referência a um caso ocorrido no CAME (que ainda não abordamos), e que não teria nenhuma relação com Base Naval de Puerto Cortés. De qualquer forma, a própria Argentina Rosales, mãe do jovem, comentou que lhe disseram que rapazes tinham usado a famosa tábua Ouija, no local onde seu filho ficava. Já outros comentaram, que os demônios costumavam andar livremente pela base naval.

Já sem seus supostos demônios, sentado e relaxado, Arnold contou a repórter sobre sua "experiência infernal"
De qualquer forma, a própria Argentina Rosales, mãe do jovem, comentou que lhe disseram que rapazes tinham usado a famosa tábua Ouija, no local onde seu filho ficava. Já outros comentaram, que os demônios costumavam andar livremente pela base naval.
Ao final da reportagem, é possível notar que Arnold havia se tornado uma espécie de pregador de alguma congregação religiosa, visto que ele aparece ao lado de Francisca no interior de algum local religioso, que não foi citado na mesma. Além disso, ao ser questionando o que ele sentiu que havia saído do seu corpo, o jovem simplesmente disse que a sensação era de que tinha saído um monstro.

Ao final da reportagem, é possível notar que Arnold havia se tornado uma espécie de pregador de algum templo religioso local, visto que ele aparece ao lado de Francisca no interior de alguma congregação que não foi citada na mesma
Ao ser questionando o que ele sentiu que havia saído do seu corpo,
o jovem simplesmente disse que a sensação era de que tinha saído um monstro
Aos poucos a paz e a tranquilidade havia retornado ao lar do jovem, cuja família confiava plenamente que a proteção divina evitaria, que outra legião de demônios se apoderasse do corpo de Arnold. Estranho não é mesmo?

Um Outro Estranho Caso "Ainda Mais Estranho" Havia Sido Noticiado Pouco Tempo Antes, em Meados de Fevereiro Desse Ano, Novamente Envolvendo Militares


Curiosamente, ao terminar de escrever sobre o caso envolvendo o jovem Arnold Javier, me deparei com um outro caso ainda mais estranho, que teria ocorrido pouco tempo antes, em meados de fevereiro, mas dessa vez no CAME (Centro de Treinamento Militar Especializado) das Forças Armadas de Honduras, localizado no vilarejo de El Espinal, no município de Juticalpa, no departamento de Olancho. Para vocês terem uma noção de distância, na prática, El Espinal fica a cerca de 450 km (em média 7h15 de carro) a sudeste de Puerto Cortés, ou seja, é bem longe mesmo, conforme vocês podem ver no mapa interativo abaixo:



No dia 13 de fevereiro desse ano, cerca de uma semana antes de ser divulgado o caso envolvendo o jovem Arnold Javier, o site do jornal hondurenho "La Tribuna" havia publicado uma notícia um tanto quanto estranha, intitulada "Soldados del CAME con síntomas de 'posesión demoníaca'" ("Soldados do CAME com sintomas de possessão demoníaca", em português), onde dizia que um representante das Forças Armadas de Honduras tinha confirmado, que os alunos do "Centro de Treinamento Militar Especializado" (CAME) apresentaram sintomas estranhos, descritos por alguns como "possessão demoníaca."

"No CAME vem ocorrendo alguns casos, nos quais estão sendo aplicados tratamentos médicos, psicológicos, assim como está sendo reforçada toda a parte espiritual", disse Omar Videa, porta-voz da entidade, acrescentando que havia sido nomeada uma comissão composta por médicos, pastores e setores da inteligência para apurar o incidente. Ao ser questionado sobre o que estava acontecendo no CAME, Omar explicou que um grupo de alunos estava apresentando convulsões "como se os mesmos estivessem possuídos." Ele também revelou, que um dos jovens tinha sido transferido para um centro médico (ou hospital), devido a gravidade do seu estado de saúde.

No dia 13 de fevereiro desse ano, cerca de uma semana antes de ser divulgado o caso envolvendo o jovem Arnold Javier, o site do jornal hondurenho "La Tribuna" havia publicado uma notícia um tanto quanto estranha, intitulada "Soldados del CAME con síntomas de 'posesión demoníaca'"
"No CAME vem ocorrendo alguns casos, nos quais estão sendo aplicados tratamentos médicos, psicológicos, assim como está sendo reforçada toda a parte espiritual", disse Omar Videa, porta-voz da entidade, acrescentando que havia sido nomeada uma comissão composta por médicos, pastores e setores da inteligência para apurar o incidente
"O caso mais grave é de um dos jovens, no qual está sendo prestado um tratamento especial, sendo que o mesmo foi transferido para um hospital", completou. Omar Videa confirmou que os sintomas começaram a surgir na semana anterior, o que deixou as autoridades em alerta.

No dia seguinte (14), o site do jornal "La Tribuna" voltou a comentar sobre o assunto, porém de uma forma bem mais completa e alarmista, com uma notícia intitulada "Legión de demonios dan 20 días a militares para desalojar el CAME" ("Legião de Demônios dão 20 Dias para que os Militares desocupem o CAME", em português). Segundo o texto, uma legião de demônios havia se apoderado do Centro de Treinamento Militar Especializado do Exército de Honduras, localizado em uma região montanhosa do vilarejo de El Espinal, município de Juticalpa, no departamento de Olancho, sendo que essa legião teria dado apenas 20 dias para que as instalações fossem desocupadas.

Os familiares e amigos dos jovens, que estavam em formação no centro militar chamaram a emissora de TV hondurenha "Hable Como Habla" (HCH), uma vez que estavam muito ansiosos e nervosos com toda aquela situação. Muitos soldados, cadetes e oficiais asseguravam ter visto o demônio, razão pela qual tiveram que ser internados no Hospital Militar da região, visto que foram acometidos por uma crise nervosa.

Muitos cadetes e oficiais asseguravam ter visto o demônio,
razão pela qual tiveram que ser internados no Hospital Militar da região, devido a uma crise nervosa
De acordo com os soldados, um homem pequeno, de baixa estatura, que seria uma espécie de duende, tal como é conhecido popularmente nos povoados, estaria aparecendo nos alohamentos, principalmente dos alunos que pertenciam ao "Terceiro Batalhão de Infantaria de Naco", porém não foi explicada a razão para tal "preferência." Além disso, a familiar de um soldado mencionou, que fazia pouco tempo que havia morrido um cadete que, aparentemente, pertenceria ao "Grupamento 18."

"O demônio disse-lhes, que num local bem perto de onde estavam, alguém havia sido enterrado, e que ele tinha vindo buscar todos aqueles que tinham o número 18 no capacete", disse essa familiar que não quis ser identificada. Desde então, teria ocorrido uma crise generalizada e muitos dos soldados começaram a apresentar um comportamento estranho. Essa mesma familiar disse que os olhos dos alunos reviravam, o corpo e a cabeça se contorciam, e muitos caíam no chão, gritando e se debatendo. Diante desse fenômeno, os soldados começaram a realizar orações antes de dormir. Contudo, certa noite, quando os soldados começaram a clamar por Deus, aproximadamente 12 jovens caíram no chão, inconscientes, incluindo um sargento.

Ainda segundo essa familiar, alguns dos soldados foram levados para um centro médico em Juticalpa, porém no meio do caminho, os jovens começaram a dizer que iriam se jogar de uma ponte com a intenção de tirar a própria vida, mas acabaram sendo sedados pela equipe médica. Devido a gravidade da situação, padres e pastores teriam ido até o CAME. Foi assim que o demônio, "através deles", teria mencionado que todos tinham 20 dias para deixar o CAME, caso contrário o demônio não deixaria ninguém vivo. Ao ser questionada se jogos satânicos eram jogados no CAME, assim como a tábua Ouija, a jovem disse que não sabia responder.

. Devido a gravidade da situação, padres e pastores foram até o CAME. Foi assim que o demônio, através deles, teria mencionado que todos tinham 20 dias para deixar o CAME, caso contrário não deixaria ninguém vivo.
Segundo essa familiar, o alto comando do CAME acreditava que tudo isso não passava de uma mentira, que os jovens eram "frouxos e estavam apenas arrumando uma desculpa para desertar." Por outro lado, ela disse que os jovens queriam terminar a formação militar, porém em outro local, visto que eles não estavam mais conseguindo dormir, e passavam todas as noites com as luzes acesas, com medo que algo mais grave acontecesse. Por fim, essa familiar teria dito que o horário mais complicado seria entre a meia-noite e 1h da madrugada. Outro momento delicado seria quando "os pastores expulsavam o demônio de um soldado, que acabava passando para outro, algo que deixava os demais soldados preocupados", visto que o CAME abrigava mais de 2.000 pessoas.

No dia 15 de fevereiro, uma equipe do "La Tribuna" resolveu ir até o CAME para conferir de perto a situação e, ao contrário dos dias anteriores, fez questão de exibir a seguinte manchete: "En el CAME no hay nada paranormal, son problemas psicológicos" ("No CAME não existe nada de paranormal, são problemas psicológicos", em português). A matéria é relativamente longa, e para não cansar vocês, vamos resumir o texto, combinado?

Bem, a equipe do "La Tribuna" foi recebida pelo recém-nomeado diretor do CAME, Dagoberto Moncada Zelaya, Coronel de Infantaria. O Coronel Dagoberto confirmou que "algumas situações" estavam sob investigação, sendo que uma delas estava sendo investigada "a partir do ponto de vista espiritual" contando com a presença de pastores e padres.

O Coronel Dagoberto confirmou que "algumas situações" estavam sob investigação, sendo que uma delas estava sendo investigada "a partir do ponto de vista espiritual" contando com a presença de pastores e padres
Do ponto de vista médico, dez psicólogos tinham sido enviados pelo Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMC). Sem dar acesso aos locais os soldados estavam alojados, o Coronel Dagoberto disse que não havia nada fora do normal, e as atividades estavam transcorrendo na mais perfeita ordem. Ele também disse que as Forças Armadas de Honduras eram uma instituição em que se acreditava nos valores, princípios e acima de tudo, em Deus. Aliás, eles envolveriam seu nome em todas as suas atividades, visto que sempre deveriam confiar em Deus.

Sem dar acesso aos locais os soldados estavam alojados, o coronel Dagoberto disse que não havia nada fora do normal e as atividades estavam transcorrendo na mais perfeita ordem
O Coronel Dagoberto ressaltou, que meros problemas psicológicos tinham afetado cerca de 17 jovens, dos mais de 2.000 soldados que o CAME abrigava, e que eles descartavam qualquer "situação de cunho demoníaco" ou até mesmo de "possessão demoníaca", visto que aquela tinha sido uma situação pontual, mas que foi exacerbada pelos jovens. Ele ressaltou, que os jovens costumavam passar por um longo período de confinamento e um árduo treinamento, ou seja, uma vez que o clima na região estava quente, era possível que alguns soldados desmaiassem.

De qualquer forma, as autoridades militares do CAME disseram, que alguns pais foram autorizados a levar seus filhos, em uma espécie de licença de 72 horas, sendo que após esse período, os jovens teriam que retornar para seus postos e concluir o treinamento no CAME, algo que nem todos acabaram fazendo, é claro.

De qualquer forma, as autoridades militares do CAME disseram, que alguns pais foram autorizados a levar seus filhos com uma licença de 72 horas, sendo que após esse período, os mesmos teriam que retornam para seus postos e concluir o treinamento.
A matéria do "La Tribuna" incluiu o depoimento do irmão de um dos soldados, Dayer Cruz, dizendo que seu irmão teria visto a formação de dois redemoinhos, que foram justamente na direção dos alojamentos dos soldados. Além disso, quando estavam em formação, um dos jovens teria saído correndo enlouquecidamente, do nada, e foram necessários mais de cinco instrutores para contê-lo. Para ele, nada disso poderia ser algo normal. Alguma coisa estranha estava acontecendo no CAME.

Entretanto, havia quem não tivesse sofrido absolutamente nada, e mesmo após ver outros jovens desmaiando, queria retornar para concluir a formação militar. Apesar da preocupação de alguns pais, a maioria dos jovens expressou o desejo de continuar no CAME ou então, na pior da hipóteses, continuar a formação militar em algum outro local. Poucos foram aqueles que não quiseram regressar após o prazo concedido de 72h. Aqueles que não voltaram foram considerados desertores ou então inaptos para a atividade militar.

Confira também uma reportagem realizada pelo noticiário "Primer Impacto" da Univision, que curiosamente também tinha sido realizada pela repórter Claudia Mendoza, em um canal de terceiros, no YouTube (em espanhol, onde é possível ver algumas imagens utilizadas na reportagem do Arnold Javier, muito embora sejam dois lugares completamente diferentes e distantes entre si):



De qualquer forma, aparentemente, esse caso envolvendo o CAME soa ter sido apenas "histeria coletiva", visto que a instalação militar continuou operando normalmente até hoje, e nenhum outro caso semelhante foi relatado desde então. Considerando a pressão do treinamento militar, ainda mais considerando que são jovens soldados, juntamente com altas temperaturas, é plenamente possível que desmaios aconteçam. Caso o ambiente ao redor esteja inflamado ou com uma extrema tensão, eventualmente pode mesmo ocorrer a famosa histeria coletiva. Obviamente, por serem militares, a história invariavelmente ganha uma dimensão maior.

Uma Dose de Realidade Sobre o Caso Envolvendo a Suposta "Possessão Demoníaca" do Jovem Arnold Javier e as Forças Armadas de Honduras


Vocês podem até acreditar, que o caso envolvendo o jovem "Arnold Javier" verdadeiramente retrate uma "possessão demoníaca" ou até mesmo que o jovem sofresse de algum transtorno mental, que pudesse ter sido agravado pelo serviço militar, que por sua vez geralmente exige muito esforço físico e preparo psicológico das pessoas. De qualquer forma, a mãe do rapaz mencionou que o filho estava perfeitamente saudável até prestar serviço militar na Base Naval de Puerto Cortés. Por mais estranho que possa parecer, visto que sempre desconfio das narrativas dos parentes das vítimas, acredito no depoimento dessa mãe, uma vez que seu desespero soava autêntico. Ela estava totalmente desolada. Por outro lado, não acredito que tenha sido uma "possessão demoníaca" ou que o jovem sofresse previamente de algum transtorno mental.

Particularmente, após escrever sobre tantos casos envolvendo a América Latina e Central, certas coisas acabam me chamando a atenção, principalmente em relação a imprensa. Isso porque a reportagem publicada pela Univision teve mais de 4 milhões de visualizações, cerca de 13 mil compartilhamentos, e mais de 2 mil comentários no Facebook, sendo extremamente estranho que não fosse amplamente divulgado ou que outro veículo de imprensa hondurenho fosse visitar a família para fazer uma reportagem ainda mais completa ou de cunho sensacionalista, repleta de efeitos digitais, cortes de imagens e uma narrativa sombria, como sempre costumam fazer em casos assim. Assim sendo, acredito que houve um "pequeno detalhe", que serviu como "barreira" para evitar que o caso ganhasse uma dimensão maior: as Forças Armadas de Honduras.

  A reportagem publicada pela Univision teve mais de 4 milhões de visualizações, cerca de 13 mil compartilhamentos, e mais de 2 mil comentários no Facbeook, sendo extremamente estranho que não fosse amplamente divulgado ou que outro veículo de imprensa hondurenho fosse visitar a família para fazer uma reportagem ainda mais completa ou de cunho sensacionalista.
Com certeza, seria um grande "clichê" dizer que, eventualmente, podem acontecer excessos ou até mesmo abusos físicos ou que violem a integridade mortal de jovens durante o serviço militar em qualquer país. Porém, acredito que o treinamento militar, ainda mais em Honduras (também encaixotada entre dois vizinhos extremamente problemáticos, El Salvador e Nicarágua), que já concentrou o maior índice de criminalidade do mundo, em 2012, possa ser bem "rigoroso". Vale ressaltar que as condições de segurança no país ainda são extremamente deficientes, e obviamente os militares precisam estar preparados para tudo, literalmente tudo mesmo. Seria impensável criar "cordeiros" para serem atirados aos lobos, se é que vocês me entendem.

É complicado acreditar que haja uma tábua Ouija dentro de uma instalação militar hondurenha ou que os próprios jovens, ainda mais sendo meros soldados, realizem rituais satânicos, porém existe algo bem mais tenso do que isso. Em janeiro de 2015, o site do jornal hondurenho "La Prensa" comentou rapidamente sobre um vídeo divulgado pelo um noticiário chamado TN5, exibido pela emissora TVC (suposta parceira da Univision), que evidenciava os treinamentos cruéis, que os soldados das Forças Armadas de Honduras eram submetidos, como parte dos cursos de sobrevivência. O vídeo mostrava um soldado segurando a cabeça de um cachorro, e sendo obrigado por um dos instrutores a comer a carne crua do animal, que tinha sido decapitado algumas horas antes. O caso teria acontecido no departamento de Colón, no litoral de Honduras.

A autenticidade do vídeo foi confirmada por José Sánchez, porta-voz da Polícia Militar, que disse que o incidente havia acontecido em 2011, e que tais práticas já tinham sido abolidas. De acordo com Sánchez, os instrutores teriam sido sido punidos, e que esse tipo de situação não acontecia mais. Naquela época, pouco se comentou sobre isso na imprensa hondurenha. Não irei publicar esse vídeo aqui na postagem, porque ele é muito explícito, porém caso tenha estômago, clique aqui.

O vídeo mostrava um soldado segurando a cabeça de um cachorro e sendo obrigado por um dos instrutores a comer a carne crua do animal, que tinha sido decapitado algumas horas antes. O caso teria acontecido no departamento de Colón, no litoral de Honduras.
A autenticidade do vídeo foi confirmada por José Sánchez, porta-voz da Polícia Militar, que disse que o incidente havia acontecido em 2011, e que tais práticas já tinham sido abolidas.
Assim sendo, não é difícil imaginar o clima de tensão, que os jovens passam ao prestarem o serviço militar em um país, que naturalmente é dominado pelo medo. É difícil saber o real estado psicológico dos soldados após serem formados. Igualmente é complicado dizer se todas as bases e centros de treinamento aplicam apenas "tratamentos rígidos" ou "tratamentos surreais", como esse que acabamos de ver. Acredito que sobrevivência não tenha nenhuma relação em tratar qualquer vida de forma monstruosa, sem qualquer tipo de necessidade ou em sua própria defesa.

Por outro lado, seguir a carreira militar em Honduras é uma tentativa de não apenas sobreviver ao caos ao seu redor, mas também de garantir a segurança e o sustento de seus próprios familires. Chega a ser irônico ter que ensinar os jovens a sobreviverem além do que já conseguiram sobreviver ao pisarem pela primeira vez em um centro de treinamento militar. Igualmente irônico é segurar um fuzil em uma mão, e na outra mão um livro sagrado, seja a bíblia ou qualquer livro de ensinamentos religiosos. A espada e o escudo que, ao longo de toda a história da humanidade, provaram ser as armas mais mortíferas de todos os tempos.

Até a próxima, AssombradOs.

Criação/Tradução/Adaptação: Marco Faustino

Fontes:
http://tiempo.hn/militar-endemoniado-en-copan/
http://www.elheraldo.hn/queondaconesto/1082708-466/soldado-hondure%C3%B1o-fue-pose%C3%ADdo-por-un-supuesto-demonio-que-le-ordenaba-matar
http://www.laprensa.hn/honduras/787096-410/soldado-hondure%C3%B1o-fue-obligado-a-comerse-un-perro-en-entrenamiento
http://www.latribuna.hn/2017/02/13/soldados-del-came-sintomas-posesion-demoniaca/
http://www.latribuna.hn/2017/02/14/legion-demonios-dan-20-dias-militares-desalojar-came/
http://www.latribuna.hn/2017/02/15/came-no-nada-paranormal-problemas-psicologicos/
http://www.univision.com/shows/primer-impacto/esta-el-diablo-suelto-en-honduras-familiares-de-estos-soldados-asi-lo-creen-video
https://www.facebook.com/PrimerImpactoUnivision/videos/10154554721601596/
Comentários