30 de julho de 2017

Brasil Assombrado! Conheça 5 Casos sem Explicação Ocorridos Aqui

Inscreva-se no canal clicando no botão abaixo:
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes

O Brasil é um país imenso, cheio de lendas e mistérios. De quedas de discos voadores a pessoas com poderes sobrenaturais, vou apresentar para vocês cincos casos misteriosos acontecidos em nosso país e que mexem com a imaginação das pessoas...

Fala Assombrados, quando eu parei para escrever essa postagem para gravar o especial de domingo do canal AssombradO, minha intensão era não falar de ufologia, uma vez que fiz vários textos em sequência sobre o tema. Então comecei a estudar sobre o caso "O Desaparecimento do Escoteiro Marco Aurélio Simon." Só que eu acabei vendo que não seria tão simples, e resolvi me aprofundar na história, e para isso estou comprando o livro Operação Marins, edição especial com os 2 livros. Portanto, mudei meus planos e para não ficar sem especial, resolvi compilar 5 mistérios brasileiros que já falei no canal Assombrado. É claro que existem muitos outros, que vou trazer em uma futura parte 02, como por exemplo o próprio caso do Escoteiro Marco Aurélio, Máscaras de Chumbo, Noite Oficial dos OVNIS, Médium do Algodão etc. Então vamos conhecer esses casos brasileiros....

05- Caboclo D´Água

Caboclo D´água
Caboclo d'Água é um ser mítico, defensor do Rio São Francisco, que assombra os pescadores e navegantes, chegando mesmo a virar e afundar embarcações. Para esconjurá-lo, os marujos do São Francisco fazem esculpir, à proa de seus barcos, figuras assustadoras chamadas carrancas. Outros lançam fumo nas águas para acalmá-lo. Também são cravadas facas no fundo de canoas, por haver a crença de que o aço afugenta manifestações de seres sobrenaturais.

Os nativos o descrevem como sendo um ser troncudo e musculoso, de pele cor de bronze. Apesar de seu tipo físico, o Caboclo d'Água consegue se locomover rapidamente. Pode viver fora da água, mas nunca se afasta das margens do rio São Francisco.

Quando não gosta de um pescador, ele afugenta os peixes para longe da rede, mas, se o pescador lhe faz um agrado, como dar-lhe fumo, ele o ajuda para que a pesca seja farta.

Falei recentemente dessa criatura defensora do Rio São Francisco e que também aparece no interior de Minas Gerais. O programa Balanço Geral MG da Rede Record fez uma reportagem na cidade de Juatuba, região metropolitana de Belo Horizonte contando a história de um pescador que ficou cara-a-cara com a fera no rio Paraopeba, e teve que lutar para não ser puxado para dentro da água. De acordo com o pescador Jair Alves, 71 anos, o "Caboclo d'Água" seria parecido com um menino, teria a cabeça redonda, mas num corpo de um animal peludo, e com os dentes bem brancos.

Jair Alves, que mora na cidade desde que nasceu, lembrou do dia em que se deparou com o "Caboclo d'Água" pela primeira vez. Ele havia ido pescar com o irmão durante a noite. Chegando no local, por volta das 21h, o "Caboclo d'Água" teria tentado subir no barco em que eles estavam. Os irmãos se assustaram, e tentaram soltar a embarcação das mãos do ser mitológico. Após minutos de desespero, os dois conseguiram, finalmente, se livrar do mesmo com a ajuda de um remo e uma vara de bambu. Ainda segundo Jair Alves, ele e o irmão não foram os primeiros da família a se depararem com esse ser mitológico. O tio deles teria o enfrentado, há alguns anos. No ocasião, o tio deles chegou a cortar a mão da suposta "criatura", que também tentava subir no barco. Segundo ele, seria uma mão cabeluda e com unhas grandes.

A lenda é muito famosa, com inúmeros relatos, o que fez os Membros da Associação de Caçadores de Assombração de Mariana (Acam), no ano de 2010 tentar tirar uma foto ou até mesmo capturar o bicho. E mais, quem conseguir uma foto e entregar à associação vai receber R$10 mil. O grupo tem ainda uma série de equipamentos para ajudar na captura. É o caso de rádios, câmeras fotográficas, redes e GPS, sem contar armas não letais. Para a nova armadilha, foi desenvolvido um feromônio com objetivo de despertar o olfato do caboclo. A substância é feita com sangue de bezerro.

Um gaiola de metalon foi fabricada em semelhança às armadilhas de pescadores. Na estratégia traçada pela associação, o Caboclo d’Água vai entrar por um buraco no meio da gaiola, na parte coberta por água, e, assim como os peixes, tentará sair pelas laterais, ficando preso. Neste momento, o voluntário precisa sair por outra entrada, acima da cabeça dele; de preferência, rapidamente.

Até o momento não conseguiram capturar a fera...

.
04- Leonice Fritz, a Garota Poltergeist

Leonice Fritz
Leonice Fritz ficou famosa quando apareceu no programa Fantástico no ano de 1988. A reportagem mostrou uma adolescente com poderes sobrenaturais, como ligar e desligar as luzes. Muitos vezes fazia elas explodirem, produzir ruídos inexplicáveis, batidas na parede, mover todo tipo de objeto pela casa, como baldes cheios de água, levitar diversos objetos, como vassouras ou pesados baús de mais de 20 quilos e lençóis e colchões moverem sozinhos.

Diversos curiosos começaram a ir até o local de sua casa, forçando a prefeitura de Santa Rosa a chamar um especialista para tentar acabar com o mistério e fazer a vida da família voltar ao normal.

Seus poderes se manifestaram cedo, conforme sua mãe Ema Fitz relata. Com apenas 3 semanas ela conta a história de uma boneca que colocou ao lado da filha, que abriu os olhos e começou a chorar, quando a mãe tirou, ela parou. A mãe assustou, pois parecia que ela já enxergava os objetos.

Na escola, ela se divertia com seus poderes. Ela produzia barulhos que assustavam até os professores e fazia os bonés dos garotos levitarem e saírem pela janela e irem parar no telhada! Quando voltava para casa, ela fazia as pedras na sua frente rolarem.

O único que conseguia controlar Leonice era seu pai, Arnildo Fitz, falecido em 2003, aos 57 anos. Apenas seus olhares conseguiam impedir a menina de explodir lâmpadas ou quebrar a louça da família.

A grande exposição de Leonice aconteceu quando tinha apenas 13 anos. Ela morava em uma cidade pequena, Santa Rosa-RS e muitas pessoas começaram a ir a sua casa querendo ver os fenômenos (as vezes mais de 100 de uma vez, tendo a família de chamar a polícia diversas vezes para fechar a estrada de terra que levava a casa dos Fitz) fez a menina se retrair e ficar em silêncio após ganhar mais idade.

Trabalhou como doméstica, não parando muito nos empregos e casou com Armindo Herzog, que revelou que ela começou a dar consultas espirituais depois do casamento. A pessoa vinha, contava sua história e problemas, e ela dizia o que a pessoa tinha de fazer. Isso durou quase 10 anos e vinham pessoas até de outros países encontrá-la.

Leonice sempre disse que seus poderes ainda estavam ativos.

Infelizmente, a vida de Leonice foi interrompida quando ela descobriu que estava com câncer nos ossos. Ela perdeu a luta para o câncer em seus ossos e faleceu muito jovem, em 26 de junho de 2010, com apenas 35 anos. Seu corpo pode ter descansado, mas sua história vai ficar eternizada.

.
03- Barulhos Misteriosos em Casa de Americana-SP

Vara de metal de 2,10 metros entra com facilidade no buraco
Em maio de 2016 comecei a falar no canal AssombradO dos estranhos barulhos ocorridos em  uma residência na Vila Belvedere, em Americana. Um barulho intenso, como se uma marreta estivesse quebrando pedras, surge debaixo da casa onde mora a aposentada Elvira de Godoy, de 81 anos, há mais de 40 anos. De tão forte as batidas, a parede treme e o impacto é ouvido pelos vizinhos. O reboco da parede até se soltou.

Cansado de ficar sem respostas, um familiar chamado Agnaldo fez um buraco no ponto onde as batidas estão mais fortes, e para sua surpresa, após dar cinco batidas com uma barra de ferro o objeto desceu cerca de 2,10 metros com facilidade, terra abaixo. Além de descer reto, o vergalhão também desceu na diagonal, e não ficou sujo de terra.

Jornais locais foram até a casa e divulgaram o caso para o Brasil, que se interessou pelo assunto pois queria saber o que estava causando o estranho barulho.

Diversas hipóteses foram sugeridas, como exemplo que o túnel cavado por bandidos para assaltar algum comércio, mas não existe comércio de valor perto.

Fiz 4 vídeos no canal sobre esse caso, sempre trazendo novas informações, como a de que jogaram bobinhas dentro do buraco ou que um geólogo foi lá e descartou ser problema estrutural na casa.

Depois que a polícia entrou no caso a família parou de dar atualizações e o caso continua sendo um mistério...

.
02- Operação Prato

Imagens que vazaram da Operação Prato mostram as sondas "chupa chupa"
Em 1977 moradores da cidade de Colares-PA começaram a ter amostras de seu sangue retiradas após serem atingidos por raios que eram emitidos por estranhas bolas de luz no céu, apelidada por eles de "chupa chupa". A situação ficou tão crítica que as Forças Armadas tiveram que se deslocar até o local para acalmar a população. A missão ficou conhecida como Operação Prato e conseguiu muito mais que isso: ficaram frente a frente com os "chupa chupa", os fotografaram e filmaram!

Os moradores começaram a reagir conta esses "chupa-chupas" e atiravam contra as luzes ou atiravam foguetes na esperança de afugentá-las. O pânico começou a tomar conta do lugar de uma tal maneira que as Forças Armadas tiveram de se deslocar até lá para acalmar a população.

Os militares inicialmente não queriam ir até Colares-PA. Só que a coisa lá começou a ficar cada vez mais feia, e no começo do mês de setembro de 1977 militares chegaram ao local. Para compor a operação foram destacados 30 oficiais do Serviço de Inteligência  (a chamada Segunda Seção).

Durante os dois primeiros meses, nada de muito grave foi testemunhado pelos militares, que se concentravam em colher relatos e dar palestras para os moradores.

Mas a partir de novembro tudo mudou, os casos testemunhados pelos militares aumentaram em quantidade e na qualidade da experiência. Nesta fase, já sob chefia do então Capitão Uyrangê Hollanda, ocorreram os mais impressionantes casos envolvendo os militares da Operação Prato.

No mês de dezembro de 1977 a missão foi abruptamente finalizada. Os militares voltaram para Belém e todo material resultante da Operação foi inicialmente guardada no 1º COMAR e depois transferido para Brasília onde possivelmente está até hoje.

Mas por que será que isso aconteceu? Por que encerrar a missão justamente quando ela estava no auge? Essa pergunta intriga os ufólogos até hoje, que dizem que tem algo errado.

Ademar Gevaerd, editor da revista UFO tem sua teoria: a Operação Prato não foi encerrada, mas sim recebeu outro formato, muito mais secreto e técnico, e passou, já com outro nome, a contar com a participação decisiva e intensa de militares norte-americanos.

Em 1997, oo Capitão da missão na época, Uyrangê Hollanda, procurou este Ademar J. Gevaerd, editor da famosa revista UFO de livre e espontânea vontade e confirmou para ele que existiam calhamaços de documentos, fotos e vídeos do caso, e que tudo estava em posse da Aeronáutica. Esses documentos se dividiriam em mais de 500 fotografias de discos voadores e sondas ufológicas, cerca de 16 horas de filmes em formato super 8 mm e 16 mm e centenas de depoimentos de testemunhas e vítimas, totalizando cerca de 2.000 páginas. Essa informação foi posteriormente confirmada, em 2008, pelo brigadeiro José Carlos Pereira, ex-comandante do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (Comdabra) e homem de destaque no meio militar brasileiro, que ainda atestou a idoneidade de Hollanda.

Dois meses após sua entrevista para a revista UFO, Uyrangê foi encontrado morto em sua casa na Região dos Lagos no Rio de Janeiro em 2 de Outubro de 1997. Ele cometeu suicídio.

Com a revelação do Coronel Hollanda de que existiam mais de 2.000 documentos em poder da Aeronáutica sobre a Operação Prato, a Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU), através de seu movimento UFOs: Liberdade de Informação Já, começou a pressionar a Aeronáutica para liberá-los, e conseguiram a liberação oficial de centenas de páginas de documentos ufológicos secretos.


.
01- O ET de Varginha

As três garotas que teriam visto o ET.
O dia 20 de janeiro de 1996 era para ser como um outro dia qualquer na cidade de Varginha-MG, com um tempo chuvoso no céu da cidade. Mas um evento incrível iria mudar para sempre a cidade e a fazer ser conhecida no mundo todo, pois alguns habitantes avistaram ETs na cidade!

As adolescentes Liliane de Fátima Silva de 16 anos, sua irmã Valquíria Aparecida Silva de 14 anos, e a amiga Kátia de Andrade Xavier, de 22, retornavam a pé do bairro vizinho de Jardim Andere depois de um fatigante dia de trabalho como empregadas domésticas.

Eram por volta das 15 horas, quando resolveram cortar caminho por um terreno baldio. Mal deram alguns passos, depararam-se com uma criatura anã de olhos grandes e avermelhados, veias saltadas nos braços, peito e rosto, pés enormes, pele marrom brilhante, como que untada com óleo, e três protuberâncias (como se fossem chifres) no crânio calvo e superdesenvolvido.

A criatura, que estava nua e agachada junto ao muro, demonstrou aturdimento com a presença das meninas, que, apavoradas, trataram logo de fugir do local e contar aos seus familiares o que tinham visto.

"Eu e a Valquíria achamos que era um bicho, não era gente. A Valquíria perdeu a voz. A Kátia, que é muito nervosa, achou que era o capeta e ficou em estado de choque, achei que ela ia desmaiar, tive que acudir", relatou Liliane.

Ninguém sabia ao certo se a criatura era deste ou de outro mundo, mas de qualquer forma causou comoção na pitoresca cidade mineira de Varginha, a 313 km de Belo Horizonte. A notícia se espalhou rapidamente pela vizinhança. Em poucos minutos, dezenas de curiosos se aglomeravam no terreno baldio.

Uma grande tempestade caiu na cidade por volta das 18h00. Horas depois, uma dupla de P-2 (membros da área de inteligencia da Polícia Militar), formado pelo soldado Marco Eli Chereze e pelo cabo Eric Lopes estavam andando de carro pelo Jardim Andere quando quase atropelaram uma criatura com as mesmas características da vista pelas três meninas.

Eles frearam o carro e Chereze saiu atrás da criatura e se atracou com ela, pegando ela com os braços desprotegidos e colocando no banco de trás do carro.

Então, observam melhor e veem que a criatura esta deitada, em estado crítico, quase morrendo, e decidem levá-la para o Posto de Saúde! Quando chegou lá, eles não quiseram atender o que for que fosse aquilo e então a levaram para o Hospital Regional. (Posteriormente, a direção do Hospital Regional negou tudo categoricamente).

Uma área do hospital tornou-se restrita e havia a presença em pouco tempo de veículos militares e soldados armados no local. Como estava chamando muita atenção, transferiram a criatura de ambulância para o Hospital Humanitas.

Lá, uma médico que em 2003 contou a história para o médico americano Roger Leir (famoso por remover implantes) disse que foi chamado pelos militares para socorrer a criatura. Ele levou um susto com o que viu e disse que não entendia muito bem a morfologia do ser e que sua mão meio que parecia ser guiada por algo sobrenatural enquanto ele tentava ajudar. Infelizmente, a criatura morreu na madrugada do dia 21 e foi colocada em uma caixa e madeira.

No dia 22 uma grande operação foi realizada pelo Exército para levá-la até a ESA em Três Corações.

Houve relatos de que militares americanos estavam na ESA.

Às 04h00 da manhã de 23 de janeiro partiu um comboio de 3 caminhões Mercedez-Benz, modelo 1418, com destino a Escola Preparatória de Cadetes em Campinas-SP. O capitão Edson Henrique Ramires, oficial da ESA, providenciou  a sua transferência para a Universidade de Campinas (Unicamp), que possuiria dois laboratórios de acesso restrito contando com uma grande equipe de médicos legistas, chefiada pelo dr. Badan Palhares. Depois disso, muita gente defende que tudo foi levado para os EUA a bordo de um avião Hércules que estava na aeroporto de Viracopos.

Segundo o Exército Brasileiro, a história oficial é que um cidadão conhecido como "mudinho", portador de deficiência: "estando provavelmente sujo, em decorrência das fortes chuvas, visto agachado junto a um muro, teria sido confundido por três meninas aterrorizadas com uma 'criatura do espaço'".

Portanto, o "ET de Varginha" seria um morador da cidade que costuma ficar agachado olhando ao chão, como a comparação presente no inquérito sugere.

.
Fontes (acessadas em 29/07/2017):
- Conheça o Caboclo D´Água e o Pessoal que Tenta Capturar o Monstro com Jaula! (#465 - N. A.)
- A Incrível História de Leonice Fitz: A Garota Poltergeist (Caso Brasileiro!)
Ouça os Estranhos Barulhos que Atormentam Família em Americana-SP (#345 - Notícias Assombradas)
Operação Prato: O Caso Roswell Brasileiro
O ET de Varginha
Comentários