3 de junho de 2017

Ponte Assassina? A Ponte de Overtoun, que Causou a Morte de Vários Cachorros e até Humanos!

Inscreva-se no canal clicando no botão abaixo:
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes

Localizada na Escócia, a Ponte Overtoun ganhou fama mundial após a divulgação de que cachorros simplesmente pulam dela para a morte. Vamos conhecer alguns casos, possíveis explicações e contar a história do pai que jogou o filho de 2 semanas da ponte. Qual o mistério da Ponte Overtoun?

Fala assombrados! Hoje vou revelar um local onde você não deve levar seu cachorro para passear: a Ponte Overtoun! Alguns cachorros que passam pelo local simplesmente saltam dela para uma queda de 15 metros, resultando na maioria das vezes na morte do animal. O que leva os cachorros a fazerem isso? Suicídio animal ou haveria uma outra explicação. Vamos saber mais do assunto...

Localização

A Ponte Overtoun está localizada perto da cidade de Dumbarton, em West Dubartonshire, na Escócia.

Ela fica ao lado da Casa Overtoun,  uma grande mansão exemplo da Arquitetura Baronial Escocesa, que foi construída na década de 1860. Herdada por um homem chamado Lord Overtoun em 1891. No ano seguinte Lord Overtoun comprou a propriedade vizinha de Garshake, a oeste de suas terras. Só tinha um problema: as carruagens não conseguiam ter acesso a Casa Overtoun, pois a estrada que levava até o local de um lado tinha uma inclinação muito íngreme. Era preciso fazer uma ponte.

Projetado pelo engenheiro civil HE Milner, a ponte foi concluída em junho de 1895. Compreende três arcos: um grande arco central que abrange um vale profundo no fundo do qual flui o riacho Overtoun, flanqueado em cada um Lado por arcos mais baixos e menores. A altura da ponte chega a 15 metros.

Em 1938 a Casa Overtoun foi doada para a população da cidade de Dumbarton e virou um hospital maternidade. Na época da 2ª Guerra, serviu de abrigo para tropas e atualmente é uma espécie de abrigo cristão para jovens mulheres locais, que estivessem passando por um período difícil na vida. É dirigido por Bob e Melissa Hill, missionários da cidade de Fort Worth, no estado norte-americano do Texas.

Já a ponte, está lá em pé, e seria como uma outra ponte qualquer na Escócia se não fosse o fato de que cachorros se jogam para a morte quando estão sobre ela!

.
Matéria escrita por William Cochrane
 sobre a ponte.
O Caso Ben

Era um dia normal do ano de 2005 Donna Cooper, seu marido e filho, chamado Callum de dois anos de idade, levaram o Ben, o cachorro da família para passear. Eles estavam passando sobre a ponte quando de repente Ben saltou sobre a mesma, despencando de uma altura de 15 metros.

A queda foi fatal o para o animal. "Sua pata estava quebrada, sua mandíbula estava quebrada e suas costas estavam quebradas e retorcidas. O veterinário decidiu que não valia a pena passar pela dor, então tivemos que deixá-lo ir ", lembra Donna.

A morte do animal impactou o menino que quase um ano depois, ainda perguntava sobre o Ben. Ele ficou muito chateado com a morte do cachorro e queria saber se sua perna foi consertada no céu.

O jornalista William Cochrane ouviu falar da história e publicou um artigo no jornal local, que foi o responsável por divulgar o local para o mundo.

Outros Casos Surgem

Depois que o artigo de William Cochrane foi publicado, outras pessoas entraram em contato com ele para dizer que o mesmo havia acontecido com o cachorro deles. Inclusive ele disse que teve um caso de um cachorro que pulou duas vezes!

- Caso Drift (1995): Eugene Rogan estava passeando com seu cachorro da raça labrador chamado Drift, de 5 anos, quando ele simplesmente pulou da ponte.

- Caso Hendrix (2002): Kenneth Meikle ficou horrorizada quando seu golden retriever chamado Hendrix saltou da mesma ponte praticamente no mesmo ponto. "Eu estava caminhando com meu parceiro e as crianças quando de repente o cachorro apenas saltou. Minha filha gritou, e eu corri para pegar o cão. No dia seguinte, graças a Deus, ela estava bem. Tivemos a sorte porque ela pousou em uma cama de musgo."

- Caso Sophie (2011): Em 2011 Louise e David McPhail estavam passando sobre a ponte quando Sophie, seu cachorro da raça Golden Retrivier, pulou da ponte. O cachorro sobreviveu.

- Caso Cassie (2014): Alice Trevorrow, uma enfermeira de Dumbarton, se viu impotente junto ao seu filho Thomas, 25 anos, quando sua cachorra Cassie saltou da sua ponte. "No momento em que saímos do carro, ela correu para a frente, olhou para o céu. Ficou paralisada, congelada. Então ela correu, pulou e voou sobre a ponte. Ainda posso ouvi-la como se fosse ontem". Cassie deu sorte pois, apesar de ferimentos horríveis que exigiram um ano de fisioterapia, ela teve uma recuperação completa. Sua dona estava convencida de que forças obscuras estiveram em jogo. "Não havia como Cassie fazer isso de propósito. Estava completamente fora de cogitação. Existe uma presença sinistra aqui. Há uma presença assustadora ao redor de todo esse lugar, e certamente na ponte."

William Cochrane publicou a história de outros cachorros que pularam da ponte. Nesta publicação ele falou do cachorro conhecido como Hendrix.


Possíveis Explicações

As mais diversas teorias foram surgindo para explicar o mistério. À medida que o fenômeno inexplicado recebeu atenção da mídia internacional, a Royal Society for Protection of Birds enviou um especialista em habitat animal, David Sexton, especialista da Clínica de Comportamento Animal de Lancashire, para investigar. Vamos conhecer algumas:

- Suicídio Animal: Os cães são capazes de detectar as emoções de seus donos e o desenvolvimento de suas próprias neuroses. Eles poderiam estar respondendo a algum tipo de impulso depressivo humano na ponte que lhes causa o suicídio. Cães podem sofrer de depressão, mas não tem consciência de suicídio. Dr. David Sands  afirmou que, "é impossível para um cão premeditar a sua própria morte".

- Altura das Muretas: a Ponte Overtoun é construída a partir de granito local. Seus muros são de granito sólido na altura da cintura de uma pessoa, e bem escura para qualquer animal, que tenha a altura do cachorro. Os muros sólidos atravessam de ponta a ponta, e um cachorro não tem como saber se ele está mesmo em uma ponte. As árvores e os arbustos são mais altos do que muros, e para um cão, não há motivos para suspeitar que o muro é algo que não pode ou não deve ser pulado em busca de qualquer aventura convincente. Assim, uma vez que ele saltou por cima do muro, ele teve impulso suficiente, levando-o a crer, que não havia nada que ele pudesse fazer para evitar uma queda. O muro sólido praticamente eliminaria o suicídio deliberado como uma possível causa: uma vez que o cão não consegue ver através da parede, o cão não sabe que a morte está do outro lado. Mas isso não explica o que está levando os cachorros a pularem da ponte.

- Visões Americanos: O veterinário David Sands notou primeiro um comportamento sempre repetido: todos os cachorros que “se mataram” eram das raças Labrador, Collie ou Golden Retriever. Por conta dessa informação, ele concluiu que havia na região algum cheiro que deixava os cachorros loucos. Após alguns estudos com plantas nos locais, Sands percebeu que o causador do “odor assassino” não era um vegetal, mas sim um animal. O responsável é o visom-americano, animal que tem glândulas que exalam uma substância com odor extremamente desagradável para marcar território. O cheiro era tão forte que enlouquecia os cães, principalmente aqueles de olfato mais apurado. A ponte em questão está em uma região sem correntes e com leito obstruído, o que faz com que o odor não se espalhe. Por conta disso, os cães ficam alucinados e não medem as consequências de se jogar. O veterinário, agora, fará uma série de testes e experimentos para que sua teoria seja aceita pela comunidade cientifica. Só tem um problema, moradores locais dizem que não existem visões americanos vivendo no local!

- Fantasma da Lady Overtoun: Lady Overtoun, viúva do barão Overtoun, era uma mulher profundamente perturbada que, depois da morte de seu marido em 1908, perambulava pelos terrenos de sua majestosa noite e dia de casa, muitas vezes vagando afligido pela ponte, procurando por ele em vão. Ao longo dos anos, sua "figura translúcida branca" foi vista em várias ocasiões, à deriva sobre os motivos ou espiando das janelas do castelo, assustando qualquer pessoa que a veja.
Essa teoria diz que os cachorros estão vendo o espectro dessa figura fantasmática atraindo-os sobre a borda, sobre os parapeitos e as paredes, até pularem!

- Local Tênue: Havia também a alegação popular de que a ponte estaria situada em local em que os celtas acreditavam ser um local onde o véu que separa nosso mundo do mundo espiritual, é muito fino.

- Base Naval de Submarinos Nucleares de Faslane: Embora o som da água correndo logo abaixo da ponte "domine o ambiente", alguns moradores locais teorizaram que uma base naval para submarinos nucleares nas proximidades de Faslanre, postes telefônicos ou algum tipo de anomalia estrutural na construção da ponte estava emitindo uma frequência perturbadora que só os animais podiam ouvir. David Sands levou especialistas para testar toda a extensão da ponte, mas eles concluíram que não havia nada de incomum em relação a acústica, em nenhum ponto do local.

Placa alerta para ficar de olho no seu cachorro

Não é Bem Assim...

Assombrados, não existe um consenso sobre o número de cães que pularam da ponte Overtoun. Um jornal chamado "Aiken Standard" chegou a citar "dezenas de cães nas últimas três décadas". O jornal "Lennox em Dunbartonshire" citou cinco cães. Já o "Daily Mail"  disse 50 cães em 50 anos, incluindo seis cães em seis meses. Por fim, o "Dumbarton e Vale of Leven Reporter" disse que "cerca de 50 cães tinham morrido nos últimos 50 anos." Entretanto, nenhum desses jornais disse uma fonte sequer para corroborar os números apresentados

Brian Dunning, responsável pelo Skeptoid, que para quem não sabe, tenta sempre encontrar uma solução para os mistérios fez uma grande pesquisa e publicou um artigo em 2012.

Ele chegou a conversar com a Câmara de Comércio de Dunbartonshire, mas eles não conheciam nenhum historiador local e não havia nenhum registro de cães, que tivessem saltado para a morte. Ele falou com a Dog Warden (uma espécie de Serviço de Controle de Animais do Reino Unido) do Conselho de West Dunbartonshire, mas não sabiam de nada nesse sentido. Ele até mesmo falou com uma sargento da Delegacia de Polícia de Dumbarton, mas ela também não sabia de tais registros. Finalmente, ele foi até lá.

Conversando com os donos da Casa Overtoun, os mesmos disseram que já se encontravam no local há mais de dez anos, e compartilharam o que eles conheciam de "Rover's Leap" (apelido da ponte Overtoun). Em 10 anos, eles ouviram falar de apenas três cães que saltaram, dois dos quais sobreviveram sem ferimentos graves, e um dos quais, mais tarde, foi submetido a eutanasia devido aos seus ferimentos. Desses três cães, um era o Ben, o Border Collie de 2005, e um outro era o Golden Retriever de Kenneth Meikle, o Hendrix de 2002, que saltou, mas sobreviveu sem maiores ferimentos. Aliás, um veterinário de uma clínica local chamada "Glenbrae Veterinary Clinic", disse que havia tratado quatro cães, que ficaram feridos em quedas da ponte nos últimos 13 anos, ou seja, um número muito abaixo do que era comentado pela mídia.

Para Brian, a história não passava de lenda urbana. Aparentemente, não havia registros anteriores de mortes de cães, exceto o de Ben. E nenhum motivo para suspeitar que Ben se suicidou deliberadamente. A falta de registros oficiais dizia muito pouco sobre se realmente isso tinha acontecido ou não.

No final das contas, ao menos até 2012, havia apenas seis casos documentados, sendo que apenas dois tinham maiores detalhes para serem contados.

Linda imagem mostrando a ponte e a casa Overtoun ao fundo


Tragédia em 1994

Aparentemente, os mistérios envolvendo a Ponte Overtoun não se limitam apenas aos cães de estimação. Em outubro de 1994, a ponte foi cenário de um crime, que tirou o sono de moradores da região: um homem chamado Kevin Moy, 32 anos, jogou seu filho de apenas 2 semanas de vida da Ponte Overtoun, porque ele acreditava que o bebê estava possuído pelo diabo. Em seguida, ele próprio tentou saltar do parapeito, mas foi puxado para trás por sua esposa aterrorizada. Isso sem contar o desespero daqueles que presenciaram a cena. Curiosamente, encontramos apenas um lugar que noticiou isso: o jornal escocês “The Herald”.

Aliás, só ficamos sabendo dessa informação por uma notícia publicada em 31 de janeiro de 1995, dizendo que no dia anterior (30) , Kevin tinha ido a júri popular e foi determinado sua transferência para o Hospital Estadual, um hospital psiquiátrico de segurança máxima, no vilarejo de Carstairs a 75 km a sudeste da Ponte Overtoun.

A Suprema Corte de Glasgow ouviu como Kevin passou a acreditar que ele próprio era o Anticristo e que seu filho era o Satanás. Kevin estava certo de que o Satanás tinha colocado uma marca de nascença na cabeça do menino, e que ambos tinham sido responsáveis pela Guerra do Golfo. Ele também temia que ambos destruíssem o mundo infectando a humanidade com um vírus mortal.

Na época do crime, ele disse à polícia que tinha que salvar o mundo matando seu filho e a si próprio. Kevin também estava obcecado pelo número 6.  O bebê chegou a ser resgatado com vida, mas não sobreviveu aos ferimentos e morreu no dia seguinte. A defesa de Kevin alegou que ele sofria de depressão, e que estava completamente alienado e insano no momento do ato. O júri acabou aceitando as evidências fornecidas por quatro psiquiatras.

As últimas informações que temos sobre Kevin Moy é que ele teria sido liberado do Hospital Estadual, em Carstairs, em abril de 1999. Depois disso, ele se tornou um "fantasma", no sentido figurado, para a mídia local.

Em 1994 a Ponte Overtoun foi palco de uma tragédia, quando o pai jogou o filho de duas semanas para a morte...

Conclusão

A Ponte Overtoun foi palco da morte de um bebê de 2 meses e de alguns cachorros. O Caso do Bebe foi isolado e o assassino tinha problemas psicológicos. Já no caso dos cachorros, que foi o que deixou a ponte famosa no mundo, estão exagerando um pouco. Não foram tantos cachorros como muitos veículos de comunicação dizem, foram bem pouco. Isso não elimina o fato que de alguma coisa acontece ali para esses cachorros pularem para a morte. A explicação para min seria que os cachorros são literalmente enganados. Eles não sabem que depois da mureta existe uma queda de 15 metros e por isso acabam pulando para a morte...

Escrito por Mateus Fornazari com colaboração de Marco Faustino

Fontes (Acessadas em 03/06/2017):
- Documentário Histórias Inacreditáveis: Gigantes da Geórgia e A Ponte da Morte (Discovery Channel)
- Dangerous Minds: THE MYSTERY OF THE DOG SUICIDE BRIDGE
- Skeptoid: The Suicide Dogs of Overtoun Bridge
- Herald Scotland: Father who threw 'devil' baby from bridge sent to Carstairs
- HighBeam: Man who killed baby to be freed
- Wikipedia.en: Overtoun Bridge
- Noite Sinistra: A ponte dos Cães Suicidas
- Daily Mail: Why have more than 50 dogs leapt to their deaths from this bridge? New book claims the ghost of a suicidal aristocrat is to blame
- Daily Mail: Why have so many dogs leapt to their deaths from Overtoun Bridge?
- Daily Record: Dumbarton dog owner watched dog jump off bridge and survive
Comentários