28 de maio de 2017

Rancho Skinwalker: OVNIs, Fantasmas, Portais, Criaturas Desconhecidas, etc. Tudo num mesmo local!

Inscreva-se no canal clicando no botão abaixo:
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes

Portais, OVNIs, Criaturas Misteriosas, Orbs, Fantasmas. Esses são alguns dos acontecimentos registrados no Rancho Skinwalker. Localizado nos EUA, é uma propriedade particular muito bem protegida, que guarda muitos segredos. Robert Bigelow, um bilionário que trabalha fornecendo módulos da Estação Espacial Internacional para a NASA, durante 8 anos estudou o local. Que segredos o Rancho Skinwalker e Robert Bigelow escondem?

AssombradOs, hoje trago para vocês um tema bastante pedido: Rancho Skinwalker. Localizado nos Estados Unidos, é segundo muitos, um dos locais mais sobrenaturais do planeta. No rancho já foram registrados OVNIs, Portais, Estranhos Seres Semelhantes ao Pé-Grande, Grandes Lobos Negros, Orbes entre outras coisas. É uma propriedade particular que tem um forte esquema de segurança. Seu ex-dono, Robert Bigelow, criou uma empresa que funcionou durante 8 anos no local na tentativa de descobrir os mistérios do local. Bilionário do setor hoteleiro, fundou a Bigelow Aerospace, que atualmente fornece módulos para a ISS e pretende lançar sua própria estação espacial no futuro... Vamos saber mais do assunto.

Por Mateus Fornazari e Marco Faustino

Localização

O Rancho Skinwalker é uma propriedade particular localizada no Condado de Uintah, no estado norte-americano de Utah. O rancho cobre uma extensão de 480 hectares (cerca de 4.800.000 de m²), e está relativamente próximo das cidades de Roosevelt e Vernal, no mesmo estado. Seu nome provém do "skinwalker", um ser sobrenatural pertencente ao folclore da mitologia Ute. O rancho também é conhecido pelo nome de "Rancho Sherman".

A única estrada corta o local, fornecendo acesso de ambos os lados, é fortemente protegida, com barreiras de concreto colocadas na estrada, grandes portões e muitos avisos, dizendo que a propriedade é particular. Câmeras de monitoramento estão espalhadas pelo local e, evidentemente, existe segurança 24 horas, além de detectores de movimento. Dizem, inclusive, uma barreira eletromagnética que afetas as pessoas que tentam entrar no local.

O rancho é conhecido mundialmente por contos de atividades paranormais, algumas vezes ilustrativas, desde meados do século XIX até os dias de hoje. E isso atraiu a atenção de milhares pessoas, que vão até o local tentando testemunhar alguma coisa inexplicável. Então, vamos conhecer a história do local.



A Maldição Indígena dos Navajos

O rancho é cercado pela reserva indígena de Uintah e de Ouray, sendo que grupos da tribo de Ute viveram na região por séculos antes da chegada dos pioneiros em meados do século XIX.

De acordo com Joseph "Junior" Hicks, um professor de ciência aposentado de Roosevelt, de 89 anos, considerado um especialista em avistamentos regionais de OVNIs, ocorrências inexplicáveis e história local, os Utes lutaram para expulsar os Navajos da bacia pouco antes da chegada dos colonos brancos. Os Navajos eventualmente deixaram a bacia e principal atividade de caça para os Utes, mas rogaram sobre eles uma maldição de um espírito que pudesse tomar a forma de um lobo humano ou, como alguns dizem, de algum animal.

"Os Navajos perderam e eles, por sua vez, amaldiçoaram os Utes com o 'skinwalker', que é dito ser uma pessoa espiritual, que se transforma em um lobo, e que permaneceria aqui para incomodá-los. Eles acabaram aceitando isso. E, então, o skinwalker aparenta estar naquele cume, que eles agora chamam de 'Cume do Skinwalker'", disse Joseph Hicks. O chamado "Skinwalker Ridge" ("Cume do Skinwalker", em português) como é informalmente conhecido, aparece ao norte das pastagens do rancho. Seu cume faz parte do rancho.

"Eles (os Utes) sequer chegam perto ou tentam se aproximar dele. Eles o veem se movendo ao redor do cume. Eles não sabem se ele tem uma casa ou algo assim, mas frequentemente ele está por lá. Então, eles se mantêm afastados e muitas pessoas não querem se meter nisso", completou.

Nesse ponto é interessante destacar que o chamado "skinwalker" dos Navajos é uma lenda. Porém, essa é uma história um pouco complexa e ao mesmo tempo aterrorizante, repleta de mistério e intenções malignas. Muitos navajos acreditam firmemente na existência de "skinwalkers" e se recusam a discuti-los publicamente por medo de retaliação. Eles acreditam que "skinwalkers" andam livremente no meio da tribo e secretamente se transformam no cair da noite.

De acordo com a lenda Navajo, um "skinwalker" ("andarilho de pele", literalmente traduzido para o português) é um curandeiro(a) ou bruxo(a), que atingiu o mais alto nível de sacerdócio na tribo, mas optou por usar o seu poder para o mal, tomando a forma de um animal para infligir dor e sofrimento sobre os outros. Para se tornar um "skinwalker" requer o que é considerado o mais vil de todos os atos: o assassinato de um membro próximo de sua própria família. Porém, existe pouca evidência que corrobore em relação a esse aspecto. Há quem diga, por exemplo, que não importa quem seja a pessoa. Uma vez que isso é algo pouco comentado pelos Navajos, e que não é um "skinwalker", não sabe exatamente o processo de se tornar um, é difícil saber a realidade por trás da lenda. O interessante, no entanto, é que essa matança por poder geralmente vem de pessoas que alegam ter se recusado a serem iniciados no ritual. Contudo, para cada história de um "skinwalker" matando alguém, há mais cinco histórias de um ser humano normal atirando em um "skinwalker" em sua forma de predador, e se deparando com um vizinho morto ou ferido na manhã seguinte.

De qualquer forma, eles literalmente se tornariam seres humanos, que adquiriram imenso poder sobrenatural, incluindo a capacidade de se transformar em animais e outras pessoas. De acordo com a lenda do skinwalker Navajo, esses(as) bruxos(as) maléficos(os) são tipicamente vistos(as) na forma de um coiote, coruja, raposa, lobo ou corvo, embora eles(as) tenham a capacidade de se transformar em qualquer animal que escolherem. Uma vez que se acredita que os skinwalkers vestem as peles dos animais que eles se transformam, é considerando um tabu usar a pele de quaisquer animais. Na verdade, os navajos são conhecidos por usar apenas duas peles: pele de carneiro (basicamente a lã) e a pele de cervo macho (uma espécie de couro com textura de camurça), sendo que ambas são usadas apenas para fins cerimoniais.

Aqueles que falaram de seus encontros com esses seres malignos descrevem inúmeras formas pelas quais um "skinwalker" tentará infligir dano. Alguns citam que escutam batidas nas janelas ou então fortes batidas nas paredes. Outros viram uma figura de um animal, que olha através de uma janela. De acordo com a lenda do "skinwalker" Navajo, eles raramente são pegos. Aqueles que seguem de perto um "skinwalker" e acabam descobrindo sua verdadeira identidade devem pronunciar seu nome maligno na íntegra. Uma vez que isso acontece, o "skinwalker" vai ficar doente ou morrer devido as maldades que infligiu aos outros.

O mais importante a se destacar é que um "skinwalker" é um ser humano, sendo que os próprios seres humanos foram os responsáveis pelas grandes atrocidades cometidas ao redor do mundo e ao longo da história, seja por poder ou vingança. Aliás, ao contrários de criaturas bestiais, assim como o lobisomem, o "skinwalker" não perde o controle de seu corpo ou da sua mente, ou seja, sabe exatamente o que está fazendo, uma vez, conforme mencionamos anteriormente, ele não passaria de um "ser humano com poderes sobrenaturais". Os efeitos de suas maldições, até onde se tem informação, raramente são fatais e incluiriam dores ou alucinações.

Algumas versões do "skinwalker" norte-americano também são encontradas na maioria das culturas dos nativos norte-americanos, embora seja mais predominante em relação aos Navajos. Por outro lado isso não se limita apenas os Estados Unidos. Seres humanos que podem supostamente trocar de aparência são comuns na mitologia de quase todas as culturas ao redor do mundo. Na verdade, podemos até mesmo rastrear esse comportamento através das primeiras civilizações humanas que foram para a América do Norte pelo Estreito de Bering, começando com o "Wendigo", das tribos do norte. A tradição Navajo foi herdada dos Anasazi, que engloba as tribos pré-históricas de nativos-americanos. A partir disso podemos acompanhar as histórias indo mais para o sul, e gradualmente tomando conta de todo o continente. O Nagual dos Astecas (onde hoje é o México), o Jaguar dos Olmecas, o Huay Chivo e o Wayob dos Maias e todo um extenso caminho até o Chonchon, que é comum no folclore chileno e argentino. A lista de seres que teriam capacidade de se transformar da Europa, Ásia e África (considerando apenas o folclore, e até mesmo omitindo a eventual ficção) daria uma verdadeira uma enciclopédia.

A maioria das histórias do "skinwalker" dos Navajos atualmente carregam um toque moderno, tal como as diversas maneiras que os "skinwalkers" poderiam ou não poderiam ser morto com balas. Talvez isso seja simplesmente devido ao fato, que essas histórias não tinham sido traduzidas para o inglês até o momento que a cultura europeia começou a se misturar com a dos nativos americanos, e introduziu elementos como armas, balas, e cavalos. As histórias dos skinwalkers geralmente retratam estranhas criaturas metade-humanas perseguindo carros e aterrorizando os inocentes a pé. Existem diversas histórias sobre isso, mas vamos pular essa parte.

Um dos portões de acesso ao Rancho Skinwalker com avisos de que é uma propriedade privada.


Os Sherman/Gorman Compram o Rancho

O chamado "Rancho Skinwalker" foi criado em 1905 pela família Myers, que construiu pequenas habitações no canto noroeste da propriedade, no sopé do Cume Skinwalker, à beira dos campos de plantio, que existem até hoje. A casa original foi abandonada depois que a família se mudou para uma casa na parte leste do rancho. A família não relatou nenhuma ocorrência estranha, mas vizinhos teriam vivenciado acontecimentos estranhos.

A propriedade foi mudando de dono durante as décadas seguintes, até que uma família, os Sherman (ou Gorman) compraram e se mudaram para o local em 1994. A família era composta por "pai, mãe e dois filhos", e tinha quase uma década que ninguém morava no local. O objetivo da família era bem mundano: criar gado híbrido. Vale lembrar que o cruzamento, sistema de acasalamento em que animais de raças diferentes são utilizados para se obter uma maior produtividade na habilidade de produzir-se carne (ou outra característica de interesse), é uma das principais maneiras de aumentar rapidamente a produção pecuária.

De cara, eles "ficaram curiosos sobre a impressionante quantidade de trancas que cobriam as portas e janelas da casa principal. Havia trancas em ambos os lados das portas e até mesmo nos armários da cozinha. E, nas duas extremidades da casa, pinos de ferros e correntes pesadas tinham sido instaladas. A família Sherman acreditava que os antigos moradores tinham colocado cães de guarda na parte da frente e nos fundos da casa, mas não tinham ideia do porquê."

Logo eles descobriram o porque de tantas trancas...

Moradias dentro do Rancho Skinwalker

O Encontro com o "Lobo Negro"


O primeiro encontro incomum dos Gorman, que teria ocorrido nos primeiros dias no rancho, teria sido com um animal que parecia ser um grande lobo. Segundo contam, o animal não teria sido agressivo com a família dos Gorman, mas quando o lobo tentou capturar um bezerro, o senhor Gorman teria disparado com uma arma de fogo contra a criatura. Os disparos não teriam causado efeitos notáveis na criatura, mas finalmente terminou por abandonar o rancho. Posteriormente, Gorman teria encontrado um pedaço de carne do animal que cheirava a enxofre e a carne podre.

O local é fortemente protegido.


Outros Fenômenos Ocorridos

As atividades no Rancho Skinwalker em Utah seriam esporádicas, e teriam começado a partir da década de 1990, com períodos de maior atividade intercaladas por períodos de latência. Muitos dos fenômenos mais estranhos seriam de caráter transitório, às vezes acontecendo uma única vez, às vezes durante algumas semanas, e depois desaparecendo para sempre. Era justamente isso que tornava difícil para os pesquisadores obterem resultados ou chegar a conclusões definitivas.

- Atividade Poltergeist: Uma suposta atividade poltergeist foi relatada tanto dentro da casa dos Gorman quanto por toda a propriedade. As alegações incluíam a abertura de portas e fortes golpes nas portas se abrindo e se fechando no meio da noite.

- Teletransporte: Objetos da casa que se moviam e apareciam em locais incomuns e
contam também que quatro grandes touros teriam desaparecido da pastagem, enquanto os Gorman teriam saído para comprar alimentos, sendo que posteriormente teriam sido encontrados dentro de um reboque de um caminhão, e que estes estavam completamente misturados uns com outros, e mutilados.

- Vozes Misteriosas: Os Gorman também relataram sobre casos de estranhos sons de maquinaria pesada e vozes vindas do subsolo.

- OVNIs: Um objeto no formato de geladeira, do tamanho de um caminhão, com uma luz branca na parte dianteira e uma luz vermelha na parte de atrás, teria sido avistado pela família Gorman. O veículo teria sumido na frente de Gorman e de seu sobrinho, assim que eles se aproximaram para vê-lo. O veículo flutuou acima deles e após alguns instantes, desapareceu. O veículo teria uma certa semelhança com um "chupa-chupa", um tipo de OVNI relatado no Brasil. Um objeto preto e triangular parecido com um caça F-117 também teria sido avistado pela Sra. Gorman. O veículo teria pairado a aproximadamente seis metros acima de seu carro estacionado, pouco antes desse objeto desaparecer.

- Orbes e luzes flutuantes: No rancho avistaram objetos semelhantes a balões brilhantes de diversas cores, especificamente nas cores laranja e azul. Eles descreveram os objetos como tendo forma de bolas de basquete, e alguns transparentes contendo o que parecia ser um redemoinho líquido. Com sua mera presença, esses objetos seriam capazes de afetar a rede elétrica (em especial as luzes). Depois da visita dos balões, eles teriam encontrado cães carbonizados.

- Criaturas não Identificadas: Numerosos encontros com seres não identificados ou criaturas se comportado de modo estranho. Em alguns relatos, as criaturas eram uma reminiscência de cães ou hienas. Outras criaturas, incluindo o que parecia ser um Pé-grande e uma entidade desconhecida semitransparente, teriam sido avistadas na propriedade. Pássaros exóticos multicoloridos também foram relatados no rancho, embora este último caso possa ser explicado pela grande variedade de raras e exóticas espécies de aves que são vistas no estado de Utah.

- Mutilação de Gado: Os Gorman supostamente teriam sido testemunhas de numerosas mutilações de gado no rancho durante sua estadia. Alguns dessas características em comum incluíam: a retirada de orelhas, olhos, glândulas mamárias e genitálias do animais; rebanhos foram encontrados sem coração ou ânus, sendo que os animais foram encontrados sem sangue. Um bezerro teria sido encontrado morto, faltando 60% de sua massa corporal e sem sangue, depois de ter sido visto com vida 45 minutos antes. O abate teria ocorrido neste curto período de tempo e teriam sido retirados todos os músculos do bezerro, e não teriam sido deixados vestígios de sangue. O animal teria sido mutilado com um objeto afiado como uma grande lâmina ou rasgado por enormes dentes.

Imagem mostrando gado mutilado faltando 60% de sua massa corporal e sem sangue, depois de ter sido visto com vida 45 minutos antes.
Um Jornalista Revela o Local para o Mundo

Distúrbios estranhos em sua casa deixaram a família sem lugar seguro para morar, e todos dormiram juntos, amontoados no chão de um quarto. A gota d'água foi quando Terry Sherman enviou três cães para perseguir esferas azuis brilhantes. Os cães desapareceram na floresta durante a perseguição as esferas do tamanho de uma bola de baseball. Em um determinado momento, cada um deles grunhiu alto, seguido de um completo silêncio. No dia seguinte, tudo o que foi encontrado na floresta foi o solo queimado, e três pedaços carne e pelo queimados.

Zack Van Eyck publicou um artigo no dia 30 de junho de 1996 no jornal Deseret News. Foi a primeira vez que os fenômenos ocorridos no Rancho Skinwalker foram revelados para o mundo. Os Sherman finalmente tinham colocado a fazenda para vender naquele mesmo ano.

O jornalista Azck Van Eyck publicou uma reportagem em 1996 que revelou o misterioso local para o mundo.


Robert Bigelow Compra o Rancho

Enquanto isso, um bilionário do ramo hoteleiro Robert Bigelow apaixonado por mistérios e principalmente ufologia, criou em 1995 o National Institute for Discovery Science (Instituto Nacional para a Ciência da Descoberta) (NIDS), cuja missão era investigar cientificamente fenômenos sobrenaturais. Então, certo dia, Robert Bigelow leu o artigo de Zack sobre o Rancho Skinwalker e ficou impressionado. Era o que ele precisava para seus estudos. Não pensou duas vezes: comprou o local para pesquisar as histórias por cerca de US$ 200.000 (na época esse valor tinha um poder aquisitivo bem maior).

Ele convenceu os Sherman a permanecer no rancho por mais alguns anos para ajudar os pesquisadores do NIDS a observar e documentar os eventos inexplicáveis. Embora muitos pensassem que o afluxo de pesquisadores expusessem as histórias como lendas, era justamente o oposto que parecia ocorrer. Todas as descobertas, no entanto, foram mantidas em sigilo, e até hoje não se sabe o que foi realmente pesquisado e seus resultados.

É claro que muitos curiosos iam até o local na tentativa de ver algo sobrenatural. Porém, o rancho era patrulhado 24 horas por dia, 7 dias por semana, e o NIDS declarava enfaticamente que os intrusos seriam presos e processados ​​até o limite máximo da lei.

George Knapp, que em 2002 escreveu um artigo em duas partes chamado "Path of the Skinwalker", para o jornal alternativo Las Vegas Mercury, foi o único repórter autorizado por Bigelow a entrar na propriedade. Aliás, esse artigo acabou sendo o estopim para o livro "Hunt for the Skinwalker: Science Confronts the Unexplained at a Remote Ranch in Utah", publicado em 2005 e escrito com Colm A. Kelleher,  que durante oito anos, trabalhou como gerente de projeto e líder de equipe de um instituto de pesquisa privado (justamente o NIDS), usando metodologia de ciência forense para desvendar anomalias científicas.

Nesse ponto é interessante ressaltar, que George Knapp é o mesmo jornalista, que apresentou seu "vizinho" de Las Vegas, o Bob Lazar para o mundo. Para quem não sabe, o Bob Lazar ganhou fama por convencer inúmeros ufólogos, que ele teria sido um engenheiro que trabalhou para os militares na famosa "Área 51", com "engenharia reversa de naves extraterrestres". Então, George Knapp se tornou o homem perfeito para divulgar o rancho dos Sherman. Outro ponto importante é que, em mais de 15 visitas ao rancho ao longo de quase 20 anos desde a primeira vez que pisou no local, George Knapp não testemunhou nenhuma ocorrência anômala, tendo tão somente entrevistado dezenas de pessoas que teriam testemunhado tais ocorrências. Joseph Hicks também teria coletado mais de 400 relatos de OVNIs, e ocorrências inexplicáveis na bacia durante mais de meio século. Os registros de Hicks são relatados no livro "The Utah UFO Display", de Frank Salisbury.

"O objetivo não era necessariamente determinar a causa de eventos inexplicáveis, mas sim observar e documentar adequadamente os eventos. Eles não tinham quaisquer pré-concepções sobre o que estava por lá quando entraram. Na verdade, acredito que eles estavam confiantes de que seriam capazes de descobrir e explicar isso, mas não foi isso que aconteceu. Independente do que aquilo fosse, essa inteligência, interagiu com eles de diversas formas que são demonstráveis e assustadoras", disse George Knapp, acrescentando que não foi uma experiência divertida para algumas pessoas que trabalharam na NIDS.

"Muitas dessas pessoas com experiência militar prévia, que trabalhavam no setor de segurança, estiveram lá últimos sete ou oito anos e, alguns deles que não têm medo de nada, não voltariam a essa propriedade", disse George Knapp.

O bilionário do ramo hoteleiro Robert Bigelow comprou o Rancho Skinwalker para o National Institute for Discovery Science investigar os fenômenos.


Fenômenos Registrados pelo NIDS

A maioria das informações que temos sobre o que aconteceu no período em que a NIDS esteve gerenciando o local são do jornalista George Knaap e Colm Kelleher, um proeminente microbiologista e pesquisador do NIDS.

Os pesquisadores do NIDS perceberam que as ocorrências pareciam evoluir conforme eram observadas, uma espécie de "inteligência pré-cognitiva". Segundo Knapp, depois de vários meses de vigilância 24 horas por dia, um padrão alucinante começou a surgir. Os fenômenos, fossem lá o que representassem, pareciam ser capazes de antecipar os movimentos dos cientistas. Além disso, parecia que "aquilo" gostava de brincar com a família Sherman e os pesquisadores. Porém, quando o pessoal do NIDS entrou e começou a persegui-lo, tentando se envolver com ele, tentando descobrir o que era, toda a natureza da coisa mudou, ficou sórdido e, eventualmente, sombrio.

Apesar da recusa de Robert Bigelow em divulgar os registros de eventuais pesquisas ou as histórias relacionadas ao NIDS, além do que foi compartilhado nos textos de Knapp e Kelleher, o próprio jornalista George Knapp insiste até hoje que as anomalias que ocorreram no rancho foram reais, e que os relatórios do NIDS, os quais teve acesso, documentaram eventos verdadeiros.

"Foi real, conheço esses caras, são físicos com doutorado, biólogos, veterinários, ou seja, pessoas profissionais. As coisas que aconteceram lá foram reais, quer dizer, não foram fabricadas. É bem desconcertante para os rapazes do NIDS, que passaram todos esses anos tentando descobrir o que estava por trás dos fenômenos, assim como acontece com as pessoas ao assistirem esses programas malucos na televisão", disse Knapp.

Eis alguns fenômenos divulgados por ele:

- Portal: Os pesquisadores teriam chegado a testemunhar um portal que se abriu no chão, sendo que um ser saiu rastejando do mesmo e desapareceu no meio da noite. "Eles viram um brilho aparecer no solo, na região do pasto. Eles olharam mais de perto, e parecia um tubo de 1,5m de diâmetro que saía do chão. Eles viram um ser rastejando pelo tubo e, em seguida saiu, se levantou e caminhou até desaparecer", disse Joseph Hicks.

- Grandes e ferozes criaturas: Apareciam nas árvores e no chão foram observadas antes de desaparecerem sem deixar rastros, deixando apenas uma ou outra pegada, mas que nenhum especialista em rastrear animais conseguiu identificar. Algumas dessas criaturas correram em direção a vegetação, enquanto outras desapareceram diante dos olhos dos pesquisadores.

- Mutilação Animal: Segundo Knapp, as mutilações dos animais continuaram e a mutilação de um bezerro foi especialmente perturbadora e inexplicável. "Aquele incidente do bezerro aconteceu em uma manhã de domingo. Ocorreu a 50 metros da casa principal, enquanto o fazendeiro e sua esposa estavam fora da casa, colocando etiquetas nas orelhas dos bezerros recém-nascidos, e aconteceu justamente quando eles estavam no pasto. Eles deveriam ter sido capazes de ouvi-los, os cães deviam ter reagido, e como você tira 35 kg de carne sem fazer ruído ou deixar sangue espalhado pela grama? É como se tivesse sido levado pra algum lugar, feito o serviço e então voltado com a carcaça", disse George Knapp. A carne do bezerro foi completamente retirada, e suas entranhas estavam empilhadas no solo, próximo de onde se encontrava, mas não havia nenhum vestígio de sangue no animal ou no solo. Múltiplos laboratórios independentes, cujos nomes não foram citados, examinaram os restos mortais e determinaram que o animal tinha sido morto de forma cautelosa e com instrumentos precisos, o que parecia impossível uma vez que o bezerro não tinha andado nem 200 metros desde que os Sherman tinham marcado o animal cerca de 1h antes.

- Incidente do Poste: Knapp contou um incidente em que o NIDS ergueu três postes de telefone com câmeras na parte superior. Porém, a "coisa", seja lá o que fosse, subiu e arrebentou as câmeras. Arrebentou tudo. Outra câmera tinha uma visão do poste de telefone no momento em que isso aconteceu e, seja lá o que fosse, era invisível, quase em uma "declaração de que não queremos ser observados."

- Incidente dos Cachorros: O caso foi tão estranho, em comparação com outros eventos, que eles hesitaram em publicá-lo, uma vez que as pessoas pensariam que eles eram loucos, e ninguém acreditaria. Knapp e Kelleher decidiram incluir a história, porque remetia diretamente às raízes da história original do "skinwalker" dos Navajos. A história, relatada por Knapp, foi compartilhada com ele e Kelleher através de dois policiais de descendência Ute. "Eles estavam dirigindo pela estrada pavimentada, para chegar à estrada de terra que leva ao rancho. Então, eles chegaram à estrada, indo em direção ao portão de entrada do rancho. Lá, havia duas figuras em pé, paradas, e usando sobretudos. Os indivíduos estavam de costas para o carro. Era noite. Eles perceberam que as figuras usando sobretudos estavam fumando cigarros. Os policiais pararam, iluminaram seus corpos, e os indivíduos viraram de frente para os policiais, porém eles eram cachorros. Eles tinham rostos de cachorros. Os policiais olharam um para o outro em sinal de desespero e ao olharem novamente para as figuras, ambas tinham desaparecido. Eles ainda teriam encontrado as guimbas dos cigarros, mas nenhum sinal de ambos."

Os fenômenos teriam diminuído drasticamente nos anos 2000 e, em 2004, o NIDS foi fechado. Contudo, a propriedade continuou sendo de Robert Bigelow e vigiada 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Gado pastando dentro do Rancho Skinwalker

Bigelow, MUFON e a Bigelow Aerospace


Robert Bigelow é tão apaixonado por Ufologia, que em 2009 fez um acordo com a Mutual UFO Network ("Rede Mútua de Pesquisas Ufológicas", em português), também conhecida simplesmente como "MUFON", que é uma das maiores e mais antigas organizações investigativas dos Estados Unidos, sobre a questão dos OVNIs, os famosos "objetos voadores não identificados". Por aproximadamente US$ 700.000, ele teria comprado o acesso às informações, banco de dados, e até a força de trabalho, por assim dizer, de alguns investigadores da MUFON em 2009. Portanto, ele não comprou a MUFON como "organização". Só para reforçar, ele NÃO é o proprietário da MUFON.

Uma coisa muito interessante para destacar é que quem quisesse reportar avistamentos de OVNIs nos Estados Unidos, ao menos de maneira considerada "oficial", era recomendado pela FAA (Federal Aviation Administration) para falar ou se comunicar com um setor da Bigelow Aerospace, a Bigelow Aerospace Advanced Space Studies (BAASS)! Confira na Ordem 7110.65U da FAA, página 387:

a. Persons  wanting  to  report  UFO/unexplained phenomena  activity  should  contact  a  UFO/  unexplained phenomena reporting data collection center, such as Bigelow Aerospace Advanced Space Studies (BAASS)  (voice:  1−877−979−7444  or  e−mail: Reporting@baass.org), the National UFO Reporting Center, etc.

b. If  concern  is  expressed  that  life  or  property might be endangered, report the activity to the local law enforcement department. 

Além disso ele fundou a Bigelow Aerospace em 1998, e entrou no ramo bilionário da indústria aerospacial. Atualmente, ele fornece módulos para a Estação Internacional Espacial. A empresa também quer lançar sua própria estação espacial, conhecida como B330. Curiosamente, um dos logotipos da empresa é claramente o rosto de um ser extraterrestre.

Página 387 da FAA mostra que eles recomendam entrar em contato com a Bigelow caso queira reportar um avistamento de UFO


Teoria da Conspiração

Então vamos recapitular:
  • Robert Bigelow durante 8 anos fez análises científicas dos fenômenos no rancho Skinwalker e guardou todos os resultados para ele;
  • Ele teve acesso a todos os registros da MUFON e designou gente de confiança para fazer pesquisas na entidade;
  • Ele criou a Bigelow Aerospace, que fornece módulos para a ISS;
  • Tem duas estações espaciais em orbita nesse momento: Gênesis 1 e Gênesis 2
  • Se um cidadão norte-americano quiser falar sobre OVNIs existe uma espécie de "recomendação" para falar ou se comunicar com um setor da Bigelow Aerospace;
  • O logotipo universal da empresa é o rosto de um ser extraterrestre.
Hum... estranho hein... Assim sendo, muita gente criou as mais diversas teorias da conspiração, dizendo que Bigelow teria contato com os extraterrestres e teria descoberto os seus segredos. Na verdade seu módulo espacial seria uma espécie de escapatória da Terra, porque ele sabe que os alienígenas virão nos destruir.

A antiga série televisa "Conspiracy Theory" com Jesse Ventura, que era exibida por um canal de TV por assinatura chamado TruTV, apresentou um episódio especial sobre o Rancho Skinwalker e o Robert Bigelow. Foi muito interessante.

Em determinado momento do episódio, uma pessoa revela que a Bigelow Aerospace é a única empresa no mundo que pode levar armas para o espaço, algo totalmente proibido pela Regulação sobre o Tráfico Internacional de Armas (ITAR)! Uau.

Vemos também no documentário um membro da equipe tentar entrar no Rancho Skinwalker, mas volta com uma sensação estranha na perna. O clímax é quando Jesse e outro membro da equipe encurralam Robert Bigelow e fazem perguntas complicadas para ele. Jesse também entrevista o Coronel John B. Alexander.

Sede da Bigelow em Las Vegas. Veja no círculo vermelho um dos logos da empresa, como se parece com um extraterrestre.


Explicando a Conspiração

- Avistamentos de OVNIs: Lembra que todos os avistamentos de OVNIs eram recomendados falar com a Bigelow? Hoje não é mais. Alias só foi de 9 de fevereiro de 2012 a 2 de abril de 2014. Veja o que diz a determinação JO 7110.65W na página 417:

a. Persons  wanting  to  report  UFO/unexplained phenomena  activity  should  contact  a  UFO/
unexplained  phenomena  reporting  data  collection center, such as the National UFO Reporting Center, etc.

b. If  concern  is  expressed  that  life  or  property might be endangered, report the activity to the local law enforcement department 

Portanto, nada mais de Bigelow.

Página 417 mostra o que fazer caso veja um UFO. Não tem mais Bigelow...


- Levar Armas para o espaço: Sobre ser a única empresa a levar armas para o espaço, também não é como foi mostrado no documentário do Jesse Ventura A questão é que os planos espaciais do Bigelow empacaram na ITAR (Regulação sobre o Tráfico Internacional de Armas). A empresa queria lançar sua estação espacial, a Genesis I e Genesis II, mas o ITAR não deixava. Assim em 2004, o Bigelow entrou na justiça pedindo a liberação dos módulos infláveis dele e tal, algo que ele conseguiu, e depois de muita dificuldade, Genesis I (2006) e II (2007) foram enviados ao espaço.

Isso então foi interpretado como sendo uma carta branca para a empresa enviar armas para o espaço. O que não é verdade.

Atualmente a Bigelow desenvolveu uma nova Estação Espacial conhecida como B330, que seria o carro-chefe de estações espaciais particulares. Só que para o ITAR, essa estação espacial seria "como se fosse uma arma" e não quer liberar o lançamento.

Desde então o Bigelow briga na Justiça norte-americana para flexibilização do que é ou não considerado armamento e exportação de tecnologia para outros países

Só para lembrar, antigamente satélites, por exemplo, eram vistos como armas, então havia um controle mais rigoroso não somente para ser lançado, mas que satélites não pudessem ser exportados para outros países

Hoje em dia há uma maior flexibilização nesse sentido, apesar das inúmeras restrições.

Estação Espacial B330 que a Bigelow quer lançar no espaço.


Os Proprietários Atuais

A "Adamantium Real Estate", aparentemente uma imobiliária registrada no estado norte-americano do Delaware, adquiriu o rancho em abril de 2016. De acordo com Thomas Winterton, um morador da cidade de Roosevelt e que representa localmente essa imobiliária, devido a um "propósito comercial", o proprietário da Adamantium Real Estate deveria permanecer anônimo.

O porta-voz do Escritório do Xerife do Condado de Uintah, o tenente Brian Fletcher, disse que algumas acusações de roubo e danos a propriedade resultaram das invasões dos últimos anos, porém muitos invasores acabam se assustando e fugindo durante as patrulhas de rotina. Erick Blackburn, chefe do Departamento de Assuntos Indígenas (Bureau of Indian Affairs) de Fort Duchesne, disse que o órgão ocasionalmente respondeu a chamadas no rancho, mas não mencionou nenhum problema que representasse alguma ameaça mais grave.

"Nós temos muitos problemas com invasores. Algumas pessoas vêm aqui para causar vandalismo. É muito assustador. É bem ruim mesmo, e odiamos isso, porque não queremos ser incomodados. Somos constantemente incomodados, dia e noite", disse uma senhora já com uma certa idade que, juntamente com seu marido, são os atuais responsáveis por tomar conta do rancho. Resumindo, enquanto um rosto não aparece publicamente para assumir a atual propriedade, são os caseiros que cuidam do local. Eles estão preocupados apenas invasores, não com monstros ou eventuais mutilações do gado.

A rápida entrevista com essa senhora, que pediu para não ter o nome divulgado, foi realizada em agosto de 2016 (sendo publicada meses depois no site Ubmedia), acabou sendo interrompida por intrusos, visto que ela precisava verificar o portão de entrada do rancho. Alguém havia invadido a propriedade, o que demonstrava a completa falta de paz no local.

Voltando ao mês de abril, quando o mundo soube que a propriedade teoricamente havido mudado de mãos, Thomas Winterton (representante da Adamantium Real Estate) propôs ao condado a vacância de uma parte da Estrada Hicken Ranch, a cerca de 5 km ao sul da Rota 40, entre Ballard e Fort Duchesne. Na prática o pedido visava tornar o trecho particular, ou seja, poderia ser legalmente fechado para ampliar a segurança da propriedade. Thomas alegou a quantidade excessiva de pessoas que invadiam a propriedade, de todas as partes do mundo, para tentar testemunhar alguma atividade paranormal no local.

Uma comissão do condado de Uintah não aprovou o pedido devido a objeções de outros proprietários ao longo da estrada. A estrada atualmente permanece fechada de forma ilegal, uma vez que é uma estrada pública do condado de Uintah, mas os proprietários tentam mostrar que o fechamento é legítimo, uma vez que a estrada é considerada abandonada e sem utilização pública. O proprietário anterior do rancho, o Robert Bigelow, fechou a estrada pública para impedir a invasão de curiosos.

Há quem diga, no entanto que Thomas Winterton seja o verdadeiro rosto por trás da propriedade. Ele possui cerca de três hotéis na região (uma "coincidência" em relação ao Robert Bigelow), e presidente de uma empresa chamada "Fjor Films" especializada em fornecer uma plataforma para a criação de documentários profissionais, geralmente abordando o lado humano de um indivíduo.

Agora, sabem o mais interessante de tudo isso? Bem, aparentemente, a Adamantium Real Estate está providenciando os registros da marca comercial "Skinwalker" e "Skinwalker Ranch", para serviços de entretenimento, nomeadamente criação, desenvolvimento, produção e distribuição de conteúdos multimédia, conteúdos pela internet, filmes e programas de televisão. Além disso, também se enquadraria no fornecimento de instalações recreativas, e organização e realização de eventos especiais para fins de entretenimento social.


Fontes (acessadas em 26/05/2017):
Documentário Teoria da Conspiração com Jesse Ventura
Skinwalker Ranch
Skinwalker Ranch - Basin anomalies known worldwide
Wikipedia.en: National Institute for Discovery Science
Budget Suites of America
Bigelow Aerospace
Justia Trademark
SOTT: Signs of the Times: Path of the Skinwalker: A small ranch in northern Utah, US may be the strangest place on Earth?
Deseret News: FREQUENT FLIERS?
Hunt for the Skinwalker: Science Confronts the Unexplained at a Remote Ranch in Utah
Wikipedia.pt: Mutual UFO Network
The Paracast: Bob Bigelow Bought MUFON ??
UFO International Project: MUFON want the money and NOT the TRUTH…Apparently so!
OpenMinds: NASA to test Bigelow Aerospace module on ISS
- Space Policy Online: Bigelow's Mike Gold Warns Don't Jump the Gun on ITAR Changes
- Space News: Bigelow Petitions State for Export Jurisdiction Change
- NATURE: US satellite laws under scrutiny
- FAA: Air Traffic Organization Policy - Order JO 7110.65W - Air Traffic Control
- FAA: Air Traffic Organization Policy - Order JO 7110.65U - Air Traffic Control
Comentários