2 de março de 2017

O "Necromante dos Urais": Homem Matou Moradores de Rua Para Tentar Ressuscitá-los como um "Exército de Zumbis", na Rússia? (Atualizado 10/03)

Inscreva-se no canal clicando no botão abaixo:
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes

Por Marco Faustino

Há quanto tempo não falávamos sobre zumbis aqui no blog AssombradO! Lembro que uma das últimas vezes que tratamos desse tema foi em agosto do ano passado, e coincidentemente também envolvia a Rússia. Naquela época, uma inscrita em nosso canal, e que ainda faz parte da SSA (Sociedade Secreta dos AssombradOs) - um grupo fechado no Facebook voltado para os nossos "patrões" (saiba mais como participar clicando aqui) - chamada Roberta Erthal, compartilhou uma notícia publicada no site da revista Superinteressante intitulada: "'Apocalipse zumbi' espalha surto de superbactéria pela Sibéria". Lembro que achei um título um bem inusitado, principalmente devido a "cabeça da notícia" que continha o seguinte texto: "Parece The Walking Dead, mas é a vida real: autoridades declararam estado de emergência e especialistas recomendam o monitoramento de cemitérios". Não havia nenhuma imagem sobre o incidente na Sibéria. Havia apenas a foto de "zumbis". Além disso, estava escrito que a área do incidente havia sido isolada e toda a população, humana ou animal, que saiu da região estava em quarentena. Ainda segundo a publicação, a orientação dos pesquisadores russos era típica dos apocalipses zumbis da ficção: "alerta constante e monitoramento de cemitérios onde vítimas da doença tivessem sido enterradas".

Entretanto, o conteúdo da notícia não era bem esse, um claro indicativo que o título estava bem distorcido, um verdadeiro "clickbait". Fiquei bem chateado ao ver o que havia se tornado uma das revistas que sempre fizeram parte da minha infância. Colecionava essa revista quando eu era pequeno, e ficava ansioso até o mês seguinte para ir até a banca e comprar a mais recente edição. De qualquer forma, explicamos direitinho aquele caso para vocês, sendo que a postagem teve ótimo reconhecimento (leia mais: Será Verdade que a Rússia Estaria Enfrentando um "Apocalipse Zumbi" Devido a uma Superbactéria na Sibéria?).

Recentemente, mais precisamente no dia 20 de fevereiro, no entanto, o site do tabloide britânico "Daily Mail" publicou um texto bem curto sobre um ex-policial do Daguestão, que teria matado quatro pessoas, todos moradores de rua, durante rituais ocultistas em uma floresta da Rússia. Sinceramente, achei toda essa história bem estranha por uma série de fatores: a jornalista responsável pelo texto não citou uma fonte credível, ou seja, uma agência ou um site russo com credibilidade de onde ela tivesse tirado essa informação e havia apenas duas fotos genéricas. Não havia foto alguma do acusado, nada a respeito de seus crimes, quem eram os moradores de rua envolvidos, testemunhas, entre outros detalhes pertinentes ao caso. Uma vez que surgiram diversos outros assuntos, acabei deixando essa história de lado, porém ela voltou a ser publicada por mais dois outros trabloides britânicos, o "The Sun" e o "Daily Mirror", que também não publicaram nenhuma foto sobre o assunto, apenas imagens genéricas. Considerando que é bem provável que em algum momento isso irá se espalhar pelo mundo, e possivelmente chegar ao nosso país de maneira totalmente distorcida, resolvi pesquisar um pouco mais sobre o casao. O resultado dessa pesquisa vocês conferem a partir de agora. Vamos saber mais sobre esse assunto?

A Notícia Divulgada pelos Tabloides Britânicos no Mês de Fevereiro desse Ano


Vamos começar a contar essa história mostrando para vocês o que foi realmente publicado no "Daily Mail", em uma notícia intitulada "Ex-police officer attempted to create ZOMBIE SLAVES by killing four homeless people during occult rituals in Russian woodlands" ("Ex-policial tentou criar zumbis escravos ao matar quatro moradores de rua durante rituais ocultistas em floresta, na Rússia", em português) para vocês possam ter uma dimensão inicial do conteúdo fornecido pelo site desse tabloide. Aliás, também utilizarei as imagens que foram publicadas pelo mesmo.

"Um ex-policial foi acusado de matar quatro moradores de rua e tentar ressuscitá-los como 'zumbis' durante os rituais ocultistas em uma floresta russa. Arsen Bayrambekova supostamente atraiu os mendigos, ao prometer bebida de graça, até um altar improvisado e uma fogueira durante o período da noite, em uma floresta da cidade de Verkhnyaya Pyshma. De acordo com as informações fornecidas a um tribunal de justiça russo, ele teria sacrificado os mesmos e tentado transformá-los em 'zumbis'

Após os rituais de sacrifício, Arsen Bayrambekova enterrou os quatro corpos e disse que retornou 'algum tempo depois' , em uma tentativa de aumentar seus poderes ocultistas para futuros rituais.

Arsen Bayrambekova supostamente atraiu os mendigos, ao prometer bebida de graça, até um altar improvisado e uma fogueira durante o período da noite, em uma floresta da cidade de Verkhnyaya Pyshma
'Ele tentou trazer os mortos de volta à vida, para transformá-los em zumbis. No entanto, todas as suas tentativas foram em vão', disseram os investigadores para o site do jornal britânico 'The Times'

O Sr. Arsen Bayrambekova, que originalmente era um policial no Daguestão, na região Sul da Rússia, mudou-se para a cidade de Verkhnyaya Pyshma, localizada a 1.450 km de Moscou, onde os assassinatos ocorreram, em 2014. O ex-oficial também enfrenta acusações por dois assassinatos cometidos contra empresários em 2002 e 2010, e também por andar ilegalmente portando de armas de fogo. De acordo com o Comitê de Investigação da Rússia, Arsen Bayrambekova passou por três avaliações psiquiátricas e foi considerado apto a ser julgado.

O Sr. Arsen Bayrambekova, que originalmente era um policial no Daguestão, na região Sul da Rússia, mudou-se para a cidade de Verkhnyaya Pyshma, localizada a 1.450 km de Moscou, onde os assassinatos ocorreram, em 2014
De acordo com o 'The Times', relatos não confirmados e publicados por veículos de comunicação na Rússia, Arsen Bayrambekova tinha uma cúmplice que estaria sendo investigada separamente. Também foi informado pelo jornal que ele teria feito um acordo com os promotores para não cumprir mais de 12 anos de reclusão, caso seja considerado culpado.

Ainda de acordo com o 'The Times', a ascenção do satanismo na Rússia é considerada 'uma ameaça maior à segurança nacional do que o extremismo islâmico', frase essa que teria sido proferida pelo Ministro do Interior da Rússia, em 2008. Por fim, o jornal também revelou que, em 2010, um 'culto satânico' na cidade de Saransk alegadamente incentivou seus membros a se juntarem à força policial"

É muito importante destacar nesse ponto, que o "The Times" publicou uma espécie de artigo de um correspondente do jornal, supostamente radicado em Moscou, mas não apresentou maiores detalhes sobre o caso, fotos do mesmo (apenas uma foto, uma visão aérea da cidade de Verkhnyaya Pyshma, a mesma que consta no artigo sobre a cidade na Wikipedia), e nada daquilo que estava afirmando. Foi acrescentado apenas que "a crença nas práticas religiosas ocultas e pouco ortodoxas tem uma longa história na Rússia, desde a seita de autoflagelação chamada Khlysty, do século XVIII, cujos membros se castravam para evitar a tentação sexual. O interesse pelo sobrenatural disparou após o colapso da União Soviética à medida que as pessoas buscavam novos sistemas de crenças para substituir a desacreditada ideologia comunista". Extremamente vago.

O The Times não apresentou maiores detalhes sobre o caso ou fotos a respeito do assunto. Foi publicada apenas uma foto referente a visão aérea da cidade de Verkhnyaya Pyshma, a mesma que consta no artigo sobre a cidade na Wikipedia.
O "The Sun" acrescentou que o caso surgiu em meio a uma onda de tentativas de suicídio entre adolescentes russos, devido a rumores que os mesmos pudessem estar sendo manipulados por grupos obscuros nas redes sociais. Duas estudantes Yulia Konstantinova, de 15 anos, e Veronika Volkova, de 16 anos, teriam morrido no último domingo ao caírem do alto de um prédio de 14 andares na cidade de Ust-Ilimsk, na Sibéria. Na segunda-feira, uma menina de 15 anos, não identificada, teria ficado gravemente ferida ao cair em terreno coberto de neve por ser atirar do quinto andar de um prédio, na cidade de Krasnoyarsk, também na Sibéria. Dois dias antes, uma menina de 14 anos, da cidade de Chita, novamente na Sibéria, teria se atirado na frente de um trem. Os policiais estariam investigando se um controverso "jogo do suicídio" teria se espalhado pelas redes sociais, e teria influenciado as meninas a cometerem tal ato. Não irei comentar sobre esse assunto, mas vocês podem conferí-lo com mais detalhes, ao clicarem aqui.

O "Daily Mirror" acrescentou que, "a série de assassinatos de Bayrambekova é a última de uma longa lista de crimes inspirados pela obsessão mortal da Rússia pelo ocultismo, que se estende por centenas de anos". Além disso, "existiriam cerca de 400 mil ocultistas profissionais na Rússia, alimentando o submundo da magia negra", no valor equivalente a 100 bilhões de reais por ano. O tabloide também acrescentrou inúmeros casos que ocorreram ao longo do tempo, mas foi incapaz de fornecer maiores detalhes sobre o caso em questão. Conforme vocês podem ver, só restava uma opção: procurar sobre o caso na imprensa russa.

Será que Esse Caso é Realmente Verdadeiro? Uma Pequena Jornada pelos Veículos de Imprensa da Rússia


Primeiramente, não há muito o que se falar sobre a cidade de Verkhnyaya Pyshma (Ве́рхняя Пышма). De acordo com o último censo realizado em 2010, essa cidade possui pouco menos de 60 mil habitantes, e fica localizada na divisão federal de Sverdlovsk Oblast. Na prática, Verkhnyaya Pyshma está aproximadamente a quase 1.800 km a leste, quase em linha reta, de Moscou, capital da Rússia (um trajeto percorrido em cerca de 25h se alguém resolver viajar de carro, é claro).

A cidade também é conhecida por abrigar um grande museu contendo equipamentos e veículos utilizados pela União Soviética durante a Segunda Guerra Mundial. Fora isso, não há muito a acrescentar.

Na prática, Verkhnyaya Pyshma está aproximadamente a quase 1.800 km a leste, quase em linha reta, de Moscou, capital da Rússia (um trajeto percorrido em cerca de 25h se alguém resolver viajar de carro)
A cidade também é conhecida por abrigar um grande museu contendo equipamentos
e veículos utilizados pela União Soviética durante a Segunda Guerra Mundial.
No entanto, não foi fácil encontrar informações sobre Arsen Bayrambekova (Арсена Байрамбекова). Uma das primeiras notícias que encontrei sobre esse homem é datada de 7 de maio do ano passado, quando na ocasião, o site de notícias Ystav.com mencionou que os oficiais do Comitê Investigativo da Rússia estavam se recusando a fornecer maiores detalhes sobre a investigação de um "radical religioso" de Verkhnyaya Pyshma.

Na época, fontes não oficiais diziam que esse homem teria trabalhado como oficial de polícia, e após sua demissão ele teria passado a assassinar pessoas. Ainda foi mencionado que esse homem tinha sido preso alguns meses antes, e também estava sendo acusado da morte de um morador de rua, que teria sido enterrado em um cemitério local.

O site de notícias Ystav.com mencionou que os oficiais do Comitê Investigativo da Rússia estavam se recusando a fornecer maiores detalhes sobre a investigação de um "radical religioso" de Verkhnyaya Pyshma
O texto chamou esse homem de maníaco e disse que após cometer os assassinatos, ele enterrava os corpos e após algum tempo os desenterrava para realizar rituais com o objetivo de revivê-los, e transformá-los em zumbis. No momento da publicação daquela notícia, o acusado estava sendo avaliado em um hospital psiquiátrico em Yekaterinburg (ou Ecaterimburgo, como vocês preferirem, mas vou permanecer usando Yekaterinburg), a quarta maior cidade da Rússia. Havia ainda a possibilidade do acusado não ser levado a julgamento, e ser internado para tratamento psiquiátrico compulsório.

O nome desse maníaco seria divulgado pouco tempo depois, através de uma outra notícia publicada em 24 de junho do ano passado, no site de notícias Newdaynews.ru, onde foi divulgado que um homem nascido no Daguestão, e pertencente a liga russa de Muay Thai (RAMTL), era suspeito do assassinato de pelo menos quatro moradores de rua, que teriam sido enterrados em um cemitério de Verkhnyaya Pyshma. Pouco se sabia sobre esse atleta, apenas que ele tinha nascido em 30 de setembro de 1978, em Makhachkala, capital da República do Daguestão, e passou boa parte da vida em Yekaterinburg, na Rússia. As informações, no entanto, continuavam sendo extra-oficiais, ou seja, tinham uma certa tendência especulativa ao redor das mesmas, pois não havia nenhum pronunciamento oficial das autoridades russas. O nome desse maníaco? Arsen Bayrambekova (Арсена Байрамбекова).

O site de notícias Newdaynews.ru mencionou que um homem nascido no Daguestão, e pertencente a liga russa de Muay Thai (RAMTL Russia), era suspeito do assassinato de pelo menos quatro moradores de rua, que teriam sido enterrados em um cemitério de Verkhnyaya Pyshma
Ainda foi mencionado que esse homem teria sido preso no fim de julho de 2015, e acabou confessando um determinado crime, em 1 de agosto daquele mesmo ano. A equipe de investigadores o acompanhou até o local onde ele teria enterrado as vítimas, e acabou encontrando os corpos de quatro moradores de rua, todos do sexo masculino. Todos os corpos estavam amarrados com fita adesiva e estavam carbonizados. Aparentemente, esses assassinatos teriam motivação ritualística. Além disso, também foi citado que o homem tinha sido avaliado como "mentalmente saudável".

Curiosamente, desde junho do ano passado, praticamente nada mais foi comentado pelo sites de notícias da Rússia, porém isso mudaria em 25 de janeiro desse ano, quando o site de notícias Lenta.ru, um dos mais acessados daquele país, publicaria uma verdadeira história de terror sobre Arsen Bayrambekova (Арсена Байрамбекова).

O Artigo Publicado Pelo Site de Notícias Lenta.ru: Uma História de Terror


No texto publicado pelo Lenta.ru era informado que o Comitê de Investigação da Rússia, em Yekaterinburg, havia concluído uma investigação contra o ex-policial Arsen Bayrambekova, que estava sendo acusado de ter cometido seis assassinatos, sendo que quatro das suas vítimas eram moradores de rua.

De acordo com a mídia local, os crimes foram cometidos seguindo certos rituais nos arredores de Ganina Yama (o "Fosso de Ganya", em português), o local onde os corpos do Czar Nicolau II da Rússia e sua família foram secretamente transportados e atirados em um fosso, que possuía cerca 9 metros de profundidade. Posteriormente, sete capelas foram construídas no local, uma para cada membro da família real. Cada capela é dedicada para um santo ou relíquia em particular.

Imagem do Google Maps mostrando a localização de Ganina Yama, em relação a cidade de Yekaterinburg
Foto de uma parte do complexo de Ganina Yama
Os investigadores disseram que em 2002 e 2010, Arsen Bayrambekova teria assassinado dois empresários em Yekaterinburg, e teria recebido uma compensação financeira por isso, ou seja, ele teria sido o que conhecemos por "matador de aluguel". Posteriormente, o ex-policial começou a se interessar pelo estudo de rituais ocultistas. Segundo os investigadores, o resultado desse "hobby" foi ter assassinado os quatro moradores de rua enquanto estavam alcoolizados.

O Comitê de Investigação disse que, na época dos crimes, o acusado seguiu certos procedimentos de um ritual de sacrifício: o ato de violência foi cometido durante a noite, em uma floresta, à beira de uma fogueira, e as vítimas morreram em um círculo de pedras, que foram colocadas enquanto o acusado entoava orações e encantamentos.

Ganina Yama é o local onde os corpos do Czar Nicolau II da Rússia e sua família foram secretamente transportados e atirados em um fosso, que possuía cerca 9 metros de profundidade
Posteriormente, sete capelas foram construídas no local, uma para cada membro da família real.
Cada capela é dedicada para um santo ou relíquia em particular.
De acordo com o site "Lenta.ru" o acusado havia sido detido em 2015, e um processo criminal tinha sido imediatamente instaurado, porém o mesmo correu em segredo de justiça, talvez devido ao fato de que o acusado fosse um ex-policial. Isso também explicaria a ausência ou escassa informação sobre o caso desde então, visto que envolveu a mais alta cúpula do 4º Escritório de Investigação do Comitê de Investigação da Rússia. O "Lenta.ru" também confirmou que o acusado passou por três avaliações psiquiátricas e em todas ele foi considerado mentalmente saudável. Assim sendo, seu processo seria encaminhado para o Escritório da Promotoria e, em seguida para um tribunal, de modo que o mérito pudesse ser julgado.

"Os assassinatos ritualísticos se tornaram conhecidos após o cemitério de Verkhnyaya Pyshma ter encontrado uma cova coletiva que possuía corpos humanos amarrados com fita adesiva e estavam completamente carbonizados. Ao serem identificados, notaram que todas as vítimas era moradores de rua que viviam nesse mesmo cemitério", disse o correspondente especial Dmitriy Antonenko (Дмитрий Антоненко). Ainda segundo Dmitriy, o acusado possuía um altar em frente a sua própria casa, ou seja, seu gosto pelo ocultismo não era segredo para ninguém.

"Os assassinatos ritualísticos se tornaram conhecidos após o cemitério de Verkhnyaya Pyshma ter encontrado uma cova coletiva que possuía corpos humanos amarrados com fita adesiva e estavam completamente carbonizados. Ao serem identificados, notaram que todas as vítimas era moradores de rua que viviam nesse mesmo cemitério", disse o correspondente especial Dmitriy Antonenko.
Curiosamente, uma outra versão para os crimes estavam sendo aventada por boa parte da mídia russa para o homem que passou a ser chamado de "Necromante dos Urais". De acordo com o site do "Komsomolskaya Pravda", um conhecido tabloide russo, a razão dessas estranhas atitudes por parte de Arsen Bayrambekova seria devido a um infarto do miocárdio, que ele teria sofrido durante combates na Chechênia. Sim, exatamente isso que você leu. Arsen Bayrambekova alegou ter participado desses combates após ter deixado de ser um policial no Daguestão. De acordo com esta versão, as mudanças em sua mentalidade e nos seus sentimentos o conduziram para o ocultismo. Resumindo? Boa parte da mídia russa estava querendo transformá-lo em uma vítima de guerra.

Arsen Bayrambekova seguiu a risca os rituais propostos, porém aqui vai mais uma peculiaridade. Ele não começou sacrificando pessoas, mas com "frangos congelados", que ele comprava no supermercado. No entanto, em cada ritual isso se tornava cada vez maior e mais intenso. Inicialmente foram animais de pequeno porte, depois animais um pouco maiores, até que finalmente ele começou a matar pessoas.

Arsen Bayrambekova seguiu a risca os rituais propostos, porém aqui vai mais uma peculiaridade. Ele não começou sacrificando pessoas, mas com "frangos congelados", que ele comprava no supermercado
"As vítimas de Arsen Bayrambekova acabaram sendo pessoas à margem da sociedade. Era fácil conseguir a confiança das mesmas e, em seguida, ele amarrava suas vítimas e iniciava os rituais", disse uma fonte do Komsomolskaya Pravda. Ainda segundo o tabloide, Arsen Bayrambekova teria dito que seus rituais eram realizados próximos de Ganina Yama, porque antes do local ganhar fama, eram praticados antigos rituais pagãos, logo o local possuía uma energia muito forte e propícia para os seus rituais

"As vítimas de Arsen Bayrambekova acabaram sendo pessoas à margem da sociedade. Era fácil conseguir a confiança das mesmas e, em seguida, ele amarrava suas vítimas e iniciava os rituais", disse uma fonte do Komsomolskaya Pravda
Entretanto, segundo uma notícia publicada no site de notícias Накануне.ru, os crimes podem ter tido uma motivação bem mais prosaica do que simplesmente criar um exército de zumbis. Aparentemente, Arsen Bayrambekova era um "neopagão", que acreditava que o paganismo iria melhorar sua condição financeira. Ainda de acordo com o site, o acusado teria visitado outras cidades da região para espalhar seu "conhecimento sagrado" para outros seguidores.

Antes de ser preso, Arsen Bayrambekova trabalhava como professor de artes marciais. Ironicamente, no entanto, ainda não havia nenhuma foto atual dele, e nada além de especulações. Acho que é possível ter uma dimensão do constrangimento e talvez principalmente preocupação com a repercussão desse "incidente", que as autoridades russas estavam enfrentando.

A Reta Final Para Conhecermos a Verdadeira História de um Monstro: Finalmente Arsen Bayrambekova Aparece Diante das Câmeras


No dia 7 de fevereiro, o site de notícias Znak.com voltou a mencionar que Arsen Bayranbekova, 38 anos, estava sendo acusado por uma série de homicídios de moradores de rua, no qual ele planejava criar um exército de zumbis. Também foi explicado que a demora em seu julgamento, era porque a defesa havia feito um acordo para que Arsen não fosse sentenciado à prisão perpétua pelos crimes que cometeu.

Dessa vez, no entanto, tínhamos a confirmação que ele estava sendo formalmente acusado perante o artigo 105, § 2º, alíneas "a", "e" e "h" (homicídio de duas ou mais pessoas, cometidos com crueldade e por motivos financeiros ao ser contratado, roubo seguido de violência, extorsão ou banditismo, respectivamente), do Código Penal da Rússia, é claro. Além disso, ele também estava sendo acusado perante o artigo 222 § 1º (aquisição, transferência, venda, armazenamento, transporte ou porte ilegal de armas de fogo, suas partes básicas, munições e explosivos).

Dessa vez, no entanto, tínhamos a confirmação que ele estava sendo formalmente acusado perante o artigo 105, § 2º, alíneas "a", "e" e "h" (homicídio de duas ou mais pessoas, cometidos com crueldade e por motivos financeiros ao ser contratado, roubo seguido de violência, extorsão ou banditismo, respectivamente), do Código Penal da Rússia
O site ainda mencionou que, segundo investigadores, em dezembro de 2003, Arsen Bayrambekova foi contratado para matar um empresário de Yekaterinburg. O crime teria sido cometido em 26 de dezembro de 2003, e ele recebeu cerca de US$ 1.500 (aproximadamente R$ 4.500 pela cotação atual) pelo serviço. Já em 17 de novembro de 2010, ele foi contratado para matar outro empresário, dessa vez pelo valor de US$ 700 (aproximadamente R$ 2.100 pela cotação atual).

Aparentemente, ele teria assassinado os moradores de rua no último trimestre de 2014 (entre os meses de setembro e novembro) ao oferecer bebida para os mesmos, levá-los até uma floresta nos arredores da cidade de Sredneuralsk, cuja jurisdição administrativa pertence a cidade de Verkhnyaya Pyshma, e que também é próxima de Ganina Yama. No total, quatro moradores de rua foram ludibriados, amarrados, e tiveram suas gargantas cortadas, enquanto estavam vivos. A parte interessante é que o site de notícias também comentou que outros veículos de comunicação vinham dizendo que Arsen Bayrambekova havia lutado na Chechênia, porém isso não tinha sido confirmado pela promotoria, ou seja, aparentemente era uma espécie de "desculpa" da defesa de Arsen Bayrambekova.

E, então, finalmente, em 17 de fevereiro, o mundo conheceu, quer dizer, os russos (visto que esse caso foi bem pouco divulgado de forma séria ao redor do mundo) finalmente conheceram a face do monstro. Arsen Bayrambekova participou de uma audiência de pré-julgamento no Tribunal de Justiça de Verkhnyaya Pyshma, que decidiu prolongar seu período na prisão, até o dia 6 de junho, sendo que uma outra audiência para julgar o mérito foi marcada para o dia 2 de março.

Finalmente, em 17 de fevereiro, o mundo conheceu, quer dizer, os russos (visto que esse caso foi bem pouco divulgado de forma séria ao redor do mundo) finalmente conheceram a face do monstro
Arsen Bayrambekova participou de uma audiência de pré-julgamento no Tribunal de Justiça de Verkhnyaya Pyshma, que decidiu prolongar seu período na prisão, até o dia 6 de junho.
De acordo com as investigações, Arsen Bayrambekova teria encontrado um "professor de ocultismo" na internet, que o ensinou sobre deuses eslavos, e que para se aproximar deles era necessário fazer sacrifícios. Arsen teria dito aos investigadores que durante as orações para esses deuses, os mesmos pediram por oferendas.

No quintal de sua casa, em um vilarejo próximo a Yekaterinburg, chamado Kamysheva (Камышево), Arsen passou a adorar esses deuses em um altar de pedra, no qual ele matava gatos, galinhas e cabras. Porém, a motivação de Arsen não era criar zumbis, mas realizar sacrifícios humanos ao acreditar que seria recompensado financeiramente, ou seja, que os deuses o tornariam rico.

A motivação de Arsen não era criar zumbis, mas realizar sacrifícios humanos ao acreditar que seria recompensado financeiramente, ou seja, que os deuses o tornariam rico
Aliás, vocês podem conferir como foi essa audiência de pré-julgamento ao assistirem um vídeo publicado no canal do portal de notícias E1.ru, no YouTube, que foi postado naquele mesmo dia (em russo):



A parte mais triste e emocionante desse dia é que a mãe de um dos moradores de rua estava presente na audiência. Em entrevista para a sucursal do Komsomolskaya Pravda, em Yekaterinburg, Irina Musina (Ирина Мусина) disse que seu filho Denis (Денис) era um carpinteiro, mas então ele passou a andar com más companhias, e acabou se tornando um andarilho, ou seja, um morador de rua.

Arsen Bayrambekova primeiramente teria assassinado um amigo de Denis, também morador de rua, e posteriormente, após cerca de um mês, seria a vez do próprio Denis. Visivelmente emocionada e fisicamente debilitada Irina disse que chegou a ver as fotos do filho assassinado. Ela chorou compulsivamente em frente ao Arsen Bayrambekova perguntando o motivo de ter matado seu filho, mas Arsen não respondeu e passou a audiência inteira friamente desenhando ou rabiscando algo em um caderno que ele tinha em mãos, respondendo apenas as perguntas que lhe interessavam.

Confira também um outro vídeo publicado pelo canal do portal de notícias E1.ru, no YouTube, que mostra bem o estado físico e a expressão desolada no rosto de Irina Musina (em russo):



O portal de notícias E1.ru também cobriu essa audiência, acrescentando maiores informações ao que já sabíamos. De acordo com a Irina Musina, seu filho e o amigo do seu filho lavavam as janelas de carros em um dos inúmeros cruzamentos de Yekaterinburg, sendo que os mesmos já estavam familiarizados com os motoristas que passavam pelo local. Teria sido em um desses momentos, que ambos passaram a ser um alvo em potencial para Arsen Bayrambekova e uma cúmplice (aparentemente Arsen estava em um relacionamento amoroso), que percorriam a cidade em busca de vítimas.

Irina disse que essa cúmplice nunca foi encontrada pela polícia, o que se sabe apenas é que ela morava em algum lugar de Elmash (Эльма́ш), um distrito residencial na região nordeste da cidade de Yekaterinburg.

Irina disse que essa cúmplice nunca foi encontrada pela polícia, o que se sabe apenas é que ela morava em algum lugar de Elmash (Эльма́ш), um distrito residencial na região nordeste da cidade de Yekaterinburg
Arsen Bayrambekova admitiu na audiência que já tinha sido previamente condenado perante o artigo 222 § 1º (aquisição, transferência, venda, armazenamento, transporte ou porte ilegal de armas de fogo, suas partes básicas, munições e explosivos), e que tinha sido sentenciado a 4 anos de reclusão. Em 2007, no entanto, ele ganhou liberdade condicional. Agora, surpreendentemente, apesar das acusações pelo massacre de seis pessoas, a advogada de defesa do réu continuava sendo otimista em relação ao caso.

"Acredito que manter o meu cliente preso não faz sentido. Ele admitiu sua total culpa pelo que houve e vem colaborando com a investigação, o que culminou em um acordo. Creio, portanto, que a prisão preventiva não é necessária", declarou Ekaterina Ponomareva (Екатерина Пономарева).

Agora, surpreendentemente, apesar das acusações pelo massacre de seis pessoas, a advogada de defesa do réu (Ekaterina Ponomareva, na foto) continuava sendo otimista em relação ao caso
No entanto, o tribunal manteve Arsen Bayrambekova atrás das grades, pelo menos até 6 de junho, conforme mencionamos anteriormente. De qualquer forma, o acordo realizado pela defesa proporcionou que o mesmo possa ser condenado a no máximo 13 anos e 6 meses de reclusão. Acreditem ou não, essa possibilidade de acordo está garantida na legislação russa, ou seja, não tem o que fazer.

As Mais Recentes Informações Sobre Arsen Bayrambekova


Conforme havíamos mencionado anteriormente, o julgamento do caso envolvendo Arsen Bayrambekova começou hoje, por volta das 10h10 da manhã, no Tribunal de Justiça de Verkhnyaya Pyshma. A juíza responsável pelo caso, Natalia Udintseva, ouviu o que acusado e os parentes das vítimas tinham a dizer. Um desses parente era Nelly Bannikova (Нелли Банникова), tia de Paul Bannikova (Павла Банникова), que na época de sua morte, tinha 35 anos.

Conforme havíamos mencionado anteriormente, o julgamento do caso envolvendo Arsen Bayrambekova começou hoje, por volta das 10h10 da manhã, no Tribunal de Justiça de Verkhnyaya Pyshma
Na foto é possível notar a presença de Irina Musina usando uma roupa totalmente preta (à esquerda)
A juíza responsável pelo caso, Natalia Udintseva (ao fundo e encoberta por uma das câmeras da imprensa),
ouviu o que acusado e os parentes das vítimas tinham a dizer
Ela disse que Arsen o assassinou no dia 15 de novembro de 2014, e que durante a investigação a família foi informada que se tratava de uma seita hindu, por mais que ela não acreditasse em absolutamente nada disso. Paul Bannikova era mais um dos moradores de rua, que Arsen assassinou. Além disso, Nelly mencionou que Arsen tinha admitido apenas 4 dos prováveis 8 assassinatos de moradores de rua que ele teria cometido.

Um desses parente era Nelly Bannikova (Нелли Банникова, à direita),
tia de Paul Bannikova (Павла Банникова), que na época de sua morte, tinha 35 anos.
No corredor, juntamente com os jornalistas, estava Sergey Musin (Сергей Мусин), o irmão de uma das vítimas (mais um dos moradores de rua mortos em 2014). Sergey disse que a família ficou sabendo que seu irmão, de apenas 21 anos, estava morto apenas um ano depois, no outono de 2015. Ele disse que chegou a ver as fotos do local onde o irmão foi morto e confirmou a existência de um círculo de pedras e velas ao redor do mesmo.

No corredor, juntamente com os jornalistas, estava Sergey Musin (Сергей Мусин),
o irmão de uma das vítimas (mais um dos moradores de rua mortos em 2014)
Curiosamente, Ekaterina Ponomareva, advogada de defesa de Arsen Bayrambekova, chegou a alegar que a defesa estava sendo pressionada, mas não entrou em detalhes sobre que tipo de pressão seria essa.

Alguns veículos de imprensa da Rússia, assim como o site de notícias local chamado NGZT.ru, passaram a fazer uma cobertura em tempo real do que estava acontecendo durante a sessão. Aparentemente, a defesa pediu a anulação do processo de Arsen Bayrambekova, visto que as investigações do caso em que Arsen foi contratado para matar um empresário, em 2010, ainda estavam em andamento. Entre os jornalistas havia muita expectativa se isso seria ou não considerado pelo juíza do caso. No entanto, uma fonte do site NGZT.ru mencionou que o veredito sairá apenas no dia 10 de março.

Foto recentemente publicada da casa em que Arsen Bayrambekova morava em um vilarejo próximo a Yekaterinburg,
chamado Kamysheva (Камышево)
Enfim, AssombradOs, caso tenso. Ainda não se sabe o que acontecerá em relação ao Arsen Bayrambekova, visto que essa foi apenas a primeira sessão do seu julgamento. De qualquer forma, manteremos vocês informados no decorrer dos dias, tão logo saiam novas informações, assim como sempre costumamos fazer nos casos que divulgamos para vocês.

Atualização #1 - 10/03 as 18h43: Arsen Bayrambekova é Condenado a 13 Anos e 2 meses de Reclusão e Deverá Pagar Indenização aos Parentes das Vítimas!


O Tribunal de Justiça de Yekaterinburg condenou na manhã dessa sexta-feira (10), o ex-policial do Daguestão, Arsen Bayrambekova, a 13 anos e 2 meses de reclusão pelos seis assassinatos, os quais ele estava respondendo, com uma restrição de liberdade mínima de 1 ano e 6 meses. É difícil saber se Arsen receberá alguma espécie de liberdade condicional após esse período.

O Tribunal de Justiça de Yekaterinburg condenou na manhã dessa sexta-feira (10), o ex-policial do Daguestão, Arsen Bayrambekova, a 13 anos e 2 meses de reclusão pelos seis assassinatos
De qualquer forma, ele foi encaminhado para uma colônia penal, e parte do seu salário (sim, ele passará a receber do Estado em razão do seu trabalho enquanto estiver preso) será destinado a pagar indenizações as famílias das pessoas, as quais ele matou. Na verdade, duas famílias devem receber cerca de 800 mil rublos russos cada uma (aproximadamente R$ 42.000 pela cotação atual), e uma terceira deverá receber cerca de 100 mil rublos russos (cerca de R$ 5.000). As demais famílias não pediram indenizações em suas respectivas ações contra o réu.

Comentários Finais

 
Como não ler essa postagem e não ficar revoltado e espantado com tamanha crueldade e covardia? Sinceramente, é muito difícil ser imparcial em casos assim e espero ter conseguido transmitir isso da maneira mais correta e didática possível, mostrando ponto a ponto os desdobramentos desse caso. Acredito que ficou evidente que houve um certo exagero da mídia em dizer que Arsen Bayrambekova queria criar um "exército de zumbis". Provavelmente, levaram em consideração o fato dele ser um ex-policial no Daguestão (pelo menos é isso o que disseram) e por ser lutador de muay thai, mas ainda assim a justificativa para apontar um ritual envolvendo uma eventual "criação de zumbis" é extremamente rasa, descabida e baseada em uma terminologia moderna para classificar o ato de trazer os mortos novamente à vida. Tudo indica que isso tenha sido apenas uma tática da mídia para atrair público e ao mesmo tempo jogar o leitor contra a Rússia, a acusando de práticas ocultistas, que muitos insistiram em chamar de satânicas, mesmo que em nenhum momento tenha citado absolutamente nada nesse sentido. Aliás, sinto vergonha por aqueles que fizeram faculdade de jornalismo, eventualmente sonharam com essa carreira, e estão passando a vida inteira replicando notícias de tabloides traduzidas de forma precária, e sem a menor preocupação com o leitor. Para piorar a situação, os mesmos adicionam ainda mais palavras de forma deliberada para enganar essas mesmas pessoas, que muitas vezes leem apenas o título da notícia. Uma triste realidade, mas nem de longe é semelhante a dor e o sofrimento de famílias diante de um assassino em série.

O objetivo de Arsen Bayrambekova era bem claro: dinheiro. Esses rituais, supostamente para ressuscitar as pessoas, era uma espécie de prática para fortalecer seus poderes ocultistas, e fazer com que ele se aproximasse cada vez mais dos deuses que ele acreditava que existiam. Assim sendo, Arsen acreditava que ficaria rico de alguma forma, e que os deuses ficariam muito felizes ao serem atendidos, o recompensando com as mais diversas riquezas. Obviamente, Arsen Bayrambekova nem de longe é mentalmente incapaz, pelo contrário, ele é bem inteligente, sabia o que estava fazendo, e sabia onde queria chegar. Acham mesmo que eles escolheu moradores de rua à toa? Óbvio que não. Afinal de contas, a absoluta maioria dos moradores de rua são invisíveis ao olhos de grande parte da sociedade, não somente a russa, que desvia ou passa por cima de seus corpos sem a menor cerimônia. E sabe o que é o pior de se pensar? É que Arsen matou entre quatro e oito moradores de rua acreditando que pudesse ficar rico, mas e aqueles "esquadrões da morte", que de vez em quando surgem em nossos noticiários, como aconteceu em Goiânia, em 2013, onde moradores de rua foram assassinados a sangue frio com pedradas, facadas e tiros? Durante aquele ano, foram cerca de 41 moradores de rua assassinados na cidade. Em dezembro daquele mesmo ano, condenaram um vigilante por ter assassinado 23 moradores de rua. Três anos depois, em dezembro do ano passado, ele passou por seu 27º julgamento, sendo que foi condenado em 25 ocasiões. Provavelmente, a monstruosidade de Arsen apequenou-se agora, não é mesmo? Contudo, não se deixe enganar, ambos são monstros da vida real, pessoas que conviviam com outras pessoas diariamente, com interesses e motivações obscuras.

Por outro lado, chega a ser muito questionável a atitude do Comitê Investigativo da Rússia em nitidamente tentar abafar esse caso, o tornando tão moroso em termos investigativos, e aceitando de braços cruzados que um acordo fosse feito para aliviar a punição de Arsen Bayrambekova, muito provavelmente por ele ser um policial, e potencialmente se tornar informante sobre o que estão considerando como "seitas religiosas". Existe um combate muito forte contra práticas ocultistas na Rússia, mas não acredite que o governo russo está sendo bonzinho em relação a isso, basta ver a nítida tolerância que estão tendo em relação ao Arsen, cujo caso está repleto de lacunas a serem preenchidas: Quem era a cúmplice dele? Quem era esse "professor da internet" que o ensinou sobre "deuses eslavos"? Quem contratou Arsen para matar aqueles dois empresários? Quem mais sabe ou até mesmo segue as práticas dele? Por que o alto escalão de um escritório do Comitê Investigativo da Rússia estava envolvido na investigação? Por que evitaram tocar nesse assunto há anos, quando as especulações estavam praticamente certas? Isso sem contar as inúmeras perguntas que provavelmente vocês estão se perguntando agora. Basta olhar para a expressão de cada um dos parentes das vítimas para notar que são pessoas humildes, que nem sabem exatamente o que estão fazendo ali em um joguete judiciário de cartas marcadas. Não importa quanto tempo Arsen seja condenado, caso seja realmente condenado, visto que ele vai sair pela porta da frente daqui algum tempo e, quem sabe, continuar praticando suas crenças, quer dizer, seus crimes, mas dessa vez de maneira mais eficiente. Arsen não irá durar para sempre, mas suas crenças em meio ao sangue derramado de inocentes, e a dor de seus parentes, vão.

Até a próxima, AssombradOs.

Criação/Tradução/Adaptação: Marco Faustino

Fontes:
http://66.ru/news/incident/184908/
http://66.ru/news/incident/194666/
http://66.ru/news/incident/195006/
http://ngzt.ru/news/view/23-01-2017-policeyskogo-iz-verhney-pyshmy-kotoryy-na-polnom-sereze-sozdaval-armiyu-zombi-priznali-nevmenyaemym
http://ngzt.ru/news/view/25-01-2017-eks-milicionera-arsena-bayrambekova-ubivavshego-bomjey-radi-armii-zombi-priznali-vmenyaemym

http://ngzt.ru/pushma/view/02-03-2017-v-verhney-pyshme-nachinaetsya-sud-nad-eks-milicionerom-kotoryy-sovershal-ritualnye-ubiystva
http://www.dailymail.co.uk/news/article-4241628/Ex-police-officer-attempted-create-ZOMBIE-SLAVES.html
http://www.dsnews.ua/world/v-rossii-eks-militsioner-ubival-bomzhey-i-sozdaval-iz-nih-23012017231000
http://www.e1.ru/news/spool/news_id-462193-section_id-87.html
http://www.mirror.co.uk/news/world-news/russian-ex-cop-tried-build-9928368
http://www.nakanune.ru/news/2017/01/24/22458953
http://www.thetimes.co.uk/article/ex-policeman-sacrificed-vagrants-in-zombie-ritual-wsvqfh6hl
http://www.ural.kp.ru/daily/26635.4/3653348/
http://www.ural.kp.ru/daily/26645.7/3663638/
https://lenta.ru/articles/2017/01/25/nekro/
https://newdaynews.ru/ekb/570925.html
https://www.oblgazeta.ru/news/23015/
https://www.thesun.co.uk/news/2973136/russian-ex-cop-tried-to-build-a-zombie-army-by-killing-homeless-men-and-performing-bizarre-satanic-rituals-on-their-bodies/
https://www.znak.com/2017-02-07/delo_policeyskogo_pytavshegosya_sozdat_armiyu_zombi_rassmotryat_v_osobom_poryadke
https://www.znak.com/2017-02-17/sud_verhney_pyshmy_opredelil_datu_slushaniy_po_suchestvu_dela_protiv_sozdatelya_armii_zombi
https://www.znak.com/2017-03-02/process_po_delu_eks_silovika_hotevshego_sozdat_armiyu_zombi_zakryli_ot_smi
https://ystav.com/v-verhney-pyshme-eks-politseyskiy-ubival-lyudey-chtoby-prevratit-ih-v-zombi
Comentários