10 de fevereiro de 2017

A Estranha "Ideia" de Construir uma Estátua com 100 Metros de Altura de uma "Entidade Sobrenatural" para Promover o Turismo, na Indonésia


Por Marco Faustino

Cerca de três dias antes do Natal do ano passado, publiquei uma história sobre uma polêmica escultura, considerada "satânica", que gerou uma grande revolta entre os moradores de Boca Raton, na Flórida, nos Estados Unidos. Vocês lembram desse caso? Na época, um homem chamado Preston Smith, professor do Ensino Fundamental II e membro do Templo Satânico provocou muita discussão e polêmica depois de erguer, no início do mês de dezembro, uma escultura em formato de pentagrama de 135 kg, e cerca de 2 metros de altura, na praça Sanborn, na cidade de Boca Raton, no estado norte-americano da Flórida. Era justamente nessa praça, que a prefeitura havia permitido, que diversos grupos colocassem monumentos ou esculturas religiosas, independente de suas crenças. Além do pentagrama, também existia uma menorá (um candelabro de sete braços, que é um dos principais e mais difundidos símbolos do Judaísmo), e um presépio em exibição. Os ânimos, que já estavam bem exaltados na cidade, ganharam uma nova dimensão quando alguém resolveu tomar uma atitude, e simplesmente derrubou a escultura com um carro, amassando completamente a mesma. Para completar, a Associação de Pais e Alunos das Escolas de Ensino Fundamental II de Boca Raton não queria que o professor Preston Smith continuasse dando aulas na cidade. Enfim, fiz uma postagem bem completa para que vocês pudessem conferir cada detalhe daquela história, ou seja, vale muito a pena conferir esse caso (leia mais: Escultura Polêmica e Considerada "Satânica" Gera Revolta Entre os Moradores de Boca Raton, na Flórida, nos Estados Unidos!).

Obviamente, se formos parar e pensar, estátuas e monumentos podem acabar virando uma espécie de ponto turístico de uma cidade e, invariavelmente, a exemplo do que aconteceu com Boca Raton, podem virar uma espécie de ponto de referência ou até mesmo de peregrinação. Isso, no entanto, não é diferente em outras partes do mundo. Na cidade de Nova York, nos Estados Unidos, temos a famosa "Estátua da Liberdade". No Rio de Janeiro, por exemplo, temos o icônico "Cristo Redentor". Já em Cingapura existe o "Parque Merlion", que é considerada a casa do próprio "Merlion", um símbolo turístico de Cingapura, que consiste em uma figura mitológica "metade leão" e "metade peixe", como se fosse uma espécie de "sereia felina". O leão ("singa") representa o animal que um príncipe de Sumatra teria avistado há muitos séculos, quando pôs os pés na ilha. Já o peixe é um tributo ao papel histórico de Cingapura como uma antiga cidade marítima. Na cidade de Kuching, na Malásia, existem famosas estátuas de gatos, que acabaram virando um ponto turístico da cidade. A razão? Bem, algumas pessoas acreditam que o nome da cidade tenha sido originado da palavra "kucing" ("gato", em malaio), apesar de outras acreditarem que tenha sido originado de "Cochin", o nome de porto comercial da Índia, na Costa do Malabar, que também era uma espécie de termo genérico na China e na Índia Britânica, para "porto comercial".

Seguindo essa linha de raciocínio, ou seja, de erguer monumentos ou estátuas que possam se transformar em um ponto turístico de uma cidade, principalmente devido a alguma eventual ligação com a mesma, recentemente tivemos um caso muito peculiar envolvendo uma cidade chamada Pontianak, a capital da província indonésia de Kalimantan Ocidental. Por ironia da crença, da história ou do destino, a cidade carrega o nome de um mitológico fantasma feminino que, segundo o que se acredita em diversas partes da Ásia, possui cabelo preto e comprido, assim como uma longa camisola branca. Essa "entidade sobrenatural", por assim dizer, constantemente está a procura de vingança por ter morrido durante um parto, e consequentemente perdido a criança que estava esperando. Assim sendo, um homem chamado Kartius, responsável pela Secretaria da Juventude, dos Desportos e do Turismo, dessa mesma província, propôs construir uma estátua de 100 metros de altura para homenagear essa "entidade sobrenatural" e promover o turismo na região. A proposta, é claro, vem causando muita polêmica! Vamos saber mais sobre esse assunto?

Conheça um Pouco Sobre a Cidade de Pontianak, na Indonésia, e a Lenda Relacionada ao Seu Nome


Conforme dissemos anteriormente, a cidade de Pontianak é a capital da província indonésia de Kalimantan Ocidental, fundada pelo sultão Syarif Abdurrahman Alkadrie como capital do Sultanato de Kadriyah, em 23 de outubro 1771. Esse mesmo sultão acabou desenvolvendo a cidade como uma espécie de porto comercial na ilha de Bornéu, ocupando uma área de 107,82 km² no delta do rio Kapuas.

Imagem do Google Maps mostrando a localização da cidade de Pontianak, na Indonésia,
em relação a outras cidades e países do Sudeste Asiático
Visão aérea de uma parte da cidade de Pontianak, na Indonésia
A cidade está precisamente localizada na linha do Equador, sendo amplamente conhecida como "Kota Khatulistiwa" ("Cidade Equatorial", em português). Para sermos mais exatos, o centro da cidade está localizado a menos de 3 km ao sul da linha do Equador.

Segundo o último censo realizado em 2014, a cidade possui pouco mais de 570 mil habitantes. Além de indonésios, a população é composta por chineses, malaios, javaneses e uma série de outras etnias, tornando a cidade multétnica e multicultural.

A cidade está precisamente localizada na linha do Equador, sendo amplamente conhecida como "Kota Khatulistiwa" ("Cidade Equatorial", em português). A foto é referente ao monumento erguido para simbolizar a passagem dessa linha imaginária.
A cidade acabou sendo construída em um terreno predominantemente pantanoso, o que resulta em inundações periódicas do principal rio que corta a cidade. Ela tinha tudo para ser uma cidade como qualquer outra, se não fosse, é claro, uma lenda que gira em torno de sua origem. O nome "Pontianak" faz referência a uma história sobre fantasmas, que os moradores de Kalimantan Ocidental também se referem como "kuntilanak".

Acredita-se que a localidade, no passado, fosse uma espécie de "covil de fantasmas" até que o sultão e seu exército lutaram e expulsaram os fantasmas que os tinham atacado. Ele então construiu uma mesquita e um palácio exatamente onde havia esse "covil", se estabelecendo permanentemente no local. Tanto a mesquita, quanto o palácio, se tornaram as primeiras edificações da cidade de Pontianak.

Então o sultão construiu uma mesquita (na foto) e um palácio exatamente onde havia esse "covil", se estabelecendo permanentemente no local. Tanto a mesquita, quanto o palácio, se tornaram as primeiras edificações da cidade de Pontianak
Vale ressaltar nesse ponto que o "pontianak" ou "kuntilanak" é considerado um "fantasma vampírico feminino" na mitologia malaia e indonésia. São considerados espíritos de mulheres que morreram durante a gravidez, muito embora os primeiros registros sobre "pontianaks", na tradição malaia, descrevem a origem do fantasma a partir de uma criança natimorta (um bebê que entrou em óbito ainda no útero materno ou durante seu nascimento).

Alguns dizem que a palavra "pontianak" é uma corrupção de uma expressão em malaio chamada "perempuan mati beranak" (mulher que morreu durante o parto), porém outros acreditam que a palavra seja uma combinação de puan (mulher) + mati (morrer) + anak (criança). O termo "matianak" significa "morte de uma criança".

Vale ressaltar nesse ponto que o "pontianak" ou "kuntilanak" é um "fantasma vampírico feminino" na mitologia malaia e indonésia. São considerados espíritos de mulheres que morreram durante a gravidez, muito embora os primeiros registros sobre "pontianaks", na tradição malaia, descrevem a origem do fantasma a partir de uma criança natimorta.
Essas entidades chamadas "pontianaks" geralmente são retratadas como mulheres de pele pálida, com cabelo preto e longo, olhos avermelhados, e um vestido branco manchado de sangue, contudo dizem que são capazes de assumir uma bela aparência humana, uma vez que atacam principalmente homens e pessoas indefesas. No folclore popular, um "pontianak" costuma anunciar sua presença através dos gritos agudos de um bebê. Se o grito for suave, significa que o "pontianak" está longe, se for alto, então deve estar por perto. Alguns acreditam que se você ouvir um cão uivando à noite, isso significa que o "pontianak" está longe, mas se um cão estiver gemendo, isso significa que está nas proximidades.

Um "pontianak" mata suas vítimas cravando suas unhas afiadas em seu estômago, e devora seus órgãos internos. Dizem que se você mantiver os olhos abertos enquanto um pontianak estiver próximo, o mesmo sugará seus olhos. Para completar, também dizem que um "pontianak" localiza suas vítimas pelo cheiro de suas roupas, que ficam penduradas no varal. É justamente por essa razão, que alguns malaios se recusam a deixar qualquer peça de roupa no lado de fora de suas casas durante a noite.

Um "pontianak" mata suas vítimas cravando suas unhas afiadas em seu estômago, e devora seus órgãos internos. Dizem que se você mantiver os olhos abertos enquanto um pontianak estiver próximo, o mesmo sugará seus olhos
Na Indonésia, o "pontianak" é mais conhecido como "kuntilanak". Ambos são bem parecidos, mas no caso do "kuntilanak" o mesmo geralmente toma a forma de um pássaro, e suga o sangue de virgens e mulheres jovens. O pássaro além de emitir um som característico enquanto voa, também poderia "ser enviado" através de alguma "magia negra" para fazer uma mulher adoecer. Um sintoma característico seria um sangramento vaginal.

Quanta história e quanta lenda, não é mesmo? Curiosamente, o "pontianak" ou "kuntilanak" lembram muito a lenda hispanoamericana relacionada a "La Llorona".  De acordo com a tradição, "La Llorona" é o fantasma de uma mulher que perdeu seus filhos e chora ao olhar para eles diante de um rio, muitas vezes causando infelicidade a quem ouví-la. Em algumas versões da lenda dizem que "La Llorona" sequestra crianças que se pareçam com seus filhos, e os afoga em algum córrego. No México, é dito que ela aparece em lagos e rios durante as madrugadas e seu choro pode ser ouvido a uma distância considerável.

Na Indonésia, o "pontianak" é mais conhecido como "kuntilanak". Ambos são bem parecidos, mas no caso do "kuntilanak" o mesmo geralmente toma a forma de um pássaro, e suga o sangue de virgens e mulheres jovens
Confira também alguns casos que postamos anteriormente, e que tinha alguma ligação com "pontianaks":
Agora que vocês conhecem um pouco mais sobre a cidade de Pontianak, a lenda relacionada a origem do seu nome, e até mesmo sobre a entidade sobrenatural, de mesmo nome, pertencente a mitologia da Malásia e da Indonésia, chegou a hora de entender a polêmica sobre a eventual construção dessa peculiar estátua.

Entenda o Caso: A Polêmica Intenção de Construir uma Estátua com 100 Metros de Altura de uma "Entidade Sobrenatural" na Indonésia


Aparentemente, a polêmica intenção de construir uma estátua com 100 metros de altura de um "fantasma vampírico" na cidade de Pontianak, na Indonésia, surgiu no início do mês passado. De acordo com o site do jornal Jawa Pos, em uma notícia publicada no dia 14 de janeiro, o governo provincial de Kalimantan Ocidental, através da Secretaria da Juventude, dos Desportos e do Turismo, começou a divulgar a intenção de construir um monumento ou uma espécie de memorial ao "kuntilanak", na cidade de Pontianak.

"O discurso sobre a criação de um monumento a 'kuntilanak' realizado pelo governo provincial de Kalimantan Ocidental é legítimo. Por enquanto são apenas meras sugestões. Porém, particularmente não concordo caso a estátua seja construída", disse Bebby Nailufa, membro do conselho municipal da cidade de Pontianak, no dia anterior (13).

"Devemos pensar com cuidado, porque não queremos que após a construção da estátua, a mesma traga mais desvantagens do que benefícios. Se você quer tão somente atrair turistas, existem muitas outras ideias nesse sentido. Não há necessidade de construir uma estátua sobre 'kuntilanak'", continuou.

"O discurso sobre a criação de um monumento a 'kuntilanak' realizado pelo governo provincial de Kalimantan Ocidental é legítimo. Por enquanto são apenas meras sugestões. Porém, particularmente não concordo caso a estátua seja construída", disse Bebby Nailufa (na foto), membro do conselho municipal da cidade de Pontianak
Para Bebby Nailufa, o dinheiro seria melhor aplicado se fosse utilizado para realizar melhorias nos atuais pontos turísticos da cidade, tais como o palácio, o monumento ao rio Kapuas, o monumento relacionado a linha do Equador, e uma série de outros locais. Ela ainda ressaltou, que insistissem nessa ideia, deveriam criar uma estátua que expressasse ou fosse orientada a coisas boas, não a uma entidade considerada maligna.

Curiosamente, essa ideia sobre construir uma estátua, essencialmente simbolizando um "fantasma", veio a partir de um homem chamado Kartius Kalbar, logo após ele assumir a Secretaria da Juventude, dos Desportos e do Turismo de Kalimantan Ocidental. Segundo declarações concedidas por ele a jornalistas, locais como Pontianak não tinham nada de interessante, e não causavam uma boa impressão para que os turistas retornassem.

Curiosamente, essa ideia sobre construir uma estátua, essencialmente simbolizando um "fantasma", veio a partir de um homem chamado Kartius Kalbar (na foto), logo após ele assumir a Secretaria da Juventude, dos Desportos e do Turismo de Kalimantan Ocidental.
Cerca de quatro dias depois, no dia 17 de janeiro, Kartius voltou a dar declarações para a imprensa local. De acordo com o site de notícias BeritaSatu, havia o planejamento de construir uma estátua com 100 metros de altura, justamente em Pontianak.

"Todos nós sabemos que as regiões ou países, que dependem do turismo como forma de melhorar a economia, precisam desenvolver esse setor. Além disso, a renda per capita das pessoas também aumenta significativamente", disse Kartius. Ainda de acordo com ele, haveria a necessidade de construir um destino turístico que tivesse seu "próprio charme", ou seja, algo que fosse diferente de outras regiões e que não existisse em outros lugares do mundo.

Notícia publicada em um jornal local de Pontianak sobre as intenções de Kartius Kalbar
Kartius mencionou que a ideia apresentada ao público atraiu críticas de diversos partidos, mas que alguns estavam de acordo. Além disso, caso a estátua fosse realmente construída, os turistas poderiam ter uma vista panorâmica de toda a cidade. Isso também aumentaria a quantidade de postos de trabalho (diretos e indiretos) em toda a região.

Confira também uma das inúmeras reportagens, que foram exibidas por emissoras de TV na Indonésia, a respeito dessa história e contendo, é claro, as declarações de Kartius (em bahasa indonésio):



O site de notícias Redaksi chegou a publicar que o prefeito da cidade de Pontianak, H. Sutarmidji, estava desconversando sobre toda essa história, não deixando claro se estava contra ou a favor do projeto. Já Firdaus Zar'in, vice-presidente do conselho municipal, sugeriu que lideranças históricas da cidade ou membros das famílias fundadoras da mesma deveriam ser consultados antes de qualquer decisão.

Ainda foi mencionado que Kartius não estava preocupado se havia ou não a rejeição por parte de alguns partidos ou até mesmo se houvesse a recusa por parte do prefeito da cidade. Ele estava determinado a seguir com seu plano.

O site de notícias Redaksi chegou a publicar que o prefeito da cidade de Pontianak, H. Sutarmidji (na foto), estava desconversando sobre toda essa história, não deixando claro se estava contra ou a favor do projeto
Em uma outra notícia publicada no dia 19 de janeiro, pelo site de notícias Brilio.net, foi mencionado que a absoluta maioria da população não concordava com a proposta de Kartius, visto que "kuntilanak" era uma entidade considerada assustadora e ruim para a sociedade. Foi novamente repetido que ele estava determinado a seguir com sua ideia de construir um monumento a "kuntilanak", às margens do rio Kapus, e bem próximo da principal ponte da cidade, conhecida como "Jembatan Kapuas I".

Kartius estava determinado a seguir com sua ideia de construir um monumento a "kuntilanak", às margens do rio Kapus, e bem próximo da principal ponte da cidade, conhecida como "Jembatan Kapuas I" (na foto)
Diante de toda a repercussão negativa sobre esse caso, a autoridade do prefeito da cidade estava sendo totalmente questionada. Assim sendo, em uma coletiva de imprensa realizada na quarta-feira retrasada (dia 1º de fevereiro), ele se posicionou oficialmente a respeito dessa história. Ele disse que não havia mais nenhuma confusão a respeito da eventual construção desse monumento, visto que ele não iria permitir isso. Talvez, a principal razão para essa declaração, é que segundo um levantamento realizado pela prefeitura, cerca de 98% da população de Pontianak era contra o projeto, que já estava criando "instabilidades sociais".
Uma das diversas imagens que foram divulgadas por usuários nas redes sociais, que ironizavam e até mesmo projetavam como seria uma estátua de "kuntilanak" caso a mesma fosse realmente construída na cidade

Uma outra imagem mostrando como seria a aparência a e dimensão de uma estátua de "kuntilanak"
caso a mesma fosse construída na cidade de Pontianak
H. Sutarmidji sugeriu que se Kartius continuasse com essa ideia em mente, que procurasse outro lugar para construir a estátua. Ele também esperava que sua atitude fosse compreendida e de certa forma considerada pelo governo provincial de Kalimantan Ocidental.

Ontem (9), o site do jornal "The Jakarta Post" publicou uma notícia sobre toda essa história, sendo que a mesma contava com algumas declarações do próprio Kartius, assim como alguns desdobramentos.

"As pessoas dizem que sou pagão, um superticioso antiquado. Aqueles que me chamam de antiquado é que são antiquados, porque nunca viajaram para o exterior. O Merlion atraiu turistas e visitantes para Cingapura, até mesmo quem já tinha visitado retornou para ver a estátua da mítica criatura metade leão e metade peixe. O mesmo vale para as estátuas de gato de Kuching", disse Kartius.

As famosas estátuas de gato da cidade de Kuching, na Malásia

Em Cingapura existe o "Parque Merlion", que é considerada a casa do próprio "Merlion" (na foto), um símbolo turístico de Cingapura, que consiste em uma figura mitológica "metade leão" e "metade peixe", como se fosse uma espécie de "sereia felina"
"Nunca vi um kuntilanak, então se você não tem ideia de como fazer a estátua, olhe para o meu rosto. Tudo bem, você pode me chamar de louco, estou tranquilo em relação isso", sorriu Kartius ao ser questionado sobre a estátua de 100 metros de altura. Segundo ele, essa altura seria para permitir que os visitantes tivessem uma boa visão da cidade.

Contudo, não demorou muito tempo para sugir um movimento contra a intenção de construir essa estátua.

Comparativo realizado pelo jornal "The Jakarta Post" mostrando a altura do eventual monumento
Um grupo chamado "Movimento dos Moradores que Rejeitam a Estátua do Fantasma" (conhecido como "Gema Topan") foi até o conselho do governo provincial de Kalimantan Ocidental para protestar contra a ideia no fim do mês passado. Cinco representantes do "Gema Topan" foram recebidos por um oficial do conselho provincial, chamado Irwan Suhandar, que disse que o conselho ainda não havia recebido nenhuma informação oficial sobre o assunto, ou seja, era apenas uma "ideia".

O próprio Kartius chegou a mencionar que ele não veria "os frutos de sua ideia", visto que ele vai se aposentar no ano que vem. Porém, ele disse ter conversado com autoridades do Ministério de Obras e da Habitação Pública, que disseram que o governo central ajudaria com a alocação de fundos especiais caso o governo de Pontianak decidisse construir a estátua. Ainda de acordo com Kartius, o setor privado também tinha se oferecido para encontrar investidores.

Sinceramente, acredito que Kartius Kalbar é no mínimo excêntrico, para não dizer outra coisa. Evidentemente, criar uma estátua ou um monumento que não exista em outra parte do mundo para atrair turistas, ainda mais se baseando em uma lenda local, seria uma boa ideia. Agora, construir uma estátua de 100 metros de altura para retratar um "fantasma", que aterroriza a mente e o cotidiano das pessoas, soa um pouco estranho, não acham? Parece aquelas obras que são considerados verdadeiros "elefantes brancos", que não servem para nada, exceto permitir que políticos ou autoridades públicas desonestas desviem verbas em causa própria. Para ter uma maior noção da realidade, basta imaginar uma estátua "Cumadre Fulozinha" e "Desgraça" com uma altura equivalente a um prédio de 30 andares! Enfim, e vocês, o que vocês acham de toda essa história? E se fosse na cidade onde moram, vocês aceitariam a construção de algo assim?

Até a próxima, AssombradOs!

Criação/Tradução/Adaptação: Marco Faustino

Fontes:
http://kalbar.prokal.co/read/news/732-kata-wali-kota-98-persen-warga-pontianak-menentang-tugu-kuntilanak.html
http://mashable.com/2017/02/10/pontianak-haunting-statue-indonesia/#dcytfyfxJiqD
http://redaksi.co.id/98440/wali-kota-tak-mau-dengar-cerita-kuntilanak.html
http://www.beritasatu.com/nasional/409859-monumen-kuntilanak-akan-dibangun-di-pontianak.html
http://www.jawapos.com/read/2017/01/15/102340/heboh-pemda-ingin-bangun-monumen-kuntilanak-alasannya
http://www.straitstimes.com/asia/se-asia/pontianak-officials-idea-scares-residents
http://www.thejakartapost.com/news/2017/02/09/if-singapore-has-a-lion-why-should-pontianak-not-have-a-ghost.html
https://en.wikipedia.org/wiki/Pontianak,_Indonesia
https://en.wikipedia.org/wiki/Pontianak_(folklore)
https://nurmiwinner.wordpress.com/2014/06/03/history-of-pontianak/
https://www.brilio.net/duh/heboh-pontianak-mau-bikin-patung-kuntilanak-setinggi-100-meter-170119g.html
Comentários