13 de janeiro de 2017

Historias Assombradas: Doppelganger no Galinheiro (#564)

Oi, sou F., sou de Águas da Prata -SP e vou contar um relato que aconteceu com a minha mãe, há uns 25 anos por aí.

Minha mãe morava em Caldas-MG, em um pequeno bairro da região. Só que esse bairro, antigamente era super violento, pois as pessoas xingavam muito, e as vezes, até matavam. E por isso, minha mãe conta que desde  pequena sempre via coisas inexplicáveis (sobrenaturais). Mas essa foi uma das piores que ela já viu.

Certa noite, a prima da minha mãe, chamou-a para ir roubar galinhas do vizinho (naquela época se fazia muito isso, pois as condições eram difíceis) e minha mãe aceitou. Só que esse tal galinheiro ficava em um terreno vizinho quase sem iluminação. Ela conta também que o galinheiro era bem alto, e as galinhas ficavam na parte de cima. A frente do galinheiro era aberta e havia apenas uma escadinha bem atrás onde se subia para pegar as galinhas. Sendo assim, a prima da minha mãe disse:

- Fica aqui em baixo que eu subo e taco as galinhas pra você colocar no saco...

Minha mãe concordou e esperou ela subir. Depois que ela subiu, passado uns 10 segundos, minha mãe viu um pouco mais a frente dela a prima dela de pé, olhando para a cara dela. Minha mãe estranhou e perguntou:

- Ué, mais você não subiu pra pegar as galinhas?

E ela não respondeu.

Então minha mãe olhou para cima do galinheiro, e viu a prima dela pegando as galinhas. Ela entrou em choque, o sangue subiu pela cabeça, já que ela não conseguiu gritar. Haviam duas primas! E enquanto a prima dela estava em cima pegando as galinhas, a outra estava em baixo olhando pra minha mãe, e ainda se mexia. Então a prima da minha mãe desceu e viu também. Ela ficou tão assustada que pegou a mão da minha mãe (que estava paralisada), mandou ela mãe fechar os olhos e não olhar pra trás, e saíram dali correndo, deixando as galinhas para trás. Assim, que as duas chegaram a um lugar mais iluminado, elas se olharam e só falaram:

- “Você viu?” Minha mãe disse.. A prima dela balançou a cabeça e disse: - “Aham”.

Desde então não tocaram mais no assunto, mas minha mãe disse que foi uma das experiências mais assustadoras que ela teve. E que até hoje ela confirma que não foi a imaginação.

Comentários