4 de janeiro de 2017

A Estranha "Mão de Três Dedos" e os "Seres Alienígenas" Supostamente Encontrados no Peru: Gigantes, Extraterrestres ou uma Grande Farsa? (Atualizado 25/04)

Inscreva-se no canal clicando no botão abaixo:
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes

Por Marco Faustino

Um dos assuntos que particularmente adoro trazer para vocês é sobre "pseudoarqueologia", ou seja, a arqueologia pseudocientífica. Também acho interessante mostrar e destrinchar casos envolvendo descobertas fantásticas, em que há toda uma teatralização para tentar demonstrar que um objeto, um crânio, um esqueleto (ou alguns ossos), entre outros seriam de "seres extraterrestres" ou até mesmo de "gigantes". A absoluta maioria desses casos invariavelmente falham em apresentar provas minimamente decentes a respeito das alegações, obviamente sem o menor critério científico. É extremamente raro, para não dizer que é praticamente inexistente, aparecer um caso que apresente análises de laboratórios renomados, laudos assinados por cientistas de reputação ilibada e com boas credenciais, envolvimento de institutos de Arqueologia ou então que sejam apresentados por verdadeiros arqueólogos ou antropólogos. Nesse ponto é muito importante dizer, que muitas pessoas infelizmente acreditam cegamente em títulos embaixo de nomes em documentários e séries de TV. Quando isso não acontece, basta citar em um vídeo ou uma notícia, que existem declarações "reveladoras" de "ex-astrounautas da NASA", "ex-militares" ou então mencionar de forma genérica nomes de supostos pesquisadores e cientistas, sem pesquisar quem de fato são essas pessoas, seus estudos, onde os mesmos foram publicados e uma série de outros questionamentos que são deliberadamente deixados de lado. Questionamentos são fundamentais, mentiras para ganhar dinheiro às custas da ingeniudade e crença das outras pessoas não.

Quer um exemplo claro do que estou dizendo? Entre julho e agosto do ano passado tinha começado a circular uma história sobre a descoberta de um "esqueleto de uma fada", no México. Lembram desse caso? Na época, mais precisamente no dia 20 de julho, tinha sido publicado um vídeo no Youtube de aproximadamente nove minutos e meio (o vídeo foi posteriormente deletado, mas você pode assistir uma cópia dele aqui), no qual o "esqueleto da fada" teria passado por um exame radiológico onde mostraria "uma semelhança com um ser humano", e até mesmo um "teste de DNA" teria apontado uma compatibilidade de 98,5%, contudo não se assemelhava a nenhuma espécie de mamífero conhecida. O vídeo tinha sido publicado por um homem chamado L.A. Marzulli, e o exemplar mostrado no mesmo pertencia ao Jaime Maussan, "carinhosamente apelidado" por um site como "um dos mais proeminentes pesquisadores latino-americanos a respeito de OVNIs". Assim sendo, realizei uma ampla pesquisa e destrinchei todos os elementos apresentados no vídeo, as pessoas que estavam envolvidas na história, e muitos outros detalhes para apontar que todos os indícios apontavam para uma farsa. Depois de ser amplamemente pressionado por outros sites que apontavam nesse mesmo sentido, L.A Marzulli admitiu no dia 16 de setembro, que a criatura nada mais era do que uma composição de partes de animais, cola e madeira. Os misteriosos "pontos" brancos no exame de raio-X eram simplesmente "pinos" utilizados na taxidermia. Resumindo, foi um verdadeiro fiasco (leia mais: Será Mesmo que o "Esqueleto de uma Fada" Foi Encontrado à Beira de uma Rodovia por um Garoto de 13 anos, no México?).

Existem muitos outros casos publicados no ano passado sobre moedas supostamente alienígenas, um artefato de alumínio supostamente de milhares de anos, a esfera "misteriosa" da Bósnia etc. Até mesmo houve um emblemático caso sobre o "humanoide de Pachacamac" onde aconteceu todo um frenesi, entrevistas de testemunhas em programas de TV que estiveram a poucos metros de distância do suposto humanoide, para então, no final das contas, ser provado que não passava de um mero balão de hélio do Pernalonga. Um complexo vexame por parte dos supostos pesquisadores, que bradaram que estavam diante de algo inexplicável, e que na verdade era extremamente banal (leia mais: Conheça Toda a Verdade Sobre o Suposto "Humanoide" que Foi Filmado em um Posto de Gasolina, em Pachacamac, no Peru). Enfim, talvez o primeiro caso desse ano, e justamente nesse aspecto, seja a estranha "mão de três dedos" e supostas "múmias alienígenas mumificadas", que teriam sido supostamente encontradas no Peru. Apesar do caso não estar sendo amplamente divulgado na mídia, rapidamente começaram a surgir hipóteses sobre seres extraterrestres e eventuais "gigantes". Assim sendo, resolvemos ir atrás dessa história para contar mais detalhes para vocês, e proporcionar o melhor conteúdo em língua portuguesa sobre esse caso. Vamos saber mais sobre esse assunto?

Como Toda Essa História Começou: O "Humanoide de Tacna"


Antes que você leia esse assunto em outro lugar e acredite que ele seja totalmente fascinante, é necessário que você conheça a origem de toda essa história. Normalmente, ninguém gosta de se aprofundar sobre determinados assuntos ou se sentem inibidos por terem amizades nessa área, mas como não possuo nenhuma, e estou acostumado a pesquisar seriamente (ao contrário do que se nota por aí), me sinto extramemente à vontade para informá-los da forma mais correta possível.

Toda essa história começou através de um canal do YouTube chamado "krawix999", que foi criado em agosto de ano passado, por uma pessoa que até hoje não sabemos sua real identidade. Sim, exatamente isso que você leu. Ninguém sabe o nome verdadeiro, onde essa pessoa realmente mora, sua profissão, entre outros detalhes. Inicialmente, essa pessoa apareceu em uma reportagem do noticiário "El Matutino" da CTC (Compañía de Televisión Cusqueña), uma emissora de TV de Cusco, no Peru. O motivo? Bem, naquela ocasião ele foi apresentar um "estranho ser" que poderia ser "a prova da presença alienígena" na Terra. Então, essa pessoa, que foi entrevistada sem mostrar seu rosto e de costas para a câmera mostrou o que seria o corpo de humanoide com cerca de 21 cm de comprimento, em uma área desértica do departamento de Tacna, no extremo sul do Peru, bem próximo da cidade de Arica, no Chile.

Confira a reportagem abaixo, que foi exibida pela CTC, no dia 6 outubro do ano passado, e que foi justamente o primeiro vídeo publicado pelo usuário "krawix999", em sua conta no YouTube (em espanhol):



O entrevistado menciona que o "estranho ser" teria uma morfologia muito parecida com o que vemos em um ser humano, com a diferença da cabeça ser alargada e cônica, e possuir 3 dedos nas mãos e nos pés. O repórter inclusive nota que a "criatura" seria do tamanho do microfone, e que os orgãos internos teriam sido retirados para evitar a decomposição do corpo. O entrevistado chegou a mencionar que o corpo estaria mumificado, e que teria de quatro ou cinco costelas.

Aparentemente, esse indivíduo entrou em contato com a mídia para pedir ajuda para investigar a suposta "criatura alienígena", mas a única forma de contato com ele seria através de sua conta de email. Na parte final do vídeo, já na bancada do noticiário, os apresentadores fizeram questão de mencionar que a reportagem havia sido realizada sem rigor científico, e que o material era apenas de caráter informativo (bela salvaguarda, não é mesmo?). Confira mais algumas imagens dessa suposta "criatura", que foram divulgadas algumas semanas após essa reportagem:

Algumas imagens dessa suposta "criatura",
que foram divulgadas algumas semanas após essa reportagem
Além disso, também foi publicada uma notícia muito interessante, e com um tom bem mais "estusiasmado", no site do "Diario Matutino", que nos revelava maiores detalhes sobre essa pessoa e sua suposta "criatura". Vamos traduzí-la na íntegra para vocês (acrescentaremos algumas fotos adicionais para que o texto não fique tão entediante, e deixaremos em negrito as partes mais relevantes):

"Dentro de uma pequena caixa de papelão e uma sacola plástica, um cidadão cusquenho, aficcionado pela investigação relacionada a seres alienígenas ou extraterrestres, e que prefere manter sua identidade em sigilo, pedindo para chamá-lo apenas de Paul e afirmando ser escritor, carrega o corpo de um estranho ser que mede apenas 21 centímetros, com a pele acinzentada, com a cabeça, tronco, extremidades e aparência do que o imaginário popular considera como extraterrestre. Porém, não é não é nenhuma escultura, nem modelagem, porque ao tocá-lo é possível sentir a textura da pele, demonstrando que se trataria de um ser vivo dissecado. Um extraterrestre? Um ser de outro mundo?

Dentro de uma pequena caixa de papelão e um saco plástico, um cidadão cusquenho, aficcionado pela investigação relacionada a seres alienígenas ou extraterrestres, e que prefere manter sua identidade em sigilo, pedindo para chamá-lo apenas de Paul e afirmando ser escritor, carregava o corpo de um estranho ser que mede apenas 21 centímetros
Para o seu proprietário, o Paul, se trata de um alienígena e o mesmo apenas aguarda ter recursos financeiros para submetê-lo a diversos testes científicos, tais como ressonância magnética ou teste de DNA, por exemplo. Apesar de esconder sua identidade, ele não se importa em divulgar seu endereço de email para que as pessoas que gostem desses temas possam entrar em contato e, quem sabe, fornecer algum tipo de apoio para poder continuar investigando a origem desse estranho ser.

'Ele foi encontrado por um cidadão que passava por uma região desértica de Tacna, próximo de Arica - parte do deserto do Atacama - e o encontrou próximo ao solo', disse Paul. A pessoa entrou em contato com ele, e conhecendo seu interesse no estudo de vida extraterrestre, lhe entregou o estranho ser.

Imagem do Google Maps mostrando a região aproximada onde a suposta criatura teria sido encontrada
'Tem a morfologia humana, porém tem três dedos em cada mão e em cada pé. O restante se assemelha a um ser humano com pernas, braços e cabeça, sendo que esta é alargada e cônica, nunca vim um ser igual, o tamanho é muito pequeno. Em 2003 foi encontrado um no Chile, que media 16 centímetros, mas tinha uma morfologia diferente', continuou. Paul estava convencido de que aquela era a prova da existência de vida em outros planetas.

'Com isso se confirmaria a existência de vida em outros mundos, não há porque negar por mais tempo. Já nos visitaram antes e poderiam estar agora entre nós, assim é a evolução. Se o ser humano chegou até a Lua, onde chegará em mil anos?', acrescentou. Ele mencionou que o corpo parecia estar mumificado e os orgãos internos deveriam ter sido removidos para evitar a decomposição. Segundo Paul, o estranho ser tinha costelas planas, como peixes ou rãs, e ele havia contado quatro ou cinco costelas, além da coluna vertebral.

"Tem a morfologia humana, porém tem três dedos em cada mão e em cada pé. O restante se assemelha a um ser humano com pernas, braços e cabeça, sendo que esta é alargada e cônica. Nunca vim um ser igual, o tamanho é muito pequeno", disse o homem supostamente chamado Paul.
'Meu interesse é científico, e que se mostre a verdade ao mundo, de que a vida é abundante no Universo, e essa é uma prova contundente', finalizou.

Quando alguém vê a pequena criatura surge uma interrogação, mas é possível esclarecê-la realizando diversos estudos. Nesse artigo não afirmamos nada, só oferecemos aos leitores um material informativo, que poderia ser um furo jornalístico ou então uma grande farsa."

Até aquele momento, como vocês podem perceber, tínhamos a clássica história: alguém encontrou em algum lugar e entregou para alguém. Resumindo, não tinha data, local exato, nome das pessoas envolvidas ou nenhuma instituição renomada de cunho arqueológico envolvida. Porém, o "Paul" parecia ser bem ativo em responder comentários em seus vídeos. Para vocês terem uma ideia, naquele vídeo publicado em 8 de outubro ele mencionou nos comentários, que a criatura estava bem conservada em Cusco, cidade onde ele continuava dizendo que morava, mas desconversou quando foi questionado sobre o motivo de esconder o rosto.

Após alguns dias, o "Paul", que aparentemente não tinha recursos para nenhum teste laboratorial, comentou que tinha sido realizado um exame de raios-X, que entre outras coisas, comprovava que a criatura era alienígena. Confira o vídeo publicado pelo "Paul", no dia 18 de outubro do ano passado, em sua própria conta no YouTube, onde ele mostra mais detalhes do "estranho ser" com sua câmera (em espanhol e inglês):



No vídeo acima não há praticamente nenhuma fala. Inicialmente, vemos tão somente uma espécie de comparativo entre o esqueleto humano e a suposta "criatura". Em seguida, nos deparamos com o que parece ser uma chapa de raios-X bem pequena mostrando o que seria a "estrutura óssea" desse "estranho ser". Na metade do vídeo em diante, o "Paul" aproxima a câmera para mostrar mais detalhes do que ele, após um único exame radiológico, considera como um "ser alienígena".

A parte mais curiosa, no entanto, é justamente a parte final. O "Paul" menciona que "esses seres, de diferentes raças e espécies, povoaram toda a costa desértica da América do Sul, desde o norte do Peru até o Chile, e talvez outras regiões." Ainda segundo "Paul", eles vieram do "Planeta Amarelo, um planeta muito antigo, de uma época chamada 'A Era dos Céus Abertos'". Obviamente, ele não forneceu mais nenhum outro exame sobre a "criatura", nenhum arqueólogo ou especialista renomado foi consultado, mas ainda assim essa pessoa acreditava fielmente, que possuía uma evidência cabal e definitiva em relação a eventuais seres extraterrestres em nosso planeta.

Como se tudo isso não bastasse, ao responder um dos comentários nesse mesmo vídeo, "Paul" mencionou que mais "seres" tinham sido encontrados, mas não chegou a especificar quais teriam sido.

Surgem Quatro Novas Pessoas e um "Pequeno Crânio" Além do "Humanoide de Tacna"


Em algum momento da linha do tempo, entre meados de outubro e meados de novembro do ano passado, o "Paul" conheceu quatro novas pessoas, que passariam a divulgar essa história, assim como mais um ilustre convidado: uma espécie de "pequeno crânio", um pouco maior em relação ao humanoide. Assim sendo, no dia 16 de novembro, o "Paul" publicou um outro vídeo no YouTube, de um encontro muito provavelmente promovido pelo "ufólogo" Dante Rios Tambini, com três outras pessoas: Thierry Jamin, Brien Foerster e Edward Valenzuela Gil. Acredito que a maioria de vocês não deve conhecer nenhuma dessas pessoas, portanto vamos fazer um pequeno desvio para as devidas apresentações.

Dante Rios Tambini


De acordo com seu site oficial, Dante se autointitula como palestrante e motivador espiritual com mais de 30 anos de experiência em esoterismo, metafísica e investigação do fenômeno OVNI. Dante também menciona que é especializado em terapia regressiva, terapia familiar, mediunidade, cura astral e energética-espiritual, leitura de tarô e aromaterapia.

De acordo com seu site oficial, Dante se autointitula como palestrante e motivador espiritual com mais de 30 anos de experiência em esoterismo, metafísica e investigação do fenômeno OVNI
Ele é diretor e fundador do Centro de Consciência Universal Cósmica de Lima, e além disso escreve sobre esse temas. Esse é um ponto interessante, porque consta apenas um livro chamado "Dioses y Ángeles - Misión genética" ("Deuses e Anjos - Missão Genética", em português), no qual ele questiona se os seres humanos são experimentos genéticos de outros mundos. Aliás, Dante acredita, por exemplo, que existe pirâmides na Antártida, utilizando imagens que já foram amplamente desmentidas no passado.

E o que ele faz para viver? Bem, ele menciona que é administrador de empresas e especialista em marketing. Enfim, essas são as credenciais do mediador do encontro, que deveria ter cunho arqueológico, mas pelo visto isso é o que menos importa nesse caso.

Thierry Jamin


O homem identificado como Thierry Jamin é um pesquisador e explorador francês, que mora em Cusco, no Peru, conhecido por suas "pesquisas", desde 1998, em busca da lendária cidade de ouro do povo Inca, que estaria supostamente escondida em algum lugar remoto das florestas tropicais do sudeste do Peru, norte da Bolívia e sudoeste do Brasil. A cidade perdida teria um nome: Paititi.

O homem identificado como Thierry Jamin é um pesquisador e explorador francês, que mora em Cusco, no Peru, conhecido por suas "pesquisas", desde 1998, em busca da lendária cidade de ouro do povo Inca: Paititi
Ao longo dos anos, muitos exploradores, caçadores de tesouros e arqueólogos têm ido em busca da lendária cidade de ouro, mas encontrar este lugar misterioso está longe de ser algo fácil, pois a selva amazônica pode ser um lugar perigoso e inóspito. Tráfico de cocaína, extração ilegal de madeira e mineração também são abundantes nessa parte do Peru, e muitos exploradores que se aventuram nessa região, acabam sumindo no local e nunca mais ouvimos falar deles. Essa é a razão pela qual muitas pessoas morrem a procura de saber mais sobre Paititi.

Ao longo dos anos, muitos exploradores, caçadores de tesouros e arqueólogos têm ido em busca da lendária cidade de ouro, mas encontrar este lugar misterioso está longe de ser algo fácil, pois a selva amazônica pode ser um lugar perigoso e inóspito
De acordo com uma lenda, Paititi foi construída pelo herói Inca Inkarri, que fundou a cidade de Cusco, antes de se retirar e ir para a floresta, logo depois da chegada os conquistadores espanhóis. Quando os espanhóis entraram em Cusco, eles saquearam ouro e prata, mas eles só encontraram uma "pequena parte" do que supostamente existia. O "verdadeiro tesouro", em ouro, nunca foi encontrado. Como vocês podem imaginar, apesar de ser um assunto muito interessante, e quem sabe eu aborde um dia, nunca ninguém encontrou essa cidade.

Além disso, Thierry Jamin fundou uma ONG no Peru, juntamente com seus colaboradores e parceiros, chamada Instituto Inka of Investigación and Revaloración Indígena - Cusco, ou simplesmente "Instituto Inkari - Cusco". Segundo o site oficial, a principal missão da mesma é promover, impulsionar e realizar programas de pequisa científica de caratér arqueológico e antropológico no território nacional peruano. O foco da pesquisa é o estudo da presença permanente de civilizações inca e pré-inca na floresta Amazônica, e a busca de seu principal centro de ocupação e expansão. Parece interessante, mas só tem um pequeno problema: Thierry não é arqueólogo e nem mesmo antropólogo, é apenas um explorador (calma, daqui a pouco vamos chegar nesse ponto).

Além disso, Thierry Jamin fundou uma ONG no Peru, juntamente com seus colaboradores e parceiros, chamada Instituto Inka of Investigación and Revaloración Indígena - Cusco, ou simplesmente "Instituto Inkari - Cusco"
Entre os anos de 2011 e 2013, Thierry Jamin arrumou uma grande confusão com o governo peruano. Depois de ter sido convencido por um engenheiro francês chamado "David Crespy", de que havia uma espécie de "porta secreta" em uma das principais construções existentes de Machu Picchuum dos mais importantes "centros urbanos" da antiga civilização Inca, o Instituto Inkari encaminhou um projeto de "ressônancia eletromagnética" (é exatamente esse o termo), no dia 19 de dezembro de 2011, ao Ministério da Cultura do Peru, sendo que o mesmo teria sido aprovado no dia 22 de março do ano seguinte.

Segundo um artigo publicado no início de 2013, no site de notícias Rumbos del Peru, a descoberta dessa "porta secreta" foi no mínimo inusitada. Aparentemente, o engenheiro David Crespy ficou preso em Aguas Calientes devido a um deslizamento de terra, e não conseguiu voltar para Cusco. Assim sendo, ele teve todo o tempo do mundo para explorar todos os cantos de Machu Picchu. Em um desses passeios ele se deparou com um muro (ou parede, como queiram), no qual havia uma espécie de abertura na parte central. Ele imediatamente acreditou que fosse uma porta, sendo que alguns turistas ou pessoas "iluminadas" (dependendo do seu ponto de vista), tinham escrito em uma pedra acima do local a palavra "tesoro" (tesouro, em português) e desenharam uma seta apontando para a mesma.

Em um desses passeios David Crespy se deparou com um muro (ou parede, como queiram),
no qual havia uma espécie de abertura na parte central
David Crespy disse que entrou em contato com arqueólogos locais, e mesmo após retornar para a Europa, mais precisamente para a cidade de Barcelona, na Espanha, não recebeu quaisquer respostas. Após um ano, quando estava prestes a desistir, ele se deparou um artigo na revista "Le Figaro" sobre Thierry Jamin. David entrou em contato com o explorador dizendo que Machu Picchu poderia abrigar um tesouro oculto. Thierry foi até o local indicado, teve a mesma impressão que David e por isso resolveu encaminhar esse primeiro projeto ao Ministério da Cultura do Peru.

As análises começaram no dia 12 de abril de 2012. Porém, nesse mesmo dia, Thierry Jamin disse que ele e sua equipe foram cercados por inúmeros funcionários do Parque Arqueológico de Machu Picchu, que passaram a tirar fotos, fazer esboços, escrever em cadernos, gravar as conversas, filmar o que estava acontecendo e faziam perguntas a cada passo que sua equipe dava, algo que era contra a ética profissional e acabava ferindo as condições gerais de investigação que eram propostas pelo próprio Ministério da Cultura. Aparentemente, o maior impecilho, por alguma razão, era um homem chamado Fernando Astete, o chefe do Parque Arqueológico de Machu Picchu, que chegou a impedir sua entrada no dia seguinte, argumentando que o número de série de um dos aparelhos estava incorreto.

Thierry Jamin disse que recorreu ao Ministério da Cultura, conseguiu voltar ao local para continuar as suas análises juntamente com os investigadores do Instituro Inkari, e teria feito "grandes descobertas". Usando georadares portáteis, que supostamente permitiam ter uma visão 3D e analisar o subsolo a 20 metros de profundidade, assim como fazendo uso de varas de radiestesia, eles determinaram a existência de uma grande câmara funerária, com uma quantidade considerável de ouro e prata, e uma estrutura subterrânea que abrigava uma dúzia de cavidades (o que levava a crer na existência de um número igual de sepulturas). Algumas delas eram muito pequenas, ou seja, poderiam ser de crianças. A equipe também teria atestado a existência, atrás da porta de acesso, de uma escada forrada com ouro, que conduzia ao recinto principal. Thierry acreditava que aquela seria a maior descoberta arqueológica do século no Peru.

As análises começaram no dia 12 de abril de 2012. Porém, nesse mesmo dia, Thierry Jamin disse que ele e sua equipe foram cercados por inúmeros funcionários do Parque Arqueológico de Machu Picchu, que passaram a tirar fotos, fazer esboços, escrever em cadernos, gravar as conversas, filmar o que estava acontecendo e faziam perguntas a cada passo que sua equipe dava
Usando georadares portáteis, que supostamente permitiam ter uma visão 3D e analisar o subsolo a 20 metros de profundidade, assim como fazendo uso de varas de radiestesia, eles determinaram a existência de uma grande câmara funerária
A equipe também teria atestado a existência, atrás da porta de acesso, de uma escada forrada com ouro, que conduzia ao recinto principal. Thierry acreditava que aquela seria a maior descoberta arqueológica do século no Peru
Assim sendo, ele apresentou um novo projeto para escavar o local. Em 5 de novembro de 2012, no entanto, Ana Maria Hoyle, Diretora-Geral do Patrimônio Cultural, do Ministério da Cultura, negou a permissão para esse novo projeto. De acordo com Thierry, uma vez que era necessário um "parecer técnico", o culpado com certeza era o Fernando Asteste, que sabia da importância da descoberta, e queria se apropriar do projeto. Na verdade, Astete não poderia dar qualquer parecer, porque não era arqueólogo. Foi Piedad Champi, arqueóloga e diretora do Parque Arqueológico de Machu Picchu, a responsável por apontar que o projeto não estava dentro das diretrizes do Plano Mestre. Ela também disse que a equipe de Thierry não sabia nada ou muito pouco sobre conservação histórica, e que a abertura do muro geraria problemas de instabilidade estrutural. Além disso, ela acusou o Instituto Inkari de estar atrás apenas de metais preciosos sem levar em consideração o contexto histórico.

Daniel Merino, secretário-executivo do Instituto Inkari, repudiou as declarações de Ana Maria Hoyle dizendo que estavam em conformidade com o Plano Mestre de Machu Picchu, que o projeto estava bem estruturado, com uma boa hipótese, metodologia adequada e critérios científicos. Ele também disse que possuíam uma equipe multidisciplinar competente com boa formação, mas que foram tratados como se fossem saqueadores. Daniel também acusou Ana Maria Hoyle de não ser engenheira, e que eles possuíam um laudo de um engenheiro civil assegurando que a abertura da parede não iria alterar a estrutura da construção.

Thierry Jamin apresentou um novo projeto para escavar o local. No entanto, em 5 de novembro de 2012, Ana Maria Hoyle (na foto), Diretora-Geral do Patrimônio Cultural, do Ministério da Cultura, negou a permissão para esse novo projeto
Essa polêmica foi parar inclusive na página oficial do Ministério da Cultura do Peru, através de um comunicado da Direção Regional de Cultura de Cusco. Na época, David Ugarte Vega Centeno, então Diretor Regional de Cultura de Cusco, também declarou que Thierry Jamin estaria apenas em busca de ouro e prata sem dar a menor importância a conservação de uma importante estrutura arquitetônica. Ele também disse que os especialistas estavam preparados para conservar, preservar e investigar cientificamente o patrimônio arquitetônico peruano, e não endossava projetos sem base científica. Fernando Astete também citou nesse comunicado que o projeto apresentado não contava com suporte histórico, porque carecia de contextualização de informações referentes aos séculos XVI e XVII, assim como de fontes históricas.

Uma notícia publicada no site do jornal peruano "El Comercio", em 23 de abril de 2013, colocou ainda mais lenha na fogueira. De acordo com o texto, David Ugarte Vega Centeno disse que Thierry Jamin, que pretendia realizar escavações em Machu Picchu em busca da tumba de Pachacútec, não era arqueólogo e não contava com nenhuma formação científica. Essa informação teria sido fornecida ao David Ugarte pelo Ministério das Relações Exteriores da França, que teria alertado para risco que o patrimônio cultural peruano corria.

De acordo com o texto, David Ugarte Vega Centeno (na foto) disse que Thierry Jamin, que pretendia realizar escavações em Machu Picchu em busca da tumba de Pachacútec, não era arqueólogo e não contava com nenhuma formação científica
O responsável por esse aviso teria sido Veronique Gervais, da Subdireção de Pesquisa e Intercâmbios Científicos do referido ministério na França, que se reuniu com o embaixador do Peru, em Paris, o qual foi comunicado a respeito disso. O Ministério Francês teria apoiado a posição tomada pela Direção Regional de Cultura de Cusco, que indeferiu o pedido de Thierry Jamin para realizar escavações em Machu Picchu. Além disso, David Ugarte disse que Thierry era apenas um aventureiro que estava se fazendo passar por arqueólogo, cuja única intenção era saquear Machu Picchu. Ele também pediu para que as autoridades regionais e os veículos de imprensa não caíssem na lábia do "explorador", que queria pressionar o governo através dos próprios meios de comunicação.

Situação complicada, não é mesmo? Apesar de ser meio difícil saber quem tem razão ou não em meio a tanta coisa estranha sobre esse caso, principalmente pelo uso de varas de radiestesia para procurar ouro e prata, como se fosse alguma forma de método científico, uma coisa é certeza absoluta: Thierry Jamin não é mesmo arqueólogo ou antropólogo, e conforme dissemos no começo, ele seria apenas um explorador. Para não sermos injustos, no site do Instituto Inkari, Thierry Jamin também aparece como apenas como pesquisador e explorador. Porém, de acordo com seu CV (Curriculum Vitae), ele teria um diploma de dois anos (DEUG) do curso de História e Geografia, assim como um "Mestrado" em História Moderna pela Universidade François Rabelais, em Tours, na França, assim como uma espécie de "Pós-Graduação" (DEA) de História da América Latina pela Universidade de Toulouse, também na França. De qualquer forma, Thierry Jamin não tem credenciais para fazer quaisquer avaliações arqueológicas.

Brien Foerster


Sinceramente, é difícil escolher as palavras certas para definir quem é Brien Foerster, então vamos começar pelo mais simples. Brien é proprietário de uma empresa chamada "Hidden Inca Tours" e fornece passeios turísticos, assim como particulares, a sítios arqueológicos antigos tanto na Bolívia, quanto no Peru. Como é de se imaginar em um cenário desses, ele propaga diversas teorias "não-convencionais" (leia como pseudoarqueológicas) sobre as civilizações do passado, o contato com seres extraterrestres etc. Brien também costuma dizer que sempre teve um fascínio por sites megalíticos antigos e lugares enigmáticos que os acadêmicos convencionais "não conseguem explicar corretamente".

Brien Foerster é proprietário de uma empresa chamada "Hidden Inca Tours" e fornece passeios turísticos, assim como particulares, a sítios arqueológicos antigos tanto na Bolívia, quanto no Peru
Brien Foerster nasceu na cidade de Rochester, no estado norte-americano do Minnesota, mas cresceu na Costa Oeste do Canadá. Aos 11 anos, ele ficou fascinando com a arte do povo Haida, assim como outros povs nativos, e começou a esculpir totens e outras formas de arte relacionadas, aprendendo, é claro, com professores nativos.

A única credencial acadêmica, no entanto, é apenas um Bacharelado em Ciências, aparentemente na Universidade de Vitória (algo questionável e motivo de dúvida até hoje), no Canadá, e nada além disso. Resumindo, ele não é arqueólogo, antropólogo ou historiador, e mesmo assim nada o impediu de escrever 15 livros dizendo simplesmente o que ele pensava ou acreditava. Além disso, ele se autointitula como uma autoridade em estudos sobre megalíticos na América do Sul, e também quando o assunto se trata de "crânios alongados", que sem dúvida alguma é a sua maior polêmica.

Resumindo, Brien Foerster não é arqueólogo, antropólogo ou historiador, e mesmo assim nada o impediu de escrever 15 livros dizendo simplesmente o que ele pensava ou acreditava
Nesse ponto, infelizmente, tenho que contar a vocês a realidade sobre um exame de DNA divulgado pelo Brien Foerster, através de sua conta no Facebook, em 2014, no qual ele dizia que o mtDNA, ou seja o DNA mitocondrial, encontrado nos crânios alongados possuíam mutações desconhecidas em relação a seres humanos, primatas ou qualquer outro animal conhecido. É possível que vocês já tenham lido isso em algum lugar, mas poucos realmente dizem toda a história que estava por trás dessa "revelação". Na época, Brien dizia que ocupava o cargo de diretor-assistente do Paracas History Museum, um pequeno museu, cujo proprietário é um simpático senhor chamado Juan Navarro Hierro, em Paracas, no Peru, que até hoje possui uma coleção particular de inúmeros crânios alongados.

Inicialmente, Brien Foerster disse que o responsável por ter feito a análise de DNA preferia se manter no anonimato, e para piorar a situação a "incrível descoberta" nunca foi publicada em um periódico científico, muito menos que fosse prestigiado e revisado por pares, que é um requisito básico para ser levado minimamente a sério. De qualquer forma, o que tínhamos era uma única suposta análise de DNA, ainda mais feita por alguém que decidiu não aparecer. Como alguém podia acreditar nisso?

O Paracas History Museum, um pequeno museu, cujo proprietário é um simpático senhor chamado Juan Navarro Hierro (à esquerda), em Paracas, no Peru, que até hoje possui uma coleção particular de inúmeros crânios alongados
A parte interessante é que o nome do responsável pela análise do DNA acabou sendo divulgado posteriormente pelo próprio Brien. Esperava-se, é claro, que as amostras fossem enviadas para algum departamento renomado de alguma universidade, e conhecido pelo seu trabalho em DNA antigo, porém ele enviou para um homem chamado Lloyd Pye (1946-2013), um escritor norte-americano e "investigador paranormal". Sim, exatamente o que você leu, Lloyd Pye nunca foi médico e muito menos geneticista, ou seja, ele jamais teria capacidade de analisar qualquer DNA.

Vale lembrar que no fim década de 1990, Lloyd Pye obteve um estranho crânio de um casal de El Paso, no estado norte-americano do Texas, que ele acreditava que pertencia a um híbrido humano-alienígena. Os testes de DNA mostraram que o crânio era de um ser humano do sexo masculino. Além disso, Steven Novella, um neurologista norte-americano chegou a mencionar que o crânio pertencia a uma criança que sofria de hidrocefalia. E mesmo assim, Lloyd Pye promoveu essa farsa até os últimos dias de sua vida.

Vale lembrar que no fim década de 1990, Lloyd Pye obteve um estranho crânio de um casal de El Paso, no estado norte-americano do Texas, que ele acreditava que pertencia a um híbrido humano-alienígena. Os testes de DNA, no entanto, mostraram que o crânio era de um ser humano do sexo masculino
Confira o que Brian Foerster publicou em sua conta no Facebook, no dia 12 de fevereiro de 2014, sobre esse tal exame de DNA:

"Seja de onde for que a amostra rotulada como 3A tenha vindo, a mesma possuía mtDNA com mutações desconhecidas em qualquer humano, primata ou animal conhecido até hoje. Os dados ainda são muito superficiais e muitos sequenciamentos ainda precisam ser realizados para recuperar a sequência de DNA completa. Porém, os poucos fragmentos que fomos capazes de sequenciar dessa amostra 3A indicam que, se essas mutações forem confirmadas, estamos lidando com uma nova criatura semelhante ao homem, muito distante do Homo sapiens, Neandertais e Hominídeos de Denisova... Não tenho certeza se vai caber na árvore evolutiva que conhecemos. A questão é, se eles eram tão diferentes, eles não poderiam cruzar com os seres humanos. Ao se reproduzirem dentro de sua pequena população, eles podem ter degenerado devido à endogamia. Isso explicaria as crianças enterradas - elas eram muitos baixas ou então não apresentavam boas condições de saúde."

Segundo o blog "Bad Archaeology", que geralmente tem o hábito de combater todo tipo de pseudoarqueologia, existem tantos problemas com o texto publicado por Brien Foerster, que é difícil entender o porquê alguém ainda o leva a sério. Vocês podem ler todas as explicações ao clicar aqui (em inglês), porém vamos mencionar apenas alguns questionamentos, senão ficaria extremamente longo para vocês. Para começo de conversa, não há quaisquer dados arqueológicos. A cultura da Necrópolis de Paracas não é produto de um grupo misterioso de criaturas não-humanas, visto que sua posição dentro do desenvolvimento cultural mais amplo do Peru pré-histórico é bem compreendida.

Segundo o blog "Bad Archaeology", que geralmente tem o hábito de combater todo tipo de pseudoarqueologia, existem tantos problemas com o texto publicado por Brien Foerster, que é difícil entender o porquê alguém ainda o leva a sério
A deformação craniana observada em múmias do cemitério de Wari Kayan se encaixam em um padrão conhecido, denominado deformidade Aymará, que é produzida ao envolver os crânios de bebês firmemente em faixas circulares. Isso exerce pressão ao longo de um eixo transversal, através da região mastoide e da região imediatamente acima da inserção do ligamento nucal na protuberância occipital. Isso pode fazer com que o crânio apareça trilobado, embora os crânios de Paracas exibam uma deformidade mais cônica.

A compressão pode interromper o padrão de crescimento normal do crânio, particularmente ao longo das suturas, e pode produzir uma depressão na região sagital, exatamente como visto em inúmeros crânios de Paracas. Embora possam ser produzidas pequenas variações em relação ao volume normal, elas não são significativas. Foerster afirma, por exemplo, que a capacidade dos crânios é muito grande para o Homo sapiens, o que não é esse o caso: os crânios de Paracas têm uma capacidade média de 1.600 cm³, sendo que capacidade humana é de até 1.800 cm³. Portanto, estão dentro de uma zona aceitável e considerada normal. Nada de mistério por aqui.

Exemplos de deformações cranianas artificiais feitas em crianças
Apesar de ser verdade que a endogamia em pequenas populações isoladas aumentaria a probablidade de transtornos genéticos, que acabariam levando a extinção da população, seria bem ridículo afirmar que isso explicaria a presença de crianças enterradas. Afinal, antes do desenvolvimento da medicina moderna, as taxas de mortalidade infantil eram altíssimas. Em algumas sociedades, menos de metade de todas as crianças sobreviveriam mais de cinco anos. O enterro de crianças na cultura da Necrópolis de Paracas é um fenômeno perfeitamente normal, que pode ser encontrado em muitas sociedades humanas.

Além disso, Brien Foester em nenhum momento levou em consideração que as estranhas características do mtDNA pudessem resultado de contaminação. Afinal de contas, os crânios foram descobertos na década de 1920, e não sabemos as condições em que os mesmos foram armazenados, o quanto eles foram manuseados, se foram utilizados procedimentos para estabilizá-los ou se houve algum erro no laboratório que o analisou.

Enfim, há muito material somente sobre o "exame de DNA", que Brien Foerster disse ter feito em relação aos crânios de Paracas, além de ser possível rebater cientificamente cada ponto alegado por ele. Aliás, ele chegou a prometer naquela época que faria um outro exame, que até hoje nunca saiu da imaginação daqueles que acreditaram nele ou contribuíram financeiramente com a sua "causa". Caso saia estarei aqui, visto que farei questão de mostrar a realidade completa, ponto a ponto, do que for divulgado. Enfim, de qualquer forma, espero sinceramente que tenha fornecido um bom conteúdo, ainda que de forma bem resumida, para que vocês possam ler e refletir exatamente a índole e conhecimento técnico que Brien Foerster acredita que possui, e tenta fazer você acreditar nisso.

Edward Valenzuela Gil


Edward Valenzuela Gil é apresentado com de uma forma bem estranha e recebendo o título de "Comunicação e RR.PR". A princípio, é difícil entender exatamente a razão da presença dele no local, porém ao pesquisar um pouco mais, nota-se que Edward é membro do Instituto Inkari, do Thierry Jamin, no cargo de Secretário de Relações Públicas e Informação.

A princípio, é difícil entender exatamente a razão da presença de Edward no local, porém ao pesquisar um pouco mais, nota-se que Edward é membro do Instituto Inkari, do Thierry Jamin, no cargo de Secretário de Relações Públicas e Informação
Aliás, ele não é tão somente membro desse instituto, mas o cinegrafista oficial das expedições de Thierry Jamin desde 2009. Como se não bastasse, Edward também é gerente de uma produtora chamada "Neviza TV" na cidade de Cusco.

Voltando a Falar Sobre o Vídeo do "Pequeno Crânio"


Agora que você conhece quem são as novas pessoas envolvidas nessa história, chegou o momento de mostrarmos o vídeo para vocês e comentarmos rapidamente sobre o mesmo. Confira o vídeo publicado pelo "Paul", no dia 16 de novembro do ano passado, em seu próprio canal no YouTube (em espanhol):



O vídeo começa mostrando o "ufólogo" Dante Rios, juntamente com Thierry Jamin, que dizia estar muito ansioso para ouvir o que o "contato de Dante" tinha para falar sobre esse assunto, que a princípio soava inacreditável para ele. Em seguida, surge o "Paul", de boné e óculos escuros, contando rapidamente como o "humanoide de Tacna" e o "pequeno crânio" foram encontrados. Inicia-se então um debate onde é possível compreender pouquíssimas palavras, porém é possível perceber que ninguém está usando luvas ou qualquer outro equipamento de proteção, ou seja, tudo está sendo passível de contaminação.

Somente após cerca de 2 minutos de vídeo podemos ouvir a declaração de Brien Foerster, intitulado como "biólogo", sem saber exatamente o que dizer diante do que viu, tentando descrever morfologicamente o "estranho ser" e dizendo que os olhos do mesmo não eram humanos. Dante Rios também chegou a opinar dizendo que o crânio do "humanoide" era diferente do maior, porém o rosto era bem semelhante.

A maior parte do vídeo se resume a um debate onde é possível compreender pouquíssimas palavras, porém é possível perceber que ninguém está usando luvas ou qualquer outro equipamento de proteção, ou seja, tudo está sendo passível de contaminação
O maior destaque acabou sendo para Thierry Jamin, que se mostrou muito simpático. Falando um espanhol bem razoável, ele se mostrou bem surpreso com os "restos mortais", que obviamente não pareciam humanos, e que ele achava inacreditável poder ter em mãos corpos que pareciam ter vindo de outro mundo.

É interessante notar que tanto Thierry quanto Brien evitaram dizer com todas as letras, que acreditavam fielmente no que estavam vendo, por mais que isso ficasse subentendido. Algo que não aconteceu, por exemplo, com Edward Valenzuela Gil que declarou abertamente que os corpos não eram falsos, mas uma evidência física real, uma prova contundente de que seres de outros mundos tiveram contato com civilizações antigas. Ironicamente, a pessoa que menos aparece no vídeo é "Paul", que em determinados momentos é possível vê-lo utilizando uma máscara cirúrgica branca, para cobrir a sua boca, em uma clara tentativa de não ser identificado pelos espectadores.

Mais um Vídeo Contendo "Novidades" Sobre o "Pequeno Crânio" é Postado Pelo "Paul"


No dia 22 de novembro, o usuário krawix999, também conhecido como "Paul", publicou um novo vídeo mostrando mais alguns detalhes sobre o que ele considerava ser um "pequeno crânio" de um ser extraterrestre. Nesse vídeo, o "Paul" mencionou que os "corpos" estavam recobertos por uma fina camada de argila, sendo que ele mostra como era o "crânio" antes de efetuar a limpeza.

Aliás, a limpeza foi feita de maneira totalmente improvisada e precária com a ajuda de um palito de dentes, e novamente sem a utilização de luvas ou quaisquer outros equipamentos de proteção para evitar uma possível contaminação. Confira esse vídeo em questão (em espanhol):



Segundo Paul, dentro do "crânio" havia algodões, e alguns deles teriam o que ele considerou como se fosse "sangue seco", e posteriormente teriam sido colocados em sacos plásticos (muito provavelmente sacos comuns, o que resultaria mais uma vez em uma bela e invariável contaminação).

Em seguida, ele apresenta cerca de três chapas de raios-X, sendo uma supostamente do "pequeno crânio" e as outras duas do "humanoide de Tacna", o que parecia não ter tanta relevância assim, uma vez que não estava sendo analisada por nenhum especialista em radiologia, diagnóstico por imagem ou quaisquer médicos capacitados nesse sentido.

O Envolvimento de um "Médico" Chamado Edson Salazar Vivanco e o Suposto Nome Verdadeiro de "Paul"


Uma vez que essa história estava cada vez mais fadada ao fracasso, aparentemente o "Paul" e sua nova "equipe" usaram a mesma estratégia adotada por Jamie Maussan em relação ao "esqueleto de fada", e simplesmente convidaram um "médico", totalmente aleatório, chamado Edson Salazar Vivanco. E esse, por incrível que pareça, é um outro ponto bem neuvrálgico de toda essa história, e por um motivo muito simples: Quem é Edson Salazar Vivanco? Tentaremos dar essa resposta daqui a pouco para vocês.

Uma vez que essa história estava cada vez mais fadada ao fracasso, aparentemente o "Paul" e sua nova "equipe" usaram a mesma estratégia adotada por Jamie Maussan em relação ao "esqueleto de fada", e simplesmente convidaram um "médico", totalmente aleatório, chamado Edson Salazar Vivanco
Em uma postagem em sua conta no Facebook, o "médico" Edson Salazar anunciou que se encontrava na cidade de Cusco em uma das expedições do grupo Paititi (pertencente ao Thierry Jamin), no qual ele teria sido convidado a participar como médico. Ele achava incrível o que tinha visto, e fez uma comparação anatômica entre a estrutura corporal do "humanoide" com a de um ser humano. Basicamente, mais do mesmo, e nada além do que já dissemos anteriormente para vocês.

Em uma postagem em sua conta no Facebook, o "médico" Edson Salazar anunciou que se encontrava na cidade de Cusco em uma das expedições do grupo Paititi (pertencente ao Thierry Jamin), no qual ele teria sido convidado a participar como médico
A situação começaria a ficar interessante no dia 12 de dezembro quando o próprio Edson Salazar, assim como o Thierry Jamin, anunciaram a realização de uma série de radiografias do "pequeno crânio" em um laboratório de Cusco (cujo nome para variar não foi mencionado). Confira o que o Thierry postou a respeito desse dia (colocaremos em negrito as partes mais relevantes):

"Caros Amigos Internautas,

Realizamos hoje, segunda-feira, 12 de dezembro, em um laboratório de Cusco, uma série de radiografias da misteriosa "cabeça mumificada" descoberta no início de 2016, no deserto do sul do Peru.

A opinião dos médicos que realizaram essas radiografias se mosta categórica: se trata realmente de uma cabeça mumificada de carne e osso. Não pode ser, de maneira alguma, uma fraude ou uma cabeça feita de madeira, plástico ou papelão. Certos detalhes, visíveis apenas no raio-X, aparecem muito claramente nas diferentes imagens realizadas. Elas vão em direção a autenticidade dessa "relíquia".  No entanto, é preciso realizar a análise de DNA e C14 dessa cabeça e dos outros restos mortais mumificados que foram descobertos. Atualmente estamos em busca de dois ou três laboratórios que sejam capazes de realizar essas análises, que possam confirmar ou não a autenticidade dessa descoberta excepcional.

A situação começaria a ficar interessante no dia 12 de dezembro quando o próprio Edson Salazar, assim como o Thierry Jamin, anunciaram a realização de uma série de radiografias do "pequeno crânio" em um laboratório de Cusco (cujo nome para variar não foi mencionado)
Caros amigos internautas, se você tiver contatos no Peru, na Europa, na América do Norte ou em outro lugar, que nos permita realizar essas análises, não hesite em nos contactar. Sua ajuda será muito importante e pode ser decisiva para saber a verdade sobre esse estranho assunto. Estou convencido que, juntos, será possível dar uma resposta definitiva a este verdadeiro enigma arqueológico... e possivelmente histórico. Então, contamos com você!

Segundo Thierry Jamin a opinião dos médicos que realizaram essas radiografias se mosta categórica: se trata realmente de uma cabeça mumificada de carne e osso. Não podia ser uma fraude ou uma cabeça feita de madeira, plástico ou papelão
Enquanto isso, deixemos a palavra com o Dr. Edson Salazar Vivanco, do Centro de Saúde do Distrito de Wanchaq, em Cusco."

Além disso, em sua postagem, Thierry forneceu o email do usuário "krawix999", o chamando de Luis Quispe. Será que essa é a real identidade do homem que inicialmente escondeu o rosto, disse que se chamava "Paul", e agora aparentemente chama-se Luis Quispe? Enfim, confira o vídeo em relação a essa análise do "médico" Edson Salazar Vivanco (em espanhol):



Não esperem muita coisa da "análise" do "médico" Edson Salazar sobre as radiografias que foram tiradas. Basicamente, de forma quase teatral, ele mostrou o que seria uma cavidade ocular, outra bucal, a mandíbula (perdi a quantidade de vezes, que ele falou sobre a mandíbula) e estrutura óssea do mesmo. De acordo com Edson Salazar, o "ser" tinha uma grande massa encefálica, porém o espaço escuro indicava que era tão somente ar, ou seja, não tinha mais nenhum cérebro no seu interior. Ainda segundo ele, o crânio tinha uma estrutura antropomórfica (semelhante ao crânio humano), e afirmou categoricamente que não era uma fraude, e que o mesmo estava em um perfeito estado de conservação.

Entretanto, particulamente acredito que a grande questão se resume a entender quem é o "médico" Edson Salazar, e suas respectivas credenciais para ver ele tem condições ou não de realizar esse tipo de análise, e afirmar tão veementemente que não se trata de uma fraude, quando claramente, até agora tudo indica o oposto. Em sua conta no Facebook, ele menciona que trabalha no Hospital Antonio Lorena, em Cusco (apesar de mencionarem o Centro de Saúde do Distrito de Wanchaq). Se ele trabalha ou não nesse hospital, a única certeza é que ele não ocupa nenhum cargo de chefia, em nenhum departamento, visto que seu nome não aparece na equipe administrativa do ano de 2016. Entramos em contato com o diretor desse mesmo hospital para saber maiores informações, mas até o fechamento dessa postagem não obtivemos nenhuma resposta.

Um Grand Finale ou Ainda Falta Mais Coisa? Surge uma Estranha "Mão de Três Dedos"


De touca branca e óculos escuros, o usuário "krawix999" (também conhecido como "Paul" ou Luis Quispe) resolveu aparecer de frente para as câmeras e apresentar ao mundo uma estranha "mão de três dedos", que também teria sido encontrada juntamente com o "humanoide de Tacna" e o "pequeno crânio". Além disso, ele forneceu maiores detalhes sobre toda essa "descoberta". Confira o vídeo publicado por ele, em sua própria conta no YouTube, no dia 22 de dezembro do ano passado (em espanhol):



No vídeo, o usuário "krawix999" disse que tudo aquilo havia sido descoberto por dois amigos que estavam caminhando em uma região desértica ao sul do Peru, mas que o lugar não era bem uma caverna. Aparentemente, havia uma espécie de bloco de pedra estendido sobre o solo, e quando a removeram eles perceberam que dava para entrar. Assim que entraram, eles teriam se deparado com um sarcófago, e logo em seguida notaram que havia outro. A data da "descoberta" teria sido por volta de janeiro de 2016, mas ele não sabia dizer o dia exato.

Única foto do local, para variar borrada, de baixa resolução, e sem indicar nenhuma localização,
de onde tudo teria sido encontrado
Segundo o "krawix999", os "seres não poderiam ser mamíferos, porque não havia glândulas mamárias", e de acordo com seus amigos, os mesmos teriam sido encontrados no segundo sarcófago. Ele também citou que lê as escrituras, profecias e lendas de todas as partes do mundo, e que isso seria algo muito mais verdadeiro do que a ciência. Ele chegou a mencionar que a bíblia falava sobre gigantes, e aquela mão era a prova disso.

O usuário "krawix999" também citou que lê as escrituras, profecias e lendas de todas as partes do mundo, e que isso seria algo muito mais verdadeiro do que a ciência. Ele chegou a mencionar que a bíblia falava sobre gigantes, e aquela mão era a prova disso
A mão era visivelmente bem grande, e ele disse que dois dedos possuíam seis falanges e um dedo possuía cerca de cinco falanges, sendo que os seres humanos tinham apenas três. As partes mais interessantes é que as mãos tinham unhas (e não garras), e havia a presença de "anilhas metálicas" na mão sem nenhum sinal de corrosão, o que para ele poderia ser um metal de outro mundo.

A questão é que o "krawix999" mudou sua versão sobre como esses "seres mumificados" teriam sido encontrados. Em entrevista para a CTC, ele mencionou apenas o "humanoide de Tacna", que somente uma pessoa teria entregue a ele o "estranho ser" por conhecer seu interesse nessa área, e que o mesmo teria sido encontrado rente ao solo. Em outras palavras, em outubro ele não chegou a mencionar nada do que disse mais recentemente, o que é bem estranho.

De qualquer forma, naquele mesmo dia houve uma postagem no Facebook, do Thierry Jamin, justamente sobre essa estranha mão. Ele também acrescentou alguns outros detalhes muito curiosos. Confiram o que ele disse:

"Estimados Amigos Internautas,

Já que diversas fotos de uma das mãos estão circulando na internet desde quarta-feira, 21 de dezembro, decidimos mostrar um pouco mais. Essa mão mumificada estava com muitas outras coisas, em um dos dois sarcófagos descobertos no deserto ao sul do Peru, em janeiro de 2016. 

De qualquer forma, naquele mesmo dia houve uma postagem no Facebook, do Thierry Jamin, justamente sobre essa estranha mão. Ele também acrescentou alguns outros detalhes muito curiosos
A mão mede 33 centímetros de comprimento, contém três dedos, que consistem em seis falanges (um dos dedos exteriores, contém apenas cinco). A falange superior possui uma unha muito semelhante as unhas humanas. Uma das peculiaridades dessa mão também a presença de três implantes metálicos, em meio a tendões e um pequeno osso. Todas as mãos têm essa estranha peculiaridade de ter tais implantes, inclusive pequenas placas metálicas redondas "encrustadas" na parte superior da palma da mão.

A mão era visivelmente bem grande, e ele disse que dois dedos possuíam seis falanges e um dedo possuía cerca de cinco falanges, sendo que os seres humanos tinham apenas três. Uma das partes mais interessante é que a mão tinha unhas (e não garras)
De acordo com algumas estimativas de médicos, arqueólogos e antropólogos, essa mão pertencia a um indivíduo cujo tamanho provavelmente variava entre 2,7m e pouco mais de 3m. A que tipo de espécies pertencia essa mão muito estranha? Sem dúvida, somente a análise de DNA poderá dizer. E vocês não fazem ideia das surpresas que ainda virão."

Com esse texto podemos perceber que outras "coisas" teriam sido descobertas, e que haveria mais "mãos" com a mesma "particularidade". No entanto, Thierry Jamin falhava no mesmo ponto que fraudadores costumam falhar: não apresentava nome do laboratório envolvido, e nem mesmo quem foram os médicos, arqueólogos e antropólogos que teriam feito essa estimativa da suposta altura do "indivíduo" em questão. Sinceramente, é tanta coisa estranha, e que não faz o menor sentido, ainda mais diante do manuseio das supostas descobertas, que qualquer exame de DNA ou datação de carbono se tornam totalmente questionáveis.

Comparativo de uma mão humana com a "mão de três dedos" supostamente encontrada no Peru
Confira também um vídeo da análise do "médico" Edson Salazar Vivanco, que teria sido realizada no dia 23 de novembro de 2016, no Instituto Inkari - Cusco, mas que só foi publicada no dia 22 de dezembro desse ano, no perfil de Thierry Jamin, no Facebook, e um dia após, em um canal de terceiros, no YouTube:



No vídeo, como era de se esperar, o "médico" Edson Salazar Vivanco menciona que a mão não seria desse planeta, uma vez que a estrutura óssea não pertencia a nenhum animal ou um ser humano normal. Porém, ele não fazia ideia para que servia as "anilhas de metal" afixadas na mão.

Por fim, a mais recente atualização sobre esse caso está relacionada as radiografias realizadas dessa "mão de três dedos", que foram divulgadas apenas no dia 27 de dezembro pelo Thierry Jamin, em sua conta no Facebook. Ele também anunciou que esperava o resultado do exame de DNA e a datação por carbono no fim do mês de janeiro desse ano. Resta, é claro, esperar para ver o que ainda mais pode sair disso. De qualquer forma, não criem muita expectativa sobre isso.

Por fim, a mais recente atualização sobre esse caso está relacionada as radiografias realizadas dessa "mão de três dedos", que foram divulgadas apenas no dia 27 de dezembro pelo Thierry Jamin
As opiniões sobre o assunto, é claro, estão sendo as mais variadas possíveis. A maioria acredita apenas ao olhar para o material apresentado, e de forma compreensível, que tudo isso seja falso. Outros acreditam que possa ser o membro de algum animal (tal como a nadadeira de uma baleia, visto que não temos a confirmação do local exato, apenas o que está divulgado). Já outros citam a famosa "proporção áurea", dizendo que os ossos não possuem nenhuma proporcionalidade, o que tornaria a mão completamente inútil e sem nenhuma coordenação. Também temos aqueles que acreditam que tudo não passa da criação de alguém, ou seja, uma grande mistura de diversos ossos e tecidos ou até mesmo de materiais artificiais, assim como aconteceu com o "esqueleto de fada" do Jaime Maussan (que também teve raio-X e outras supostas análises de especialistas, lembram disso?).

Sinceramente, ao escrever essa postagem passou um filme na minha cabeça em relação ao caso da "fada" que acabei de citar, porque ambos possuem semelhanças em diversos aspectos. Apesar da fortíssima possibilidade de ser uma farsa, talvez sequer saibamos a realidade, visto que os principais envolvidos nessa história possuem uma reputação questionável de acusar todos aqueles que não acreditam sem suas teorias. Para prosperarem diante do lucrativo esquema que montaram, é necessário dizer que todos estão contra eles, que os principais laboratórios jamais diriam a verdade, que ninguém tem interesse em reescrever os livros de história, e que por isso eles devem ser a melhor opção para se aprender algo relacionado a civilizações antigas. Uma combinação explosiva de prepotência atrelada a falta de conhecimento e uma pesquisa histórica aprofundada.

Enfim, AssombradOs, caso maiores novidades sejam divulgadas sobre esse assunto ou apareça alguma análise mais interessante para tentar explicar o que tudo isso possa ser, de forma séria, conclusiva e definitiva, com certeza iremos atualizar vocês através dessa mesma postagem. Lembrando que isso não é um favor, faz parte nosso compromisso e respeito ao leitor, e todos aqueles que nos acompanham de alguma forma!

Atualização #1 - 08/01 as 14h30: Um Novo Vídeo Divulgado Pelo Usuário "krawix999"


Antes de começarmos essa atualização com o vídeo divulgado pelo usuário "krawix999", sobre o que ele considerava ser a descoberta de seres alienígenas, em uma região desértica localizada no extremo sul do Peru, precisamos mencionar que o "Dr. Edson Salazar" aparentemente deletou sua própria conta no Facebook. Isso é um pouco estranho, porque até agora esse caso não ganhou muito destaque na imprensa internacional, e aparentemente ele não vinha sofrendo qualquer tipo de rejeição. Temos que lembrar, no entanto, que enviamos um email para o Hospital Antonio Lorena, em Cusco, questionando sua participação no quadro de funcionários. Apesar de não termos recebido quaisquer respostas, essa atitude por parte do "Dr. Edson Salazar" é bem questionável, visto que nenhum outro envolvido na história resolveu "desparecer" das redes sociais. Enfim, cada pessoa com sua consciência e suas decisões.

No dia 3 de janeiro desse ano, o usuário "krawix999" publicou um vídeo com pouco mais de 8 minutos, no qual ele passou a responder alguns questionamentos que vinha recebendo através de seu email e aparentemente do próprio YouTube. Confira abaixo o vídeo em questão (em espanhol):



Aparentemente, sem saber exatamente o que falar de forma espontânea e lendo uma espécie de roteiro em mãos, o usuário "krawix999" (que a imprensa peruana passou a chamar de Paul, sendo que o explorador Thierry Jamin mencionou em uma de suas postagens o nome Luis Quispe) tentou associar inicialmente a sua descoberta aos Petróglifos de Miculla, mas não se aprofundou sobre a questão, naturalmente por desconhecero contexto histórico envolvido. Em seguida, novamente ele apresentou uma péssima foto de um dos supostos sarcófagos, nos quais teriam sido encontrado cerca de "20 seres", alguns parecidos e outros diferentes (muito embora ele disse anteriormente, que tudo teria sido descoberto apenas no segundo sarcófago).

Então, pouco tempo depois surge uma pergunta na tela, dizendo: "Quem analisou os mesmos?". Como resposta aparece que os "seres" foram analisados por biólogos, arqueólogos, e cientistas forenses. Vejam as imagens dos tais profissionais das respectivas áreas mencionadas:

Então, pouco tempo depois surge uma pergunta na tela, dizendo: "Quem analisou os mesmos?". Como resposta aparece que os "seres" foram analisados por biólogos, arqueólogos, e cientistas forenses.
Acredito que, diante do que publicamos, vocês saibam que não há nenhum biólogo, arqueólogo ou cientista forense envolvido nessa história. No máximo "pesquisadores", "exploradores", "ufólogos" e por fim um "médico", que até hoje não sabemos exatamente suas credenciais.

O usuário "krawix999" também disse, que ainda não tinham sido feitas análises de DNA, que custariam cerca de € 7.000 (cerca de R$ 23.000 pela cotação atual) por "peça", e que teriam que ser feitas cerca de três análises, em três laboratórios diferentes, o que resultaria em € 21.000 (cerca de R$ 71.300) por peça, sendo que as três peças somavam cerca de € 63.000 (cerca de R$ 213.000). Essa é uma parte interessante, visto que o Brien Foerster (o mesmo do "exame de DNA de Paracas", que foi algo vexatório, e que mostrei uma dose de realidade para vocês ao longo do meu texto anterior) disse que poderia fazer "gratuitamente" por meio de um comentário no YouTube.

Qual a razão disso ser interessante? Na época dos crânios de Paracas, o Brien Foerster abriu uma "vaquinha virtual" para arrecadar cerca de US$ 12.500 dólares (cerca de R$ 40.000) para fazer um único novo exame de DNA nos crânios de Paracas, sendo que a campanha arrecadou cerca de US$ 4,886 (cerca de R$ 15.700), cerca de 39% da meta, cujas pessoas nunca mais viram o retorno do dinheiro delas. Assim sendo, fico imaginando de onde o Brien Foerster, que aparentemente tomou para si o dinheiro dessas pessoas, que acreditaram na origem extraterrestre dos crânios, vai tirar cerca de US$ 66.300 para financiar essas análises. Evidentemente, cada laborário pode cobrar um preço diferente, mas quais seriam esses laboratórios? Seria o mesmo fiasco dos crânios de Paracas? Vão abrir uma nova "vaquinha" e tomar o dinheiro das pessoas? Estranho, não é mesmo?

Durante o vídeo, o usuário "krawix999" exibe a suposta mão de um dos supostos amigos
que teriam descobertos os estranhos "seres" em uma região desértica ao sul do Peru.
Por volta de 5:46, o usuário "krawix999" exibe as diversas amostras, que aparentemente ele coletou por contra própria, dos supostos seres. Todas elas estão embaladas de forma precária, em sacos plásticos transparentes comuns e não estéreis, ou seja, sem nenhum controle microbiológico.

Por volta de 5:46, o usuário "krawix999" exibe as diversas amostras,
que aparentemente ele coletou por contra própria, dos supostos seres
Ele até mesmo aponta para um amostra que seria "algodão com sangue" (novamente muito questionável):

Suposta amostra de "algodão com sangue" extraída de forma precária pelo usuário "krawix999"
Na parte final do vídeo, o usuário "krawix999" menciona que sua "descoberta" será capa da revista italiana Fênix, visto que essa era uma condição imposta pelo próprio usuário devido a "importância e magnitude de sua descoberta". De qualquer forma, essa tal revista não possui nenhuma expressão ou renome internacional a respeito de assuntos arqueológicos, apenas pseudocientíficos.

Para completar, ele ainda mencionou que um médico chamado "Dr. Julio Cesar Acosta",citado no vídeo como professor titular da Faculdade de Medicina, da Universidade de São Paulo, teria confirmado sua presença para analisar tais "seres". Talvez esse final seja o mais emblemático, por uma razão bem simples: o envolvimento desse "Dr. Julio Cesar Acosta", que muitas vezes passaria desapercebido para vocês ou até mesmo seria sinônimo de uma certa confiabilidade diante do que é divulgado. Porém, não é bem assim que as coisas funcionam.

Ao pesquisarmos, descobrimos que o mais provável profissional envolvido é o Dr. Julio Cesar Acosta Navarro, que nasceu em Lima, no Peru, em 1965. Ele teria vindo para o Brasil em 1996, e teria se naturalizado brasileiro em 2001. Ele teria se graduado em "Medicina Humana" pela Universidade Nacional Federico Villarreal, em 1999, assim como teria concluído a pós-graduação em "Cardiologia Clínica" pela Universidade Mayor de São Marcos, em 1997, ambas no Peru. Segundo o site da Folha de São Paulo, em janeiro de 2001, em uma pequena informação sobre esse médico, apontava que o mesmo, naquela época, era médico no Incor (Instituto do Coração), pesquisador do Programa de Integração da América Latina (pertencente a USP) e autor de um livro chamado "Vegetarianismo e Ciência". Além disso, ele teria um doutorado em cardiologia pelo Instituto do Coração da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (2002).

Ao pesquisarmos, descobrimos que o mais provável profissional envolvido é o Dr. Julio Cesar Acosta Navarro, que nasceu em Lima, no Peru, em 1965. Ele teria vindo para o Brasil em 1996, e teria se naturalizado brasileiro em 2001
É difícil entender o real envolvimento do Dr. Julio Cesar Acosta Navarro nesse caso. Uma coisa é quase certeza em toda longa carreira profissional, visto que o mesmo produziu três "artigos científicos", todos os três sobre "vegetarianismo", sendo que o terceiro teria sido publicado em dezembro do ano passado, sobre a redução subclínica da doença vascular carotídea e a rigidez arterial em homens vegetarianos. Diga-se de passagem, não tenho nada contra alguém ser vegetariano, afinal hábitos alimentares ou opções sexuais não definem o caráter de uma pessoa.

Confesso que, a princípio, era bem estranho que esse médico (finalmente não precisamos de aspas, ao contrário do "Dr. Edson Salazar") fizesse parte de uma equipe, que deveria ter um foco muito diferente disso, ou seja, um foco arqueológico ou antropológico. Porém, pelo visto as crenças pessoais valem mais que o conhecimento científico em casos assim. Também é possível encontrar uma menção ao Dr. Julio Cesar Acosta Navarro, em uma divulgação no site da revista UFO, em 22 de março de 2012, no qual o mesmo ministrava um "curso gratuito sobre contatos de 5º grau em São Paulo", e que ao final do mesmo, a pessoa receberia um certificado de participação ao final da pesquisa.

Enfim, o novo vídeo do usuário "krawix999" não acrescentou muitas novidades, e o que se apresenta em vídeo é praticamente um futuro sombrio e altamente especulativo. Novamente, repito, não esperem quaisquer tipos de "revelações" de cunho extraterrestre sobre esse caso. Caso maiores novidades sejam divulgadas sobre esse assunto ou apareça alguma análise mais interessante para tentar explicar o que tudo isso possa ser, de forma séria, conclusiva e definitiva, com certeza iremos atualizar vocês através dessa mesma postagem.

Atualização #2: 11/02 as 10h30 - O Andamento da Investigação Sobre as Supostas "Múmias Alienígenas", Que Foram Supostamente Encontradas no Deserto de Tacna, no Peru


Na tarde de ontem (10), o usuário Rafael Schmidt nos enviou por email um vídeo do YouTube mostrando o que seriam novas imagens das chamadas "múmias alienígenas", que teriam sido encontradas no deserto de Tacna, no Peru, no início de 2016, mas que somente foi divulgado no início do mês passado, ou seja, praticamente um ano depois. Assim sendo, fui conferir o que esse vídeo poderia acrescentar de forma positiva a esse caso. Confira o vídeo abaixo:



Esse material foi propagado por um usuário chamado "vlad9vt", um ucraniano que possui uma conta no YouTube, desde 2008, e adepto de teorias sobre "Anunnakis" e "Nephilins" (não entrarei no mérito dessa questão nessa atualização). O maior problema não é a crença, mas a propagação de materiais claramente falsos. Até hoje, por exemplo, esse usuário possui fotos em sua imagem de capa, de supostos "objetos astecas, que teriam sido mantidos em segredo por revelar que civilizações antigas mantiveram contato com seres extraterrestres". Ele até mesmo fez um vídeo sobre isso em 2013.

Aliás, vale lembrar que chegamos a fazer uma matéria sobre esses "artefatos" no ano passado e, como conclusão, após uma extensa jornada sobre o assunto, o Instituto Nacional de Antropología e Historia em Aguascalientes, no México, disse que a olho nu era possível notar que as pedras ou artefatos não eram autênticos, pois eram uma amálgama (entenda como "mistura") de desenhos de diversas culturas: asteca, olmec, maia, todas nas mesmas pedras e com características atribuídas a extraterrestres. Resumindo, os materiais não eram artefatos autênticos, mas tão somente uma espécie de artesanato moderno (leia mais: Será Verdade que Diversos "Objetos Astecas" Mantidos em Segredo Revelariam o Contato com Seres Extraterrestres?).

O Instituto Nacional de Antropología e Historia em Aguascalientes, no México, disse que a olho nu era possível notar que as pedras ou artefatos não eram autênticos, pois eram uma amálgama (entenda como "mistura") de desenhos de diversas culturas: asteca, olmec, maia, todas nas mesmas pedras e com características atribuídas a extraterrestres
Evidentemente, não posso dizer que os 269 vídeos do usuário "vlad9vt" reflitam inverdades, porém existe um forte viés de ser um contéudo bem distorcido em relação ao que atualmente é levado a sério por inúmeros arqueólogos e antropólogos de carreira, não apenas da boca para fora.

Após essa pequena apresentação desse usuário, podemos perceber que seu vídeo é uma mistura de vídeos e fotografias disponibilizados pelo Thierry Jamin, em sua conta no Facebook, e inclui até mesmo prints de conversas entre esse usuário e o próprio Thierry. O pretexto seria mostrar mais exemplares das supostas "múmias alienígenas", que teriam sido encontradas, porém o que vemos de novidade é basicamente uma "múmia" um pouco maior (com cerca de 38 cm) do que a amplamente divulgada anteriormente (com cerca de 31 cm), e alguns exames de raios-X. Existe uma grande morosidade no vídeo até chegar em uma parte que retrata uma suposta conversa entre esse usuário e o Thierry.

O pretexto seria mostrar mais exemplares das supostas "múmias alienígenas", que teriam sido encontradas, porém o que vemos de novidade é basicamente uma "múmia" um pouco maior (com cerca de 38 cm) do que a amplamente divulgada anteriormente (com cerca de 31 cm), e alguns exames de raios-X
Não fica muito claro quando a conversa entre Vladimir Kudin (vlad9vt) e Thierry Jamin aconteceu, porém no diálogo é possível notar que Thierry menciona que foram encontrados cerca de 20 "objetos", entre eles corpos pequenos, orgãos, e demais "objetos". Além disso, também teria sido encontrado um "crânio humanoide" com mais de 1 metro de diâmetro. Porém, ao ser questionado sobre a foto desse crânio, Thierry disse que "não era possível, porque não dependia dele".

Não fica muito claro quando a conversa entre Vladimir Kudin (vlad9vt) e Thierry Jamin aconteceu, porém no diálogo é possível notar que Thierry menciona que foram encontrados cerca de 20 "objetos", entre eles corpos pequenos, orgãos, e demais "objetos". Além disso, também teria sido encontrado um "crânio humanoide" com mais de 1 metro de diâmetro
Curiosamente, no dia 1 de fevereiro, Thierry lançou um crowdfunding, ou seja, uma campanha de financiamento coletivo, para que pessoas de todas as partes do mundo pudessem doar dinheiro para ele realizar exames de DNA e de C-14 nas amostras. Ele denominou essa campanha com o sugestivo nome de "Alien Project", e a publicou no site francês "Ulule". Ele também convidou todos os céticos e as pessoas que acreditam na existência de seres extraterrestres, que se juntassem no que ele chamou, em um dos seus vídeos, de "aventura".

Fotografia divulgada por Thierry Jamin, em sua conta no Facebook,
relacionada as "descobertas" realizadas em Tacna, no Peru
Outra fotografia divulgada por Thierry Jamin, em sua conta no Facebook,
relacionada as "descobertas" realizadas em Tacna, no Peru
Mais uma fotografia divulgada por Thierry Jamin, em sua conta no Facebook,
relacionada as "descobertas" realizadas em Tacna, no Peru
Quarta fotografia divulgada por Thierry Jamin, em sua conta no Facebook,
relacionada as "descobertas" realizadas em Tacna, no Peru
Quinta fotografia divulgada por Thierry Jamin, em sua conta no Facebook,
relacionada as "descobertas" realizadas em Tacna, no Peru
Na apresentação de sua campanha, Thierry fez questão de mencionar que o principal objetivo do Instituto Inkari, que é uma organização que ele preside desde 2009, no Peru, não é a pesquisa ufológica, mas a investigação arqueológica, e o respeito aos procedimentos e regulamentações que regem a "arqueologia moderna". Essa é uma parte interessante, porque Thierry não é arqueólogo e nem mesmo antropólogo, é apenas um explorador, e já se envolveu em uma grande polêmica com o governo peruano entre 2011 e 2013. Aliás, Thierry é conhecido por suas "pesquisas", desde 1998, em busca da lendária cidade de ouro do povo Inca, que estaria supostamente escondida em algum lugar remoto das florestas tropicais do sudeste do Peru, norte da Bolívia e sudoeste do Brasil. A cidade perdida teria um nome: Paititi.

Em um segundo momento ele questiona, que por décadas, milhões de pessoas ao redor do mundo estão em busca da evidência "cabal" em relação a visita ou existência de seres extraterrestres na Terra, e ele estava convencido da autenticidade da história. Portanto, resolveu pedir a colaboração das pessoas. Ele também disse que irá aplicar os métodos da "arqueologia moderna", e que as pessoas podem confiar nele, visto que se os objetos forem falsos, eles será o primeiro a revelar isso. Essa parte é curiosa, porque ele confia na autenticidade da história, mas pede doações para confirmar a autenticidade dos objetos.

Em um segundo momento Thierry questiona, que por décadas, milhões de pessoas ao redor do mundo estão em busca da evidência "cabal" em relação a visita ou existência de seres extraterrestres na Terra, e ele estava convencido da autenticidade da história
Em um terceiro momento, Thierry menciona que cerca de quinze arqueólogos, biólogos, médicos e anatomistas verificaram os tais objetos, e nenhum deles foi capaz de dizer que se tratava de uma fraude. Curiosamente, até o presente momento, só sabemos o nome do "médico" Dr. Edson Salazar Vivanco, que no passado aparentemente tinha deletado sua conta no Facebook, mas que retornou com a mesma após alguns dias. Resumindo? Até hoje não sabemos as qualificações profissionais do Dr. Edson Salazar e muito menos quem são esses outros 14 "especialistas". Além disso, para tentar convencer as pessoas ele até mesmo tenta citar frases supostamente atribuídas a "Albert Einstein" e "Aristóteles".

O valor que Thierry espera arrecadar com sua campanha é cerca de € 29.000 (aproximadamente R$ 96.000 pela cotação atual). Agora, reparem bem no que será analisado por ele:
  • Análises completas em três laboratórios independentes dos materiais extraídos a partir da pequena cabeça mumificada;
  • A análise em três laboratórios independentes das fibras de algodão encontradas na pequena cabeça mumificada, e o estudo comparativo com o algodão de culturas Nazca e Paracas;
  • A análise em um laboratório peruano de um produto em pó, que cobria os restos mumificados, e estudo comparativo dos minerais no litoral Paracas-Nazca;
  • A análise em um laboratório peruano dos implantes de metal descobertos em uma das "mãos de três dedos".
Parece sensacional, não é mesmo? Contudo, onde estão as fotos do interior do local onde os supostos artefatos foram descobertos? Qual a real localização? Quais Institutos de Arqueologia estão envolvidos nessa história? Só temos uma foto extremamente borrada do suposto local. Aliás, por que não temos imagens do crânio humanoide com mais de 1 metro de diâmetro? Por que não é feita uma análise nesse crânio, que a príncipio soa bem mais interessante? Por que somente o "Dr. Edson Salazar" é mencionado? Quais são os nomes dos laboratórios que farão as análises? Quais são os nomes dos demais profissionais envolvidos? Nada disso é explicado e publicado no texto da campanha de arrecadação de fundos. Enfim, atualmente a campanha já arrecadou 23% do necessário, pouco mais de € 6.800, de 159 pessoas interessadas (esses números vão mudar com o decorrer dos dias), em cerca de 11 dias.

Sinceramente, essa história continua da mesma forma como foi divulgada, e da mesma forma como detalhamos ponto a ponto para vocês. Nada leva a crer que isso seja verdadeiro, principalmente pela forma como isso é divulgado, a omissão sistemática de informações e fotos que sejam realmente relevantes, entre outros detalhes. De qualquer forma, vamos aguardar para ver até onde isso vai chegar.

Atualização #3: 25/04 as 14h55 - As "Múmias Alienígenas", Supostamente Encontradas no Deserto de Tacna, no Peru, São Falsas!


Vamos a mais uma atualização sobre esse caso, que está se tornando cada vez mais absurdo. Pois bem, o usuário "krawix999", também conhecido por Luis Quispe, recentemente revelou através de comentários no YouTube, e até mesmo para o site peruano de notícias "Trome", que todo o material é uma "montagem", e que houve "manipulação", ou seja, os "objetos" não são múmias de seres alienígenas.

Em entrevista ao "Trome", Luis Quispe disse que comprou uma parte do material de um huaquero, que nada mais do que um termo utilizado para definir caçadores de relíquias arqueológicas, que na prática não passam de saqueadores, em Nazca. Essa pessoa teria descoberto esses itens dentro de uma série de câmaras subterrâneas enterradas em argila. Somente por esse dado, a história já teria uma imensa contradição, visto que originalmente ele disse que os itens teriam sido encontrados em Tacna, que fica a mais de 780km a sudeste de Nazca (cerca de 12h de carro). Ainda de acordo com Luis Quispe, arqueólogos forenses, médicos e outros especialistas comprovoram que os itens foram manipulados e criados possivelmente por culturas antigas ou até mesmo os incas.

Em entrevista ao "Trome", Luis Quispe disse que comprou uma parte do material de um huaquero, que nada mais do que um termo utilizado para definir caçadores de relíquias arqueológicas, que na prática não passam de saqueadores, em Nazca
"Não se sabe o porquê de terem criado utilizando ossos de antigos animais e seres humanos", disse Luis Quispe. Segundo ele, na análise espectroscópica também verificou-se que esses "seres" tinham proteína, carboidratos e uma substância que foi utilizada para a mumificação em sua pele. Essa é uma declaração bem estranha, porque ele disse que os "objetos" eram uma composição de ossos humanos e de animais, mas ainda assim se refere aos itens como se fossem "seres".

"É a primeira vez no Peru que se encontra essas formas humanoides. Meu objetivo é provar que, quem fez isso, talvez teve contato com seres extraterretres", disse Luis Quispe. De qualquer forma as tais "múmias" não eram seres extraterrestres.

"É a primeira vez no Peru que se encontra essas formas humanoides. Meu objetivo é provar que, quem fez isso, talvez teve contato com seres extraterretres", disse Luis Quispe. De qualquer forma as tais "múmias" não eram seres extraterrestres
De acordo com o "Trome", Johny Isla, chefe do Sistema de Gestão do Patrimônio Cultural em Nazca e Palpa, disse que arqueólogos realizaram investigações e buscas durante dez dias na região. No entanto, nada foi encontrado, e por isso eles não podiam atestar a descoberta. Johny Isla ainda disse qu deveria ser feito diversos testes, tal como o carbono-14.

"Eles deveriam nos dizer o local exato onde isso foi encontrado para estudarmos os objetos, visto que só nos enviaram fotos dos mesmos. Ele fala que existem alienígenas, mas não há nada em particular que seja verdade", teria dito Johny Isla.

De acordo com o "Trome", Johny Isla, chefe do Sistema de Gestão do Patrimônio Cultural em Nazca e Palpa, disse que arqueólogos realizaram investigações e buscas durante dez dias na região. No entanto, nada foi encontrado, e por isso eles não podiam atestar a descoberta. Johny Isla ainda disse qu deveria ser feito diversos testes, tal como o carbono-14.
Agora, vocês querem realmente saber a pior parte dessa história?  Recentemente, a Associação Peruana de Ufologia (APU) representada por Anthony Choy (o mesmo que realizou diversos estudos e não conseguiu concluir que um "ser humanoide" em um posto de gasolina era apenas um balão do Pernalonga) e Rafael Mercado, tiveram acesso a mais itens que estariam sendo protegidos por um grupo autodenominado "Guardiones de Atok Marka" ("Guardiões de Atok Marka", em português).

Um blog peruano chamado "AstroUFO" também chegou a mencionar que esse grupo teria mais de 2.000 peças guardadas. Enfim, foi publicado até mesmo um vídeo no YouTube, sobre tais descobertas, algo que você pode conferir abaixo (em espanhol):



De qualquer forma, essa é uma história totalmente fantasiosa e sem nenhum cabimento promovida pelo Anthony Choy, que é uma espécie de Jaime Maussan peruano. O próprio usuário krawix999, respondeu dizendo que todo o material era manipulado, e que não eram seres extraterrestres nos comentários desse mesmo vídeo, conforme vocês podem conferir a seguir:


Comentérios do usuário krawix999 no vídeo promovido por Rafael Mercado da Associação Peruana de Ufologia
De acordo com Luis Quispe (nome do usuário krawix999), todo o material teria sido criado por alguém, ou seja, são peças manipuladas. Os crânios seriam "reais", mas teriam sido esculpidos (isso não ficou muito claro). Ele também acusou o "Dr." Edson Salazar de encobrir a verdade, ou seja, que não eram seres extraterrestres, e que teria sido usado resina vegetal nas peças. Curiosamente, em meio a tantas mentiras, ele também disse que a descoberta era real, mas as peças não.

Apesar de não apresentar provas sobre suas alegações, Luis Quispe disse que as apresentaria em breve através de veículos de comunicação peruanos. Contudo, sinceramente, acho que já ficou mais do que provado que tudo isso não passa de uma tremenda farsa, não é mesmo? Curiosamente, gostaria de saber o Thierry Jamin vai fazer com € 39.510 (cerca de R$ 130.000 pela cotação atual), dinheiro esse que foi arrecadado de sua campanha de financiamento coletivo, ou seja, das pessoas que acreditaram nesse engodo. Como sempre digo, pensem muito bem antes de doarem dinheiro em relação a temas desse gênero.

Até a próxima, AssombradOs!

Criação/Tradução/Adaptação: Marco Faustino

Fontes:
http://elcomercio.pe/sociedad/lima/francia-revela-que-falso-arqueologo-pretendia-excavar-machu-picchu_1-noticia-1567535
http://locklip.com/the-city-of-gold/
http://mysteriousuniverse.org/2016/12/strange-three-fingered-alien-looking-hand-found-in-peru/
http://www.ancient-origins.net/news-evolution-human-origins/initial-dna-analysis-paracas-elongated-skull-released-incredible
http://www.apparentlyapparel.com/news/brien-foerster-ancient-aliens-steal-peru-museum-artifact
http://www.danterios.com/informacion.html
http://www.diariomatutino.com/noticia.php?ID=119&tipo=POLICIAL
http://www.granpaititi.com/documents/cv_tj.pdf
http://www.instituto-inkari.org/the-members-of-the-inkari-cusco-institute-inkari-110.html
http://www.peruthisweek.com/news-peru-officials-warn-offake-french-archeologist-13922
http://www.rumbosdelperu.com/posible-tumba-y-tesoro-de-pachacutec-es-descubierto-en-machu-picchu-V443.html
https://badarchaeology.wordpress.com/tag/brien-foerster/
https://en.wikipedia.org/wiki/Thierry_Jamin
https://hiddenincatours.com/strange-alien-hand-found-coast-peru/
https://vimeo.com/user9685441/about
https://web.archive.org/web/20140120053727/http://www.mcultura.gob.pe/noticia/direccion-regional-de-cultura-cusco-rechaza-supuesto-descubrimiento-en-machu-picchu
https://www.facebook.com/Shipibospirit
https://www.facebook.com/edson.salazarvivanco
https://www.facebook.com/thierry.jamin
https://www.quora.com/Are-the-DNA-reports-that-the-Paracas-skulls-are-not-human-an-overblown-conjecture
https://www.youtube.com/channel/UCdtgHJOC7G--A6VGfO-V90g
https://www.youtube.com/channel/UCjPFCqoU757S0Cgrj6hPIhw
https://xissufotoday.space/2016/12/the-hand-of-the-alien-hybrid-from-peru/
Comentários