7 de dezembro de 2016

Vozes Fantasmagóricas Teriam Sido Gravadas por um Caçador de Aventuras em uma Antiga Mina de Ouro Abandonada?

Inscreva-se no canal clicando no botão abaixo:
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes

Por Marco Faustino

Geralmente estamos acostumados a noticiar casos envolvendo casas, sanatórios, e até mesmo bares e restaurantes considerados assombrados ao redor do mundo, mas raramente falamos sobre minas mal-assombradas. As técnicas e os equipamentos da mineração modernos certamente evitam um maior número de mortes no interior das minas, algo que não podemos dizer em relação a décadas e séculos anteriores, onde havia uma concentração ainda maior de homens, que passavam longas horas debaixo da terra à procura de metais preciosos ou, por exemplo, na extração de carvão, sob condições totalmente precárias e degradantes. Contudo, segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT) o setor de mineração (de ferro, carvão, ouro, diamante etc) continua sendo o mais perigoso do mundo para se trabalhar atualmente. Segundo a OIT, a indústria extrativa é a que mais oferece risco de acidente e até mesmo de vida, por ser a que menos oferece medidas de segurança aos trabalhadores. Além dos poucos ou inexistentes mecanismos de segurança, trabalhar em uma mina é quase garantia de ter seus direitos desrespeitados também em termos de piso salarial, jornada de trabalho e abusos físicos por parte dos empregadores, mesmo nos dias atuais.

O Brasil também possui uma dolorosa cicatriz nesse aspecto. No dia 10 de setembro de 1984, cerca de 32 anos atrás, um trágico acidente com uma equipe de mineiros escalada para o primeiro turno de trabalho na Mina Santana, da extinta Companhia Carbonífera de Urussanga, localizada na cidade de mesmo nome ao Sul do Estado de Santa Catarina, entraria para a história do nosso país. Por volta das 5h da manhã houve uma grande explosão. Todos os 31 trabalhadores do painel 6, que estavam a 80 metros de profundidade, morreram por asfixia e queimaduras. As causas da explosão nunca foram, de fato, esclarecidas. Perícias feitas na época indicaram acúmulo de gás metano (um gás inflamável, presente na camada de carvão, que em determinada quantidade causa explosões). A situação pode ter sido agravada pela falta de ventilação na mina. Isso porque quedas de energia ocorridas na véspera do acidente podem ter comprometido o funcionamento dos exaustores, que levavam o ar da superfície para o subsolo. Vale lembrar que na época havia muito mais trabalho (eram quase 13 mil mineiros e a indústria produzia o dobro do que atualmente) e quase não existiam regras. A extração do carvão era manual, usava-se explosivos, e não havia sequer a proibição de fumar no interior da mina. De qualquer forma, a tragédia se tornou um marco para a normatização da atividade no Brasil. Atualmente, segundo o Departamento Nacional de Produção Mineral (DPNM), responsável pela fiscalização de produção de segurança nas minas, um acidente como o de 1984 raramente aconteceria nos dias de hoje. Os motivos são a mudança nas leis, a fiscalização mais rigorosa e o investimento das próprias empresas em segurança e modernização.

Por outro lado, não é nenhuma novidade que grupos paranormais frequentemente dizem que locais onde ocorreram mortes trágicas ou repentinas podem permanecer assombradas por anos, décadas ou séculos. A diferença é que raramente algum grupo se aventura em minas abandonadas, especialmente pelo estado das mesmas. Chega a ser notório o risco que estariam assumindo ao percorrerem labirintos escuros, com um ar rarefeito e a ameaça constante de desabamento das estruturas, muitas delas de madeira que ficaram expostas a ação do tempo e se encontram apodrecidas ou envergadas pelo peso das rochas originadas de pequenos desabamentos anteriores. Evidentemente, é mais fácil investigar o que está na superfície, não mesmo é mesmo? Agora, imagine um caçador de aventuras que dedica sua vida a explorar minas abandonadas, especialmente nos Estados Unidos, simplesmente pela aventura e pela adrenalina. Imagine também, que durante uma dessas jornadas que ele estava fazendo, aparentemente sozinho, ele se depare com estranhas "vozes fantasmagóricas" no interior da mina, muitas delas questionando se ele podia vê-las ou escutá-las, e dizendo para que desse o fora do local. Tenso, não é mesmo? Um usuário no YouTube, proprietário do canal "Exploring Abandoned Mines", teria passado por essa estranha experiência na mina Waldeck, uma antiga mina abandonada de ouro, cuja boa parte da mídia alega estar localizada na Austrália, já outra parte diz que seria nos Estados Unidos. Vamos saber mais sobre esse assunto?

Conheça um Pouco Sobre o Canal "Exploring Abandoned Mines"


O canal do YouTube "Exploring Abandoned Mines" foi criado em julho de 2006, ou seja, há 10 anos, com uma premissa muito simples: explorar minas abandonadas. Em sua descrição é possível encontrar o seguinte texto:

"Venha explorar minas escuras, perigosas e abandonadas onde você poderá sentir o cheiro do ar frio e úmido; ouvir o som ressonante da antiga maquinaria subterrânea; sentir a presença dos mineiros tal como implacavelmente perseguiam seus sonhos dourados e fortunas incalculáveis. Siga, assim como faço, explorando e documentando minas abandonadas e históricas antes que elas se percam para sempre devido à erosão, colapso ou então sejam definitivamente fechadas de maneira deliberada. Não se engane, esse é o canal definitivo para a documentação, preservação e exploração de minas abandonadas em todos os lugares! 

O canal do YouTube "Exploring Abandoned Mines" foi criado em julho de 2006, ou seja, há 10 anos,
com uma premissa muito simples: explorar minas abandonadas
Novos vídeos são publicados nos dias 1, 10 e 20 de cada mês. Visualize e use as informações dos meus vídeos por sua conta e risco. Todas as minas abandonadas (especialmente as dos meus vídeos) são muito perigosas e vocês não devem entrar sob nenhuma circunstância. Nenhuma decisão ou suposição que amece potencialmente à vida, que seja arriscada ou legal, deve ser tomada com base nas informações dos meus vídeos. Meus vídeos são apenas educacionais e para entretenimento."

Desde então, o Frank, um dos principais responsáveis pelo canal, já publicou mais de 470 vídeos. Cerca de 98% dos vídeos, é claro, envolvem a exploração de minas abandonadas. Os demais vídeos que não abordam esse tema estão relacionados com músicas, resenhas de equipamentos de exploração e agradecimentos.

Desde então, o Frank, um dos principais responsáveis pelo canal, já publicou mais de 470 vídeos.
Cerca de 98% dos vídeos, é claro, envolvem a exploração de minas abandonadas.

E mesmo assim existe vídeo para todos os gostos. Em suas expedições, Frank já teria encontrado um revólver bem antigo dentro de uma caixa com um sombrio pentagrama gravado na mesma, um crânio humano e até mesmo um "fantasma", sendo que esse último "incidente", teria acontecido durante uma visita a mina Horton, no estado norte-americano de Nevada.

Esse lado mais "sobrenatural" ou "paranormal" de seus jornadas teria começado com um vídeo publicado em 2010, porém um maior interessante do Frank nessa linha ocorreu somente a partir de 2013, quando houve um aumento do número de vídeos onde "estranhos eventos" passaram a acontecer no interior das minas.

Esse lado mais "sobrenatural" ou "paranormal" de seus jornadas teria começado com um vídeo publicado em 2010, porém um maior interessante do Frank nessa linha ocorreu somente a partir de 2013, quando houve um aumento do número de vídeos onde "estranhos eventos" passaram a acontecer no interior das minas.
Entretanto, em um dos seus vídeos mais populares sobre possíveis eventos sobrenaturais, ele colocou a seguinte frase na descrição:

"Assim como todos os meus vídeos, tudo o que você vê, ouve e lê neste vídeo é apenas para fins de entretenimento e não deve ser interpretado literalmente"

"Assim como todos os meus vídeos, tudo o que você vê, ouve e lê neste vídeo é apenas para fins de entretenimento e não deve ser interpretado literalmente", disse Frank na descrição de um dos seus vídeos
Curiosamente, Frank tirou essa frase da descrição do vídeo em questão, algumas horas após eu ter enviado um email questionando justamente sobre isso e perguntando se ele concederia uma entrevista para nós sobre esse assunto. Até o fechamento dessa matéria (às 15h do dia 07/12), não houve nenhuma resposta.

Segundo uma notícia publicada no site CNET, havia uma outra frase na descrição do seu canal que dizia: "Tudo o que você vê, ouve e lê em todos os meus vídeos é apenas para fins de entretenimento, e não deve ser confiado ou interpretado como factual, de forma correta ou remotamente precisa". Aparentemente, essa frase também foi apagada. Estranho e muito suspeito ao mesmo tempo, não acham?

Um lado em comum quando se fala em exploração de minas, no entanto, é que nenhuma mina (até onde eu pude perceber) está localizada fora dos Estados Unidos, e quase todas estão concentradas no Oeste norte-americano. O canal, por exemplo, costuma visitar primordialmente minas nos estados da Califórnia, Nevada e Arizona, ou seja, não há ou não é comum a exploração de minas abandonadas em outros países, ainda mais tão distantes quanto a Austrália.

A Mais Provável Localização da Mina Waldeck


No vídeo intitulado "Creepy Sounds Captured in an Abandoned Mine While Reviewing the ThruNite TN12 Flashlight", por exemplo, temos um claro indicativo que o Frank não está na Austrália, visto que na "terra dos cangurus" a mão é inglesa, ou seja, ele estaria dirigindo no lado esquerdo da pista, enquanto o tráfego contrário estaria vindo pela direita. É possível notar claramente no vídeo, que o Frank está dirigindo em um país cuja "mão" é adotada na maioria dos países do mundo, a exemplo do próprio Estados Unidos. Isso para não dizer que Frank sequer possui sotaque australiano.

No vídeo temos um claro indicativo que o Frank não está na Austrália, visto que na "terra dos cangurus" a mão é inglesa, ou seja, ele estaria dirigindo no lado esquerdo da pista, enquanto o tráfego contrário estaria vindo pela direita.
Nesse ponto você pode fazer a seguinte pergunta: Então, por que boa parte dos sites de notícias e canais no YouTube estão dizendo que a mina Waldeck está localizada na Austrália? Bem, a resposta é um pouco diversificada, porém ela pode ser resumida a uma simples palavra: incompetência.

Geralmente, as pessoas não se dão ao trabalho de realizar uma pesquisa antes de gravar um vídeo ou publicar uma notícia. Normalmente, as fontes utilizadas são de tabloides britânicos, que têm um compromisso ainda menor com a verdade. Embora em nenhum momento Frank mencione a localização exata da mina Waldeck em seu vídeo, bastaria juntar poucas peças para saber que independentemente de qual fosse o nome dessa mina, a mesma não estaria localizada na Austrália, e sim, muito possivelmente, nos Estados Unidos.

A ideia de que a mina Waldeck (aquela que Frank explora no vídeo) estivesse localizada na Austrália partiu de alguns usuários que disseram, através de comentários publicados no YouTube, que a mesma estaria localizada no estado da Austrália Ocidental (Western Australia), o maior estado da Austrália.

A ideia de que a mina Waldeck (aquela que Frank explora no vídeo) estivesse localizada na Austrália partiu de alguns usuários que disseram, através de comentários publicados no YouTube
De fato, existe uma mina chamada Waldeck nos arredores da cidade de Wiluna, na Austrália, mas isso não prova absolutamente nada. Posteriormente, alguns tabloides britânicos se valeram dessa informação, influenciando os demais sites de notícias e canais do YouTube espalhados pelo mundo, que replicaram cegamente essa informação. Simples assim.

Agora que você já sabe que essa mina muito possivelmente não se encontra na Austrália, vamos contar para você qual é a mais provável localização da mesma. De acordo com o site Mindat, o maior banco de dados público de informações sobre minerais do mundo, a mina Waldeck provavelmente chama-se Waldeck Consolidated Quartz Mine, e está localizada nos arredores do distrito de Washington e do distrito de Omega, no estado da Califórnia, nos Estados Unidos, que é justamente uma região onde Frank e seus colegas estão acostumados a explorar minas.

Qualquer um pode encontrar essa mina no Google Earth ou Google Maps ao digitar as seguintes coordenadas: 39°22'10'' N, 120°44'53'' W. Alternativamente, você pode clicar aqui.

De acordo com o site Mindat, o maior banco de dados público de informações sobre minerais do mundo, a mina Waldeck provavelmente chama-se Waldeck Consolidated Quartz Mine, e está localizada nos arredores do distrito de Washington e do distrito de Omega, no estado da Califórnia, nos Estados Unidos
Ainda segundo o site Mindat, as primeiras minerações no distrito de Washington ocorreram durante a Corrida do Ouro, sendo que a exploração nos arredores do rio Middle Yuba foi altamente produtiva. As minas hidráulicas Omega e Alpha foram abertas em meados da década de 1850 e trabalharam em grande escala durante a década de 1880. Mais tarde, mineiros chineses retrabalharam os rejeitos, ou seja, a exploração na região continuou firmemente até aproximadamente o ano de 1915.

Em 1930, a região foi novamente explorada, sendo que mais "recentemente", na década de 1980, havia uma mina chamada "Red Ledge" em funcionamento na região, no qual se extraía barita, cromita e asbesto.
Em 1930, a região foi novamente explorada, sendo que mais "recentemente", na década de 1980, havia uma mina chamada "Red Ledge" em funcionamento na região, no qual se extraía barita, cromita e asbesto.
Resumindo? Todas as informações acima são compatíveis com o que Frank colocou na descrição de seu vídeo intitulado "Creepy Sounds Captured in an Abandoned Mine While Reviewing the ThruNite TN12 Flashlight", ou seja, que ele estaria visitando uma mina abandonada chamada Waldeck, de cerca de 150 anos, que no passado se extraía ouro. Acredito que encontramos nossa mina, não é mesmo?

Enfim, agora que vocês já conhecem um pouco sobre o canal do YouTube "Exploring Abandoned Mines" tendo em mente os seus "própositos de entretenimento", e a mais provável localização da mina Waldeck, acho que vocês têm informações suficientes para nosso principal assunto, o vídeo sobre supostas "vozes fantasmagóricas", que foi recentemente publicado nesse canal.

O Vídeo das Supostas "Vozes Fantasmagóricas" no Interior de uma Mina de Ouro Abandonada


O vídeo sobre as supostas "vozes fantasmagóricas" dentro de uma mina de ouro abandonada foi publicado no dia 1º de dezembro, seguindo a tradição e periodicidade de publicações do canal "Exploring Abandoned Mines". Desde então o mesmo já ultrapassou a marca de 560.000 visualizações e mais de 4.300 comentários. Esses números foram impulsionados nas últimas 48h principalmente devido a outro canal do YouTube, o "Creepypastas Everywhere", um canal muito popular sobre o tema "sobrenatural", em língua espanhola, que também abordou esse assunto.

Confira abaixo o vídeo publicado pelo canal "Exploring Abandoned Mines" (em inglês):



Sinceramente, o vídeo é bem monótono, embora o espectador sempre tenha a impressão que vai surgir algo bem diante dos seus olhos. Fiquem calmos, isso não acontece. No máximo você pode tomar um susto quando aparece um morcego bem diante da câmera.

A situação começa a ficar realmente estranha após Frank chegar ao fim do túnel principal da mina aos 11 minutos de vídeo, e então, obviamente, não tendo mais nada para fazer, ele resolve voltar. Até que em 12:10 ele pergunta "Vocês ouviram isso?", e volta sua câmera em direção ao fim do túnel. Inicialmente, ele acredita que uma série de estranhos "sussuros" pudesse ser a ação do vento, visto que a mina era bem ventilada. Porém, os "sussuros" ficam um pouco mais altos, ao ponto de formarem frases "bem definidas" (em inglês ou em outro idioma).

A situação começa a ficar realmente estranha após Frank chegar ao fim do túnel principal da mina aos 11 minutos de vídeo, e então, obviamente, não tendo mais nada para fazer, ele resolve voltar
Frank considera tudo aquilo muito estranho, assustador e arrepiante, porém ele não sabe dizer o que poderia ser. Ele chega a mencionar que poderia ser a ação de corujas ou até mesmo cobras e, então, começa a caminhar um pouco mais apressado e ofegante em direção a saída. A parte curiosa é que os tais "sussuros" não eram constantes e pareciam parar em determinados momentos. O vídeo, é claro, rapidamente fez sucesso e despertou inúmeras teorias do que aquilo gravado pelo Frank poderia ser.

Muitos usuários comentaram que poderia simplesmente ser o eco da voz do próprio Frank, já outros duvidavam, porque o som parecia como se pessoas estivessem cochichando ou sussurrando. Entre essas pessoas estava o usuário "Ztertis1" que fez o seguinte comentário:  "Nossa! A partir de 12:16 eu ouvi claramente "Get out of here" (Caia fora daqui, em português), em 12:29 ouvi "Get out! Get out! Get out!" (Dê o fora! Dê o fora! Dê o fora!). E então em 12:39 eu ouvi "Do you see me? I'm a shadow. I'm a shadow I'm a shadow" (Você me vê? Sou uma sombra. Sou uma sombra. Sou uma sombra). A partir de 12:56 eu posso ouvir muita gente sussurrando e um dizendo "I'm on fire" (Estou em chamas), e depois uma voz bem alta dizendo "Get out of here" (Caia fora daqui). Tenho certeza que há uma explicação científica para tudo isso, mas isso me arrepiou inteiro... Eu pude ouvir.."

Frank considera tudo aquilo muito estranho, assustador e arrepiante, porém ele não sabe dizer o que poderia ser. Ele chega a mencionar que poderia ser a ação de corujas ou até mesmo cobras
Alguns usuários compartilhavam a mesma impressão do usuário "Ztertis1", porém outros tinham a sensação de terem escutado outras frases. O usuário "Allen Sokos" acreditava que em 12:59 era possível ouvir a frase "Let me out" (Deixe-me sair).  O usuário "SkoolyRatt" acreditava estar ouvindo a frase "You better stop" (É melhor parar) repetidas vezes. Já o usuário "believe it" disse ter ouvido a palavra "innocent" (inocente) ou "your innocence" (sua inocência).

Outras pessoas resolveram tentar investigar um pouco mais a fundo, tentando isolar as vozes, sendo que algumas dessas vozes "sequer estariam falando em inglês". Essas pessoas tinham dúvidas a respeito da veracidade do vídeo, mas considerando a "boa reputação do canal", estavam inclinadas a pensar que tudo era verdadeiro.

Um usuário apelidado de "VendPrekmurec" mencionou que "Waldeck" seria a junção de duas palavras germânicas: "Wald" (cujo significado é floresta), e "Eck (que é uma abreviação de um nome próprio, derivada do alemão arcairco "ecka", cujo significado é "borda, esquina, canto"). Ele acreditava que na região teria morado uma minoria alemã. Segundo esse usuário, em 12:40 seria possível ouvir "Raus Hier!", que significa "Dê o fora!". Um outro usuário apelidado de "Dikapu" concordava sobre essa hipótese, dizendo que ele morava na Alemanha e tinha certeza que o "sussurante eco" estava em alemão: em 12:31 seria possível ouvir "Raus Hier!" (Dê o fora!) e em 12:41 "Wir sind hier" (Estamos aqui). Ele acreditava que o canal era absolutamente autêntico e a teoria sobre um som temporário causado pelo vento ou por correntes de ar não era compatível com o que ele tinha ouvido.

Segundo esse usuário, em 12:40 seria possível ouvir "Raus Hier!", que significa "Dê o fora!". Um outro usuário apelidado de "Dikapu" concordava sobre essa hipótese, dizendo que ele morava na Alemanha e tinha certeza que o "sussurante eco" estava em alemão
Determinados usuários estavam convictos que havia uma explicação científica ou racional para esses "sussuros". O usuário apelidado de "Ritchie Grijaldo" mencionou que tudo soava como um eco através de túnel muito longo, que começou com a voz do Frank e, então, a amplificação poderia ter vindo de algumas fontes de água estagnadas, de pontos profundos. Já o usuário "Dragos" citou que tudo tinha uma explicação científica, visto que deveríamos considerar que era uma mina e o som viajava de uma forma diferente daquela que estamos acostumados em nossos ambientes cotidianos.

Seguindo essa mesma linha, o usuário Kyle disse que a mina Waldeck era uma antiga mina de ouro abandonada que tinha várias entradas separadas, sendo que a maioria delas estavam em altitudes bem diferentes graças ao terreno do canyon onde ela se encontrava. Segundo o próprio Frank cita na descrição, ele entrou na mina durante uma "noite de tempestade". Nesse caso, a explicação mais provável é que teria havido alguma precipitação mais adiante no canyon, cujo som teria viajado através dele, "chicoteando" em suas paredes repetidamente, e o amplificando. No entanto, o som sofreria um deslocamento na frequência ao viajar através dessas longas distâncias, fazendo com que ele se deslocasse parcialmente em uma faixa abaixo de 20hz (algo que estaria abaixo do que o ouvido humano poderia ouvir) e distorcendo o mesmo, tornando-o muito estranho. Tanto isso seria verdade, que cada pessoa acreditava estar ouvindo algo diferente, porque era uma questão de interpretação em relação a algo que tentamos dar algum sentido (uma espécie de "pareidolia sonora").

Enquanto isso, no Reddit, o fórum de discussões disfarçado de rede social mais famoso do mundo devido a inúmeras especulações e teorias da conspiração que surgem de lá, "especialistas de plantão" tinham uma singela e curta explicação para tudo isso: farsa. Um usuário chamado "ShieldProductions", se dizendo especializado em produção de áudio e vídeo, tinha uma resposta para tudo isso.

Enquanto isso, no Reddit, o fórum de discussões disfarçado de rede social mais famoso do mundo devido a inúmeras especulações e teorias da conspiração que surgem de lá, "especialistas de plantão" tinham uma singela e curta explicação para tudo isso: farsa


Confira o que ele escreveu:

"Definitivamente não é um eco de sua própria voz. Quando escutei pela primeira vez no meu celular, isso soou super assustador. Quando coloquei meus fones de ouvido, é possível dizer que algo foi adicionado a gravação. As vozes foram pré-gravadas e inseridas no vídeo ou então foram editadas por meio de um outro programa. As vozes são muito claras, e se houvesse um rosto no vídeo fazendo esses sons, teria que estar sussurando bem ao lado da câmera. Parece quase com esses simuladores de esquizofrenia. Dito isso, ele me fez assistir a um vídeo de 14 minutos sobre uma laterna, então ele conseguiu o que queria"

Muitos passaram a concordar com o usuário "ShieldProductions". Até mesmo um outro usuário mencionou que tinha o "pacote de sons" utilizado pelo Frank em seu vídeo, porém o mesmo não estaria mais disponível para download, e ele também não fez questão alguma de divulgar nenhuma voz desse tal pacote. De qualquer forma, a possibilidade de ser uma fraude era muito grande, porque justamente nesse vídeo, o canal "Exploring Abandoned Mines" estava fazendo um review de uma laterna de mão, que atualmente encontra-se em pré-venda no site do fabricante e na Amazon.

Aliás, no próprio título do vídeo, ao contrário de outros vídeos dessa linha, consta isso. Reparem bem: "Creepy Sounds Captured in an Abandoned Mine While Reviewing the ThruNite TN12 Flashlight". As pessoas começaram a acreditar que tudo isso seria tão somente para chamar a atenção das pessoas para a lanterna que ele estava promovendo, ou seja, não passava de uma mera propaganda.

As pessoas começaram a acreditar que tudo isso seria tão somente para chamar a atenção das pessoas para a lanterna que ele estava promovendo, ou seja, não passava de uma mera propaganda


Confira um trecho da descrição desse vídeo: "Pertubador, sons estranhos. Isso é exatamente o que eu registrei em vídeo ao filmar e documentar a mina abandonada Waldeck usando a lanterna TN12 da ThruNite. A mina Waldeck é uma mina de ouro abandonada situada nas profundezas em um desfiladeiro coberto por florestas em uma área montanhosa. Eu fui lá em uma noite tempestuosa, com o intuito de documentar a mina enquanto fazia a resenha e demonstrava a excelente lanterna de mão TN12 da ThruNite. A mina abandonada tem mais de 150 anos de idade, e ainda tem um monte de vigas de madeira em pontos bem perigosos. Existem níveis superiores na mina Waldeck, mas tão somente explorei e documentei o túnel principal..."

Apesar de todas as evidências indicarem muito possivelmente uma fraude, ou seja, que as vozes foram inseridas posteriomente a gravação do vídeo, que por sua vez teria sido praticamente montado para promover o lançamento de uma lanterna de mão, ainda assim muita gente acreditava no canal, visto que na maioria dos vídeos não acontecida nada paranormal. Além disso, o canal já teria 10 anos e não precisaria desse tipo de publicidade para se promover. Será mesmo? Será que não vimos esse filme antes? Bem, irei falar sobre isso em meus comentários finais, mas antes disso, caso esteja frustrado ao perceber que isso é uma mentira em potencial, vou comentar rapidamente sobre uma pequena e interessante lenda chamada de "Tommy Knockers"

Vocês Já Ouviram Falar dos "Tommy Knockers"?


A mineração é uma das mais antigas atividades do homem, e juntamente com o trabalho árduo e os perigos de trabalhar no subterrâneo em meio a escuridão, vem superstições centenárias, sendo a mais notável delas chamada de "Tommy Knockers". Esses homenzinhos travessos, semelhantes a gnomos, são a versão da região da Cornualha (um condado que fica no sudoeste de uma península da Inglaterra, no Reino Unido), referente aos leprechauns irlandeses ou aos brownies ingleses. Os alemães os chamavam de "Berggeister" or "Bergmännlein", cujos significados seriam "fantasmas da montanha" ou "pequenos mineiros".

A Cornualha é um condado que fica no sudoeste de uma península da Inglaterra, no Reino Unido

 Esses homenzinhos travessos, semelhantes a gnomos, são a versão da região da Cornualha,
referente aos leprechauns irlandeses ou aos brownies ingleses
Segundo o site "Legends of America", os habitantes da Cornualha acreditavam que esses homenzinhos eram as almas dos judeus que crucificaram Cristo, e foram enviados pelos romanos para trabalhar como escravos nas minas de estanho. Essa crença era tão forte que alegavam que os "Tommy Knockers" não eram ouvidos aos sábados e nem mesmo durante festas judaicas. Com cerca de 60 cm de altura e muitas vezes descritos por terem a cor esverdeada, eles se pareceriam com um ser humano e frequentemente seriam vistos usando uma roupa tradicional de mineiro. Vivendo sob a terra, eles são "conhecidos" por cometerem boas e más ações ao longo dos séculos, muitas vezes pregando peças e cometendo atos de maldade, como por exemplo, roubando ferramentas e alimentos.

Os "Tommy Knockers" foram ouvidos pela primeira vez nos Estados Unidos, quando mineiros da Cornualha trabalharam nas minas de carvão na região oeste da Pensilvânia, na década de 1820. Quando a Corrida do Ouro da Califórnia começou, esses mineiros experientes da Cornualha foram bem recebidos e eram frequentemente procurados pelos proprietários das minas. Na tentativa de recrutar mais mineiros, os proprietários frequentemente se aproximavam dos imigrantes, perguntando se tinham algum parente na Inglaterra que pudesse vir trabalhar as minas. Assim sendo, a superstição em torno dos "Tommy Knockers" prosperou e se espalhou pelas minas mais a oeste da Pensilvânia.

Quando a Corrida do Ouro da Califórnia começou, esses mineiros experientes da Cornualha foram bem recebidos e eram frequentemente procurados pelos proprietários das minas.
O nome "knockers", pronunciado como "knackers", vem de batidas nas paredes da mina, que muitas vezes acontecem pouco antes de um desabamento. Na verdade, o som é causado pelo ranger da terra e das madeiras, porém muitos pensavam que esses sons de "martelamento" era malignos, indicando morte ou prejuízo, enquanto outros ouviam as batidas de uma forma bem intencionada, como uma espécie de aviso aos mineiros sobre a iminência de um desabamento. Outros, no entanto, acreditavam que os sons levariam a um ponto rico em minério ou até mesmo eram sinais de boa sorte.

Quando estes pequenos gnomos eram bondosos, acreditava-se que eles traziam prosperidade e riqueza aos mineiros. Porém, quando eram ruins, diziam que eles provocavam miséria, prejuízo e morte para aqueles que duvidavam de seus poderes ou que não acreditavam neles. Esses personagens altamente espirituosos também eram conhecidos por realizarem muitas tarefas envolvendo a mineração, trabalhando ao lado dos homens, além de serem culpados por muitas brincadeiras e creditados por salvarem a vida de muitos mineiros. Se um martelo estivesse faltando, os "Tommy Knockers" tinham pegado, mas se um mineiro escapasse com vida de um desabamento, bem os "Tommy Knockers" eram os responsáveis.

Quando estes pequenos gnomos eram bondosos, acreditava-se que eles traziam prosperidade e riqueza aos mineiros. Porém, quando eram ruins, diziam que eles provocavam miséria, prejuízo e morte para aqueles que duvidavam de seus poderes ou que não acreditavam neles
Com o tempo, a lenda dos "Tommy Knockers" evoluiu para a ideia de que as batidas eram causadas por mineiros mortos que foram gentis o suficiente para dar avisos de perigo para os vivos. Em louvor a esses gestos tão gentis, os mineiros passaram a deixar oferendas de comida e outros itens para garantir proteção e boa sorte no trabalho. Em algumas minas, onde a presença dos "Tommy Knockers" era conhecida por ser primordialmente "maligna", as minas foram forçadas a fechar por causa do medo dos homens em relação aos espíritos.

Quando as minas se esgotaram, a lenda ainda assim continuou, uma vez que passaram a dizer que os "Tommy Knockers" teriam encontrado "trabalho" nas casas que cercavam as antigas minas. Da mesma forma aconteceu em relação as superstições, que continuaram quando uma morte na família ou um desastre era supostamente predito por uma batida na casa. A crença nesses pequenos mineiros permaneceu durante o século 20 até que sistemas modernos e um pouco de educação substituiu essas superstições anteriores. Embora não se ouça falar muito dos "Tommy Knockers" hoje em dia, eles sempre terão um lugar na história, na lenda e no coração daqueles que acreditam.

Comentários Finais


Quando comecei a escrever sobre esse assunto e vi toda a propaganda que foi embutida em um vídeo onde supostamente ocorreria um fenômeno paranormal, não pude evitar de pensar em determinados canais do YouTube, que de vez em quando exploram o "sobrenatural", quase em tom de chacota. Isso tudo, é claro, para aproveitar o momento e angariar mais usuários sobre o pretexto que são livres para falarem sobre o que quiserem e no momento que bem entenderem. No caso específico desse vídeo sobre a mina Waldeck, vi pessoas defendendo arduamente o canal, e que os responsáveis pelo mesmo não teriam a necessidade de manipular um vídeo daquela forma, visto que há 10 anos exploram minas e arriscam suas vidas em nome do entretenimento para seus inscritos, e como forma de documentar minas históricas. Sinceramente? Não ter a necessidade é bem diferente de não querer fazer algo do gênero para chamar a atenção. Lembro de um caso anterior, onde um determinado canal claramente forjou uma suposta atividade paranormal, que estaria ocorrendo na casa de seu proprietário, e o discurso era exatamente o mesmo. Porém, o tempo foi passando, o assunto esfriou e pasmem, vira e mexe esse mesmo canal ainda tenta explorar da forma mais patética possível toda uma eventual sobrenaturalidade para tentar ter mais acessos. Assim que o assunto caiu no esquecimento, algo que geralmente acontece após uma semana, o número de inscritos estagnou. Resumindo? Sem fantasma, sem acesso. Sem acesso, sem monetização. Sem monetização, sem dinheiro.

Não estou dizendo que isso é condenável, repugnante ou que não deveria ser feito. Cada um faz o que quer da vida, visto que sempre terá alguém com uma mentalidade compatível em relação ao conteúdo oferecido. Porém, a partir do momento que você declara por diversas vezes que o seu material deve ser visto como forma de entretenimento, que não deve ser levado a sério, e você apaga isso de diversos vídeos que já havia publicado, bem, isso é querer dar um golpe nas pessoas. Principalmente aquelas que são atraídas pelo "fascinante mundo da paranormalidade", e que tentam buscar um canal ou uma fonte confiável nesse aspecto. O mais interessante é que pouquíssimas pessoas repararam nisso, a maioria continua procurando respostas para algo que simplesmente tem uma fortíssima possibilidade de ser mentira. Uma invenção que agora possui um novo apelido: "ghostbait", ou seja, vídeos que prometem ser paranormais, onde apareceriam fantasmas ou sons estranhos podem ser ouvidos, e que são tão somente criados para angariar inscritos, encher os bolsos de dinheiro dos seus produtores e fazer com os espectadores sejam taxados de idiotas. Tudo em nome do entretenimento, é claro. Afinal, a justificativa mais comum dessas pessoas é dizer que se filmes de terror também são criados para dar medo em relação a histórias falsas ou pretensamente baseadas em "histórias reais", porque não criar vídeos falsos para dar medo e entreter as pessoas? Seria algo normal, não seria? O problema é que as pessoas insistem em perguntar se seria verdade ou mentira. A pergunta tem uma resposta bem clara até mesmo para quem fica em cima do muro: é óbvio que é mentira.

Evidentemente, gravar um vídeo no interior de minas abandonadas dá muito trabalho, além de ser muito arriscado. Então, seria "natural que, ocasionalmente, algo sobrenatural ou paranormal acontecesse". Vídeos assim facilmente superam 1 milhão de visualizações, atraem um público que até então não possuíam, e permite que o produtor de conteúdo consiga sobreviver da sua arte de se esgueirar em minas prestes a desabar. Uma espécie de "mal necessário" para a sobrevivência do canal, mas algo completamente inútil para aqueles que tentam acreditar em uma suposta veracidade do que é apresentando em vídeo. Como forma de entretenimento acho até válido, mas querer trazer isso para o campo da autenticidade dos eventos, aí é outra história completamente diferente. A questão é que sempre terá alguém acreditando e alguém duvidando de casos assim. Você sempre encontrará argumentos a favor ou contra, envolvendo religião, crenças pessoais, conhecidos que praticam pseudociência e as mais diversas charlatanices, até chegar ao ponto da criação de grupos que vão atrás de lendas urbanas e se especializam mais em enganar as pessoas, como forma de entretenimento, é claro, do que realmente trazer um pouco mais de conhecimento e veracidade para suas vidas. Se você não se importa com a verdade, seja feliz. Agora, se você se importa com ela, bem, prepare-se para continuar sofrendo e ser constatemente enganado. Talvez isso um dia diminua, visto que isso nunca acabará, quando vocês realmente pararem para pensar no que vocês assistem, e a forma como isso afeta no que acreditam. Até lá, continuaremos tentando ajudar vocês nesse sentido.

Até a próxima, AssombradOs!

Criação/Tradução/Adaptação: Marco Faustino

Fontes:
http://americanfolklore.net/folklore/2010/07/tommy_knockers.html
http://bloodasylum.weebly.com/coal-mines-monster.html

http://bloody-disgusting.com/news/3416431/ghostly-voices-caught-tape-exploring-abandoned-mine/
http://bonzle.com/c/a?a=p&p=295377&cmd=sp
http://www.legendsofamerica.com/gh-tommyknockers.html
http://www.mindat.org/loc-209275.html
http://www.mindat.org/loc-84885.html
https://en.wikipedia.org/wiki/Knocker_(folklore)
https://www.cnet.com/news/abandoned-mine-explorer-flashlight/
https://www.reddit.com/r/videos/comments/5fw3q4/guy_goes_to_explore_the_waldeck_mine_encounters/
https://www.thesun.co.uk/living/2319591/creepy-footage-of-an-abandoned-mine-captures-terrifying-sound-of-ghostly-whispers/
https://www.youtube.com/watch?v=UVEU6n2eKtg
Comentários