13 de dezembro de 2016

Fenômeno "Poltergeist" no Maranhão? Misteriosas Pedras e Pedaços de Telhas Caem Sobre Casas na Cidade de Lago da Pedra

Inscreva-se no canal clicando no botão abaixo:
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes

Por Marco Faustino

Se tem algo clássico em termos de eventos paranormais ou sobrenaturais, com certeza seria o chamado fenômeno "Poltergeist". Se você acompanha habitualmente o blog AssombradO.com.br, já deve saber que os fenômenos "poltergeist" (do alemão "poltern", que significa fazer barulho, e "geist", que significa espírito), começaram a ser assim chamados sistematicamente por Martinho Lutero (1483-1546) durante a Reforma Protestante para designar determinados eventos que, segundo se acreditava religiosa e popularmente, seriam provocados por espíritos desencarnados ou até mesmo por demônios. Esses eventos consistiriam em ocorrências físicas extra-motoras, ou seja, sem que, à primeira vista, fosse identificada alguma causa natural ou conhecida para que esses eventos acontecessem, tais como: a movimentação e/ou ruptura "espontânea" de objetos, chuva de pedras ou tijolos sobre uma casa ou em um determinado ambiente fechado, o aparecimento espontâneo de água ou fogo, o aparecimento de fezes em alimentos, correntes de ar, e o acender e apagar de luzes, tudo isso de forma misteriosa aos olhos das pessoas que observam essas ocorrências. E acreditem, frequentemente temos a ocorrência de tais fenômenos em diversas localidades no mundo, inclusive no Brasil, porém quase sempre são cidades ou vilarejos afastados dos grandes centros urbanos. Isso, é claro, desperta muita curiosidade e ao mesmo tempo grande apreensão na população local, que invariavelmente costuma ter uma religiosidade intrínseca ao seu cotidiano.

Nesse ano, por exemplo, podemos destacar dois casos no qual comentamos. Um deles aconteceu em Honduras, quando uma moradora do bairro La Lomita, no município de El Paraíso, entrou em contato com o jornalista "Juan Flores", do jornal hondurenho "El Heraldo", para relatar algo que a estava deixando desesperada e sem dormir por mais de 20 dias seguidos. O motivo? Bem, de acordo com essa moradora, fantasmas estariam atirando pedras sobre o telhado de sua casa durante a noite e parte da madrugada, mais precisamente entre 19h e 2h da manhã. E isso não acontecia somente com ela, mas com outras 10 casas do bairro, que ficavam bem próximas umas das outras. O jornalista foi até o local para conferir esse "estranho fenômeno" de perto, e o que ele encontrou o deixou um tanto quanto assustado, embora ele tivesse dito anteriormente que não acreditava no "mundo sobrenatural". Naquela notícia informamos que embora alguns moradores acreditassem que pudesse ser um fenômeno sobrenatural, outros acreditavam que fosse a ação de alguém que tinha alguma coisa contra o bairro, porém não foram fornecidos maiores detalhes, e o assunto caiu no esquecimento (leia mais: Fenômeno Poltergeist? O Estranho Caso da "Chuva de Pedras" que Está Atormentando Moradores de El Paraíso, em Honduras). Outro caso, foi a de "supostos acontecimentos paranormais" em uma casa na cidade de Caiçara, no Rio Grande do Sul, que acabou sendo demolida, e que o Mateus chegou a fazer um especial, que pode ser conferido ao clicar aqui.

Entretanto, na semana passada, Carlinhos Filho, um jornalista e blogueiro do interior do Maranhão, que curiosamente também faz parte da nossa Sociedade Secreta dos AssombradOs (SSA), nos apresentou um caso bem perculiar sobre um "mistério" que estava ocorrendo no bairro Planalto, na cidade de Lago da Pedra, no Maranhão. Aparentemente, durante cerca de oito dias (entre o fim de novembro e início de dezembro), uma série de acontecimentos estranhos estava assustando os moradores locais, e pasmem, a qualquer hora do dia ou da noite. Pedras, tijolos e pedaços de telhas eram arremessados em telhados, nos portões das casas ou então em diversos locais da rua. Geralmente, quando mencionamos tais casos, o registro em vídeo desses "fenômenos" é extremamente raro, visto que acontecem predominantemente durante a noite e por se tratar de locais afastados ou geralmente mais humildes, a segurança pública é ineficaz e os moradores não contam com câmeras de vigilância para registrar os acontecimentos. Nesse caso, ma equipe de TV foi até o local e gravou o momento no qual pedaços de telha foram arremessados em direção a essa mesma equipe, em uma atitude considerada hostil. Não foi possível identificar a fonte naquele momento, mas isso não quer dizer que não fomos atrás para tentar encontrar uma explicação plausível para esse caso. Vamos saber mais sobre esse assunto?

Um Pouco Sobre a Cidade de Lago da Pedra, no Maranhão


Para que vocês não se sintam perdidos em relação a localidade onde os eventos acontecem, normalmente fornecemos algumas informações para que possam conhecer melhor as cidades, visto que nosso Brasil é imenso, e com certeza existem cidades espalhadas pelo interior que muitos, assim como nós, devido ao cotidiano agitado, muitas vezes nem fazemos ideia de sua existência.

Lago da Pedra é uma pequena cidade brasileira do estado do Maranhão, que segundo a estimativa populacional gerada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município deve superar por pouco a marca de 49.000 habitantes esse ano. A cidade é sede da chamada "Região de Planejamento dos Imigrantes" (uma das 32 Regiões de Planejamento do Estado do Maranhão), região Administrativa criada em 2007, na qual também fazem parte os municípios de Lago do Junco, Lago dos Rodrigues, Lagoa Grande do Maranhão, Marajá do Sena e Paulo Ramos.

Imagem do Google Maps mostrando a distância entre a cidade de Lago da Pedra e São Luís, capital do Maranhão.
A distância é de aproximadamente 300 km, sendo percorridos em pouco mais de 5h de carro
Lago da Pedra é uma pequena cidade brasileira do estado do Maranhão, que segundo a estimativa populacional gerada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município deve superar por pouco a marca de 49.000 habitantes esse ano
Foto da fachada do Terminal Rodoviário da cidade de Lago da Pedra, no Maranhão (Foto: Blog do Vilmar Ferreira)
Apesar de chamada de Imigrantes, a região, na verdade, é formada por grande parte de migrantes de outros estados do Nordeste do país, especialmente Ceará e Piauí. Em função das grandes secas que castigaram esses estados em diferentes épocas do século XIX, a região recebeu um grande contingente de migrantes que fugiram da seca. Por conta da falta de mão de obra qualificada, a região é carente de grandes investimentos, muito embora, Lago da Pedra conte, por exemplo, com um setor de serviços em desenvolvimento e a presença de franquias de lojas de renome nacional.

Sua geografia articula-se em torno do lago que originou o nome oficial da cidade, Lago da Pedra. Grande parte do lago, porém, está soterrada por estabelecimentos comerciais e residências distribuídas ao longo do centro da cidade e do bairro Jaguar. O restante, infelizmente, foi praticamente engolido pelo lixo urbano.

Apesar da escassez de recursos e dos inerentes problemas urbanos, Lago da Pedra é uma cidade aparentemente bem religiosa, tendo como seu santo padroeiro, o São José, cujas homenagens culminam no dia 19 de março. Geralmente, o festejo de São José, um dos festejos mais tradicionais do interior do Maranhão, dura entre sete e dez dias.

Apesar da escassez de recursos e dos inerentes problemas urbanos, Lago da Pedra é uma cidade aparentemente bem religiosa, tendo como seu santo padroeiro, o São José, cujas homenagens culminam no dia 19 de março (Foto da Igreja Matriz de São José, de Lago da Pedra, no Maranhão / Blog do Vilmar Ferreira)
Geralmente, o festejo de São José, um dos festejos mais tradicionais do interior do Maranhão, dura entre sete e dez dias
(Foto: Blog do Vilmar Ferreira)
É tradição, também, os festejos de São Francisco de Assis, realizados geralmente entre os meses de setembro e outubro, e que terminam com uma grande procissão por algumas das maiores avenidas da cidade, com a imagem do santo sendo carregada pelos fiéis durante todo o percurso.

É tradição, também, os festejos de São Francisco de Assis, realizados geralmente entre os meses de setembro e outubro, e que terminam com uma grande procissão por algumas das maiores avenidas da cidade, com a imagem do santo sendo carregada pelos fiéis durante todo o percurso (Foto: Blog do Vilmar Ferreira)
Enfim, é uma típica cidade do interior do nosso país, que possui suas virtudes e problemas, assim como qualquer outra, e que com certeza é composta, em sua maioria de gente honesta e trabalhadora. De qualquer forma, não encontrei casos anteriores de cunho paranormal ou sobrenaturais que pudessem estar associados a essa cidade, mas que provavelmente deve ter suas próprias lendas locais.

Entenda o Caso das Misteriosas Pedras e Pedaços de Telhas que Caem Sobre os Telhados de Casas em Lago da Pedra, no Maranhão


No dia 7 de dezembro desse ano, uma quarta-feira, o jornalista regional e blogueiro Carlinhos Filho, nos avisou sobre um estranho caso através da Sociedade Secreta dos AssombradOs (SSA), um grupo fechado no Facebook, no qual participam todos aqueles, que voluntariamente contribuem para que possamos continuar nosso trabalho em trazer cada vez mais conteúdo e pesquisa sobre os mais diversos assuntos para vocês (saiba mais como participar clicando aqui).

Inicialmente, Carlinhos fez questão de ressaltar que seu blog não abordava assuntos sobrenaturais ou paranormais, visto que o mesmo era mais voltado para notícias políticas e do cotidiano da cidade de Pedreiras e região (lembrando que Pedreiras fica bem próxima da Lago da Pedra), mas como o caso chamou atenção da cidade como um todo, e ele gostava de um bom mistério, decidiu realizar uma postagem sobre o assunto.

Inicialmente, Carlinhos fez questão de ressaltar que seu blog não abordava assuntos sobrenaturais ou paranormais, visto que o mesmo era mais voltado para notícias políticas e do cotidiano da cidade de Pedreiras e região
De acordo com Carlinhos, um mistério vinha aterrorizando os moradores do Conjunto Habitacional do Ipem, localizado no bairro Planalto, na cidade de Lago da Pedra, no Maranhão. As informações obtidas através de moradores locais apontavam, que há 8 dias uma série de acontecimentos estranhos estava deixando todos em pânico, uma vez que pedras, tijolos e pedaços de telhas eram jogados sobre os telhados, nos portões das casas ou em diversos locais da rua, a qualquer hora do dia ou da noite.

A parte interessante é que o bairro Planalto atualmente consta como sendo o centro da grande maioria dos órgãos estaduais e municipais instalados na cidade. Lá estão instalados órgãos como o Núcleo Regional de Defensoria Pública do Estado, Instituto Nacional do Seguro Social, Tribunal Regional Eleitoral, Fórum da Comarca de Lago da Pedra, e o SESI.

As informações obtidas através de moradores locais apontavam, que há 8 dias uma série de acontecimentos estranhos estava deixando todos em pânico, uma vez que pedras, tijolos e pedaços de telhas eram jogados sobre os telhados, nos portões das casas ou em diversos locais da rua, a qualquer hora do dia ou da noite (Foto: Blog Carlinhos Filho)
Na manhã daquela mesma quarta-feira, uma equipe da TV Nova Era (canal 5 de Lago da Pedra), esteve no local fazendo uma matéria sobre o "estranho fenômeno", quando presenciaram pedras, pedaços de telhas e de tijolos sendo jogados sobre as casas, colocando em risco as pessoas.

Aparentemente, ninguém conseguiu determinar quem estava jogando as tais pedras, algo que deixou todos intrigados e assustados. Sobre esse acontecimento, os moradores do Conjunto Habitacional do Ipem formaram vários grupos para descobrir os possíveis autores. Esses grupos se espalharam pelas ruas, revistaram quintais, residências, muros, árvores, mas nada foi encontrado. E mesmo assim, as pedras continuavam sendo arremessadas a qualquer hora do dia, noite ou até mesmo da madrugada.

O caso estava tirando o sono de muitos moradores, que relatavam que o pior período era realmente durante a noite. As "pedradas" não estavam deixando ninguém dormir tranquilamente. Uma moradora da Rua José Alves da Penha, visivelmente abalada, falou sobre o "estranho fenômeno":

"Já consertei o telhado da minha casa três vezes essa semana. Não sei mais o que fazer. Tenho 85 anos e as pedras caem toda hora no meu telhado. Ninguém sabe da onde vem, é isso o dia e a noite inteira. Estou dormindo na casa do meu filho, pois está perigoso e tenho muito medo", relatou a idosa.

O caso estava tirando o sono de muitos moradores, que relatavam que a pior período era realmente durante a noite. As "pedradas" não estavam deixando ninguém dormir tranquilamente (Foto: Blog Carlinhos Filho)
Carlinhos terminou sua postagem fazendo uma pergunta, que talvez qualquer pessoa faria diante dessa situação: "O que estaria acontecendo naquela região de Lago da Pedra? Seria uma brincadeira, maldade de desocupados ou coisa do além?"

No dia seguinte, a repórter Anne Caroline, da TV Nova Era, publicou em seu perfil no Facebook a reportagem realizada no Conjunto Habitacional do Ipem, no dia anterior. Confira um trecho dessa reportagem através da própria publicação da Anne Caroline ou através do vídeo abaixo:



A reportagem realizada pelo repórter Mauro Júnior (provavelmente era a Anne quem estava segurando a câmera) é até bem simples, porém curiosa. Era possível ver pedaços de telhas sendo arremessados em direção a equipe da TV Nova Era, aparentemente vindo da parte dos fundos das casas. Um morador local foi entrevistado e mencionou que durante a noite diversas pessoas, das demais ruas do conjunto habitacional, se dirigiam até aquele local para presenciar o "fenômeno" e também ajudar nas buscas por eventuais responsáveis. No final da reportagem, uma senhora, provavelmente a idosa que tinha a casa mais afetada pelo "fenômeno" mostrou a quantidade de pedras que tinha recolhido ao longo do tempo.

Tentei entrar em contato com a Anne Caroline para sabermos maiores informações, que infelizmente, por algum motivo, não respondeu as nossas tentativas de contato. Queríamos essencialmente ter mais detalhes sobre a composição familiar das casas, histórico de incidentes anteriores, eventuais depoimentos ou declarações das autoridades locais etc. Enfim, toda uma gama de informações jornalísticas que pudessem elucidar um mistério que foi transmitido, ainda que de forma velada, como se fosse sobrenatural ou paranormal.

Um morador local foi entrevistado e mencionou que durante a noite diversas pessoas, das demais ruas do conjunto habitacional, se dirigiam até aquele local para presenciar o "fenômeno" e também ajudar nas buscas por eventuais responsáveis
Entretanto, um dos comentários a respeito da reportagem publicada pela Anne em seu perfil no Facebook, chamou muito a minha atenção. O comentário era do Rubens Silva, professor municipal de Lago da Pedra, que escreveu o seguinte texto: "Acabou o mistério !! Jovens supostamente vizinhos que estavam impondo medo, terror a uma casa de uma idosa de 82 anos. Nós familiares procuramos as polícias civil e militar e não recebemos nenhum apoio... Tivemos que fazer um trabalho investigativo por conta própria. Cadê um dos direitos básico do cidadão que é a segurança , porém não fomos atendidos, infelizmente!"


Entretanto, um dos comentários a respeito da reportagem publicada do Anne em seu perfil no Facebook, chamou muito a minha atenção. O comentário era do Rubens Silva, professor municipal de Lago da Pedra
Entrei em contato com o Rubens Silva, que foi extremamente gentil e dedicou parte do seu tempo em me responder alguns questionamentos a respeito desse caso. De acordo com Rubens, essa era a primeira vez que algo assim acontecia no Conjunto Habitacional do Ipem e, no começo, tanto ele quanto os demais moradores até cogitaram uma hipótese paranormal em relação ao que estava ocorrendo. Ele me informou que, apesar dos "ataques" estarem ocorrendo principalmente na casa de uma senhora de 85 anos e seu filho, que também é idoso, outras casas da rua também estavam sendo alvejadas.

Segundo Rubens, ele e alguns moradores fizeram um boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia de Lago da Pedra. Eles teriam ligado diversas vezes para a Policia Militar, que respondia que esse problema não era da responsabilidade deles. Aliás, Rubens mencionou que nem mesmo a Polícia Civil nunca compareceu ao local. Tentamos entrar em contato com o 19º BPM do Maranhão, porém não houve qualquer resposta até o fechamento dessa notícia.

Compreensivelmente indignado, ele desabafou: "No entanto, se você está sendo atormentado por alguma coisa pertinente a segurança... temos que procurar é a polícia... Quais são as atribuições da segurança pública?". Uma pergunta bem centrada e racional, visto que algumas comunidades diante de casos semelhantes preferem procurar primeiramente padres, pastores, sensitivos e parapsicólogos do recorrerem as autoridades locais. Diante desse aparente descaso do poder público, parece até mesmo natural que essa "segunda via" seja a única opção de muitas comunidades.

Segundo Rubens, ele e alguns moradores fizeram um boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia de Lago da Pedra. Eles teriam ligado diversas vezes para a Policia Militar, que respondia que esse problema não era de responsabilidade deles. Aliás, Rubens mencionou que nem mesmo a Polícia Civil nunca compareceu ao local
Aparentemente, devido a perspicácia de Rubens, o fenômeno parou. Como? Bem, esse é um ponto interessante. De acordo com o professor, os responsáveis de carne e osso por atirarem as pedras seriam jovens, vizinhos e conhecidos da rua, mas que ele não podia mencionar os nomes por falta de provas materiais. Rubens teria iniciado uma vigília na rua, e então começado a espalhar que tinha instalado uma câmera de segurança. Posteriormente, ele disse para os vizinhos que já tinha uma noção de quem eram os responsáveis, e que iria comprovar isso, visto que tinha contratado um detetive particular, que estaria investigando o assunto. Além disso, um outro vizinho, que pediu para que não fosse identificado, teria afirmado a ele que presenciou um jovem jogando pedras nas casas. Parece que os rumores perpetrados por Rubens surtiram efeito, porque o "fenômeno" não estaria mais acontecendo no local.

Questionei Rubens sobre a razão pela qual a casa da idosa teria sido escolhida como alvo. Segundo ele, o motivo era apenas um: maldade. São duas pessoas idosas que moram na casa (mãe e filho), que não possuem recursos ou meios de se defender por conta própria, se tornando alvo da delinquência juvenil. Também entrei em contato com o Carlinhos para saber se ele tinha mais novidades sobre esse assunto, e ele me informou que uma equipe da TV Nova Era iria comparecer no dia do hoje (13) para tentar dar um desfecho para o caso. Como sempre fazemos, atualizaremos vocês assim que tivermos maiores novidades.

Entretanto, aparentemente esse caso está muito mais relacionado ao nosso mundo e toda a natureza humana, que certas vezes, se torna repulsiva através de atos covardes do que ao chamado "mundo sobrenatural", não é mesmo? O que falta muitas vezes são pessoas como o Rubens Silva, que nos autorizou a divulgar essas informações, assim como seu nome, que tentam efetivamente resolver os problemas de suas comunidades, que muitas vezes não são vítimas de assombrações, mas do silêncio daqueles que são pagos, com o dinheiro de seus impostos, para protegê-los.

Até a próxima, AssombradOs!

Criação/Adaptação: Marco Faustino

Fontes:
http://www.carlinhosfilho.com.br/2016/12/assombracao-misterio-assusta-moradores.html
https://pt.wikipedia.org/wiki/Lago_da_Pedra
https://www.facebook.com/annecaroline.felix.1/videos/1041466069333063/
Comentários