11 de dezembro de 2016

Crânios de Paracas (Peru): Humanos Desconhecidos ou Alienígenas?

Inscreva-se no canal clicando no botão abaixo:
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes

Cerca de 300 crânios encontrados na região de Paracas no Peru são extremamente alongados. Na tentativa de solucionar o mistério, um exame de DNA foi feito e as descobertas são incríveis: são tão diferentes de nós que seria impossível até de reproduzir conosco!

Assombrados, antes de começar a postagem, quero dizer que crânios alongados foram descobertos em todos os continentes do mundo, exceto a Antártida. Vou fazer uma postagem especial falando sobre esses crânios ao redor do planeta, mas neste em especial vou focar nos crânios alongados descobertos na região de Paracas, no Peru. Então vamos começar do início!

A Região de Paracas

Península de Paracas - Peru.
Paracas é uma península desértica, dentro da Província de Pisco, na Região Ica, costa sul do Peru, muito abundante em fruto do mar. Fica a 4 horas de carro da capital Lima.

Esta península faz parte da Reserva Nacional de Paracas, criada em 1975 para proteger a vida animal e a cultura de Paracas. É a principal área de proteção ambiental do país e é imensa, com mais de 335.000 ha, divididos entre o oceano e o continente.

Perto da entrada no interior da reserva está o Museu Sitio de Julio C. Tello . Renomado arqueólogo que fez grandes descobertas sobre a cultura antiga Paracas , apresenta artefatos e interpretação, bem como informações sobre a flora e fauna desta região única.

Atualmente existe uma vila de pescadores na região chamada Paracas, que não atrai muitos turistas e que foi fortemente atingida por um terremoto em 2007.



O Povo Paracas

De 700 anos a.C. até 200 anos d.C., segundo a ciência convencional, ou 10.000 a.c até 200 d.C., segundos os cientistas não convencionais, floresceu no local a cultura Paracas. Eram pescadores e agricultores. São famosos pela cultura têxtil do (algodão e lã), além de cerâmica.

Sua arte têxtil é considerada a melhor de todas as culturas pré-colombianas. Eles usaram lã de vicunha e algodão; suas textilaria eram feitas com desenhos harmoniosos e multi-coloridos de animais utilizados, desenhos antropomorfos e geométricos.

Uma das principais razões pelas quais a cultura Paracas é conhecido em todo o mundo é a qualidade de seus produtos têxteis, especialmente aqueles pertencentes ao período da necrópole deParacas, que datam do ano (500 a.C) e é uma bela obra de arte excepcional beleza desta cultura.

Eles também praticavam deformação craniana com uma finalidade estética e ritual, eram bons cirurgiões que realizaram trepanação fins médicos cranianos.  Formação de tecido cicatricial indica que muitos dos pacientes sobreviveram às operações, isto demonstra o conhecimento prévio de medicamento no antigo Peru.

Após o ano 200 d.C., a civilização Paracas funde-se com a dos Nazca.

Detalhes dos tecidos da cultura Paracas, feitos de lá e algodão.


Tecidos e crânios crânios alongados da cultura Paracas.


As Necrópoles de Paracas

Como o local é um deserto seco, ele preserva naturalmente os corpos devido a ausência de umidade. Assim, durante milhares de anos, muitas pessoas foram enterradas nessa região, em diverso locais diferentes.

As tumbas eram escavadas na areia e rocha do deserto com o formato de uma garrafa invertida, a uma profundidade de mais de 6 metros. Uma grande câmara subterrânea que podia conter de 30 a 40 indivíduos envoltos em tecidos foi acessada através de um longo e estreito poço. Este tipo de tumba está localizado na região conhecida como Cerro Colorado.

Os vestígios arqueológicos encontrados em Cerro Colorado incluem múmias masculinas e femininas de diferentes idades. Os corpos foram colocados em posição fetal. As múmias foram embrulhados com tecidos comuns e complexas, eles descobriram que os tecidos coloridos foram decorados com figuras de animais, peixes, cobras e figuras geométricas. Alguns dos corpos mostram práticas de trepanação craniana e deformações.

Ilustração de uma tumba em formato de garrafa invertida encontrada na região de Paracas. Ao lado, como era "embrulhada" uma múmia.
Uma das mais famosas múmias desenterradas das necrópoles de Nazca.

Diagrama de um modelo típico de tumba da Necrópolis de Wari Kayan.
A Descoberta dos Crânios

Em 1928, um dos mais famosos arqueólogos peruanos, Julio C. Tello, escavou um enorme e elaborado cemitério. Cada tumba continha uma família inteira, ricamente envoltas em várias camadas de tecido de algodão altamente estilizados e coloridos. As tumbas continha os restos de indivíduos possuidores dos maiores crânios alongados já encontrados no mundo. Foram encontrados mais de 300 crânios que ficaram conhecidos como "Crânios de Paracas".

Além dos crânios alongados, as múmias ter estatura elevada, 1,8 m de altura, e cabelos vermelhos, características que não combinam com os povos da região.

Para os estudioso convencionais, apesar de serem muito diferentes, foram feitos propositalmente para distinguir a classe social, mas também teriam um propósito religioso.

Exemplares de Crânios de Paracas. Veja como são alongados e seus cabelos vermelhos. Algo não comum na região.


Exemplares dos Crânios de Paracas


 Crânios Alongados: Como Fazer?

Já foram encontrados crânios alongados em muitas partes do mundo, e esses crânios foram claramente o resultado da prática conhecida como deformação craniana. Mas como é possível fazer o crânio obter este formato? O crânio de uma jovem criança é flexível ao nascer, e permanece assim por meses. Sabendo disto, colocavam uma placa de madeira na parte posterior e anterior do crânio, amarravam com uma corda ou tecido, e deixavam por um período de tempo que especula-se que seja de 6 meses a 3 anos.

É importante ressaltar que embora a deformação craniana mude o formato do crânio, ela não altera seu volume, peso, e nem outras características pertinentes ao crânio humano normal.

Povos do Sudão, Iraque, Síria, Rússia, a ilha de Malta, assim como muitos lugares no Peru e na Bolívia, e entre os olmecas do México usaram esta técnica para deformar suas cabeças.



As Pesquisas de Brien Foerster

Livro escrito por Brien Foerster
sobre os crânios alongados
Apesar de serem obviamente muito diferentes dos crânios do povo Inca da região, os crânios de Paracas são também muito, mas muito diferentes de um crânio deliberadamente deformado. Mas isso não impediu que durante anos e mais anos fosse ensinando que os crânios de Paracas são resultado de deformação craniana proposital para as pessoas.

Então, eis que surge um pesquisador que resolveu investigar a questão a fundo: o cientista Brien Foerster. autor de 12 livros e que vive atualmente no Peru, se dedicando a estudar esses enigmáticos crânios. Entre os livros publicados estão Crânios Alongados do Peru e Bolívia - O Caminho do Viracocha, publicado pela editra Anunaki, e The Enigma of Cranial Deformation - Elongated Skulls of the Ancients, escrito em parceria com David Hatcher Childress, famoso pela série Alienígenas do Passado, exibido no History Channel.

Brien Foerster teoriza que isso indique que outros povos, muitos antes dos europeus, estiveram na América do Sul, deixando por aqui suas sementes - isso sem contar, é claro, com a hipótese de ser um povo de outro planeta!



Características dos Crânios de Paracas 

Bryan cita que os crânio de Paracas são muito diferente dos crânios humanos normais ou os que foi feito o alongamento proposital. Algumas de suas características:

- Estes crânios tem um volume craniano que é 25% maior do que os crânios humanos convencionais (a simples deformação craniana não aumenta o volume), e pesam 60% a mais!
- Só tem duas placas cranianas, uma frontal e uma parietal, não duas como o nosso.
- Os orifícios oculares são muito maiores
- O nariz parece ser maior
- Tem dois buracos na parte detrás que são indicativos de onde os nervos saiam dessa caveira, para se ligar a cabeça.
- A mandíbula também é mais larga que a nossa

Desenho mostrando como seria o homem do crânio alongado e na direita alguns crânios, entre eles o de um ser humano normal, um com deformação craniana provocada propositalmente e um de Paracas.


O Teste de DNA

Brien quer descobrir a verdade sobre os crânios e não parou só nos livros que escreveu. Para tentar solucionar o mistérios, convenceram o Sr. Juan Navarro, proprietário e diretor do Museu de História de Paracas, que possui uma coleção de 35 destes crânios, a retirada de amostras de 5 destes crânios.

As amostras consistiram de cabelos, inclusive suas raízes, um dente, osso e pele dos crânios, e este processo foi cuidadosamente documentado por intermédio de fotos e vídeos.

Só que não é fácil fazer a análise de DNA de uma amostra de 2000 anos! O material está degenerado e não é barato fazer esse sequenciamento. Na verdade, foi difícil encontrar alguém que faça a valores acessíveis. Brien conta que conseguiu dois geneticistas, que não tem o nome divulgado, para trabalhar no caso, e que um deles foi o que forneceu o resultado que deixou todo mundo em choque.

Em entrevista publicada na revista UFO, Ed. 239, Brien diz sobre o assunto: "O resultado inicial é que os segmentos de DNA dos crânios alongados de Paracas não são encontrados no Genbank, o banco de dados de nucleotídeos, localizado no Instituto Nacional de Saúde (NIH), dos EUA, que armazena informações sobre sequencias de DNA de aproximadamente 260.000 espécies! Isso descartaria que fosse algum espécime humano conhecido até agora. Foram enviados três crânios para análise. O que o exame de DNA indicou foi que o exemplar 3A havia um DNA mitocondrial com mutações desconhecidas. Os dados estão incompletos e necessitam de muitas outras informações e trabalho para se recuperar a sequencia mitocondrial completa. Mas, nos poucos fragmentos que foi possível sequenciar da amostra 3A, ficou claro que se trata de uma nova criatura humana, muito distante do Homo sapiens, dos neandertais ou dos Hominídeos de Denisova.

O DNA mostrou que os ancestrais do povo Paracas vieram do Oriente Médio há mais de 10.000 anos."

Se tudo se confirmar, estamos diante de uma novo sub-espécie humana ou até quem sabe um espécie alienígena?

Mas vamos com calma, pois este é somente o primeiro  resultado e a análise ainda está na fase inicial de muitas fases de análises que estão para ocorrer.  Os resultados precisam ser replicados e mais análises feitas antes que se possa chegar à uma conclusão final.

Na segunda fase Brien pretende arrecadar fundos para que os outros dois crânios possam ser analisados e assim os resultadores possam ser comparados. Ele também disse que o geneticista vai esperar terminar os testes para revelar que é.



Visite os Crânios!

Estes crânios hoje estão espalhados por diversos museus e coleções particulares. Vou indicar aqui alguns museus do Perú para você ir lá ver e mandar uma foto para mim.

Antigamente, um dos locais onde era possível ver uma coleção de 35 crânios era o Museu Histórico de Paracas, de propriedade do Sr. Juan Navarro Hierro. Só que em 2011 esse museu sofreu um atentado e diversas peças foram danificadas. Sr. Navarro ficou muito bravo, pois eram peças particulares, de sua coleção. Ele ficou fechado desde então e foi construído um novo, próximo ao píer de frente para as Ilhas Ballesta, inaugurado em agosto de 2016.

Fachada do antigo Museu de História de Paracas.

Sr. Juan Navarro Hierro e a direita sala destruída em atentado em 2011.


Novo Museu do Sr. Juan Navarro Hierro inaugurado em agosto de 2016. Ele tem 40 crânios em exibição e é permitido tirar fotografias e fazer filmagens.
Existe um outro museu, desta vez arqueológico e oficial, bem no início da Reserva Natural de Paracas e próximo a Necrópole de Paracas, o Museu do Sitio Paracas Julio C. Tello. Ele foi construído em 1965 e  em 2007 um forte terremoto na região o danificou seriamente, tornando impossível recuperá-lo. O jeito foi demolir e construir um novo, que foi inaugurado em julho desse ano (2016).

Existe ainda o Museu Regional de Ica Adolfo Bermúdez Jenkins, na Jr. Ayabaca cuadra 8 s/n Urb. San Isidro. Ica - Perú.
.
Museu do Sitio Paracas Julio C. Tello, Km. 27 Carretera Pisco - Puerto San Martín (Reserva Natural de Paracas) Ica - Perú. Horário de visita: segunda a domingo das 9:00 as 16:00 hs. Grátis.





Conclusão

Assombrados, pelo que pudemos ver, esses crânios não são da espécie humana, muito menos feito através de uso de deformação craniana. São muito diferentes e apresentam somente um osso parietal, diferente de nós, que temos dois.

Isso é confirmado pelo resultado preliminar de DNA, mostra que são uma outra espécie, diferente de nós. Isso significa que não poderiamos reproduzir!

Ainda bem que o Brien resolveu investigar o mistério a fundo e divulgar para o mundo, senão esse seria mais um mistério abafado pela ciencia tradicional...

Fontes (acessadas em 10/12/2016):
- AssombradO.com.br: Os Enigmáticos Crânios de Paracas
- Wikipedia.es: Tejido de Paracas
- Youtube.com: Mi pieza favorita, "La momia de Paracas"
- Go2Peru: Julio C. Tello Site Museum
- Wikipedia.en: Paracas National Reserve
- Wikipedia.en: Paracas culture
- Tantettaus: Cultura de Paracas
- Wikipedia.pt: Península de Paracas
- Alienígenas do Passado: O Enigma de Nazca
- Youtube.com: Enormous Cone Head Of Paracas Peru: Lost Human History Revealed
- Diario Correo: Paracas: Museo arqueológico Juan Navarro en riesgo de cerrar
- Diario Correo: Nuevo Museo de Sitio Julio C. Tello abre sus puertas en Paracas
- Youtube.com: Paracas Mystery (General Context) - Misterio Paracas en Perú (Contexto General)
- Hidden Inca Tours: Day Tour Of Paracas: Sr. Juan Navarro Museum & Julio C. Tello Museum
- Revista UFO - Ed. 239
Comentários