15 de dezembro de 2016

Conheça a "Escola de Exorcistas" na Argentina: A Primeira da América Latina que Ensina Seus Alunos a "Expulsarem o Demônio"



Por Marco Faustino

Muitos jovens brasileiros, diante da dificuldade em ingressar em uma universidade pública ou até mesmo de conseguir uma vaga em um curso de sua preferência, e que a concorrência muitas vezes impede de seguir a carreira profissional que deseja, recorrem a universidades de outros países da América Latina. Outras vezes, no entanto, é uma questão de "facildade curricular", ou seja, de vez em quando é mais "fácil" se formar em determinadas universidades da Bolívia, Colômbia e até mesma da Argentina, do que no Brasil (por mais estranho que isso possa parecer). Isso tudo obviamente demanda uma certa condição financeira, mas que acaba compensando diante do gasto que teriam ao pagar uma universidade particular. De qualquer forma, talvez uma das maiores escolhas em nossas vidas esteja em saber qual profissão devemos exercer, no que devemos nos especializar, em descobrir no que somos verdadeiramente capazes e quem sabe destinados por alguma força superior. Quando criança, muitas pessoas têm o sonho de serem médicas, astronautas, jogadores de futebol, entre outras carreiras, que com o passar do tempo, infelizmente, seja por destino, acaso, falta de opção ou necessidade acaba se convertendo para outras áreas. Contudo, você já pensou ser um exorcista? Já imaginou passar horas a fio encarando diariamente o que muitos acreditam ser "demônios"? A questão é que na Argentina, qualquer pessoa, independentemente ou não de conhecimento prévio, pode se tornar uma espécie de exorcista, que dizer, um "Assistente Exorcístico", que é o título que você receberá após três anos de curso na "Escuela de Exorcismo y Liberación de la República Argentina" ("Escola de Exorcismo e Libertação da República da Argentina", em português).

Quem promove o curso é o controverso bispo luterano Manuel Acuña, uma personalidade singular na Argentina, que costuma alegar ter vencido cerca de 1.200 batalhas contra o demônio. Ele já deu declarações dizendo que já viu de tudo, "menos uma cabeça girar 360º" (assim como acontece na icônica cena do filme "O Exorcista"), e que seu primeiro exorcismo teria sido o momento pelo qual mais passou medo em toda sua "carreira". No ano passado, Manuel Acuña lançou um livro chamado "Ritual de Exorcismos", onde seria possível encontrar antigas orações (pretensamente milenares), assim como casos de possessões e pactos demoníacos. Porém, esse ano, mais precisamente no mês de março, ele resolveu inaugurar o polêmico curso para formar novos exorcistas que, segundo ele, serão necessários devido a um aumento de 25% dos casos de possessão ao longo da última década, sendo que 40% dos casos de possessão seriam de pessoas que teriam realizado a "brincadeira do copo" durante a adolescência. Vale ressaltar que Manuel Acuña se tornou uma espécie de celebridade por parte da mídia pelo seu jeito espalhafatoso e popular de ser, praticamente falando exatamente aquilo que as pessoas querem ouvir ou demonstrando casos de possessão diante das câmeras de TV. Algo assim, como vocês devem imaginar, não passaria batido pela imprensa. Vamos saber mais sobre esse assunto?

Quem é Manuel Adolfo Acuña na Visão da Mídia Internacional? 


De acordo com o site oficial da Parroquia El Buen Pastor ("Paróquia do Bom Pastor", em português), que por sua vez é a sede central da Igreja Carismática Luterana Independente da Argentina, Manuel Acuña teria nascido no dia 7 de abril de 1962, na capital da província de Corrientes. Desde muito jovem ele disse ter sentido o chamado do Senhor, e acabou ingressando bem cedo no Seminário da Igreja Católica Romana. Mais tarde, após um intenso estudo sobre as religiões e a espiritualidade, ele descobriu a riqueza proposta pela Reforma Luterana (...) Ele se retirou do caminho que estava seguindo para começar a servir ao Senhor em diferentes áreas.

Desde muito jovem, Manuel Acuña disse ter sentido o chamado do Senhor, e acabou ingressando bem cedo no Seminário da Igreja Católica Romana. Mais tarde, após um intenso estudo sobre as religiões e a espiritualidade, ele descobriu a riqueza proposta pela Reforma Luterana
Basicamente, a Reforma Luterana foi um movimento de caráter religioso, surgido na Alemanha, na segunda década do século XVI, liderado por Martinho Lutero. Esse movimento criticava diversas ações da Igreja Católica, propondo novos caminhos para o Cristianismo, que acabou resultando na criação da Igreja Luterana. Alguns dos princípios religiosos, por exemplo, incluíam a livre interpretação da Bíblia, a elliminação de tradições e rituais nos cultos religiosos, e o fim do celibato. Porém, esse não é o nosso assunto de hoje, é apenas para vocês terem uma pequena noção do assunto que estamos tratando.

Basicamente, a Reforma Luterana foi um movimento de caráter religioso, surgido na Alemanha,
na segunda década do século XVI, liderado por Martinho Lutero
Manuel Acunã, que pertence a uma das quatro igrejas luteranas na Argentina, costuma dizer que o compromisso de fazer parte da "infantaria de Deus" para "defender um território", invariavelmente afetou o seu cotidiano e até mesmo o seu caráter, fazendo com que as pessoas o considerem "autoritário" e "antipático".

"Alguns dizem que sou um pouco mau caráter", admitiu Acuña, com leve sorriso no rosto, em uma entrevista para a agência internacional de notícias EFE, em junho de 2015, antes de se justificar que se acostumou a travar uma "batalha muito violenta" contra o Diabo.

Ao menos naquela época, esses confrontos aconteciam toda quinta-feira, na Paróquia do Bom Pastor, localizada na rua Sud América 2235, entre as ruas Sabatini e Alberdi, em Santos Lugares, considerado um bairro de classe média baixa na periferia de Buenos Aires, na qual ele atendia a todos que necessitavam de sua ajuda em seu "pequeno escritório", assim como através da internet, uma plataforma indispensável para Acunã. Segundo ele, em tom de brincadeira, "se Jesus estivesse vivo, hoje em dia, ele usaria o Twitter".

Ao menos naquela época, esses "confrontos" aconteciam toda quinta-feira, na Paróquia do Bom Pastor, localizada na rua Sud América 2235, entre as ruas Sabatini e Alberdi, em Santos Lugares, na Província de Buenos Aires
O local onde a igreja de Manuel Acuña está localizada é considerado
um bairro de classe média baixa na periferia de Buenos Aires
Imagem do Google Maps mostrando a localização da Paróquia do Bom Pastor
em relação a países como o Uruguai e o Brasil
Ainda segundo a EFE, o bispo recebia os veículos de comunicação, que o tornaram uma verdadeira estrela da demonologia, armado com sua fiel maleta de "primeiros socorros" contendo água benta, sal e azeite benzidos, elementos necessários para um exorcismo. Acuña possuía centenas de recortes de jornais e fotografias com personalidades bem emblemáticas, tal como o Papa Francisco e a ex-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, pendurados no corredor que levava à capela. Desde então, muito provavelmente, pouca coisa deve ter mudado, exceto, é claro, a quantidade de fotos e de recortes de jornais.

De qualquer forma, Manuel Acunã costuma dizer que já viu de tudo durante os mais de 16 anos que ele vem trabalhando no pequeno espaço construído e decorado pelos moradores de Santo Lugares, exceto "uma cabeça girar 360º". Porém, durante a entrevista de 2015, ele disse que sentiu medo apenas uma vez em todos esses anos, que teria sido justamente no primeiro exorcismo que realizou (esse é um ponto interessante que comentaremos daqui a pouco): "Entrei no carro, sentei-me, e antes de colocar a chave no contato, as portas se fecharam. As luzes apagavam e acendiam, e a buzina disparou", disse Acuña, acrescentando que nunca se esquecerá daquele dia, quando soube que sua vida estava envolvida em uma "batalha contra a escuridão", que não podia ser abandonada.

Manuel Acuña costuma tirar fotos com personalidades do mundo artístico, da moda,
da TV,  da rádio, da política e, é claro, do universo religioso da América Latina
Aqueles que procuram a sua ajuda, seja pessoalmente ou por terem detectado mudanças comportamentais em suas famílias, normalmente confundem o que veem com "desgaste físico", ou seja, insônia, estresse, ansiedade e depressão. Após o encontro com o bispo, é necessário preencher um formulário, que o próprio estuda junto com sua equipe de "médicos e psicólogos" para determinar se essa pessoa deve ou não ser "libertada". Se a resposta for positiva, eles precisam estar preparados para "enfrentar o mal".

Naquela época, Manuel Acuña alertava que as pessoas deveriam ficar atentas as músicas que escutavam, visto que a capa de álbuns de bandas e cantoras internacionais, assim como a banda Kiss e a cantora Lady Gaga levantavam certas "dúvidas". De acordo com Acunã, a "violência" gerada por esses artistas procurava criar uma "desarmonia" e "alterar a consciência" do homem, para que se "aproximasse mais de sua própria escuridão do que da luz". Quanto às críticas sobre o seu trabalho, dentro e fora da igreja, ele dizia que aceitava o "ceticismo", mas não insultos e nem ofensas, visto que "expressar muito temor" indicava uma realidade em que "não acreditar" não salvava ninguém de suas consequências.

O Artigo de Nicolás Recoaro Publicado no Site do Jornal "Tiempo Argentino", em Agosto de 2016


Infelizmente, a maioria das informações que estão disponíveis sobre Manuel Acuña, assim como o texto acima, possuem pouca profundidade. Geralmente são apenas textos replicados por sites de notícias oriundos de agências internacionais. Curiosamente, grande parte da imprensa argentina prefere mais exibir seus atos, um tanto quanto chamativos e eloquentes, do que saber um pouco mais sobre sua história de vida. Então, ao procurar por uma informação de melhor qualidade para vocês, acabei encontrando um artigo bem interessante do jornalista Nicolás Recoaro, e que foi publicado em 13 de agosto desse ano, no site do jornal "Tiempo Argentino", e que nos revela mais detalhes sobre esse controverso bispo luterano.

De acordo com o artigo, Manuel Acuña aprendeu a rezar em um subúrbio de Buenos Aires, no final da década de 1960. Ele chegou na Argentina com apenas 3 anos de idade, com sua mãe e sua avó, escapando de uma série de dificuldades econômicas. Sua família, de origem paraguaia, tinha conhecido na própria pele o sofrimento da imigração: a repressão de Alfredo Stroessner, ditador do Paraguai entre 1954 e 1989, os tinha forçado a atravessar a fronteira. Sua mãe conseguiu emprego em uma loja de brinquedos, e a família tentava superar a pobreza em uma pensão.

Manuel Acuña chegou em na Argentina com apenas 3 anos de idade, com sua mãe e sua avó, escapando de uma série de dificuldades econômicas. Sua mãe conseguiu emprego em uma loja de brinquedos, e a família tentava superar a pobreza
em uma pensão, em Buenos Aires.
Em suas memórias, ele lembra que o bairro em que moravam era praticamente rural, sendo que a rua costumava estar repleta de esterco. Porém, a Abadia de São Bento ficava bem próxima de onde morava, e Acuña passava horas na capela. Foi justamente naquele local que ele aprendeu os sacramentos e conheceu um padre que curava as pessoas, e que tinha "fama de exorcista": o padre Lorenzo.

"As pessoas doentes faziam fila na escadaria da igreja: buscavam a palavra e a imposição das mãos (ritual religioso que acompanha certas práticas religiosas, e que é encontrado em todo o mundo sob diferentes formas). Um dia me deparei com ele dentro da igreja e ele acariciou a minha cabeça. Foi um sinal", disse Manuel Acuña, que naquela época era coroinha. Em uma certa tarde, 44 anos atrás, uma pergunta no confessionário mudou sua vida: "Manolito, você não acha que pode ser um de nós?", perguntou o padre. De acordo com Acuña, naquele dia nasceu sua vocação religiosa.

Desde 1995, ele é bispo da Igreja Carismática Luterana Independente da Argentina, sendo que sua posição permitiu-lhe conhecer o cardeal Jorge Bergoglio, com que compartilhou horas de oração.

Desde 1995, Manuel Acuña é bispo da Igreja Carismática Luterana Independente da Argentina, sendo que sua posição permitiu-lhe conhecer o cardeal Jorge Bergoglio, com que compartilhou horas de oração
"Eu era amigo do Papa, e ele até mesmo me deu essa cruz peitoral (cruz que os bispos ocidentais levam pedente sobre o peito)", disse Acuña, que exibia com orgulho o presente dourado e algumas fotos antigas que comprovavam a relação.

"Assim como São Francisco, outro exorcista famoso, o Papa é um homem que acredita na oração. Um homem que sabe da luta contra o mal", completou, acrescentando que ninguém escolhe ser um exorcista. É um "chamado". Ele teria recebido esse "chamado" em 4 de abril de 2001, durante uma missa.

Antiga foto de Manuel Acuña (à direita), e o cardeal Jorge Bergoglio (à esquerda),
que por sua vez viria a se tornar o Papa Francisco
"Uma adolescente de 15 anos de idade começou a rastejar, a falar outros idiomas, e a revirar os olhos deixando apenas a parte branca exposta. Ela pesava 50 quilos, mas precisamos de oito pessoas para contê-la. E apliquei o ritual, ao menos o que eu sabia, improvisei", relembrou Manuel Acuña. Logo após aquela primeira batalha, a repercussão na imprensa não demorou a acontecer.

"O primeiro a chegar foi o Chiche Gelblung", ressaltou. Assim sendo, da noite para o dia, o exorcista ascendeu perante a mídia. Contudo, é interessante ressaltar a referência sobre Samuel Chiche Gelblung, visto que ele é um jornalista bem polêmico na Argentina. Certa vez, por exemplo, ele sugeriu que uma das formas de se combater a delinquência era legalizar o aborto.

É interessante ressaltar a referência sobre Samuel Chiche Gelblung (na foto), visto que ele é um jornalista bem polêmico na Argentina. Certa vez, por exemplo, ele sugeriu que uma das formas de se combater a delinquência era legalizar o aborto.
Acuña se orgulhava de ter realizado mais de 1.200 exorcismos. Aliás, para que isso aconteça, o mesmo deve estar de acordo com um determinado "procedimento". Primeiramente, semelhante ao preencher uma ficha médica, é necessário informar problemas psicológicos, a medicação que a pessoa costuma tomar, vícios e adesões pessoais ou familiares a determinadas seitas ou práticas religiosas. Em seguida, a equipe interdisciplinar analisa o documento, e só então é capaz de marcar uma entrevista pessoal.

Com precisão estatística, mas sem revelar suas fontes, Acuña afirmou que nos últimos dez anos os casos de possessão aumentaram 25% em todo o mundo.

"Isso é devido ao avanço das práticas esotéricas sem nenhum controle. Devemos tomar cuidado com a magia negra e o tabuleiro Ouija. Cerca de 40% dos exorcismos que já fiz foram com pessoas que tinham praticado o jogo do copo na adolescência", disse Acuña.

Segundo Manuel Acuña, ninguém escolhe ser um exorcista. É um "chamado".
Ele teria recebido esse "chamado" em 4 de abril de 2001, durante uma missa
Aos 54 anos, o bispo luterano é um especialista em "cura espiritual" e ao mesmo tempo responsável pelo primeiro exorcismo transmitido "ao vivo" por uma emissora TV na Argentina. Suas batalhas contra o Diabo, inclusive, chegaram ao Discovery Channel, e ele possui milhares de visualizações no YouTube.

Essa parte é interessante, porque esse primeiro exorcismo transmistido "ao vivo" é referente ao caso de uma mulher chamada Laura, que teria passado 10 dos seus 23 anos internada em um hospital psiquiátrico. Seu exorcismo teria sido "transmitido ao vivo" pelo canal argentino "Crónica TV", em março de 2013, muito embora algumas pessoas tenham desconfiado que tudo tivesse sido previamente gravado ou que Laura tenha sido tão somente uma "atriz contratada".

Curiosos(as) para saber como foi? Bem, vocês podem conferir através de três vídeos publicados pelo canal Crónica Web TV, no YouTube (em espanhol, porém não recomendável para adolescentes):







Segundo Manuel Acuña, além desse ter sido o "o maior exorcismo do mundo", atualmente Laura, a exorcizada, passa bem (embora não tenhamos quaisquer informações sobre ela). Aliás, a cruz de madeira que utiliza nas "missas de cura e libertação", seria a mesma que usou no exorcismo de Laura, e a que Deus lhe "mostrou em um sonho".

"Em relação ao exorcista, ou você o admira ou o odeia. Muitos dizem que fazemos um trabalho maravilhoso, mas outros dizem que somos mentirosos. Para ser franco, a única crítica que me incomoda é a que brota da total ignorância", afirmou Acuña, diante de uma exuberante biblioteca, um exército de anjos de cerâmica, e um poster do fime "O Exorcista".

Para combater o obscurantismo em torno da atividade em que é especializado há mais de uma década, ele decidiu abrir, em 29 de março, a primeira "Escola de Exorcismo e Libertação Evagrio Póntico": um centro educativo único em sua éspecie, que funciona no prédio da Paróquia do Bom Pastor, em Santos Lugares, na Província de Buenos Aires. O projeto tem um corpo docente interdisciplinar composto por três psiquiatras, um antropólogo e um clínico geral, sendo que em pouco mais de seis meses, já possuía 24 alunos. É justamente sobre esse escola e o curso oferecido por ela, que vamos conferir a seguir.

A "Escola de Exorcismo e Libertação" de Manuel Acuña


Segundo o site oficial, a "Escola Exorcismo e Libertação da República da Argentina" é o primeiro empreendimento de formação na área da libertação espiritual e expulsão de demônios, que conta reconhecimento oficial (comentaremos sobre isso daqui a pouco). Ela leva o nome de um dos mais importantes Padres do Deserto: Evagrio Póntico, que viveu no século III e deixou textos importantíssimos sobre as paixões humanas e o enfrentamento espiritual, sendo considerado o primeiro "psicoterapeuta" da Igreja. Sem reducionismos racionais a união entre a ciência (o atual estudo da psicologia) e da espiritualidade encontrou seus primeiros esboços nos textos desse homem de Deus. O Ministério do Exorcismo se encontra dentro do Ministério de Cura, que o próprio Senhor Jesus confiou à Igreja.

Segundo o site oficial, a "Escola Exorcismo e Libertação da República da Argentina" é o primeiro empreendimento de formação na área da libertação espiritual e expulsão de demônios, que conta "reconhecimento oficial"

Assim sendo, com base nos estudos do bispo Manuel Acuña, que o levou a Presidência da Associação Ecumênica Internacional de Exorcistas, a grade curricular compreende desde o estudo da Bíblia, eclesiologia, psicologia, filosofia e outras disciplinas, até uma compreensão completa e aprofundada, baseada em autores e fontes patrísticas da maior autoridade na história da Igreja. A escola ainda possui uma equipe interdisciplinar composta pelo parapsicólogo, o professor Gustavo Fernández, por psicólogo, psiquiatra, e todos reconhecidos no exercício de sua profissão como excelentes profissionais de grande trajetória pública, assim como um Ministério de Intercessão em oração aos estudantes da escola em suas práticas de trabalho."

Apesar do texto acima apresentar o curso como se ele tivesse todo um embasamento legítimo para ser ministrado, a realidade é um pouco diferente. Em 4 de abril desse ano, pouco tempo após a escola de Manuel Acuña ter sido inaugurada, o site do jornal argentino Clarín publicou mais detalhes sobre a mesma.

De acordo com o jornalista Gustavo Marcelo Londeix, o interessado em fazer o curso não precisava possuir nenhum tipo de estudo, sendo que o próprio curso não tinha nenhum reconhecimento oficial, muito possivelmente nem do governo argentino ou muito menos por parte do Vaticano, o qual a Igreja Luterana não responde. As aulas tinham cerca de 1h30 de duração e aconteciam sempre às terças-feiras. A duração total do curso era de 3 anos, e ao completá-lo, o aluno recebia o título de "Assistente Exorcístico", mas se o aluno não conseguisse completar o curso em sua totalidade poderia receber um título intermediário, que o certificava como "Consultor em Assuntos Exorcísticos".

De acordo com o jornalista Gustavo Marcelo Londeix, o interessado em fazer o curso não precisava possuir nenhum tipo de estudo, sendo que o próprio curso não tinha nenhum reconhecimento oficial, muito possivelmente nem do governo argentino ou muito menos por parte do Vaticano, o qual a Igreja Luterana não responde

A duração total do curso era de 3 anos, e ao completá-lo, o aluno recebia o título de "Assistente Exorcístico", mas se o aluno não conseguisse completar o curso em sua totalidade poderia receber um título intermediário, que o certificava como "Consultor em Assuntos Exorcísticos"
Qual o preço e os benefícios disso? Bem, por cerca de 700 pesos (cerca de R$ 150 pela cotação oficial atual) por mês, acrescidos de uma matrícula de mais 700 pesos, a instituição oferece aos estudantes a literatura e as ferramentas necessárias para "distinguir um fenômeno paranormal de uma presença maligna", bem como especializações em angeologia, demonologia, parapsicologia e xamanismo.

Confira um vídeo publicado pelo canal Crónica Televisión, no YouTube, em 20 de julho desse ano, sobre a escola de Manuel Acuña (em espanhol, mas vale a pena assistir):



Desde agosto, no artigo publicado no Tiempo Argentino, a iniciativa era vista como sendo um sucesso, e que não causava nenhuma estranheza a Manuel Acuña. Segundo suas próprias palavras, "a Argentina é um povo muito religioso, mas também muito supersticioso, cujo desejo de transcendência nem sempre é sempre bem canalizado".

Aparentemente, a escola de Manuel Acuña continua fazendo sucesso. Em meados de novembro desse ano, a AFP (Agence France-Presse), uma das maiores agências internacionais de notícias do mundo, foi conferir como estava a situação do tal "empreendimento", que promete formar exorcistas ou pelo menos "auxiliares de exorcistas".

Com um cheiro penetrante de incenso, o bispo recebeu a AFP diante de um altar onde repousavam estátuas do arcanjo São Gabriel, o "exorcista invisível", e do arcanjo São Rafael, "padroeiro da saúde".

Com um cheiro penetrante de incenso, o bispo recebeu a AFP diante de um altar onde repousavam estátuas do arcanjo São Gabriel, o "exorcista invisível", e do arcanjo São Rafael, "padroeiro da saúde"
Ainda de acordo com a AFP, a escola já possuía cerca de 35 alunos, todos maiores de idade. A nova carreira visava que prática do exorcismo fosse aprendida por pessoas comuns. Entre os alunos havia donas de casa, advogados, um escritor e um arquiteto.

"Aprender todas as ferramentas é uma forma de poder combater o diabo", dissse Luciana Jeaume, de 38 anos, que desde pequena se interessava por bruxaria e feitiçaria, e que atualmente era "aprendiz de exorcista".

Na paróquia transformada em sala de aula, o aluno Eduardo Klinec segurava uma vela e explicava aos seus colegas de curso como acendê-la para uma cura. Era a sua prova final de velomancia (adivinhação com velas), em frente ao parapsicólogo Alejandro Morgan, o professor e um ex-jogador de futebol, cujos conhecimentos de ocultismo vieram da sua avó.

Ainda de acordo com a AFP, a escola já possuía cerca de 35 alunos, todos maiores de idade. A nova carreira visava que prática do exorcismo fosse aprendida por pessoas comuns. Entre os alunos havia donas de casa, advogados, um escritor e um arquiteto
"O medo e o ceticismo vão embora com o conhecimento", disse Eduardo Klinec, técnico de informática, de 53 anos, que buscava compensar "o racional, a lógica e o material" do seu trabalho.

"Me sinto abençoada por poder fazer parte, nessa idade, dessa carreira que está me dando respostas a muitas experiências de vida que ninguém sabia me dar", disse Gloria Sánchez, uma outra aluna e uma aposentada de 60 anos, que já tinha estudado psicologia social e terapias alternativas.

Uma vez por mês Manuel Acuña convoca uma espécie de ritual contra "feitiços e malefícios", porém a presença de centenas de fiéis o obriga a fechar a rua onde fica localizada a igreja. Entre esses fiéis, era "comum" serem produzidas "manifestações demoníacas", assim como gritos e desmaios.

Uma vez por mês, Manuel Acuña convoca uma espécie de ritual contra "feitiços e malefícios"

A presença de centenas de fiéis obriga Manuel Acuña a fechar a rua onde fica localizada sua igreja
Entre esses fiéis, era "comum" serem produzidas "manifestações demoníacas", assim como gritos e desmaios
A própria equipe da AFP teria presenciado uma mulher "cuspindo sangue". Segundo o bispo Manuel Acuña, era porque "tinha havido um pacto com sangue de animal". Estranho, não é mesmo?

Durante o ritual contra "feitiços e malefícios", diversas pessoas presentes apresentam "manisfestações demoníacas".
Uma das formas que Manuel Acuña possui para lidar com essa situação é borrifar água benta em seus rostos

Uma outra fiel da igreja de Manuel Acuña apresenta uma suposta "manisfestação demoníaca"
durante o ritual contra "feitiços e malefícios"

A própria equipe da AFP teria presenciado uma mulher "cuspindo sangue".
Segundo Manuel Acuña, era porque "tinha havido um pacto com sangue de animal"
"O mistério do invisível pode exercer fascínio em alguns, mas também muitas críticas. Não somos ingênuos, já fui chamado de todos os nomes possíveis", disse Manuel Acuña.

As Críticas dos Céticos e das Igrejas Luteranas da Argentina


Acredito que era presumível que Manuel Acuña fosse amplamente criticado por sua "Escola de Exorcismo e Libertação", não é mesmo? Contudo, ao contrário do que muitos podem imaginar, essa crítica não veio apenas por parte de céticos, mas também das demais igrejas luteranas da Argentina.

Ao ser entrevistado pela AFP, o pastor Esteban Tronovsky, da Igreja Evangélica Luterana Argentina, disse que não apoiava o exorcismo, e considerava que tal prática "não se aprendia". "Há questões que vão além do simples conhecimento, que estão subordinadas ao mandato de Deus", disse o pastor, ao deixar claro a sua distância em relação a essa escola, assim como fizeram outras três congregações luteranas consultadas pela AFP. No entanto, não há quaisquer declarações dessas outras congregações.

Alejandro Borgo,
jornalista e pesquisador paranormal argentino
Uma crítica ainda maior veio por parte de Alejandro Borgo, jornalista e pesquisador paranormal argentino. Alejandro é co-fundador da CAIRP (Centro Argentino de Investigação e Refutação da Pseudociência), o primeiro grupo cético da Argentina.

Em um artigo publicado no site do Comitê para a Investigação Cética, em 26 de abril desse ano, Alejandro disse que Manuel Acuña insistia em dizer que era um bispo luterano, por mais que isso não fosse sequer reconhecido pela "Igreja Luterana Oficial" da Argentina. Além disso, ele mencionou que vem discutindo com ele em diversos programas de televisão, onde se falava sobre religião, fenômenos paranormais entre outras questões pseudocientíficas, onde Manuel Acuña afirmava ser uma autoridade sobre OVNIs, fantasmas, exorcismo, poderes paranormais, percepção subliminar, entre outros temas.

Alejandro foi categórico ao dizer que Manuel Acuña era constantemente chamado por veículos de comunicação supostamente "credíveis" para que ele pudesse espalhar sua "tolice", porém duvidava que as emissoras realmente acreditassem nele. A parte mais grave, no entanto, estava relacionada ao curso oferecido por Manuel Acuña, visto que o mesmo resultava em um título, uma espécie de "diploma", que não era oficial, e poderia resultar em crime: a prática ilegal da medicina. Ele também disse que enviou um email a Paul Avelutto, Ministro da Cultura da Argentina, advertindo-o sobre sua preocupação com essa proposta "insana" e "potencialmente perigosa". Contudo, ele não havia obtido quaisquer respostas.

"Imaginem centenas de "exorcistas" amparados por um diploma tentando expulsar demônios de centenas de pessoas. Sabemos de histórias de pessoas que morreram durante um ritual de exorcismo. Isso abre uma porta para a expansão da loucura em massa, com a probabilidade de que pessoas inocentes abandonem um tratamento médico válido, porque acreditam que suas doenças são causadas por possessão demoníaca", disse Alejandro.

Por fim, Alejandro disse que comunidade científica precisava ser avisada, e que deveria reagir a esse absurdo tão perigoso. Porém, os cientistas permaneciam em silêncio, algo que ele considerava ser um erro grave extremamente grave.

Comentários Finais


Sinceramente, chega a ser difícil ter palavras para definir o que seja essa "Escola de Exorcistas". É uma completa e total surrealidade, diante de uma realidade, que infelizmente propícia esse tipo de "ensinamento". Por cerca de R$ 150 por mês (não considerando a taxa de matrícula) a escola fornece aos alunos as ferramentas necessárias para "distinguir um fenômeno paranormal de uma presença maligna", bem como especializações em angeologia, demonologia, parapsicologia e xamanismo. E diante desse cenário, talvez a AFP tenha realizado o melhor trabalho em retratar a escola de Manuel Acuña, mostrando exatamente o perfil e as crenças de alguns desses alunos. A pergunta que não quer calar, no entanto, é o que "vai sair disso tudo", quer dizer, se atualmente a mentalidade dessas pessoas já se mostra extremamente frágil, o que vai acontecer daqui a 3 anos? Quem realmente Manuel Acuña está formando? Pessoas que estarão dispostas a ajudar "racionalmente" as outras, fazendo com que preencham fichas para analisá-las assim como um médico faria para depois submetê-las a ridicularização perante ao seu público e a imprensa? Se formos parar e pensar bem na proposta do curso oferecido por sua escola, a mesma sequer possui o aval do governo ou de qualquer outra instituição religiosa minimanente respeitável. A prática de "rituais de cura e libertação" sempre vive e sempre viverá traçando uma linha tênue e arriscada, visto que um centímetro a mais para um lado ou para o outro, e todos os 3 anos de curso se tornarão "prática ilegal da medicina", cujos custos processuais, morais e pessoais podem se tornar ainda mais caros. Nenhuma fé salvará nesse caso.

Quando eu vi aquele "borrifador de água benta" nas mãos de Manuel Acuña, imediamente veio a minha mente aquela imagem de um pastor sul-africando borrifando inseticida no rosto de uma mulher com o intuito, segundo ele, de curar doenças. O caso foi então surreal, que chegou a ser contado pela BBC. Sinceramente, não é muito difícil chegar a esse ponto, afinal até hoje temos casos igualmente graves em nosso país de pessoas sendo "furadas e cortadas" com bisturis, pelas mãos de um suposto espírito de um médico alemão, sem que nenhuma autoridade pública de saúde intervenha em nome do bom senso e da ética na medicina. No caso de Manuel Acuña aparentemente é tão somente água, ainda. E assim, na periferia de Buenos Aires, ele criou um reduto singular onde pode pregar a sua própria palavra e exortar seus fiéis de que o demônio existe e está entre eles. Um local pequeno e apertado para tantas pessoas, que buscam uma solução de seus problemas perante um homem que diante da Reforma Luterana criou sua vertente e a tomou como sua própria fé. Invariavelmente, as pessoas desmaiam pelos mais diversos motivos: calor, falta de ar, desespero, sofrimento, angústia. Uma mistura de sentimentos da natureza humana combinado em um meio de pessoas igualmente carentes de outras que as protejam. Um ambiente perfeito para o que conhecemos como histeria coletiva. Aliás, repararam que as fotos mostram apenas mulheres sendo exorcizadas? O "maior exorcismo do mundo", ao menos para Manuel Acuña, supostamente televisionado "ao vivo" também foi de uma mulher. Perceberam isso? Não é estranho?

Por outro lado, chega a ser compreensível que haja um certo silêncio sobre isso, e que diante de países tão caóticos na América Latina, politicamente e financeiramente falando, Manuel Acuña passe ileso e continue livre para praticar seus "rituais de cura e libertação". Não há nenhum pronunciamento do Ministério da Saúde, de autoridades ou secretarias locais e nem mesmo de associações médicas. Talvez porque ninguém esteja realmente levando a sério a atitude de Manuel Acuña, e o veja mais como uma celebridade do mundo religioso, que esteja em busca de fama e fanático diante da própria distorção da fé que criou, do que qualquer outra coisa. Aparentemente, ele ainda não é uma ameaça, visto que sua escola tem "apenas" 35 alunos. Provavelmente, ele será revisitado daqui a alguns meses por algum veículo de imprensa, e quem sabe tenhamos uma nova noção de como anda seu empreendimento. Enquanto isso, as pessoas continuarão desmaiando em um ambiente totalmente preparado, de forma intencional ou não, para que uma histeria coletiva ocorra. A imposição de mãos e da voz de Manuel Acuña continuará guiando seu rebanho urbano em busca de dias melhores, e seu curso continuará preparando discípulos para perpetuar suas crenças. Tudo isso seria cômico, se não fosse trágico.

Até a próxima, AssombradOs.

Criação/Tradução/Adaptação: Marco Faustino

Fontes:
http://muy.clarin.com/actualidad/papa-francisco-vaticano-exorcismo-manuel-acuna-iglesia-luterana-el-buen-pastor-auxiliar-exorcista-consultor-en-asuntos-exorcisticos-700-pesos-11809.html
http://noticias.entravision.com/2016/11/18/35-alumnos-ya-estudian-la-primera-carrera-para-exorcizar/
http://tiempoar.com.ar/articulo/view/59019/
http://www.20minutos.es/noticia/2498517/0/obispo-acuna/exorcismo-argentina/1500-batallas/
http://www.andigital.com.ar/interes-general/item/51817-demonios-comienzan-a-dar-clases-de-exorcismo
http://www.carismaticosluteranos.com
http://www.clarin.com/sociedad/iglesia-Santos-Lugares-recibirse-exorcista_0_1689431105.html
http://www.csicop.org/specialarticles/show/career_on_exorcism_in_argentina
http://www.dailymail.co.uk/news/article-3952264/The-power-Christ-compels-learn-Inside-Argentine-exorcism-school-students-pay-38-month-taught-cast-demons.html
http://www.diarioregistrado.com/mundo-bizarro/el-cura-argentino-que-exorcizo-a-1200-poseidos_a56339fb417bfa0004e87dc87
http://www.eluniverso.com/vida-estilo/2015/06/26/nota/4984365/obispo-afirma-haber-librado-1200-batallas-antidemonio
http://www.excelsior.com.mx/global/2016/11/20/1129397
http://www.suapesquisa.com/protestante/reforma_luterana.htm
https://noticias.terra.com.ar/argentina/acuna-el-exorcista-argentino-que-gano-mas-de-mil-batallas-al-demonio,c7aad0458bb104b0969fe6913f6ee547dm8iRCRD.html
https://web.archive.org/web/20161119114944/https://www.afp.com/pt/noticia/2519/escola-de-exorcistas-na-argentina-ensina-como-espantar-o-diabo
Comentários