4 de outubro de 2016

Será Verdade que Diversos "Objetos Astecas" Mantidos em Segredo Revelariam o Contato com Seres Extraterrestres? (Atualizado 05/10)


Por Marco Faustino

Na semana passada, nossas redes sociais foram inundadas com pedidos de nossos seguidores para que comentássemos sobre supostos "objetos astecas", que teriam sido mantidos em segredo por décadas, cujos formatos e símbolos neles contidos revelariam o contato de civilizações antigas com seres extraterrestres. Na SSA (Sociedade Secreta dos AssombradOs), que é um grupo fechado no Facebook, no qual participam todos aqueles, que voluntariamente contribuem para que possamos continuar nosso trabalho em trazer cada vez mais conteúdo e pesquisa para vocês (saiba mais como participar clicando aqui), combato ferranhamente sites que simplesmente exploram a ingenuidade dos usuários e disseminam conteúdo explicitamente falsos ou em que a maior parte do texto seja completamente enganoso. Apesar de haver uma linha tênue entre o sensacionalismo e um conteúdo totalmente falso, é sempre um grande problema quando o texto inteiro, desde o título até o último ponto é uma mentira. A situação piora ainda mais quando esses sites têm a premissa de serem uma espécie de "voz do excluídos", e tentam se tornar uma ponte entre os usuários e um conteúdo que "o mundo e as elites" não querem que eles fiquem sabendo. Infelizmente, tal atitude acontece por dois motivos: dinheiro e a ânsia das pessoas em busca de algo credível em razão de suas próprias convicções e crenças. Assim sendo, as notícias falsas ganham uma grande repercussão, e cada clique se converte em dinheiro na mão de pessoas que não ligam a mínima para o que contam para vocês. Resumindo, você não é o pescador, você é apenas mais um peixe.

Esse é exatamente o caso da notícia que vocês enviaram para nós sobre supostos "objetos astecas". Não irei mencionar o nome do site por uma questão de ética, uma vez que não promoverei algo que engana sistematicamente as pessoas. Aliás, um site cujo conteúdo é completamente duvidoso, e no qual você deve sempre desconfiar ou sempre evitar acessá-lo. Para vocês terem uma ideia, eu nem mesmo iria fazer uma postagem sobre esse assunto, mas resolvi fazer para tentar acabar de vez com esse fluxo de pessoas que procuram notícias totalmente questionáveis, infundadas ou simplesmente as compartilham sem nem mesmo se dar conta do que está escrito em suas respectivas fontes. Se antigamente já era muito complicado acreditar no que líamos, hoje em dia a situação é muito pior. É necessário saber a reputação do site, as fontes nas quais os textos foram baseados, conhecer a credibilidade de quem escreve, entre outros pequenos detalhes para que vocês tenham uma garantia de uma informação de qualidade. Pode parecer chato e até mesmo meio complicado no início, porém, com o tempo, isso acaba se tornando uma rotina saudável e passa desapercebido em seu cotidiano, ou seja, você conseguirá separar o que presta ou não.

No caso dos supostos "objetos astecas", por exemplo, esses mesmos objetos já foram referidos como "objetos maias" por esse mesmo site no passado. Aliás, é costume desse site requentar supostas "notícias" antigas, visto que é impraticável chamar uma farsa de notícia, e republicá-las como se fosse novidade e com um texto levemente modificado para dar a impressão de ser algo inédito e extraordinário. Além disso, nenhuma fonte é mencionada, nenhum estudo científico é mencionado, absolutamente nada. Apenas é publicado uma informação rasa, sem qualquer fundamentação. E ainda assim, mesmo sendo um péssimo conteúdo, que seria amplamente desprezado em qualquer outro site que tivesse um pouco de dignidade em relação ao que é divulgado, muitos infelizmente acreditando que seja verídico. As fotos dos supostos "objetos astecas" é um caso a parte, visto que é uma verdadeira bagunça. As fotos retratam acontecimentos, pessoas, locais e momentos diferentes. Para finalizar, toda essa história nem mesmo é nova, pois tudo isso nos remete a um período compreendido entre meados de 2011 e o último trimestre de 2012, onde não se falava de outra coisa senão a "profecia maia do fim do mundo". Lembram dela? A fatídica má-interpretação do calendário maia, em que muitos diziam que o mundo acabaria em 21 de dezembro de 2012? Pois é, você foi enganado. Vamos saber mais sobre esse assunto?

Um Resumo Básico da "Notícia" que Foi Divulgada


De acordo com a notícia enviada por vocês, os astecas teriam vindo depois do que os maias na linha do tempo, sendo que "famílias de astecas teriam recentemente recolhido artefatos, e foram convidados a reuni-los para observação". Nesse caso, existiriam muitos objetos, que se pareceriam com capacetes, e que possuiriam rostos alongados e grandes olhos.

De acordo com a notícia enviada por vocês, os astecas teriam vindo depois do que os maias na linha do tempo, sendo que "famílias de astecas teriam recentemente recolhido artefatos, e foram convidados a reuni-los para observação"

Nesse caso, existiriam muitos objetos, que se pareceriam com capacetes,
e que possuiriam rostos alongados e grandes olhos


Ainda segundo essa notícia, o "Império Asteca" era grande e muito avançado. Tinham cidades e "edifícios complexos". Evidentemente, ao olhar para estes artefatos, ainda poderia se questionar se as esculturas seriam autênticas peças astecas. Assim sendo, embora não tenham sido datadas por carbono (não sei como seriam datadas por carbono, visto que na datação de substâncias inorgânicas é utilizado outro método), "avaliadores puderam dizer que certamente os objetos não teriam sido fabricados utilizando técnicas modernas". O brilho que dava a aparência de "esmalte" sobre as pedras não seria, de fato, um esmalte, mas uma antiga maneira de "selar a rocha". Isso daria um pouco mais de credibilidade as peças.

Assim sendo, embora não tenham sido datadas por carbono, "avaliadores puderam dizer que certamente os objetos não teriam sido fabricados utilizando técnicas modernas"
O estranho é que muitos desses artefatos pareciam remeter a uma imagem moderna de uma "nave espacial" ou "disco voador". Elas retratariam os seres dessas naves como deuses. Aqueles que não fossem esses seres, ou seja, os "outros seres" nas esculturas , muitas vezes estavam de joelhos perante aos demais. Alguns seriam retratados com asas, de uma forma angelical. Os valores absolutos desses artefatos seriam surpreendentes. E no total seriam mais de 400 esculturas.

Ao final dessa "notícia" são exibidos alguns exemplos desses "artefatos autênticos", indicando que os mesmos iriam chocar as pessoas de "mente mais aberta" e, certamente, seriam um tema de pesquisa em um futuro próximo. Para completar, a "notícia" ainda contava com um vídeo do Youtube, publicado pelo canal "michaelnew1962", em 28 de novembro de 2014, ou seja, o caso já não seria tão recente assim. Confira abaixo (de qualquer forma será necessário assistí-lo diretamente na página do Youtube):



Diga-se de passagem, o que você leu até agora é o único texto contido na suposta "notícia". Não existe fonte, não existe indicativo de onde os supostos artefatos foram encontrados, onde atualmente se encontram, quem são os "avaliadores" (seus nomes e credenciais), eventuais documentos que pudessem provar a autenticidade das mesmas, análises científicas ou arqueológicas. Não existe absolutamente nada. Para piorar o texto é muito mal escrito, denotando tão somente uma mera cópia traduzida com ajuda do Google Tradutor. Nada contra que utiliza, porém se o seu objetivo é informar um grande número de pessoas, não se deve utilizar tradução automática, muito menos no texto inteiro. As imagens também aparecem de forma repetida para criar a ilusão de serem muitos objetos.

Resumindo, ao se depararem com esse tipo de situação, vocês deveriam descartar completamente a informação, porque isso nem mesmo pode ser considerado especulação. Contudo, uma vez que vocês insistiram muito em nossa análise sobre o assunto, iremos mostrar um pouco da realidade sobre esses supostos "objetos, artefatos ou esculturas astecas", que anteriormente eram mencionados como "maias".

Uma Dose Inicial de Realidade Sobre os Supostos "Objetos, Artefatos ou Esculturas Astecas"


Vamos começar a desmitificar esse assunto pelo canal "michaelnew1962", do Youtube, que aparece como responsável pelo vídeo que está atrelado ao texto e as imagens da "notícia". Bem, esse canal criado em outubro de 2011 é apenas mais um entre tantos canais alarmistas e conspiratórios que existem no Youtube. O mesmo cita que seu objetivo é fornecer um conteúdo que valha a pena, e que muitas vezes é difícil de encontrar no Youtube. O proprietário do canal diz, inclusive, para as pessoas questionarem tudo ao seu redor, inclusive suas próprias crenças.

Além disso, o mesmo menciona que as pessoas nunca devem ter medo da verdade, não importa a forma pela qual a mesma altere a percepção atual da realidade. Belas palavras que não se aplicam ao conteúdo publicado: vídeos criados por terceiros, sem quaisquer fundamentações, totalmente especulativo e altamente conspiratório. Basicamente, se essa for uma espécie de fonte para o texto, é uma péssima fonte de informação, que não deveria ser considerada ou ao menos seria necessária uma boa pesquisa antes que cada vídeo fosse publicado, algo que aparentemente não acontece, a exemplo desse caso.

Sobre os supostos artefatos vocês vão se surpreender mais um pouco, visto que toda essa história é recorrente, ou seja, de tempos em tempos, praticamente todos os anos, essa mesma história é contada novamente. Conforme dissemos anteriormente, alguns dos objetos começaram a "surgir" como se fossem artefatos maias, não astecas. Aliás, ao menos um deles foi apresentado, como um suposto artefato maia, em meados de 2011, ou seja, toda essa história é bem mais antiga do que você foi induzido a acreditar.

Um Homem Chamado "Dr. Nassim Haramein" e as Primeiras Aparições de Supostos Artefatos Pertencentes a Civilizações Antigas


Em 11 de junho de 2011, houve uma palestra de um homem chamado "Dr. Nassim Haramein", durante uma espécie de congresso no Congresshalle (uma sala de concertos) na cidade de Saarbrücken, na Alemanha. Sua palestra consistia basicamente em apresentar slides de supostos artefatos maias, que provariam um eventual contato extraterrestre com civilizações antigas. O "Dr. Nassim Haramein" até mesmo se incomodou com o fato de um dos participantes estar filmando sua apresentação, porém diversos vídeos mostrando trechos do que ele mencionou estão espalhados pelo Youtube.

Abaixo você confere um desses vídeos, mostrando o Dr. Nassim Haramein ao lado de um homem chamado Klaus Dona, que em breve comentaremos rapidamente sobre ele (em inglês):



O "Dr. Nassim Haramein", atualmente com 53 anos, é citado muitas vezes como um físico / cientista suíço amador, cujo trabalho não é reconhecido pelos físicos convencionais. Muitos dos seus "estudos" podem ser "baixados" diretamente pelo site que possui, porém nunca foram publicados em repositórios científicos com credibilidade, e nunca foram revisadores por pares em algum periódico científico renomado. Aliás, os artigos da Wikipedia sobre ele são repetidamente excluídos por razões de notabilidade.

Opiniões do "Dr. Nassim Haramein": 1) Acredita-se que seja a Terra e sua atmosfera. Isto seria evidenciado pelos dois anéis. 2/3) Acredita-se que seja um cometa ou um asteroide vindo em direção à Terra. 4) Acredita-se que seja uma espaçonave especialmente desenhada para atingir ou desviar o cometa 5) Acredita-se que seja um astronauta controlando a nave. 6) Acredita-se que seja uma nave controlada de forma inteligente.
Em uma antiga versão de um artigo sobre o Dr. Nassim Haramein no Wikipedia, obtida através do serviço "Wayback Machine", também é possível notar que ele é diretor de pesquisas da "Fundação Projeto Ressonância" ("The Resonance Project Foundation", em inglês), uma suposta organização sem fins lucrativos, que ele mesmo fundou em 2003. No site dessa fundação ele aparece como um pioneiro do paradigma científico da "Física Unificada" por mais de trinta anos.

Enfim, Nassim é o que poderíamos classificar, talvez, como "cientista da Nova Era" ou simplesmente como "pseudocientista". Curiosamente, no entanto, aparentemente ele não possui formação acadêmica em Física, e muito menos em Arqueologia.

Se essa história é estranha para você, vai piorar um pouco mais. Ele participa como um dos chamados "pioneiros", que aparecem em um documentário chamado "Thrive", lançado em 11 de novembro de 2011. Ele é classificado pelos próprios produtores como "um documentário não convencional que desvenda o que estaria realmente acontecendo em nosso mundo, seguindo o rastro do dinheiro - revelando assim a consolidação global de poder em quase todos os aspectos de nossas vidas". A página referente ao "Dr. Nassim Haramein", no site desse documentário, menciona que ele seria um cosmólogo, pesquisador de antigas culturas, geômetra, e inventor de novas fontes energéticas. Novas qualificações?

O "Dr. Nassim Haramein" participa como um dos chamados "pioneiros",
que aparecem em um documentário chamado "Thrive", lançado em 11 de novembro de 2011
No documentário, o "Dr. Nassim Haramein" faz declarações sobre antigos deuses e da história dos povos antigos, sugerindo que extraterrestres vieram à Terra há muito tempo para ajudar as civilizações a construírem diversas coisas.

Isso é algo que muitos têm como uma certeza absoluta, porém independente do que você acredita, isso nunca foi provado. Portanto, falar sobre Nassim Haramein é algo extremamente confuso, e muito mais passível de ser mais uma farsa, entre tantas que temos atualmente, do que alguém que tenha realmente um verdadeiro conhecimento e uma autoridade maior sobre o que diz publicamente.

Uma Pessoa Chamada "Klaus Dona"


Klaus Dona se auto-intitula como um "arqueólogo espiritual". Aliás, é possível encontrar na internet que a "Arqueologia Espiritual" seria "uma busca pessoal, muti-sensorial, e a exploração dos reinos invisíveis da existência visando descobrir as origens ocultas, práticas, costumes, histórias e significados mais profundos além da evidência material de civilizações antigas".

O nome Klaus Dona também estaria correlacionado ao "mundo da arte", visto que ele é mencionado por organizar diversas "exposições de arte" ao redor do mundo.

Klaus Dona se auto-intitula como um "arqueólogo espiritual", e seu nome está correlacionado ao "mundo da arte",
visto que ele organizações exposições de arte ao redor do mundo
Qual tipo de exposição? Bem, a abordagem de Klaus Dona, para variar, não é uma abordagem convencional da Arqueologia. Assim sendo, ele viaja o mundo em busca descobertas "únicas e inexplicáveis".

Conhecido como "destemido e implacável", ele "tenta mostrar as pessoas descobertas tais como: ossos de gigantes, crânios de cristal, figuras esculpidas e esculturas em formatos que não se encaixam na visão contemporânea da nossa linha do tempo". Resumindo? Mais uma pessoa que não tem nenhuma formação acadêmica relacionada a Arqueologia.

O Anúncio de um Documentário Prometendo Revelar "Segredos Maias Protegidos Por Mais de 80 Anos" pelo Governo Mexicano


Quando você é um arqueólogo e descobre autênticos artefatos de uma antiga civilização, imagino que sua primeira atitude seja de entrar em contato com o setor, departamento ou de um instituto nacional de Arqueologia do país onde você realizou as escavações, e posteriormente fazer com que suas descobertas passem por análises laboratorais e uma série de outros procedimentos.

Entretanto, quando você sequer é um arqueólogo e pretende implantar uma farsa para o público, a primeira coisa que acontece é procurar algum site de notícias para começar a espalhar sua "grande revelação". Isso aconteceu, por exemplo, com o caso da suposta espada romana, que surgiu durante a exibição da terceira temporada da série "A Maldição de Oak Island", do History Channel, nos Estados Unidos, no começo desse ano. Na época, John Pulitzer, um dos consultores do programa alegou ter descoberto uma espada supostamente romana em Oak Island, que provaria que os romanos teriam descoberto as Américas muito antes de Cristóvão Colombo. A questão é que Pulitzer procurou primeiramente a mídia, assim como um site pouco conhecido, para anunciar sua descoberta.

Na época, John Pulitzer, um dos consultores do programa alegou ter descoberto uma espada supostamente romana em Oak Island, que provaria que os romanos teriam descoberto as Américas muito antes de Cristóvão Colombo. A questão é que Pulitzer procurou primeiramente a mídia, assim como um site pouco conhecido, para anunciar sua descoberta
Quando o mundo teve conhecimento dessa informação, ou seja, em dezembro de 2015, esse foi um dos assuntos mais comentados entre arqueólogos e historiadores. Para vocês terem uma ideia, as notícias sobre esse caso foram compartilhadas mais 100.000 vezes ao redor do mundo, inclusive pelos principais veículos de imprensa. Entretanto, uma análise dos componentes químicos/metálicos da espada, que foi exibida durante a terceira temporada a Oak Island, além de uma minuciosa análise de outras espadas semelhantes que surgiram ao longo do tempo, mudou toda essa história. Pulitzer ainda tentou questionar, alegando que as pessoas estavam tentando encobrir a história para evitar que a mesma fosse mudada, mas era tarde demais (leia mais: Fim da Saga? Surgem Novas Espadas Pelo Mundo, mas a Espada de Oak Island não Pertence a Roma Antiga!).

É exatamente esse roteiro que um ator e produtor mexicano chamado "Raul Julia-Levy" seguiu. Coincidentemente, após cerca de dois meses após a palestra do "Dr. Nassim Haramein", mais precisamente em 17 de agosto de 2011, o produtor "Raul Julia-Levy" apareceu com "exclusividade" em um artigo de um site que realiza a cobertura do ambiente de negócios do mundo do entretenimento e da mídia, chamado "The Wrap", intitulada "Os Segredos dos Maias Estão Prestes a Ser Revelados pelo Governo Mexicano em um Documentário em 2012". Segundo o artigo, após de quatro anos tentando uma aprovação, o documentário prometia revelar informações confidenciais sobre as crenças maias em uma futura catástrofe.

Coincidentemente, após cerca de dois meses após a palestra do "Dr. Nassim Haramein", mais precisamente em 17 de agosto de 2011, o produtor "Raul Julia-Levy" apareceu com "exclusividade" em um artigo de um site que realiza a cobertura do ambiente de negócios do mundo do entretenimento e da mídia, chamado "The Wrap", intitulada "Os Segredos dos Maias Estão Prestes a Ser Revelados pelo Governo Mexicano em um Documentário em 2012
No artigo é possível ler que o governo mexicano estaria liberando segredos de Estado sobre o fim do calendário maia para os produtores de um documentário chamado "Revelations of the Mayans 2012 and Beyond". O produtor "Raul Julia-Levy", que aparece como sendo filho do ator "Raul Julia" (explicaremos isso em breve) mencionou que as informações, protegidas por 80 anos, eram chocantes e mostravam as crenças maias em futuras catástrofes futuras, e o todo o conhecimento dessa civilização. O acordo permitiria que Julia-Levy filmasse em locais nunca antes vistos.

"Os maias costumavam construir uma pirâmide sobre a outra. No sítio arqueológico em Calakmul, trabalhadores em nome do INAH (Instituto Nacional de Antropologia e História do México) descobriram salas dentro da pirâmide, que nunca foram vistas ou exploradas antes. E estamos permitindo que este documentário filme nesse local, para ver o que foi descoberto no interior da pirâmide", teria dito, na época, Luis Augusto Garcia Rosado, identificado como "ministro do turismo do estado mexicano de Campeche".

Calakmul (também Kalakmul e outras variantes menos frequentes) é um sítio arqueológico maia situado no estado mexicano de Campeche, nas profundezas das selvas da região da bacia de Petén. Encontra-se a 35 km da fronteira com a Guatemala.
Julia-Levy disse que ficou sabendo a respeito de informações secretas sobre os maias através do ex-presidente do México, Vicente Fox - um amigo de sua família - e que precisou quatro anos de telefonemas para finalmente obter o aval do então presidente Felipe Calderon.

"Isso é muito importante para a humanidade, não apenas para o México. Essa informação esteve protegida por 80 anos, e agora é importante para as pessoas entenderem a série de eventos que estão chegando, e as consequências para todos nós", disse Julia-Levy. O documentário em língua inglesa seria dirigido originalmente por um premiado cineasta chamado Juan Carlos Ruflo, porém o mesmo teria abandonado o projeto. Ainda foi mencionado que o documentário começaria a ser filmado no fim de 2011.

Luis Augusto Garcia Rosado, identificado como
Ministro do Turismo do Estado Mexicano de Campeche
Ed Elbert, co-produtor do documentário (o documentário também contava com a participação de uma co-produtora chamada Sheila McCarthy), disse que os cineastas estavam conversando com investidores e esperando o governo pudesse avaliar inicialmente o material e o sítio arqueológico. Além disso, o documentário teria que ser lançado antes do fim do calendário maia, ou seja, antes de 21 de dezembro de 2012.

Em um determinado momento, Luis Augusto Garcia Rosado teria sido citado em um comunicado de imprensa falando sobre o contato entre os maias e os extraterrestres. Porém, posteriormente, Rosado teria mencionado que o documentário teria uma orientação basicamente arqueológica.

"Atualmente, falar dos maias está em alta. Nós já contávamos com mais de 3 milhões de sites que estão falando sobre o fim do calendário maia, e já fomos contatados por uma grande quantidade de produtores que querem vir e gravar em nossos sítios arqueológicos", teria dito Luis Augusto Garcia Rosado.

Ao ser questionado se o documentário iria envolver extraterrestres, elementos místicos ou cenários apocalípticos que alimentavam a imaginação popular, Julia-Levy se recusou a falar.

"Não estou autorizado a falar sobre isso. Tudo será divulgado ao seu tempo, mas não posso comentar sobre extraterrestres ou sobre 2012. Posso apenas dizer que o governo mexicano está se preparando para contar a humanidade e ao mundo, coisas que são críticas para nós, para a nossa maneira de viver, pela forma como estamos lidando com o planeta", disse Julia-Levy.

O responsável pelo artigo no site "The Wrap" era o "premiado editor e colunista" Steve Pond, que vem escrevendo sobre o mundo entretenimento e da cultura popular, ao longo dos últimos 30 anos, para publicações como o Los Angeles Times, Rolling Stone, New York Times, e o Washington Post. Para vocês terem uma noção, esse artigo foi publicado pelo próprio Steve Pond, no mesmo dia, no site da agência internacional de notícias Reuters, que se encarregou de disseminar a informação para o mundo inteiro.

A Estranha Atualização Sobre o Documentário: Os Maias Teriam Entrado em Contato com Seres Extraterrestres?


Pouco mais de um mês depois, mais precisamente no dia 26 de setembro de 2011, novamente "com exclusividade", Steve Pond, ao escrever para o site "The Wrap", disse que produtores do documentário "Revelations of the Mayans 2012 and Beyond" mencionaram que o governo mexicano iria revelar informações secretas sobre o contato extraterrestre entre os maias e os seres extraterrestres. Sim, isso mesmo que você leu. De acordo com o artigo, um "novo documentário" sobre a civilização maia iria fornecer evidências de um contato de extraterrestres com uma antiga cultura.

Lembram que um mês antes, "Raul Julia-Levy" disse que não estava autorizado a falar nada? Pois bem, nesse novo artigo, ele disse que o México iria liberar códices, artefatos e documentos significativos com evidências de um contato dos maias com seres extraterrestres, sendo que todas as informações seriam confirmadas por arqueólogos.

Na época, em um suposto comunicado enviado ao "TheWrap", Luis Augusto Garcia Rosado disse que havia surgido uma nova evidência "de um contato entre os maias e os extraterrestres, baseada nas traduções de certos códices, que o governo vinha mantendo em segurança em cofres subterrâneos por algum tempo". Em uma suposta conversa por telefone, ele também teria mencionado sobre "locais de pouso" em meio a floresta com cerca de 3.000 anos de idade.

Pouco mais de um mês depois, mais precisamente no dia 26 de setembro de 2011, novamente "com exclusividade", Steve Pond, ao escrever para o site "The Wrap", disse que produtores do documentário "Revelations of the Mayans 2012 and Beyond" mencionaram que o governo mexicano iria revelar informações secretas sobre o contato extraterrestre entre os maias e os seres extraterrestres
"Raul Julia-Levy" chegou a afirmar que havia provas de que os maias tinham a intenção de dominar o planeta por milhares de anos, mas foram forçados a fugir depois de uma invasão de "homens de intenções sombrias", deixando para trás a evidência de uma raça avançada. Na visão de "Raul Julia-Levy", os maias teriam abandonado o planeta Terra.

Curiosamente, talvez vendo a repercussão mundial que o documentário estava começando a ganhar, o governo da Guatemala teria se juntado ao projeto, dando acesso a artefatos e profecias recém-descobertas. Por mais que o governo da Guatemala não tenha comentado absolutamente nada sobre extraterrestres, o mesmo teria se aliado ao México em uma espécie de apoio ao projeto.

"A Guatemala, assim como o México, é a morada da antiga, porém avançada civilização maia... também manteve certas descobertas arqueológicas provocantes como classificadas, e agora acredita que é hora de trazer esta informação através desse novo documentário", teria dito Guillermo Novielli Quezada, identificado como o então ministro do Turismo da Guatemala, em um suposto comunicado.

Um estranho aspecto, no entanto, é que o então ministro Guillermo Novielli Quezada é citado referindo-se a "Mirador", como sendo a maior pirâmide do mundo. Contudo, "Mirador" não é o nome de uma pirâmide. É o nome de todo um assentamento, que inclui diversas pirâmides, sendo que a maior delas é "La Danta" - um fato que seria de esperar que um ministro guatemalteco soubesse. Resumindo? Toda essa história estava muito mal contada.

Conheça Toda a Farsa Perpretada por "Raul Julia-Levy"


Vamos começar a desmentir toda essa história por "Raul Julia-Levy", que sequer possui esse nome. O nome dessa pessoa aparentemente é "Salvador Alba Fuentes", porém não se sabe exatamente o ano de seu nascimento, visto que essa informação é variável de acordo com a fonte pesquisada. Não se sabe se ele nasceu em 1968, 1971, ou 1972, e nem mesmo o local de seu nascimento, se seria na Cidade do México ou em Porto Rico. "Raul Julia-Levy" alega ser filho do ator porto-riquenho Raúl Rafael Juliá y Arcelay, que provavelmente você conhece pelo papel de Gomez Addams, o chefe da família Addams.

Em setembro de 2005, o jonal The New York Times citou a esposa do falecido ator Raúl Juliá, dizendo que o homem que autoproclamava "Julia-Levy" era "um impostor que afirmava ser o filho de seu falecido marido". No artigo, Julia-Levy negou as acusações e disse que só conheceu seu falecido pai quando tinha 17 anos de idade em um set de filmagens no México. O jornal, no entanto, fez questão de deixar claro que datas citadas por ele desse encontro não correspondiam com a sua idade, entre outras informações contraditórias.

Em setembro de 2005, o jonal The New York Times citou a esposa do falecido ator Raúl Juliá (à direita), dizendo que o homem que autoproclamava "Julia-Levy" (à esquerda) era "um impostor que afirmava ser o filho de seu falecido marido".
Julia-Levy também já teria sido flagrado utilizando nomes falsos, números da segurança social falsos e inclusive alegou falsamente que teria frequentado a Universidade de Harvard e da Universidade do Sul da Califórnia. Esse é basicamente o tipo de pessoa que pretendia revelar ao mundo o contato de seres extraterrestres com a civilização maia.

Em um artigo escrito por Benjamin Radford, para o site Live Science, em 5 de outubro de 2011, toda essa história começou a ser questionada. No artigo é mencionado que alegações não comprovadas de "antigos astronautas" nas Américas vinham sendo feitas ao longo de décadas, sendo que algumas pessoas afirmavam que os desenhos gigantes no deserto de Nazca, no Peru, teriam sido criados por naves espaciais. Na verdade, as "Linhas de Nazca" foram criadas pelos índios Nazca, provavelmente como parte de um ritual cerimonial. Ele também questionou que nenhum arqueólogo apareceu para comentar sobre tais descobertas, e que o anúncio estava sendo feito por cineastas e por supostos membros do governo mexicano.

"Os antigos maias eram perfeitamente capazes de desenvolver uma arquitetura sofisticada, um calendário, a matemática, a língua escrita e um sistema agrícola elaborado sem a intervenção de extraterrestres. Alegações de que os maias foram visitados por, inspirados por, ou orientados por antigos extraterrestres, não passa de uma uma fantasia cansativa e banal, completamente e totalmente desprovida de qualquer evidência comprobatória", disse Kenneth Feder, professor de Arqueologia da Central Connecticut State University, nos Estados Unidos.

"Alegações de que os maias foram visitados por, inspirados por, ou orientados por antigos extraterrestres, não passa de uma uma fantasia cansativa e banal, completamente e totalmente desprovida de qualquer evidência comprobatória", disse Kenneth Feder, professor de Arqueologia da Central Connecticut State University, nos Estados Unidos.
Julia-Levy também insistiu em dizer o filme era um documentário, não era ficção científica, e rejeitava a ideia de que o filme fosse uma clara manobra oportunista para capitalizar sobre o interesse na visão apocalíptica do calendário maia do ano de 2012. De qualquer forma, não iria demorar muito tempo para a máscara cair.

Em uma notícia publicada pelo site "Hollywood Reporter", em 14 de maio de 2012, uma mulher chamada Elisabeth Thieriot disse que foi vítima de uma fraude ao financiar um documentário chamado "Revelations of the Mayans: 2012 and Beyond", em parceria com "Raul Julia-Levy", e que posteriormente foi difamada pelo "The Wrap" e pelo escritor Steve Pond. Esses dois últimos acabaram sendo processados por Elisabeth Thieriot, que pedia uma indenização de US$ 1 milhão por calúnia, invasão de privacidade e difamação.

Elisabeth Thieriot disse que teve que cancelar a gravação do
documentário no México após a péssima utilização do equipamento
e da tentativa de induzir as autoridades locais a "roubar a filmagem,
equipamentos e o documentário"
Elisabeth Thieriot disse que teve que cancelar a gravação do documentário no México após a péssima utilização do equipamento alugado e da tentativa de induzir as autoridades locais a "roubar a filmagem, equipamentos e o documentário" dela. Em seu processo, ela alegou que, em retaliação, Julia-Levy a acusou falsamente de fugir do México por violar uma ordem do governo, filmar ilegalmente em terreno federal no México, roubar o documentário, e equipamentos relacionados ao documentário.

Ela ainda mencionou que "The Wrap" tinha exposto o "desaparecimento contínuo da integridade jornalística" devido a "publicações que apontavam uma corrida às agências de notícias para serem os primeiros a postar artigos sensacionalistas e inflamatórios na internet sem a devida pesquisa e com total desrespeito pela verdade."

O site "Hollywood Reporter" ainda publicou mais um triste episódio sobre "Raul Julia-Levy". Sua biografia no site IMDB dizia que "Raul Julia-Levy" havia crescido na Cidade do México, e suas primeiras participações tinham sido em novelas na Europa e no México, antes de se mudar para os Estados Unidos, com o objetivo de perseguir seus sonhos de atuar no cinema. Ele viria de uma família proeminente, que residoa na Cidade do México. Ele seria o primeiro neto do falecido Abraham Levy, que seria bem conhecido na indústria de vestuário. Seu irmão mais novo, Jose Levy, residia na Cidade do México, e estava envolvido na política. Ele teria duas filhas. Curiosamente, no entanto, a biografia teria sido escrita por um agente publicitário chamado "LH Vaughnes", porém em uma rápida pesquisa não foi encontrado ninguém ou nenhuma empresa do ramo com esse nome.

Sinceramente, toda essa história foi uma imensa confusão, muito provavelmente inventada com o objetivo de ganhar um dinheiro fácil e rápido em virtude de todo o frenesi gerado por um medo de um eventual "fim do mundo" devido a supostas profeciais maias sobre um grande evento apocalíptico. Na época foi uma verdadeira festa para sites de notícias sensacionalistas, assim como canais do YouTube, que exploraram sistematicamente essa temática ao longo do ano de 2012. Até o fim do ano de 2011 não se falava em artefatos maias sendo associados a eventuais contatos com extraterrestres. Isso só começou a acontecer no início de 2012, após toda essa repercussão gerada pelo Dr. Nassim Haramein e "Raul Julia-Levy". Como vocês podem perceber esta história perdura até hoje.

Assista, por exemplo, a um vídeo publicado no YouTube, em fevereiro de 2012, alegando a existência de artefatos maias supostamente descobertos pelo "Dr. Nassim Haramein & Klaus Dona", no documentário "Revelations of the Mayans 2012 and Beyond", que nunca foi sequer foi concluído, ou seja, toda a informação está completamente equivocada:



Agora assista a um outro vídeo publicado em novembro de 2013 com supostas "novas descobertas sobre antigos extraterretres", e creditado a Mario Garcia Rodriguez e Fernando Correa Dominguez, sendo que este último é um investigador pertencente ao programa "Tercer Milenio", conduzido pelo famigerado Jaime Maussan:



A verdade é que nunca houve nenhuma liberação de informações secretas por parte do governo mexicano, e nenhuma divulgação relacionada a interação da civilização maia com extraterrestres. Luis Augusto García Rosado, que era secretário de Turismo do Estado de Campeche, no México, nunca apareceu publicamente para dizer o que havia supostamente afirmado ao "The Wrap".

Além disso, também não é possível encontrar nenhuma declaração de Guillermo Novielli Quezada, ex-diretor do Instituto Guatemalteco de Turismo nesse sentido. Por fim, não há nenhum documento ou menção a supostos artefatos maias ou astecas relacionados a seres extraterrestres no site do Instituto Nacional de Antropología e Historia do México (INAH). Resumindo? Tudo isso não passa de uma farsa montada por "Raul Julia-Levy", e talvez por Steve Pond, através do site "The Wrap", que pode ter tido ou não conivência com todo esse caso.

A questão é tudo isso despertou o interesse das pessoas em explorar essa temática. Assim sendo, começaram a surgir objetos, supostamente maias e relacionados a extraterrestres, que teriam sido descobertos em diversos sítios arqueólogicos no México, principalmente em Calakmul. Muitos desses "artefatos" foram parar na mão de investigadores do programa "Tercer Milenio" do Jaime Maussan, que como vocês já sabem, não devem confiar em uma só palavra proferida por ele ou por pessoas que trabalham para ele.

A verdade é que nunca houve nenhuma liberação de informações secretas por parte do governo mexicano, e nenhuma divulgação relacionada a interação da civilização maia com extraterrestres
Entretanto, nunca foi realizada nenhuma datação radiométrica (leia mais aqui), nunca foi feito nenhum estudo sério e arqueológicos dos materiais apresentados, não se sabe exatamente onde esses tais objetos se encontram, entre uma série de inúmeros questionamentos, que poderíamos passar horas comentando.

Enfim, tudo indica com 99,99999999999% de chances, que todos ou pelo menos a absoluta maioria desses objetos são falsos. Isso não significa que existam objetos, eventualmente verdadeiros, no meio de tantas farsas. De qualquer forma, também não significa, que tais objetos estariam mostrando extraterrestres, simplesmente estariam sendo apresentados fora do contexto original). É claro que vocês podem nos perguntar o que seriam esses objetos, não é mesmo? Esse é um assunto que comentaremos rapidamente a seguir, na última parte dessa postagem.

O Universo Amplamente Duvidoso e Questionável da Chamada "OOPArt"


Para que nunca ouviu falar sobre isso, saiba que "OOPArt" é um acrônimo em inglês para "Out of Place Artifact" (literalmente, "Artefato Fora de Lugar", em português). É uma terminologia criada pelo naturalista e criptozoólogo norte-americano Ivan T. Sanderson para denominar um objeto de interesse histórico, arqueológico e/ou paleontológico, que se encontra em um contexto não usual e aparentemente impossível, o qual tende a desafiar a cronologia da história convencional.

Este termo é raramente utilizado pela maioria dos historiadores ou cientistas. Seu uso é limitado em grande parte por criptozoólogos e defensores da teoria dos "antigos astronautas", criacionistas da "Terra Jovem" ou entusiastas do paranormal. O termo é usado para descrever uma grande variedade de objetos, a partir de anomalias estudadas pela ciência convencional e pela pseudoarqueologia (longe de ser convencional), mesmo para objetos que tenham sido comprovadamente farsas ou que possuam explicações naturais.

Um suposto de 800 anos que teria sido descoberto na Áustria, e que noticiamos toda a realidade por trás do mesmo, no começo do ano, poderia ser considerado como uma "OOPArt". Assista ao nosso vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=S_wrsjxgG_c
As OOPArts que acabam se mostrando que não são farsas, geralmente nada mais são o resultado de uma má interpretação, uma ilusã  ou uma crença equivocada de que uma determinada cultura não poderia ter criado um determinado artefato ou tecnologia, devido à falta de conhecimento ou de materiais para a época.

Um lendário exemplo de "OOPArt" são as famosas "Pedras de Ica", um conjunto de rochas do tipo andesito que supostamente continham antigas descrições de dinossauros e de tecnologias avançadas. Elas teriam sido supostamente descobertas em uma caverna próxima de Ica, no Peru. Essas pedras se tornaram populares pelo Dr. Javier Cabrera Darquea, um médico peruano, que alegou ter recebido as pedras como um presente de aniversário.

O Dr. Javier Cabrera Darquea, um médico peruano,
que alegou ter recebido as pedras como um presente de aniversário
Cabrera afirmou que Basílio Uschuya, um fazendeiro local, trouxe as pedras para ele após encontrá-las em uma caverna (Uschuya mais tarde foi preso por vender as pedras para turistas, e disse à polícia que ele mesmo as fez). Em 1973, Uschuya afirmou que ele havia falsificado as pedras durante uma entrevista a Erich von Däniken, copiando as imagens de histórias em quadrinhos, livros e revistas, mas depois retratou-se durante uma entrevista a um jornalista alemão, dizendo que havia afirmado que eram uma farsa para evitar a prisão por venda de artefatos arqueológicos. Em 1977, durante o documentário da BBC chamado "Caminho para os Deuses", Uschuya produziu uma "autêntica" pedra de Ica com uma broca de dentista, e alegou ter produzido a pátina cozendo a pedra em esterco de vaca.

As famosas "Pedras de Ica", um conjunto de rochas do tipo andesito que supostamente continham antigas descrições de dinossauros e de tecnologias avançadas. Elas teriam sido supostamente descobertas em uma caverna próxima de Ica, no Peru
Essas pedras se tornaram populares pelo Dr. Javier Cabrera Darquea, um médico peruano,
que alegou ter recebido as pedras como um presente de aniversário.

Cabrera afirmou que Basílio Uschuya, um fazendeiro local, trouxe as pedras para ele após encontrá-las em uma caverna (Uschuya mais tarde foi preso por vender as pedras para turistas, e disse à polícia que ele mesmo as fez)
Em 1998, um outro estudo foi realizado por Vicente Paris, concluindo que as pedras eram uma fraude. Ele mostrou imagens de vestígios de tintas e abrasivos modernos, e disse que a superfície áspera das inscrições não condiziam com as áreas adjacentes das pedras, que mostram o polimento natural sofrido ao longo dos séculos. Como a maioria das pedras foram encontradas em rios ou outros lugares ao ar livre, e não em túmulos antigos, a nitidez das gravuras deveria estar substancialmente comprometida.

Enfim, tudo leva a crer que todos os artefatos, esculturas ou objetos apresentados como evidências de um contato extraterrestre com a civilização maia não passam de "OOPArts", ou seja, são fraudes que foram amplamente divulgadas a partir do ano de 2012 para aproveitar todo o frenesi sobre uma suposta profecia apocalíptica maia do fim do mundo, e que até hoje vem enganando toda uma geração de pessoas, que insistem em acessar sites sensacionalistas, que não merecem qualquer tipo de atenção. Simples assim.

Atualização #1 - 05/10 as 11h10


Coincidentemente, no dia de ontem (4) o site e-farsas realizou uma postagem sobre esse mesmo assunto, e acrescentou algumas informações bem interessantes, mostrando que todos esses artefatos não são verdadeiros. Na postagem é apontada uma notícia do site do jornal mexicano "Página 24", publicada em 21 de dezembro de 2014, onde a arqueóloga Ana María Pelz Marín, do Instituto Nacional de Antropología e Historia em Aguascalientes, no México, disse que a olho nu era possível notar que as pedras ou artefatos não eram autênticos, pois eram uma amálgama (entenda como "mistura") de desenhos de diversas culturas: asteca, olmec, maia, todas nas mesmas pedras e com características atribuídas a extraterrestres.

A arqueóloga Ana María Pelz Marín, do Instituto Nacional de Antropología
e Historia em Aguascalientes, no México
"As pedras nem mesmo estão em contexto pré-hispânico, não conseguimos verificar a origem exata das mesmas. O problema é que esses objetos estão sendo comercializados, e com isso se engana muitas pessoas. No entanto, não endossamos esses materiais", disse Ana María Pelz Marín.

Ela esclareceu que no município de Ojuelos, no estado mexicano de Jalisco, existiam vestígios pré-hispânicos como pontas de flechas, pinturas rupestres, fragmentos de vasos, mas não existiam pedras com alusões a extraterrestres. A equipe do INAH em Aguascalientes já havia entrado em contato com as equipes de Jalisco e San Luis Potosí, as quais também não aceitaram autenticar objetos pertencentes ao Jaime Maussan.

As supostas pedras pré-hispânicas representando seres extraterrestres
A especialista salientou que, apesar da falsidade das peças, que eram vendidas como verdadeiros artigos pré-hispânicos, e embora aquilo enganasse as pessoas, nenhum crime estava sendo cometido, porque para o INAH não eram objetos históricos, e sim tão somente artesanato.

"Inclusive, tentaram me vender essas peças. Se fossem originais, a venda de um patrimônio nacional é um crime federal, as pessoas têm que entender que não são peças originais", completou.

Posteriormente, em março do ano passado, um blog chamado "El Escéptico de Jalisco" também apontou que os supostos artefatos não eram verdadeiros, inclusive mostrando documentos oficiais do INAH nesse sentido.

Comentários Finais


Sinceramente, não é tão difícil escrever algo para desmentir um site que sistematicamente engana as pessoas de boa fé, que esperam encontrar uma informação verdadeira e que se encaixe as suas crenças ou convicções pessoais. Contudo, seria muito mais simples que as pessoas não fossem procurar ou não levassem em consideração determinados sites, cujo objetivo é simplemente enganá-las, e não acrescentar em absolutamente nada ao estudo ou aprimoramento do que conhecemos atualmente como o mundo do paranormal ou sobrenatural. Sei que muitos questionam, que sempre estamos desmentindo os casos que surgem na internet, porém é necessário que você saiba que a maioria dos eventos considerados sobrenaturais são passíveis de serem explicados cientificamente, por mais que você não acredite em tais explicações. O mais importante dessa postagem é que você reflita exatamente o tipo de conteúdo que você anda lendo e compartilhando através de suas redes sociais. Até porque, caso você acredite e tenha certeza que tais objetos "astecas", que foram anunciados no passado como "maias", sejam realmente verdadeiros, fique à vontade para me indicar os estudos científicos correspondentes sobre os mesmos. De qualquer forma, a pesquisa será em vão, e em última instância sempre rapidamente refutada.

Essa exploração da temática maia, e das civilizações antigas terem ou não tido um eventual contato com seres extraterrestres foi bem mais explorada no passado do que atualmente. Hoje em dia, a grande sensação é procurar por pontos luminosos durante a noite, gravar um vídeo e divulgar no YouTube. Caso isso não aconteça, diversos canais se encarregam de editar as imagens para que uma "espaçonave extraterrestre" apareça mediante um vídeo enviado por alguém, que preferiu permanecer no anonimato. Antigamente, por mais incrível que isso possa parecer, a grande sensação era criar "esculturas", "artefatos inexplicáveis", gastar horas de trabalho em um material totalmente falso, na tentativa de ludibriar as pessoas, e ganhar algum dinheiro com isso. Porém, com a popularização do YouTube, a forma de enganar as pessoas mudou. Basta um vídeo, alguma coisa aparentemente extraordinária acontecendo e pronto: bem-vindo ao mundo fantástico da viralização, disseminado, principalmente, por tabloides britânicos e canais que não querem nada além do que seu mero acesso para que contabilize alguns centavos em suas respectivas contas. O mais interessante é que algumas pessoas ainda agradecem por terem sido enganadas.

Evidentemente, mudar um pensamento demora muito tempo. É um processo longo, penoso, cansativo, mas recompensador. Não quero que você deixe de acreditar ou pensar que algo possa, de fato, ter acontecido no passado. Contudo, seria amplamente benéfico que cada um avaliasse exatamente no que acredita, e nas credenciais das pessoas que passam essas informações. Também não me incomodo em escrever uma longa postagem mostrando que toda uma história não passa de uma farsa, mas é necessária uma conscientização em prol de um fator comum. No fundo, muitos gostariam que tudo isso fosse verdade, mas infelizmente não é. São poucos os lugares que dizem isso para vocês, que provam isso para vocês, que escrevem e rebatem cada frase mencionada para vocês, e que pesquisam isso a fundo para vocês. Esse é um blog dedicado a vocês, nossos leitores que nos acompanham e acreditam em nosso trabalho. Não fico feliz em desvendar uma farsa, fico feliz porque você será menos um a ser enganado.

Até a próxima, AssombradOs.

Criação/Tradução/Adaptação: Marco Faustino

Fontes:
http://indicescibles.blogspot.com.br/2013/08/le-gouvernement-du-mexique-devoile-des.html
http://portalsoftranscendence.com/journeys/your-peru-journey/spiritual-archeaology/
http://projectavalon.net/forum4/showthread.php?41530-NEW-Ancient-UFO-DISCLOSURE-Artifacts-Revealed---
http://projectavalon.net/forum4/showthread.php?65810-Are-these-Mayan-artifacts-real-or-fake
http://projectcamelot.org/klaus_dona.html
http://www.ancient-code.com/secret-mayan-artifacts-hoax/
http://www.hoaxbuster.com/forum/documentaire-sur-les-extraterrestres-et-les-mayas
http://www.livescience.com/16400-ufos-aliens-visited-mayans-mexico.html

http://pagina24.com.mx/local/2014/12/21/desenmascara-el-inah-al-presentador-jaime-maussan/
http://www.reuters.com/article/idUS269735214920110817
http://www.semprequestione.com/2015/11/governo-mexicano-ira-revelar-em.html#.V_EKfkBvB0o
http://www.semprequestione.com/2016/09/de-arrepiar-objetos-astecas-que-foram.html
http://www.thewrap.com/guatemala-cooperate-doc-about-mayans-and-aliens-31162/
http://www.thewrap.com/mayan-documentary-reveal-secret-government-information-will-it-be-archaeology-or-mysti/
http://www.viewzone.com/mexstatues.html
https://en.wikipedia.org/wiki/Out-of-place_artifact
https://badarchaeology.wordpress.com/tag/luis-augusto-garcia-rosado/
https://www.metabunk.org/decoded-statue-with-a-qr-code-head.t6728/
Comentários