16 de outubro de 2016

A Batalha de Los Angeles de 1942

Inscreva-se no canal clicando no botão abaixo:
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes

Fala Assombrados! Hoje vamos conhecer um dos primeiros casos da era moderna sobre o fenômeno OVNI, a história do incidente conhecido como "A Batalha de Los Angeles", sendo possivelmente o primeiro onde os militares tiveram que lutar contra uma presença não identificada nos céus de nosso planeta, assim como também marca o início da maquinaria de encobrimentos OVNI.

Assombrados, imagina o exército americano bombarde com mais de 1400 tiros por mais de uma hora contra um objeto no céu de Los Angeles, e esse objeto, que andava vagarosamente pelo céu, nem se importar com ele? Foi o que aconteceu em fevereiro de 1942. Até hoje nenhum país assumiu que foi o responsável pela "visita", fazendo muitos especularem que podem ter sido os extraterrestres. Vamos saber mais sobre esse curioso caso.

Os EUA na 2ª Guerra Mundial

Depois que a temível Armada Imperial Japonesa proporcionou um golpe avassalador naquele 7 de dezembro de 1941 em Pearl Harbor, os Estados Unidos entrou com tudo na guerra do Pacífico. A costa leste da nação americana era considerada a mais suscetível a uma invasão do Japão e foi necessário estabelecer rapidamente uma defesa antiaérea sólida e fornecer aos cidadãos, procedimentos que pudessem seguir em caso de um ataque.

Os procedimentos incluíam o estabelecimento de uma Guarda de Vigilância Antiaérea e também o emprego de apagões, os quais eram utilizados naquele tempo pelo Teatro de Operações da Europa.

O ataque a Pearl Harbor fez os americanos entrarem na guerra e foi responsável por deixar a costa leste do país em alerta, pois temiam um novo ataque japonês por água ou ar.


A Batalha de Los Angeles

Aproximadamente às 2:25 a.m. de 25 de fevereiro de 1942, as sirenes antiaéreas foram ativadas pelos militares em Los Angeles. A Califórnia foi sendo sistematicamente apagada e as pessoas pularam de suas camas em pânico. Milhares de soldados dirigiram-se imediatamente aos seus respectivos postos.

Algo havia sido avistado nos céus se aproximando da cidade e a possibilidade de um ataque inimigo em seu próprio território parecia uma possibilidade bastante real para uma nação agora em guerra. Sem saber o que se aproximava à cidade, a 37ª Brigada de Artilharia Costeira começou a disparar suas armas antiaéreas contra o objetivo. O alarme antiaéreo foi desativado às 7:21 a.m.

É estranho o fato de que aviões do Comando Aéreo foram preparados para a missão de interceptação e combate aéreo durante a dramática experiência, e no entanto a ordem de ataque nunca foi dada. Parece óbvio que o "inimigo" que passeava pelo firmamento noturno de Los Angeles não era uma aeronave japonesa nem um avião comercial dos EUA.

Milhares de testemunhas do incidente descreveram à nave inimiga como um objeto grande que permaneceu imóvel sobre a cidade enquanto o exército norte-americano disparava com tudo o que tinha. Pouco depois este misterioso objeto (ou objetos?), sem arranhão algum, começou a se deslocar lentamente para Santa Monica e Long Beach para desaparecer da vista por completo depois.

Saldo final: soube-se que três pessoas haviam morrido por causa dos fragmentos de munições produzidos pela artilharia antiaérea e que outros três faleceram de ataque cardíaco por causa do pânico provocado. Além da perda de civis, outro dano colateral foi a numerosa destruição de casas e estabelecimentos comerciais.

Na madrugada do dia 25 de fevereiro de 1942, um objeto desconhecido ficou parado durante uma hora sobre o céu da cidade de Los Angeles. O exército americano disparou mais de 1400 misseis antiaéreos em sua direção, mas nada acontecia com ele, que depois simplesmente foi embora para o oceano.


Jornais Repercutem o Caso

Na manhã seguinte, dia 26 de fevereiro, o jornal Los Angeles Times trazia a matéria:

"O Exército diz que o Alarme foi Real

Ofuscando um turbilhão de âmbito nacional de rumores e relatos conflitantes, O Comando Ocidental de Defesa do Exército insistiu que o apagão em Los Angeles de manhã cedo e a ação antiaeronaves foram o resultado de aviões não identificados avistados sobre a área da praia. Em duas declarações oficiais, emitidas enquanto o Secretário da Marinha Knox estava em Washington atribuindo a atividade a um alarme falso e "nervos agitados", o comando em San Francisco confirmou e reconfirmou a presença na região sul da cidade de aviões não identificados. Retransmitida pelo escritório setor sul da Califórnia em Pasadena, a segunda declaração dizia: "A aeronave que causou o apagão no Área de Los Angeles por várias horas esta manhã não foi identificada".

Entre as fotografias do incidente apresentadas no artigo, além da foto do objeto em questão, também se via uma mulher (Mrs. H.G. Landis) mostrando um travesseiro destruído por estilhaços, e a um residente segurando um cartucho de 12 lb. que não explodiu. Mas uma imagem se destacava entre todas e foi feita por Frank Warren.

Capa do Jornal Los Angeles Times






Página B do jornal Los Angeles Times de 26 de fevereiro de 1942. Ela mostra a famosa foto de Frank Warren e imagens de locais atingidos por balas do exército.
A Famosa Imagem de Frank Warren

Assombrados, acredito que muitos de vocês já devem ter visto pelo menos uma vez a imagem abaixo. Saiba que ela é real e foi obtida durante a Batalha de Los Angeles por Frank Warren. Nela vemos um objeto sendo iluminado por 9 refletores. O que seria esse objeto? Seria algo de outro planeta?

Impressioante imagem feita por Frank Warren durante a Batalha de Los Angeles. O objeto se movia vagarosamente, próximo do solo e mesmo assim as centenas de tiros dados pelo exército americano não fizeram nada nele. Tecnologia de outro planeta?

Detalhe do objeto iluminado pelos refletores. Esquerda: Gama reduzida para diminuir iluminação e contraste. Direita: Iluminação reduzida, contraste melhorado.

Imagem invertida da fotografia.

A mesma imagem processada e delimitada pelo Dr Bruce Maccabee. Saiba mais...


Testemunhas Oculares

Um veterano da Segunda Guerra Mundial, conhecido como H.C., há poucos anos declarou:

"Sou um veterano da II Guerra Mundial. Gostaria de notificar-lhes que fui uma das muitas testemunhas do evento acontecido naquele fevereiro de 1942. Eu tinha 14 anos na época, e vivia na zona de Adams e Crenshaw de Los Angeles. Minha família observou o episódio inteiro através da janela panorâmica de minha casa, cuja vista dava justamente para o oeste. As sirenes antiaéreas nos acordaram às 2 a.m.

Houve um momento de silêncio depois disso, e ato seguido, começaram a se ouvir as explosões do fogo antiaéreo. O céu do noroeste estava iluminado com explosões e as luzes dos refletores. A ação movia-se para o sul seguindo a linha costeira. Lembro claramente como as luzes dos refletores convergiam na parte inferior de objetos estranhos que davam a impressão de voar em formação.


Pareciam estar alheios e de serem completamente imunes aos mísseis que explodiam ao redor. Desde garoto me interessei pela aviação, e ainda sigo interessado, mas devo admitir que era difícil discernir o que eram aqueles objetos devido ao assombro, a excitação e a especulação do momento. Surpreendeu-me muito ao descobrir dias depois, que apesar de tanta potência de fogo não foi encontrada evidência alguma de ter algo ter sido derrubado.


"Vivia em Virgínia Road, meia quadra ao sul de West Adams Boulevard e um quarto de milha ao sul do que agora é a estrada interestadual 10 de Santa Monica, cerca de 5.5 milhas ao sudeste do atual Centro Cívico de Los Angeles; e aproximadamente 10.5 milhas a leste da costa de Santa Monica. Como já disse, o avistamento foi levado a cabo em direção oeste através de uma enorme janela panorâmica que nos proporcionava uma vista sem obstruções.


Depois fomos para as janelas da cozinha e da varanda, que davam ao sul, para seguir observando a ação que se deslocou para aquele local. Logo, o acontecimento seguiu a linha costeira.


Puderam ter estado a dois, três ou até seis milhas de distância. Não me lembro desse detalhe com precisão já que passou muito tempo. Mas o que sim lembro bem são as luzes dos refletores convergindo na parte de abaixo daqueles objetos avermelhados voando em formação."


No entanto, outras testemunhas, como Scott Littleton, afirmam ter visto apenas um objeto:

"Fui testemunha ocular dos eventos ocorridos naquela madrugada inesquecível de Fevereiro de 1942. Naquele tempo eu tinha só 8 anos, e meus pais viviam na 2500 Strand em Hermosa Beach, na praia. Por tal motivo, tínhamos assentos de primeira fila para o avistamento. 

Quando meu pai saiu para cumprir seu dever como guardião na vigilância antiaérea, minha mãe e eu vimos um objeto brilhante que foi apontado tanto por refletores desde Palos Verdes como de Malibu/Pacifico/Palisades e rodeado pelas explosões do ineficiente armamento do exército, enquanto o mesmo se deslocava lentamente sobre a costa do noroeste para o sudeste. Dirigiu-se à terra sobre Redondo Beach, umas duas milhas ao sul do nosso ponto de vista, e eventualmente desapareceu para o este das colinas de Palos Verdes, que hoje se conhece como Rancho Palos Verdes. 


O incidente em sua totalidade durou, ao menos desde nossa perspetiva, cerca de meia hora, embora não tenhamos tomado nota do tempo. Do mesmo modo que outras crianças da comunidade, passei a manhã seguinte recolhendo peças de estilhaços na praia; de fato, a gente se pergunta como é possível que tão pouca gente fosse ferida por aquela coisa. Não lembro de ter visto alguma formação discernível, só uma pequena bola de luz brilhante em forma de "losango" ( o termo "disco voador" ainda não havia sido adotado. NDT.). Só vimos um objeto, não vários como reportaram mais tarde algumas testemunhas. 

Naquela época, estávamos convencidos de que se tratava de um avião japonês de reconhecimento e que Los Angeles era um sério candidato a receber um ataque via aérea. Cabe destacar que isso passou menos de três meses após o ataque a Pearl Harbor. Mas nada daquilo foi o que aconteceu. Depois da guerra todos esperávamos que 'eles', os militares, dissessem-nos o que foi que realmente vimos ali acima... Mas até agora, também não o fizeram..." 

.
Explicação do Exército

Em 26 de fevereiro de 1942, o General George C. Marshall escreveu um memorando secreto ao Presidente Franklin D. Roosevelt tentando explicar o acontecido no incidente de Los Angeles. Posteriormente esse memorando foi liberado ao público pela lei de acesso a informação americana.

MEMORANDUM PARA O PRESIDENTE:

O que segue é a informação que temos do Quartel General
neste momento em relação ao alarme aéreo sobre Los Angeles de
ontem de manhã:

"A partir dos detalhes disponíveis a esta hora:

"1. Aeroplanos não identificados, outros não pertencentes ao Exército Americano, ou Aeroplanos da Marinha, estiveram provavelmente sobre Los Angeles, e foram alvejados por fogo dos elementos da 37ª Brigada de Artilharia Costeira (AA) entre às 3:12 e 4:15 am. Essas unidades gastaram 1430 disparos de munição.


"2. Como uma quantidade de quinze aviões podem ter estado envolvidos, voando em várias velocidades a partir do que está oficialmente reportado como sendo muito lento, como sendo por volta de 200 MPH (321 km/h) e em elevações de 9.000 - 18.000 pés (2743 - 5486 metros).

"3. Bombas não foram soltas.

"4. Não há vítimas entre as nossas tropas.

"5. Não há aviões derrubados.

"6. Nenhum avião do exército americano ou da Marinha estavam em ação.

" A investigação continua. Parece razoável concluir que, se os aviões não identificados, foram envolvidos eles podem ter sido de fontes comerciais, operados por agentes inimigos para fins de espalhar [sic] alarme, divulgando localização das posições antiaéreas , e retardando a produção através de apagão. Tal conclusão é corroborada pela variada velocidade de operação e o fato de que bombas não foram soltas. "

General George C. Marshall

Após o memorando, o Exército, com o objetivo de encobrir as consequências do incidente, tirou da manga uma explicação comum para acalmar à imprensa e o Congresso: o Secretário da Armada, Frank Knox divulgou que foi um alarme falso. Por lógica e paranoia pensou-se em princípio que era um ataque aéreo dos japoneses, só que os registros japoneses mostraram que não foram eles. então o culpado era um balão! E essa é a versão sustentada até hoje pelo exército americano.

O memorando secreto enviado pelo General George Marshall ao Presidente Roosevelt a respeito dos objetos não identificados sobre Los Angeles em 25 Fevereiro de 1942.

Perguntas Interessantes

- Um ou Mais Objetos? Algumas das muitas testemunhas oculares afirmam que naquela noite havia mais de um objeto vítima da excessiva artilharia, enquanto outros apenas dizem ter avistado um. Além disso, coincidem no essencial como:

- O que Eram esses Objetos? Os objetos não puderam ser identificados como algo comum, e apesar de tanta munição, pólvora gasta e impactos diretos, absolutamente nada pôde ser derrubado sendo que o objeto, ou os objetos, estavam a distância de tiro e quase imóveis;

- Quem foi o Autor? Até agora nenhuma nação do mundo assumiu a responsabilidade por tal invasão de espaço aéreo norte-americano.

- Era um Balão? Como poderia um balão sobreviver a mais de mil projéteis disparados naquela noite?

- Inicio do Encobrimento do Governo? A carta explicando o incidente do General Marshall ao Presidente Roosevelt está temperada com muitos supostos tais como "provavelmente sobre Los Angeles...podem ter estado envolvidos... Podem ter sido...etc.", levando a múltiplas conclusões possíveis. Além de qualquer conclusão possível, o fato inegável é que o General Marshall ficou muito mau colocado, e seu memorando ao Presidente Roosevelt era bastante infantil em argumentos, algo que mais adiante seria potenciado em toda a casuística OVNI, onde explicações prosaicas tais como reflexos de planetas, revestimentos térmicos, balões meteorológicos, protótipos secretos, e gases do pântano estariam à ordem do dia na hora de desinformar o público. Seriam esses os primeiros passos do longo caminho para o encobrimento governamental do tema OVNI haviam sido dados?

Algo incrível ocorreu sobre o céu de Los Angeles em 25 de fevereiro de 1942


A Batalha de Los Angeles Na Mídia

Muitos artigos, livros, reportagens, documentários etc foram feitos desde que tudo aconteceu. Abaixo vou destacar dois filmes e a re-encenação da batalha que acontece desde 1991.

- Filme Invasão do Mundo: Batalha de Los Angeles (2011): Sinopse: Durante anos, foram registrados vários casos de aparições OVNIs em diferentes lugares no mundo - Buenos Aires, Seul, França, Alemanha, China. Mas em 2011, o que eram apenas aparições vão agora se tornar uma assustadora realidade onde a Terra é atacada por forças desconhecidas. Enquanto as pessoas em todos os lugares assistem às grandes cidades do mundo caírem, Los Angeles se torna o último posto para a humanidade numa batalha inesperada. É então que um sargento da Marinha (Aaron Eckhart) e seu novo pelotão desenham um novo destino na areia enquanto combatem um inimigo como nunca haviam visto antes.


.
- Filme "The Battle of Los Angeles". Um filme de Jose Escamilla que está sendo rodado desde 2010 através de financiamento coletivo. Pelo trailer parece bem interessante. Saiba mais visitando o site oficial.

.

- The Great Los Angeles Air Raid: Esse importante acontecimento é relembrado todos os anos, desde 1991, em um evento ao ar livre promovido pelo Museu do Fort Macarthur em que os convidados assistem à apresentação de conjuntos musicais que tocam temas da época, e realizam uma encenação do ataque aos misteriosos invasores. As pessoas são convidadas a usar roupas conforme o estilo dos anos 40 e o evento é chamado de O Grande Raid Aéreo de Los Angeles. A página oficial da comemoração não aprova nem renega a explicação ufológica, mas defende que a mais provável causa dos acontecimentos conhecidos como Batalha de Los Angeles fosse o clima de medo em toda a costa oeste norte-americana, diante da entrada do país na Segunda Guerra Mundial. Esse ano o evento ocorreu no dia 20 de fevereiro de 2016

Confira abaixo como foi a re-encenação no ano de 2009:

.
Conclusão

A Batalha de Los Angeles ocorreu em um tempo em que sequer existiam as expressões disco voador ou objeto voador não identificado, em 25 de fevereiro de 1942 em Los Angeles, nos EUA. Um objeto se moveu lentamente pela cidade e foi alvejado durante mais de uma hora por mais de 1400 misseis antiaéreos, sem que nenhum deles causasse o menor dano nele.

O que era aquele objeto? Seria mesmo um balão como afirma o exército americano até hoje? Se for, o exército pecou por incompetência ao não poder derrubam um balão que permaneceu estacionado durante uma hora sobre o céu de Los Angeles.

Será que a foto de Frank Warren é dos mais espetaculares registros de todos os tempos de um disco voador? Será que essa foi a primeira vez que guerreamos contra uma nave de outro planeta? Tudo indica que sim...

Pesquisa/Tradução/Adaptação: rusmea.com & Mateus Fornazari

Fontes (acessadas em 15/10/2016):
- Wikipedia.en: Battle of Los Angeles
- History of War: Battle of Los Angeles: 1942’s UFO invasion
- THE BATTLE OF LOS ANGELES: Photo analysis by Bruce Maccabee
- Everything 2: Secret Memorandum to President Franklin D. Roosevelt Concerning the Los Angeles Air Raid
- ConspiracyWiki.com: Battle of Los Angeles 1942
- Ufo.com.br: Simulação da Batalha de Los Angeles realizada anualmente
- Documentário Alienígenas do Passado: A Volta
- Documentário Alienígenas: A Batalha de Los Angeles
Comentários