12 de junho de 2016

Invocação do Mal 2: O que é Verdade e o que é Mentira

Inscreva-se no canal clicando no botão abaixo:
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Eles são lançados primeiro lá, depois que vem pra cá :) Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes

Invocação do Mal 2 é baseado no famoso caso do Poltergeist de Enfield. Aqui vou mostrar para você o que é real e o que é mentira no filme...

Fala Assombrados! Finalmente saiu o filme Invocação do Mal 2 nos cinemas. Aqui no AssombradO.com.br eu já fiz um especial bem legal contando a verdadeira história do caso, o Poltergeist de Enfield. Ficou muito legal o vídeo e recomendo muito você assistir.

Eu e a Ana fomos assistir Invocação do Mal 2 no cinema e gostamos bastante. Tem muitos sustos que vão fazer você gelar a espinha, e incrivelmente tem até uma parte bastante emotiva, que vai fazer seus olhos suarem :) Registramos tudo em um vídeo liberado em nosso canal secundário. Para assistir, basta clicar aqui!

O filme começa dizendo que é baseado em uma história real, no caso o Poltergeist de Enfield. É claro que Hollywood fantasiou muita coisa, assim nesta postagem eu vou mostrar para vocês o que é real e o que é mentira no filme...



.
Antes de começar, vamos comparar os atores do filme com personagens reais do caso Enfield. Destaque para a incrível semelhança entre Madison Wolfe e Janet Hodgson e de Simon McBurney e Maurice Groose.




- O Caso Einfield

Tudo começou na noite do dia 30 de agosto de 1977 no município de Enfield, Grande Londres, Reino Unido. A senhora Hodgson era uma divorciada de 40 anos que vivia com seus filhos em uma bonita casa anexa em um popular bairro operário de Enfield. Seus quatro filhos se chamavam: Margareth, de 13 anos; Janet, de 11; Jhonny, de 10, e Billy; de 7 anos.

Os eventos se concentraram em Janet e Margareth e o caso foi um dos mais bem documentados da história, com horas e mais horas de gravações, com destaque para a horrível voz que saia da boca de Janet.

Agora vamos ver o que é verdade ou não no filme...

Peggy Hodson e tres de seus filhos sentados no sofa. As duas meninas foram os epicentro dos acontecimentos, com destaque para Janet de apenas 11 anos
Janet de 11 anos (ao centro) e Margareth de 13 eram o centro das manifestações.

- Existiu o Caso Amityville?

O filme inicia com os Warrens realizando uma sessão onde Lorraine entra em transe e se vê no corpo de Ronald Defeo, que matou seus 4 irmãos e pais na sua casa. No filme, mostra que Ronald está ouvindo uma voz dizendo para matar todo mundo. Depois surge um garotinho que fica guiando Lorraine Warren, Será verdade?

O caso é real e foi o que fez realmente os Warrens serem conhecidos mundialmente após serem chamados para investigar o local, após a família Lutz, que foi morar lá após o massacre, fugir depois de apenas 1 mês, alegando ser assombrada.

Ronald disse a polícia após ser preso que vozes falavam para ele matar todo mundo.

Já o garotinho foi inspirado na famosa foto conhecida como "Amityville Ghost Boy". Vou fazer um vídeo sobre esta foto para você, pois existe muita dúvida se ela é real ou não.

The Amityville Boy é uma foto bastante controversa.
Conhecido como caso Amityville, ainda existe um intenso debate se tudo foi real ou não, uma vez que acusam os Lutz de armarem tudo para ganharem dinheiro. Já fiz um vídeo especial sobre o assunto.

Será que vamos ter um Invocação do Mal 3 ou um Spin-Off do caso Amityville? James Wan disse que não...


.

- Tudo Começou por Causa de uma Tábua Ouija?

Verdade! Janet Hodgson disse que ela e sua irmã Margaret haviam brincado com um tabuleiro Ouija pouco antes do início da atividade sobrenatural.


- Uma Cômoda se Moveu pelo Quarto?

Verdade! Na história real, as crianças estavam reclamando que a cama estava chacoalhando e que cadeiras se moviam pelo quarto para a mãe, só que essa dizia que não era nada e saia.

Só que uma vez ela após acalmar as crianças e sair do quarto, ouve barulhos. Ela volta e acende novamente a luz e observa que tudo está em ordem; as crianças estão na cama e todos os móveis em seus lugares. Volta a apagar a luz e os ruídos seguidos de fortes pancadas começam de novo. Ao acender de novo a luz, contempla assombrada como uma enorme cômoda que estava encostado contra uma parede lateral, se moveu dois palmos...Peggy, começa a suspeitar que o ocorrido não é uma coisa da imaginação das crianças. Ela volta a pôr a cômoda em seu lugar e apenas ao dar às costas, o móvel volta a se arrastar por si só até a posição anterior. Desta vez com a luz acesa e ante seus olhos.

O estado dos móveis depois dos acontecimentos

- A Família Saiu de Casa e Foi até a Casa de Vizinhos?

Verdade! Depois de presenciar as atividades, Peggy pega os filhos e vai em busca de auxílio no vizinho. Um grupo de vizinhos revistam a casa e o jardim em busca de algum possível intruso que estivesse causando os ruídos que Peggy lhes relatou completamente horrorizada, mas não encontram ninguém. Em vez disso, quando estão tranquilizando Peggy, todos escutam as pancadas que ocorrem em curtos intervalos e que provêm do interior da casa.

Vic Nottingham e sua esposa. Eles são o casal de vizinhos onde os Hodgson foram pedir ajuda. 

- Policiais Testemunharam os Fenômenos?

Verdade! Os vizinhos chamaram a polícia, que presenciou fenômenos estranhos. Em uma ata de serviço surpreendente, um policial deu testemunho em declaração escrita, de como uma cadeira se movia inexplicavelmente pela casa e como escutavam batidas de procedência desconhecida.

Policiais dando testemunho do caso Enfield

- A Imprensa Cobriu o Caso?

Verdade! Os acontecimentos chegam à imprensa e o diário Daily Mirror envia uma equipe de experimentados repórteres para investigar o caso. Ali, a equipe do jornal pôde contemplar os acontecimentos inexplicáveis. Uma peça de lego saiu disparada e atingiu a testa do fotógrafo do Daily Mirror, Graham Morris quando este tentava tomar uma foto. A BBC foi até à casa, mas a equipe constatou que os componentes de metal de seus equipamentos de gravação, haviam sido entortados e as gravações apagadas. O repórter George Fallows, vendo que a coisa não era uma brincadeira, pôs a Peggy em contato com Maurice Grosse, membro da Society for Psychical Research.
Capa do Daily Mirror de 10 de setembro de 1977 cobrindo o caso Enfield

- Se comunicavam por Batidas nas Paredes?

Verdade! Grosse chegou a se comunicar em várias sessões com as supostas entidades inteligentes que estavam atormentando à família. As perguntas de Grosse eram respondidas com toques onde uma pancada queria dizer "sim" e duas para dizer "não". Grosse perguntou à entidade que afirmava ter morrido na casa, por quantos anos teria morado ali, ao que soaram 53 batidas.

- Janet era o Principal Alvo das Manifestações?

Verdade! Quando entrava nesses transes, era preciso que segurassem forte a Janet porque ela adquiria uma força descomunal para uma criança de apenas 11 anos. Às vezes saía correndo e chocava a cabeça contra a parede enquanto praguejava e amaldiçoava com sua verborreia sórdida. Uma vez inclusive derrubou de um só golpe a um assistente social que era ex -policial e muito corpulento, ao tentar tranquilizá-la junto a sua cama.

Janet durante um de seus transes

- Janet Falava com voz Estranha?

Verdade! De sua garganta saíam às vezes, uma voz áspera e masculina que dizia pertencer a várias entidades e que costumava falar em linguagem Inapropriada e obscena. Quando isso acontecia, a pequena Janet entrava em uma espécie de transe. Uma das vozes afirmava pertencer a um homem que havia morrido naquela casa.

Psiquiatras e doutores locais estudaram Janet, que parecia ser o epicentro dos fenômenos e inclusive, chegaram a realizar estudos laringográficos para descartar que as vozes que saíam de sua garganta não tinham sido fabricadas conscientemente por ela mesma.


- Janet Levitava?

Duvidoso! Quando a imprensa descobriu o caso, o Daily Mirror enviou o repórter Graham Morris para o local para testemunhar os acontecimento. E ele fez uma das fotos mais famosas: a levitação de Janet. Graham estava no quarto das meninas junto a mãe das mesmas quando Janet foi atirada de sua cama pela "entidade". Nesse momento ele fez a imagem e foi essa imagem e seus relatos que convenceram a Sociedade de Pesquisas Psíquicas a enviar Maurice Grosse para investigar o caso.



Só que está foto não convenceu muita gente. O investigador Melvin Harris chamou as fotos de exemplos comuns de "ginástica", e disse: "É bom lembrar que Janet era uma campeã de esportes na escola!" Nickell também escreveu que o demonologista Ed Warren era "notório por exagerar e até mesmo distorcer tais casos, frequentemente transformando um fenômeno 'assombrado' em um incidente de possessão 'demoníaca'."



- Janet Atravessa os Cômodos da Casa?

Mentira! No filme, em diversos momento Janet atravessa os cômodos da casa de modo sobrenatural. Em uma cena, seu antigo quarto está trancado com corrente, e ela surge dentro dele. Será isso real? Não existe registro disso. Invenção de Hollywood.

- A Cortina tentou Matar Janet Estrangulada?

Verdade! Em uma ocasião, Janet afirmou que a cortina próxima a sua cama se retorceu várias vezes em espiral para depois se enrolar em seu pescoço tentando estrangulá-la. Segundo contou Janet, tudo isso depois de sentir uma força invisível puxá-la da cama e jogá-la contra às cortinas e ante a presença de sua mãe.

Sequência que mostraria o movimento das cortinas


- Dezenas de Cruzes Viraram de Ponta Cabeça?

Mentira! No filme, dezenas de cruzes foram pregadas no quarto de Janet. Essas cruzes foram doadas por vizinhos para tentar parar os fenômenos. Em um momento, Janet está no quarto e as cruzes todas começam a virar de ponta cabeça.

Cruzes foram dadas pelos vizinhos. Tudo invenção de Hollywood

- Existiu o fantasma de Bill Wilkins?

Verdade! Uma voz rouca masculina saiu da boca de Janet e entregou uma mensagem de além-túmulo, descrevendo em detalhes o momento de sua morte. "Apenas antes de eu morrer, eu fiquei cego, e então eu tive uma hemorragia e eu adormeci e eu morri na cadeira no canto sob às escadas", disse a tal voz.

A voz misteriosa - que ainda pode ser ouvida em áudio hoje em dia - é supostamente a de Bill Wilkins, vários anos após a sua morte.

Bill Wilkins no filme

- Bill Wilkins Morreu na Poltrona?

Verdade! Ao explorar a assombração de Enfield, aprendemos que o filho de Bill Wilkins 'Terry' confirmou que ele tinha morrido de uma forma semelhante ao que Janet havia descrito quando ela estava possuída (Wilkins falecera em uma poltrona no andar de baixo, depois de sofrer uma hemorragia cerebral).

- O Homem Torto Existe?

Mentira! No filme, existe um brinquedo que mostra um homem chamado pelas crianças de  "Homem Torto" andando. Esse homem torto ganha vida e ataca as pessoas.

O Homem Torto é um personagem do brinquedo dentro da cabana.

- Aquela Freira Feia do Cão Existe?

Mentira! Uma das coisas mais tenebrosas do filme é a Freira. Lorraine a vê logo no início do filme enquanto estava em transe na casa de Amityville. Depois Ed sonha com ela e pinta um quadro com a visão. O quadro é muito realista - Ed era um ótimo pintor na vida real - e depois essa entidade começa a atacar Lorraine dizendo que quer Ed.

Essa freira da muitos sustos no filme...

- Os Warrens Investigaram o Caso?

Mentira! Os Warrens no filme foram enviados como emissários da igreja católica para colher provas se a família estava realmente sendo atormentada por demônios. Eles não foram para investigar e resolver o caso, pois Lorraine Warren não queria se envolver.

No caso real, o investigador Guy Lyon Playfair, membro da Sociedade de Pesquisas Psíquicas e um dos principais investigadores do caso Enfield Poltergeist, diz que os controversos pesquisadores paranormais Ed e Lorraine Warren não estavam envolvidos no caso. Ele diz que eles chegaram "sem serem convidados", hospedaram-se por apenas um dia, e alega que eles fabricaram suas próprias evidências paranormais simplesmente para "fazer dinheiro com isso."!

Ele disse tudo isso em uma entrevista para a Darkness Radio apresentada por Dave Schradera, que foi ao ar na noite do dia 31/12/2015. Você podia ouvir até um tempo atrás a entrevista neste link, mas então ela foi retirada do ar.


.

- Foi um dos Casos mais estudados?

Verdade! Maurice Groose tem horas e mais horas de fitas gravadas do caso Enfield. Existem também diversas fotografias. O parapsicólogo Guy Lyon Playfair se uniu à investigação de Maurice Grosse e os dois passaram os dois anos seguintes estudando o caso.

Grosse contendo a Janet durante um de seus transes

Grosse contendo a Janet durante um de seus transes

Livro escrito por Guy Lyon Playfair conta toda a história em Enfield

- Como a Família Ficou no Final?

Janet passou seis semanas no Maudsley Hospital no Sul de Londres onde realizou provas precisas para detectar qualquer anomalia tanto física como mental, mas não foi encontrado nada. Durante esse tempo a atividade poltergeist da casa cessou completamente.

Janet Hodgson acredita que foi a visita de um padre 1978 a casa acalmou as coisas, embora as ocorrências não tenham terminado completamente.

Em 1980, Guy Lyon Playfair publicou o livro This House is Haunted: The True Story of the Enfield Poltergeist, contando toda a história.

A senhora Peggy continuou morando na casa até a sua morte e disse que ainda ouvia barulhos na casa de vez em quando. Seu filho Billy, que viveu com sua mãe até seu falecimento, sempre sentia como se estivesse sendo vigiado.

Atualmente com 45 anos, Janet vive em Essex com o marido, um leiteiro aposentado.

Na casa hoje vive Clare Bennett com seus 4 filhos. Ela diz ter a sensação de sempre estar sendo observada...

Janet em uma rara entrevista no ano de 2012 ao canal ITV1

Margareth e Peggy em entrevista a Maurice Grosse

- É possível que foi Tudo uma Fraude?

Segundo a Wikipédia, em uma entrevista ao Daily Mail, a adulta Janet admitiu que ela e sua irmã haviam falsificado "2 por cento" dos fenômenos, o que levou Nickell a comentar que "as evidências sugerem que esse número já chega aos 100 por cento."

Em 1980, ela disse a ITV News: "Ah, sim, uma ou duas vezes (que falsificaram os fenômenos), só para ver se o Sr. Grosse e o Sr. Playfair iriam nos pegar. Eles sempre pegaram."

Durante uma entrevista de Margaret e Janet Hodgson que foi ao ar como parte de um especial de TV em 1980, Janet é perguntada como se sente ao ser assombrada por um poltergeist. "Não é assombrado" Janet responde sorrindo. Sua irmã sorri com espanto, como se Janet apenas deu-se um segredo, e sussurra: "Cale a boca!" através de risos abafados. Janet disse mais tarde que ela não se sentia que o poltergeist estava mal, o que significa que a casa não era necessariamente "mal-assombrada."

Conclusão

Assombrados, como puderam ver, muita coisa do filme é verdade, e muita coisa é mentira. É lógico que Hollywood tem de aumentar algumas coisas para deixar o filme mais envolvente e assustador. No caso criar aquela freira feia foi muito interessante, pois ela mete medo só de olhar para a gente!

Eu particularmente gostei do resultado e recomendo assistir. E você gostou do filme? Deixe a sua opinião.

Comentários