16 de abril de 2016

O Estranho Caso Sobre a Suposta "Esfera Misteriosa" Encontrada em uma Floresta na Bósnia

Inscreva-se no canal clicando no botão abaixo:
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Eles são lançados primeiro lá, depois que vem pra cá :) Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes

Por Marco Faustino

A notícia de uma suposta "esfera misteriosa" que teria sido "recentemente descoberta" na Bósnia vem sendo amplamente divulgada tanto aqui no Brasil quanto nos principais veículos de imprensa ao redor do mundo. Foi alegado que o objeto seria a mais antiga esfera de pedra esculpida pelo homem, e que a mesma provaria a existência de uma antiga e avançada civilização perdida, que teria vivido na Bósnia há mais de 1.500 anos. Além disso, a mesma seria mais pesada do que esferas "semelhantes" encontradas na Costa Rica e no México. Impressionante, não é mesmo? O único problema de toda essa história é o responsável por essa "descoberta", o Dr. Semir Osmanagić (conhecido também como Sam Osmanagich).

Em um primeiro momento esse nome pode parecer bem estranho para vocês, porém ele é um tanto quanto familiar para mim. Isso porque foi exatamente o Dr. Semir Osmanagić, que por volta de 10 anos atrás, passou a divulgar a descoberta de uma "série de pirâmides" que estariam encobertas pela densa vegetação e bem próximas da cidade de Visoko, a noroeste de Sarajevo, capital da Bósnia-Herzegovina (ou, de forma abreviada, Bósnia). Na época ele alegava que havia um total de cinco pirâmides: a Pirâmide do Sol, a Pirâmide da Lua, a Pirâmide do Dragão, a Pirâmide do Amor e a Pirâmide da Terra (denominado oficialmente como "Templo da Terra"). Segundo, Semir Osmanagić, a maior delas seria a do Sol, que possuiria cerca de 213 metros de altura. Para efeitos de comparação, a Pirâmide de Quéops, no Egito, possui atualmente cerca de 137 metros de altura, sendo que cálculos apontam que originalmente ela possuía 146 metros de altura. O Mateus já fez um especial sobre o assunto chamado Pirâmides da Bósnia (As Maiores e as Mais Antigas do Mundo!)

Esse é um tema que renderia uma matéria bem mais aprofundada, porém nosso assunto principal, é claro, se refere apenas a suposta esfera que teria sido descoberta durante escavações, que estavam sendo realizadas em uma floresta próxima ao vilarejo de Podunavlje, na Bósnia. Entretanto, será que realmente essa é uma descoberta recente? Quem é o Dr. Semir Osmanagić? Uma antiga e avançada civilização perdida teria realmente criado essas esferas, assim como as supostas "Pirâmides da Bósnia"? Não se preocupem, tentaremos responder a tudo isso da melhor forma possível. Vamos saber mais sobre esse assunto?

Toda essa história relacionada a "esfera da Bósnia" começou por um comunicado de imprensa publicado no site da "Fundação Parque Arqueológico da Pirâmide do Sol da Bósnia", que aliás, tanto o site quanto a fundação pertencem ao próprio Semir Osmanagić. O título bem chamativo desse comunicado tinha a seguinte frase: "Biggest Stone Ball In Europe Just Discovered In Bosnia" ("A Maior Bola de Pedra da Europa foi Descoberta na Bósnia", em português). Comentaremos sobre o conteúdo completo desse comunicado daqui a pouco, porque é importante que vocês saibam que foi dessa forma que uma agência internacional de notícias chamada CEN (Central European News), assim como a agência internacional de notícias Reuters, souberam dessa notícia, e disseminaram o conteúdo para diversos sites de notícias da Europa.  Entre eles eu destacaria os site dos jornais "Daily Telegraph" e "Daily Mail", uma vez que eles foram os principais responsáveis pela intensa replicação que está havendo em relação a esse assunto.

No Brasil, sites como o Terra e o G1 também noticiaram, porém são apenas réplicas do que foi publicado pela BBC Brasil. Aliás, existem alguns erros, visto que muitos textos replicados tratam Semir Osmanagić e Sam Osmanagich como se fossem pessoas diferentes, mas eles são as mesmas pessoas, visto que o nome completo do Dr. Semir Osmanagić é Sam Semir Osmanagić. De qualquer forma, um outro detalhe que é muito importante que vocês saibam é sobre quem é o Dr. Semir Osmanagić.

Quem é o Dr. Semir Osmanagić?


Semir Osmanagić nasceu em 1 de junho de 1960, em Zenica, que atualmente é a quarta maior cidade da Bósnia. Ele completou o ensino fundamental e médio na cidade de Sarajevo. Sua vida profissional começou em meados da década de 1980 na indústria metalúrgica, mais precisamente na UNIS (United Metal Industry of Sarajevo), uma companhia de grande porte com cerca de 55.000 funcionários onde trabalhava como pesquisador em planejamento estratégico no Instituto UNIS.

O Dr. Semir Osmanagić
Em 1989 ele abriu suas próprias empresas de importação e exportação, relacionadas ao ramo da construção civil, tanto na Bósnia quanto na Croácia. Em 1992 quando a Guerra da Bósnia eclodiu, ele se mudou para Houston, no estado do Texas, nos Estados Unidos, e passou a trabalhar como assistente de marketing de uma empresa produtora de equipamentos para poços de petróleo e gás. Posteriormente se tornou gerente comercial da empresa, mas acabou abrindo seu próprio negócio em 1995. Ele fundou uma companhia chamada "Met Company, Inc", uma empresa que produz equipamentos e peças de metal para diversos segmentos da indústria norte-americana, tais como a indústria petroquímica e da extração de gás. Atualmente ele é o presidente da empresa, que conta com mais de 120 funcionários.

Não podemos esquecer de mencionar que Semir Osmanagić possui mestrado em Economia e Política Internacional e doutorado em Ciências Sociais pela Universidade de Sarajevo. No ano de 2009 ele se tornou membro da Academia de Ciências Naturais da Rússia, que por sua vez é uma organização não-governamental, criticada pelo fato de que muitos de seus membros não possuem quaisquer credenciais científicas e alguns deles praticam tão somente pseudociência. Essa organização não tem qualquer associação com a Academia de Ciências da Rússia.

Vale mencionar que uma pseudociência é qualquer tipo de informação que se diz ser baseada em fatos científicos, mesmo tendo um alto padrão de conhecimento, mas que não resulta da aplicação de métodos científicos. A pseudociência é frequentemente caracterizada pelo uso de afirmações vagas, exageradas ou improváveis​​, uma confiança excessiva na confirmação, ao invés de tentativas rigorosas de refutação, a falta de abertura para a avaliação de outros especialistas, e uma ausência generalizada de processos sistemáticos para desenvolver teorias de forma racional.

O Dr. Semir Osmanagić ficou conhecido por "descobrir" uma "série de pirâmides" que estariam encobertas pela densa vegetação
e bem próximas da cidade de Visoko, a noroeste de Sarajevo, capital da Bósnia-Herzegovina, em 2005
Entretanto, vocês perceberam que Semir Osmanagić não possui nenhuma formação acadêmica em Arqueologia, Paleontologia ou Antropologia? Curiosamente muitos sites o denominam como "arqueólogo", porém ele não tem nenhuma formação acadêmica nesse sentido. Aliás, não é de hoje que ele é acusado de promover projetos "pseudoarqueológicos". O maior deles vocês devem imaginar: "As Pirâmides da Bósnia".  Existem algumas coisas muito peculiares sobre essas tais "pirâmides", porém o discurso principal de Semir é que muitos arqueólogos e pesquisadores ao redor do mundo tentam impedir que ele realize suas escavações e prove definitivamente que existem pirâmides em seu país natal. Não somente isso, mas que elas são as mais antigas do mundo, sendo que uma delas é muito maior que a de Quéops, no Egito. Segundo ele, isso reescreveria os livros escolares e acadêmicos, e existiria muita pressão para que a nossa história, tal como a conhecemos, não fosse alterada.

Alguém se lembra de alguma pessoa que tinha um discurso bem semelhante a esse? Acertou quem pensou em J. Hutton Pulitzer e sua "espada de Oak Island". Aliás, como vocês puderam ver, aquele assunto não terminou nada bem para ele: Fim da Saga? Surgem Novas Espadas Pelo Mundo, mas a Espada de Oak Island não Pertence a Roma Antiga!

O Comunicado do Dr. Semir Osmanagić Sobre a Descoberta da "Maior Esfera de Pedra" da Europa


Já tinha algum tempo que o Dr. Semir Osmanagić não aparecia na mídia internacional, porém ele ganhou notoriedade recentemente ao afirmar que tinha descoberto uma grande esfera de pedra, que segundo ele seria a maior da Europa e a mais antiga esculpida pelo homem, em uma floresta na Bósnia. Para revelar sua "descoberta" foi publicado um comunicado no site da sua fundação.

Vale ressaltar que não temos responsabilidade sobre o que está escrito abaixo, visto que é apenas e tão somente a transcrição traduzida do que foi publicado pelo Dr. Semir Osmanagić. As imagens, incluindo suas respectivas legendas, que complementam o texto abaixo, não se encontram originalmente intercaladas entre os parágrafos, porém se encontram disponíveis para serem visualizadas no comunicado. Fizemos questão de incluí-las para que a leitura pudesse ser um pouco mais agradável. Vamos ao texto:

"A Maior Bola de Pedra da Europa foi Descoberta na Bósnia

O Dr. Semir Osmanagić ao lado do que considera como a maior bola de pedra da Europa,
e talvez mais pesada e antiga já feita pelo homem
Venho pesquisando o fenômeno das bolas de pedras pré-históricas há 15 anos. Já visitei por diversas vezes bolas de pedra de granito na região sul da Costa Rica, esferas de pedra vulcânica na região oeste do México, bolas de pedra em uma pequena ilha no Pacífico chamada Isla del Cano, bolas de pedra vulcânica da Ilha de Páscoa, assim como algumas na Tunísia e em Tenerife, na Ilhas Canárias. Elas também estão presentes na Antártida, Nova Zelândia, Rússia, Egito, Estados Unidos, Argentina ... Escrevi sobre esferas de pedra encontradas na região dos Balcãs: ao norte da Albânia, na província da Dalmácia, na Croácia e na Sérvia Ocidental.

Quando eu criei a fundação sem fins lucrativos chamada Parque Arqueológico da Pirâmide do Sol da Bósnia, nossa equipe começou a pesquisar sobre esse fenômeno na Bósnia. Nós as descobrimos em cerca de vinte locais diferentes, seja com algum formato ou não, e em alguns casos, constituídas a partir de materiais diferentes. Encontramos bolas de pedra de granito no vilarejo de Teocak, na região nordeste da Bósnia, uma bola de pedra vulcânica próxima da cidade de Konjic, na região central da Bósnia e esferas de pedra de arenito em muitos locais na Bósnia Central e Ocidental.

O Dr. Semir Osmanagić diz ter encontrado bolas de pedra de granito no vilarejo de Teocak, na região nordeste da Bósnia, uma bola de pedra vulcânica próxima da cidade de Konjic, na região central da Bósnia e esferas de pedra de arenito em muitos locais na Bósnia Central e Ocidental.
A maioria das bolas de pedra foram localizadas próximas a pequena cidade de Zavidovici. Costumava haver cerca de 80 delas na década de 1930. Nesse meio tempo, algumas delas foram levadas rio abaixo justamente pelo rio Bósnia, sendo que a maioria delas foram destruídas na década de 1970 depois de rumores de que havia ouro escondido dentro delas. Algumas foram levadas pelos próprios moradores, que as colocaram em seus quintais. Restaram apenas oito bolas de pedra desde a época que criamos a Fundação Parque Arqueológico da Pirâmide do Sol da Bósnia. Nós começamos a promover esse local, que tem sido visitado por milhares de turistas todos os anos.

Após meses de inverno, começou a escavação da enorme bola de pedra, novamente próximo a cidade de Zavidovici. Em meados de março de 2016 tornou-se óbvio, que a bola de pedra mais massiva da Europa havia sido descoberta. O nome do local é Vilarejo de Podunavlje.

Até agora, menos de metade da bola foi exposta. Os resultados preliminares mostram que o raio seria algo entre 1,2 e 1,5 metros. Os materiais de sua composição ainda não foram analisados. Entretanto, a cor castanha e vermelha da bola apontam para um teor muito elevado de ferro. Assim sendo, a densidade deve ser muito elevada, próxima do ferro que é 7,8 kg/c.c. Se levarmos em consideração o valor de apenas 5 kg/c.c., temos todos os elementos para o cálculo preliminar da massa.

A massa deve ser superior a 30 toneladas!

Os resultados preliminares mostram que o raio seria algo entre 1,2 e 1,5 metros.
Os materiais de sua composição ainda não foram analisados
Isso faz com que a bola de pedra da Bósnia seja a mais massiva da Europa. Entretanto, se os testes futuros apresentarem um teor de ferro maior do que esse, ela será a maior bola de pedra do mundo, superando as encontradas na Costa Rica (35 toneladas) e no México (40 toneladas).

Em toda a extensão das bolas de pedra vemos sinais de sedimentação natural: camada de placas de arenito, e em seguida, argila, solo e vegetação. É preciso dezenas, até centenas de milhares de anos para esse sedimento se formar.

Qual seria o significado desta descoberta?

Em primeiro lugar, seria outra prova de que o Sul da Europa, dos Balcãs e a Bósnia, em particular, serviram de lar para civilizações avançadas em um passado distante, e não temos registros escritos sobre elas. Em segundo lugar, eles tinham uma alta tecnologia, diferente da nossa. Por fim, eles aprenderam sobre o poder das formas geométricas, uma vez que a esfera é um dos formatos mais poderosos juntamente com o formato piramidal e os formatos cônicos. Não é de se admirar que o fenômeno das pirâmides e dos túmulos também podem ser encontrados na Bósnia.



Ao visitar o sítio arqueológico, um grupo de radiestesistas registraram que o campo energético da aura melhorava e se expandia quando exposto nos arredores da bola de pedra. Parece que os nossos antepassados fizeram mais uma coisa melhor do que nós. Eles aproveitaram as energias planetárias de uma maneira melhor, vivendo em harmonia com a nossa Mãe Terra.
Assim sendo, estamos criando mais um sítio arqueológico na Bósnia, que seria de importância global para pesquisadores e visitantes".
 
O comunicado acima seria bem interessante se não fosse a reputação questionável do Dr. Semir Osmanagić. Além disso, apesar de não estar constar no texto original desse comunicado, os sites de notícias, tais como o "Daily Telegraph" e o "Daily Mail" apontaram que o Dr. Semir Osmanagić acreditava que essa é a mais antiga "esfera" feita pelo homem, e que isso prova que a Europa abrigava uma avançada civilização perdida, que utilizou uma surpreendente tecnologia há mais de 1.500 anos. Seria mesmo isso verdade? É isso que vocês vão descobrir a partir de agora.

As Controvérsias em Relação a "Descoberta" de uma "Esfera Misteriosa" na Bósnia


O autor e editor de livros, Jason Colativo
Quando se trata de assuntos arqueológicos ou antropológicos eu gosto muito de consultar os blogs do Andy White e do Jason Colativo, sendo que este último, para quem nunca ouviu falar, é um autor e editor de livros, que inclusive já forneceu assistência em termos de pesquisa e consultoria para diversos programas do History Channel e NatGeo. Seu trabalho também já foi divulgado pela respeitada Skeptic Magazine.

Diga-se de passagem, as informações divulgadas por ele já foram de vital importância para a composição de uma antiga postagem que fiz sobre supostos "gigantes" que teriam vivido na Amazônia. Para saber mais detalhes sobre esse caso acesse: "Gigantes" na Amazônia? A Estranha Matéria Publicada Por Um Site de Notícias de Cuenca, no Equador

Como era de se imaginar, Jason Colativo comentou o que estava sendo divulgado pela mídia em relação a "esfera misteriosa" da Bósnia. Segundo ele, para começo de conversa, havia uma lenda que dizia que ouro tinha sido enterrado debaixo de uma grande pedra na Grécia, mas ele não conseguiu encontrar nenhuma lenda que falasse sobre ouro que tivesse sido escondido dentro de grandes pedras.

É interessante notar que Semir Osmanagić é um tanto quanto cauteloso em relação as suas afirmações sobre a pedra, que ele apresentou como se fosse uma grande novidade, e também pelo fato que teriam restado apenas oito bolas de pedra desde a época que criaram a Fundação Parque Arqueológico da Pirâmide do Sol da Bósnia, algo que ocorreu no ano de 2007.

O Livro "Sacred Places Europe: 108 Destinations"


Entretanto, aparentemente essa não é uma descoberta tão única assim. Em um livro intitulado "Sacred Places Europe: 108 Destinations", uma espécie de guia de viagem que explica o significado das localidades espirituais menos conhecidas, bem como as mais famosas da Europa, escrito por Brad Olsen, em 2007, o mesmo afirma que havia uma maior quantidade de "bolas de pedra", e que inclusive havia uma pedra bem grande na época. Veja o que diz o livro na página 119:

Trecho em destaque da página 119 do livro Sacred Places Europe: 108 Destinations de Brad Olsen


"A Bósnia não fica sem a sua quota de mistérios arqueológicos. Grandes pirâmides foram recentemente descobertas próximo da cidade de Visoko, juntamente com grandes bolas de pedra descobertas em diversos lugares por todo o país. As antigas esferas foram encontradas em diversos locais nas regiões norte e central da Bósnia. Mais de 40 esferas, sendo que a maior delas possui uma circunferência de 17,5 pés (5,3 m), foram encontradas exclusivamente ao norte da cidade de Zavidovici, enquanto outras tantas dezenas de bolas de pedra foram encontradas espalhadas por toda a região norte da Bósnia. Curiosamente, o único lugar onde esferas de pedra dessas dimensões foram encontradas anteriormente, se localiza na América Central, cujas pirâmides são notavelmente semelhantes aos tipos de pirâmides localizadas no Vale de Visočica. Um pesquisador acredita que essas bolas estranhas, com um formato perfeitamente arredondado, foram utilizadas como uma espécie de 'ponto energético' pelos europeus pré-históricos".

Diante disso é relevante dizer que não seriam apenas 8 esferas, mas sim 40 delas que ainda existiriam nos arredores da cidade de Zavidovici, na mesma época e na mesma região onde essa "grande esfera" mencionada pelo Dr. Semir Osmanagić teria sido recentemente descoberta. Apesar do bom texto escrito por Jason Colavito, o mesmo aparentemente cometeu um erro ao dizer que a esfera descoberta atualmente seria menor em termos de circunferência do que a descrita no livro. Jason escreveu que se fôssemos considerar um raio de 1,5 metros, a esfera teria uma circunferência de 4,7 metros, porém aparentemente existe um erro matemático nessa avaliação. A circunferência de uma esfera tendo um raio entre 1,2 e 1,5 metros é dada pela fórmula "2 x 3,14 (PI) x Raio da Esfera". Isso resulta em uma circunferência entre 7,5 e 9,4 metros, ou seja, considerando que seja realmente uma "esfera perfeita", a "descoberta" recente seria maior do que a descrita por Brad Olsen em 2007. Exceto, é claro, se tiver havido um erro de medição em qualquer uma das ocasiões e estejamos falando da mesma "bola de pedra". Já imaginaram isso?

A Opinião de Especialistas da Inglaterra


De qualquer forma até o momento não existe nenhuma comprovação de que a suposta esfera tenha sido esculpida pelo homem, muito pelo contrário. Uma série de especialistas da Universidade de Manchester, na Inglaterra, discordam e acreditam que aquela pedra não foi criada pelo homem. A professora Mandy Edwards da Escola de Ciências Terrestres, Atmosféricas e Ambientais, dessa mesma universidade, disse ao Daily Mail que a pedra esférica pode ser um exemplo de concreção. Esse processo ocorre quando uma massa compacta de rocha é formada pela precipitação de cimento mineral natural dentro dos espaços entre os grãos de sedimentos. Esse processo resulta muitas vezes em um formato esférico, e como exemplo teríamos as famosas "Bolas de Koutu", na Nova Zelândia.

Um exemplo de concreção pode ser visto através das "Bolas de Koutu", na Nova Zelândia. O fenômeno geológico em si é relativamente comum, ocorrendo por todo o planeta e sendo comumente associadas ao folclore local.
Como dissemos, a concreção é uma precipitação de minerais em torno de um núcleo em meio a rocha que pode selar os poros existentes ou mesmo substituir a rocha circundante. Um aspecto fascinante é que o núcleo que dá origem à concreção pode ser um pedaço de galho ou folha em meio à rocha sedimentar, visto que seu carbono pode atrair minerais carregados negativamente. Um objeto orgânico irregular dando origem a uma rocha inorgânica esférica. A concreção literalmente cresce ao seu redor. Sendo assim, é comum que adquira formas esféricas ou discóides.

Ainda segundo o Daily Mail, especialistas da Sociedade Geológica de Londres, na Inglaterra, disseram que o formato arredondado da rocha seria resultado de uma esfoliação esferoidal, uma forma de intemperismo químico, atuando de fora para dentro, que provoca o surgimento de diversas crostas em diversos graus de alteração, que se assemelham a cascas de cebolas. A erosão do solo nessas regiões com esfoliação esferoidal leva, frequentemente, a formação de espetaculares campos de rochas arredondadas. Esses mesmos especialistas ressaltaram que poderia haver outras rochas semelhantes na região.

Geossítio Pedra do Cálice, no Parque Estadual de Paraúna, em Goiás, um exemplo de uma rocha de granito
esculpida pelo processo de esfoliação esferoidal
Coincidência ou não, os especialistas da Sociedade Geológica de Londres acertaram ao dizer que poderia haver outras pedras semelhantes na região, visto que realmente existem. Além disso, Jason Colativo nos deu uma importante pista ao dizer que o geólogo e geofísico Robert M. Schoch, embora fosse conhecido pela prática de uma "ciência alternativa", havia afirmado em 2007 que as rochas eram formações naturais. De qualquer forma, o link citado por Jason remete a um texto escrito pela Dra. Colette M. Dowell, colega do Dr. Robert M. Schoch, no qual ela relata sua viagem ao lado dele, naquele ano, para visitarem o que Semir já dizia na época, que seriam "bolas de pedra esfericamente perfeitas".

Farei questão de traduzir todo o relato da Dra. Colette M. Dowell para que vocês possam ter uma noção de como essa história divulgada agora em 2016 tem grandes chances de ser tão somente uma farsa.

O Texto Publicado pela Dra. Colette M. Dowell em 2007


Confira abaixo o que foi escrito na época pela  Dra. Colette M. Dowell

Uma das mais maravilhosas pequenas jornadas que nós fizemos enquanto estávamos na Bósnia, foi até Zavidovici, um pequena vilarejo ou uma zona rural, a pouco mais de uma hora de carro da pequena cidade de Visoko, na Bósnia. Em Zavidovici, fomos analisar o que Semir havia declarado para nós, que seriam supostamente "bolas de pedras esfericamente perfeitas" esculpidas pelo homem (ou esculpidas por alienígenas - descendentes de uma antiga civilização vinda das Plêiades). Estas bolas de pedra esfericamente perfeitas são usadas para fins de energização, e próximo do ano de 2012, elas serão reenergizadas se a consciência do ser humano estiver elevada o suficiente para criar uma vibração complacente naquelas bolas, sendo que os raios de energia cósmica se manifestarão. 

As bolas esféricas têm um propósito, ou seja, elas são ferramentas super tecnológicas compostas por material natural, emanando altas vibrações cósmicas que nós (seres humanos) iremos nos sintonizar com uma dimensão mais elevada. De acordo com a história, essas bolas esféricas foram feitas há mais de doze mil anos, e são artefatos deixados por uma antiga civilização que reinava por toda a Bósnia, que foi responsável pela construção da maior pirâmide do mundo localizada em Visoko, carinhosamente chamado "A Pirâmide do Sol".


O senhor idoso, seu neto e bisneto que acompanharam a Dra. Colette M. Dowell e Dr. Robert M. Schoch
em sua jornada em busca das bolas de pedra da Bósnia
Primeiramente conhecemos um jovem que se apresentou como se fosse um amigo - neto do senhor idoso que você vê aqui com um grande sorriso e uma linda luz em seus olhos. Havia também um garotinho, seu bisneto, e alguns outros conhecidos que nos levaram por um caminho ao longo de um riacho. A paisagem era muito linda, me lembrou dos bosques aqui na Carolina do Norte e do pequeno córrego que atravessa a  minha propriedade. O riacho possuía uma certa elevação e tinha alguns declives que contavam com cascatas bem pequenas de água, suponho que fosse um quantidade ínfima de água, uma vez que não havia muita água corrente, mas fui capaz de imaginar como se fosse a Terra das Fadas de tão lindo que era. O riacho tinha seus altos e baixos e muitas pedras em uma margem bem alta. A vegetação era típica da encontrada em pântanos, com algumas plantas semelhantes a samambaias e algumas flores selvagens.

Enquanto eu seguia o jovem rapaz ao longo do riacho, me esquivando de rochas e poças de água parada, ouvindo-os falar em uma mistura de Inglês e Bósnio ao mesmo tempo, eu ajustei minha câmera de vídeo e olhei em direção a uma área em que o jovem estava apontando. Lá eu vi minha primeira bola aparentemente redonda. Não era esférica, mas ainda assim era meio que arredondada e isso me fascinava. Eu via bolas arredondadas no alto das montanhas nos arredores de Las Vegas onde cresci, mas eram bem pequenas, como se tivessem no máximo uma polegada (~2,5 cm) de diâmetro ou menos. Esta bola de uma pedra devia ter quase 2 pés de diâmetro (60 cm). Fiquei muito emocionada.

A bola de pedra não era realmente uma bola, era uma pedra em forma elíptica e tinha alguma espécie de líquen que crescia nela. Eu já estava preparada e realmente não esperava ver quaisquer bolas de pedra esfericamente perfeitas depois do que Robert e eu vivenciamos nas Colinas de Visoko, que estavam sendo definidas como pirâmides e não eram nada além de colinas que foram esculpidas em algum projeto eclético maia. Entretanto, eu estava muito ansiosa para dar uma olhada ao redor de algumas pedras de formatos incomuns. Eu amo rochas/pedras e recolho elas. Eu tenho de todos os formatos e tamanhos em meu jardim de rocha e na minha casa, e sim, até mesmo algumas pequenas e arredondadas... elas são de arenito, bem bonitas, do tamanho de bolas de gude; Ainda me lembro do dia que as descobri há mais de 30 anos.


A Dra. Colette M. Dowell (à direita) ao lado do Dr. Robert M. Schoch (à esquerda)
posando próximos a uma bola de pedra "esfericamente perfeita"
Robert e eu caminhamos pelo riacho e observamos diversas pedras, sendo que havia essa enorme pedra, que aparece na foto que vocês estão vendo, onde eu apareço em pé, filmando-a, ao lado do Robert... Era enorme, mas não era uma esfera perfeita, nenhuma delas era. Perguntei ao jovem cavalheiro sobre a história de como as bolas foram encontradas. Esta é a história como lhe foi contada pelo seu avô.

O senhor idoso definido pela Dra. Colette M. Dowell
como sendo encantador e ingênuo
Em 1932, houve uma grande tempestade e o terreno foi devastado pela chuva e pela enchente. O avô então ouviu um estrondo, um barulho muito alto. Após a tempestade ter passado ele foi até o riacho para ver o que poderia ter acontecido. A margem havia erodido e desbarrancado a uma profundidade considerável. Foi nessa época que as bolas de pedra foram expostas. Obviamente, o senhor idoso se apaixonou pelas suas pedras e elas têm sido o prêmio de sua vida devido a obscuridade delas. Todos esses anos, ele apenas admirava suas pedras como pedras, e é isso que eles são - pedras.

Hoje em dia, após Semir Osmanagić ter falado com ele, o mesmo está sob a crença de que elas são ferramentas de alta tecnologia criadas pelo homem, feitas do material de maior dureza existente, e resquícios de uma raça suprema bósnia, que tinha parentesco com os alienígenas vindo das Plêiades. "Nossa!", como ele é sortudo em tê-las em seu próprio quintal. O senhor idoso apenas sorri e sorri; ao vê-lo sorrindo quase faz com que essa enganação valha a pena.

Robert e eu olhamos e olhamos, e contamos cerca de 20 pedras visíveis, que estavam sendo chamadas de esferas de pedra, mas elas nem mesmo eram arredondadas... Semir declarou que havia mais de trinta, agora está sendo escrito que há mais de 40??? Não vimos tantas assim. Vamos mostrar algumas fotos de algumas daquelas que descobrimos que poderiam se encaixar melhor na categoria de ser arredondada ou esférica.

As pedras tinham uma coloração cinza-carvão, algumas mais claras, outras mais escuras, e tinham uma textura de ardórsia ou algo assim. Havia pedaços quebrados (grandes e pequenos) de pedra por todos os lugares consistentes com a mesma qualidade do material terreste em que as "bolas" foram formadas. Você pode observar lascas circulares ao longo do riacho. Se você pegasse um pedaço quebrado de uma rocha arredonda e batesse ela em outra rocha, sairia uma lasca como se fosse uma casca de cebola. Eu tenho um desses pedaços que eu peguei e levei para casa. Ela foi retirada de uma rocha quebrada "arredondada". O jovem rapaz me mostrou a forma como elas se partiam. Havia também uma espécie de amontoado muito similar ao mesmo tipo de material da rocha ao longo do riacho.
Foto de um exemplo de "bola de pedra", que não era bem "esfericamente perfeita"
conforme mencionado por Semir Osmanagić
Foto de uma outra bola de pedra "arrendondada" encontrada no terreno
É aquele amontoado de rocha que você vê atrás do senhor idoso, onde ele está em pé, sorrindo Eu realmente gostei do senhor idoso. Ele era surdo e tinha dificuldade para ouvir, então tínhamos que gritar bem alto e ele ainda dizia: "Ah?". Ele era encantador e muito inocente; e, nossa, como ele estava orgulhoso. Fiquei imaginando o que ele realmente devia estar pensando sobre isso, e como ele devia estar se sentindo bem no lá fundo, dentro de si mesmo, por estar perto do fim de sua vida, e tudo o que tinha testemunhado e vivenciado ao longo desses anos para agora ser dito que ele tinha bolas de pedras esféricas energizadas e criadas por alienígenas/homem em seu próprio quintal. Quem diria para ele que não? Quem diria que as histórias que foram contadas para ele provavelmente não eram verdade?

Foto de mais uma "bola de pedra" onde apenas uma parte de sua superfície é arredondada

Havia uma grande quantidade de lixo no riacho. Perguntei ao rapaz sobre isso, e ele comentou que os moradores simplesmente jogavam lixo no riacho ou então as pessoas que vêm para visitar simplesmente jogam o lixo no riacho, mas ninguém o limpa. Eu me senti um pouco triste sobre isso. Se você tivesse alguns troféus você iria querer exibi-los brilhando, não sujos.  Eu perguntei se havia alguma orientação sobre como lidar com o lixo e sobre condições de higiene e saneamento. Ele disse que eles estavam tentando fazer com que as pessoas parassem de jogar o lixo no riacho e consequentemente limpá-lo.  Ele também afirmou que eles estavam esperando grandes multidões de turistas para ver suas pedras e isso iria ajudar financeiramente.

A Dra. Colette M. Dowell assinando o livro de visitas
Estava feliz por eles, mas eu me senti um pouco perplexa devido às circunstâncias, uma vez que estou certa que a família está sob a crença de que tudo o que Semir disse é verdade, visto que não sabem que há outra explicação para as bolas, pois eles não têm uma escolaridade que os permita entender isso. Não digo isso para menosprezá-los, de forma alguma, estou retratando a realidade da situação. E este cenário se repete mais e mais vezes na Bósnia, uma vez que famílias possuem formações geológicas únicas em suas propriedades.

Tanto Robert quanto eu tivemos momentos muito agradáveis com a família daquele senhor, seus amigos e dos rapazes.  Tiramos fotos e fizemos vídeo das pedras e dos seus familiares, assim como ouvimos suas histórias, que eles repetiram a partir das histórias que foram contadas por Semir Osmanagić sobre as pedras e suas propriedades. O jovem repete essas histórias para muitos visitantes que chegam até a sua pequena propriedade rural. Robert e eu fomos muito educados e apenas ouvimos. Nos divertimos com o riacho e com as pedras. Entretanto, quando estávamos prestes a ir embora, fomos convidados a assinar o livro de visitas e nos foi entregue um panfleto/cartão postal.

Fomos informados que mediante o pagamento de uma taxa, receberíamos um panfleto que explicava sobre as bolas de pedra e suas finalidades, assim como se tornar membro de alguma organização que estava relacionada com a Fundação Pirâmide do Sol. Mais tarde, cerca de mais ou menos um mês depois, Semir criou outra fundação chamada "Parque Arqueológico das Esferas de Pedra da Bósnia". Zavidovici tem a maior quantidade de bolas de pedra da região. Existem outros sítios arqueológicos que também possuem bolas de pedra, mas elas são de uma qualidade diferente de pedra em relação aquelas encontradas em Zavidovici. Alguns destes sítios arqueológicos são localizados em Maglaj Vares, Mostar, Kakanj, Zenica, Sanski Most, e Žepče.

Panfleto/Cartão Postal mostrando as bolas de pedra que seriam "esfericamente perfeitas"
nos arredores de Zavidovici, na Bósnia

Guy Leigh pacientemente entrevistou Semir e seria bom se você realmente ouvisse o que Semir tem a dizer, para que você possa tirar as suas próprias conclusões. Entretanto, Semir fala de uma forma bem diferente agora (após a nossa visita a Bósnia) em relação as bolas de pedra esféricas. Ele está mais reservado em relação a alienígenas e esferas de pedra de alta tecnologia (ele agora afirma que ele não sabe o seu propósito). Notei que seu site pessoal, o Alternativna Historija, mudou completamente e um monte de texto relacionado a ideologia da Nova Era, a respeito de alienígenas e pirâmides, simplesmente sumiu. Tudo isso deu lugar a textos e diversas fotografias relacionadas às bolas de pedra esféricas na América Central. Não vejo as imagens anteriores que estavam por lá em relação as esferas de pedra e as declarações feitas sobre elas. Entretanto, talvez seja problema do meu navegador, talvez algo mudou nele por razões de segurança, tais como pop-ups ou os arquivos ocultos. Quem sabe?

Conseguiram perceber a importância desse texto em relação ao que está sendo divulgado recentemente? Muito provavelmente a "esfera de pedra" que atualmente Semir Osmanagić alega ser a mais pesada e mais antiga do mundo, sequer deve ser esférica (considerando as demais pedras que foram fotografadas pela Dra. Colette M. Dowell). Parece até ser intencional que o restante da "bola" não tenha sido escavado, afinal tudo o que Semir alega seria desmascarado, não é mesmo? Aliás, antigamente se dizia que a mesma deveria ter algo em torno de 12.000 anos, e agora está sendo divulgado 1.500 anos pela mídia. Nem mesmo sobre isso temos certeza para poder escrever.

Outro detalhe fundamental é que desde aquela época se comentava em fazer uma análise mais aprofundada e isenta do material daquelas "bolas de pedra" para determinar suas composições química, algo que nunca aconteceu e vem sendo novamente prometido. Enfim, antes de concluírmos essa postagem, acho interessante que vocês conheçam um pouco sobre as chamadas "Esferas de Pedra da Costa Rica" para que possam comparar com que existe na Bósnia.

Um Breve Resumo Sobre as "Esferas de Pedra da Costa Rica"


Praticamente todas as notícias ou matérias sobre esse caso da "esfera misteriosa" da Bósnia fazem menção as "Esferas de Pedra" da Costa Rica, e evidentemente não tinha como não informar um pouco melhor a vocês sobre elas. Porém, é muito importante ressaltar que as pedras encontradas na Costa Rica não têm nenhuma relação com essa pedra ou qualquer outra pedra encontrada na Bósnia, certo?

Esfera que se encontra no Museu Nacional da Costa Rica em San José, sendo que a mesma
é parte da extensa coleção de artefatos pré-colombianos do museu
As esferas de pedra da Costa Rica foram objeto de especulações pseudocientíficas desde a publicação do livro "Eram os Deuses Astronautas?" por Erich von Däniken em 1968. Entretanto, as esferas foram descobertas na década de 1930 quando uma companhia chamada "United Fruit Company" estava abrindo caminho na mata com o objetivo de construir linhas férras para escoamento da produção de bananas de diversas plantações que tinham no local.

Os trabalhadores retiraram as esferas do meio do caminho com escavadeiras, e infelizmente causando danos a algumas delas. Segundo relatos, inspirados pela história de El Dorado, e acreditando que elas teriam ouro, alguns trabalhadores começaram a cavar buracos nas esferas e explodí-las com dinamite. Muitas das esferas foram destruídas antes das autoridades intervirem. Algumas das esferas dinamitadas foram restauradas, e hoje em dia estão no Museu Nacional da Costa Rica em San José.

O arqueólogo Samuel Lothrop retratado ao lado de com sua esposa Eleanor durante a sua investigação de sítios arqueológicos no Delta Diquís em 1948 (à esquerda).  Em 1943, a arqueóloga Doris Z. Stone fotografou estas pedras redondas sendo removidas de uma clareira na selva, visto que estava sendo aberto caminho para as vias férreas que seriam utilizadas pela United Fruit Company
para escoar a produção a partir de plantações de banana (à direita).
A investigação arqueológica das esferas da Costa Rica começou pouco tempo depois, com a primeira publicação acadêmica sobre elas aparecendo em 1943. Elas não são uma descoberta recente, e nem mesmo são tão misteriosas assim. Na realidade, escavações arqueológicas empreendidas nos locais que possuíam tais esferas de pedras na década de 1950, associaram as mesmas com cerâmica e outros materiais típicos das culturas pré-colombianas do sul da Costa Rica. Qualquer "mistério" que exista tem mais a ver com a falta de informação devido à destruição das esferas e dos seus contextos arqueológicos do que com continentes perdidos, astronautas antigos ou viagens transoceânicas.

Foram documentadas centenas de bolas de pedra na Costa Rica, variando desde alguns centímetros a dois metros de diâmetro. Calculou-se também que as maiores pesariam mais de 16 toneladas, sendo que quase todas elas são feitas de granodiorito, uma pedra dura e ígnea, muito comum nas montanhas próximas de Talamanca. Esses objetos não são naturais em relação a origem como as esferas de pedra em Jalisco, no México, que foram descritas em um artigo de 1965 na National Geographic. Ao invés disso, são esculturas monolíticas feitas por mãos humanas. Sim, ao menos as esferas da Costa Rica são realmente bem mais esféricas e esculpidas por "seres humanos de verdade".

Foram documentadas centenas de bolas de pedra na Costa Rica, variando entre alguns centímetros a dois metros
de diâmetro. Calculou-se também que as maiores pesam mais de 16 toneladas, sendo que quase todas
são feitas de granodiorito, uma pedra dura e ígnea
O arqueólogo e antropólogo Samuel Kirkland Lothrop (1892-1965) registrou um total de aproximadamente 186 bolas em uma publicação datada de 1963. Porém, estima-se que possa haver centenas dessas esferas (alguns sites apontam para mais de 300 esferas) espalhadas ao longo da Costa Rica.

Elas foram descobertas originalmente no delta do Rio Térraba, também conhecido como o Sierpe, Diquís e Rio General, próximas das cidades de Palmar Sur e Palmar Norte. Algumas pessoas a chamam de "Esferas Diquís", visto que são comumente atribuídas à extinta cultura dos índios Diquís ou pelos demais povos nativos que viviam na região na época da conquista espanhola. Eles viviam de caça e pesca, assim como da agricultura, e moravam em casas que eram tipicamente arredondadas.

O arqueólogo e antropólogo Samuel Kirkland Lothrop (1892-1965) registrou um total de aproximadamente 186 bolas em uma publicação datada de 1963. Porém, estima-se que possa haver centenas dessas esferas (alguns sites apontam para mais de 300 esferas) espalhadas ao longo da Costa Rica
É muito difícil datar essas esferas, porém os sítios arqueológicos onde boa parte delas foi encontrada, possuem estratos de terra que contêm cerâmica característica da cultura Aguas Buenas, cuja data vai de aproximadamente 300 a.C a 800 d.C. Segundo relatos também foram encontradas esferas em túmulos com com ornamentos de ouro cujo estilo data de pouco depois de 1000 d.C. Elas também foram encontradas em estratos contendo fragmentos de um tipo de cerâmica do Período Chiriquí, chamada "Buenos Aires Policromo", que foi produzida a partir de 800 d.C. Ainda segundo relatos este tipo de cerâmica possui relação com ferramentas de ferro do período Colonial, sugerindo que foram criadas até o século XVI. Assim sendo é possível que as esferas tenham sido feitas há mais de 1.500 anos.

Algumas pessoas a chamam de "Esferas Diquís", visto que são comumente atribuídas à extinta cultura dos índios Diquís ou pelos demais povos nativos que viviam na região na época da conquista espanhola. Eles viviam de caça e pesca, assim como da agricultura, e moravam em casas que eram tipicamente arredondadas.
Ninguém sabe ao certo qual era a finalidade dessas esferas, visto que elas deixaram de ser "produzidas" na época dos primeiros exploradores espanhóis, e permaneceram completamente esquecidas até serem redescobertas na década de 1930. Muitas esferas foram encontradas dispostas em alinhamentos, consistindo em retas e linhas curvas, assim como em triângulos e paralelogramos. Um grupo de quatro bolas foi encontrado organizado em uma linha orientada ao norte magnético. Isso levou a especulação de que elas poderiam ter sido dispostas por pessoas familiares com o uso de bússolas magnéticas, ou alinhamentos astronômicos. Infelizmente, praticamente todos os alinhamentos, com exceção de poucos, foram destruídos quando as esferas foram removidas de seus locais originais. De qualquer forma, as medidas originais obtidas por Samuel Kirkland Lothrop em relação aos alinhamentos das esferas com apenas alguns metros de distâncias não eram precisas o suficiente para distâncias tão longas. Com exceção de esferas localizadas na Isla del Caño, a maioria das esferas estão muito longe do mar para terem sido úteis a eventuais navegadores.

Em um artigo para a revista Atlantis Rising Magazine, George Erikson fez alegações exageradas sobre o tamanho das esferas de pedra, escrevendo que elas "pesavam até 30 toneladas e mediam até três metros de diâmetro". De acordo com Samuel Kirkland Lothrop, autor do mais extenso estudo das esferas, "Uma esfera de 6 pés (~1,8m) tinha o peso estimado de 7,5 toneladas, uma esfera de 4 pés (~1,2m) de 3 toneladas e outra de 3 pés (~0,9m) de 1,3 toneladas" (1963:22). Ele também calculou que o peso máximo de uma esfera era por volta de 16 toneladas. A maior esfera conhecida mede 2,15 metros de diâmetro, o que é substancialmente menor que três metros.

Ninguém sabe ao certo qual era a finalidade dessas esferas, visto que elas deixaram de ser "produzidas" na época dos primeiros exploradores espanhóis, e permaneceram completamente esquecidas até serem redescobertas na década de 1930
George Erikson e outros pseudocientistas insinuaram que as bolas podiam ter até 12.000 anos de idade. Não há nenhuma evidência para apoiar esta alegação. Considerando que as bolas não podem ser datadas diretamente através de métodos como datação por radiocarbono, que só pode ser aplicada diretamente a materiais orgânicos, a melhor maneira para datá-las é através de contexto estratigráfico e dos artefatos associados as mesmas. Para que tenham uma ideia, Lothrop chegou a escavar uma esfera de pedra que estava situada em uma camada de terra acima de um depósito de fragmentos contendo cerâmica típica da cultura "Águas Buenas". No solo imediatamente abaixo desta esfera ele encontrou a cabeça quebrada de uma estatueta humana relacionada ao período "Buenos Aires Policromo". Isso sugere, por exemplo, que a esfera foi produzida em algum momento entre 500 d.C e 1500 d.C, mas não se sabe exatamente quando.

Em 2010 o pesquisador John Hopes, da Universidade de Kansas, nos Estados Unidos, visitou o local das esferas de pedra e avaliou a sua elegibilidade para a devida proteção como Patrimônio Mundial da UNESCO, sendo que o mesmo foi aprovado posteriormente por "serem exemplos únicos dos sistemas social, econômico e político do período de 500 a 1500 d.C. As esferas são distintas de quaisquer outras pela sua perfeição, número, tamanho e densidade, além de sua localização original".

Comentário Finais


A Bósnia e Herzegovina tem sido um território problemático há milhares de anos, um lugar onde impérios e culturas discordaram sobre o significado de ser europeu. Em 1878, o Congresso de Berlim deu aos Habsburgos o direito de ocupar o que até então era  uma província turca, e em 1908 eles a anexaram. Esta, por sua vez, ajudou a liderar um levante pan-eslavo que derrubou a Áustria-Hungria e toda a Europa com ela. Como parte da Iugoslávia, ela permaneceu na tênua linha entre o fascismo, comunismo, socialismo e a democracia. Na década de 1990, a guerra civil entre muçulmanos, croatas e sérvios devastou o recém-criado Estado sucessor da Iugoslávia. Agora, o governo bósnio parece que está tentando reparar alguns dos prejuízos socioeconômicos gerados ao longo do tempo, enfatizando assim o patrimônio cultural europeu da Bósnia. Não por acaso, tentando fazer da Bósnia o país mais europeu de todos, o lar da mais antiga e avançada civilização do continente.

Diante de toda essa situação e na época da "descoberta" das "Pirâmides da Bósnia", o antigo primeiro-ministro da Bósnia, Nedžad Branković, concedeu um financiamento oficial do governo e permissão para o processo de escavação com fins arqueológicos a Semir Osmanagić, declarando que as pirâmides bósnias eram uma descoberta "positiva", e que isso iria melhorar a economia local. Ele chegou a declarar na época que tinha sido informado que o mundo estava rindo deles (uma vez que foi amplamente desmistificado que não havia pirâmide alguma no local), mas que não havia governo no mundo que deveria ficar calado sobre coisas que eram positivas. De fato a estratégia soou ter funcionado, pois mais de 400.000 turistas tinham visitado os sítios arqueológicos entre 2005 e 2009.

Entretanto, a qual preço? Desde 2005 as "escavações" e as "descobertas" em torno das supostas "Pirâmides da Bósnia" estão mergulhadas em denúncias e evidências apontando para uma série de fraudes por parte de Semir Osmanagić, mas isso não parece ser nada relevante para o governo bósnio. Nem mesmo a denúncia de incontáveis membros da Associação Européia de Arqueólogos, do Instituto Arqueológico dos Estados Unidos, e de tantos outros arqueólogos de diversas universidades espalhadas pelo mundo sobre a destruição do patrimônio arqueológico do local, não de 12.000 anos atrás, mas possivelmente da Idade do Bronze ou do período referente ao Império Romano, fez com que alguma coisa mudasse.

Agora, o assunto sobre "a maior, mais antiga e mais pesada esfera de pedra do mundo" ganhou uma atenção renovada por parte da mídia, sendo que esse é um assunto antigo e todas as evidências apontam para uma formação meramente natural, resultado de um intemperismo químico, uma esfoliação esferoidal. Se for realmente uma esfera, talvez saberemos com o tempo, mas qual arqueólogo de verdade não teria curiosidade em escavar o restante da pedra? Somente aqueles que têm algo a esconder deixariam apenas uma parte exposta, mas a incerteza ou a certeza de que a pedra sequer seja inteiramente arredondada, expõe claramente a fragilidade de quem promove uma fraude, e por isso fiz questão de mostrar a vocês uma realidade que não divulgaram. Afinal, não se escreve para si próprio, mas sim para as pessoas que chegam até uma página e desejam ser informadas sobre o assunto da forma mais correta possível. Não é questão de certo ou errado, de ser verdadeiro ou falso, é questão de muitas vezes ter o mínimo de respeito pelo leitor, e ir atrás das fontes, pesquisar para ver se a informação é ou não procedente. Ninguém nasce escrevendo, mas ninguém te obriga a ser um mentiroso.

Até a próxima, Assombrados!

Criação/Tradução/Adaptação: Marco Faustino

Fontes:
http://www.voanews.com/content/mht-spherical-rock-stirs-controversy/3282356.html
http://www.telegraph.co.uk/news/2016/04/11/mysterious-giant-sphere-unearthed-in-forest-divides-opinion/
http://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-3527997/Is-rock-proof-lost-European-civilisation-Archaeologist-claims-spherical-boulder-world-s-oldest-man-sphere-used-healing.html
http://www.jasoncolavito.com/blog/saturday-roundup-nephilim-mating-habits-stone-spheres-in-bosnia-and-the-band-of-holes-in-peru
http://www.robertschoch.net/bosnia%20spherical%20stone%20balls%20semir%20osmanagic%20pyramid%20colette%20dowell%20ct.htm
https://en.wikipedia.org/wiki/Semir_Osmanagic
http://piramidasunca.ba/eng/latest-news/item/10649-biggest-stone-ball-in-europe-just-discovered-in-bosnia.html
http://www.smithsonianmag.com/history/the-mystery-of-bosnias-ancient-pyramids-148990462/
http://www.atlasobscura.com/articles/found-a-massive-mysterious-rock-sphere-in-bosnia
http://archive.archaeology.org/online/features/osmanagic/index.html
http://www.ceticismoaberto.com/fortianismo/6277/o-mistrio-das-esferas-de-klerksdorp
http://www.ceticismoaberto.com/fortianismo/2207/acabando-com-o-mistrio-das-esferas-de-pedra
Comentários