5 de fevereiro de 2016

Será que um Telescópio "Revolucionário" Teria Detectado a Presença de "Entidades Terrestres Invisíveis"?

Inscreva-se no canal clicando no botão abaixo:
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Eles são lançados primeiro lá, depois que vem pra cá :) Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes

Por Marco Faustino

O assunto dessa notícia foi sugerido por um leitor do blog AssombradO.com.br chamado Lucas Marques, que nos enviou um email após ter assistido a um vídeo no Youtube de uma empresa chamada "Thunder Energies", que teria descoberto algumas espécies de vida "invisível" em nosso planeta, e que as mesmas só poderiam ser observadas através de um telescópio "revolucionário" fabricado pela empresa.

Esse novo tipo de telescópio, denominado de "telescópio Santilli" (devido ao nome do seu inventor, um homem chamado Ruggero Maria Santilli), seria capaz de revelar objetos astronômicos constituídos por antimatéria ou qualquer outra coisa que emitisse antifótons. Diversas notícias começaram a se espalhar sobre esse assunto, usando termos como "entidades terrestres invisíveis" ou "anomalias" para esses "objetos terrestres" supostamente fotografados. Alguns sites foram além e disseram que essas "entidades" seriam uma espécie de "vida alienígena inteligente", que teria sido detectada, e que as mesmas já teriam sido observadas nos arredores de instalações militares e industriais. Seria isso realmente verdade? Vamos saber mais sobre esse assunto?

A Notícia Sobre a Descoberta de "Entidades Terrestres Invisíveis" Começa a Se Propagar


É importante ressaltar que essa notícia sobre o "telescópio Santilli", o qual supostamente nos permitiria observar seres invisíveis aos olhos humanos, foi divulgada principalmente em sites de notícias, que geralmente não possuem um editorial respeitável. Praticamente temos o mesmo texto replicado de forma indiscriminada. Podemos incluir nessa lista os textos publicados nos sites Ancient Code, Ancient Origins (que de vez em quando tem algumas notícias interessantes, mas não dessa vez), Your News Wire, Daily Express entre outros.

Entretanto, a primeira vez que tive contato com essa notícia eu suspeitei de algumas coisas bem incoerentes e resolvi pesquisar um pouco mais a fundo sobre essa história. Inclusive eu encontrei um site brasileiro chamado "Conhecimento Hoje", que devo começar elogiando, pois independentemente do que possa estar escrito em seus demais artigos, fez uma bela pesquisa sobre esse caso, cujas informações garimpadas na internet servirão como complemento para aquelas que eu havia pesquisado anteriormente.

Fiquei surpreso, mas ao mesmo tempo feliz, em ver que ainda existem pessoas que se dispõe a procurar por mais informações antes de postar apenas por postar. Pessoas que ainda tenham o compromisso e a preocupação em dar uma informação mais completa ao seu leitor, para que o mesmo possa formar sua opinião de forma mais consciente, e ficar sabendo de todo o histórico das pessoas envolvidas por trás do título de uma notícia. Assim sendo, vamos começar a contar para vocês como essa notícia começou a repercutir. Como exemplo, utilizaremos alguns textos publicados sobre esse assunto. Inicialmente, vamos conferir o que foi publicado no site Ancient Code.

A Notícia Publicada no Site Ancient Code:


"Essas imagens misteriosas são as provas de que 'entidades alienígenas invisíveis estão aqui na Terra'

Fotografia de uma ITE-2 exibindo um movimento inteligente. O Dr. Santilli alega que a entidade consistia de luzes de cores
diferentes, que estavam pulsando e se movendo de forma sincronizada de acordo com uma trajetória complexa durante
15 segundos de exposição, incluindo um ponto em que o movimento parou durante alguns segundos,
para retomar logo em seguida
Os pesquisadores ao procurar evidências de antimatéria no universo, estão convictos que eles se depararam com uma 'forma de vida invisível' até então desconhecida no planeta Terra.

O grupo de pesquisadores que descobriu as entidades misteriosas trabalha na Coorporação Thunder Energies, uma empresa que produz equipamentos ópticos, assim como está envolvida com projetos de física e energia nuclear. Segundo eles, essas entidades misteriosas habitam a atmosfera da Terra. A empresa é administrada pelo Dr. Ruggero Santilli, um físico nuclear controverso que estudou em Harvard. O Dr. Santilli é considerado por muitos como um especialista em matemática e física, e já foi indicado ao Prêmio Nobel de Química e Física. O Dr. Santilli desenvolveu um telescópio revolucionário que foi projetado para detectar a luz-antimatéria no cosmos. Ao contrário aos telescópios convencionais, que são fabricados a partir de lentes convexas, o telescópio Santilli é fabricado a partir de lentes côncavas.

'Usando telescópios com lentes côncavas, conhecidos como telescópios Santilli (marcas e patentes pendentes nos Estados Unidos pela empresa de capital aberto chamada Corporação Thunder Energies), revisamos a evidência anterior para a aparente existência de galáxias de antimatéria, asteroides de antimatéria, e raios cósmicos de antimatéria. Independentemente dessas detecções astrofísicas, nós apresentamos pela primeira vez a evidência para a aparente existência de entidades em nosso ambiente terrestre, que são visíveis somente através de telescópios com lentes côncavas, visto que elas são invisíveis aos nossos olhos e aos 'telescópios Galileu' convencionais com lentes convexas, nos quais entidades deixam imagens escuras em segundo plano quando utilizadas câmeras digitais que estão acopladas aos telescópios Santilli', disse o Dr. Rugerro Santilli.



O novo relatório, que foi publicado no American Journal of Modern Physics (Revista Americana de Física Moderna, em português) revelou uma descoberta controversa que sugere, pela primeira vez, a existência de entidades em nosso ambiente terrestre, que são invisíveis aos nossos olhos e aos telescópios convencionais fabricados com lentes convexas.

A detecção de entidades terrestres invisíveis foi publicado no artigo: Apparent Detection via New Telescopes with Concave Lenses of Otherwise Invisible Terrestrial Entities - ITE (algo como "Aparente Detecção de Entidades Terrestres Invisíveis em Circunstâncias Não Convencionais através de Novos Telescópios com Lentes Côncavas", em português).

No estudo, Santilli alega:

'Para sua grande surpresa, entidades claramente visíveis ainda não identificadas, imediatamente apareceram na tela da câmera acoplada ao telescópio Santilli, sem qualquer tipo de ampliação, sem que as mesmas entidades fossem visíveis ao olho nu, e sem qualquer imagem correspondente existente na tela da câmera acoplada ao telescópio de Galileu. Esta inesperada descoberta provocou um uso sistemático de um telescópio Galileu e de um Santilli em paralelo, desta vez, para a busca de entidades, aqui chamadas de Entidades Terrestres Invisíveis, as quais são invisíveis aos nossos olhos, bem como aos nossos instrumentos ópticos com lentes convexas, mas por outro lado são totalmente visíveis através do telescópio Santilli, que possui lentes côncavas, e estão localizadas em nosso ambiente terrestre' (fonte).

Uma visão de uma Entidade Terrestre Invisível Tipo 1 (ITE-1) detectada em duas fotos diferentes em 5 de Setembro de 2015, no céu
noturno de Tampa Bay, na Flórida, nos Estados Unidos, por meio de telescópios Galileu e Santilli de 100mm em paralelo
com uma câmera Sony SLT-A58K com ISO automático e exposição de 15 segundos. A entidade é classificada como uma ITE-1,
porque é detectada somente através do telescópio Santilli (emitindo, assim, luz com um índice negativo de refração),
e deixando uma imagem escura em segundo plano na câmera digital (emitindo, assim, luz com energia negativa).
Em observações posteriores, o Dr. Santilli identificou dois tipos diferentes de Entidades Terrestres Invisíveis (ITEs, em inglês), reconhecendo que outros tipos de entidades podem ser identificadas em um futuro próximo. O Dr. Santilli alega que ambos os tipos de 'ITEs' foram verificadas independentemente por outros cientistas e suas existências foram confirmadas em uma palestra no Clube de Astronomia de São Petersburgo (a maior e mais antiga organizção astronômica da região sudeste dos Estados Unidos) em 25 de Setembro de 2015.

O primeiro tipo de 'ITE' é definida pelo Dr. Santilli como entidades que:
  1. Não são visíveis ao olho humano, nem pelos instrumentos ópticos convencionais com lentes convexas, mas por outro lado são totalmente visíveis através do telescópio Santilli, que possui lentes côncavas;
  2. Existem no nosso ambiente terrestre ao invés de estarem em espaços astrofísicos profundos;
  3. Deixam 'imagens escuras' em segundo plano nas câmeras digitais acopladas aos telescópios Santilli.
De acordo com os relatórios, essas entidades se moviam lentamente e rotacionavam. O Dr. Santilli alega que esse tipo específico de movimento exclui impurezas em seus telescópios, uma vez que alguns já especularam que estas entidades na verdade seriam falhas na lente do telescópio ou na câmera.

O Dr. Santilli observou que a emissão de luz-antimatéria não significa que a entidade é composta de antimatéria, porque a existência das entidades dentro de nossa atmosfera implicaria em uma explosão cataclísmica devido à aniquilação matéria-antimatéria (fonte).

'Entidades Terrestres Invisíveis do Tipo 1 consistem de entidades-matéria em nosso ambiente se locomovendo através da aquisição de antimatéria em seus interiores, com o consequente uso de propulsão matéria-antimatéria, e alcançam a invisibilidade através da emissão de luz-antimatéria, como se fosse um tipo de exaustor', escreveu Santilli (fonte).

O Dr. Santilli define o Segundo Tipo de Entidades (ITE-2) como:
  1. Não são visíveis ao olho humano, nem pelos instrumentos ópticos convencionais com lentes convexas, mas por outro lado são totalmente visíveis através do telescópio Santilli, que possui lentes côncavas;
  2. Existem no nosso ambiente terrestre ao invés de estarem em espaços astrofísicas profundos;
  3. Deixam 'imagens brilhantes' em segundo plano nas câmeras digitais acopladas aos telescópios Santilli.
O Dr. Santilli continuou em seu estudo, alegando que: 'Consequentemente, tanto a ITE-1 quanto a ITE-2 têm um índice negativo de refração quando propagadas em um meio material como o vidro. A principal diferença entre elas é que as primeiras entidades, também chamadas de ITEs escuras, carregam energia negativa, causando assim imagens escuras em segundo plano nas câmeras digitais acopladas aos telescópios Santilli, enquanto as posteriores, também chamadas de ITEs brilhantes, carregam energia positiva, gerando assim imagens brilhantes, embora tenham um índice de refração negativo'.

O Dr. Santilli alegou que as ITEs-2 estavam se movendo e pulsando para frente e para trás quando foram observadas pelos telescópios Santilli, sugerindo que estavam 'conduzindo uma vigilância não autorizada da região de Tampa Bay, na Flóridam sendo apenas visível com o telescópio Santilli, confirmando assim a necessidade de monitoramentos sistemáticos de instalações civis, industriais e militares sensíveis''.

Agora vamos a rápida notícia publicada pelo tablóide britânico Daily Express.

A Notícia Publicada no Daily Express:


"Cientistas que buscam a evidência de antimatéria no espaço, alegam ter se deparado com uma 'forma invisível de vida' até então desconhecida aqui na Terra, e que de modo alarmante poderia estar nos espionando.

Os cientistas dizem que essa são as imagens de entidades que não são visíveis a olho nu
A Coorporação Thunder Energies, uma empresa que produz equipamentos ópticos, bem como está envolvida com projetos de física e energia nuclear, alega ter detectado "entidades invisíveis" que vivem na atmosfera da Terra. A empresa é administrada pelo controverso físico nuclear ítalo-americano, formado em Havard, o Dr. Ruggero Santilli.

Ele é repudiado por muitos cientistas tradicionais, sendo considerado um "pseudocientista", mas ele por sua vez tem dito que o repúdio ao seu trabalho é uma espécie de conspiração contra a "nova ciência", que muitas vezes entra em conflito com um pensamento estabelecido, como a teoria da relatividade de Einstein. O físico nuclear disse que a descoberta foi feita usando o telescópio Santilli, que ele mesmo desenvolveu para tentar descobrir a prova das teorias sobre galáxias de antimatéria, raios cósmicos de antimatéria e asteroides antimatéria.

A equipe de pesquisadores ainda teme, que as formas de 'micro-vida' até então desconhecidas, possam estar realizando uma discreta vigilância em relação a Terra, devido ao local onde elas foram encontradas.

O Dr. Ruggero Santilli em seu escritório na Thunder Energies
O telescópio Santilli utiliza lentes côncavas, ao contrário das lentes convexas de telescópios convencionais. Seu telescópio ainda está pendente de uma marca comercial e de uma patente, mas o Sr. Santilli está convencido de que conseguiu captar uma forma de vida que não pode ser vista a olho nu.

'Essa é uma descoberta empolgante. Nós não sabemos o que essas entidades são. Elas são completamente invisíveis aos nossos olhos, nossos binóculos ou telescópios tradicionais do tipo Galileu, mas esses objetos são totalmente visíveis em câmeras acopladas ao nosso telescópio Santilli", disse o Dr. Ruggero Santilli.

'Desde os primórdios da nossa civilização, percorrendo todo o caminho até o momento da divulgação dessa notícia, nós, seres humanos temos acreditado que tudo o que existe lá em cima é apenas o que nós podemos ver com os nossos olhos e com os nossos instrumentos ópticos', continuou.

'Bem, as coisas mudaram agora, porque nós estabelecemos a existência de entidades que existem em nosso ambiente terrestre, sendo que essas são invisíveis aos nossos olhos e aos instrumentos ópticos, mas são totalmente visíveis com os novos instrumentos, portanto, ampliando drasticamente a nossa concepção do universo perceptível, atingindo possibilidades que vão muito além de futuros desenvolvimentos e descobertas que talvez estejam muito além de nossa imaginação no momento', completou.

Entidade Terrestre Invisível do Tipo 2 detectada pelo telescópio Santilli
Ele alega que os resultados, que foram publicados como "Apparent Detection via New Telescopes with Concave Lenses of Otherwise Invisible Terrestrial Entities - ITE" no American Journal of Modern Physics foram 'verificados de forma independente' por astrônomos norte-americanos não identificados. Entretanto, em um vídeo divulgado por sua corporação no YouTube, o Dr. Santilli deu um toque mais sinistro as suas descobertas.

"A questão sobre o que aquelas entidades são, deve ser respondida pelo nosso governo, porque essas entidades parecem estar realizando uma vigilância não autorizada de instalações civis, industriais e militares sensíveis", disse o Dr. Santilli.

O Dr. George Gaines, presidente da corporação, também está apoiando plenamente a pesquisa.

"O que nós aprendemos é que a realidade é muito maior do que inicialmente supomos... Coisas que podemos ver e coisas que não podemos ver com nossos olhos ou telescópios convencionais... O telescópio Santilli nos permite ver coisas que nós nunca vimos antes", disse o Dr. George Gaines.

Li Todas Essas Notícias, Mas Não Entendi Nada! Afinal, O Que é Antimatéria? Existe Antifóton?


Verdade, esquecemos de dizer a vocês o que é antimatéria, mas não tem problema. Antes de continuarmos comentando sobre essa notícia, vamos fazer uma pequena pausa e explicar de forma didática e bem resumida o que é a antimatéria para vocês. Combinado?

Para muita gente, a "antimatéria" é apenas um termo tirado dos filmes de ficção científica. De fato, o inverso da matéria, formado por antipartículas, que possuem a mesma característica das partículas (massa e rotação), mas com carga elétrica contrária, teoricamente não existiria de forma natural em nosso planeta. Porém, o que parece teoria foi transformado em realidade há bastante tempo, e hoje é possível encontrar aplicações práticas da antimatéria, por exemplo, nos grandes centros médicos.

O físico teórico inglês Paul Adrien Maurice Dirac
O conceito de antimatéria foi proposto pelo físico teórico inglês Paul Dirac em 1928. Ele revisou a equação de Einstein, considerando que a massa também poderia ser negativa. Sendo assim, a fórmula ficaria: E=+ou-mc². No entanto, a primeira antipartícula descoberta foi o antielétron (também chamado de pósitron), em 1932, por Carl Anderson, ao estudar raios cósmicos.

Dirac dividiu o Prêmio Nobel de Física de 1933, com Erwin Schrödinger devido "a descoberta de novas formas produtivas da teoria atómica". Ele também realizou o trabalho que constitui a base das tentativas modernas para reconciliar a relatividade geral com a mecânica quântica.

Carl Anderson dividiu o Prêmio Nobel de Física de 1936, com Victor Hess. Carl recebeu a premiação pela descoberta do pósitron e Hess pela descoberta da radiação cósmica. Foi notável que alguém tenha concluído que uma partícula nunca antes vista deveria existir, apenas se baseando em argumentos teóricos. A antimatéria é uma consequência da união de ideias de duas grandes revoluções da física do início do século 20: a teoria da relatividade e a mecânica quântica.

Como exemplo vamos citar o elétron, uma partícula elementar extremamente leve. Existe essa outra partícula praticamente igual a ela: o pósitron. Ambas têm, por exemplo, a mesma massa. A única diferença é que a segunda tem uma carga elétrica oposta, o que a torna distinta da primeira. Em 1955, cientistas criaram um antipróton com ajuda de um acelerador de partículas. E a lista não ficou restrita ao inverso de prótons, nêutrons e elétrons. Hoje em dia os cientistas conhecem centenas de partículas, e cada uma delas possui uma antipartícula correspondente.

Um fato curioso é que, como as partículas e antipartículas compartilham as mesmas propriedades (apesar de terem cargas opostas), as leis da física funcionam de forma simétrica quando uma é substituída pela outra, ou seja, se você pudesse trocar todas as partículas que o formam e compõem o mundo ao seu redor por antipartículas, tudo pareceria absolutamente normal. Praticamente tudo no Universo é feito de partículas, e não de antipartículas, porém nem sempre foi assim.

Matéria e antimatéria não coexistem. No inicio do universo, matéria e antimatéria foram criadas na mesma proporção. Basicamente, para cada partícula havia sua antipartícula correspondente, ou seja, para cada elétron foi criado um pósitron; para cada quark, um antiquark e assim por diante. Esse cenário dominou o universo logo depois da "explosão" primordial, comumente denominada de "Big Bang".

Quando uma partícula encontra sua antipartícula correspondente (um elétron interage com um pósitron, por exemplo), as duas se aniquilam, transformando-se em energia. Esta, por sua vez, se transforma, novamente, em um par de matéria e antimatéria. Essa ideia, baseada nas atuais teorias das partículas elementares (reunidas no chamado modelo padrão), nos permite criar uma imagem dinâmica daquele cenário inicial: um imenso movimento frenético de criação e aniquilação, envolvendo bilhões de bilhões de pares de partícula e antipartícula. Tudo isso a temperaturas altíssimas, expressa por números com cerca de 30 zeros.

O "Big Bang" e a Antimatéria: um imenso movimento frenético de criação e aniquilação, envolvendo bilhões de bilhões
de pares de partícula e antipartícula. Tudo isso a temperaturas altíssimas, expressa por números com cerca de 30 zeros
Depois de passar por um período de expansão muito rápida, o universo esfriou com mais intensidade, e o processo de criação de matéria e antimatéria ficou bem complicado. É aqui nossa história começa a ficar mais interessante. Uma pequena parte da matéria sobreviveu a esse processo de aniquilação. É essa porção ínfima que hoje forma todo o universo conhecido, com bilhões de galáxias, cada uma com bilhões de estrelas, com planetas e todo o resto. Portanto, nós, humanos, temos nossa origem naquela mínima fração de matéria que sobreviveu no início do universo. Quase todas as partículas e antipartículas se aniquilaram, e a matéria prevaleceu, mas por que isso aconteceu? Isso é algo que até hoje os cientistas tentam explicar.

Para que vocês tenham uma referência, a explosão causada pelo encontro da matéria e da antimatéria gera energia em forma de raio gama, que possui 10 mil vezes mais energia que o raio solar e o raio-X. Cerca de 1g de antimatéria seria capaz de abastecer a cidade de São Paulo durante 24 horas.

Como dissemos anteriormente, a antimatéria já é utilizada em exames médicos. Um exemplo é o PET Scan (Tomografia Computadorizada por Emissão de Pósitrons, em português), que utiliza pósitrons (ou antielétrons) para detectar tumores cancerígenos. No futuro, acredita-se que será possível desenvolver motores movidos por antimatéria, ou seja, uma promissora fonte de energia ilimitada.

Equipamento de Tomografia Computadorizada por Emissão de Pósitrons (PET Scan)
Experimentos para a produção artificial de antimatéria e seu armazenamento por períodos relativamente longos de tempo vem sendo tentados por cientistas nos últimos anos. Em setembro de 2010, a equipe internacional ALPHA do CERN anunciou que conseguiu pela primeira vez capturar átomos de antimatéria. Foram aprisionados 38 átomos de antihidrogênio no "tanque de antimatéria" criado pelos cientistas, cada um deles ficando retido por mais de um décimo de segundo, antes de se chocarem com átomos de matéria normal. Em junho de 2011, a mesma equipe ALPHA anunciou um novo recorde ao aprisionar átomos de antimatéria por cerca de 1000 segundos (mais de 16 minutos).

Mesmo diante de toda essa explicação é primordial que você entenda sobre o fóton, que para simplificar vamos considerá-lo apenas como "partícula de luz". O fóton também teria um antifóton? De acordo com o Departmento de Física da Univesidade do Illinois, nos Estados Unidos, "sim ele teria", porém fótons e antifótos são as mesmas partículas. Eles não se aniquilam da mesma maneira que as demais partículas, e podem ocupar a mesma região do espaço sem nenhum problema.

Fótons também podem colidir e produzir outras partículas. Uma reação conhecida é a aniquilação de baixa energia de um elétron e um antielétron (lembra do pósitron?) - o resultado é geralmente um par de fótons (às vezes você obtém mais do que dois). Esta reação também funciona em sentido inverso - um par de fótons pode colidir para gerar um par de elétron-pósitron. Isso acontece o tempo todo em experimentos da Física de partículas.

Agora que você sabe um pouco mais sobre antimatéria, podemos continuar nossa postagem.

Estranhos Aspectos do Artigo Supostamente Publicado no "American Journal of Modern Physics" e da "Science Publishing Group"


Antes de começarmos a comentar sobre o artigo, é importante ressaltar que o telescópio "revolucionário" do Dr. Ruggero Santilli teria sido projetado para detectar a "anti-luz", não foi isso que ele disse? Resumindo, ele quis dizer que seu telescópio seria capaz de detectar antifótons, porém, uma vez que nós sabemos que um fóton e um antifóton são as mesmas partículas, isso significa que se existisse uma galáxia de antimatéria, e ela emitisse antifótons, essa luz seria perfeitamente detectada pelos nossos instrumentos, já que não há como diferenciar fótons de antifótons. Somente isso compromete seriamente o conceito básico do telescópio Santilli, e a princípio ele seria completamente desnecessário.

Também é muito importante destacar que o artigo do Daily Express citou um homem chamado George Gaines (Dr. William G. Gaines), como sendo o presidente da "Thunder Energies", porém o próprio site da empresa aponta o Dr. Ruggero Santilli como fundador, presidente e cientista chefe da Coorporação Thunder Energies. Resumindo, temos uma empresa que possui dois presidentes. Seria o George Gaines uma espécie de fachada?

Enfim, o "artigo científico" referente a nossa postagem teria sido publicado no American Journal of Modern Physics (AJMP), que na verdade seria um periódico da Science Publishing Group (Science PG), porém esse artigo amplamente citado na imprensa, e disponível para consulta no site da Thunder Energies aparentemente não existe no site da Science PG. Aliás, no próprio documento, que leva o nome do AJMP, não consta a data completa da publicação, nem mesmo detalhes que pudessem ser úteis para localização do artigo no site do respectivo periódico.


No próprio documento, que leva o nome do AJMP, não consta a data completa da publicação, nem mesmo detalhes
que pudessem ser úteis para localização do artigo no site do respectivo periódico.


É interessante notar também que não existem referências indexadas a sites de organizações ou períodicos renomados como a Nature, American Physical Society, Science AAAS, Royal Society, PhysOrg, IOP Science, PNAS, entre outros. A maioria das referências aponta tão somente para a Fundação Santilli, criada evidentemente pelo próprio Dr. Ruggero Santilli.
Referências do artigo quase sempre apontando para a Fundação Santilli
Entretanto, outra coisa me chamou atenção sobre a Science PG. Em um dos meus navegadores eu utilizo uma extensão chamada WOT (Web Of Trust), que funciona como uma comunidade virtual, na qual é possível visualizar a avaliação dos sites que você navega. Basicamente, o WOT indica se o site seria confiável ou não baseado nas opiniões dos próprios internautas e também de sites especializados no combate a fraudes, golpes e também em alertar para sites maliciosos que possam conter malwares, assim como o SpamCop, hpHosts, JoeWein, DNS-BH, PhishTank entre outros. O site da Science PG aparece em alerta amarelo, indicando que você precisaria ser cauteloso ao acessar o site.

O site da Science PG aparece em alerta amarelo ao utilizar a extensão WOT (Web Of Trust),
indicando que você precisa ser "cauteloso" ao acessar o site.
Resolvi verificar os comentários sobre o site da Science PG no WOT, e me espantei com o que comecei a ler. Um dos usuários disse que essa editora de acesso aberto era um spammer bem conhecido entre os acadêmicos, que se qualquer um levasse sua própria carreira científica a sério, era para ficar longe desse site. Outros diziam que eles sequer atendem ao telefone e que eles aparentam ser uma editora acadêmica de fachada, visto que possuem padrões muito baixos e que eles estariam ludibriando acadêmicos inexperientes. Seria mesmo verdade?

Pesquisando um pouco mais encontrei o blog do Dr. Peter Woit, físico teórico norte-americano e professor no departamento de Matemática da Universidade de Columbia, em Nova Iorque, nos Estados Unidos, que em 7 de março de 2013 recebeu um email da Science Publishing Group, onde constava que o autor de um artigo poderia simplesmente pagar uma "Taxa de Processamento de Artigo" entre US$ 70 a US$ 120 para que o mesmo fosse mais "rapidamente" publicado.

Em 2014, um blog chamado "Scholarly Open Access", que possui o intuito de fazer uma análise crítica das publicações acadêmicas de acesso aberto, e administrado por Jeffrey Beall, um bibliotecário da Biblioteca Auraria, da Universidade do Colorado, em Denver, nos Estados Unidos, ressaltou que a "Science Publishing Group" era uma editora predatória, que surgiu de forma obscura em 2012. Ainda segundo esse blog, a Science PG utiliza um endereço em Nova Iorque, como sendo referente a localização de sua sede, mas provavelmente o mesmo seria destinado apenas a um serviço de encaminhamento de correspondências. Resumindo, ninguém sabe exatamente onde realmente a editora estaria sediada.

Imagem do Google Maps mostrando o suposto endereço da Science PG na cidade de Nova Iorque

Imagem do Google Street View de agosto de 2015 mostrando o suposto endereço da Science PG.
O Mc Donalds é o nº 556, o prédio ao lado e acima é o nº 552, o local com uma pintura verde é o nº 550, assim como o HSBC.
Do outro lado da esquina a numeração começa pelo nº 530. A questão é: Onde está realmente localizada a Science PG desde 2012?
O ponto que considero mais grave é que ao ser "criada", a Science PG aparentemente nunca se preocupou muito com a aparência de seu site, muito menos com qualquer outro tipo de conteúdo que posteriormente viria a ser publicado online. Pasmem, a editora utilizava como o logo do Google Chrome como logotipo da empresa. Sim, veja o comparativo entre as imagens abaixo:

Na época que o site da Science Publishing Group foi lançado, era utilizado o logo do Google Chrome como logotipo
da empresa (imagem inferior), sendo que posteriormente foi alterado para uma versão "parecida" (imagem superior)
Além disso, desde aquela época era comum a postagem de artigos "pseudocientíficos", inclusive no próprio American Journal of Modern Physics. Estranho, não é mesmo? O que podemos ver é que independentemente de ter artigo ou não, a Science PG não é um local confiável para a publicação de artigos científicos que tenham alguma pretensão de serem levados a sério.

Um Resumo do Artigo Sobre a "Aparente Detecção de Entidades Terrestres Invisíveis ao Utilizar Telescópios com Lentes Côncavas"


Sinceramente o artigo que está disponível para consulta no site de Thunder Energies pouca acrescenta ou fornece explicações, dados ou demonstrações concretas do que o Dr. Ruggero Santilli diz que supostamente "inventou", ou seja, a utilização prática dos tais telescópios revolucionários com "lentes côncavas". Vamos separar alguns trechos para vocês, começando pelo resumo:

Resumo do artigo sobre a "Aparente Detecção de Entidades Terrestres Invisíveis ao Utilizar
Telescópios com Lentes Côncavas"
No resumo do artigo podemos observar a seguinte frase: "Independentemente dessas detecções astrofísicas, nós apresentamos pela primeira vez a evidência para a aparente existência de entidades em nosso ambiente terrestre, que são visíveis somente através de telescópios com lentes côncavas, visto que elas são invisíveis aos nossos olhos e aos 'telescópios Galileu' convencionais com lentes convexas, nos quais as entidades deixam imagens escuras em segundo plano quando utilizadas câmeras digitais que  estão acopladas aos telescópios Santilli".

Segundo o Dr. Ruggero Santilli, uma condição necessária para uma representação consistente, e quantitativa da aniquilação matéria-antimatéria em contato com a luz é que "todas" as características de antimatéria são opostas as da matéria. Esta exigência básica implica a predição de que a luz emitida por antimatéria, ou luz-antimatéria, é repelida por um campo gravitacional de matéria, e consequentemente quando ocorre a propagação em um meio como a água, a luz-antimatéria tem um índice ''negativo" de refração oposto ao convencional índice de refração "positivo" da luz-matéria
O Dr. Santilli alegou ter descoberto aqui em nosso planeta, entidades normalmente invisíveis, que ele chamou de "Entidades Terrestres Invisíveis" do "Tipo 1" (ITE-1)" ou ITEs escuras, e do "Tipo 2" (ITE-2)" ou ITEs brilhantes. A questão principal é que ele deduziu que "todas" as características da antimatéria são opostas as da matéria, deste modo o índice de refração da luz-antimatéria é oposto em relação a da luz-matéria. Assim sendo, se um telescópio convencional (Galileu) utiliza uma lente convexa para focalizar a luz, um telescópio com lente côncava (Santilli) irá focalizar a "anti-luz".

Segundo o Dr. Ruggero Santilli, no telescópio de Galileu, toda a luz da antimatéria é dispersa pela lente convexa para as paredes internas do telescópio, permitindo assim que imagens da luz-matéria sejam focalizas por uma câmara sem interferências significativas da luz-antimatéria. Por outro lado, a luz-matéria comum é dispersa pela lente côncava do telescópio Santilli, permitindo assim que imagens da luz-antimatéria-luz sejam focalizadas
por uma câmera sem interferências significativas de luz-matéria.
A parte mais irônica disso tudo é que existem instrumentos óticos convencionais que também usam lentes côncavas. Aliás, o telescópio usado por Galileu era composto de uma lente côncava e uma lente convexa. Johannes Kepler (1571-1630), no seu livro Dioptrice publicado em 1611, explicou que seria melhor construir um telescópio com duas lentes convexas, como se usa atualmente.

Exemplo de telescópio utilizando lentes convexas e côncavas
Em 1668, Isaac Newton (1643-1727) construiu um telescópio refletor usado atualmente em todos os observatórios profissionais, com um espelho refletor côncavo na parte traseira e um pequeno espelho secundário na parte anterior, que desviava a luz lateralmente ao tubo, permitindo assim uma observação mais cômoda, sem obstruir a objetiva ou ter que desviar a luz refletida obliquamente.

O Dr. Santilli simplesmente divergiu da principal corrente da ciência no que diz respeito às propriedades da antimatéria e particularmente sobre os antifótons. Ele também não testou a sua hipótese sobre as lentes côncavas que fariam convergir a "anti-luz" emitida por antimatéria. O telescópio Santilli teria que ser testado em laboratório com o uso de "antimatéria" ou outro recurso, que emitisse "anti-luz".

Conjunto de Telescópios Santilli produzidos pela Thunder Energies
Santilli ignorou tudo isso e supôs que estava certo, deste modo suas observações não tem muito sentido, uma vez que as imagens das entidades invisíveis muito provavelmente podem ser apenas imagens distorcidas pelas lentes côncavas. Entretanto, o Dr. Santilli considerou que as imagens obtidas eram boas evidências para validar suas hipóteses. Veja algumas imagens desses tais seres:

No lado esquerdo teríamos três fotos consecutivas de ITEs-1 tiradas pela câmera digital do telescópio Santilli, durante a noite, no céu de Tampa Bay, Florida em 5 de setembro de 2015. Segundo o Dr. Ruggero Santilli a "entidade" se move lentamente e também rotaciona. Ainda segundo ele, este tipo de movimento em particular excluiria impurezas na lente do telescópio ou da câmera como possíveis interpretações para as imagens. No lado direito teríamos ITEs-1 fotografadas no céu noturno de São Petersburgo, na Flórida, em 20 de setembro de 2015.
Exemplos de ITEs-2 registradas no céu noturno de Tampa Bay, na Flórida em 5 de setembro de 2015
Exemplos de outras "Entidades Terrestres" do Tipo 2 registradas pelos telescópios Santilli
Mais um exemplo de "Entidade Terrestre" do Tipo 2 registrada pelos telescópios Santilli
Chegamos então ao seguinte quadro:
  • O Dr. Ruggero Santilli propõe uma hipótese em que "todas" as características da antimatéria são opostas as da matéria, incluindo o índice de refração;
  • O Dr. Ruggero Santilli projeta um instrumento óptico que seria capaz de focalizar a luz antimatéria, que no caso seria constituída por antifótons;
  • Dr. Ruggero Santilli realiza um experimento obtendo fotos com uma câmera digital acoplada a um de seus telescópios revolucionários, em paralelo a um telescópio convencional como comparativo;
  • Ao analisar as imagens, o Dr. Ruggero Santilli conclui que sua hipótese está correta e o seu novo telescópio "revolucionário" realmente focaliza antifótons. Como se isso não bastasse, o mesmo faz uma incrível descoberta: as imagens revelariam a existência de seres invisíveis que compartilham conosco o ambiente terrestre.
Sinceramente, isso não faz o menor sentido. E se você pensa que nada pode piorar para o lado do Dr. Ruggero Santilli, acredite, pode sim!

As Inúmeras Suspeitas Relacionadas a Outros Artigos Publicados Sobre o Telescópio Santilli e a Antimatéria


Esse artigo em questão encontra-se disponível para ser consultado através deste link. Entretanto, vamos destacar alguns pontos muito interessantes a respeito dos autores e das empresas que participaram dessas confirmações preliminares sobre a detecção de antimatéria ao utilizar telescópios Santilli, que foi publicado no site da Fundação Santilli em 2013/2014, e supostamente no site da Clifford Analysis:

O nome Prashant M. Bhujbal (P. M. Bhujbal) quase sempre aparece em artigos sobre a relação entre os telescópios Santilli e a detecção de antimatéria. Nesse artigo ele aparece como se pertencesse ao departamento de Física da Faculdade de Ciências M. H. Wegad, em Umrer, na Índia. Porém em outro artigo supostamente confirmando a detecção de antimatéria pelos telescópios Santilli, no final de 2014, pelo American Journal of Modern Physics, o mesmo P. M. Bhujbal aparece como se pertence ao departamento de Física da Faculdade N.A, também em Umrer. O único porém é que não conseguimos confirmar a existência dessas duas faculdades, ao menos não por esses nomes.

Pepijn van Erp, matemático da Universidade Radboud,
em Nijmegen, na Holanda
O Alex Nas (A. Nas) é pesquisador da Coorporação Thunder Fusion, que na verdade é a própria "Thunder Energies", cujo proprietário é o Dr. Ruggero Santilli. O Jerdsey Vladimir Kadeisvili (J. V. Kadeisvili) é um caso a parte que iremos comentar daqui a pouco, porém ele pertenceria ao Instituto de Pesquisa Básica e "convenientemente teria morrido em janeiro de 2014". Adivinhem quem é o fundador desse instituto? O próprio Ruggero Santilli.

Além disso, temos a estranha presença de uma empresa chamada "Night Fox Productions", que seria de Dunedin, na Flórida, nos Estados Unidos, mesmo estado americano onde a "Thunder Energies" está sediada. A questão é que a "Night Fox Productions" é uma empresa especializada em fotografar casamentos na região de Tampa Bay. Estranho, não é mesmo?

Agora vem a parte mais esquisita dessa história. Em um artigo publicado por Pepijn van Erp, matemático da Universidade Radboud, em Nijmegen, na Holanda, em seu próprio blog, no início de janeiro de 2014, o mesmo resolveu procurar saber quem era o homem chamado J. V. Kadeisvili.

O assunto estava relacionado na época a Cooporação MagneGas, que envolvia a produção de um novo tipo de combustível e tinha a principal participação de quem? Acertou quem disse o Dr. Ruggero Santilli, uma vez que ele foi o fundador da empresa e cientista chefe da MagneGas até o ano de 2013. Não entraremos em maiores detalhes sobre essa empresa nessa postagem, saiba apenas que esse sempre foi um caso muito obscuro e que continua causando muita polêmica.

Aliás, curiosamente o presidente interino da MagneGas chama-se Ermanno Santilli, filho do Dr. Ruggero Santilli. A esposa do Dr. Ruggero Santilli, Carla Santilli, também faz parte do quadro administrativo da empresa, que na visão de Pepijn van Erp, a companhia aparentava ser um esquema de pirâmide financeira (veja mais detalhes sobre o que é isso, aqui).

Ermanno Santilli, filho do Dr. Ruggero Santilli
Entretanto, o que Pepijn van Erp acabou descobrindo é que J. V. Kadeisvili era um pseudônimo do próprio Dr. Ruggero Santilli, ou seja, ele utilizava e provavelmente ainda utiliza identidades falsas para enviar emails e escrever artigos. Alguns dias após a publicação de toda a farsa montada pelo Dr. Ruggero Santilli, convenientemente o J. V. Kadeisvili foi dado como "morto" em seu próprio curriculum vitae. Além disso, Pepijn tentou verificar o endereço do Instituto de Pesquisa Básica no qual o J. V. Kadeisvili pertenceria, porém o local sequer tinha a aparência de algo destinado a estudos científicos. Veja mais detalhes aqui (em inglês).

A Face "Obscura" do Dr. Ruggero Santilli: Tudo Isso é um Golpe Com o Objetivo de Arrecadar Fundos Para a Fabricação dos Seus Telescópios?


Vamos comentar rapidamente sobre quem é o Dr. Ruggero Santilli. Ao contrário do que foi divulgado Ruggero Maria Santilli estudou física na Universidade de Nápoles, na Itália e passou a freqüentar a Faculdade de Pós-Graduação em Física da Universidade de Turim, também na Itália, graduando-se em 1966.

Em 1967, o Dr. Ruggero Santilli foi convidado pela Universidade de Miami, na Flórida para conduzir pesquisas para a NASA e então mudou-se com sua família para os Estados Unidos. De 1974 a 1977, ele foi um cientista visitante no MIT, e de 1978 a 1981 ele também foi um cientista visitante do Departamento de Matemática da Universidade de Harvard sob o apoio do Departamento de Energia dos Estados Unidos para estudar generalizações da mecânica quântica e da química, que poderiam ser necessárias para a descoberta de novos combustíveis e formas de energia limpa. Como vocês podem perceber o Dr. Ruggero Santilli não teve formação acadêmica em Harvard. E ainda tem mais.

Da direita para a esquerda, o Dr. Ruggero Santilli, sua filha Luisa, sua esposa Carla e seu filho Ermanno, em julho de 1998
O Dr. Ruggero Santinii constantemente diz que ele foi nomeado para Prêmios Nobel, muito embora ele sequer tenha sido nomeado em algum ano. Em sua longa lista de polêmicas ele ainda atacou de forma caluniosa o físico teórico norte-americano, o Dr. Steven Weinberg, ganhador do Prêmio Nobel de Física em 1979 juntamente com os cientistas Sheldon Lee Glashow e Abdus Salam. Ruggero Santilli sempre o considerou responsável por fazer com que ele fosse expulso de Harvard em 1981. Sim, isso mesmo que você leu, expulso.

O Dr. Ruggero Santilli até hoje alega que em muitas instituições existe uma forte conspiração para suprimir ou não investigar novas teorias que possam entrar em conflito com as teorias científicas estabelecidas, como a teoria da relatividade de Einstein. As instituições recebem financiamento e estabelecem departamentos inteiros dedicados a teorias há muito tempo estabelecidas, e assim ele argumenta que essas mesmas instituições estão mal equipadas para desafiar os seus próprios paradigmas científicos diante de novas teorias.

O Dr. Ruggero Santilli em uma viagem pelo TGV de Turim, na Itália, até Paris, na França, em 2005
O Dr. Ruggero Santilli alegou que o Dr. Steven Weinberg conspirou juntamente com seus colegas de profissão para impedi-lo de realizar pesquisas que poderia ter levado à inaplicabilidade de parte da teoria da relatividade de Einstein, enquanto ele estava em Harvard. Ele também já alegou que seu artigos foram rejeitados pela Sociedade Americana de Física, que realiza revisão por pares, porque era controlada por um grupo de físicos judeus liderados por Steven Weinberg.

De qualquer forma, antes de finalizar essa postagem ainda temos mais algumas informações para vocês. Em 18 de novembro do ano passado, o Dr. William G. Gaines o "presidente" da Thunder Energies anunciou que, após meses de testes e negociações, a empresa chinesa "United Optics of Kunming" iria produzir um conjunto de telescópios Galileu e Santilli em paralelo de 70mm, 102mm e 152mm.

"Com base na minha experiência na China, eu quero nossos acionistas saibam como estamos satisfeitos por trabalhar com a United Optics. Eles estão localizados em Kunming, no coração da produção e do centro de exportação de produtos ópticos de alta tecnologia da China. A cidade de Kunming permite que a United Optics tenha acesso a talentos altamente qualificados, fornecedores de peças ópticas, e as plantas de moldagem, incluindo algumas grandes fábricas estatais que têm servido as Forças Armadas chinesas há mais de 50 anos", disse o Dr. William G. Gaines.

Imagem do Google Maps mostrando a localização de Kunming, capital da província de Yannan, na China
em relação a uma boa parte do Sudeste Asiático
Novamente, o Dr. Ruggero Santilli foi identificado "apenas como cientista chefe" da Thunder Energies.

"A United Optics é dedicada a fornecer produtos OEM competitivos e de alta qualidade para nossos clientes. Além disso, temos grande confiança na United Optics devido a sua forte reputação em respeitar e proteger as tecnologias e as marcas proprietárias dos seus clientes. Uma vez que somos uma empresa nova, essa proteção é especialmente importante para nós", disse o Dr. Ruggero Santilli.

Em 18 de novembro do ano passado, o Dr. William G. Gaines o "presidente" da Thunder Energies anunciou que, após meses
de testes e negociações, a empresa chinesa "United Optics of Kunming" iria produzir um conjunto de telescópios Galileu e Santilli
em paralelo de 70 mm, 102 milímetros e 152mm
Essa notícia que foi publicada pela agência de notícias PR Newswire, ainda disse que o telescópio Santilli será o primeiro telescópio disponível comercialmente, que pode detectar galáxias de antimatéria, asteroides, raios cósmicos, bem como outras entidades invisíveis no céu.

A própria PR Newswire publicou uma outra notícia no início de dezembro do ano passado, em que o Dr. Ruggero Santilli e o Dr. William G. Gaines tinham entregue na época a primeira visão formal da empresa para um grande grupo de investidores no Clube Princeton, na cidade de Nova Iorque. O evento tinha sido patrocinado pelo Astrologers Fund, também de Nova Iorque. Em cerca de apenas 20 minutos, o Dr. Ruggero Santilli apresentou todas as três divisões da Thunder Energies - Nuclear, Combustão e Óptica, bem como suas tecnologias "altamente inovadoras", mas com especial atenção ao Telescópio Santilli, o primeiro produto da empresa, que tem previsão de chegar ao mercado em meados de 2016.

Enfim, Assombrados, sinceramente essa história contada pelo Dr. Ruggero Santilli me lembra de longe a de um outro "cientista" italiano chamado Sergio Canavero, que aliás compartilham a mesma cidade por motivos distintos: Turim, na Itália. Aliás, de certa foram o Dr. Ruggero Santilli parece mais uma mistura sombria de J. Hutton Pulitzer com Sergio Canavero. Tudo o que se sabe sobre o telescópio Santilli está diretamente ou indiretamente relacionado ao Dr. Ruggero Santilli, seus próprios pesquisadores e suas companhias, sendo que muitas delas parecem servir apenas de fachada para seus planos mirabolantes envolvendo a "pseudociência".

Não vejo como algo assim ser promissor, se é que isso algum dia foi planejado para ser realmente verdade. Aliás, é difícil pensar que o Dr. Ruggero Santilli realmente acredite no que diz. Resta apenas esperar para ver se os tais telescópios serão mesmo lançados ao mercado, porque se forem, bem, o Dr. Ruggero Santilli muito provavelmente vai precisar se fingir de morto mais uma vez.

Até a próxima, Assombrados!

Criação/Tradução/Adaptação: Marco Faustino

Fontes:
http://cienciahoje.uol.com.br/revista-ch/2010/268/a-antimateria-e-o-universo
http://magnegas.com/about-the-team/
http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2015/05/05/clique-ciencia-o-que-e-afinal-a-antimateria.htm
http://thunder-energies.com/index.php/ct-menu-item-3
http://ufosightingshotspot.blogspot.com.br/2016/01/thunder-energies-discovers-invisible.html
http://van.physics.illinois.edu/qa/listing.php?id=1153
http://www.ancient-code.com/new-telescope-detects-invisible-intelligent-alien-entities-on-earth/
http://www.conhecimentohoje.com.br/Recentes877.htm
http://www.express.co.uk/news/science/639279/SCIENTISTS-discover-invisible-alien-entities-spying-on-us-on-Earth
http://www.pepijnvanerp.nl/articles/finding-jerdsey-v-kadeisvili-or-mailing-with-ruggero-m-santilli/
http://www.prnewswire.com/news-releases/thunder-energies-corporation-announces-first-corporate-presentation-to-investors-in-new-york-city-300189830.html
http://www.prnewswire.com/news-releases/thunder-energies-corporation-announces-manufacturing-agreement-with-united-optics-for-the-production-of-telescopes-300180650.html
http://www.sciencepublishinggroup.com/journal/paperinfo?journalid=122&doi=10.11648/j.ajmp.s.2015040101.17
http://www.skepticforum.com/viewtopic.php?f=88&t=13129#p198978
http://www.thunder-energies.com/docs/ITE-paper-12-15-15.pdf
http://yournewswire.com/new-type-of-lense-detects-entities-invisible-to-humans/
http://zolmax.com/investing/carla-santilli-sells-119885-shares-of-magnegas-co-mnga-stock/367239/
https://pt.wikipedia.org/wiki/Antimatéria
https://www.mywot.com/en/scorecard/sciencepublishinggroup.com
https://www.youtube.com/watch?v=_gRC2q_VLEM
Comentários