12 de janeiro de 2016

Rumores Sobre Um Corpo "Encontrado em Dyatlov Pass" Reacendem Debate Sobre o Misterioso Caso de 1959 (Atualizado 14/01)

Inscreva-se no canal clicando no botão abaixo:
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Eles são lançados primeiro lá, depois que vem pra cá :) Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes

Por Marco Faustino

Esse começo do ano de 2016 realmente está nos proporcionando histórias incríveis. Aliás, havíamos terminado o ano passado com matérias e notícias bem interessantes. Comentamos sobre o surgimento do suposto autor do misterioso vídeo "11B-X-1371", da descoberta de uma suposta espada romana em Oak Island (teremos novidades sobre esse caso em breve), do vídeo "Soup Torture" ou "Blank Room Soup", do vídeo "11B-3-1369", entre tantas outras notícias igualmente interessantes. Na noite do último domingo (10) eu vi uma notícia na versão inglesa do site da Ria Novosti (agência internacional de notícias da Rússia), que a princípio, devido a carência de informações, parecia ser mais um entre tantos outros boatos ou hoaxes que surgem na internet.

Poucos sites estavam dando essa determinada notícia, logo a probabilidade de ser falsa era muito grande. Assim sendo deixei para começar a escrever sobre esse assunto na manhã de ontem (11), e para minha surpresa encontrei mais de 600 páginas em russo ou em idiomas de países do leste europeu dizendo sobre um corpo, aparentemente de um homem na faixa dos 50 anos de idade, que teria sido encontrado por um grupo de excursionistas composto por 9 a 10 integrantes, justamente em Dyatlov Pass ("Passo Dyatlov", em português). Para piorar ainda mais a situação, algumas horas depois dessa notícia começar a repercutir, veio uma outra dizendo que esse mesmo grupo havia perdido a comunicação com os serviços de emergência e resgaste.

Todos esses elementos reacenderam um debate de longa data na Rússia, aquele sobre a misteriosa morte de 9 alpinistas em 1959. Originalmente aquele era um grupo de 10 alpinistas, sendo que um desistiu de última hora da trilha que fariam, devido a uma antiga lesão nas costas que o impediu de continuar. O incidente nunca teve uma explicação convincente do que realmente aconteceu, ainda mais considerando o estado em que os corpos se encontravam. Enfim, vamos saber o que existe de verdade ou mentira sobre esse corpo que teria sido recentemente encontrado?

O Que Foi o "Incidente no Dyatlov Pass" (Passo Dyatlov)?


Antes de começarmos a falar desse caso, precisamos, é claro, como de praxe, rapidamente colocar você a par desse assunto, uma vez que você talvez não esteja se lembrando ou apenas esteja nos acompanhando há pouco tempo. Pois bem, o incidente do Passo Dyatlov basicamente foi um acontecimento que resultou na morte de nove alpinistas ao norte dos Montes Urais entre a noite de 1 de fevereiro e a madrugada de 2 de fevereiro de 1959 (em um período de aproximamente 3 a 4 horas).

Uma das últimas fotos tiradas por integrantes do grupo liderado por Igor Dyatlov,
ao estabelecer aquele que seria o último acampamento deles
Esse incidente aconteceu na costa leste de uma montanha chamada Kholat Syakhl (Холат Сяхл), cujo nome na linguagem mansi (falada em territórios da Rússia em torno do Rio Ob e seus afluentes, incluindo o distrito autônomo de Khantia-Mansia e o Oblast de Sverdlovsk) significa "Montanha dos Mortos". Desde então, o passo de montanha onde o incidente ocorreu é chamado de Passo Dyatlov, devido ao nome do líder daquele grupo, Igor Dyatlov.

Em termos geográficos, um passo é o ponto mais baixo entre dois picos pertencentes à mesma aresta, facilitando a passagem através da cadeia de montanhas. Também é uma passagem ligando dois vales.

Foto mostrando uma visão geral do "Passo Dyatlov"
A ausência de testemunhas e as investigações subsequentes sobre as causas das mortes dessas 9 pessoas inspiraram diversas especulações. Investigadores da época determinaram que os mesmos rasgaram suas barracas de dentro para fora e fugiram a pé sob a forte nevasca (algo impensável considerando que tinham certa experiência). Apesar dos corpos não demonstrarem sinais de luta, duas vítimas apresentavam o crânio fraturado, duas tinham costelas quebradas, sendo que outra não tinha a língua. As autoridades soviéticas determinaram que uma "força desconhecida" havia provocado as mortes e o acesso à região foi consequentemente bloqueado a alpinistas, esquiadores e aventureiros por cerca de três anos após o incidente.

Monumento criado em homenagem as nove pessoas que perderam suas vidas entre a noite do dia 1 de fevereiro
e a madrugada do dia 2 de fevereiro de 1959, no local onde ficou conhecido como "Passo Dyatlov"
Para saber mais detalhes sobre esse assunto, confira a matéria postada no blog AssombradO.com.br em junho do ano passado chamada: "Dyatlov Pass: A Montanha dos Mortos". Dessa forma você saberá mais detalhes sobre esse caso e o porquê da notícia de um corpo encontrado neste mesmo local começou a ganhar tanta repercussão na Rússia.

A Notícia de um Corpo Encontrado no "Passo Dyatlov" Repercute na Imprensa da Rússia


É necessário que você saiba que existem muitas informações desencontradas que estão sendo divulgadas pelos veículos de imprensa na Rússia. Portanto, o que vamos escrever aqui é o que se sabe até agora sobre esse novo caso, visto que aparentemente há um certo exagero (típico em casos como esse) sobre de quem é o corpo que foi encontrado, como e quando foi encontrado, onde exatamente foi encontrando e quem foram as pessoas que o encontraram. É possível ainda que as informações não sejam exatamente essas, e tudo não passe de um mal-entendido. De qualquer forma essa notícia será devidamente atualizada, caso alguma informação aqui postada não coincida com a verdade, posteriormente a sua publicação. É um compromisso assumido por nós, uma vez que sempre tentamos buscar as informações corretas para os nossos leitores.

Tudo teria começado quando um grupo de excursionistas, cujos integrantes possuem entre 25 e 50 anos de idade, de um clube de montanhismo chamado Meridian, localizado na cidade de Perm, na Rússia, resolveu dar ínicio a uma espécie de expedição no dia 1º de janeiro deste ano, seguindo um dos percursos mais difíceis e complexos dos montes Urais. Eles teriam partido da cidade de Ivdel com destino a parte norte dos montes Urais, com o objetivo de chegar até o planalto Manpupuner, com data prevista para retornar a cidade de Ivdel, por volta do dia 17 ou 18 de janeiro.

Página inicial do site do Clube de Montanhismo chamado "Meridian", na cidade de Perm, na Rússia
Os Urais estão entre as cordilheiras mais antigas do mundo, sendo formadas no final do período Carbonífero, quando um continente composto principalmente pela Sibéria colidiu com o supercontinente que continha a maior parte da terra na época: a combinação da Laurásia (Europa e América do Norte) e Gondwana. Europa e Sibéria permaneceram juntas desde então. Os geógrafos dividiram os Urais em cinco regiões: Sul, Central, Norte, Subártico e Urais Árticos.

Já o planalto dos Manpupuner é considerado uma das sete maravilhas da Rússia e também é um dos Patrimônios Mundiais da UNESCO. Neste local encontram-se sete grandes monolitos com cerca de 30 a 42m de altura, que se projetam de um platô montanhoso formado através dos efeitos de intemperismo de gelo e ventos. Essas formações rochosas são uma atração muito popular no país, embora praticamente desconhecidas internacionalmente, o que felizmente deixa o lugar relativamente intocado pelo turismo.

O planalto dos Manpupuner é considerado uma das sete maravilhas da Rússia,
e também é um dos Patrimônios Mundiais da UNESCO
De acordo com uma lenda local, os pilares de pedra eram uma comitiva de gigantes Samoyeds, que estavam andando pelas montanhas para a Sibéria, com a intenção destruir o povo Mansi. No entanto, ao ver as montanhas sagradas dos Mansi, o xamã dos gigantes deixou cair seu tambor mágico e isso congelou toda a comitiva de gigantes na forma de pilares de pedra.

Visão aérea dos sete grandes monolitos encontrados no planalto Manpupuner, também conhecido como platô Manpupuner
Dizem que lugar possui uma aura mística e muitas pessoas relatam se sentir diferentes quando estão por lá. Existem aqueles que sentem uma indescritível sensação de liberdade. Também dizem que se uma pessoa deitar sobre o solo coberto com um macio e peculiar musgo branco, sentirá uma estranha energia percorrer seu corpo. Entretanto, há os que se sentem estranhos, e relatam desconforto e até ansiedade diante dos monolitos de pedra, como se estivessem sendo observados por alguém.

Imagem do Google Maps mostrando a localização do "Passo Dyatlov" em relação as cidades de Ivdel e Perm (à esquerda),
e a rota seguida pela grupo de alpinistas em 1959, para que vocês tenham uma melhor noção do local
Recapitulando, esse grupo de excursionistas que está sendo reportado como tendo de 9 a 10 membros experientes, entre 25 e 50 anos, cuja maioria mora na própria cidade de Perm, teria partido da cidade de Ivdel, indo em direção a parte norte dos montes Urais, cujo percurso passaria próximo do "Passo Dyatlov", com o objetivo de chegar até o planalto Manpupuner, no distrito de Troitsko-Pechorsky, na República de Komi, que por sua vez é uma divisão federal da Federação Russa.

Trajeto que seria percorrido pelo grupo de excursionistas de Perm, na Rússia
De acordo com Iuri Antonov (Юрий Антонов), responsável pelo clube de montanhismo Meridian, tudo estava transcorrendo dentro do que havia sido planejado, até que eles teriam encontrado um corpo, aparentemente de um homem na faixa dos 50 a 60 anos de idade, desconhecido, nas proximidades do rio Sulpa (реки Сульпа), a 20km do Monte Otorten, que fica bem próximo ao "Passo Dyatlov". Como entraram em contato? Bem, de acordo com Iuri, o grupo possui um telefone via satélite justamente para situações de emergência. Foi justamente através deste telefone, que um dos membros da equipe, Mikhail Samarin (Михаила Самарина) ligou para sua esposa Rose Samarin (Роза Самарина) no dia 8 de janeiro (última sexta-feira) para comunicar o que tinham encontrado.

Rose então entrou em contato com o Meridian, que imediatamente ligou para os serviços de emergência e resgate da região de Sverdlovsk, na Rússia, inclusive para o departamento de polícia da cidade de Ivdel. Neste ponto é importante ressaltar que nenhum veículo de imprensa crava a informação que o grupo teria descoberto o corpo exatamente na última sexta-feira. Isso poderia ter acontecido cerca de um ou dois dias antes.

Foto de um trecho do rio Sulpa, na Rússia, durante o verão.
Vale lembrar que durante o inverno a paisagem muda radicalmente.
Entretanto, muitas informações desencontradas começaram a circular. Uma delas é que o contato com o grupo teria sido perdido, logo após a ligação comunicando que tinham encontrado o corpo do tal homem, onde alguns sites russos apontam que estaria dentro de uma barraca de acampamento. Essa versão que dizia que o grupo estaria desaparecido, foi alimentada por uma declaração da própria Rose Samarin, ao jornal russo "Komsomolskaya Pravda", ao dizer que após a ligação do marido, não tinha havido mais nenhum tipo de contato.

Não é preciso nem dizer que após uma declaração dessas, muitos outros jornais repercutiram a informação que o contato com o grupo havia sido perdido, e começaram a especular que todos os integrantes poderiam até mesmo estar mortos, tal como teria acontecido com um outro grupo em 1959. Isso gerou um verdadeiro frenesi em torno dessa história, visto que a quantidade de informação disponível, bem como a confirmação da veracidade sobre essas mesmas informações, se tornou algo bem complicado. Os sites de notícias russos praticamente replicam o mesmo conteúdo. Aliás, somente para escrever as informações que você está lendo até agora, foi necessária muita pesquisa.

Em uma nova notícia publicada pelo site do jornal "Komsomolskaya Pravda", no entanto, Iuri Antonov desmentiu essa versão apresentada por alguns sites que o grupo estaria desaparecido. De acordo com ela, as ligações de telefone via satélite são muito caras, e em condições extremas, como é o caso da região em que eles se encontram, é necessário economizar o máximo possível de bateria para eventuais pedidos de ajuda.

Iuri Antonov (à esquerda), responsável pelo clube de montanhismo Meridian
Uma versão semelhante foi repassada a imprensa por autoridades russas, que disseram que o grupo permanece em "constante contato" com as equipes de resgate, e que todos eles estão bem. Natalia Zyryanov, porta-voz do Ministério da Federação Russa para a Defesa Civil, Emergências e Eliminação das Consequências de Desastres Naturais, também negou que o grupo estivesse desaparecido, ao dizer que essa era uma informação falsa.

"Eles não desapareceram. O grupo continua seguindo a rota planejada, e estão entrando em contato", disse Natalia Zyryanov para a RIA Novosti, a agência internacional de notícias da Rússia. Veja algumas notícias que estão sendo divulgadas pela imprensa da Rússia (obviamente, em russo):



E mais essa:



Iuri disse que o grupo de excursionistas continua seguindo o percurso previamente determinado, ou seja, eles não pararam para aguardar que as autoridades russas pudessem ir até o local, resgastar o corpo, e posteriormente realizar uma autópsia do mesmo. Resumindo, o grupo teria fornecido as coordenadas exatas de onde encontrar o corpo e seguiu viagem.

Evgueni Tcherepanov, presidente de um clube de turismo
chamado Zodíaco, também localizado em Perm, na Rússia
Ele acrescentou que do ponto de vista esportivo, uma expedição através do "Passo Dyatlov", não é algo assim "tão revelante", exceto se as pessoas considerarem o misterioso caso ocorrido em 1959. O lugar possui uma extraordinária beleza, razão pela qual o grupo decidiu ir até lá. Iuri citou isso, porque parte da imprensa russa havia especulado que o grupo poderia ter ido "investigar o incidente com o grupo de alpinistas, que ocorreu em 1959", talvez procurar por alguma nova evidência, por mais que isso parecesse improvável.

Iuri disse ainda ainda que eles planejaram o trajeto a cerca de um mês atrás, que todos eles são experientes e que todos possuem todos os equipamentos necessários para fazer a travessia. Inclusive, a rota que seria seguida por eles havia sido previamente comunicada ao serviço de resgate, caso alguma coisa pudesse dar errada.

O site do jornal russo "Moskovskij Komsomolets" publicou ontem (11) uma entrevista com um homem chamado Evgueni Tcherepanov (Евгением Черепановым), identificado pelo jornal como sendo um pesquisador e historiador local. O que podemos dizer é que Evgueni Tcherepanov é o presidente de um clube de turismo chamado Zodíaco (Турклуб Зодиак), também localizado na cidade de Perm, na Rússia.

Ele disse que o grupo atualmente já estaria na região do planalto Manpupuner, e que o "Passo Dyatlov" apenas fazia parte do trajeto. Segundo Evgueni, eles não tinham como objetivo parar ou até mesmo passar a noite nesse local. O mesmo ainda deu alguns detalhes ao dizer que o corpo encontrado estaria localizado a 50 km do vilarejo de Ushmy, atualmente considerado "fantasma", próximo a cidade Vizhai, e disse que o corpo estaria dentro de uma barraca. As equipes de resgate, no entanto, disseram que o corpo estaria bem mais longe, a cerca de 100 km desse mesmo local apontado por Evgueni.

Imagem do Google Maps mostrando a localização da cidade de Ivdel até o ponto mais próximo do rio Sulpa
Evgueni Tcherepanov foi questionado sobre a provável causa da morte desse homem, e se o mesmo poderia ter morrido em decorrência de algum tipo de violência física (nitidamente fazendo uma espécie de referência ao caso ocorrido em 1959). Como resposta ele disse que se o corpo do homem não estivesse em estado de decomposição, provavelmente ele teria morrido devido ao frio do outono ou do inverno, e que a possibilidade de violência física seria muito improvável, pois é uma região considerada "tranquila", onde nenhum tipo de problema ou acidentes teriam ocorrido nos últimos anos.

Por incrível que pareça essa opinião foi bem semelhante a de Iuri Kuntsevich, presidente da Fundação Dyatlov, quando entrevistado anteontem (10) pelo jornal russo "Sobesednik", ao dizer, com certa propriedade, que o homem encontrado teria morrido devido as condições meteorológicas extremas daquela região. Ele disse que mesmo após a ampla divulgação do caso ocorrido em 1959, muitas pessoas ainda são negligentes em não utilizar os equipamentos e roupas adequadas para realizar expedições através do "Passo Dyatlov".

Iuri Kuntsevich, presidente da Fundação Dyatlov
O entrevistador questionou como Yuri Kuntsevich estaria afirmando sobre a morte de um homem sem ter nenhum tipo de relatório oficial sobre as causas de sua morte. Yuri disse que não era apenas ele que estava dizendo isso, mas também o Ministério de Situações de Emergência da Rússia.

Iuri Kuntsevich disse que o homem encontrado teria morrido devido as condições meteorológicas
extremas da região do "Passo Dyatlov"
Ele disse que no local há fortes ventos de até 100 km/h que fazem com que a temperatura de -20ºC passe a ter uma sensação térmica de -50ºC ou -60ºC, e que se o homem simplesmente retirasse uma das luvas por um determinado período de tempo, já poderia levar a um processo que culminaria em sua morte. Ainda de acordo com Iuri, o ar frio nessa temperatura queima, congela o sangue e é necessário que a pessoa se mantenha aquecida o tempo todo.

É importante ressaltar que no hemisfério norte é inverno, então qualquer pessoa que se atreva a fazer a travessia estará em um cenário com as temperaturas mais baixas do ano naquela região. Iuri não se mostrou preocupado, uma vez que os equipamentos e roupas usados hoje em dia são muito mais eficientes do aqueles da década de 50. Além disso, ele mesmo disse que já esteve no "Passo Dyatlov" durante o mês de janeiro e tudo transcorreu bem.

Em entrevista concedida ao site de notícias lenta.ru, Iuri disse que muitas pessoas tentam dizer a qualquer custo, que sabem exatamente o que aconteceu em 1959, porém o caso estaria longe de ser um desfecho. Segundo ele ainda existem documentos daquele período que ainda não foram liberados pelo governo, e que o conteúdo deles, caso viessem à tona e fossem realmente revelantes, poderia fazer com que fosse solicitada a reabertura da investigação. O principal arquivo sobre a mesma, considerando tudo o que já foi reunido por ele, possui mais de 1.000 páginas.

Alexander Shulga (Александр Шульга), Chefe Adjunto
do Departamento do Comitê Investigativo da região de Sverdlovsk Oblast
A agência internacional de notícias da Rússia, a RIA Novosti, publicou em seu respectivo site, que de acordo com as informações cedidas por Alexander Shulga (Александр Шульга), Chefe Adjunto do Departamento do Comitê Investigativo da região de Sverdlovsk Oblast, será deslocada uma equipe de resgaste, utilizando veículos de neve, até o local onde o corpo foi encontrado pelo grupo de excursionistas, assim que as condições meteorológicas permitirem. Resumindo, não se sabe exatamente quando isso ocorrerá.

Alguns sites de cunho conspiratório, no entanto, estão bem desconfiados sobre a imediata reação das autoridades em apontar que o homem teria morrido em decorrência das condições climáticas extremas. Isso, é claro, considerado que o local onde seu corpo foi encontrado, para muitos continua sendo palco de um dos maiores mistérios do século 20, que até hoje não teria uma explicação exata ou convincente.

O site de notícias v-kurse.ru chegou a especular que o corpo seria de um ermitão chamado Oleg, de 47 anos, que teria nascido na região de Chelyabinsk, mas que viveria em uma espécie de galpão construído por pastores Mansi na encosta de uma das montanhas Mottevchahl (Моттевчахль), que ficaria próximo do "Passo Dyatlov". Entretanto, eles disseram isso apenas se baseando nos comentários deixados por seus leitores em notícias anteriores. Até o fechamento dessa postagem não há nenhuma confirmação sobre isso.

Entretanto, nesta terça-feira (12) os jornais russos vendo que a possibilidade do corpo pertencer a um ermitão, que por sua vez estaria habituado a viver sobre as condições climáticas extremas da região seria muito pouco provável, apontaram um novo suspeito. Segundo o "jornal Komsomolskaya Pravda", dessa vez o corpo poderia pertencer a um homem chamado Vladimir Sumin, de 55 anos, que estaria foragido da polícia desde junho do ano passado. Ele é acusado dos crimes de pedofilia e homicídio (ele teria assassinado ao menos duas mulheres) no vilarejo de Potashka, que fica localizado a cerca de 700 km ao sul da cidade de Ivdel. Vladimir então teria fugido em direção aos montes Urais e segundo essa versão apresentada pela imprensa, ele possuíria amplos conhecimentos sobre trilhas locais, e poderia muito bem viver em condições de isolamento. Porém, ele teria calculado errado a intensidade do inverno rigoroso pela qual a região está passando.

O mais estranho deste recente caso envolvendo o "Passo Dyatlov", é que não há nenhum tipo de nota oficial no site do clube de montanhismo Meridian, nem do Zodíaco, nem mesmo nenhum tipo de comentário em suas páginas nas principais redes sociais da Rússia (apenas uma rápida em fórum do site do Meridian). Será que ninguém quer se envolver ou o caso é muito mais simples do que parece?

Atualização #1: 12/01 as 13h20


Conforme dissemos em nossa postagem no Facebook, essa notícia seria constantemente atualizada. Pois bem, eis que temos nossa primeira atualização, pois o jornal russo Komsomolskaya Pravda publicou a pouco mais de 1 hora atrás, uma nova notícia sobre esse caso. Para acrescentar uma dose a mais de mistério, uma excursionista que esteve recentemente em Dyatlov Pass disse que não havia corpo algum na região.

Elizaveta Kuzmina (Елизавета Кузьмина), estudante da Academia Estadual de Arquitetura e Artes dos Urais, disse ao jornal que esteve no "Passo Dyatlov" juntamente com um grupo de 8 pessoas, que estavam realizando a excursão por meio do clube de excursionismo chamado Sputnik (Спутник). O grupo de excursionistas da cidade de Perm iniciou a excursão juntamente com o grupo de Elizaveta.

Distância da cidade de Ivdel (ponto branco inferior no mapa), até o vilarejo "fantasma" de Ushmy (ponto branco superior no mapa).
Assim como a respectiva distância onde o corpo de um homem teria sido encontrado por um grupo de excursionistas de Perm.
Ela disse que iniciaram a excursão no dia 1º de janeiro, em dois grupos de 9 pessoas: o grupo que veio da cidade de Perm e o grupo dela. Segundo Elizaveta eles estiveram juntos no mesmo veículo que os levou de Ivdel até Ushmy, em um trajeto de 143 km, e depois disso eles teriam seguidos juntos até por volta do dia 5 de janeiro. O grupo da cidade de Perm teria ficado para trás e eles se reencontraram quando o grupo de Elizaveta já estava retornando do "Passo Dyatlov" (não ficaram por muito tempo), porém o "grupo da cidade de Perm" seguiu em frente com sua jornada.

O grupo de Elizaveta voltou a Ivdel com o mesmo motorista, um homem chamado Vladimir, que os tinham levado da primeira vez. Foi ele quem teria contado para eles sobre os rumores de que um corpo teria sido encontrado na montanha. Entretanto, ele disse que isso não seria verdade.

Foto do excursionista Andrew Podkorytov (Андрей Подкорытов)
O "grupo da cidade de Perm" teria achado um homem sozinho e com vida, porém com sinais de congelamento, dentro de sua própria barraca. Esse homem seria o excursionista Andrew Podkorytov (Андрей Подкорытов), 28 anos, que estava na região desde o Ano Novo (ele decidiu viajar sozinho), e que quase morreu devido ao intenso frio. É importante ressaltar que essa situação sobre Andrew já era conhecida pelas equipes de resgate de Ivdel antes de mesmo de surgir a informação de que haveria um corpo de um homem no Passo Dyatlov. As equipes estavam aguardando o melhor momento (devido as condições climáticas) para resgatá-lo. Veja o vídeo relacionado ao seu regaste:



Ele foi socorrido pelo serviço de resgaste de Ivdel, e apesar das graves ulcerações provocadas pelo frio em suas mãos, ele passa bem e segundo os médicos a amputação não deverá ser necessária.

Atualização #2: 13/01 as 11h05


De acordo com as informações da TASS, uma das mais antigas agências de notícias de Rússia, a assessoria de imprensa do Departamento Regional de Emergência informou que uma equipe composta de quatro pessoas (sendo três resgatistas e um membro do Comitê Investigativo da Rússia) partiu na manhã de ontem em direção ao Passo Dyatlov e começaram hoje (13) as buscas pelo suposto corpo de um homem que teria sido descoberto por um grupo de excursionistas de Perm, seguindo é claro as coordenadas fornecidas pelos mesmos. Foi divulgado ainda que as buscas devem durar cerca de seis dias.

Atualização #3: 14/01 as 14h33


Pois é, Assombrados, finalmente a equipe de resgate encontrou o corpo do tal homem, que desde o último fim de semana tinha se tornado o principal assunto na Rússia. Inclusive, o mesmo foi identificado. O corpo é do ermitão (ou eremita, como vocês queiram) Oleg Borodin (Олега Бородина), de 47 anos, nascido no Cazaquistão, que foi encontrado morto dentro de uma cabana de caça, a uma altitude de 1.095 metros, na montanha Mottevchahl, e próximo do Passo Dyatlov.

O ermitão Oleg Borodin (Олега Бородина)
Foto de Oleg Borodin publicada pelo jornal russo Komsomolskaya Pravda
A equipe está estabelecida na base de apoio chamada Lenin (Ильича), mesmo local onde um repórter da LifeNews (canal de notícias 24 horas da Rússia) acabou encontrando o tão famoso grupo de excursionistas da cidade de Perm. De acordo com uma das integrantes deste grupo, eles resolveram passar a noite em uma cabana de caça que haviam encontrado e que pastores Mansi da região tinham assegurado que ninguém mais vivia nela há algum tempo.

Uma das integrantes do grupo excursionista de Perm (à esquerda) e a cabana onde o corpo foi encontrado (à direita)
Dentro da cabana havia uma espécie de "barraca" improvisada com diversos cobertores, roupas epedaços de pano em cima. Desconfiados eles foram dar uma olhada mais de perto e para espanto deles havia o corpo de um homem, que já se encontrava sem vida. Veja o vídeo do site LifeNews:



Segundo a mulher que foi entrevista pela LifeNews, muito provavelmente o homem estava tentando se manter aquecido de todas as formas que podia.

A espécie de "barraca" improvisada na qual o corpo de Oleg Borodin foi encontrado
Foto do interior da cabana de caça na qual o corpo de Oleg Borodin foi encontrado
O homem também teria colocado lenha no fogão da cabana, uma vez que apresentava sinais de uso recente. Ainda de acordo com ela havia mais formas possíveis dele se manter aquecido, mas por alguma razão ele não fez. Ainda segundo a reportagem do LifeNews, não havia sinais de violência física no corpo de Oleg Borodin e a equipe de regaste acredita que ele tenha morrido de hipotermia, ao subestimar o rigoroso inverno da região, por mais, é claro que ele já tivesse muito habituado ao local. Veja também esse outro vídeo:



A equipe de resgate encontrou ainda a mochila, o passporte, a câmera fotográfica e o notebook de Oleg Borodin, que serão devidamente periciados para ver se investigadores descobrem eventuais pistas que expliquem sob quais circunstâncias Oleg morreu, visto que todos que o encontraram durante os últimos anos e tiveram a chance de conversar com ele, sempre o descreveram como uma pessoa forte e resistente.

Alguns sites sensacionalistas russos tentaram apontar que o Oleg era conhecido na região pelo apelido de "Canibal", porém não explicaram a origem desse apelido. Entretanto, o site do jornal russo Komsomolskaya Pravda publicou que essa informação é falsa. Um homem chamado Arthur Karimbayev (Артур Каримбаев), que já havia conversado com Oleg anteriormente, disse que nunca ouviu falar sobre isso e que os habitantes locais o chamavam apenas de Borodin.

Um amigo de Oleg disse que ele era vegetariano e se recusava a comer carne ou alimentos gordurosos. Ele só comia apenas vegetais e mingau. Aparentemente, devido ao fato dele não comer carne, o povo Mansi brincava dizendo que ele era um "devorador de homens", porém não passaria de uma brincadeira.

Ficamos, é claro, consternados devido a morte de Oleg Borodin, porém ficamos felizes em poder atualizar nossos leitores sobre esse caso e darmos um desfecho a esse mistério que durou quase uma semana.

Até a próxima, Assombrados!

Criação/Tradução/Adaptação: Marco Faustino

Fontes (acessadas em 12/01 às 11h35):
https://pt.wikipedia.org/wiki/Incidente_do_Passo_Dyatlov
http://www.assombrado.com.br/2015/06/dyatlov-pass-montanha-dos-mortos.html
http://lenta.ru/news/2016/01/10/pereval/
http://v-kurse.ru/news/incidents/permskie_turisty_obnaruzhili_na_perevale_dyatlova_trup_cheloveka_1960181/
http://v-kurse.ru/news/incidents/opoznat_novuyu_zhertvu_perevala_dyatlova_ne_mogut_iz_za_plokhoy_pogody__1960205/
http://www.metronews.ru/novosti/s-vokzalov-peterburga-k-snezhnym-trassam-otpravilis-pervye-lyzhnye-strely/Tpopaj---R08tUo65q6row/
http://www.mk.ru/incident/2016/01/11/muzhchina-che-telo-nashli-na-perevale-dyatlova-pogib-nedavno.html
http://ria.ru/incidents/20160110/1357450067.html#14525226867983&message=resize&relto=register&action=addClass&value=registration
http://sobesednik.ru/rassledovanie/20160110-trup-s-perevala-dyatlova-nepodgotovlennyy-iskatel-ekzotiki
http://www.aif.ru/incidents/zhertva_mistiki_chey_trup_obnaruzhili_na_perevale_dyatlova
http://www.perm.kp.ru/daily/26478.5/3348571/
http://www.vedomosti.ru/library/news/2016/01/11/623486-pogibshego-perevala-dyatlova

http://lenta.ru/articles/2016/01/12/dyatlov/
http://v-kurse.ru/news/incidents/permyaki_mogli_obnaruzhit_na_perevale_dyatlova_trup_otshelnika_olega_1961154/
http://www.kp.ru/daily/26479/3349243/
http://lifenews.ru/news/179769
http://newinform.com/world/5145-obnaruzhili-dnevnik-olega-borodina-nasmert-zamerzshego-na-perevale-dyatlova.html
http://ura.ru/news/1052236582
http://tvzvezda.ru/news/vstrane_i_mire/content/201601141303-bzj4.htm
http://www.kp.ru/daily/26480/3349980/
Comentários