20 de dezembro de 2015

Chemtrails: Tudo o que você Precisa Saber!

Inscreva-se no canal clicando no botão abaixo:
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Eles são lançados primeiro lá, depois que vem pra cá :) Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes

Será que os governos estão usando os aviões para despejar em nossas cabeção agentes químicos ou biológicos com o objetivo de controlar a população, clima ou o quecimento global? As pessoas começaram a notar no final da década de 90 e desde então o assunto se tornou uma das maiores teorias da conspiração conhecidas. Vamos saber mais sobre os Chemtrails.

Fala Assombrados! Fazia muito tempo que eu queria falar sobre os chemtrails. Neste especial eu vou contar a história e mostrar fotos de aviões modificados para liberar agentes químicos ou biológico sobre nossos cabeças. Mas será que isso é verdade ou não passa de conspiração? Assista ou leia até o final que você vai descobrir....

As chamadas trilhas químicas ou chemtrails do inglês "chemical trail", são um suposto fenômeno que consiste, segundo os convictos de sua existência, em que trilhas de condensação deixadas por aviões estão compostas na verdade por produtos químicos ou agentes biológicos.

Os adeptos dessa teoria dizem que hoje os rastros demoram muito mais para dispersas e que existem muitos, mas muitos mais rastros no céus do que existiam antigamente.

O objetivo varia desde propósitos de controle do clima, desacelerar o aquecimento global, até provocar danos à saúde da população, que poderia levar inclusive a uma eventual redução populacional.

E esses chemtrails, sejam eles emitidos por combustível contaminado ou expelido por um lugar especial do avião, são facilmente identificados no céu, pois criam um rastro que se comporta diferente dos gerados por emissões normais de aviões. Ele demora muito mais para diluir e apresenta um padrão diferente, como ondulado, circular, entre muitos outros.

Existem milhares de sites e pessoas que estão estudando o assunto por conta própria, denunciando este grande problema.

É claro que a existência de trilhas químicas/biológicas nos céus foi refutada pela comunidade científica.

Vamos fazer uma grande pesquisa, voltar no tempo, conhecer a origem dessa teoria da conspiração, mostras as provas e depois saber se os Chemtrails são reais ou não...

A Origem da Conspiração

O fenômeno começou a ser divulgado no final dos anos 90 e de lá para cá vem ganhando força, se tornando uma das teorias da conspiração mais conhecidas da internet.

Nesta página do sobre teorias da conspiração, que já não está mais acessível, mas consultável através do Wayback, há um link para um arquivo chamado GENOCICE.TXT que contém uma sequência de mensagens de Richard Finke. A primeira parte provém de uma lista de distribuição chamada BIOWAR-L de setembro de 1997:

"18 de Setembro de 1997

[...]

As linhas brancas que enchem nossos céus não são trilhas de condensação. Estas linhas se expandem e permanecem no céu durante horas.

[...]

Agora dispomos das provas de que nosso governo está usando agentes químicos sobre zonas povoadas ou misturando com o combustível dos aviões militares. Alguma vez observaram as trilhas que deixam os aviões militares voando a grande altura? Olhe de novo.

Os aviões comerciais deixam uma bonita e não tóxica trilha de vapor com a sua passagem, como resultado da condensação das gotículas d'água ao se condensar depois de entrar em contato com o ar frio. A diferença é que essas trilhas desaparecem rapidamente. A diferença é o combustível usado, JP-8 100 que é realmente ruim.


Quando você olha o céu de Nova York pela manhã, pode ver aviões militares enchendo o céu de trilhas de grande grossura e que não desaparecem. Quando entram em contato com a luz do sol adquirem uma tonalidade púrpura e com o tempo desaparecem formando uma neblina.


[...]

Tudo isto tem o aspecto de uma manobra para reduzir a população."

Mas o artigo mais antigo na internet que fala sobre os chemtrails é de 8 de janeiro de 1999, e foi escrito por William Thomas. Nele estão relatados os depoimentos de várias pessoas que suspeitam das trilhas anteriores a 1999.

Wallace observa desde o verão de 1998 como os aviões que voam a grande altitude deixam algumas trilhas em forma de grade acima de sua casa. Cada vez que isto ocorre, "tanto minha mulher como eu notamos um sabor estranho na boca". Nesses casos, tanto ele como sua mulher, se encontravam "cansados e sem energias para fazer coisa alguma".

"[...]
Wallace e sua esposa não são os únicos preocupados com este tema. Em março de 1996, o Dr. Greg Hanford comprou uma câmera cara e alguns binóculos para vigiar trilhas brancas soltas pelos aviões sobre sua casa em Bakersfield, Califórnia. Hanford chegou a contabilizar até 40 ou 60 aviões em apenas uma manhã.

[...]

Pat Edgar tem observado o que os aviões soltam sobre o leste de Oklahoma desde um dia ensolarado de outubro de 1977, em que contou 30 trilhas no céu. 'Parece como se estivessem jogando o jogo da velha lá em cima. Isso não são aviões de passageiros.'

[...]

Rogers, não atribui sua doença estranha às trilhas misteriosas. Mas nem ele nem seus médicos podem explicar sua dificuldade para respirar, que começou pouco depois de que estas trilhas aparecessem em novembro de 1997, e está piorando.

[...]"


Este artigo é o ponto de partida dos chemtrails como conhecemos na atualidade. Pouco depois desse artigo ser publicado, em 25 de janeiro, William Thomas foi convidado ao programa de rádio de Art Bell e as "engrenagens" começaram a rodar.

A entrevista chocou e houve muito eco nos meios alternativos. Neste PDF aqui, se pode ver uma amostra que além disso, mostra o poder da auto-sugestão

"[...]
Depois da entrevista, Art Bell saiu fora de sua casa-estudo para ver como pulverizavam os aviões. Art ficou chocado ao ver os chemtrails e tanto ele como sua mulher adoeceram.

[...]"


Em maio daquele mesmo ano, William Thomas publicava um novo artigo:

"As amostras do céu analisadas
Por William Thomas e Erminia Cassani

Canadá, 22 de abril de 1999, Como aviões não identificados continuam disseminando chemtrails sobre os Estados Unidos e o Canadá, este escritor e a jornalista americana Erminia Cassani obtiveram provas de laboratório de amostras recolhidas do material pulverizado. As amostras foram analisadas pela Agência de Proteção de Meio Ambiente dos EUA.


[...]"


Art Bell chegou a criar uma página dedicada aos chemtrails. Segundo registros online, se pode rastrear o extinto site até novembro de 1999. Aqui é onde começaram a aparecer as imagens de aviões normais mostrados como armas de pulverização de agentes tóxicos.

Apesar do fenômeno ser descrito em 1997, por Richard Finke, os chemtrails têm certidão de nascimento. "Nasceram" oficialmente a princípios de 1999, tendo como "pai" William Thomas, e "mãe" Art Bell.

A Reportagem que Ajudou a Perpetuar os Chemtrails

Existem pessoas tão obcecadas com o tema dos chemtrails que até deixam frascos abertos às intempéries para coletar "amostras" das substâncias que supostamente caem ao solo do céu e da água da chuva.

Uma das substâncias mais procuradas é o alumínio, enxofre e bário. O bário é um elemento metálico quimicamente similar ao cálcio, porém, mais reativo. Essas pessoas levam as amostras para análise e quando encontram um pouco que seja de bário, anunciam aos quatro ventos que sua teoria da conspiração é correta.

O seguinte vídeo exibido no canal KSLA de Shreveport, Luisiana, em 2007, fala sobre as formações de trilhas de condensação na cidade de Stamps, algo que não deveria surpreender já que é um ponto onde cruzam muitas linhas aéreas com destinos entre a costa oeste, e o principal aeroporto de Atlanta, Orlando e Jacksonville.

.
"Chemtrails" em Stamps...Nada mais que trilhas normais deixadas pelo intenso tráfego de aviões sobre a região.
No referido vídeo acima, aparece Bill Nichols com a amostra que supostamente continha o bário. No vídeo original no Youtube, Bill postou vários comentários através do perfil "grandmacaesar", explicando como recolhia a água:

"Era água de chuva. Deixei no capô de uma camioneta no pátio traseiro da minha casa. Estamos a 25 milhas da interestadual mais próxima. Este é um condado muito pobre. A única indústria são os frangos, a exploração florestal, a agricultura. Não procurava atenção, procurava respostas. O pessoal do canal KSLA me disse que pagaria pela amostra para analisá-la e eu a entreguei. Os frascos estiveram ali por um mês. O veneno que havia na água estava cheio de bário."

O programa foi emitido em setembro de 2007 e a amostra foi analisada em agosto. Mas o que se poderia esperar encontrar em um pote deixado ao sereno no Arkansas durante o mês inteiro de agosto? Água suja? Talvez um pouco de pó procedente do solo? Arkansas é uma das zonas mais ricas em bário dos Estados Unidos. Mas se esperaria encontrar mais bário do que já existe na água da torneira?

Os resultados completos da análise podem ser visto na imagem a seguir:

A medição correta é 0,0688 ppm.

Segundo esta análise, a concentração de bário na água é de 68,8 ug/ l, ou 68,8 partes por mil milhões. No vídeo aparece que a concentração é de 6,8 partes por milhão, mais de três vezes a concentração máxima aceita.

Vídeos e Fotos que "Provariam" que Aviões estão Liberando Chemtrails

Existem na internet dúzias e mais dúzias de fotos e vídeos que "provam" que aviões estão liberando chemtrails. Vamos ver alguns.

Começo mostrando uma compilação em vídeo e após algumas imagens que mostram os mecanismo de distribuição dos agentes químicos:


.
Aqui vemos um aspersor instalado no final da aeronave.
Note que na parede do fundo se pode ler "Sprayer 05", "HAZMAT inside".
Esta foto mostra os dispositivos embaixo das cadeiras dos aviões
Um mecanismo de liberação dos Chemtrails
Outro mecanismo de liberação dos Chemtrails
Aqui o aspersor fica no final do avião
Olhe no canto de cada asa.
Olha quantos mecanismos de aperção de agentes químicos existe neste avião
Mais uma foto mostrando um mecanismo de aspersão,
Aqui vemos dois mecanismos de liberação dos agentes químicos
Para muitos, esta imagem seria a "prova definitiva" da utilização de aviões, podendo ser até mesmo comerciais, para a liberação dos chamados "rastros químicos". É possível ver o que seria um painel de um avião com alguns botões e chaves de "liga e desliga" de algumas funcionalidades do mesmo. Dentre esses botões, um deles chama a atenção, pois está escrito "CHEMTRAILS", e estaria ativo no momento em que a foto foi tirada.

Os Chemtrails são liberados por "OVNIs"?

Acima vimos muitas fotografias de aviões com equipamentos instalados para liberar sua característica "trilha química", agora dê uma olhada nesta imagem tomada no Colorado, EUA, em 2008 com uma câmera reflex.




A imagem ampliada. Não há nenhum avião. Há uma estranha esfera semitransparente, como uma bolha, que está gerando essa trilha química. Onde está o avião?




Um outro exemplo

Uma ampliação da parte em que nasce o chemtrail.




Agora que sabemos que os aviões ou OVNIs estão liberando Chemtrails, vamos conhecer melhor os objetivos, que seria causar doenças, controlar o aquecimento global e controlar o clima.

A Síndrome de Morgellons

Imagine por um momento que continuamente você tem a sensação de que pequenos insetos se movem por sua pele cheia de chagas que inflamam, e que alguma pequenas fibras coloridas saem delas. Soa como um filme de terror, não é mesmo? Pois há alguns anos, clínicas, hospitais e médicos recebiam cerca 20 telefonemas por dia de pessoas que diziam estar com estes sintomas.

Muitas destas pessoas se encontravam na Califórnia, EUA e um dos senadores desse estado, Dianne Feinstein, pediu um estudo científico para analisar esse fenômeno. Em 2008, os agentes públicos federais de saúde começaram a estudar as pessoas afetadas por essa estranha "síndrome" chamada de Morgellons (Confira a matéria aqui no AssombradO.com.br).

Nem é preciso dizer que Morgellons está insistentemente associada com os Chemtrails, em que poderia ser uma estrutura criada pela nanotecnologia que deu errado, muito errado e que estaria sendo pulverizada sobre a população...

O estudo custou cerca de 600 mil dólares e a conclusão é que a "doença de Morgellons" está presente apenas na mente dos pacientes. O estudo foi publicado no PLoS One, um repositório público de documentos científicos.

Os pacientes afetados expõem continuamente na internet, os seus sintomas e sofrimentos, e muitos procuram um médico que leve eles a sério. Alguns médicos atribuem os sintomas a uma forma de parasitose delirante, uma psicose em que as pessoas acreditam que estão infectadas por parasitas.

Há alguns anos, pesquisadores da Clínica Mayo publicaram um estudo sobre 108 pacientes afetados de Morgellons e não encontraram nenhum deles sofrendo de alguma doença física inusual. O estudo concluiu que as feridas de muitos deles foram causados "por eles mesmos ao se coçarem".

Esse último estudo tratou de ser mais amplo, englobando um volume importante de indivíduos, e tratando de identificar os sintomas dentro desse grupo. A intenção era dar aos cientistas uma melhor ideia do quão estendida está Morgellons.

Centraram-se em mais de 3 milhões de pessoas que vivem em 13 condados do norte da Califórnia. Todos os candidatos tinham seguro de saúde com uma determinada companhia. A região foi escolhida porque muitos casos dessa "doença" haviam sido reportados ali.

Analisando os registros médicos dos anos 2006 a 2008 a equipe encontrou cerca de 115 casos cujos sintomas se assemelhavam com os da doença de Morgellons. A maioria eram mulheres brancas de meia idade. Os dados obtidos indicavam que existem cerca de 4 casos de Morgellons para cada 100.000 indivíduos. É portanto uma patologia rara.

Aproximadamente 100 desses 115 casos aceitaram responder a uma bateria de perguntas, e ao redor do 40 aceitaram passar por uma bateria de exames físicos e psicológicos com vários dias de duração.

Foram realizadas análises e biopsias da pele em que procuraram dúzias de doenças infecciosas, fungos e bactérias. Mas os pesquisadores não encontraram nada que pudesse explicar os sintomas.
Não haviam sinais de uma causa ambiental, ainda que é certo que os pesquisadores não foram na casa de cada pessoa para inspecionar os seu meio cotidiano.

Tomaram fibras da pele de 12 pessoas, que foram analisadas no Instituto de Patologia das Forças Armadas. Tampouco encontraram algo estranho. Algodão e náilon era a composição da maioria das fibras. Nada que indique a existência de algum tipo de organismo que vivesse sob a pele do paciente.

Mas o mais destacável foram os exames psicológicos desses pacientes. Ainda que a maioria se encontrava dentro de parâmetros de normalidade, havia uma tendência à depressão acima da média, e também eram mais obsessivos quanto a alimentação.

Mas não apresentavam nenhuma patologia psiquiátrica, segundo os registros médicos e não foram observados mais tarde, indícios de nenhum trastorno delirante.
Então, o que eles têm? Os pesquisadores não sabem. Nem sequer sabem como chamar, optando por utilizar o termo "dermopatia inexplicável" em seus relatórios.

Mas a inexistência de evidências dessa doença não é uma evidência da inexistência da própria doença. Em todo caso, se esta evidência existe, é preciso procurar no âmbito da saúde mental, campo em que segundo um porta-voz da equipe de investigação do Centro de Controle de Doenças, eles não são especialistas.

O Aquecimento Global

No início da década de 90, o físico nuclear americano Edward Teller estava entre os primeiros cientistas para elaborar uma experiência para tratar da questão do aquecimento global. Ele especulou que o óxido de alumínio poderia ser injetado acima da troposfera e isso agiria como minúsculos espelhos e refleteria uma parte dos raios solares de volta para o espaço, diminuindo a temperatura. Supostamente isso nunca foi posto em prática.

Mas os adeptos da teoria dos chemtrails dizem que o governo ressuscitou a teoria de Teller com terríveis consequências para a saúde.

Algumas pessoas coletam água da chuva e levam para análise, na tentativa de encontrar níveis anormais de alumínio, e uma dessas amostras deu 20x mais alumínio precipitado em forma de chuva que o normal.

O Controle Climático

Aqui nem é preciso fazer parte da teoria da conspiração para saber que sim, aviões são usados para controlar o clima.

Aviões carregados com iodeto de prata, que concentram umidade e provocam chuva, são enviados para o meio das nuvens para semeá-las.

Para citar alguns exemplos, nas Olimpíadas de Pequim em 2006, a China bombardeou o céu com iodeto de prata para que não chovesse na cerimônia de abertura, e na Rússia, desde os anos 80 não chove durante grande feriados.

Eu recebi um em email de um leitor que morou na Alemanha e ficou sabendo que eu iria fazer uma matéria sobre Chemtrails. Leia o que ele escreveu:

"Tudo bem? Espero que sim. Meu nome é Gabriel, sou de Osasco, mas moro em Carapicuíba e tenho 21 anos.

Primeiramente parabéns pelo seus trabalhos de modo geral, percebo que vocês dois seguem crescendo muito, continuando desse jeito, o sucesso de vocês só tende a ascender cada vez mais.

Vi  há alguns dias que vocês pretendem gravar um especial sobre Chemtrails, acabei lembrando de duas fotos que eu havia tirado em julho de 2014, exatamente dia 3 de Julho.

Foram tiradas em um dia de manhã, eu estava na cidade de Munique na Alemanha a passeio.
Quando de manhã como de costume, pegamos uma caneca de café e fomos até a sacada para apreciar a vista e o vento fresco. Comecei a observar que no céu formavam-se traços, mas o mais interessante é que não eram aleatórios, eles tinham um certo padrão. Observando com mais calma pude ver que eram aviões caças que formavam os traços, e pareciam estar em uma altitude extrema.

Conversando com alguns alemães, eles me falaram algo bem interessante.
A Alemanha é um país em que a maior parte do ano faz muito frio, então seu maior lucro com turismo é no verão, com bastante sol para que as pessoas possam curtir um passeio no parque, andar de bicicleta, poder tomar um café, almoçar ou jantar ao ar livre nas calçadas e claro, beberem as tão famosas cervejas alemãs nos Biergarten. Nesse caso, qualquer sinal de tempo fechado com chuva ou frio seria uma  ameça aos lucros. Pude realmente notar que em dias ensolarados, logo cedo já tinham pessoas andando e etc, porém em dias nublados, o movimento era fraco por toda parte. Sabendo disso, o governo investe em tecnologias que possam "controlar" o tempo.
Segundo os alemães as Chemtrails deixadas pelos caças eram para destruir qualquer nuvem que pudesse estragar o dia. Na foto não da para perceber muito, mas era possível ver nitidamente que ao redor da cidade haviam nuvens, mas acima da mesma estava o céu limpo e o sol brilhando.

Depois dessa informação, comecei a notar os céus com mais frequência e uma coisa que reparei é que quando os caças começavam a aparecer, era porque havia alguma nuvem. Eles começavam as largar aquela "fumaça" próximo dela e fazendo uma espécie de desenho de malha. Logo após alguns minutos  aquela nuvem não estava mais lá.
Obs.: Aparentemente o investimento era alto, pois eram vários caças seguidos. Também não era possível ouvir qualquer som dos aviões.

Alguns alemães falaram também que assim como eles podem tirar nuvens, o governo também pode colocá-las quando fosse necessário. Mas esse fenômeno não cheguei a presenciar. Ouvi boatos de que essa tecnologia de controle do tempo é alemã e que já teve países pagando por ela.

No anexo estou mandando as duas fotos que citei no começo, vocês podem usá-las no vídeo se acharem útil e também fiquem a vontade para acrescentarem o contexto da mesma se quiserem. Qualquer dúvida é só me perguntar, que se eu souber responder será um prazer.
Me desculpem pelo tamanho do texto, acabou ficando maior do que eu esperava.. rsrs"

Foto enviada pelo leitor Gabriel. Foram tiradas na Alemanha.

Outra foto onde é nítido os rastros no céu, com o objetivo de evitar a chuva.


Já vimos os mecanismos de dispersão dos rastros químicos e as doenças causados por eles. Então temos de fazer a pergunta: É real o fenômeno dos Chemtrails? Não assombrados, não existem os chemtrails. Vamos explicar os vídeos e as fotos exibidos acima, além de explicar o que são os riscos no céu.

A Explicação da Reportagem

É evidente que há vários erros. Não é 6,8 ppm, é 68,8 ppb, ou 0,0688 ppm. O limite máximo aceito pela CDC é de 2 ppm de concentração na água. A amostra tem uma concentração muito abaixo do limite máximo.

O próprio Jeff Farral, autor da reportagem do canal KSLA, se retratou do que disse em sua reportagem:

"Sim, fiz correções em meu primeiro relatório de quase dois anos, após perceber este embaraçoso erro. Não é algo do que estou orgulhoso. Infelizmente, minha primeira versão do relatório estendeu-se pela internet antes de que eu pudesse corrigi-lo e a versão errônea segue circulando."

Simplificando: a grande repercussão causada pelo canal de TV KSLA e que ajudou a "cravar" de vez essa teoria da conspiração,

O canal errou ao informar, houve uma retificação, mas adivinhem qual versão circula até hoje?

A Explicação do Vídeo

Efetivamente todas as chemtrails são precedidas por uma zona de esfriamento, em que o vapor é transparente. Este vazio entre o motor e a trilha pode ser muito longo ou muito curto. Tão curto como a própria largura da asa ou muito longo, fazendo que a trilha apareça muito atrás do avião.

O tamanho do espaço vazio com vapor transparente depende de:

01 - A diferença de velocidade entre o avião e o vapor expelido: Quando o avião está em manobra de aterrissagem, tendo baixado sua velocidade, e a potência dos motores, a trilha de condensação é produzida mais próxima dos motores do que quando se encontram em velocidade de cruzeiro.

02 - A diferença de temperatura entre o vapor e o ar do exterior: Quando O avião voa a maior altura, o ar do exterior é mais frio, e o vazio com vapor transparente é mais curto. Quando simplesmente faz mais frio, ocorre o mesmo. Os motores de última geração são muito eficientes, e expelem gases a temperaturas mais baixas, o que provoca espaços mais curtos.


Uma curta trilha de condensação gerada por um A388


Uma grande trilha de condensação gerada por um A340-500






No vídeo vista anteriormente, existe grandes e pequenas trilhas de condensação. Para explicar, separamos algumas imagens dele para analisar. 

Os círculos dos quadros A, B e D na imagem abaixo, mostram emissões que não se ajustam à definição de trilhas de condensação, já que não existe a parte em que o vapor aparece transparente, e que normalmente é produzido entre a saída das turbinas a 1.000ºC e a área de aparecimento de cristais de gelo. Nas fotografias B e C, além disso podemos ver outras trilhas que aparentemente surgem da fuselagem.
Nas fotografias A, B e D o vazio entre a "trilha química" e o motor é aproximadamente do tamanho de uma turbina, algo perfeitamente normal. As fotos B e C, mostram outra trilha que não se parece à dos motores. No vídeo acima, podemos ver em movimento no segundo 0:40. O vapor parece sair do extremo da fuselagem, pelo qual, se poderia pensar que é a saída de fumaças do motor da Unidade de Energia Auxiliar (APU). Esta turbina serve para produzir energia elétrica para dar partida nos motores principais e para alimentar os sistemas quando estes ainda estão desligados. Em ocasiões, é usada em voo, quando existe algum problema com os geradores associados aos motores principais. Abaixo vemos uma Unidade de Energia Auxiliar (APU):









A Explicação das Fotos

As fotos exibidas anteriormente tem explicação. Confira abaixo:

Se trata de um a Boeing 777-200LR Worldliner, especificamente um WD001, um avião que foi utilizado para provas de voo. A fotografia original, antes de algum engraçadinho modificar, é esta. A imagem pode ser vista com mais detalhes no site da Boeing.





Nesta imagem se pode ver uma configuração similar descrita no livro "Inside Boeing: Building the 777", pag. 76, descrevendo uma prova realizada em 1994.

"A prova consiste em comprovar o comportamento do avião ao variar a posição do peso sobre o centro de gravidade. Se pode mover o peso para diante e para trás com um sistema de lastro dinâmico. Este sistema é composto de 48 barris, onde cada um é capaz de levar 460 libras (208 quilos) conectados por tubos a uma bomba. Um sistema informatizado faz o segmento ao combustível armazenado nos depósitos, o combustível que está sendo consumido, a localização das pessoas, o lastro, a posição dos flaps, a configuração do trem de aterrissagem e a quantidade de água nos barris. Toda essa informação é processada para obter o centro de gravidade do avião."

Esses tubos parecem muito suspeitos. Mas, por que estão apontando para a frente? Porque este avião não está desenhado para pulverizar toxinas, mas sim, para tomar amostras da atmosfera. Este é um avião de investigação, com registro N701BN, propriedade da Battelle Pacific NW Laboratories - imagem abaixo. É quase único em sua classe, assim que é pouco provável que seja o causador de todas as trilhas químicas que vemos por aí. O aparelho realiza tarefas de investigação sobre os contaminantes da atmosfera, e os resíduos de combustão dos hidrocarburetos. Também investiga as propriedades das nuvens e das trilhas de condensação. 
Olhe os dois mecanismos instalados na lateral do avião.
Na verdade, sim, é um dispositivo de fumigação, mas bastante inócuo. É um NKC-135A (55-3128) das forças aéreas dos Estados Unidos. É um avião de reabastecimento de combustível modificado para aspergir água. Serve para comprovar o comportamento dos aviões das forças aéreas ante a formação de gelo sobre sua superfície. A imagem abaixo mostra ele em funcionamento. Para saber mais clique aqui.

Este outro avião é muito interessante. É um E-6B "Tacamo". O E-6B é utilizado pelo Comando Estratégico dos Estados Unidos como um centro de comunicações no ar. Se pode ver o logotipo da marinha no lado direito. O E-6B é uma versão modificada do Boeing 707-320. Se pode apreciar na imagem acima, além da trilha que está deixando pelo esvaziamento do combustível, a trilha que formam os dispositivos da ponta das asas (Wingtip vortices) pelo decrescimento da pressão causada por sua forma. As grelhas de ventilação de combustível foram movidas da ponta das asas a uma zona entre a fuselagem e os motores com o fim de separá-lo dos equipamentos de comunicação ESM/SATCOM localizados nas pontas das asas, que têm este aspecto mostrado na foto abaixo.








A parte ressaltada na imagem é a abertura da antena de ELF de arrasto. Se trata de uma antena em forma de cabo que se estende por várias dezenas de metros quando o avião está em voo e que serve para se comunicar com os submarinos.






Esta fotografia mostra dispositivos (flares) para a liberação de iodeto de prata fixados ao depósito de um avião de grande tamanho. Estes dispositivos são utilizado para semeadura de nuvens com a finalidade de provocar chuva ou evitar granizo. Este avião pertence à companhia Weather Modification Inc. Na imagem acima, estão os WMI para sinalizadores removíveis que são montados na barriga da fuselagem do avião. Quando disparados, os cartuchos entram em ignição e são ejetados da aeronave. Nesta configuração, o WMI Lear 35A está equipado com quatro blocos contendo 102 cargas ejetáveis, um total de 408 unidades.
Esta outra fotografia mostra a cápsula que contém o sistema de reabastecimento de combustível em voo de um Boeing C-135FR Stratotanker. Este avião quando está em voo, pode liberar duas mangueiras, nas quais, podem se conectar dois aviões para reabastecer:






Esta foto não é verdadeira, mas apenas uma manipulação digital, assim como muitas outras anteriores. Para saber mais, clique aqui!
A Explicação do Chemtrails liberado por OVNI

Será que é mesmo um OVNI o que vimos nas fotos? Não! O que se vê nessas fotografias são aviões sim.

Em algumas ocasiões, quando se toma uma fotografia de uma trilha de condensação, não se pode ver o avião. Isso se deve principalmente pelo desenfoque do objetivo e diversas condições meteorológicas, que unidas à cor do avião, fazem o aparelho ficar quase invisível.

Mas existe mais um fator. Se o avião reflete a luz do sol, aparece um brilho sobre a sua fuselagem.


Existe uma técnica fotográfica que se chama Bokeh (do japonês boke ぼけ, "blur") que consiste em desfocar o fundo para ressaltar o primeiro plano e assim, evitar distrações. Todos nós já vimos alguma vez.

Isto é um bokeh. Observe o que ocorre nos pontos luminosos do fundo na imagem acima. Parecem bolhas de luz.


Esta é uma sequência de fotografias disponibilizadas com as devidas explicações pelos sites Metabunk.org e contrailscience.com. Observe como a "bolha" aumenta à medida em que se aumenta o desenfoque...






Notam alguma semelhança entre estas duas fotografias?





Aumenta o Aquecimento Global!

Os rastros podem causar o efeito inverso! As nuvens tipo cirrus irradiam mais energia de calor do que refletem a energia solar para o espaço, contribuindo para o aquecimento global. Elas se formam na mesma altura do voo de cruzeiro dos aviões, a 10.000 metros, e os rastros produzidos pelas aeronaves podem se unir as nuvens, aumentando a mesma e causando um aumento do clima.

Agora, o que é uma nuvem cirrus e uma esteira de fumaça? É difícil diferenciar. Mas teve um período em que todos os aviões dos EUA ficaram no solo. Foi no ataque do 11 de setembro. Durante 3 dias, todos os aviões do país foram impedidos de decolar, e as pessoas tiveram a chance de ver como era o céu sem os rastros deixados pelos aviões. O resultado? A temperatura aumentou em 1ºC! Isso é muito bem explicado na matéria que fiz. Clique aqui para ler. Não esqueça que estamos falando dos EUA, um dos locais onde tem mais aviões voando no mundo. Não se aplica ao planeta inteiro, ok?

A conclusão aqui é que não são os chemtrails, mas sim os rastros naturalmente deixados pelos aviões que estão influenciando o clima. A solução? Voar a noite, quando não tem Sol, ou diminuir o número de voos.

Não Confunda Isso com Chemtrails!

Mas Mateus, estou olhando para o céu e vejo uma trilha de condensação. É um chemtrails então, correto?

Existem rastros no céus gerados por diversos fatores, sejam eles naturais ou não. Abaixo, vou mostrar uma pequena compilação de rastros no céu e o que eles são. Assim, você vai entender que quando olhar para o céu e ver um rastro, ele não significa que é um chemtrails, ok?

- Contrails: As contrails ou trilhas de vapor, são nuvens longas e finas de cristais de gelo que aparecem depois da passagem de um avião por uma área de ar frio. Normalmente aparecem quando o avião voa a 30.000 pés (9144 metros), ou seja, a velocidade de cruzeiro. Você não vê esses rastros quando o avão está subindo ou pousando, pois não está frio o suficiente. Se além disso, o ar possui suficiente umidade, a trilha pode permanecer visível por muito tempo antes de se dispersar, ficando visível por até 24 horas.

Frequentemente podem ser vistas muitas trilhas, formando um emaranhado no céu, como na seguinte fotografia.

- Desenhos no céu: Consiste na realização de figuras no céu, utilizando trilhas de fumaça. São realizadas a uma altitude baixa por aviões pequenos. Podem se assemelhar às trilhas de vapor mas são diferentes. Geralmente são geradas injetando óleo no motor quente.


- Escritura em matriz de pontos: Nesta técnica utilizam-se 5 aviões voando em paralelo separados por cerca de 70 metros. É 17 vezes mais rápida que a técnica anterior, escrevendo uma letra a cada 4 segundos. Enquanto os pilotos voam em paralelo, um computador situado no avião líder envia sinais de rádio aos outros aviões para ativar os emissores de fumaça, criando mensagens que permanecem no céu:

.
- Trilhas de fumaça em voo acrobático: Bastante similar aos desenhos no céu, as trilhas de cores são utilizadas em vôos acrobáticos e desfiles militares. Estes são os Red Arrows do Reino Unido:

.
Inclusive os planadores podem realizar acrobacias com trilhas de fumaça geradas em depósitos colocados nos extremos das asas.
- Pulverização de colheitas: É a pulverização sobre plantações com fertilizantes, pesticidas, fungicidas ou desfoliantes. Normalmente são realizados utilizando pequenos aviões, helicópteros ou, ultimamente, veículos aéreos não tripulados.



- Pulverização de pesticidas: Em ocasiões, grandes áreas são fumigadas para o controle de mosquitos. Para isso, são utilizados aviões de maior tamanho mas precisam aspergir bem perto do solo. Na foto abaixo, um C-130 fumigando em baixa altitude:



- Trilhas de fumaça para avaliação: Em certas ocasiões, são instalados emissores de fumaça nas asas dos aviões para observar as turbulências que produz a sua aerodinâmica:



- Ruas de nuvens: Em determinadas condições atmosféricas, podem surgir nuvens com formas estranhas. Estes estranhos estrato-cúmulos chamados "ruas de nuvens" se formaram sobre o mar de Okhotsk, ao norte de Japão em junho de 2007:

Nesta foto de satélite, se pode apreciar como se formam essas nuvens.



- Semeadura de Nuvens: Em alguns países, são utilizadas técnica de aspergir as nuvens com pequenas partículas como o iodeto de prata para produzir chuva ou evitar o granizo. O processo é realizado por meio de lançadores instalados na fuselagem que são disparados contra as nuvens. Os disparos às nuvens produzem uma trilha muito fina que praticamente é quase invisível a partir do solo. Além disso, são realizadas em cima ou dentro da nuvem, o que praticamente impossibilita a sua visualização.

Um avião realizando essa aspersão. 





- Luta contra o fogo: Os aviões são frequentemente utilizados na luta contra o fogo. Derramam sobre a área de um incêndio, um retardante que pode ser de cor avermelhada, ainda que às vezes, é simplesmente água. A seguinte imagem mostra uma operação realizada em Missoula, Montana, EUA. Note que é feita a uma altitude relativamente baixa:




- Esvaziamento de combustível: Quando um avião decola, normalmente tem os tanques cheios de combustível. Em ocasiões, nesse momento da decolagem, o avião está pesado demais para aterrizar com segurança. Se o voo precisa ser mais curto do que o esperado, é preciso aliviar o peso. Isto pode ser feito voando em círculos até que o combustível se esgote, mas alguns modelos de aviões possuem um sistema de descarte de combustível que permite poupar tempo nessa operação. Em alguns aviões, essas saídas se encontram nas asas e em outros na cola.

A seguinte foto mostra um avião da Navy, um E-6B Mercury (TACAMO) esvaziando os seus tanques:



Assim é como se vê a partir do solo
O que a Ciência diz?

A ciência explica que os rastros de fumaça existem desde quando o avião começou a voar, e geralmente ocorre quando o gás quente do motor, que é basicamente gás carbônico e vapor d´água, encontra o ar úmido e gelado das altas altitudes, condensando esses gases em cristais de gelo visíveis gerando a esteira de fumaça.

A duração de um rastro depende da umidade na atmosfera e da altura em que está a aeronave. Quando mais úmido, mais vai demorar para ela se dispersar.

Portanto, a comunidade científica se mostra cética com respeito à existência dos chemtrails e considera que se tratam na verdade, de simples trilhas de condensação ou de nuvens cirrus.

Conclusão

Assombrados, os dois lados, os defensores e os céticos, dizem que o combustível dos aviões tem agentes químicos que causam poluição. A diferença é que um lado diz aditivos secretos estão sendo colocados nos combustíveis ou sendo liberados por um lugar específico nos aviões.

Apesar de ser tentador supor que os governos, em parceria com empresas de aviação, estão pulverizando nos habitantes do planeta agentes químicos ou biológicos, com os mais diversos fins, isso não passa de pura teoria da conspiração.

Os rastros que vemos no céu nada mais são do que trilhas condensadas, o ar quente emitido dos motores dos aviões encontra o ar frio e ocorre a condensação da água. É basicamente a mesma coisa que acontece quando você fala em um lugar muito frio. Não sai fumaça da sua boca? O ar vem quente de dentro do seu corpo, e quando ele encontra o ar frio da atmosfera, o vapor d´água condensa.

E porque umas trilhas demoram horas para dispersar? É por causa da umidade. Quanto mais úmido, mais vai demorar.

Outra coisa é que as pessoas dizem que hoje vemos muito mais riscos no céu que antigamente. Ora, é porque temos muito mais aviões no céu voando! Só no Brasil, em 10 anos, cresceu em 40% o número de passageiros da aviação.

Além disso, não é porque existe uma trilha no céu que é uma pulverização química ou agente biológico. Como você viu, essas trilhas podem ser muitas coisas, como simples contrails, pulverização agrícola, shows ou até mesmo fenômenos naturais, como as ruas de nuvens ou cirrus.

Mas Mateus, e a Síndrome de Morguellons? É uma doença misterioso que as pessoas relacionaram a Chemtrails, mas não existe nada, nenhum estudo que embase isso.

Outra coisa é que se ouve-se elementos químicos estranhos nas turbinas do aviões, como o alumínio, iria causar dano ao motor ou aparecer acumulo de metal no tubo de escape. É o mesmo princípio com os carros. Abasteceu com combustível adulterado, o carro começa a falhar e ficar ruim.

A alta concentração de alumínio pode ser explicada por causa do composto emitido pela barriga do aviões militares para confundir os radares inimigos.

Uma outra coisa interessante, é que não são os aviões comerciais que estão emitindo compostos de alumínio a fim de controlar o clima, mas sim aviões preparados especificamente para isso, como você pode ver nas fotos que mostrei anteriormente. Testes e mais testes foram feitos com o combustível usado na aviação comercial e não encontraram níveis elevados de alumínio.

E os chemtrails estão controlando o clima, desacelerando o aquecimento global? Não são os chemtrails, mas sim o contrails, que são os rastros liberados por todos os aviões que estão no céu e que se comportam como nuvens. Esta é uma consequência indireta do número de voos. Quanto mais voos, mais rastros, e quanto mais rastros, mais nuvens, e quanto mais nuvens, mais elas refletem os raios solares. Esse fenômeno chama global dimming ou escurecimento global. Ao contrário, esse rastros podem se associar em nuvens tipo cirrus e acusar o efeito inverso.

Assim assombrados, fica claro, pelo menos para mim, que por enquanto, os governos do mundo não estão pulverizando agentes químicos ou biológicos sobre nossas cabeças.

Uma coisa é certa. Quanto mais aviões no céu, mais vamos aumentar o aquecimento global. Algo precisa ser feito

Tradução/Adaptação: rusmea.com & Mateus Fornazari

Fontes:
http://www.drjudywood.com/articles/erin/erin7.html
http://contrailscience.com/barium-chemtrails/
https://www.youtube.com/watch?v=XtxT-vlus0E
http://contrailscience.com/where-did-all-the-planes-go/
https://www.metabunk.org/debunked-holographic-circular-plane-or-flying-saucer-leaving-chemtrails-bokeh.t551/#post-9081
http://contrailscience.com/contrails-and-chemtrails-the-ifaq/
http://global.britannica.com/science/vapor-trail
http://web.archive.org/web/20010515212323/http://www.azwest.net/user/slim/
http://web.archive.org/web/19990503013500/ens.lycos.com/ens/jan99/1999L-01-08-05.html
http://www.phoenixarchives.com/contact/1999/0299/022399.pdf
http://web.archive.org/web/19990508051059/ens.lycos.com/ens/apr99/1999L-04-22-01.html
http://web.archive.org/web/19991127154316/http://artbell.com/contrails.html
http://archive.is/RfEFo/image
http://www.yamaha-motor.co.jp/sky/history/
http://www.sobrenatural.org/materia/detalhar/4522/global_dimming___escurecimento_global/
http://ciencia.hsw.uol.com.br/semeando-nuvens.htm
https://pt.wikipedia.org/wiki/Cirro_(nuvem)
Comentários