21 de julho de 2015

Assassino de Garotinha Acredita Estar Sendo Assombrado Por Seu Fantasma na Prisão


Por Marco Faustino

O assassino de uma garotinha chamada April Jones afirma que ele é assombrado pelo fantasma dela, que vem visitá-lo em sua cela na prisão. Mark Bridger, assassino condenado a prisão perpétua, disse a um colega de cela, que ele é torturado por visões da garotinha a noite.

Mark Bridger, 48 anos, trabalhava em um abatedouro. Ele mantinha pornografia infantil e até mesmo fotos de jovens mortos em seu notebook, quando atraiu April Jones para seu carro, uma Land Rover, e a sequestrou na noite de 01 de outubro de 2012. A garotinha brincava com sua bicicleta rosa perto de sua casa na propriedade Bryn-y-Gog, na pequena cidade de Machynlleth, no País de Gales. Segundo a polícia ele abusou sexualmente dela, matando-a e descartando seu corpo em seguida.

Mark Bridger (a direita em verde e amarelo), foi condenado
a prisão perpétua pelo sequestro e morte de April Jones
Mark Bridger disse a outro prisioneiro, seu colega de cela, que ele é torturado por visões de uma criança de cinco anos de idade, que aparece em sua cela durante a noite. As afirmações estão incluídas nos documentos judiciais obtidos pelo jornal britânico Daily Mirror. Eles nunca se tornaram públicos durante o julgamento de Bridger.

Em uma declaração de uma testemunha de acusação, que no caso era o próprio colega de cela de Bridger, foi dito: "Ele me disse que acha que foi visitado por um fantasma à noite. Ele acredita que esse fantasma era o de April Jones, que é trazido a ele por um outro fantasma do sexo masculino. Quando ele me contou sobre os fantasmas, Bridger estava visivelmente abalado".

Até esse ponto do texto é a parte principal da notícia, e que provavelmente levou você a ler após ter visto o título. A partir deste ponto será relatado um pouco mais sobre o aconteceu com April Jones, portanto, caso não veja necessidade de continuar, pode parar de ler por aqui.

Bridger alegou que ele acidentalmente atropelou April, e não se lembrava do que aconteceu depois, uma vez que ele dizia estar bêbado. O colega de cela disse que ele lhe contou a mesma história quando ambos estavam sendo mantidos sob custódia no presídio de Manchester.

Esse colega de cela acrescentou: "Ele afirmou que ele tinha atropelado uma jovem chamada April Jones acidentalmente e a matou, mas que a polícia não tinha acreditado nele e ele havia sido acusado de seu assassinato. Bridger foi categórico em dizer não houve abuso sexual".

"Fiquei chocado com isso, porque ele estava muito feliz em me dizer que ele tinha matado ela, mas parecia desesperado para enfatizar que não havia acontecido nada em termos sexuais", continuou.

"Bridger, em seguida, disse-me que havia sangue em sua casa, e que ele tinha tentado limpar. Ele também mencionou em certo ponto, que ele correu para o banheiro para vomitar", completou.

O colega de cela ainda disse que Bridger admitiu ter lavado as roupas que ele estava usando quando ele matou April, também limpando o sangue dela de dentro de seu carro, e do parachoque dianteiro do seu Land Rover.

O presídio de Wakefield, apelidado da "Mansão dos Monstros" devido
ao alto número de criminosos de alta periculosidade.
Bridger disse à polícia que ele havia matado April, mas nunca revelou o que ele fez com seu corpo e mesmo após meses de exaustivas buscas, os policiais não conseguiram encontrá-la.

O sangue de April e 17 fragmentos de crânio foram descobertos mais tarde na lareira da casa de Bridger. Tudo o que os pais de April puderam enterrar no funeral realizado no mês de setembro de 2013 foram pequenos pedaços de ossos.

Ele não se declarou culpado das acusações contra ele, sujeitando os pais da garotinha, ainda em luto, a passarem por um sofrido julgamento que durou cerca de cinco semanas.

Mark Bridger atualmente está preso na presídio de Wakefield, apelidado de "Mansão dos Monstros", uma vez que ele é reconhecido por abrigar um alto número de criminosos sexuais, pedófilos e assassinos de alta periculosidade. O colega de cela na época, que testemunhou contra Bridger, foi solto este ano este após cumprir sua pena. Ele deseja que sua identidade permaneça no anonimato.

No anonimato também seguirá o que de fato aconteceu com April Jones, permanecendo a sombra das árvores, e que talvez nunca encontre seu descanso. A luz da Justiça, os vivos assim fizeram sua parte, resta saber, considerando haver outro plano, o que outra luz poderá ainda iluminar este caso, para que a Justiça seja finalmente plena.

Tradução/Adaptação: Marco Faustino

Fontes:
http://www.mirror.co.uk/news/uk-news/april-jones-mark-bridger-claims-6082450
http://www.dailymail.co.uk/news/article-3164846/April-Jones-killer-says-haunted-ghost-five-year-old-prison-cell-Court-papers-Mark-Bridger-confessed-fellow-inmate-killed-her.html
Comentários