24 de junho de 2015

Misterioso feixe de luz no céu de Indiana, EUA? A Ciência explica!




Por Marco Faustino

Uma animação postada no Imgur, no último domingo (21), já alcançou quase 2 milhões de visualizações ao mostrar um feixe de luz acima da nuvens se movendo muito rapidamente de um lado para o outro, enquanto uma tempestade se aproximava da cidade de Greenwood, Indiana, EUA. A causa do fenômeno não é totalmente esclarecida, mas a teoria principal é que ele pode ter sido causado por descarga atmosférica em uma nuvem de tempestade. No entanto muitos creditam isso a atividades conspiratórias do governo americano, OVNI, assim como também que isso teria sido causado por um balão meteorológico ou até mesmo metano.

Um vídeo postado no Youtube, também no domingo mostrando este fenômeno, já passou da marca de 280.000 visualizações. No vídeo o Sol é praticamente encoberto, ficando atrás de uma nuvem, mas à esquerda um feixe estranho de luz parece se mover continuamente ao longo do céu. Em certa ocasião ele desaparece rapidamente antes de retornar, deslizando pelas nuvens e saltando novamente.

A explicação científica para o que está acontecendo é quase certamente ligada a um fenômeno atmosférico conhecido como "parélio". Isso ocorre quando um halo luminoso aparece ao redor do sol, e quando a luz interage com os cristais de gelo na atmosfera. Segundo a NASA, um parélio ocorre quando uma descarga atmosférica muda o campo elétrico "acima de uma nuvem carregada de cristais de gelo que estavam refletindo a luz solar". Esta mudança no campo elétrico faz com que os cristais geométricos encontrem uma nova orientação e reflitam a luz solar de forma diferente.

O resultado é que o parélio, que anteriormente se parecia como um feixe de luz estacionário, parece agora saltar. Várias ocorrências do fenômeno têm sido relatadas no site io9.

"Rapidamente o campo elétrico antigo pode ser restaurado, fazendo com que os cristais de gelo retornem à sua orientação original", acrescenta a NASA.

Representação dos raios incidentes e refratados durante a formação
de parélios em relação ao Sol no horizonte (imagem: Astrosuf)
Aprofundando mais um pouco poderíamos dizer que parélios são criados quando a luz solar é refratada por grandes cristais hexagonais de gelo, como aqueles de flocos de neve, quando passa por nuvens altas e frias. Eles geralmente aparecem como duas manchas coloridas de luz, uma em cada lado do sol e, apesar de raros, podem, em teoria, serem vistos em qualquer lugar do mundo e em qualquer época do ano. Os cristais agem como prismas, de modo que, quando a luz passa através deles, sofre inclinação de exatamente 22 graus antes de atingir os olhos dos espectadores para então criarem a ilusão.

Se os cristais estiverem localizados mais aleatoriamente em nuvens, um anel completo em torno do Sol é visível, chamado de halo. Entretanto se os cristais estiverem mais concentrados no ar, tornam-se dispostos em linhas verticais, de modo que a luz solar é refratada na horizontal, para então criar os parélios.

Se o fenômeno é visto ao nascer do sol, os parélios movem-se gradualmente para longe do sol, mas sempre ficam na mesma altura, assim as três "esferas" parecem ter a mesma distância no horizonte. Eles são mais avermelhados quando eles estão próximos do sol e desvanecem-se ao amarelo, laranja e azul, a medida que se afastam. As cores do parélio podem se fundir em um halo branco em alguns casos.

Parélio registrado na cidade de Fargo, Carolina do Norte, EUA, em 18 de Fevereiro de 2009
e que nos mostra o que seria parecido com "3 sóis" no horizonte.
Parélio registrado na cidade de Battambang, no Camboja, em 1 de Abril de 2015






Parélios são bem raros, mas parélios com tal movimentação são muito mais raros. Talvez o mais recente vídeo possa ajudar a esclarecer sobre como eles se formam.

Tradução/Adaptação: Marco Faustino

Fontes:

http://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-3136061/What-mystery-beam-light-clouds-Strange-jumping-sundog-caused-shifting-electric-fields.html
http://apod.nasa.gov/apod/ap111108.html
http://www.astrosurf.com/skyscapes/otica/parelio.htm
Comentários