9 de maio de 2015

Oak Island. Resumão 7º Episódio da 2ª Temporada

Confira aqui o resumão de como foi o 7º episódio da 2ª temporada de Oak Island...

No final tem um vídeo meu sobre o assunto...

Fala Assombrados! Seguinte, quase todo o episódio mostrou a equipe na Escócia, onde aprenderam muitas coisas interessantes. Na ilha mostrou a drenagem do pântano e escavações numa área nova, chamada de ponto calvo.

Drenando o Pântano

Antes de partir para a Escócia, Rick Lagina, Charles Backhouse e Dave Blankenship vão para o pântano instalar o equipamento para drená-lo. Neste ano eles tem uma bomba mais potente, aliás, uma não, várias. Vão turbinar a drenagem e em alguns dias o pântano deve estar seco.

O programa mostra que a água do pântano não pode ser jogada no oceano, mas sim deve ser levada para locais a alguns quilômetros dali.

Enquanto o pântano vai sendo drenado, todos embarcam para a Escócia. Antes, vamos falar do ponto calvo.

Cavando no Ponto Calvo

Em Oak Island existe um local chamado "Ponto Calvo", uma pequena região onde misteriosamente não crescem grandes árvores. Ninguém sabe explicar o porque.

Dan Blankenship diz que deve ser porque deve existir túneis lá embaixo, e esses túneis devem levar a alguma armadilha.

Eles vão cavar com uma escavadeira que chega até 3, 3.5 metros de profundidade atrás desse túnel.

Para determinar o local onde escavar, Dan Blankenship usa da radiestesia. Isso mesmo! Ele anda pelo local e quando as varetas se cruzam ele marca para cavar ali.

Foi usando radiestesia que ele determinou o local de perfuração do poço hoje conhecido como 10x.

A escavadeira chega e Jack Begley, Craig Tester e seu afilhado supervisionam a perfuração. Eles fazem dois buracos no solo atrás de madeira, mas nenhum dos dois resulta em nada.

A radiestesia é boa para indicar onde tem água, mas não consegue indicar com precisão a que profundidade. Assim, como a escavadeira só cava até 3.5 metros, pode estar mais profunda a madeira da armadilha.

Craigh Tester diz que a busca não acabou e que vai trazer sonares de varredura para ver se acha os túneis.

Vamos para a Escócia agora :)



Escócia: Saltcoats

A equipe é levada para a pequena cidade de Saltcoats, onde encontra novamente Kathleen McGowan e um novo personagem na série Alan Butler, um escritor inglês que realizou uma extensa pesquisa sobre a Ordem dos Templários e vários mitos e histórias ligadas a ele.

Antes de continuar, vamos recordar que no episódio passado, Marty e Alex Lagina foram para a França onde eles visitaram locais onde estavam o tesouro Cátaro e Templário que acreditam estar enterrado agora em Oak Island: Montsegur, Rennes-Lle-Chateau e Alet-Les-Bains. Depois de Alet-Les-Bains, os templários levaram os tesouros para Saltcoats. Mas por quê?

Butler leva a equipe a poucos passos de onde estão para um mirante, onde mostra que a região é um porto natural, bem protegido, um local onde os franceses não iriam na época que os templários fugiram da França.

McGowan diz então que os tesouros sagrados foram para o porto, mas eles teriam que ficar em solo sagrado, então foram levados para Kilwinning Abbey.



Escócia: Kilwinning Abbey

Kilwinning Abbey é considerado um dos locais mais sagrados da Escócia. É um monastério construído por um grupo de monges chamados Tironenses, que tiveram origem na cidade de Tiron na França.

Esses monges eram construtores e ao longo dos anos desenvolveram conhecimentos surpreendentes em arquitetura e engenharia, o que levou eles a construírem mais de 100 mosteiros e conventos na França, Inglaterra, Irlanda, País de Gales e Escócia.

O interessante é que além de saberem construir para cima, eles também eram especialistas em construir embaixo da Terra, em sistemas de túneis. Um exemplo do que fizeram foi o túnel que sai da capela de Rosslin e vai para um castelo nas proximidades.

O motivo de todo o tesouro, que incluia a Arca da Aliança, O Santo Graal e o Menorá de Ouro do Rei Salomão irem para lá e que estavam são dois. O primeiro é que estavam perto da costa, e os templários sabiam que teriam que fugir uma hora. O outro é que necessitavam do conhecimento dos Monges Tironeneses com enconde-los em Oak Island.

Alan Butler diz que a maçonaria assumiu a responsabilidade da missão templário em passar essa mensagem adiante.

Escócia: Capela de Rosslin

Toda a equipe quando chega lá fica de queixo caído com a beleza.

A história diz que ela foi projetada e encomendada por William Sinclair, um poderoso membro de um clã ligado a Ordem dos Templários. Foi construída pelos maçons em aproximadamente em 1456. Originalmente foi projetada para ser uma igreja católica, mas muitos historiadores acreditam que os estranhos entalhes nas paredes e teto da capela contêm pistas para resolver o mistério do Oak Island.

Eles então falam com a gerente educacional do local, Fiona Rogan, que desejam ver ligação da capela com a América no Norte. Ela conta a lenda de que cavaleiros escoceses foram ao novo mundo antes de Colombo, mais precisamente em 1398, quase 100 anos antes de Colombo. Conta-se que o avô de William Sinclar, o Príncipe Henrique Sinclair foi da Escócia para o Nova Escócia junto com templários, com a meta de esconder os tesouros templários e objetos sagrados.

Marty então conta a história já falada em episódios anteriores da tribo nativa da área da Nova Escócia, os Mi'kmaq, relatarem que encontraram os 'europeus" em 1398. Eles viram Henrique Sinclair como um deus que lhes ensinou novas formas de pesca e navegação. A conexão em os Mi'kmaq e os Templários fica mais forte quando se compara a Bandeira de Batalha Templária de Henrique Sinclair a bandeira cerimonial usada pelos Mi'kmaq, que são quase idênticas.

Fiona Rogan diz que a lenda diz que quando Henrique Sinclair voltou do Novo Mundo trouxe junto com ele o milho, e mostra entalhes no teto feito na rocha que lembram muito o milho.

Será que William Sinclair fez estas esculturas como meio de instruir as futuras gerações de templários sobre como recuperar seu tesouro templário escondido.

Aloe e Vera e Trillium, plantas nativas da América do Norte e também está representados em esculturas no teto da igreja.

Como poderia eles estarem lá sendo que ela foi construída décadas antes de Colombo "descobrir" a América?


Teoria da Nova Jerusalém

A equipe se reúne no bar onde o pesquisador Alan Butler mostra uma interessante apresentação, linkando todos os pontos visitados.

Primeira ele começa falando sobre os descobridores do poço do dinheiro, os Laggini, encontraram a poucos metros de profundidade uma plataforma de pedras achatadas. A importância disso é que tem haver com uma eira - espaço plano com um chão duro, de dimensões variáveis, onde os cereais, eram malhados e peneirados, depois de colhidos, com vista a separar a palha e outros detritos dos grãos de cereais - que também passaram a marcar locais religiosos muito simbólicos.

Depois ele fala de uma área particular da Maçonaria chamada de A Arca Real de Enoque. Enoque foi bisavô de Noé segundo Antigo Testamento. Enquanto Noé fez a Arca, salvando animais e homens, o texto da "Lenda de Enoque" diz que ele construiu uma estrutura subterrânea que garantiria que todos o conhecimento e tesouros do mundo também sobreviveriam ao dilúvio.

As primeiras 8 câmaras da construção subterrânea foram feitas para proteção, mas na última, a nona, ele colocou um triângulo de ouro puro, conhecido como Delta na qual o nome de Deus foi escrito. Ao lado do Delta, colocou muito conhecimento científico e histórico.

Butler prossegue dizendo que o tempo passou e então vieram os filhos de Israel e o Rei Salomão construiu o templo e encontrou as Câmaras de Enoque. Algumas lendas maçônicas dizem que Salomão colocou mais tesouros nelas, e que a Arca da Aliança estava lá, para que os Templário pudessem construir a Nova Jerusalém.

O Poço do dinheiro foi deliberadamente construído para copiar o Templo de Salomão e as Câmaras de Enoque!

O Poço do Dinheiro cavado pela companhia Osklo em 1804 - o dos descobridores os Laguina - encontrou 9 plataformas feitas de troncos de carvalho a cada 3 metros. Na nono e última plataforma encontraram a placa dos 27 metros. Será que tem relação, foram feitas para representar as 9 câmaras do Templo do Rei Salomão?

Para finalizar com chave de ouro, Alan Butler mostra um mapa com um X a 303 metros a oeste do poço do dinheiro, e diz que a equipe deve cavar lá, e não no poço do dinheiro original.

McGowan ainda provoca e diz que as profecias sobre a Nova Jerusalém dizem que a cidade será construída numa ilha pantanosa!

Mas como Butler chegou a esse X? Ele diz que tudo no poço o faz acreditar que o projeto foi baseado em uma unidade linear de medida, a Jarda Megalítica, que equivale a 82 centímetro. Muitos pesquisadores acreditam que ela era a unidade de medida usada na construção de antigos monumentos megalíticos, como Stonehenge. Os maçons usaram essa unidade de medida na construção de vários locais, por vezes sagrados, incluindo a capela Rosslin. Butler diz que a distância entre a capela e o castelo de Rosslin é de 366 jardas megalíticas, o que equivale a 303 metros. Para ele deve ser a mesma coisa em Oak Island. McGowan diz que forem pensar que os templários estavam construindo uma Nova Jerusalem usando o modelo Enoquiano, deve haver uma câmara a 360 jardar megalíticas dele.

A equipe ouve tudo espantada e no final Alex diz "Quer dizer que estão me dizendo para voltar para o maldito pântano?". Ele realmente odeia o pântano :)

No final, a equipe retorna para Oak Island e vão direto para o pântano...

FIM DO EPISÓDIO.

As cenas do próximo episódio mostram a equipe investigando o pântano, mergulhando no 10X e Marty dizendo que quer desistir!

Inscreva-se no canal clicando no botão abaixo:
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Eles são lançados primeiro lá, depois que vem pra cá :) Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes
Comentários