4 de maio de 2015

O Paladino do Espaço-Tempo: Outros Dois Novos Relatos


No Japão, pessoas estão relatando encontros com um velho que seria de outra dimensão. Já publicamos alguns desses relatos. Segue abaixo mais dois encontrados...

Clique aqui e aqui para ler os relatos anteriores...

Assombrados, será que existem outras dimensões? As modernas teorias da física especulam que possam haver até 11. Enquanto a ciência corre atrás da verdade, existem relatos, especialmente no Japão, de pessoas que estão se deparando com um velho que especulam ser de outra dimensão. Leia estes novos relatos que o rusmea.com traduziu com exclusividade para o AssombradO.com.br e descubra se você também já se deparou com o misterioso "paladino do espaço tempo".


Big Kamera
Fonte

"Antes de entrar nesta história, eu preciso dizer que estou extraindo à força da minha memória e só lembro de maneira fragmentada.

Tudo começa no banheiro de uma famosa loja da eletrônicos "Big Kamera". Em um mero banheiro comum como qualquer outro, com as paredes forradas com impermeabilizante.
Eu nunca pensei que algo como aquilo pudesse acontecer.

Naquele dia eu não estava bem, talvez por ter comido algo que me fez mal, pois desde manhã eu estava com diarréia. Mesmo assim, eu precisava sair. A razão era bem simples: Eu havia marcado um encontro com minha namorada.

E também porque naquele dia era o lançamento de um videogame que muito me interessava e assim que fomos até o quinto andar do estabelecimento na parte onde ficam os games. Mas enquanto procurava, vi que o estado da minha barriga havia piorado pois senti um violento revolteio nas tripas. Pedi desculpas a minha garota e me atirei de encontro à porta do banheiro localizado naquele mesmo quinto andar. A hora, penso eu, eram 10:20.

Após me aliviar e sair do espaço da privada ao espaço do banheiro em si, senti que algo estava estranhamente errado. O costumeiro burburinho do ambiente havia desaparecido, dando lugar a um silêncio total. (Normalmente, de onde eu estava, eu ouviria os sons vindos das caixas registradoras do estabelecimento).

Passei pela porta e avistei a seção de vendas em que misteriosamente, não havia ninguém. Apenas ao lado da porta de vidro, estava uma televisão com um videogame rodando em modo de exibição, mas sem som. Não havia nenhum funcionário e reinava um silêncio absoluto.

Pensei comigo: 'E a minha garota?' Se bem que em uma situação como esta, estando somente ela, aí é que a coisa soaria ainda mais anormal... Só se fosse um sonho... Mas após fazer força no banheiro alguém seria capaz de dormir? De jeito nenhum.

Então que situação era aquela?

Eu lembro de sentir que o ar estava morno.
Sorrateiramente, saí do corredor e me dirigi ao setor de vendas. Não sentia a presença de ninguém.
Por mais que eu tenha procurado a minha namorada, gritando por seu nome por todo o andar, não encontrei ela, muito menos clientes ou funcionários. Tratei então de enviar uma mensagem de texto e após isso, não lembro muito bem se me dirigi ao outro andar na tentativa de encontrar alguém, mas lembro que adentrei a área exclusiva para funcionários.

Logo após abrir a porta azul de duas folhas que dava nessa área exclusiva, vi que se tratava de um depósito com paletes cheios de caixas de papelão recém empilhadas.
Ainda por cima, perambulei por um bom tempo pelos corredores estreitos dessa área, mas não havia ninguém.

Me dirigi à sessão de brinquedos, apenas para lá chegar e ver um painel com forma de personagem, que estava escorado, cair ao chão. Ao erguer o painel, acabei entortando sua cabeça. Nesse momento olhei o relógio e vi que eram 11:28. Muito tempo havia passado.

Sem mais o que fazer, voltei à área dos banheiros e ao abrir a porta, havia uma toalha estendida, impedindo a passagem. Ao examinar às proximidades, de repente, sem mais nem por quê, me encontrei sentado no vaso sanitário.
Eu abri a porta e vi que alguém estava urinando no mictório. Esbaforido, eu chequei às redondezas, mas naquele andar, senti algo estranho na sessão de vendas onde haviam vários note books enfileirados...Pois era...O quarto andar?

Às pressas peguei meu celular e liguei para minha namorada e ela atendeu:

'-Onde você está?' ela me perguntou e eu fiquei com a cabeça dando voltas beirando o pânico e despejando as palavras de qualquer jeito. '-Acabei de sair do banheiro...' respondi.
'-No quarto andar?!' ela me perguntou demonstando surpresa na voz.

Olhei o relógio e vi que eram 10:23. Eu havia voltado no tempo... 'Sem dúvida, eu devo ter dormido no banheiro.' pensei comigo.

Ao reencontrá-la, eu lhe contei a experiência que tive em poucas palavras, mas quando estávamos indo embora, vi a porta azul que dava acesso à área exclusiva dos funcionários e visualizei por um momento o depósito do outro lado. Ainda por cima, o painel com forma de personagem da sessão de brinquedos estava com a cabeça amassada e ela me disse que recebeu a mensagem de texto que lhe enviei. A mensagem de texto que eu havia enviado durante a estranha experiência...

'Sem dúvida, isso foi obra do paladino do espaço-tempo.' ela disse.
'Perdão? Paladino do espaço-tempo? Mas não havia ninguém...' disse eu.
'Ele existe de verdade...Não era uma invenção do 2channel!' ela concluiu com um sorriso.

...Se, eu não tivesse voltado, o que seria de mim? Eu tremo só de pensar que eu poderia nunca mais revê-la. Nesse dia, o meu cansaço era tremendo e imediatamente após chegar ao karaokê eu adormeci."

O relato conclusivo da namorada dele:

"Quem escreve agora, é a namorada dele^^
(Eu moro em Okasaka)

Segundo o histórico do meu celular, eu recebi a mensagem dele às 10:32.
Eu acho que meu namorado se ausentou para ir ao banheiro, por uns 7 à 10 minutos.
Segundo o que lembro, foi mais ou menos assim que aconteceu:

Ele - 'Não estou bem da barriga. Me desculpe mas vou ao banheiro.'

Eu - 'Ok. Entendi.'

Nesse interím, eu fui conferir os games e DVDs do quinto andar.

Quando comecei a pensar comigo que 'Ele está demorando tanto...', tocou o celular com ele dizendo meu nome e perguntando onde eu estava:

Ele - '...Onde está você????'

Eu - 'Como? No quinto andar.'

Ele - 'Será que eu...Dormi?'

Eu - 'Como assim?? Você dormiu no banheiro?!'

Ele - 'Aconteceu algo estranho. Eu tinha certeza de ter ido ao banheiro do quinto andar e de repente me encontro no do quarto andar. Não consigo entender...'

E foi mais ou menos assim. Nesse momento eu vi a mensagem de texto e percebi que o episódio tinha o teor das histórias sobre o Paladino do espaço tempo, contadas no fórum e eu fiquei muito eufórica!!!"



Um Mundo Totalmente Avermelhado
Fonte

Este é um relato de quando eu estava no sexto ano do ensino fundamental. Naquele tempo, eu frequentava uma escola particular em Kichiouji e descia em uma parada de ônibus localizada em um bairro próximo e como de costume, subi no ônibus naquele final de tarde rumo à escola.

Quando subi no veículo, haviam poucos passageiros e pude sentar, mas conforme o ônibus avançava, foi enchendo de gente até ficar lotado, e foi quando percebi que havia um senhor de pé na minha frente. Ele não era nenhum Masumi Okada (Ator japonês. NDT.), mas vestia um terno todo certinho e usava um chapéu, seu porte físico era o de um desses senhores de idade magro e alto que tanto se vê por aí.

Imediatamente eu pensei: "Devo lhe oferecer o meu lugar" e lhe disse "-Por favor, sente-se.", no que ele respondeu "-Obrigado." com um sorriso.
Com aquela mente de estudante que eu tinha, eu achei que aquele senhor de rosto enrugado parecia um mágico desses de espetáculo. Ele me disse: "-Você é gentil." no que eu respondi de acordo e assim iniciamos uma conversa e quando dei por mim, já estávamos conversando normalmente.

Foi uma conversa trivial e apenas lembro que o assunto girou em torno das minhas notas e da escola particular. Lembro também que naquele tempo, meus pais ainda estavam vivos e sempre me diziam para "não conversar com estranhos" e ao lhe dizer isso,  aquele senhor me respondeu: "-Você acha mesmo que um velho como eu poderia te sequestrar?" enquanto movia negativamente a cabeça.

Quando faltava pouco para chegar na estação de Kichiouji, eu decidi lhe perguntar o que antes eu havia pensado: "O senhor é mágico?"

Ele riu divertido por um longo momento enquanto o ônibus se detinha no ponto e com um dedo em riste, assim me respondeu: "-Não, mas eu posso fazer isto..." Enquanto eu pensava "Isto o quê?" notei que todos os passageiros haviam terminado de descer, restando apenas eu e aquele senhor. De um salto meio que no instinto, tratei de sair do ônibus e foi quando um forte clarão avermelhado me deixou momentaneamente cego.

O fato repentino me assustou e quando abri os olhos, não havia ninguém...Nem mesmo os passageiros que haviam acabado de descer. Olhei em volta e não havia nenhuma pessoa na rua, nenhum carro passava e até mesmo o ônibus em que eu estava antes havia desaparecido. Mas muito além do terror de estar sozinho, o que mais me deu medo naquele momento foi a paisagem, ou melhor, aquele mundo totalmente avermelhado.

É meio difícil de explicar, mas sabem aquelas imagens de um vermelho forte que aparecem em filmes ou novelas em que usam um efeito especial com luz amarela, azul ou vermelha? Pois era algo assim, uma paisagem fora do comum. Era à tardinha quando eu peguei o ônibus, mas não era um vermelho natural de um pôr do sol qualquer.

Em frente à estação de Kichiouji, sempre haviam muitos Skatistas e moradores de rua naquele tempo e eu morria de medo de me envolver em alguma briga. Eu senti um medo tão grande que saí correndo sem rumo em meio aquele silêncio e naquela paisagem estranha do que antes era um centro sempre movimentado e barulhento.

Corri em frente à estação e não havia ninguém...Comecei a choramingar e me agachei todo encolhido. Foi quando de repente, notei que aquele senhor enrugado de antes estava diante de mim. Eu gritei a ele entre lágrimas "-Me faz voltar! Rápido, me faça voltar!" Aquele senhor então me disse "-Me perdoe." enquanto passava a mão na minha cabeça "-Eu não sabia que você iria sentir medo. Me perdoe." e repetiu esse pedido de desculpas várias vezes.

De repente, voltei a ouvir o burburinho e ao levantar a cabeça, a paisagem havia voltado ao normal. Eu me encontrava agachado bem no meio de uma faixa de pedestres e por isso, as pessoas que passavam me olhavam estranho. Cercado pelas pessoas que passavam, percebi que aquele senhor havia desaparecido.

Foi uma experiência muito misteriosa, totalmente incompreensível e agora, por mais que eu queira, não encontro meios para comprovar o que aconteceu e por isso aqui, termino este relato.

Clique aqui e aqui para ler os relatos anteriores...

Tradução/Adaptação: rusmea.com & Mateus Fornazari
Comentários