6 de maio de 2015

NASA Grava Inexplicáveis "Sons Alienígenas" a 36 km da Terra


Misteriosos infrassons - ondas sonoras extremamente graves, com frequências abaixo dos 20 Hz, portanto abaixo da faixa audível do ouvido humano que é de 20 Hz a 20.000 Hz. -foram gravados a 36 km sobre a superfície terrestre por microfones infravermelhos a bordo de um balão experimental lançado por um estudante da NASA, Daniel Bowman, da Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill, EUA.

Os "silvos" e "chiados" apreciados na gravação, têm uma frequência menor que 20 hertz, e só podem ser percebidos por nossos ouvidos ao serem reproduzidos em modo acelerado. "Soam como o tema do Arquivo-X", disse Bowman, quem construiu e lançou o balão com o objetivo de reviver o interesse nos infrassons atmosféricos.

Uma caraterística importante dos infra-sons é que podem viajar longas distâncias e enquanto fenômenos naturais como tempestades, vulcões, avalanches e terremotos podem provocá-los, o que foi gravado nesta ocasião não pôde ser explicado pelos cientistas.

Para capturar os enigmáticos sons, Bowman montou os microfones infravermelhos em um balão de hélio que liberou no Novo México e no Arizona durante o mês de agosto do ano passado, como parte do estudo High Altitude Student Plataform (HASP). O balão flutuou 725 km através da superfície terrestre e alcançou uma altitude de mais de 37.500 metros, sendo a primeira vez que o estudo de infrassons chega a tais fronteiras estratosféricas (camada situada entre 7 e 17 até 50 km de altitude aproximadamente, sendo a segunda camada da atmosfera) .

Projeto HASP. 

O que "apita" a tanta altura?

As teorias sobre os infrassons gravados vão desde um campo eólico sob o percurso do balão, ondas do oceano, ondas de gravidade, até uma simples turbulência. O projeto financiado pela NASA planeja enviar neste mesmo ano outro artefato para gravar mais destes estranhos sons. "Não existiram gravações acústicas na estratosfera por 50 anos", explica Bowman. "Certamente, se colocarmos instrumentos lá, acharemos coisas que deixamos passar batido antes".

Os cientistas propuseram enviar sensores de infra-sons a lugares tão distantes como Marte e Vênus, onde os microfones poderiam, em teoria, detectar características do clima ou terremotos. "Certos sinais infra-sônicos são mais claros na atmosfera, pois não há tanta interferência de ruídos próprios da nossa sociedade", destaca Omar Marcillo, geofísico dos Alamos National Laboratory no México que não esteve envolvido no estudo apresentado aqui. "A atmosfera reflete algumas ondas longe da superfície, mas nem todas chegam aqui embaixo", assinala Marcillo. "Penso que o trabalho de Bowman abriu o campo para a investigação dos infra-sons".

Inscreva-se no canal clicando no botão abaixo:
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Eles são lançados primeiro lá, depois que vem pra cá :) Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes

Tradução/Adaptação: rusmea.com & Mateus Fornazari
Fonte
Comentários