6 de abril de 2015

Cientista Britânico Declara Ter Descoberto um Yeti


Centenas de exploradores, teóricos e fantasistas passaram a vida procurando pelo "Pé-grande"
Mas um geneticista acredita ter evidências encontradas para provar que ela poderia ter sido mais do que um mito.

O professor Bryan Sykes, da Universidade de Oxford afirma que uma imponente mulher chamada Zana, que viveu no século 19 na Rússia e queparecia ser "meio humana, meio macaco", poderia ter sido o fabuloso Yeti.

Testemunhas descreveram a mulher que teria sido capturada nas montanhas do Cáucaso entre a Geórgia e a Rússia, 1,98 metros de altura, e como tendo "todas as características de um animal selvagem" e coberta de um espeço pelo castanho

Especialistas acreditam que a errante "Mulher selvagem" foi encontrada escondida na remota região de Ochamchira na República de Abecásia.

Ela foi capturada por um comerciante local na década de 1850 que contratou um grupo de caçadores para subjugá-la e acorrentá-la no terreno montanhoso.

O professor Sykes afirma que Zana foi mantida em uma "vala cercada por estacas afiadas" e vendida de proprietário a proprietário até que ela foi parar nas mãos do nobre Edgi Genaba como uma serva.

Conhecida como a mulher macaco, Zana teve pelo menos quatro filhos com homens locais e alguns de seus descendentes ainda vivem na região.

Sykes fez uma descoberta surpreendente, quando realizou testes de saliva em seis de seus parentes vivos e os dentes de seu filho falecido Khwit.

Pese o fato de que os exames de DNA revelaram que os ancestrais de seus descendentes, provinham da África subsaariana, o cientista sustenta que Zana não se assemelhava a nenhuma espécie conhecida antes.

Provas de DNA a partir da neta de Zana (à esquerda) e os restos de seu filho Khwit (à direita) pareciam provar que Zana era de ascendência Africana, apesar dela viver no Cáucaso selvagem.
Sua semelhança era a de um animal selvagem - "a característica mais assustadora era a sua expressão, que era puramente animalesca," escreveu um zoólogo russo em 1996.

O homem que organizou vários relatos de testemunhas oculares de Zana escreveu: "Seu poder atlético era enorme. Ela poderia correr mais que um cavalo e nadar através do rio Moskva, mesmo quando este subia violenamente de nível."

Alguns argumentaram que ela era uma escrava fugitiva Otomana, mas o professor Sykes diz que seu "DNA incomparável" refuta essa teoria.

Ele acredita que seus antepassados ​​vieram da África mais de 100.000 anos atrás e viveu no Cáucaso remoto por muitas gerações.

Zana foi finalmente "domada" pelo nobre que comprou-a como uma serva e a mantinha em sua propriedade em Tkhina na República da Abecásia.

Relatos da época contam que ela era incrivelmente muscular, dormia ao relento e corria nua até que ela morreu na propriedade em 1890.

Alguns dos colegas de Sykes duvidam de suas outras descoberta - que incluem a alegação de que uma espécie desconhecida de urso poderia explicar os avistamentos do Yeti no Butão.

Apesar da falta de provas concretas a partir da análise dos supostos "pelos de Yeti", ele diz que tem desenvolvido uma forte sensação de que "algo está lá fora" depois de falar com dezenas de testemunhas.

O professor Sykes não poderia dizer se o Yeti, Pé-grande ou o almas russo é o melhor candidato para uma corrida de sobrevivência do "homem-macaco" humano.

Ele disse: "O pé-grande" tem mais pessoas tentando encontrá-lo. Mas suponho que seja o Yeti ou o almas, que vivem em regiões de difícil acesso e muito baixa densidade populacional, seja o mais provável."

Inscreva-se no canal clicando no botão abaixo:
.
Gostou? Então inscreva-se no canal para acompanhar os novos vídeos que for lançando. Eles são lançados primeiro lá, depois que vem pra cá :) Basta clicar neste link: http://goo.gl/CWAIes

Tradução/Adaptação: rusmea.com & Mateus Fornazari
Fonte
Comentários