6 de janeiro de 2015

Impressionante Buraco Coronal Aparece no Sol: Devemos ter Medo?

No primeiro dia 2015 o Sol apareceu com um enorme buraco coronal em sua superfície! Corremos risco?

No final tem um vídeo sobre o assunto...

Assombrados, muita gente ficou com medo do famigerado "6 dias de escuridão" que iria começar no dia 22/12/2014, apesar de eu ter feito um vídeo falando que era mentira. Agora, muitos me escreveram pedindo para eu falar sobre o enorme buraco que apareceu no Polo Sul do Sol. então vamos lá :)


O final de ano foi relativamente calmo na superfície solar. No entanto, o sol começou o ano de 2015 com um evento misterioso - um enorme buraco apareceu. Conhecido como "buraco coronal", o fenômeno ocorreu perto do pólo sul - e é visto como uma área escura cobrindo toda a sua base na imagem abaixo. Ele é tão grande que cabem centenas de planeta Terra dentro dele.

A imagem incrível foi capturada em 01 de janeiro de 2015 pelo Atmospheric Imaging Assembly (instrumento de Imagem atmosférica ou AIA na sigla em inglês) do observatório Solar Dynamics, da NASA, mostrando o buraco coronal como uma região escura ao sul.



O que são Buracos Coronais?

Buracos coronais são regiões da coroa onde o campo magnético se estende para o espaço, em vez de um "looping" de volta para a superfície. As partículas que se deslocam ao longo desses campos magnéticos podem deixar o sol ao invés de serem presas perto da superfície. Nas partes da coroa, onde as partículas deixam o sol, o brilho é muito reduzido e o buraco coronal aparece escuro.

Buracos coronais foram vistos pela primeira vez em imagens tiradas por astronautas da estação espacial Skylab da NASA em 1973 e 1974.

Eles podem ser vistos por um longo período de tempo, embora a forma exata muda o tempo todo e um buraco coronal polar pode permanecer visível por cinco anos ou mais!

Os buracos coronais são uma característica típica do sol, embora eles apareçam em lugares diferentes e com mais frequência em diferentes momentos do ciclo de atividade solar.

Os buracos são importantes para a nossa compreensão do clima espacial, pois eles são a fonte de um vento de alta velocidade de partículas solares que flui para fora do sol, chegando a 800 quilômetros por segundo, cerca de três vezes mais rápido que em outros lugares.

Fenômeno Comum

Buracos coronais são fenômenos comuns de ocorrer na superfície Solar e normalmente, durante os mínimos solares, se encontram-se próximos aos pólos do Sol. Pesquisando rapidamente pela internet, encontrei vários que ocorreram nos últimos anos. Seguem abaixo imagens de alguns deles.

Buraco Coronal ocorrido em 28/08/2010 - Saiba mais.


Buraco Coronal registrado em 03/06/2012. Saiba mais.

Buraco Coronal registrado no dia 04/10/2013. Saiba mais.

Buraco Coronal registrada no dia 18/07/2013. Saiba mais.


Estamos Correndo Perigo?

O que pode acontecer é é uma tempestade geomagnética causada pelas partículas solares que estão escapando do buraco coronal e que interagem com o campo magnético terrestre, nos presenteando com o espetáculo das auroras boreais e austrais.

Quem deu sorte com isso foi minha ilustríssima irmã que está na Islândia, indo para lá ver justamente aurora boreal. Ela disse que está vendo auroras em pleno dia na capital Reykjavik. Abaixo algumas fotos que ela acaba de me enviar:

Aurora Boreal registrada em pleno dia com câmera de Iphone na cidade Reykjavik, capital da Islândia, no dia 02/01/2015 registrada por minha irmã. Culpa do enorme buraco coronal que apareceu no Sol. Que sorte que essa menina teve :)

Várias auroras registradas  na Islândia no dia 05/01/2015. Ela tirou esta foto duas horas antes de começar a escrever esse texto. 


O que nos faz correr perigo são as tempestades solares, relacionadas com Mancha Solar - região onde ocorre uma redução de temperatura e pressão das massas gasosas no Sol, estando intimamente relacionadas ao seu campo magnético -, não com Buraco Coronal.

Em outubro de 2014 a maior mancha solar em 24 anos ficou alinhada com o nosso planeta, e não produziu qualquer ejeção de massa coronal (CMEs) para nossa sorte :)

A mancha solar, conhecida como o Active Region 12192 após ficar desalinhada de nosso planeta, está agora rodando pela face da Terra novamente, e "é susceptível de criar CMEs", disse a cientista da NASA Holly Gilbert ao site Space.com durante uma entrevista em vídeo.

"Desta vez, é mais provável que haja algumas ejeções de massa coronal associadas a isso, mesmo que as erupções solares possam ser menores", disse ela.

"Nós temos uma boa ideia, com base na estrutura de que o campo magnético e as manchas solares, serão muito possíveis de criarem alguma erupção de nível médio."

Segundo o Dr. Gilbert, a mancha solar ainda é grande o suficiente para 10 planetas Terra caberem dentro, e acredita-se que seja o 33º maior de 32908 regiões ativas registradas desde 1874.

E Se uma Tempestade Solar no Atingir?

Registro de uma Erupção Solar
Se você assistiu o vídeo acima já sabe, mas caso contrário, eu escrevo aqui rapidamente que o bicho vai pegar...

No início de 2014, Ashley Dale, que é um membro de uma força-tarefa internacional, apelidada de "Solarmax", advertiu que "super-tempestades solares" representam uma "catastrófica ameaça de longa duração" para a vida na Terra.

Uma super-tempestade solar ocorre quando uma ejeção de massa coronal de suficiente magnitude "goteje" no campo magnético ao redor da Terra, rasgando-o.
Tal evento poderia induzir enormes ondas de correntes elétricas no solo e nas linhas de transmissão aéreas, causando falta de energia generalizada e danificando seriamente componentes elétricos críticos.

O Sr. Dale, doutorado em engenharia aeroespacial na Universidade de Bristol, disse que é apenas uma "questão de tempo" antes de uma tempestade solar excepcionalmente violenta ser impelida em direção à Terra.

Ele diz que uma tempestade iria causar estragos com sistemas de comunicação e fontes de alimentação, incapacitar serviços vitais, como os transportes, saneamento e medicina.

"Sem a energia, as pessoas lutariam entre si para abastecer seus carros em postos de gasolina, obter dinheiro em caixas automáticos ou fazer pagamentos online", disse ele.

"Os sistemas de água e esgoto seriam afetados também, o que significa que as epidemias de saúde em áreas urbanizadas rapidamente tomariam passo, com doenças que pensávamos que havíamos deixado para trás séculos atrás, voltando em pouco tempo".

Os 6 dias de Escuridão Divulgados pela NASA

Em 2014 surgiu uma notícia que dizia que a NASA divulgou que a Terra ficaria completamente as escuras de 16 e 22 de dezembro, devido a uma grande tempestade Solar. O alerta teria sido emitido na segunda quinzena de outubro de 2014 e diz que a tempestade solar vai lançar muita poeira na atmosfera. Muita gente ficou assustada, apesar de ser a mais pura mentira...

Fiz um vídeo sobre o assunto, muito bom por sinal (hauhaua) onde explico porque não ocorreria a tempestade, mas que sim, existe a possibilidade de uma Tempestade Solar nos atingir e que podemos ficar meses ou até anos na escuridão, e não 6 dias.



Apesar de eu ter mostrado detalhadamente que não haveria Tempestade Solar no vídeo, alguns fanáticos escreveram e falaram as mais loucas barbaridades para mim! Teve um cara que escreveu tanta baboseira que fui procurar no vídeo nesse momento para mandar um print, mas o sabidão apagou já que não ocorreu a Tempestade Solar.

Qual foi a Maior Tempestade Solar já Registrada?

A maior super-tempestade solar já registrada ocorreu em 1859 e ficou conhecido como o Evento Carrington, em homenagem ao astrônomo Inglês Richard Carrington que viu a explosão solar anterior.

Essa enorme ejeção de massa coronal, lançou 1022 kJ de energia - o equivalente a 10 bilhões de bombas de Hiroshima explodindo ao mesmo tempo - e lançou em torno de um trilhão de quilos de partículas carregadas em direção à Terra em velocidades de até 3000 km/s.

No entanto, o seu impacto sobre a população humana foi relativamente neutra já que a nossa infra-estrutura eletrônica afetada naquele momento ascendeu a não mais do que cerca de 124.000 milhas (200.000 km) de linhas telegráficas.

Sr. Dale diz que esses tipos de eventos não são apenas uma ameaça, mas também são inevitáveis.
Os cientistas da NASA previram que a Terra está no caminho de um evento de nível Carrington a cada 150 anos em média.

Isso significa que estamos com atualmente cinco anos de atraso - e que a probabilidade de uma ocorrência na próxima década é de 12%.

Curiosidade: NUSTAR X-Ray

O Telescópio espectroscópico Nuclear NUSTAR X-Ray
O Telescópio espectroscópico Nuclear NUSTAR X-Ray é 100 vezes mais sensível do que qualquer telescópio anterior operando na mesma faixa de energia. Ele oferece mais profundas e mais nítidas imagens do céu - e vai ajudar a Nasa a caçar objetos "escondidos", como os buracos negros que poderiam ajudar a desvendar os mistérios do Universo. Ele está em órbita desde o dia 13 de junho de 2012.

O telescópio tem mais de 10 vezes a resolução e mais de 100 vezes a sensibilidade, dos seus antecessores que operam em uma faixa de energia similar. Estudar buracos negros que são grandes e pequenos, longe e perto, o NUSTAR se esforçará para responder a perguntas sobre a formação e a física por trás dessas maravilhas do cosmos. O observatório também vai investigar como estrelas explodindo forjam os elementos que compõem os planetas e as pessoas. Além disso ele estuda a atmosfera do nosso Sol, pois enquanto o Sol é muito brilhante para outros telescópios, como o Observatório de Raios-X Chandra da NASA, o NUSTAR pode focar com segurança para ele, sem o risco de danificar seus detectores.

Ele fez isso em 2014 e o resultado foi a impressionante imagem abaixo.

Talvez o NUSTAR resolva o "problema de aquecimento coronal". A coroa tem, em média, 1,8 milhões de graus Fahrenheit (1 milhão de graus Celsius), enquanto que a superfície do Sol é relativamente mais fria em 10.800 Fahrenheit (6.000 graus Celsius). É como uma chama que sai de um cubo de gelo. "Nano-erupções", em combinação com alargamentos, podem ser fontes de calor intenso.

Imagem feita pelo NUSTAR mostra o raios-x escapando do Sol


.
Fontes (acessadas em 06/01/2014):
- DailyMail: Mystery at the sun's south pole: Nasa reveals huge 'coronal hole' on the solar surface where winds reach 500 miles per SECOND - Artigo traduzido pelo rusmea.com
- AssombradO.com.br: Tempestade Solar: Muito Mais que 6 dias de Escuridão...
- Wikipedia.pt: Buraco coronal
- Wikipedia.pt: Mancha solar
- Wikipedia.pt: http://pt.wikipedia.org/wiki/Erup%C3%A7%C3%A3o_solar
- The Telegraphy: Humanity 'risks catastrophe from a solar superstorm’
- AEB: PESQUISADORES DO INPE E NASA DESVENDAM CAUSAS DO ÚLTIMO “MÍNIMO SOLAR”
- NuSTAR
- Astropt.Org: Sol aponta um gigantesco buraco coronal na direcção da Terra
- Projeto Quarto Azul: Imenso Buraco Coronal Abre-se no Sol
- Projeto Quarto Azul: O Grande Dragão Vermelho Reaparece no Sol
- Lente Estelar: Gigantesco buraco coronal no polo norte do Sol foi captado pelo Observatório Solar Heliosférico (SOHO)
Comentários