11 de setembro de 2014

Crítica de Filme: Infectado (2013)

* Crítica escrita por Andrea Carvalho

Afflicted - Traduzido para "Infectado". Lançamento de 2013, mas somente agora consegui ver. Filme de suspense e terror. Produção Canadá e Estados Unidos.

Em resumo: dois amigos saem pelo mundo em busca de aventuras, filmando tudo o que fazem, até que um deles começa a mudar de comportamento radicalmente.

Difícil não dar SPOILER. Mas, é um filme de vampiro!

Confesso que comecei a ver e pensei que estava vendo o filme errado. "Found Footage" já é chato por natureza, mas estava bem feitinho. Achei estranho, já que é uma raridade atualmente.

Então, começou uma história impossível de enfiar um vampiro no meio. Não combina. Mas fui surpreendida. Ficou ótimo!

Apesar do baixo orçamento, a fotografia é impressionante. Efeitos especiais bem feitos.

Além disso, roteiro sem ponta solta, envolvente e tenso.

Claro que é difícil fugir do óbvio, mas foram clichês que não ficaram chatos.

"Afflicted" foi vencedor do Melhor Filme (Terror), Melhor Roteiro (Terror), Melhor Diretor (Terror) no Fantastic Fest, um dos maiores festivais de cinema de terror dos EUA.

Foi dirigido por Derek Lee. Ele mesmo foi protagonista do filme. Eu não conhecia o ator/diretor. Pesquisando um pouquinho vi que é diretor e ator de filmes de curta metragem. Não saberia dizer se foi estreia dele em longas. Se alguém souber, me informe. Ele foi muito bem no filme. Tanto dirigindo quanto atuando.

Ao lado dele, o ator Clif Prowse, que também não conheço, fez a co-direção. Fez com competência o papel de amigo fiel de Derek. O roteiro também é dos dois.

No filme os atores principais mantêm seu próprio nome, o Derek faz o Derek e o Clif faz o Clif. Aliás, quase todos mantêm o próprio nome.

O final é até surpreendente.

Não é o tipo de filme que tenha sustos gigantes. São sustos discretos. Ou quase nenhum. Nem tem muitas cenas de sangue. O que mexe mesmo com a gente é que se torna tão plausível, tão possível de ser verdade, que dá um medo. Pior, a gente se coloca fácil no lugar deles. A empatia é instantânea. Será que faríamos o mesmo que fizeram?

Vi com gosto. É original e recomendo.

No Brasil, o filme não foi para os cinemas, a Sony Pictures lançou direto em DVD contendo cenas excluídas e de bastidores.





Comentários