28 de agosto de 2014

O Mistério dos 3 Cosmonautas Mortos Encontrados Sorrindo

Um dos maiores mistérios dos anos 70 foi a morte de 3 cosmonautas que depois de uma reentrada sem incidentes na Terra foram achados mortos dentro da cápsula. Para aumentar o mistério, é relatado que os 3 estavam sorrindo!

Tem um vídeo no final onde falo sobre o assunto...

Assombrados, esse foi um dos acontecimentos mais famosos nos anos 70 ocorridos na URSS. Era a corrida espacial e os 3 cosmonautas haviam passado 22 dias no espaço, algo inédito na época. Seriam recebidos com honras de estado pelo governo quando retornassem, mas algo errado aconteceu. Depois de uma reentrada perfeita, eles foram encontrados mortos dentro da cápsula...

Selo de chamada  da Soyuz 11
Auge da Guerra Fria, EUA e URSS travando batalhas épicas na corrida espacial, com a URSS enviando o 1º Satélite ao espaço e com os EUA fazendo o homem pisar na Lua pela 1ª vez. Agora a URSS queria ser pioneira novamente e lançou a primeira estação espacial com sucesso em 19 de Abril de 1971, chamada Salyut 1 (DOS 1). Agora eles precisavam enviar cosmonautas para habitá-la.

O primeiro grupo de tripulantes foi lançado no dia 23 de abril de 1971, 4 dias depois da Salyut 1, mas não pôde acoplar à estação devido a uma falha em um mecanismo de travagem.

Uma nova tentativa de acoplar a Salyut 1 foi feita no dia 6 de Junho de 1971. A URSS lançou a nave Soyuz 11 do Cosmódromo de Baikonur no centro do Cazaquistão com os cosmonautas Georgi Dobrovolski, Vladislav Volkov e Viktor Patsayev a bordo. Desta vez eles acoplaram na Salyut 1 com sucesso em 7 de Junho e se mantiveram a bordo por 22 dias, marcando recordes de permanência no espaço que se manteriam até a missão americana Skylab 2 em Maio-Junho de 1973.

Nave Soyuz
No dia 30 de junho de 1971, a nave espacial soviética Soyuz 11 volta para a Terra. Os 3 cosmonautas seriam recebidos com honras de estado, afinal eram pioneiros. Tudo estava correndo bem e a reentrada em nossa atmosfera foi completamente normal, mas algo terrível aconteceu, quando a equipe de resgate abriu a cápsula encontrou os 3 cosmonautas mortos. Tentativas de ressuscitação foram efetuadas, mas sem sucesso. Um detalhe chamou a atenção: os 3 estavam sorrindo!

Mas como isso foi acontecer? Nesse momento, começaria um dos mistérios mais comentados dos anos 70.

Os 3 cosmonautas dentro da nave Soyuz 11
.
Os Últimos Momentos

A equipe em terra se sentia satisfeita, apesar de que nos últimos minutos, haviam perdido contato com os cosmonautas: Georgi Dobrovolski, Vladislav Volkov e Viktor Patsayev.

Por mais que tivessem perdido o contato ao atravessarem a ionosfera, não havia motivo para preocupação, pois a nave estava aterrissando segundo o previsto.

O último diálogo entre os cosmonautas e a Terra dava motivos para pensar em qualquer outra possível hipótese:

“Aqui Yantar – disse Dobrovolski – tudo vai perfeitamente a bordo. Estamos em plena forma. Preparados para a aterrissagem. Já vejo a estação. O sol brilha.”

“Até daqui a pouco Yantar – respondeu o controle na Terra – Cedo nos veremos na Pátria.
Inicio de manobra de orientação”.

Segundo todas as aparências, estas foram as últimas palavras registradas, parecendo estar tudo bem. Se houve algo mais, as autoridades soviéticas não quiseram revelar.

Capsula de aterrissagem da Soyuz

Imagem real da tentativa de resgado dos 3 cosmonautas. Grupos de suporte tentando realizar RCP nos cosmonautas. Apesar de existir a possibilidade de isto ser apenas para publicidade, é possível que eles tivessem tentado salvar os cosmonautas na esperança de que o acidente da descompressão tivesse ocorrido a um intervalo de tempo que permitisse que algum deles fosse salvo.
Hipóteses para as Mortes

Foram propostas algumas hipóteses para tentar explicar porque os 3 mortos. Eles teriam de explicar como os cosmonautas chegaram sem sinais de pânico e sorrindo a Terra.

Asfixia: Primeiro jogaram a culpa na descompressão. O exame da cabine demonstrou “que não apresentava nenhum defeito de estrutura” e que só a perda de uma junta do sistema de fechamento hermético, poderia provocar a catástrofe. Só que a autópsia não revelou hemorragias internas e deveriam ter registrado uma queda de pressão, como ocorreu na Apolo 13. É a hipótese oficialmente aceita.

Pânico:  Os cosmonautas pensaram que iriam se espatifar no chão e entraram em pânico. Não se encaixa, pois chegaram mortos com uma imagem serena, de paz e sorrindo.

Cadáver com ríctus (expressão em forma de
sorriso que aparece em cadáveres)
Cargas Elétricas: O dr. Gultekin Gaymec, de origem turca, ao ouvir a notícia lembrou que a intensidade de cargas elétricas presentes na atmosfera responde a certos ciclos definidos. O médico deduziu que a carga elétrica na ionosfera aumentaram repentinamente até extremos que conduziu a uma aguda alcalose nos astronautas soviéticos. A alcalose ou conteúdo alcalino exageradamente elevado no sangue e tecidos, podem produzir uma parada cardíaca. O anidrido carbônico que se faz presente em excesso no organismo, provoca ríctus - expressão em forma de sorriso que aparece em cadáveres; boca semi-aberta. - no rosto das vitimas, dando o aspecto de estarem sorrindo.

O médico fez provas em voluntários e descobriu uma correlação direta entre os pacientes e os ciclos elétricos atmosféricos: aumentava o índice de sódio e colesterol. Além de que os níveis de potássio caíam, lembrando que o potássio é vital para a correta atividade eléctrica do coração. Estes estudos têm ajudado a blindar melhor as naves espaciais, mas também para assinalar que os campos elétricos da atmosfera, que são provocados pela atividade solar, estão diretamente relacionados a muitas enfermidades, como os ataques do coração.

Aqui vai uma observação: o blog rusmea.com fez uma extensa pesquisa para saber mais informações sobre o Dr. Gultekin Gaymec e só encontrou referências a ele relacionadas a este episódio. Isso reforça a tese de que não existe o Dr. Gultekin e essa hipótese é inventada.

Conclusões

Um monumento metálico com 3 lados foi erguido no local onde a cápsula caiu na Terra (veja aqui no Google Maps).

Os cosmonautas receberam um funeral de estado, e foram enterrados nos muros do Kremlin, na Praça Vermelha, em Moscou. O astronauta norte-americano Tom Stafford ajudou a carregar o caixão.

Funeral das vítimas. Os cosmonautas receberam um funeral de estado.
Monumento erguido no exato local da queda da cápsula com as vítimas. Veja no Google Maps (47.35663°N 70.12142°E)
Selo da URSS de 1971 homenageando os cosmonautas Georgi Dobrovolski (esquerda), Vladislav Volkov (centro) e Viktor Patsayev (direita)
A nave espacial Soyuz foi extensivamente redesenhada após este incidente para transportar apenas dois cosmonautas. O espaço extra significava que o grupo poderia vestir trajes espaciais durante o lançamento e a aterrissagem.

Apesar de haver uma explicação científica razoável, a asfixia, ainda existem muitas dúvidas do porquê sorriam os astronautas mortos após a aterrissagem automática da nave.

.
Fontes (acessadas em 25/08/2014):
- Above Top Secrets: Couple of questions about astronauts/space journeys
- Postiar.com: Couple of questions about astronauts/space journeys
- Mas Alla de la Vision: El Enigmático Final Del Soyuz XI
- El Tao de la Física: El misterio de los astronautas muertos sonrientes
Rusmea.com: O mistério dos 3 cosmonautas que morreram sorrindo
- Wikipedia.pt: Soyuz 10
- Wikipedia.en: Soyuz 11
- Wikipedia.pt: Soyuz 11
- Wikipedia.pt: Salyut
Wiktionary.org: Talk:rictus
Comentários