11 de junho de 2014

Crítica de Filme: Atividade Paranormal: Marcados Pelo Mal (2014)

* Crítica escrita por Andrea Carvalho

Atividade Paranormal: Marcados Pelo Mal/ Paranormal Activity: The Marked Ones (2014) – Não veja. Nota zero. Pronto. Nem teria mais nada a falar nesta análise.

Mas, como a ideia aqui é dar uma luz aos que gostam de filmes de terror, vamos lá: filme chato, chato, sem sustos, clichê, trash, desnecessário e... Já disse chato?

Em resumo: Jesse, o protagonista, compra uma câmera e sai filmando tudo. A curiosidade faz com que ele vá até o apartamento da misteriosa (e recém falecida) vizinha Ana. Ele e dois amigos entram no apartamento, descobrem coisas estranhas ligadas a uma seita (aquela que a gente já conhece dos outros filmes). O jovem passa a ter um comportamento questionável e os amigos investigam o que poderia ser.

É um chamado "spin-off" da franquia Atividade Paranormal. Um braço. E mantém a fórmula de uma câmera na mão filmando tudo em tempo real. Funcionou no primeiro filme? Funcionou. Na minha opinião, só no primeiro mesmo, porque o resto foi mais do mesmo. Inclusive acho o japonês (outro "spin-off") muito mais interessante que as continuações. Enfim, não vem ao caso agora.

Tem algum mérito esse filme? Até tem. As irmãs Katie e Kristi (ainda crianças) aparecem rapidamente dando um sustinho. A cena da igreja teve seu valor (SPOILER) quando eles fazem um ritual.

O final desse filme seria uma explicação para o final do primeiro filme Atividade Paranormal. Absolutamente dispensável.

E pra dizer a verdade, só isso mesmo. Os outros sustos são infantiloides e previsíveis. As explicações sobre a seita são pífias e a "marca do mal" é inacreditável.

Eu sinceramente me senti perdendo tempo. O trailer e a divulgação do filme são muito melhores que o próprio filme. Tudo propaganda enganosa.

Algumas cenas chegam a ser realmente engraçadas. Mas não funcionam como escape cômico, são engraçadas porque são ridículas mesmo. Sem noção.




Comentários