5 de março de 2014

Minha História Assombrada: O Cachorro Voltou para Buscar o Brinquedo?

Conheci o site a pouco tempo, e nesse período me identifiquei muito com a parte de relatos, pois acredito naquele ditado "toda assombração sabe pra quem aparece". Creio que seja um meio do povo do lado de lá nos alertar sobre a continuidade da vida após a morte.

Sempre gostei de cães, e um belo dia quando estava brincando com o cachorro do vizinho do meu prédio na rua, um morador do mesmo prédio que eu moro apareceu na janela e me viu brincando com o cachorro. Algum tempo depois ele perguntou para minha mãe se ele podia dar um cachorro para mim, pois a cadela dele cruzou e saiu uma ninhada grande, e ele estava doando os filhotes, como eu gostava pensou em dar um pra mim. Minha mãe concordou e ele disse que assim quando o filhote desmamasse ele me andaria um amigo dele trazer lá da casa dele em Rio Bonito - RJ para Cabo Frio - RJ onde morava. Era criança, na época com cerca de 10 anos, isso em 1998, ficava contando os dias para a chegada do tão esperado cãozinho. Enfim ele chegou na caçamba de uma Fiorino, dentro de uma caixa de patins da Xuxa.

O tempo passou e ele se transformou num grande cão de guarda, era um misto de Doberman com Fila brasileira, adorava meu pai de paixão, que aliás sempre o levava para andar na praia. Comprávamos diversos brinquedos para ele, ele adorava chacoalhar os brinquedos na boca, jogar no chão e depois deitava em cima de pernas por ar.

Os anos se passaram e em 2009 ele foi diagnosticado com câncer no olho esquerdo. Anos antes ele tinha ataques epiléticos, caia no chão se babava e tremia todo, a partir dessas informações o veterinário constatou em uma tomografia que o câncer já havia se enraizado no cérebro, não tivemos outra opção a não ser sacrifica-lo, pois não queríamos ver ele definhando ate a morte.

Após a sua morte, destruímos a sua casinha, pois ao olhar para ela associávamos a ele e começava a choradeira. Porém, um brinquedo que ele gostava muito, uma águia de plástico, aquelas que quando apertam apitam pois vem com um apito interno, essa águia ficou e era a única coisa dele, e não jogamos fora, deixamos dentro do canil, canil que também seria destruído em breve.Vez ou outra escutamos ele chorando pedindo para ir na rua, porém pensávamos que era somente saudade e coisas da cabeça.

Porém minha mãe mudou de idéia e queria por que queria outro cachorro, e estava até juntando dinheiro para comprar, quando uma amiga da família veio visitar minha tia, e minha mãe perguntou se ela sabia de alguém que venda cachorros, quando ela lhe disse que o pastor de sua igreja tinha alguns Dálmatas para vender. Compramos um Dálmata lindo! Meigo, Brincalhão e muito esperto!

Assim que ele cresceu o suficiente colocamos ele no canil do meu antigo cachorro já falecido, e o único brinquedo que ele tinha para brincar era a tal águia de plástico. Porém alguns dias depois a águia simplesmente sumiu, desapareceu, sem deixar rastros. Viramos o canil de cabeça pra baixo, olhamos tudo e não encontramos a bendita águia de plástico. Todos nós, minha mãe, meu pai e minha irmã não pensamos duas vezes quem levou foi o Beethoven!

O mais engraçado disso tudo é que eu tenho tido sonhos frequentes do Beethoven expulsando o Bob da casinha dele, e no sonho o bob me olha pedindo ajuda pois não sabe o que fazer, já que o Beethoven é muito maior que ele. O Bob também costuma dormir fora da casinha, quando ele dorme dentro tem pesadelos e fica se debatendo, ele é super medroso, tudo o assusta.

Agora a dúvida que fica é, pra onde diabos essa água foi parar e será que cachorros se assombram?

História assombrada enviada por Cris Nunes

* Minha História Assombrada trás para você relatos assustadores vividos por usuário do site AssombradO.com.br e Sobrenatural.Org - Veja com estes relatos que o mundo sobrenatural está a nossa volta e pode acontecer algo estranho com qualquer um! Tem algum caso e deseja que ele seja publicado? Então clique aqui.

CLIQUE AQUI para ler "Os Animais podem ver espíritos?"
Comentários