28 de março de 2014

10 Incríveis Casos de Sapos/Lagartos Encontrados Aprisionados em Rochas, Árvores, Concreto etc!

Assombrados, lembro que nas minhas aulas de geologia a professora Zélia não me falou desses fascinantes casos: encontrar vivos sapos, rãs ou lagartos aprisionados em rochas! Ela sempre ficava repetindo "Se fala rocha, não pedra!" Imagine, você acha uma rocha e quando a quebra, no meio tem uma cavidade e um sapo vivo dentro! Rapaz, como esse sapo foi parar lá, como estava vivo, a quanto tempo estava aprisionado???? Ai você pensa "Ah Mateus, você já está inventando coisas...". Que nada. Vou mostrar 10 casos de animais encontrados dentro de rochas.

10. Sapo em uma Rocha: Ano 1761 - França
Ambroise Paré, médico de Henrique III da França, relatou o seguinte no Registro Anual: "Estava sentado num lugar perto da aldeia de Meudon observando um pedreiro que eu havia enviado para quebrar algumas rochas muito grandes e duras, quando no meio de um rocha encontramos um sapo enorme, cheia de vida. Não havia qualquer abertura visível através do qual ele poderia chegar lá! O trabalhador disse-me que não era a primeira vez que ele havia encontrado um sapo ou outras criaturas dentro de enormes blocos de pedra".

09. Sapo em Rocha Calcária: Ano 1865 -Inglaterra
O jornal Hartlepool Free Press relatou que escavadeiras trabalhando em um bloco de pedra calcária de magnésio retirada de cerca de 25 metros de profundidade perto de Hartlepool, Inglaterra, descobriu uma cavidade dentro da rocha que continha um sapo vivo. "A cavidade não era maior do que o seu corpo, e o sapo apresentou a aparência de ser dela. Os olhos do sapo brilhavam com brilho incomum, e ele estava cheio de vivacidade em sua libertação. Parecia, quando descoberto pela primeira vez, desejoso de realizar a processo de respiração, mas, evidentemente, experimentou alguma dificuldade, e o único sinal de sucesso consistia de um ruído, que ele emitia invariavelmente quando era tocado. O sapo está na posse do Sr. S. Horner, presidente da Sociedade de História Natural, e continua em um estado tão animado como quando foi encontrado. Um exame da sua boca mostrou que era completamente fechada, e o ruído emitido saia de suas narinas. As garras das patas dianteiras estão viradas para dentro, e as patas traseiras são de tamanho extraordinário, ao contrário sapo inglês. O sapo, quando libertado, tinha uma cor pálida e não era facilmente distinguido da pedra, mas rapidamente sua cor mais escura cresceu até tornar-se uma marrom oliva."

08. Sapo em Rocha - Final do século XIX
Na mesma época, um artigo na revista Scientific American relatou que um mineiro de prata chamado Moisés Gaines encontrou um sapo dentro de uma pedra de diâmetro de dois metros. O artigo afirmava que o sapo tinha "três centímetros de comprimento e era muito gordo. Seus olhos eram do tamanho de uma moeda de prata, sendo muito maior do que os dos sapos do mesmo tamanho que vemos todos os dias. Tentaram fazê-lo saltar cutucando-o com um pedaço de pau, mas ele nem prestou atenção." Um artigo mais tarde na revista Scientific American, disse: "Muitas histórias bem autenticadas do encontro de sapos e rãs vivas em rocha sólida estão no registro."

07. Lagarto Revive. Ano: 1821
A revista Philosophical Magazine Tilloch escreveu como David Virtue, um pedreiro, estava trabalhando em um grande pedaço de rocha que tinha vindo de cerca de 22 metros abaixo da superfície quando "ele encontrou um lagarto embutido na pedra. Ficou preso em uma cavidade moldada de sua própria forma, como uma impressão exata do animal. Tinha cerca de 3 centímetros, uma cor amarelo acastanhado, e uma cabeça redonda com olhos brilhantes projetados. Estava aparentemente morto, mas depois de ficar cerca de cinco minutos exposto ao ar, mostrou sinais de vida e logo corria com muita rapidez."

06. Sapo e Lagarto em Rocha - 2ª Guerra Mundial
Durante a 2ª Guerra Mundial, um soldado britânico estava trabalhando com uma equipe na extração de pedras para fazer estradas e preenchimento de crateras de bombas. Eles muitas vezes usaram explosivos para quebrar a rocha. Depois de uma detonação, o soldado arrancou o topo de uma rocha e viu "um grande sapo e ao lado dele um lagarto de pelo menos nove centímetros de comprimento. Ambos os animais estavam vivos, e o espantoso foi que a cavidade que se encontravam estava pelo menos 20 metros embaixo da terra".

05. Sapo encontrado no tronco de árvore: Ano 1719 - França
A Academia de Ciências Francesa publicou um relato em uma edição de 1719 de Memórias do corte de uma grande árvore de olmo. No centro exato do tronco, cerca de quatro metros acima da raiz, foi encontrado "um sapo vivo, de tamanho médio, que preenchia todo o espaço."

04. 68 sapos em uma árvore: Ano 1876 - África do Sul
O jornal Uitenhage Times da África do Sul em 1876 relatou a experiência de madeireiros que estavam cortando uma árvore em pranchas, quando lá no fundo do buraco foi encontrado 68 pequenos sapos, cada um do tamanho de uma uva. "Eles eram de um castanho claro, cor quase amarelo, e perfeitamente saudáveis, pulando como se nada tivesse acontecido. Nada indicava como eles poderiam ter chegado ou quanto tempo eles estavam lá, ou como poderiam ter vivido sem comida, bebida, ou o ar."

03. Início do Século XX - Estados Unidos
Um jornal dos Estados Unidos publicou no princípio do século XX a seguinte notícia: "Foram encontrados lagartos vivos num tufo de pedra de cal das pedreiras de Lux e Talbot, ao norte de Anderson (Indiana). Os operários que escavavam a rocha descobriram uma série de "cavidades". Em cada uma dessas "cavidades" foi encontrado um lagarto vivo. Expostos ao ar depois de retirados, morreram ao fim de alguns minutos. Tinham uma cor acobreada muito original. Alguns deles apenas tinham o sítio dos olhos, não tinham o globo na órbita. Os zoólogos declararam, e isso parece evidente, que os lagartos viviam ali há milhares de anos, tendo sido entaipados, encerrados vivos, no momento da formação da rocha. Não havia hipótese de qualquer passagem de ar para a estranha cela e naturalmente não podia chegar a eles qualquer espécie de alimento..."

02. Sapo em rocha: Ano 1811 - Inglaterra
Livros antigos como White World, de 1811, contém informes espetaculares como, por exemplo, o de um sapo encontrado vivo em Eastwood-Inglaterra, soterrado numa mina de carvão. O seguinte trecho constitui parte da narrativa do livro: "O autor está em posse de um sapo seco, que foi retirado vivo deste estrato a quarenta jardas da superfície na cova Fire Engine da mina de carvão de Eastwood, mas morreu imediatamente sob exposição ao ar; isto foi presenteado a ele por Mr. Gervas Bourne de Eastwood, de cuja extensiva Coleção de Vegetais, e outros tipos de Fosseis daquelas vizinhança, impressiona."; O livro diz também que encontraram-se vivos dois sapos em um pedaço de mármore e cita: "N. B., o operário empregado alguns anos atrás, ao retirar este mármore da Mina, em Cowden, perto de Ashford, ao quebrar um bloco solido, encontrou no centro (por) baixo, dois Sapos vivos, à distância aproximada de seis palmos um do outro, que morreram imediatamente em exposição ao ar."

01. "Old Rip", a rã encontrada dentro do cimento de uma estrada em Nova York: Ano 1933 - Estados Unidos
A rã "Old Rip"
Em 1933, um cientista americano contou para a imprensa a história de como foi encontrada uma rã que foi chamada de "Old Rip", em homenagem a seu descobridor. Aparentemente, esta rã vivera 34 anos dentro do cimento de uma estrada em Nova York. Em Ouvres, de Ambroise Paré (edição in-fólio, p. 664) lê-se o seguinte: "Estando numa pequena propriedade minha, perto da aldeia de Meudon, onde eu mandara partir pedras grandes e sólidas, foi encontrado no meio de uma delas um grande sapo vivo. Não havia nenhuma abertura na pedra, e maravilhei-me como é que aquele animal tinha podido nascer, crescer e ter vida! Então o trabalhador disse-me que não me espantasse, porque muitas vezes tinha encontrado aqueles animais no interior de pedras que não possuíam qualquer vestígio de abertura..."

O local onde Rip foi encontrada (Scientific American, dezembro de 1933)
É leitores, o mundo é assombrado!
Para saber mais sobre o assunto, recomendo a leitura do post Imortalidade de Sapos.

Adaptei este post daqui!
Comentários