26 de fevereiro de 2014

Minha História Assombrada: Minha Mãe Estava Possuída

O relato que irei contar-lhes é pessoal, uma pedaço de minha vida que eu nunca conseguirei esquecer. Minha família sempre foi muito religiosa, por parte de pai a família é toda evangélica e por parte de mãe, todos católicos. Eu sempre tive a curiosidade de saber sobre o passado da minha família, porque de ambas as partes, aconteceram coisas e até hoje acontecem com todos de nossa família.

O primeiro de tudo foi o suicídio do meu avô. Isso me atormenta até hoje e minha avó não sente interesse em contar o motivo certo, porque para mim, ele não tinha motivos para fazer este ato, deixando cinco filhos para criar.

Por parte de pai, sempre ouvi que a família nunca teve a fama de ser abençoada. Sempre ouve histórias que os homens da família nunca conseguiriam ser felizes.

Em meados de 2007/2008, meus pais se separaram. Ainda em processo de separação, eu, meu irmão e meus pais, morávamos em uma casa que na qual eu desejo que ninguém more mais nela. Essa casa era pesada espiritualmente e eu sentia aquilo. Meus pais brigavam a cada cinco minutos, meu irmão, que na época tinha um ano e meio vivia doente, e eu era calada, sempre assistindo tudo em silêncio. Certo dia, fui com meu irmão para casa da minha avó (a que teve o marido suicida, e mãe de minha mãe) até ai, beleza. Quando anoiteceu e voltei para casa, já que minha mãe havia ligado dizendo que estava em casa. Estava na calçada quando um vizinho chegou para mim e perguntou a mim e minha mãe se durante a tarde, tinha alguém em casa... Por que ele havia visto as luz da cozinha acesa e várias vozes vindo de dentro da casa. Minha riu e disse ''Não, deve ter sido o pessoal que mora ali pra trás.'' O vizinho me olhou e eu senti um arrepio quando olhei pra dentro da minha casa, ou antiga casa, tudo escuro. Nessa noite, meu pai havia chegado do trabalho e eu pedi para minha mãe que colocasse o colchão na sala pois não sentia-me segura dormindo no quarto. Dormimos todos nós na sala e foi nessa noite que tudo começou.

Eu tinha sonhos que acordava gritando. Isso durou por meses... Minha mãe vivia com manchas pretas pelo corpo e meu pai cada vez mais agressivo. Até que eles se separaram e minha mãe decidiu-se mudar de casa. Quando a gente se mudou, foi quando minha mãe começou a sentir fortes dores de cabeça. Ela trabalhava o dia inteiro e eu e meu irmão por conta disso, passávamos o dia na casa da minha avó. Houve dois dias de angustia... No primeiro, eu tinha ido pra casa com meu irmão e quando chegamos a casa estava toda aberta e minha mãe dormindo. Quando entrei, pedi que o meu irmão, Marcus, ficasse na sala não tão perto da porta. Entrei e fui no quarto da minha mãe. Eu estranhei, por que ela estava de batom. Minha mãe NUNCA dorme com alguma maquiagem. Chamei ela umas duas vezes, na terceira ouvi ela responder ''não é sua mãe aqui.''  Na hora, engoli um nó na garganta e continuei chamando por minha mãe. E mais uma vez "aqui não é sua mãe"  e eu perguntei "e quem é você? traga minha mãe de volta"  a resposta que tive foi "sou eu, sua avó Honorina", essa é a mãe de meu pai. Na mesma hora liguei para minha tia, que faz faculdade de teologia e que é irmã de minha mãe e mora com a minha avó, mãe delas. Minha tia disse para que eu colocasse o celular no ouvido dela. Eu coloquei e meia-hora depois minha mãe estava de volta. Sem lembrar de nada.

Na outra noite, minha mãe havia ligado para casa da minha avó informando que iria dormir lá e que eu e meu irmão não fossemos para casa. Deu 21:00/22:00 hrs e nada de minha mãe chegar, até que minha tia teóloga ligou para ela e ela pediu que alguém fosse busca-la por que não estava sentindo-se bem. Pois bem, fomos buscá-la, eu, minha avó, meu primo e uma tia minha de consideração. Ao chegar lá, o portão estava no cadeado, então chamei por minha mãe. Quando ela apareceu na porta de forma estranha e uma voz estranha e grave saia de sua boca. Minha vó, sempre de reza forte, começou a rezar o Credo com essa minha tia de consideração. Eu pulei o muro para pegar a chave e abrir o portão, e rezando juntamente com minha vó e minha tia o Credo. Eu chorava, não escandalosamente, mais chorava por que não queria que machucasse minha mãe. E a voz dizia ''garotinha, você é a culpada disso tudo pela sua rebeldia''  e quanto mais ele me provocava eu rezava mais forte e mais desafiante a ele o Credo e o Pai-Nosso.

Conseguimos tirar e levar minha mãe para casa de minha avó. Dentro do carro eu fui ao lado dela, e cada vez que a olhava sentia que não era minha mãe ali e que aquela coisa não estava gostando do meu atrevimento perante a ele a cada vez que eu rezava e colocava a mão no ombro da minha mãe. Quando entramos pra dentro da casa da minha avó, ela pediu para que todos nós sairmos. Eu, fiquei ouvindo tudo e vendo pela brecha da persiana. A coisa, se recusava a beber a água benta que minha vó guardava. Até que minhas tia seguraram ela e disseram ''você vai beber''  e fizeram-a beber água e rezando mais forte ainda. Até que eu vi minha mãe cair no sofá. No dia seguinte ela não lembrava, mais minha tia contou-lhe tudo o que havia acontecido.

Mais casos assim aconteceram na família. A irmã mais nova de minha mãe sofreu disso também, porém, isso é um caso para minha prima relatar, não eu. Uma vez, comentando com meu tio sobre assuntos assim ele me falou que nossa família é muito ligada ao passado e que alguém da geração dele mexeu com coisas que nunca deveriam ter mexido.

Tentei ao máximo resumir o que aconteceu comigo. Queria poder compartilhar mais casos desses de minha família, porém ficaria muito extenso.

Abraços e se cuidem.

História assombrada enviada por Carla Thaynara

* Minha História Assombrada trás para você relatos assustadores vividos por usuário do site AssombradO.com.br e Sobrenatural.Org - Veja com estes relatos que o mundo sobrenatural está a nossa volta e pode acontecer algo estranho com qualquer um! Tem algum caso e deseja que ele seja publicado? Então clique aqui.

CLIQUE AQUI para ler "Minha História Assombrada: Entidade Possuiu Minha Esposa"
Comentários