19 de novembro de 2013

Conto Assombrado: O Pergaminho de Prata


Faltava pouco para que Gleidson terminasse de escalar a montanha. Por muito anos varias e varias pessoas haviam buscado tão sublime tesouro: A pedra de prata do conhecimento, em tal pedra estaria o segredo para mudança e transformação do ser. Muitos foram em busca desse tesouro, mas quase todos procuraram a esmo, já que ninguém conhecia a localização exata de onde a pedra se encontraria. Após algum tempo de pesquisa Gleidson descobriu o local exato, e por meio de um mapa antigo partiu sozinho em busca de tão fascinante tesouro. Chegando ao ponto exato, viu uma pedra que parecia ter algumas inscrições em uma idioma antiga, moveu a pedra, que pareceu deslizar sobre uma outra, e após exatos 3 segundos uma fenda se abriu na rocha, revelando um pequeno pote. Gleidson encantado com o achado enfiou a mão no pote e la encontrou uma pedra, que não era exatamente uma pedra, mas um pergaminho prateado. Abriu-o e teve uma grande surpresa, no pergaminho de prata não havia nada, somente sua face refletida. Frustrado, tentou buscar algumas respostas pra o que poderia ter ocorrido: e se talvez para revelar tal segredo eu tivesse que falar palavras mágicas? E se houvesse algum código secreto, ou se algo nele só pudesse ser visto por pessoas especiais? Pensou em muitas coisas, mas aos poucos Gleidson começou a sentir raiva da descoberta, já que procurara tanto tempo para nada. Ficou ali sentado ao sol observando aquele papel prateado, e pensou: bem, ao menos a prata deveria valer alguma coisa, parou e ficou vendo sua face nele refletida. Viu que como o tempo o havia mudado, viu o quanto estava diferente, como seu semblante cansara com o passar dos anos e como seus fios cabelo agora pareciam cada vez mais raros. Aos poucos aquilo, que mais pareceu uma meditação, trouxe-lhe uma mensagem ao coração: Sua maior descoberta foi descobrir a pureza que esta em si mesmo... Assustou-se com o pensamento, mas viu que era verdade. Do que adiantaria toda riqueza do mundo se ele não estivesse ali para vivê-la, do que adiantaria toda a beleza da terra, se ele não pudesse vê-la, do que adiantaria a existência dos problemas, se ele não estivesse ali para encontrar as soluções. Porem por fim pensou: Mas então para que tive que vir de tão longe para descobrir algo tão simples aqui?

E novamente uma resposta lhe veio ao coração: Porque a busca em si já é a descoberta, não é o troféu que consolida a vitória, mas o ganhador, o valor da vitória esta de acordo com a dificuldade da batalha, você se descobriu porque teve este objetivo.

Foi então que feliz com a descoberta, simples, mas verdadeira Gleidsom, levantou-se, ocultou novamente o pergaminho prateado e resolveu criar outros mapas, espalhando-os assim por vários lugares, para que todo aquele que busca-se seu tesouro encontra-se a si mesmo.

conhece-te a ti mesmo” inscrição na entrada do Oráculo de Delfos, frase normalmente atribuída a Sócrates

O caminho do Buda é conhecer a si mesmo;
Conhecer a si mesmo é esquecer a si mesmo;
Esquecer a si mesmo é estar desperto para todas as coisas.

Portanto, és inescusável quando julgas, ó homem, quem quer que sejas, porque te condenas a ti mesmo naquilo em que julgas a outro; pois tu, que julgas, fazes o mesmo”. Romanos 2:1

_____________________________________________________________

Talvez o diferencial que você esteja buscando ainda só não foi descoberto porque ele esta oculto em você mesmo. A vida vem de dentro de nós, e para que ela se una ao infinito é necessário que sejam desfeitas as amarras da ansiedade (medo do futuro) e do rancor (mágoas do passado), para que você viva plenamente o hoje e sinta os milagres que Deus lhe oferece a cada segundo. Evite olhar para sí e fazer comparações, isto vem do seu ego, não veja só uma pessoa, veja vida, veja história, veja força, veja Deus dentro de você. Não alimente seu ego, alimente seu espírito. Olhai os lírios dos campos, veja como estão em paz, e como são belos. Todo conflito que você vive no mundo externo, é uma projeção do seu ego. Quando você não resolve seus conflitos interiores você tenta afastá-los de si e vai projetando ele em outras coisas, e infelizmente em outras pessoas. E mais fácil atacarmos o inimigo quando ele é alheio a nós. Se projetarmos nossa ira e nosso medo nas pessoas, elas reagirão a isto, sempre da maneira que você espera. Viva conforme aquilo que deseja receber, projete amor, respeito, serenidade e vida. E então receba todas estas coisas de volta, após isto irá ocorrer algo mágico, pois ninguém irá entender como você consegue sorrir enquanto muitos estão tristes, ou como você consegue ter paz em meio a tempestade. Não é a situação que molda seu ser, mas seu ser que transforma as situações.

Conto gentilmente enviado pelo leitor André Oliveira, do site Facenistro
Comentários