30 de outubro de 2013

Minha História Assombrada: A Caixinha do Blu-ray

Eu e meu pai temos o costume de assistir filmes aos domingos à noite. Não temos muito o costume de alugar na locadora, em vista da comodidade que a internet tem de poder baixar e assistir a hora que quiser e o que quiser. Mas, nesse domingo em especial, alugamos um filme mais antigo (que não encontrávamos na internet) para poder assistir. Era um filme de terror (não me recordo ao certo qual era, mas chuto Dead Silence). Pois bem, ao término, meu pai deixou a capinha do Blu-ray em cima da cômoda onde fica o DVD na sala.

Só estávamos eu e meu pai em casa. Como tinha alguns trabalhos da faculdade ainda pendentes, aproveitei o resto do dia para terminá-los. Meu pai foi dormir. Fechei as portas de casa e fui para o meu quarto e tranquei a porta dele.

Pouco mais de uma da manhã e com a casa com todas as luzes apagadas exceto a do meu quarto, ouço um ruido como se fosse a janela da cozinha abrindo levemente. Olho em baixo da porta para ver se a luz estava acesa ou se meu pai havia levantado, mas não: ele estava em seu quarto dormindo. Desconsiderei e voltei para minhas atividades.

Minutos depois, ouço um barulho mais alto, mas dessa vez um barulho como se alguém tivesse pegado a capinha do DVD que assistimos e jogado no chão. Novamente, pensei que fosse meu pai. Olhei por debaixo da porta e pela janela do meu quarto (que dá visão para o quarto dele) e novamente as luzes apagadas e ele estava dormindo.

Não bastando, pouco menos de dois minutos depois, dessa vez num estrondo muito mais forte e perturbador, ouço novamente o mesmo barulho como se fosse alguém pegando e jogando a capinha no chão, só que dessa vez com muito mais força, como que se fosse para chamar a atenção e quebrar o objeto. Me assustei e corri para a janela: as luzes apagadas, meu pai dormindo. Tremi. Me apavorei.

Esperei um tempo para abrir a porta e ver o que estava acontecendo. A janela parecia normal, mas a capinha estava em uma posição diferente da original que a deixamos. Desliguei todos os aparelhos e fui dormir. De manhã cedo, perguntei a meu pai se ele havia ouvido os barulhos e se não tinha sido ele que derrubou sem querer a capinha, ainda que não fizesse sentido fazer isso duas vezes consecutivas. Para meu pavor, ele disse que não ouviu, nem levantou hora nenhuma, mas achou estranho ela estar onde não a deixamos.

História assombrada enviada por Tiago Peçanha

* Minha História Assombrada trás para você relatos assustadores vividos por usuário do site AssombradO.com.br e Sobrenatural.Org - Veja com estes relatos que o mundo sobrenatural está a nossa volta e pode acontecer algo estranho com qualquer um! Tem algum caso e deseja que ele seja publicado? Então clique aqui.
Comentários