4 de junho de 2013

Relatos Estranhos no BINFA

Por _*Witter**

Fui da Turma 2ª 2003 do Comar VI aqui de Brasília, e naquela época era um mero recruta tentando ingressar na Aeronáutica, durante o período de 4 meses que passei no Batalhões de Infantaria da Aeronáutica Especial (BINFA) tive algumas experiências estranhas e vou citar as que lembro com mais detalhes.

Gostaria de avisar a aqueles que nunca tiveram em ambientes de Batalhões de Infantaria costumar ser sempre a mesma coisa,  o clima dentro é bem ruim, tem uma cadeia onde ficam os militares que fazem besteira, pessoas já se mataram lá dentro e isso fora que é um lugar onde as pessoas que estão lá passam um bom tempo sofrendo se não pela mão dos instrutores, pelas injustiças que acontecem no meio militar. Sem mais delongas...

1 - Certa vez estava tirando serviço no portão do da Guarda do BINFA, já passavam das 02h da manhã, lembro bem pois foi o horário que fui puxar o meu turno (na época como éramos recrutas, e os turnos eram puxados em duplas) estávamos conversando apenas eu e o outro recruta que estava comigo e começamos a ouvir barulhos no mato que ficava a frente de nós, não tínhamos visão pois o poste só iluminava nossas cabeças e uma pequena área a frente, bem, achamos que era uma coisa besta até porque na época os soldados antigos gostavam de falar de histórias e até mesmo se esconder para fazer surpresas para nos assustarem, ouvimos o barulho de novo, e de novo, ficou esse barulho como se estivesse mexendo no mato, como se estivesse fuçando algo, ficamos atentos pois já estávamos chateados com aquele barulho e começávamos a achar que não era uma brincadeira, o barulho parou, e então ficamos mais relaxados, continuamos conversando, então do nada esse vulto passou na nossa frente, correndo, parecia um cachorro com tamanho maior, ele passou na nossa frente correndo de 4 em direção diagonal a que estávamos, em uma velocidade que só conseguimos ver literalmente o vulto, eu olhei para ele ele olhou para mim, e eu perguntei: "Você viu isso?" e ele disse: "Sim." ficamos mais atentos depois daquela hora para ouvir ou ver algo que poderia aparecer, mas nada aconteceu no espaço até terminar nosso quarto de hora e irmos de volta para o alojamento, lembro que quando fomos rendidos pelos outros recrutas falamos: "Cuidado ai pessoal, vimos um vulto estranho correndo ai.", e fomos dormir, na manhã do mesmo dia apareceu um cachorro no canil morto, como se tivesse sido cortado. Eu e esse recruta olhamos um para o outro e nada contamos para os outros.

2 - Estávamos voltando do Rancho do jantar, todos em formação, já estava tudo escuro aquela hora, estávamos passando na frente de um portão onde tinha se matado uma pessoa com um tiro de fuzil e que ficava também do lado da cadeia onde mais 2 tinham se matado (um desses que se matou na cadeia se matou com o cadarço do tênis, pode parecer piada mas não é.) caminhávamos em linha reta 6 fileiras com total de 40 homens, quando do nada os 2 homens que estavam no meio da frente da tropa se espantaram, um disse: "O que é isso" o outro só deu uma exclamação de susto, assim como os seguintes, eu fazia parte daqueles que estávamos no meio, e vi, todos os outros da mesma ordem de fileiras também viram esse vulto preto andando no meio de nós, antes do vulto chegar no final da formação ele sumiu, sim sumiu, do nada. Essa foi uma das experiência conjuntas mais estranhas que passei e com testemunhas que também viram exatamente o que vi.

3 - Eu estava me preparando para fazer a segurança da troca da Bandeira e estávamos na reserva de material pegando tudo para o próximo dia, peguei meu material, fui para o alojamento, e percebi que faltava um cinto, voltei e quando passei na frente do mesmo portão do caso que contei acima senti um mal estar e uma presença atras de mim, olhei e olhei e não vi nada, fui até a reserva peguei o cinto e voltei, no mesmo ponto que senti o mal estar comecei a me sentir pesado e quente, senti um sopro quente na minha orelha, olhei em volta e não tinha nada, lembro que esse dia cheguei correndo no alojamento e achando estranho o que tinha acontecido.

4 - Outra coisa aconteceu depois que já me formará, já tinha saído do BINFA, estava puxando hora sozinho e tínhamos que fazer uma ronda em lugares de baixa luminosidade, estava andando e observando se estava tudo tranquilo e vi um vulto preto em pé do lado de uma passagem de que dava acesso a um orelhão (é como chamamos telefone público aqui em Brasília), tinha uma luz em cima desse orelhão o que me fazia ter mais certeza que era alguém, achei estranho pois esse possível pessoa estava em pé de frente para mim, e a uns 10 passos do orelhão, eu coloquei a mão na minha arma, tirei a presilha do coldre e corri para cima dessa pessoa, enquanto eu chegava perto ela se agachará na frente de uma caixa de extintores que estava logo ao lado, quando eu fui chegando perto esse vulto sumiu, foi MUITO estranho, eu vi o vulto, vi que tinha consistência, não me lembro agora se tinha ou não sombra, mas que foi estranho foi, lembro que nesse dia fiquei muito apreensivo de rondar o mesmo local, mas assim o fiz, e não mais vi nada, lembro que muitos outros amigos que andaram por lá relataram ter ouvido barulhos estranhos ou mesmo visto vultos e na época eu era considerado maluco de fazer ronda nesse local sozinho.

Sei de outras histórias também, mas preferi contar as que se passaram comigo.

Fonte: Sobrenatural.Org
Comentários